Jesus Prepared His Church to Start Strong and Finish Well

By Dr. Bill Beckham, cell practitioner and author of numerous books, including the Second Reformation

As I wrote about in yesterday’s blog, if we are going to be the unique kind of church we see in the pages of the New Testament, we must follow Jesus in a time of preparation and relearning. That relearning and preparation is especially necessary for leaders, the very ones who most often impatiently look for shortcuts and ways to become an instant cell church. Considering all we need to learn about being Christ’s kind of church, we should be grateful we have the prototype phase to get it right.

I’ve spoken to many church leaders who are beaten, bruised, and battered by expectations of an instant operating cell church. They have sold their people on a relatively painless fast track to transition into a cell church. That expectation begins to crumble during the early stages of the process and, by the time they show up in a cell church conference, hope has turned to despair and desperation.

During the first day of teaching cell church seminars, I usually sense a lot of frustration and feelings of failure from leaders who have already begun their cell church journey. They have usually read a book, attended a seminar or visited some kind of church using small groups. All the wrong conclusions have been drawn about what it means for their church to transition into a cell church. They look for answers from each other without an understanding of guiding principles and values.

On the second day, I can almost predict the moment relief begins. During the session on the Prototype and Operational phases of the cell church the weight of becoming an instant cell church is lifted off their shoulders. As leaders begin to understand the cell church is not expected to come into existence full blown, there is almost an audible sigh of relief. Those attending the seminar have found it tremendously reassuring to finally realize that even Jesus proceeded through the prototype phase when developing His church. We can finally give up the unrealistic task of making instant cell church pudding!

Let us not forget that Jesus, while in the flesh, was giving intensive direction to just one church start, and it still took three and a half years. This is the question: would the church have exploded after the Spirit came, if Jesus had not already carefully prepared a base congregation, a leadership structure, and a cell community infrastructure? I do not believe so!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Jesus preparou sua igreja para começar forte e terminar bem!

Dr. Bill Beckham, escritor e palestrante sobre o movimento celular e autor de muitos livros, incluindo “A Segunda Reforma”

Assim como expressei no blog de ontem, se quisermos ser daquele mesmo tipo bem específico de igreja que é mencionado nas páginas do Novo Testamento, precisamos seguir Jesus também no que diz respeito ao tempo de preparo e re-aprendizado. Este re-aprendizado e este preparo é especialmente importante para os líderes, exatamente aqueles que frequentemente procuram por atalhos e maneiras para conseguir uma igreja em células de forma instantânea. Se considerarmos tudo que precisamos aprender para sermos uma igreja do jeito que Jesus quer, nós deveríamos estar muito felizes por termos a possibilidade de utilizar uma fase de protótipos e experiências piloto, para obtermos sucesso.

Já tive oportunidade de conversar com líderes que estão machucados, marcados e feridos pelas expectativas de uma igreja em células instantânea. Eles passaram para suas igrejas um caminho de transição relativamente indolor. Esta expectativa começa a desabar logo nos primeiros estágios do processo e quando chegam na conferência de igrejas em células a esperança já se transformou em desespero.

No primeiro dia dos seminários sobre igrejas em células, eu consigo perceber muitos sentimentos de frustração e de falha nos líderes que já começaram a jornada para uma igreja em células. Eles normalmente já leram um livro, frequentaram um seminário ou visitaram algum tipo de igreja em células. Também já chegaram a todas as conclusões erradas sobre o que significa a transição de suas igrejas para o modelo de igreja em células. Eles buscam respostas entre si, sem entender os princípios norteadores e os valores.

No segundo dia, eu praticamente consigo prever o momento em que o alívio começa a ser sentido. Quando conversamos sobre protótipos e fases operacionais de uma igreja em células, o peso da ideia de se transformar em uma igreja em células de forma instantânea é literalmente retirado de seus ombros. À medida que os líderes começam a entender que a igreja em células não aparece pronta de uma hora para a outra, quase dá pra ouvir os suspiros de alívio. As pessoas que frequentam este seminário percebem um tremendo alívio quando finalmente percebem que até Jesus passou pela fase do protótipo quando desenvolveu a Sua Igreja. Podemos finalmente abrir mão da tarefa não realista de fazer igrejas em célula como se estivéssemos fazendo uma receita de pudim!

É muito importante que não esqueçamos que Jesus, enquanto estava encarnado entre nós, nos deu instruções muito específicas para que uma igreja apenas fosse formada, e isso demorou três anos e meio. A pergunta é esta: a igreja teria explodido depois da descida do Espírito Santo se Jesus não tivesse cuidadosamente preparado uma congregação de base, uma estrutura de liderança e uma infraestrutura de comunidade em células? Eu creio que não!

Spanish blog:

Jesús preparó a su Iglesia para empezar fuerte y terminar bien

Por el Dr. Bill Beckham, practicante de la célula y autor de numerosos libros, incluyendo La Segunda Reforma

Como escribí en el blog de ayer, si vamos a ser el tipo único de iglesia que vemos en las páginas del Nuevo Testamento, debemos seguir a Jesús en un tiempo de preparación y reaprendizaje. Ese reaprendizaje y esa preparación son especialmente necesarios para los líderes, los mismos que más a menudo buscan impacientemente atajos y formas de convertirse en una iglesia celular instantánea. Teniendo en cuenta todo lo que tenemos que aprender para ser el tipo de iglesia de Cristo, deberíamos estar agradecidos de tener la fase de prototipo para hacerlo bien.

