Covenantal Cells

By Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

“For better or for worse, for richer, for poorer, in sickness and in health, to love and to cherish…” These words are familiar to most of us. They are considered “traditional wedding vows”. Many couples delete these words today when getting married. Many say them, and later break their vows. Yet, these vows help define the nature of the marriage relationship. Marriage is a covenantal relationship, a covenant of companionship. The two most important relationships in the world are covenantal – our relationship to Christ, and our relationship to our spouse. In both of these, care flows out from the covenant. Let me suggest a third relationship that should be covenantal – cell relationships.

We have used a Cell Covenant since 1984 to define and give substance to our cell relationships. It defines the nature of the relationship we as cell members will strive to live out with each other. Allow me to illustrate with three.

  • The Covenant of Unconditional Love: I will choose to love you, up-build you, and accept you, my brothers and sisters, no matter what you say or do. I will choose to love you in whatever form you come. There is nothing you have done or will do that will make me stop loving you. I may not agree with your actions, but I will love you as a person and do all I can to hold you up in God’s affirming love.
  • The Covenant of Sensitivity: I will seek to share as the Lord leads, but not to draw attention to myself or demand ministry for myself except when I truly need it. Even as I desire to be known and understood by you, I covenant to be sensitive to you and your needs to the best of my ability. I will try to hear you, see you, and feel where you are and to draw you out of the pit of discouragement or withdrawal. I will earnestly avoid giving “simplistic” answers to the difficult situations you may find yourself in.
  • The Covenant of Availability: Here I am if you need me. Anything I have–time, energy, insight, possessions–is at your disposal, if you need it, to the limit of my resources. I give these to you in a priority covenant over the needs of others with whom I am not in covenant.

We will fail from time to time, as we strive together to live out our covenant. But our covenant gives substance to our relationships, describing our commitment in living towards one another, 24/7. Our cell covenant makes tangible how we are choosing to relate to one another as a community.

If you were part of a cell community whose members were committed to demonstrating unconditional love towards you, whose members, not just the leaders, are making themselves available to you, are dedicated to being sensitive to your needs, to hear you, see you and feel where you are, would you feel cared for? Would you go elsewhere?

Korean blog (click here)


Portuguese blog:


Células da Aliança

Por Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

“Para melhor ou para pior, na riqueza e na pobreza, na doença e na saúde, para amar e cuidar…” Essas palavras são familiares para a maioria de nós. Eles são considerados “votos de casamento tradicionais”. Muitos casais apagam essas palavras hoje ao se casar. Muitos os dizem e depois quebram seus votos. No entanto, esses votos ajudam a definir a natureza do relacionamento conjugal. O casamento é uma relação de aliança, uma aliança de companheirismo. Os dois relacionamentos mais importantes do mundo são de aliança – nosso relacionamento com Cristo e nosso relacionamento com nosso cônjuge. Em ambos, o cuidado flui da aliança. Deixe-me sugerir um terceiro relacionamento que deve ser de aliança – relacionamentos celulares.

Usamos uma Aliança Celular desde 1984 para definir e dar substância aos nossos relacionamentos celulares. Ele define a natureza do relacionamento que nós, como membros da célula, nos esforçaremos para viver uns com os outros. Permitam-me ilustrar com três.

  • A Aliança do Amor Incondicional: Eu escolherei amar vocês, edificar vocês e aceitá-los, meus irmãos e irmãs, não importa o que vocês digam ou façam. Eu escolherei te amar de qualquer forma que você venha. Não há nada que você tenha feito ou fará que me fará parar de te amar. Posso não concordar com suas ações, mas vou amá-lo como pessoa e fazer tudo o que puder para mantê-lo no amor afirmativo de Deus.
  • A Aliança da Sensibilidade: Procurarei compartilhar conforme o Senhor guiar, mas não chamar a atenção para mim mesmo ou exigir ministério para mim, exceto quando realmente precisar. Mesmo que eu deseje ser conhecido e compreendido por você, comprometo-me a ser sensível a você e às suas necessidades da melhor forma possível. Vou tentar ouvi-lo, vê-lo, sentir onde você está e tirá-lo do poço do desânimo ou do retraimento. Eu sinceramente evitarei dar respostas “simplistas” para as situações difíceis em que você pode se encontrar.
  • A Aliançada Disponibilidade: Aqui estou se você precisar de mim. Qualquer coisa que eu tenha – tempo, energia, discernimento, posses – está à sua disposição, se você precisar, até o limite de meus recursos. Eu os dou a você em uma aliança prioritária sobre as necessidades de outros com quem não estou em aliança.

