Called for What? (Español Abajo)

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available@amazon.com in English, Portuguese, Spanish, Italian, and German)]

If we all agree with the “priesthood of all believers”, it is common ground that all that come to faith have a calling from God. Sure. But what does that really mean? Does your church structure show that? Does it promote this concept? Are the church members living out their calling?

As Christians, we have become used to “believing” a lot of things, but not practicing everything we believe. Jesus calls us fools if we hear his words and do not put them into practice. I don’t want to be a fool and I am sure that neither do your church members. So it is up to us, church leaders, to guarantee that every believer may live out his calling. 

I suggest three basic changes to make this a reality:

  1. Change your own mentality. Start looking at your members as Jesus did to his disciples: he saw potential, greatness, miracle workers, and powerful witnesses, and that God would be glorified through them. Look at them as Paul did: they were his precious children, faithful servants, bearers of the good message, new converts entrusted to lead the new communities. Look at them as Peter did: living stones, a spiritual house, chosen people, a royal priesthood, a holy nation, a people for God’s own possession. After calling the believers all these beautiful things, Peter declares so clearly what this is all for, that we might never doubt it: 

…so that you may proclaim the excellencies of Him who has called you out of darkness into His marvelous light; for you once were not a people, but now you are the people of God;

2. Change the mentality of the church members. Start preaching this principle. Challenge people to go deeper in understanding the implications of it. Draw people closer to God so they can receive revelation from above. Promote prayer and fasting. Invite the Holy Spirit to come and change the hearts. And, please give him the freedom to do so. May we all understand that we were saved “so that we may proclaim…”

3. Change the church structures and programs. Whatever we are doing as a church that does not comply with this is wrong. And we could even push it further – anything that does not promote the main purpose of our life is also wrong. It has become obvious for many leaders that the church became an end to itself since most of the energy, time, and resources are spent to keep it alive. That is not our calling. We are called to multiply ourselves and fill the earth with his image (see my last blog). So, the church needs to be changed. Structures, programs, traditions, rituals, teachings, doctrines. Whatever is in the way, must go or be radically changed. The church must be free to focus on what God has called us to be and do: challenge, train & equip, support, empower and send out all believers to fulfill their calling as royal priests of an amazing God. 

And blessed be His glorious name forever; And may the whole earth be filled with His glory. Amen and Amen (Psalm 72:19)

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Chamado para quê?

Por Roberto Bottrel [servindo igrejas europeias, desafiando-as a serem fazedoras de discípulos através de células que multiplicam (centraldna.org). Autor do livro Multiplicação, o desafio do cristianismo, do líder e da Igreja (disponível na loja central.online no Brasil e em @amazon.com em Português, Inglês, Espanhol, Italiano e Alemão]

Se todos concordamos com o “sacerdócio de todos os crentes”, é consenso que todos os que chegam à fé têm um chamado de Deus. Certo. Mas o que isso realmente significa? A estrutura da sua igreja mostra isso? Promove este conceito? Os membros da igreja estão vivendo seu chamado?

Como cristãos, nos acostumamos a “acreditar” em muitas coisas, mas não praticar tudo o que acreditamos. Jesus nos chama de tolos se ouvimos suas palavras e não as colocamos em prática. Não quero ser um tolo e tenho certeza de que os membros de sua igreja também não. Portanto, cabe a nós, líderes da igreja, garantir que cada crente possa viver seu chamado.

Sugiro três mudanças básicas para tornar isso uma realidade:

  1. Mude sua própria mentalidade. Comece a olhar para seus membros como Jesus fez com seus discípulos: ele viu potencial, grandeza, milagres, testemunhas poderosas e que Deus seria glorificado por meio deles. Olhe para eles como Paulo: eles eram seus filhos preciosos, servos fiéis, portadores da boa mensagem, novos convertidos encarregados de liderar as novas comunidades. Olhe para eles como Pedro fez: pedras vivas, casa espiritual, povo escolhido, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus. Depois de chamar os crentes de todas essas coisas bonitas, Pedro declara tão claramente para que serve tudo isso, que nunca podemos duvidar:

…a fim de proclamardes as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; pois você não era um povo, mas agora você é o povo de Deus;