He hablado con muchos líderes de iglesias que están golpeados, lastimados y maltratados por las expectativas de una iglesia celular de funcionamiento instantáneo. Han vendido a su gente una vía rápida relativamente indolora para la transición a una iglesia celular. Esa expectativa comienza a desmoronarse durante las primeras etapas del proceso y, para el momento en que se presentan en una conferencia sobre iglesias celulares, la esperanza se ha convertido en desesperación.

Durante el primer día de enseñanza de los seminarios de iglesias celulares, suelo percibir mucha frustración y sentimientos de fracaso por parte de los líderes que ya han comenzado su viaje hacia la iglesia celular. Normalmente han leído un libro, han asistido a un seminario o han visitado algún tipo de iglesia que utiliza grupos pequeños. Han sacado todas las conclusiones equivocadas sobre lo que significa para su iglesia la transición a una iglesia celular. Buscan respuestas entre ellos sin entender los principios y valores que los guían.

En el segundo día, casi puedo predecir el momento en que comienza el alivio. Durante la sesión sobre las fases de Prototipo y Operativa de la iglesia celular, el peso de convertirse en una iglesia celular instantánea se quita de sus hombros. A medida que los líderes comienzan a comprender que no se espera que la iglesia celular llegue a existir en su totalidad, se oye casi un suspiro de alivio. Los asistentes al seminario han encuentran tremendamente tranquilizador el darse cuenta finalmente de que incluso Jesús procedió a través de la fase de prototipo cuando desarrolló su iglesia. Por fin podemos renunciar a la tarea poco realista de hacer un  solo plan de iglesia celular instantáneo.

No olvidemos que Jesús, mientras estaba en la carne, estaba dando una dirección intensiva a un solo comienzo de la iglesia, y aún así tomó tres años y medio. Esta es la pregunta: ¿habría estallado la iglesia después de la venida del Espíritu, si Jesús no hubiera preparado ya cuidadosamente una congregación base, una estructura de liderazgo y una infraestructura de comunidad celular? No lo creo.

Start Right and Finish Well

By Dr. Bill Beckham, cell practitioner and author of numerous books, including the Second Reformation

During the past two decades, church leaders from all over the world have made pilgrimages to operational cell churches in different parts of the world. Invariably, they drew all the wrong conclusions about how those large cell churches relate to their church situation. They tried to implement operational cell church methods rather than use cell church prototype methods.

Why do sincere leaders have problems reproducing what they see while visiting large cell churches? It is because these large operational cell churches typically explain what is presently happening in their churches, not what happened ten or more years ago as their growth was set into motion. Large cell churches suffer from a form of amnesia about their prototype stage.

A leader of a traditional church cannot expect the structure of a large operational cell church (for instance the Yoido Full Gospel Church in Seoul) to be appropriate for his situation. The principles and concepts may be the same, but the stages of development are light years apart. It is necessary to discover what happened 30 years ago at that massive church. The operating strategy of a 750,000-member church is not what is needed. Instead, the church leader should examine the original transition strategy.

It is fatal to assume that just because we understand the mechanics of the cell church, we understand the cell church. The cell church is much more than the mechanics. Without the dynamics, principles, philosophy of life behind it, the mechanics are lifeless forms. The only way we can understand cell church life is to experience it.

Just as Jesus walked through those three and a half years with His first church, through the Spirit, He walks through the three-and-a-half-year preparation period with every church willing to follow. As Jesus gave His personal attention to building the first church, He gives His personal attention to building the church today.

Get it right at the Prototype phase, and the model is easier to implement during the Operational phase. Get it wrong in the beginning, and you will add headaches, heartaches, frustration, and time to the overall process.

To my knowledge, every existing large cell church processed through the Prototype phase, either by design or providence. Cell churches simply do not arrive on the scene full blown.

We’ve been learning on the JCG blog about the importance of starting with a pilot group and later building the infrastructure to maintain the long-term quality. Remember that the cell church model is principally focused on making disciples who make disciples—not a quick growth formula!

Korean blog (click here)

Portuguese Blog:

Comece certo e termine bem!

Dr. Bill Beckham, escritor e palestrante sobre o movimento celular e autor de muitos livros, incluindo “A Segunda Reforma”

Durante as últimas duas décadas, líderes de igreja em todo o mundo fizeram verdadeiras peregrinações até grandes igrejas em células em diversas partes do mundo. Invariavelmente, eles tiram conclusões erradas sobre a situação destas grandes igrejas e como isto se relacionaria com suas próprias igrejas. Eles tentam implementar os métodos das igrejas em células, ou invés de utilizar os métodos de prototipação utilizado por estas igrejas em células.

Por qual motivo líderes sinceros tem dificuldades em reproduzir o que eles observam nas grandes igrejas em células? A resposta é que estas grandes igrejas em células normalmente explicam o que está acontecendo atualmente, e não o que aconteceu há mais de 10 anos quando seu crescimento iniciou. Parece que as grandes igrejas sofrem de amnésia sobre o período em que ainda estavam no estágio de utilização de protótipos e pilotos.

