Growth in Community (Español Abajo)

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

What we are beginning to see in 2022 is a shrinking of the institutional church and a growth of the community church. The church that Jesus established long ago began as a community. People were converted, baptized, and discipled. Sadly, it slowly grew into an institutionalized church, focusing on the building, the programs, and the activities.

Granted, the institution is necessary for the legal representation before society, but it must focus on the community. The institutional church must always serve the community and not the other way around. The institutional church has suffered from closures all over the world—but not the community church, or the church in community.

Therefore, the community church must grasp our full attention, and it is towards the community church that all our efforts should be directed. So what should we do in 2022? We must strengthen the church community, that is the cell groups! And everything else—the building, programs, and activities should be focused on strengthening the church community.

This is what we are doing at our church in Spain. We are giving people time to dedicate themselves to community through the cell groups. We don’t want our people to occupy too much time in the institutional activities that isolate them from community life.

Let them, as Acts 2:46 says, eat together with joy and simplicity of heart.  We need to strengthen mutual help more than ever, which are like a sacrifice of praise to God mentioned in Acts 13: 15-16. Why? Because mutual aid is a communal praise to God.

Every time we help each other, we are praising God with the same or greater power than when we do it by singing psalms. Mutual edification creates unity and links us together according to the activity of each member (Ephesians 4:17). The joints of the body of Christ are those that allow the body of Christ to advance and achieve its goals, like the legs and arms of the human body.

A human body without its mobility at its joints becomes paralyzed. In the body of Christ, it is mutual help that moves people forward and stirs them reach out to others. The level of love in a church is equivalent to the level of mutual edification. How much we help each other is how much we love each other. We all want a church that breathes love for one another, but love for one another is something that is built through mutual ministry through community.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Crescimento na Comunidade

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

O que estamos começando a ver neste ano de 2022 é um encolhimento da igreja institucional e um crescimento da igreja comunitária. A igreja que Jesus estabeleceu há muito tempo começou como uma comunidade. As pessoas foram convertidas, batizadas e discipuladas. Infelizmente, ela cresceu lentamente para uma igreja institucionalizada, concentrando-se no edifício, nos programas e nas atividades.

É certo que a instituição é necessária para a representação legal perante a sociedade, mas deve ter como foco a comunidade. A igreja institucional deve sempre servir à comunidade e não o contrário. A igreja institucional sofreu fechamentos em todo o mundo – mas não a igreja comunitária, ou a igreja em comunidade.

Portanto, a igreja da comunidade deve captar toda a nossa atenção, e é para a igreja da comunidade que todos os nossos esforços devem ser direcionados. Então, o que devemos fazer em 2022? Devemos fortalecer a igreja da comunidade, que são as células!

E todo o resto – o edifício, programas e atividades – deve ser focado no fortalecimento da comunidade da igreja.

Isto é o que estamos fazendo em nossa igreja na Espanha. Estamos dando tempo para que as pessoas se dediquem à comunidade através das células familiares. Não queremos que nosso povo ocupe muito tempo nas atividades institucionais que os isolam da vida comunitária.

Que eles, como diz Atos 2:46, comam juntos com alegria e simplicidade de coração. Precisamos fortalecer mais do que nunca a ajuda mútua, aquele sacrifício de louvor mencionado em Atos 13: 15-16. Por quê? Porque a ajuda mútua é um louvor comunitário a Deus.

Toda vez que ajudamos uns aos outros, estamos louvando a Deus com o mesmo ou maior poder do que quando o fazemos cantando salmos. A edificação mútua cria unidade e nos une de acordo com a atividade de cada membro (Efésios 4:17). As articulações do corpo de Cristo são aquelas que permitem que o corpo de Cristo avance e alcance seus objetivos, como as pernas e os braços do corpo humano.

Um corpo humano sem mobilidade nas articulações fica paralisado. No corpo de Cristo, é a ajuda mútua que faz as pessoas avançarem e alcançarem os outros. O nível de amor em uma igreja é equivalente ao nível de edificação mútua. O quanto nos ajudamos uns aos outros é o quanto nos amamos. Todos nós queremos uma igreja que respire amor uns pelos outros, mas o amor uns pelos outros é algo que é construído através do ministério mútuo.