Nós falharemos de tempos em tempos, enquanto nos esforçamos juntos para viver nossa aliança. Mas nossa aliança dá substância aos nossos relacionamentos, descrevendo nosso compromisso de viver uns com os outros, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Nosso pacto celular torna tangível como estamos escolhendo nos relacionar uns com os outros como uma comunidade.

Se você fizesse parte de uma comunidade de células cujos membros estivessem comprometidos em demonstrar amor incondicional por você, cujos membros, não apenas os líderes, estivessem se colocando à sua disposição, dedicando-se a serem sensíveis às suas necessidades, a ouvi-lo, vê-lo e sentir onde você está, você se sentiria cuidado? Você iria para outro lugar?

Spanish blog:


El Pacto Celular

Por el Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

“En lo bueno y en lo malo, en la riqueza y en la pobreza, en la salud y en la enfermedad, para amar y cuidar…” Estas palabras son familiares para la mayoría de nosotros. Se consideran “votos matrimoniales tradicionales”. Hoy en día, muchas parejas suprimen estas palabras cuando se casan. Muchos las dicen y más tarde rompen sus votos. Sin embargo, estos votos ayudan a definir la naturaleza de la relación matrimonial. El matrimonio es una relación de alianza, un pacto de compañerismo. Las dos relaciones más importantes del mundo son de alianza: nuestra relación con Cristo y nuestra relación con nuestro cónyuge. En ambas, el cuidado fluye del pacto. Permítanme sugerir una tercera relación que debería ser pactada: las relaciones celulares.

Desde 1984 utilizamos un Pacto Celular para definir y dar contenido a nuestras relaciones celulares.

Define la naturaleza de la relación que, como miembros de la célula, nos esforzaremos por vivir unos con otros. Permítanme ilustrar con tres.

  • El Pacto de Amor Incondicional: Elegiré amaros, edificaros y aceptaros, mis hermanos y hermanas, sin importar lo que digáis o hagáis. Elegiré amarte en cualquier forma que vengas. No hay nada que hayáis hecho o que vayáis a hacer que me haga dejar de amaros. Puede que no esté de acuerdo con tus acciones, pero te amaré como persona y haré todo lo que pueda para sostenerte en el amor afirmativo de Dios.
  • El Pacto de Sensibilidad: Trataré de compartir como el Señor me guíe, pero no llamaré la atención sobre mí mismo ni exigiré el ministerio para mí, excepto cuando realmente lo necesite. Así como deseo ser conocido y comprendido por ti, me comprometo a ser sensible a ti y a tus necesidades lo mejor que pueda. Intentaré escucharte, verte y sentir dónde estás y sacarte del pozo del desánimo o del retraimiento. Evitaré sinceramente dar respuestas “simplistas” a las situaciones difíciles en las que te encuentres.
  • El Pacto de Disponibilidad: Aquí estoy si me necesitas. Todo lo que tengo -tiempo, energía, perspicacia, posesiones- está a tu disposición, si lo necesitas, hasta el límite de mis recursos. Te los doy en un pacto de prioridad sobre las necesidades de otros con los que no estoy en pacto.

De vez en cuando fallaremos, mientras nos esforzamos juntos por vivir nuestra alianza. Pero nuestro pacto da contenido a nuestras relaciones, describiendo nuestro compromiso de vivir unos con otros, las 24 horas del día. Nuestro pacto celular hace tangible cómo elegimos relacionarnos unos con otros como comunidad.

Si formaras parte de una comunidad celular cuyos miembros se comprometieran a demostrar un amor incondicional hacia ti, cuyos miembros, no sólo los líderes, se pusieran a tu disposición, se dedicaran a ser sensibles a tus necesidades, a escucharte, verte y sentir dónde estás, ¿Te sentirías atendido? ¿Te irías a otra parte?

Leave a Reply

Your email address will not be published.