Um líder de uma igreja tradicional simplesmente não pode supor que a estrutura operacional de uma grande igreja em células, como por exemplo a Yodo Full Gospel Church em Seul, na Coréia do Sul, será adequada para a sua própria situação. Os princípios e conceitos podem até serem os mesmos, mas os estágios de desenvolvimento estão a anos-luz de distância. É preciso descobrir o que aconteceu há 30 anos, naquela igreja que hoje em dia é enorme. A estratégia operacional da igreja de 750 mil membros não é o que você precisa aprender. Ao invés disso, o líder deve examinar a estratégia de transição que foi originalmente utilizada.

Um dos erros fatais é presumir que só porque compreendemos a “mecânica” de uma igreja em células, nós entendemos a igreja em células. A igreja em células é muito mais do que a sua “mecânica”. Sem a dinâmica, os princípios, a filosofia por trás de tudo o que se faz, a simples “mecânica” é algo sem vida. A única maneira de entender uma igreja em células é experimentando a vida de uma igreja em células.

Assim como Jesus caminhou aqueles três anos e meio com a igreja primitiva, hoje em dia, pelo Espírito Santo, ele caminha os três anos e meio do período de preparação com cada igreja que se dispuser a seguir este caminho. Assim como Jesus se dedicou pessoalmente ao construir a igreja primitiva, Ele se dedica pessoalmente na construção da Sua igreja hoje.

Acerte na fase do protótipo, e será mais simples fazer a implementação durante a fase operacional. Erre no início e você acrescentará muita dor de cabeça, mágoas, frustrações e tempo ao processo como um todo.

Até onde eu sei, todas as grandes igrejas em células passaram pelo estágio dos protótipos, seja porque se propuseram a isso ou por providência divina. As igrejas em células simplesmente não surgem maduras assim “do nada”.

Aqui no blog JCG, temos aprendido sobre a importância de começar com uma célula piloto e posteriormente construir uma infraestrutura para manter a qualidade a longo prazo. Lembre sempre que o modelo da igreja em células tem como foco principal fazer discípulos que fazem discípulos e não a utilização de uma simples fórmula de crescimento rápido!

Spanish blog:

Empezar bien y terminar bien

Por el Dr. Bill Beckham, practicante de las células y autor de numerosos libros, entre ellos La Segunda Reforma

Durante las últimas dos décadas, líderes de iglesias de todo el mundo han peregrinado a iglesias celulares operativas en diferentes partes del mundo. Invariablemente, sacaron todas las conclusiones erróneas sobre cómo esas grandes iglesias celulares se relacionan con la situación de su iglesia. Trataron de implementar los métodos de las iglesias celulares operativas en lugar de utilizar los métodos del prototipo de iglesia celular.

¿Por qué los líderes sinceros tienen problemas para reproducir lo que ven al visitar las grandes iglesias celulares? Es porque estas grandes iglesias celulares operacionales típicamente explican lo que está sucediendo actualmente en sus iglesias, no lo que sucedió hace diez o más años cuando su crecimiento se puso en marcha. Las grandes iglesias celulares sufren una forma de amnesia sobre su etapa de prototipo.

Un líder de una iglesia tradicional no puede esperar que la estructura de una gran iglesia celular operativa (por ejemplo, la Iglesia del Evangelio Completo de Yoido, en Seúl) sea apropiada para su situación. Los principios y conceptos pueden ser los mismos, pero las etapas de desarrollo están a años luz de distancia. Es necesario descubrir lo que ocurrió hace 30 años en esa iglesia masiva. La estrategia de funcionamiento de una iglesia de 750.000 miembros no es lo que se necesita. En cambio, el líder de la iglesia debe examinar la estrategia de transición original.

Es fatal asumir que sólo porque entendemos la mecánica de la iglesia celular, entendemos la iglesia celular. La iglesia celular es mucho más que la mecánica. Sin la dinámica, los principios y la filosofía de vida que hay detrás, la mecánica es una forma sin vida. La única manera de entender la vida de la iglesia celular es experimentarla.

Así como Jesús caminó a través de esos tres años y medio con su primera iglesia, a través del Espíritu, Él camina a través del período de preparación de tres años y medio con cada iglesia dispuesta a seguir. Así como Jesús dio su atención personal a la construcción de la primera iglesia, Él da su atención personal a la construcción de la iglesia hoy.

Hágalo bien en la fase del prototipo, y el modelo será más fácil de implementar durante la fase operativa. Si lo hace mal al principio, agregará dolores de cabeza, angustias, frustración y tiempo al proceso general.

Que yo sepa, todas las grandes iglesias celulares existentes pasaron por la fase Prototipo, ya sea por diseño o por providencia. Las iglesias celulares simplemente no llegan a la escena con todo su esplendor.

Hemos estado aprendiendo en el blog de JCG sobre la importancia de comenzar con un grupo piloto y luego construir la infraestructura para mantener la calidad a largo plazo. Recuerde que el modelo de la iglesia celular se centra principalmente en hacer discípulos que hacen discípulos, ¡no en una fórmula de crecimiento rápido!

Encouragement to Stick with Cell-Based Ministry Year After Year

By Dr. Bill Beckham, author and cell church strategist.