Spanish blog:

Crecimiento De La Iglesia Comunidad

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

Lo que estamos comenzado a ver en este año 2022 es un achicamiento de la iglesia institucional y un crecimiento de la iglesia comunidad. La iglesia comenzó como una comunidad, la gente se empieza a convertir, bautizar, ser discipulada, pero poco a poco fue derivando a una iglesia institucionalizada, centrada en el edificio, los programas y las actividades. Es cierto que la institución es necesaria para su representación legal ante las fuerzas sociales, pero debe centrarse en la comunidad. La iglesia institucional debe servir siempre a la comunidad y no al revés. Ha sido la iglesia institución la que ha sufrido de cierres en todo el mundo y no la iglesia comunidad, por tanto debe ser la iglesia comunidad la que tiene que tener toda nuestra atención, y es hacia la iglesia comunidad hacia donde se deben dirigir todos nuestros esfuerzos.

¿Que hacer en este 2022? Debemos fortalecer la iglesia comunidad, las células, los grupos. El edificio, los programas y las actividades de la iglesia institucional deben estar enfocados al fortalecimiento de la iglesia comunidad. Esto es lo que nosotros estamos haciendo. A la gente hay que dejarle tiempo para dedicarse a la iglesia comunidad, a las células, a los grupos, y no ocuparles tanto en actividades institucionales que les aíslan de la vida comunitaria. Dejarles como dice Hechos 2:46 comer juntos con alegría y sencillez de corazón, estar juntos. Necesitamos potenciar mas que nunca la ayuda mutua, ese sacrificio de alabanza mencionado en hechos 13:15-16, porque la ayuda mutua es una alabanza comunitaria a Dios. Cada vez que nos ayudamos unos a los otros, estamos alabando a Dios con la misma o mayor potencia que cuando lo hacemos cantando salmos, porque es esa ayuda mutua lo que crea unidad, y una comunidad fuerte y resistente, como enseña “Efesios 4:16 …unido entre sí por todas las coyunturas que se ayudan mutuamente, según la actividad propia de cada miembro…”. Las coyunturas del cuerpo de Cristo, son las que le permite al cuerpo de Cristo avanzar y alcanzar sus metas, como las piernas y brazos del cuerpo humano. Un cuerpo humano sin su movilidad en sus coyunturas se queda paralizado. En el cuerpo de Cristo, es la ayuda mutua la que le hace avanzar y llegar a otros.

El nivel de amor en una iglesia es equivalente al nivel de ayuda mutua. Cuánto nos ayudamos unos otros, es cuánto nos amamos. Todos queremos una iglesia en la que se respire amor los unos a los otros, pero el amor unos a otros es algo que se “edifica”, se construye con la ayuda mutua.

Communication In Community (Español Abajo)

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

The pandemic has given us a lot of positive results that we are seeing in 2022. It is preparing the church for the greatest and most powerful revival in history.

Why? Because people are realizing that you cannot have communication without community and  that community is everything. We need each other! We all need to be part of a community because we cannot live isolated from others. The human being needs others from the moment of  birth until  death. A person cannot be born without help, nor can he be buried without it.

People “watch” society online, while eating, or lying down, completely isolated from each other, only “receiving” what is presented to them on the screen. This sad state only increases a narcissistic view of self.

British theologian Willian Manson (1882-1958) says that failure to be part of a church congregation leads to the loss of faith and distinctive Christian vision. The Spanish theologian Perez Millo says: “A sense of conceit leads some believers, to be deceived into believing that they can grow spiritually apart from the congregation.” He adds, “This self-deception has also led to the view that a single Sunday meeting is enough.”

The Internet has created a new form of evangelizing, but we cannot live without community. God’s people have always fulfilled their mission through communities of believers, not through millions of individuals.

Focusing on evangelism without a community has contributed to an individualistic, privatized message, which has ignored that the head and the body are inseparable. It’s also caused the largest group of “believers” in all western cities to have detached themselves from the body of Christ. As the philosopher Byung-Chul Han says, our culture increasingly celebrates “fewer community festivals, each one celebrates only himself”.

