Who’s At Your Table?

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Jesus was a master at disciple-making by simply using everyday life circumstances to make a lasting impact on the lives of people around him. Whether fishing or walking along the road or attending a wedding, Jesus used ordinary circumstances to disciple and equip those around him to be difference makers. Sometimes, we tend to over complicate the discipleship and equipping process and transform it into a textbook-type training instead of letting connection and community take place in the simplest of places. For me, it happened at the dinner table.  

I noticed an amazing group of ladies who were leaders of leaders in different ministries, yet each one needed to be equipped and discipled to continue their ministry with excellence.  Although God had called each of them to be leaders in various ministries, how could I possibly make a lasting impact on so many individual women at the same time? Then, God graciously put on my heart a very natural yet effective way – simply invite them to my house for dinner.  

That’s not so hard, I thought; a once a month dinner meeting in my home. Although they really didn’t know each other very well, each woman had the same desire to grow in the Lord and in their ministry leadership. As I served a simple meal and as they were enjoying dinner, they dialogued together and answered some basic “get to know you questions” I prepared in advance.  At our first dinner meeting, we shared our struggles and our burdens Each woman found a connection through the inadequacies that we, including me, all felt at times in our lives. This amazing group of women soon bonded and became friends while reading leadership books and sharing life together over the course of a year.

Discipleship and equipping can have the best of strategies and be carefully executed, but at the end of the day, who have you invited to your table?  Are you looking around in your role as a leader and investing in those who want to grow?  You can start with something simple:

  • Pray for God to show you who He wants to be part of your group
  • Ask five people (same gender works best) if they would like to meet and have dinner (I call my group a “Leadership Table”) once a month for a year:
    • It helps to set clear expectations of duration and frequency in advance, so those you ask to join your group will know what to expect.
    • You may want to invite six or seven people, but the best number for conversation is six.
  • Pick a book that would be an encouragement to the whole group:
    • I started with The Gifts of Imperfection by Brene Brown.  This is not a “Christian” book, but it sets the stage for transparency and vulnerability.
    • Pick a book that is not ministry specific, so everyone’s perspective will be addressed
  • Serve dinner.  You can make it potluck or order in; eating together seems to break down communication barriers and allows people to chat and share naturally over dinner in a more relaxing way. 
  • Enjoy your time together. 

Take some time this week and be thinking about who you can invite to your own “Leadership Table.” Watch and see how God will transform these men and women into even greater leaders. I’ve started my second “Leadership Table” this year, and I look forward, with great anticipation, to what the Lord is going to do in and through these leader’s lives as they rise up to their next level of leadership.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quem está na sua mesa?

Por Michelle Geoffrey, pastor de células em www.celebrationchurch.org

Jesus era um mestre na criação de discípulos, usando simplesmente as circunstâncias da vida cotidiana para causar um impacto duradouro na vida das pessoas ao seu redor. Fosse pescando, caminhando pela estrada ou participando de um casamento, Jesus usou circunstâncias comuns para discipular e equipar as pessoas ao seu redor para fazerem diferença. Às vezes, tendemos a complicar demais o processo de discipulado e equipamento e transformá-lo em um treinamento do tipo seguir um manual, em vez de permitir que a conexão e a comunidade ocorram nos lugares mais simples. Para mim, isso aconteceu na mesa de jantar.

Notei um incrível grupo de mulheres que eram líderes de líderes em diferentes ministérios, mas cada uma precisava ser equipada e disciplinada para continuar seu ministério com excelência. Embora Deus tenha chamado cada uma delas para ser líder em vários ministérios, como eu poderia causar um impacto duradouro de modo individual em tantas mulheres ao mesmo tempo? Então, Deus gentilmente colocou em meu coração uma maneira muito natural, mas eficaz – simplesmente as convide para jantar em minha casa.