I have enjoy reading the blogs about why key pastors and leaders are committed to cell-based ministry. Here are a few thoughts of my own:

  • The cell-based church maximizes organic life and minimizes dependence on organization because it is built on small relationship units. Cells are Jesus’ organic church in various forms and sizes, not just a ministry of the organized church. The organic cell church gathers in a public form as the “whole” organized church.
  • The cell-based church can be the church outside the church parking lot the other six days of the week. Cells are God’s way for Christians to go to Jesus in the world. “Let us go to him (JESUS) outside the camp, bearing the disgrace he bore.” (Hebrews 13:13.)
  • The cell-based church is built upon the primary experience of God’s Trinitarian presence. “Where two or three gather in my name, there am I with them.”(Matthew 18:20). Every Christian work and discipline, including worship, prayer, Bible study, gifts, community, evangelism and edification, flow out of His incarnate, indwelling and abiding presence.
  • The cell-based church experiences God’s presence in several interlocking cells of different sizes and nature. The basic cell is an intimate gender specific friendship unit of 2 or 3 where Christ is present. A mixed gender community cell of 3 or 4 triads gathers monthly to share overflow experiences about God’s presence in the friendship triads. The largest expression of organic cell life is Jesus’ 70 network of 15 to 20 triad cells that meets quarterly to pray for persons of peace and to make plans for geographic and demographic expansion.
  • The cell-based church operating in the world in its organic continuum of 1/3/12/70 (individual, triad, cell, network) needs no building, money, programs or professional leaders.
  • The cell-based church reverses the come structures of Constantine’s traditional church and restores Jesus’ go structures. “Therefore GO and make disciples of all nations.” (Matthew 28:18f).
  • A cell-based church can survive opposition and persecution by gathering in the organic cell unit or units appropriate for the place and situation. The primary unit for survival may be an individual Christian, a friendship triad, an overflow cell or an organic network. “The gates of hell will not prevail against my church” . . .  in its organic expressions.
  • The cell-based church mobilizes “ordinary” Christians and produces its own leaders out of its interlocking cell system. “God chose the foolish things . . . weak things . . . lowly things . . . despised things . . . the things that are not.” (1 Corinthians 1:26-29). 
  • The cell-based church is universal and can be applied in every people group, culture and society because it works through natural relationships of friendship, community and networks.
  • The cell-based church can mobilize a multiplying movement. The strongest multiplying movements in the world today function in the cell expressions of friendship triads of two or three, community cells of three or four triads, and organic networks of Jesus’ 70. Multiplication continues in these movements because an organic network replaces the need to prematurely begin an expensive and time-consuming worship service.

I hope these thoughts help you as you journey with Jesus.

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

Incentivo Para Ficar No Ministério Baseado em Células, Ano Após Ano

Por Bill Beckham, pelo Dr. Bill Beckham, autor e estrategista de igreja em células

Tenho gostado de ler os blogs sobre porque os principais pastores e líderes estão comprometidos com o ministério baseado em células. Aqui estão algumas idéias minhas:

  • A igreja baseada em células maximiza a vida orgânica e minimiza a dependência da organização porque é construída em pequenas unidades de relacionamento. As células são a igreja orgânica de Jesus em várias formas e tamanhos, não apenas um ministério da igreja organizada. A igreja em células orgânica se reúne de forma pública como a igreja organizada “inteira”.
  • A igreja baseada em células pode ser a igreja fora do estacionamento da igreja nos outros seis dias da semana. As células são a maneira de Deus para os cristãos irem a Jesus no mundo. “Vamos ter com ele (JESUS) fora do acampamento, carregando a desgraça que ele suportou.” (Hebreus 13:13.)
  • A igreja baseada em células é construída sobre a experiência primária da presença trinitária de Deus. “Onde dois ou três se reunirem em meu nome, aí estou eu com eles.” (Mateus 18:20). Todo trabalho e disciplina cristã, incluindo adoração, oração, estudo da Bíblia, presentes, comunidade, evangelismo e edificação, fluem de Sua presença encarnada, residente e permanente.
  • A igreja baseada em células experimenta a presença de Deus em várias células interligadas de diferentes tamanhos e naturezas. A célula básica é uma unidade íntima de amizade específica de gênero de 2 ou 3 onde Cristo está presente. Uma célula comunitária de gênero misto de 3 ou 4 tríades se reúne mensalmente para compartilhar experiências transbordantes sobre a presença de Deus nas tríades de amizade. A maior expressão da vida celular orgânica é a rede 70 de Jesus, de 15 a 20 células da tríade, que se reúne trimestralmente para orar por pessoas de paz e fazer planos para a expansão geográfica e demográfica.
  • A igreja baseada em células operando no mundo em seu continuum orgânico de 1/3/12/70 (individual, tríade, célula, rede) não precisa de construção, dinheiro, programas ou líderes profissionais.
  • A igreja baseada em células inverte as estruturas da igreja tradicional de Constantino e restaura as estruturas de Jesus. “Portanto, VÁ e faça discípulos de todas as nações.” (Mateus 28:18).
  • Uma igreja baseada em células pode sobreviver à oposição e perseguição reunindo-se na unidade ou unidades de células orgânicas apropriadas para o lugar e a situação. A unidade primária para a sobrevivência pode ser um cristão individual, uma tríade de amizade, uma célula transbordante ou uma rede orgânica. “As portas do inferno não prevalecerão contra a minha igreja”. . . em suas expressões orgânicas.
  • A igreja baseada em células mobiliza cristãos “comuns” e produz seus próprios líderes a partir de seu sistema de células interligadas. “Deus escolheu as coisas tolas. . . coisas fracas. . . coisas humildes. . . coisas desprezadas. . . as coisas que não são.” (1 Coríntios 1:26-29).
  • A igreja baseada em células é universal e pode ser aplicada em todos os grupos de pessoas, cultura e sociedade porque funciona por meio de relações naturais de amizade, comunidade e redes.
  • A igreja baseada em células pode mobilizar um movimento multiplicador. Os movimentos de multiplicação mais fortes no mundo hoje funcionam nas expressões celulares de tríades de amizade de dois ou três, células comunitárias de três ou quatro tríades e redes orgânicas dos anos 70 de Jesus. A multiplicação continua nesses movimentos porque uma rede orgânica substitui a necessidade de começar prematuramente um culto de adoração caro e demorado.