At this time there is a return to home group meetings, to cell groups, a return to the ways of the early church, as it says “Acts 5:42 And every day, in the temple and at home, they did not stop teaching and preaching Jesus Christ” .

In this return to meeting together, we must create more participatory services, not services led by 10 people and the rest not participating. We must return to 1 Corinthians 14:26, where are told, “What is there, then, brothers? When you come together, each one of you has a psalm, has a doctrine, has a tongue, has a revelation, has an interpretation. Let everything be done for edification ”.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Comunicação na Comunidade

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez,  www.misionmoderna.com

A pandemia nos deu muitos resultados positivos que estamos vendo em 2022. Ela está preparando a igreja para o maior e mais poderoso avivamento da história.

Por quê? Porque as pessoas estão percebendo que você não pode ter comunicação sem comunidade e que a comunidade é tudo. Nós precisamos um do outro! Todos nós precisamos fazer parte de uma comunidade porque não podemos viver isolados uns dos outros. O ser humano precisa dos outros desde o nascimento até a morte. Uma pessoa não pode nascer sem ajuda, nem pode ser enterrada sem ela.

As pessoas “assistem” à sociedade online, enquanto comem, ou deitam, completamente isoladas umas das outras, apenas “recebendo” o que lhes é apresentado na tela. Esse estado triste só aumenta uma visão narcisista de si mesmo.

O teólogo britânico Willian Manson (1882-1958) diz que deixar de fazer parte de uma congregação da igreja leva à perda da fé e da visão cristã distinta. O teólogo espanhol Perez Millo diz: “Um senso de vaidade leva alguns crentes a serem enganados a acreditar que podem crescer espiritualmente à parte da congregação”. Ele acrescenta: “Esse autoengano também levou à visão de que uma única reunião de domingo é suficiente”.

A Internet criou uma nova forma de evangelização, mas não podemos viver sem a comunidade. O povo de Deus sempre cumpriu sua missão por meio de comunidades de crentes, não por meio de milhões de indivíduos.

Concentrar-se no evangelismo sem comunidade contribuiu para uma mensagem individualista e privatizada, que ignorou que a cabeça e o corpo são inseparáveis. Também fez com que o maior grupo de “crentes” em todas as cidades ocidentais se separasse do corpo de Cristo. Como diz o filósofo Byung-Chul Han, nossa cultura cada vez mais celebra “menos festivais comunitários, cada um celebra apenas a si mesmo”.

Neste momento há um retorno às reuniões dos grupos às células familiares, aos grupos de células, um retorno aos caminhos da igreja primitiva, como diz “Atos 5:42 E todos os dias, no templo e em casa, eles não paravam de ensinar e pregando Jesus Cristo”.

Neste retorno ao encontro, devemos criar mais serviços participativos, não serviços liderados por 10 pessoas e o resto não participando. Devemos retornar a 1 Coríntios 14:26, onde é dito: “O que há, então, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, tem uma doutrina, tem uma língua, tem uma revelação, tem uma interpretação. Que tudo seja feito para a edificação”.

Spanish blog:

Comunicación Con Comunidad

Por pastor Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, Misión Cristiana Moderna

Este tiempo de pandemia está provocando un cambio muy positivo en la iglesia que se está empezando a vislumbrar en este 2022. Este está siendo el cambio que está preparando la iglesia para el mas grande y poderoso avivamiento de la historia. Las razones son evidentes, la gente está dándose cuenta que no se puede tener comunicación sin comunidad, que la comunidad lo es todo. Nos necesitamos unos a los otros, todos necesitamos ser acompañados, no podemos vivir solos aislados de la comunidad. El ser humano necesita ser acompañado desde el momento de su nacimiento hasta su muerte, porque ni puede nacer sin ayuda, ni puede ser enterrado sin ella. La gente “vé” el culto online, mientras come, o están acostados, completamente aislados unos de otros sólo “recibiendo” lo que se le presenta en la pantalla, y aumentando la centralidad narcisista en él yo.