Isso não é tão difícil, pensei; uma reunião de jantar uma vez por mês em minha casa. Embora elas realmente não se conhecessem muito bem, cada mulher tinha o mesmo desejo de crescer no Senhor e em sua liderança no ministério. Enquanto eu servia uma refeição simples e, enquanto desfrutavam do jantar, elas dialogavam juntas e respondiam a algumas perguntas básicas para conhecer umas às outras. Em nosso primeiro jantar, compartilhamos nossas lutas e nossos fardos. Cada mulher encontrou uma conexão através das inadequações que nós, inclusive eu, todos sentimos às vezes em nossas vidas. Esse incrível grupo de mulheres logo se uniu e tornaram-se amigas, lendo livros de liderança e compartilhando a vida juntas ao longo de um ano.

O discipulado e o equipamento podem ter as melhores estratégias e serem executados com cuidado, mas no final do dia, quem você convidou para sua mesa? Você está olhando à sua volta em seu papel de líder e investindo naqueles que querem crescer? Você pode começar com algo simples:

– Ore para que Deus mostre quem ele quer que faça parte do seu grupo;
– Pergunte a cinco pessoas (funciona melhor com pessoas do mesmo sexo) se elas gostariam de se encontrar e jantar (chamo meu grupo de “Mesa de Liderança”) uma vez por mês durante um ano:
• Isso ajuda a estabelecer expectativas claras de duração e frequência com antecedência, para que aqueles que você chama para se juntar ao seu grupo saibam o que esperar.
•Você pode convidar seis ou sete pessoas, mas o melhor número para conversar é seis.
– Escolha um livro que seria um incentivo para todo o grupo:
• Comecei com Os presentes da imperfeição, de Brene Brown.  Este não é um livro “cristão”, mas prepara o terreno para a transparência e a vulnerabilidade.
• Escolha um livro que não seja específico do ministério, para que a perspectiva de todos seja abordada.
– Sirva o jantar. Você pode pedir para cada pessoa levar algo ou pedir delivery; comer juntos parece quebrar as barreiras de comunicação e permite que as pessoas conversem e compartilhem naturalmente durante o jantar de uma maneira mais relaxante;
– Aproveitem o seu tempo juntos.

Reserve um tempo nesta semana e pense em quem você pode convidar para sua própria “Mesa de Liderança”. Observe e veja como Deus transformará esses homens e mulheres em líderes ainda maiores. Eu comecei minha segunda “Mesa de Liderança” este ano e aguardo com grande expectativa o que o Senhor fará em suas vidas e através de suas lideranças, à medida que elas subirem para o próximo nível de liderança.

Spanish blog:

¿Quién está en tu mesa?

Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Jesús era un maestro en hacer discípulos simplemente usando las circunstancias de la vida cotidiana para tener un impacto duradero en la vida de las personas que lo rodeanban. Ya sea que esté pescando o caminando por el camino o asistiendo a una boda, Jesús usó circunstancias ordinarias para discipular y equipar a los que lo rodeaban para ser creadores de diferencias. A veces, tendemos a complicar demasiado el proceso de discipulado y equipamiento y transformarlo en una capacitación tipo libro de texto en lugar de permitir que la conexión y la comunidad se lleven a cabo en los lugares más simples. Para mí, sucedió en la mesa.

Noté un increíble grupo de mujeres que eran líderes de líderes en diferentes ministerios, sin embargo, cada una de ellas necesitaba estar equipada y discipulada para continuar su ministerio con excelencia. Aunque Dios las había llamado a ser líderes en varios ministerios, ¿cómo podrían tener un impacto duradero en tantas mujeres individuales al mismo tiempo? Entonces, Dios graciosamente puso mi corazón una manera muy natural pero efectiva: simplemente invítalas a cenar a casa.