Espero que esses pensamentos o ajudem em sua jornada com Jesus.

Spanish blog:

Ánimo para seguir con el ministerio basado en células año tras año

Por Bill Beckham, por el Dr. Bill Beckham, autor y estratega de la iglesia celular

Disfruto leyendo los blogs sobre por qué los pastores y líderes clave están comprometidos con el ministerio celular. Aquí están algunos de mis pensamientos:

  • La iglesia basada en células maximiza la vida orgánica y minimiza la dependencia de la organización porque está construida sobre pequeñas unidades de relación. Las células son la iglesia orgánica de Jesús en varias formas y tamaños, no solo un ministerio de la iglesia organizada. La iglesia celular orgánica se reúne en forma pública como la iglesia organizada “completa”.
  • La iglesia celular puede ser la iglesia fuera del estacionamiento de la iglesia los otros seis días de la semana. Las células son el camino que Dios tiene para los cristianos de acudir a Jesús en el mundo. “Vayamos a él (JESÚS) fuera del campamento, llevando su vituperio”. (Hebreos 13:13.)
  • La iglesia celular se basa en la experiencia primaria de la presencia trinitaria de Dios. “Donde dos o tres se reúnen en mi nombre, allí estoy yo con ellos” (Mateo 18:20). Toda obra y disciplina cristiana, incluida la adoración, la oración, el estudio de la Biblia, los dones, la comunidad, la evangelización y la edificación, fluyen de Su presencia encarnada, residente y permanente.
  • La iglesia basada en células experimenta la presencia de Dios en varias células interconectadas de diferentes tamaños y naturaleza. La célula básica es una unidad de amistad íntima específica de género de 2 o 3 donde Cristo está presente. Una célula comunitaria de género mixto de 3 o 4 tríadas se reúne mensualmente para compartir experiencias desbordantes sobre la presencia de Dios en las tríadas de la amistad. La expresión más grande de la vida de las células orgánicas es la red de Jesús de entre 15 y 20 células en tríada que se reúne trimestralmente para orar por personas de paz y hacer planes para la expansión geográfica y demográfica.
  • La iglesia celular que opera en el mundo en su continuo orgánico del 1/3/12/70 (individual, tríada, célula, red) no necesita edificios, dinero, programas o líderes profesionales.
  • La iglesia celular revierte las estructuras que vienen de la iglesia tradicional de Constantino y restaura las estructuras de Jesús que nos dicen “vayan”. “Por tanto, vayan y hagan discípulos de todas las naciones”. (Mateo 28: 18ss).
  • Una iglesia basada en células puede sobrevivir a la oposición y la persecución reuniéndose en la unidad o unidades de células orgánicas apropiadas para el lugar y la situación. La unidad principal para la supervivencia puede ser un cristiano individual, una tríada de amistad, una célula de desbordamiento o una red orgánica. “Las puertas del infierno no prevalecerán contra mi iglesia”. . . en sus expresiones orgánicas.
  • La iglesia basada en células moviliza a los cristianos “ordinarios” y produce sus propios líderes a partir de su sistema de células entrelazadas. “Dios escogió a los necios. . . débiles. . . humildes. . . despreciados. . . Y lo que no es “. (1 Corintios 1: 26-29).
  • La iglesia celular es universal y se puede aplicar en cada grupo de personas, cultura y sociedad porque funciona a través de relaciones naturales de amistad, comunidad y redes.
  • La iglesia celular puede movilizar un grupos multiplicador. Los movimientos multiplicadores más fuertes del mundo de hoy funcionan en las expresiones celulares de tríadas de amistad de dos o tres, células comunitarias de tres o cuatro tríadas y redes orgánicas de los 70 de Jesús. La multiplicación continúa en estos movimientos porque una red orgánica reemplaza la necesidad de comenzar prematuramente un servicio de adoración costoso y que consume mucho tiempo.

Espero que estos pensamientos te ayuden en tu camino con Jesús.

John Wesley’s Discipleship System

By Dr. Bill Beckham, author and cell church strategist. 

In order to live out holiness, Wesley developed what Michael Henderson calls “an interlocking group system.” This system was made up of three different types of groups that resulted in holiness and harvest.