El teólogo británico Willian Manson (1882-1958) dice que no congregarse lleva a la pérdida de la fe y la visión cristiana distintiva. El teólogo Español Perez Millo dice: “Un sentido de vanagloria alcanza a algunos creyentes, en todos los tiempos, que creen en el autoengaño de ser capaces de edificarse solos, al margen de la congregación” y añade que este auto engaño también lleva a otros a “consideran que una sola reunión dominical ya es suficiente para mostrar identificación cristiana”. Internet ha creado una nueva forma de evangelización, pero no podemos prescindir de la comunidad.

El pueblo de Dios ha cumplido su misión siempre mediante la comunidad, no mediante millones de individuos solos. Centrarse en una evangelización sin comunidad ha contribuido a un mensaje individualista, privatizado, que ha ignorado que la cabeza y el cuerpo son inseparables, y que ha provocado que la iglesia más grande en todas las ciudades de occidente, sea la que no se congrega. Como dice el filosofo Byung-Chul Han, nuestra cultura cada vez celebra “menos fiestas comunitarias, cada uno se celebra sólo a sí mismo”.

En este tiempo hay un regreso a las reuniones caseras, a las células, una vuelta a lo primitivo, como dice “Hechos 5:42 Y todos los días, en el templo y por las casas, no cesaban de enseñar y predicar a Jesucristo”. En esta vuelta a congregarse, debemos crear cultos más participativos, no cultos dirigidos por 10 personas y el resto sin participación, hay que volver a “1Corintios 14:26 ¿Qué hay, pues, hermanos? Cuando os reunís, cada uno de vosotros tiene salmo, tiene doctrina, tiene lengua, tiene revelación, tiene interpretación. Hágase todo para edificación”.

Prayer through the Holy Spirit, part 2

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

It’s one thing to have an experience with the Holy Spirit, but it’s quite another to continually be filled with Him.  A person can have an experience with the Holy Spirit and not be filled with the Holy Spirit, as happened to Saul when he was persecuting David (1 Samuel 19:23). Saul had an experience with the Holy Spirit but was not filled with the Holy Spirit. We know this because shortly afterwards we read that he still had the desire to kill David (1 Samuel 20: 30-31) and consult a sorceress (1 Samuel 28: 11-16).

One of the undisputed proofs that a person has been filled with the Holy Spirit and has a close relationship with the Holy Spirit is not only the change of life, but the ongoing desire to make Christ-like disciples. Let me say this in another way, “The more communion we have with the Holy Spirit, the greater desire we will have to make disciples of Christ.” This has been our experience with the hundreds of leaders of our Church.

When the relationship with the Holy Spirit declines, the creation of new disciples declines. Our supervisors know that they must make the time to be filled with the Spirit and enter communion with Jesus. This takes place in personal and collective prayer, the reading of the word of God, and communion with other Christians. This enables us to be constantly refilled by God’s Spirit (Ephesians 5: 18-19).

The appearance of the Holy Spirit in Scripture is not something nebulous or ethereal. Rather, having a relationship with the Holy Spirit is part of the normal Christian life and results in a hunger to make disciples. The Holy Spirit’s work in the church creates unity between the members of Christ’s body and love for other believers. This is needed if we are to  reach the world for Christ. Without unity it is impossible for others to recognize that we are disciples of Christ (John 13:35).

Let’s ask the Holy Spirit to make us Christ’s disciples and also give us a desire to make other disciples.

Korean blog: (click here)

Portuguese Blog:

Oração através do Espírito Santo, parte 2

Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, pastor e fundador da Mision Moderna www.misionmoderna.com

Uma coisa é ter uma experiência com o Espírito Santo, outra, bem diferente, é ser continuamente cheio do Espírito Santo. Uma pessoa pode realmente ter uma experiência com o Espírito Santo e ainda assim não ser cheia dEle, como aconteceu com Saul, quando ele estava perseguindo Davi (1 Samuel 19:23). Saul teve uma experiência com o Espírito Santo, mas não era cheio do Espírito Santo. Sabemos disso porque logo depois lemos que ele ainda tinha o desejo de matar Davi (1 Samuel 20:30-31) e consultou a uma médium e adivinha. (1 Samuel 28:11-16)

Uma das provas indiscutíveis de que uma pessoa foi cheia do Espírito Santo e tem um relacionamento com o Espírito Santo é não apenas a mudança da vida, mas o desejo contínuo de fazer discípulos de Cristo. Permita-me dizer isso de uma outra maneira, “quanto mais comunhão temos com o Espírito Santo, maior será o desejo de fazer discípulos de Christo”. Esta tem sido a nossa experiência com centenas de líderes de nossa igreja.