Eso no es tan difícil, pensé; una cena de una vez al mes en mi casa. Aunque realmente no se conocían muy bien, cada mujer tenía el mismo deseo de crecer en el Señor y en el liderazgo de su ministerio. Mientras servía una comida sencilla y mientras disfrutaban de la cena, dialogaron juntas y respondieron algunas preguntas básicas para “conocerse” que preparé con anticipación. En nuestra primera cena, compartimos nuestras luchas y nuestras cargas y cada una encontró una conexión a través de las deficiencias que nosotras, incluyéndome a mí, sentimos en ocasiones en nuestras vidas. Este increíble grupo de mujeres pronto se unió y se creó una amistad; mientras leían libros de liderazgo y compartían la vida en el transcurso de un año.

El discipulado y el equipamiento pueden tener las mejores estrategias y ser ejecutados cuidadosamente, pero al final del día, ¿a quién has invitado a tu mesa? ¿Estás buscando tu rol como líder e invirtiendo en aquellos que quieren crecer? Puedes comenzar con algo simple:

▪️Ora para que Dios te muestre quién quiere que forme parte de tu grupo

▪️Pregunte a cinco personas (el mismo género funciona mejor) si les gustaría reunirse y cenar (llamo a mi grupo una “Mesa de Liderazgo”) una vez al mes durante un año:

              – Ayuda a establecer expectativas claras de duración y frecuencia de                  antemano, para que aquellos a quienes les solicites unirse a tu                        grupo sepan qué esperar.

               – Es posible que desee invitar a seis o siete personas, pero el mejor                     número para conversar es seis.

▪️Elige un libro que sea un estímulo para todo el grupo:

               -Comencé con los dones de la imperfección (The Gifts of                                      Imperfection) de Brene Brown. Este no es un libro “cristiano”, pero                    prepara el escenario para la transparencia y la vulnerabilidad

                -Elige un libro que no sea específico para el ministerio, de modo                         que se aborde la perspectiva de todos

▪️Sirve la cena. Puedes hacer que sea una comida compartida o pedirla; comer juntos parece romper las barreras de comunicación y permite a las personas conversar y compartir naturalmente durante la cena de una manera más relajante.

▪️Disfruten su tiempo juntos.

Tómete un tiempo esta semana y piense en a quién puedes invitar a tu propia “mesa de Liderazgo”. Observa cómo Dios transformará a estos hombres y mujeres en líderes aún mayores. Comencé mi segunda “Tabla de Liderazgo” este año, y espero con gran anticipación lo que el Señor hará en y a través de las vidas de estos líderes a medida que se eleven a su próximo nivel de liderazgo.

Don’t Do It Alone

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Seven years ago, I had the honor and privilege of meeting a young woman by the name of Kelly McGill at a cell group connecting event.  She had recently moved back to New Orleans and wanted to get plugged into church. She knew the Lord most of her life, but had recently recommitted to Him and was searching to find Christian community.  The first four weeks of Life Group she stayed so quiet and I could see that she was observing to see if we were trustworthy enough to open up to. You see Kelly had faced great heart-break and pain that needed healing. 

After the first month, she began sharing her story with us little by little and God continued that beautiful healing process that He started in her.  Over the next few years, Kelly became a regular cell member, cell leader, and eventually a Coach of other leaders. She has ministered to so many women by sharing her story and her life. 

This year, Kelly was diagnosed with stage four cancer.  She knew that this would not be the end of her life, but instead a way for God to be glorified.  There were moments of fear, uncertainty and doubt, but Kelly stayed plugged in to her cell group, connected to her sisters in Christ, and is now walking through the process of being cancer free. 

Every time I look at Kelly, I am reminded that we have to be brave.  If she had not attended Life Group every week, if she hadn’t stepped up as a leader… I wonder if she would have the same level of faith that she has today. I wonder if she would have the wonderful support and encouragement that surrounds her now.   We don’t have to do it alone.