Wesley called his three interlocking groups: “bands”, “societies” and “classes.” The gear that moved Wesley’s system was New Testament holiness. Wesley’s watch cry was “to spread scriptural holiness throughout the land.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 71.) Wesley had total confidence in God and the method God had given him. His famous quote was: “Give me 100 men who hate nothing but sin and love God with all their hearts and I will shake the world for Christ!”

 In modern terms, Wesley’s groups were special leadership and accountability groups (bands), large group worship (society) and small group cells (classes). Wesley put the three groups in place over a period of almost 15 years. He began with a leadership accountability group in 1729 while at Oxford University. He learned about small groups in Georgia and London in the Fetter Lane Societies. He saw community lived out at Herrnhut. These bands focused on affective attitudes of the heart. Then ten years later (1739) he added his large worship group that he called a Society. The Society focused on cognitive understanding of the truths of Scripture. In that same year, Wesley preached his first open-air meeting with Whitefield.

 The societies proclaimed and explained the doctrine, the class meeting was designed to implement the behavioral quest for holy lifestyle, and the bands facilitated the cultivation of inner purity and the purging of attitudes. Each component depended on the others, and working together to accomplish different facets of the stated goal.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 115.)

 Wesley’s final piece in his interlocking system was the New Testament small group community dimension. Evaluating the “class meeting” (cell) Henderson concludes, “The class meeting turned out to be the primary means of bringing millions of England’s most desperate people into the liberating discipline of Christian faith.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 28.)

 “The design of the Wesleyan program had the goal of holiness in constant focus: The societies proclaimed and explained the doctrine, the class meeting was designed to implement the behavioral quest for holy lifestyle, and the bands facilitated the cultivation of inner purity and the purging of attitudes.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 115.)

 Wesley used a systematic, intentional and methodical approach to teaching, training and equipping. Secular Historians credit Wesley’s movement for saving England from a bloody revolution such as happened in France and other countries in Europe during the 18th Century. Wesley said: “I look on all the world as my parish; thus far I mean, that, in whatever part of it I am, I judge it meet, right, and my bounden duty, to declare unto all that are willing to hear, the glad tidings of salvation.” Wesley defines a Methodist as “one that lives according to the method laid down in the Bible.”

Korean blog: (click here)  

Portuguese blog:

Sistema de Discipulado de John Wesley
 
Por Dr. Bill Beckham, autor e estrategista da igreja em células.

A fim de viver a santidade, Wesley desenvolveu o que Michael Henderson chama de “um sistema de grupo interligado”. Este sistema era composto de três tipos diferentes de grupos que resultavam em santidade e colheita.

Wesley chamou seus três grupos interligados: “bandas”, “sociedades” e “classes”. A engrenagem que moveu o sistema de Wesley foi a santidade do Novo Testamento. O grito de alerta de Wesley era “espalhar a santidade das escrituras por toda a terra.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 71.) Wesley tinha total confiança em Deus e no método que Deus lhe deu. Sua famosa citação foi: “Dai-me 100 homens que nada temam senão o pecado, e que nada desejam senão a Deus, e eu abalarei o mundo por Cristo!”

Em termos modernos, os grupos de Wesley eram grupos especiais de liderança e responsabilidade (bandas), adoração em grande grupo (sociedade) e células em pequenos grupos (classes). Wesley estabeleceu os três grupos por um período de quase 15 anos. Ele começou com um grupo de responsabilidade de liderança em 1729, enquanto estava na Universidade de Oxford. Ele aprendeu sobre pequenos grupos na Geórgia e em Londres nas sociedades Fetter Lane. Ele viu a comunidade vivida em Herrnhut. Essas bandas enfocavam as atitudes afetivas do coração. Então, dez anos depois (1739), ele acrescentou seu grande grupo de adoração que chamou de Sociedade. A Sociedade se concentrou na compreensão cognitiva das verdades das Escrituras. Naquele mesmo ano, Wesley pregou sua primeira reunião ao ar livre com Whitefield.

As sociedades proclamaram e explicaram a doutrina, a reunião de classe foi projetada para implementar a busca comportamental por um estilo de vida santo e as bandas facilitaram o cultivo da pureza interior e a purificação de atitudes. Era um sistema entrelaçado, tecido em torno de um tema comum. Cada componente dependia dos outros e trabalhavam juntos para realizar diferentes facetas da meta declarada. ” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 115.)

A peça final de Wesley em seu sistema de bloqueio foi a dimensão da comunidade de pequenos grupos do Novo Testamento. Avaliando a “reunião de classe” (célula) Henderson conclui: “A reunião de classe acabou sendo o principal meio de trazer milhões das pessoas mais desesperadas da Inglaterra para a disciplina libertadora da fé cristã.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 28.)

“O desenho do programa Wesleyano tinha o objetivo da santidade em foco constante: as sociedades proclamavam e explicavam a doutrina, a reunião de classe era projetada para implementar a busca comportamental por um estilo de vida santo e as bandas facilitavam o cultivo da pureza interior e a purificação de atitudes. Era um sistema entrelaçado, tecido em torno de um tema comum.” (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 115.)