Quando o relacionamento com o Espírito Santo diminui, a criação de novos discípulos diminui. Nossos Supervisores sabem que precisam reservar tempo para serem cheios do Espírito Santo e entrar em comunhão com Jesus. Isto acontece em oração individual e coletiva, na leitura da Palavra de Deus, e na comunhão com outros cristãos. Isto permite que estejamos constantemente sendo cheios do Espírito Santo (Efésios 5:18-19). O Espírito Santo não se apresenta nas Escrituras como algo nebuloso ou etéreo. Ao invés disso, o relacionamento com o Espírito Santo é parte da vida normal do Cristão e resulta em fome por fazer discípulos. O trabalho do Espírito Santo na igreja cria unidade entre os membros do Corpo de Cristo e amor pelos demais crentes. Precisamos disso se nosso propósito é alcançar o mundo para Cristo. Sem unidade é impossível que outras pessoas nos reconheçam como discípulos de Cristo (João 13:35).

Peçamos ao Espírito Santo para nos fazer discípulos de Cristo e também para colocar em nós o desejo de fazer outros discípulos.

Spanish blog:

La oración por medio del Espíritu Santo, parte 2

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, pastor y fundador de Mision Moderna www.misionmoderna.com

Una cosas es una experiencia con el Espíritu Santo y otra distinta ser lleno del Espíritu Santo.  Una persona puede tener una experiencia con el Espíritu Santo y no haber sino llena del Espíritu Santo, como le pasó a Saúl cuando estaba persiguiendo a David (1 Samuel 19:23), él tuvo una experiencia con el Espíritu Santo, pero no fue lleno del Espíritu Santo, porque poco después de esa experiencia con el Espíritu Santo no solo continua con el deseo de matar a David (1 Samuel 20:30-31) sino que consulta a una hechicera (1 Samuel 28:11-16).

Una de las pruebas indudables de que una persona ha sido llena del Espíritu Santo y que tiene una relación estrecha con el Espíritu Santo no es solo el cambio de vida, sin o la continuidad de la obra de Cristo, es decir, el discipulado. Cuanta más comunión tenemos con el Espíritu Santo, más nos convertimos en colaboradores de él en la obra de hacer discípulos de Cristo. Esta ha sido nuestra experiencia con los cientos de líderes de nuestra Iglesia, cuando decae la ración con el Espíritu Santo decae la creación de nuevos discípulos.

Nuestros supervisores saben que deben cuidar por encima de todo las disciplinas del líderes relacionadas con la comunión con el Espíritu Santo, como son la oración personal y colectiva, la lectura de la palabra de Dios y su estudio, la comunión con otros cristiano que es también por donde nos llenamos del Espíritu Santo (Efesios 5:18-19).

La aparición del Espíritu Santo en la escritura no es algo nebuloso o impalpable, es algo que se hace presente con tal claridad y evidencias indudables, eso significa que cuanto mayor es la relación con el Espíritu Santo mayor es su obra , la continuidad del discipulado de Cristo. Por otro lado, esa obra de discipulado del Espíritu Santo es tan perfecta, que él crea unidad donde antes había división y unión entre parte que es casi imposible de reconciliar, y esta es también una tarea importantísima a la hora de alcanzar el mundo para Cristo, porque sin unidad es imposible que conozcan que somos discípulos de Cristo (Juan 13:35).