There are so many “Kellys” out there today that we can love through heartache, watch grow into amazing leaders and walk beside them through their darkest days.  I am grateful that the Lord brought Kelly into my life and so many others like her. Who will be the next leader in your cell group? Who are you discipling? Keep your eyes open to see what God has in store, not only for you but for someone else!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Não passe por isso sozinho

Por Michelle Geoffrey, pastora de células na www.celebrationchurch.org

Há sete anos, tive a honra e o privilégio de conhecer uma jovem chamada Kelly McGill em um evento de conexão de uma célula. Ela havia se mudado recentemente para Nova Orleans e queria se conectar à igreja. Ela conheceu o Senhor a maior parte de sua vida, mas recentemente se comprometeu com Ele e estava querendo encontrar uma comunidade cristã. Nas primeiras quatro semanas do Grupo Vida, ela ficou tão quieta e pude ver que ela estava observando para ver se éramos confiáveis o suficiente para se abrir. Kelly enfrentou um grande desgosto e uma dor que precisava ser curada.

Após o primeiro mês, ela começou a compartilhar sua história conosco pouco a pouco e Deus continuou o belo processo de cura que iniciou nela. Nos anos seguintes, Kelly tornou-se um membro regular da célula, líder de célula e, eventualmente, uma treinadora de outros líderes. Ela ministrou a muitas mulheres compartilhando sua história e sua vida.

Este ano, Kelly foi diagnosticada com câncer no estágio quatro. Ela sabia que isso não seria o fim de sua vida, mas uma maneira de Deus ser glorificado. Houve momentos de medo, incerteza e dúvida, mas Kelly permaneceu ligada a sua célula, conectada às irmãs em Cristo, e agora está passando pelo processo de ficar livre do câncer.

Toda vez que olho para Kelly, sou lembrado de que precisamos ser corajosos. Se ela não comparecesse ao Grupo Vida toda semana, se não tivesse se destacado como líder… eu me pergunto se ela teria o mesmo nível de fé que possui hoje. Gostaria de saber se ela teria o apoio e incentivo maravilhosos que a rodeiam agora. Não precisamos fazer isso sozinhos.

Existem tantas “Kellys” por aí hoje a quem podemos amar durante o sofrimento, assistir seu crescimento em líderes incríveis e caminhar ao lado deles nos seus dias mais sombrios. Sou grato pelo Senhor ter trazido Kelly à minha vida e a tantas outras pessoas como ela. Quem será o próximo líder na sua célula? Quem você está discipulando? Mantenha os olhos abertos para ver o que Deus tem reservado não só para você, mas para outra pessoa!

Spanish blog:

No lo hagas solo

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Hace siete años, tuve el honor y el privilegio de conocer a una joven llamada Kelly McGill en un evento de conexión de un grupo celular. Recientemente se mudó a Nueva Orleans y quería conectarse a la iglesia. Ella conoció al Señor la mayor parte de su vida, pero recientemente se había comprometido nuevamente con Él y estaba buscando encontrar una comunidad cristiana. Las primeras cuatro semanas en el grupo se quedó tan callada y pude ver que estaba observando para ver si éramos lo suficientemente confiables para abrirse a nosotros. Verás, Kelly se había enfrentado a una gran angustia y dolor que necesitaba curación.

Después del primer mes, ella comenzó a compartir su historia con nosotros poco a poco y Dios continuó ese hermoso proceso de curación que Él comenzó en ella. En los años siguientes, Kelly se convirtió en un miembro regular de la célula, líder celular y, finalmente, en una entrenadora de otros líderes. Ella ha ministrado a tantas mujeres compartiendo su historia y su vida.

Este año, Kelly fue diagnosticada con cáncer en etapa cuatro. Ella sabía que este no sería el final de su vida, sino una forma de glorificar a Dios. Hubo momentos de miedo, incertidumbre y duda, pero Kelly permaneció conectada a su grupo celular, conectada con sus hermanas en Cristo, y ahora está caminando a través del proceso de estar libre de cáncer.

Cada vez que miro a Kelly, recuerdo que debemos ser valientes. Si no hubiera asistido a la célula todas las semanas, si no hubiera dado un paso como líder … Me pregunto si tendría el mismo nivel de fe que tiene hoy. Me pregunto si ella tendría el maravilloso apoyo y aliento que la rodea ahora. No tenemos que hacerlo solos.