  1. Mude a mentalidade dos membros da igreja. Comece a pregar este princípio. Desafie as pessoas a se aprofundarem na compreensão das implicações disso. Aproxime as pessoas de Deus para que possam receber revelação do alto. Promova a oração e o jejum. Convide o Espírito Santo para vir e mudar os corações. E, por favor, dê a ele a liberdade de fazê-lo. Que todos compreendamos que fomos salvos “para proclamar…”.
  2. Mudar as estruturas e programas da igreja. O que quer que estejamos fazendo como igreja que não cumpre isso é errado. E podemos até ir mais longe – qualquer coisa que não promova o objetivo principal de nossa vida também está errada. Tornou-se óbvio para muitos líderes que a igreja se tornou um fim em si mesma, já que a maior parte da energia, tempo e recursos são gastos para mantê-la viva. Esse não é o nosso chamado. Somos chamados a nos multiplicar e encher a terra com sua imagem (veja meu último blog). Então, a igreja precisa ser mudada. Estruturas, programas, tradições, rituais, ensinamentos, doutrinas. O que quer que esteja no caminho, deve ir ou ser radicalmente mudado. A igreja deve ser livre para se concentrar no que Deus nos chamou para ser e fazer: desafiar, treinar e equipar, apoiar, capacitar e enviar todos os crentes para cumprir seu chamado como sacerdotes reais de um Deus maravilhoso.

E bendito seja Seu glorioso nome para sempre; E que toda a terra seja cheia de Sua glória. Amém e Amém (Salmo 72:19)

Spanish blog:

¿Llamado para qué?

Por Roberto Botrel [sirviendo a las iglesias europeas, desafiándolas a hacer discípulos a través de células que se multiplican (centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada Líder y la Iglesia (disponible en @amazon.com en español, inglés, italiano, portugués y alemán)]

Si todos estamos de acuerdo con el “sacerdocio de todos los creyentes”, es un terreno común que todos los que llegan a la fe tienen un llamado de Dios. Por supuesto. Pero, ¿qué significa esto realmente? ¿La estructura de su iglesia muestra eso? ¿Promueve este concepto? ¿Están los miembros de la iglesia viviendo su llamado?

Como cristianos nos hemos acostumbrado a “creer” muchas cosas, pero no a practicar todo lo que creemos. Jesús nos llama necios si escuchamos sus palabras y no las ponemos en práctica. No quiero ser un tonto y estoy seguro de que tampoco los miembros de su iglesia. Así que depende de nosotros, líderes de la iglesia, garantizar que cada creyente pueda vivir su llamado.

Sugiero tres cambios básicos para que esto sea una realidad:

  1. Cambia tu propia mentalidad.Comienza a mirar a tus miembros como Jesús lo hizo con sus discípulos: vio potencial, grandeza, hacedores de milagros, testigos poderosos, y que Dios sería glorificado a través de ellos. Míralos como lo hizo Pablo: eran sus hijos preciosos, servidores fieles, portadores del buen mensaje, nuevos conversos encargados de guiar las nuevas comunidades. Míralos como Pedro: piedras vivas, casa espiritual, pueblo escogido, sacerdocio real, nación santa, pueblo adquirido por Dios. Después de llamar a los creyentes todas estas cosas hermosas, Pedro declara tan claramente para qué sirve todo esto, para que nunca lo dudemos:

…para que anunciéis las virtudes de Aquel que os llamó de las tinieblas a su luz admirable; porque vosotros en otro tiempo no erais pueblo, pero ahora sois pueblo de Dios;

  1. Cambiar la mentalidad de los miembros de la iglesia. Comience a predicar este principio. Desafíe a las personas a profundizar en la comprensión de las implicaciones de esto. Acerque a las personas a Dios para que puedan recibir revelación de lo alto. Promover la oración y el ayuno. Invita al Espíritu Santo a que venga y cambie los corazones. Y, por favor, dale la libertad de hacerlo. Que todos entendamos que fuimos salvados “para que podamos proclamar…”.
  1. Cambiar las estructuras y programas de la iglesia. Cualquier cosa que estemos haciendo como iglesia que no cumpla con esto está mal. E incluso podríamos ir más allá: cualquier cosa que no promueva el propósito principal de nuestra vida también está mal. Se ha vuelto obvio para muchos líderes que la iglesia se convirtió en un fin en sí misma, ya que la mayor parte de la energía, el tiempo y los recursos se gastan en mantenerla viva. Ese no es nuestro llamado. Estamos llamados a multiplicarnos y llenar la tierra con su imagen (ver mi último blog). Entonces, la iglesia necesita ser cambiada. Estructuras, programas, tradiciones, rituales, enseñanzas, doctrinas. Cualquier cosa que se interponga en el camino, debe desaparecer o cambiar radicalmente. La iglesia debe ser libre para enfocarse en lo que Dios nos ha llamado a ser y hacer: desafiar, capacitar y equipar, apoyar, empoderar y enviar a todos los creyentes a cumplir con su llamado como sacerdotes reales de un Dios maravilloso.

Y bendito sea Su glorioso nombre para siempre; Y que toda la tierra se llene de su gloria. Amén y Amén (Salmo 72:19)

Leave a Reply

Your email address will not be published.