Prayer through the Holy Spirit, part 1

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

The relationship between the founder of Christianity, the Lord Jesus Christ, and his church continues until today. This relationship is  a miracle because the only way it works is through the  person of the Holy Spirit. But this reality also occurred in the continuity between Moses and the 70 elders, between Elijah and Elisha, and between Job and his daughters. The Holy Spirit makes  discipleship possible today, and that relationship has continued from the first disciples to the church today.

The proof that the Holy Spirit has been the great teacher of all discipleship is the way Christianity has continued throughout the ages. It is impossible for a work to remain perfect and intact when passed from one generation to another, unless  the intervention is divine. And that’s exactly what we have today through the Holy Spirit. Therefore, it is the Holy Spirit and our fellowship with him that makes all discipleship in Christ possible.

We normally associate the relationship of the Holy Spirit with experiences of a spiritual nature or the activity of spiritual gifts, especially in our Pentecostal or charismatic circles. However, the work of the Holy Spirit is more linked to the continuity of discipleship than to anything else, as John 14:26 teaches. This verse teaches that the Holy Spirit would bring to our minds the teachings of Jesus.  When a person is filled with the Holy Spirit, the first prompting is to continue the work of Christ. This is what happened when the Holy Spirit came upon the disciples in Acts 2. Ultimately, it is the relationship with the Holy Spirit that creates and guarantees all discipleship.

Let’s continue to ask the Holy Spirit to make us Christ’s disciples.

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

Oração através do Espírito Santo, parte 1

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, pastor e fundador de  www.misionmoderna.com

A relação entre o fundador do Cristianismo, o Senhor Jesus Cristo, e sua igreja continua até hoje. Esse relacionamento é um milagre porque a única maneira de funcionar é por meio da pessoa do Espírito Santo. Mas essa realidade também ocorreu na continuidade entre Moisés e os 70 anciãos, entre Elias e Eliseu, e entre Jó e suas filhas. O Espírito Santo torna o discipulado possível hoje, e esse relacionamento continua desde os primeiros discípulos até a igreja hoje.

A prova de que o Espírito Santo tem sido o grande mestre de todo o discipulado é a maneira como o cristianismo tem continuado ao longo dos tempos. É impossível que uma obra permaneça perfeita e intacta quando passada de uma geração a outra, a menos que a intervenção seja divina. E é exatamente isso que temos hoje por meio do Espírito Santo. Portanto, é o Espírito Santo e nossa comunhão com ele que torna possível todo discipulado em Cristo.

Normalmente associamos a relação do Espírito Santo com experiências de natureza espiritual ou a atividade de dons espirituais, especialmente em nossos círculos pentecostais ou carismáticos. No entanto, a obra do Espírito Santo está mais ligada à continuidade do discipulado do que a qualquer outra coisa, como ensina João 14:26. Este versículo ensina que o Espírito Santo traria à nossa mente os ensinamentos de Jesus. Quando uma pessoa é cheia do Espírito Santo, a primeira sugestão é continuar a obra de Cristo. Isso é o que aconteceu quando o Espírito Santo desceu sobre os discípulos em Atos 2. Em última análise, é o relacionamento com o Espírito Santo que cria e garante todo o discipulado.

Vamos continuar a pedir ao Espírito Santo para nos tornar discípulos de Cristo.

Spanish blog:

La oración por medio del Espíritu Santo, parte 1

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, pastor y fundador de www.misionmoderna.com

Los judíos saben que el tema de las sucesiones o continuidades de una obra, siempre se resolvía espiritualmente, que no existía otro puente entre el fundador y el sucesor. Todo estudioso cristiano sabe que la relación entre el fundador del cristianismo, es decir, el Señor Jesucristo y su continuidad hasta hoy, ha sido lograda milagrosamente, y es milagro ha sido y seguirá siendo la persona del Espíritu Santo. Pero esta realidad también se dio en la continuidad entre Moisés y los 70 ancianos, entre Elías y Eliseo, o entre Job y sus hijas.

Ha sido el Espíritu Santo el santo continuum, el medio que hace que algo continúe, aquel que ha hecho posible la continuidad del discipulado, de los primeros discípulos a cualquier discípulo de hoy. La prueba de que ha sido el Espíritu Santo el gran maestro de todo discipulado, es la perfección en la continuidad de la obra.