Wesley usou uma abordagem sistemática, intencional e metódica para ensinar, treinar e equipar. Os historiadores seculares dão crédito ao movimento de Wesley por salvar a Inglaterra de uma revolução sangrenta como a que aconteceu na França e em outros países da Europa durante o século XVIII. Wesley disse: “Eu vejo o mundo todo como minha paróquia; até agora, quero dizer que, em qualquer parte dela que eu esteja, julgo ser adequado e meu dever sagrado declarar a todos os que estão dispostos a ouvir as boas novas da salvação ”. Wesley define um Metodista como “aquele que vive de acordo com o método estabelecido na Bíblia”.

Spanish blog:

El sistema de discipulado de John Wesley

 

Por el Dr. Bill Beckham, autor y estratega de la iglesia celular.

 

Para vivir la santidad, Wesley desarrolló lo que Michael Henderson llama “un sistema de grupos entrelazados”. Este sistema estaba compuesto por tres tipos diferentes de grupos que resultaron en santidad y cosecha.

 

Wesley llamó a sus tres grupos entrelazados: “bandas”, “sociedades” y “clases”. El engranaje que movió el sistema de Wesley fue la santidad del Nuevo Testamento. El grito del reloj de Wesley fue “difundir la santidad de las Escrituras por toda la tierra”. (Michael Henderson, John Wesley’s Class Meetings, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 71). Wesley tenía total confianza en Dios y en el método que Dios le había dado. Su famosa cita fue: “Dame 100 hombres que odien el pecado y amen a Dios con todo su corazón, ¡haré temblar al mundo para Cristo! “

 

En términos modernos, los grupos de Wesley eran grupos especiales de liderazgo y responsabilidad (bandas), grupos grandes de adoración (sociedad) y células de grupos pequeños (clases). Wesley puso los tres grupos en su lugar durante un período de casi 15 años. Comenzó con un grupo de responsabilidad de liderazgo en 1729 mientras estaba en la Universidad de Oxford. Aprendió sobre pequeños grupos en Georgia y Londres en las Sociedades Fetter Lane. Vivió la comunidad en Herrnhut. Estas bandas se centraron en las actitudes afectivas del corazón. Luego, diez años más tarde (1739), agregó su gran grupo de adoración al que llamó Sociedad. La Sociedad se centró en la comprensión cognitiva de las verdades de las Escrituras. En ese mismo año, Wesley predicó su primera reunión al aire libre con Whitefield.

 

Las sociedades proclamaron y explicaron la doctrina, la reunión de la clase fue diseñada para implementar la búsqueda conductual de un estilo de vida santo, y las bandas facilitaron el cultivo de la pureza interior y la purga de actitudes. Era un sistema entrelazado, tejido en torno a un tema común. Cada componente dependía de los demás y trabajaban juntos para lograr diferentes facetas del objetivo establecido “. (Michael Henderson, Reuniones de clase de John Wesley, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 115).

 

La pieza final de Wesley en su sistema entrelazado fue la dimensión comunitaria de grupos pequeños del Nuevo Testamento. Al evaluar la “reunión de la clase” (célula), Henderson concluye: “La reunión de la clase resultó ser el medio principal para llevar a millones de las personas más desesperadas de Inglaterra a la disciplina liberadora de la fe cristiana”. (Michael Henderson, Reuniones de clase de John Wesley, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 28).

 

“El diseño del programa wesleyano tenía la meta de la santidad en un enfoque constante: las sociedades proclamaron y explicaron la doctrina, la reunión de la clase fue diseñada para implementar la búsqueda conductual de un estilo de vida santo, y las bandas facilitaron el cultivo de la pureza interior y la purga de actitudes.” (Michael Henderson, Reuniones de clase de John Wesley, (Evangel Publishing House: Francis Asbury Press, 1997, 115).

 

Wesley utilizó un enfoque sistemático, intencional y metódico para enseñar, capacitar y equipar. Los historiadores seculares dan crédito al movimiento de Wesley por salvar a Inglaterra de una revolución sangrienta como la que ocurrió en Francia y otros países de Europa durante el siglo XVIII. Wesley dijo: “Veo al mundo como mi parroquia; hasta ahora quiero decir que, en cualquier parte de ella en la que me encuentre, considero adecuado, justo y mi deber obligado, declarar a todos los que estén dispuestos a oír, las buenas nuevas de la salvación “. Wesley define a un metodista como “alguien que vive de acuerdo con el método establecido en la Biblia”. 

Experiencing Celebration Worship

By Dr. Bill Beckham, author of many books, including The Second Reformation

During the time I pastored my third church, I developed a splitting headache every Sunday. Eventually, I traced this recurring pain back to its source. I was so uptight about what happened on Sunday morning that anxiety was manifesting itself in real pain. The performance demands upon me as a pastor were the source of my headache.

Trying to drag unprepared Christians into the presence of God for worship is enough to give any man a headache. When I recognized the source and turned loose of it, the ache left my head, but not my heart. I continued to long for an experience of genuine worship where prepared Christians participated in worship from an overflow of God’s presence, power, and purpose.

Is there a type of worship that isn’t worked up, promoted, produced, or performed? Can a pastor ever hope to look out across a congregation on Sunday and see members ready to worship without the use of human motivation or entertainment? How can genuine heartfelt worship naturally express itself with the right amount of emotion and reverence?