Es imposible que una obra permanezca perfecta e intacta cuando pasa de una generación a otra, si no fuera por la intervención de la mano divina a través del Espíritu Santo. Por tanto, es el Espíritu Santo y su comunión con él, lo que hace posible todo discipulado en Cristo. Seimpre asociamos la relación del Espíritu Santo, a experiencias de tipo espiritual o a la actividad de los dones espirituales, sobre todo en nuestros círculos pentecostales o carismáticos, sin embargo la obra del Espíritu Santo está mas ligada a la continuidad del discipulado que a ninguna otra cosa, como enseña Juan 14:26, donde vemos al Espíritu Santo como el gran protagonista en la enseñanza, en el discipulado.

Cuando una personas es llena del Espíritu Santo, a la primera tarea que es impulsado es a la continuidad de la obra de Cristo como vemos que sucedió en Hechos 2 y la multitud congregada. En definitiva, es la relación con el Espíritu Santo lo que crea y garantiza todo discipulado.

Bendiciones de lo Alto

Ptr. Ángel Manuel Hernández Gutiérrez

Decentralized Training

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

Effective disciple-making requires both words and deeds. Why? Because discipleship is imitation. Deep-rooted equipping needs imitation for effective long-term results. Training is not just the teaching of biblical truths or biblical doctrines; it is the experience of imitating the leader’s way of life. No teaching penetrates the depth of a disciple if it is not accompanied by a life experience.

Teaching from the pulpit is wonderful, but it’s only part of the formation. True maturity resides in the communion of the brothers with each other. New believers, like babies, learn by imitating. In the “adult” world, copying is considered improper behavior. For example, we teach our children not to copy. We want them to “be themselves.” Yet, we need to realize that imitating is natural and important for children.

The word imitate comes from the Latin term “imagine.” When you are imitating, you are projecting a new image in your life. We are an imitation of Christ and yet the scripture says in “2 Corinthians 5:17 … if anyone is in Christ, he is a new creation …”. When you imitate, you never get a product exactly identical to the one you imitate, but rather a new creation.

New disciples, like children, observe and imitate those closest to them. The child imitates the closest one, who is usually the older sibling. The older sibling imitates the Father or Mother.  That is why the Apostle Paul said in 1 Corinthians 11: 1 “Be imitators of me, as I am of Christ.” The behavior of those closest to you is more powerful than the teaching itself. If a leader wants his disciples to acquire correct behaviors, just because of what he teaches them, he is very disoriented.

The human brain also learns unconsciously. If you walk with someone,  you end up being like that person unconsciously. That is why Jesus chose his disciples to be with him (Mark 3:14). Being with the disciples was more than the teachings themselves.

For these reasons, we at Misión Moderna have decentralized the basic equipping so that the members might learn in a more personal format with their leaders. We have found that decentralized training causes faster and more effective growth. Why? Because no one knows the needs of a disciple and his spiritual growth, like the leader.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Treinamento Descentralizado

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

Realização de discipulado efetivo requer tanto palavras como ações. Por que? Porque discipulado é imitação. Treinamento de raízes profundas precisa de imitação para resultados efetivos de longo prazo. Treinamento não é apenas o ensino de verdades bíblicas ou doutrinas bíblicas; é a experiência da imitação do modo de vida do líder. Nenhum ensinamento penetra um discípulo profundamente se não for acompanhado por uma experiência de vida.

Ensinamento do púlpito é maravilhoso, mas é somente parte da formação. Verdadeira maturidade reside na comunhão dos irmãos uns com os outros. Novos crentes, como bebês, aprendem por imitação. No mundo “adulto”, copiar é considerado um comportamento impróprio. Por exemplo, nós ensinamos nossas crianças a não copiar. Nós queremos que eles “sejam eles mesmos”. Ainda assim, nós percebemos que natural e importante para as crianças.