The cell church structure offers hope this can happen. Members who have experienced the intimate presence of Christ in cell group life will be drawn by His Spirit to celebrate the goodness and greatness of God together in large groups. Then genuine heartfelt worship naturally expresses itself with the right amount of emotion and reverence. This kind of worship is so powerful, orderly, spiritual, and genuine that an unbeliever will be struck by the presence of God. Large group worship provides a setting for inspiration, information, revelation, and celebration. Small group community allows application, edification, incarnation, and preparation.

Those experiencing true worship while celebrating God’s greatness will be drawn back into the experience of God’s love within warm, intimate cell meetings. This is the rhythm of worship between cells and celebration that is possible in the cell church.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A experiência de um Culto de Celebração

Dr. Bill Beckham, autor de diversos livros, incluindo A Segunda Reforma

Eu costumava ter uma grande dor de cabeça todos os domingos, durante meu pastorado na terceira igreja em que fui pastor. Finalmente consegui descobrir a causa daquela dor. Eu estava tão tenso sobre o que acontecia na manhã do domingo que toda aquela ansiedade se manifestava como dor. A demanda que eu sentia sobre meu desempenho como pastor era a fonte da minha dor de cabeça.

Tentar arrastar cristãos despreparados até a presença de Deus para cultuá-lo é um esforço grande o suficiente para causar dor de cabeça a qualquer um. Quando eu finalmente reconheci a causa e me libertei daquilo, a dor desapareceu da minha cabeça, mas não do meu coração. Eu ainda ansiava por uma experiencia de adoração genuína, onde cristãos maduros participassem do culto a partir de um transbordar da presença de Deus, seu poder e propósito.

Será que existe um tipo de adoração que não é provocada, promovida, produzida ou ensaiada? Será que um pastor pode mesmo ter esperança de um dia olhar para sua congregação no domingo e contemplar os membros prontos para cultuar sem precisar de motivação humana ou entretenimento? Como o cultuar genuíno, direto do coração, pode se expressar com equilíbrio entre a emoção e a reverência?

A estrutura da Igreja baseada em células pode oferecer essa esperança. Os membros que já experimentaram a presença íntima de Cristo na vida da célula serão trazidos pelo Espírito Santo para celebrar a bondade e a grandeza de Deus em unidade, nas grandes celebrações. O cultuar genuíno poderá se expressar com equilíbrio entre a emoção e a reverência. Este tipo de culto é muito poderoso, organizado, espiritual e genuíno e tudo isso impactará os não crentes através da presença de Deus. As grandes celebrações estabelecem as condições para a inspiração, informação, revelação e celebração. A comunhão dos pequenos grupos permite a aplicação, edificação, encarnação e preparação.

As pessoas que experimentam o cultuar verdadeiro ao celebrar a grandeza de Deus serão levadas a experimentar o amor de Deus em encontros mais íntimos e calorosos como os que acontecem nas células. Este é o ritmo do cultuar que acontece na celebração em uma igreja em células.

Spanish blog:

Experimentar la adoración de la celebración

Por el Dr. Bill Beckham, autor de muchos libros, incluido La Segunda Reforma

Durante el tiempo que pastoreé mi tercera iglesia, desarrollé un dolor de cabeza terrible todos los domingos. Finalmente, rastreé este dolor recurrente hasta su origen. Estaba tan tenso por lo que sucedió el domingo por la mañana que la ansiedad se manifestaba en un dolor real. Las demandas de desempeño de mí como pastor fueron la fuente de mi dolor de cabeza.

Tratar de arrastrar a los cristianos desprevenidos a la presencia de Dios para adorar es suficiente para causar dolor de cabeza a cualquier hombre. Cuando reconocí la fuente y me liberé, el dolor abandonó mi cabeza, pero no mi corazón. Seguí anhelando una experiencia de adoración genuina en la que cristianos preparados participaran en la adoración desde un desbordamiento de la presencia, el poder y el propósito de Dios.

¿Existe un tipo de adoración que no se elabora, promueve, produce o realiza? ¿Puede un pastor esperar mirar a través de una congregación el domingo y ver miembros listos para adorar sin el uso de motivación o entretenimiento humano? ¿Cómo puede la adoración genuina y sincera expresarse naturalmente con la cantidad adecuada de emoción y reverencia?

La estructura de la iglesia celular ofrece la esperanza de que esto suceda. Los miembros que han experimentado la presencia íntima de Cristo en la vida del grupo celular serán atraídos por Su Espíritu para celebrar la bondad y la grandeza de Dios juntos en grupos grandes. Entonces, la adoración genuina y sincera se expresa naturalmente con la cantidad adecuada de emoción y reverencia. Este tipo de adoración es tan poderosa, ordenada, espiritual y genuina que un incrédulo será golpeado por la presencia de Dios. La adoración en grupos grandes proporciona un entorno para la inspiración, información, revelación y celebración. La comunidad de grupos pequeños permite la aplicación, la edificación, la encarnación y la preparación.

Aquellos que experimentan la adoración verdadera mientras celebran la grandeza de Dios serán atraídos hacia la experiencia del amor de Dios dentro de reuniones de células íntimas y cálidas. Este es el ritmo de adoración entre la célula y la celebración que es posible en la iglesia celular.