A palavra imitar vem do Latim “imaginar”. Quando você está imitando, você está projetando uma nova imagem em sua vida. Nós somos uma imitação de Cristo e ainda as Escrituras dizem em 2 Coríntios 5.17 “… e se alguém está em Cristo, nova criatura é…”. quando você imita, você nunca pega um produto exatamente idêntico ao que você imitou, mas sim uma nova criatura.

Novos discípulos, como crianças, observam e imitam aqueles próximos deles. A criança imita o mais próximo, que é geralmente seu irmão mais velho, e o irmão mais velho imita o pai. Por isso o Apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 11:1 “Sejam meus imitadores, como eu sou de Cristo.” O comportamento daqueles próximos à você é mais poderoso do que o ensinamento por si mesmo. Se um líder quer que seus discípulos adquiram comportamentos corretos, apenas por causa do que ele os ensina, ele está muito desorientado.

O cérebro humano também aprende inconscientemente. Se você andar com alguém, você acaba se tornando como aquela pessoa inconscientemente. É por isso que Jesus escolheu os discípulos para estar com Ele (Mc 3:14). Estar com os discípulos era mais do que dar ensinos a eles.

Por essas razões, nós da Misión Moderna temos descentralizado o treinamento básico para que os membros pudessem aprender em um formato mais pessoal com seus líderes. Nós temos descoberto que treinamento descentralizado causa crescimento mais rápido e mais efetivo, porque ninguém sabe a necessidade de um discípulo e seu crescimento espiritual do que seu líder.

Spanish blog:

Formación Decentralizado

por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

Para la formación de discípulos se requiere dichos y hechos, porque el discipulado es imitación. No hay formación o por lo menos una formación que cree arraigo, si no hay imitación. La formación no es solo la enseñanza de una verdades o doctrinas bíblicas, es la experiencia de imitar la forma de vida del líder. Ninguna enseñanza cala hondo de un discípulo si no va a acompañada de una experiencia de vida. Si nos fijamos en todas las iglesias, nos damos cuenta que las enseñanzas del púlpito son solo una parte de la formación, que la verdadera formación reside en la comunión de los hermanos unos con los otros, sobre todo de los más antiguos con los más viejos. Los nuevos creyentes son como los bebés aprenden imitando.

En el mundo “adulto”, copiar es considerado una conducta impropia, enseñamos a nuestros hijos a que no copien, ni imiten a otras personas, que sean ellos mismos. Pero los niños crecen y se hacen auténticos y exclusivos, imitando. La palabra imagen proviene del término latín imitare, que significa imitar. Cuando uno está imitando, está proyectando una imagen nueva en su vida. Nosotros somos una imitación de Cristo y sin embargo la escritura dice en “2 Corintios 5:17 …si alguno está en Cristo, nueva criatura es…”. Cuando uno imita, nunca logra un producto exactamente idéntico al que imita, sino una creación nueva.

Los discípulos nuevos, como los niños, observan e imitan a las personas más cercanas. El niño imita al mas cercano, que suele ser su hermano mayor, y el hermano mayor imita al padre, por eso el Apóstol Pablo dijo en 1 Corintios 11:1 “Sed imitadores de mí, así como yo de Cristo”. El efecto de la conducta de los cercanos es más poderosa que la propia enseñanza. Si un líder pretende que sus discípulos adquieran conductas correctas, sólo por lo que les enseña, esta muy desorientado. Cuando alguien se convierte, imita a sus cercanos, y será lo que ellos son.

El cerebro humano aprende también inconscientemente, si andas con alguien terminas siendo como esa persona inconscientemente, por eso Jesús escogió a sus discípulos para que estuvieran con él (Mar 3:14). Estar con los discípulos discípula más que las propias enseñanzas.

Por esa razón nosotros tenemos descentralizada la enseñanza básica, la de la ruta del discípulo y concentrada en los líderes, que la tienen plasmada en documentos escritos y supervisada por los supervisores. Luego si hay líderes que quieren formarse más profundamente ya pasan a otros niveles de formación que si están gestionados exclusivamente por pastores y maestros.

Descentralizar la formación provoca un crecimiento más rápido y efectivo, porque nadie conoce las necesidades de un discípulo y su crecimiento espiritual, como su líder.