Hoy hay tantas y tantos “Kellys” que podemos amar a través de la angustia, ver crecer en líderes increíbles y caminar junto a ellos en sus días más oscuros. Estoy agradecido de que el Señor haya traído a Kelly a mi vida y a tantos otros como ella. ¿Quién será el próximo líder en tu grupo celular? ¿A quién estás discipulando? ¡Mantén tus ojos abiertos para ver lo que Dios tiene reservado, no solo para ti sino para otra persona!

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Conflict Brings Community

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

If someone would have told me that on my first official cell group board game night real conflict would arise, I would not have believed them… but, it did.  We were laughing and having fun and the game of pictionary got heated between two members of the group. It sounds silly, but it really did happen! Being a new leader, I did not handle it as well as I should have, and it escalated to the point of calling our section leader (or cell coach).  During the conflict, both parties wanted to never return to the group. The section leader helped speak truth into the situation and both parties returned with a greater love for each other and greater commitment to the group. We survived the storm!

Conflict and community sound like opposite sides, although they work together.  Think of the people closest to you, such as parents, spouse, best friend, and children.  Those relationships have weathered storms. Hopefully, when you came through the storm, you were closer and more assured in the relationship.  This works the same in cell groups.

All cell groups will weather storms.  Not all storms are a conflict between two people (sometimes it is).  Storms could be someone in the group having cancer or moving away. Some conflicts may be with a divorce or job loss that impacts the group.  The impact could be the rallying cry that brings the group members closer together.

Here are a few things that I do when going through storms or conflict in a group:

  • Don’t be surprised – conflict brings people to a place of community
  • Ask for help – if you are not sure what to do, reach out to your section leader/coach or pastor
  • Love – Remind the group that you are family and that you will stick together even through the hard stuff
  • Reach out – sometimes conflict occurs between members, because the group has become ingrown.  Plan a serve project that will remind everyone what cell group is about
  • PRAY!  PRAY!  PRAY! – ask the Lord how He wants to use this situation for the group’s good and His glory

Find helpful resources that can help you learn, such as, How To Lead a Great Cell Group Meeting by Joel Comiskey.  Great cell groups will go through the seasons and when you face these hard times, lean into Jesus.  He has experience with this! Whatever you do… DON’T QUIT!! You have been called and conflict is part of the equipping and growing process.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O conflito gera comunidade

Por Michelle Geoffrey, pastor de células em www.celebrationchurch.org

Se alguém me dissesse que na minha primeira noite oficial de jogos na célula, surgiriam conflitos reais, eu não teria acreditado neles… mas sim. Estávamos rindo e nos divertindo, e o jogo Imagem e Ação esquentou entre dois membros do grupo. Parece bobo, mas isso tornou-se sério. Sendo um novo líder, eu não lidei com isso da maneira que deveria e essa situação escalou a ponto de chamar nosso líder de setor (ou treinador celular). Durante o conflito, ambas as partes queriam sair e nunca mais retornar ao grupo. O líder de setor ajudou a falar a verdade sobre a situação e ambas as partes retornaram com um amor maior um pelo outro e um maior compromisso com o grupo. Nós sobrevivemos à tempestade!

Conflito e comunidade soam como coisas opostas, embora trabalhem juntos. Pense nas pessoas mais próximas a você, como pais, cônjuge, melhor amigo, filhos. Esses relacionamentos já sofreram tempestades. Felizmente, depois de passar pela tempestade, ficaram mais próximos e mais seguros no relacionamento. Isso funciona da mesma maneira nas células.

Todas as células enfrentarão tempestades. Nem todas as tempestades são um conflito entre duas pessoas (às vezes é). Tempestades podem ser alguém do grupo com câncer ou se afastando. Alguns conflitos podem ocorrer com um divórcio ou perda de emprego que afeta o grupo. Mas o impacto pode ser como um grito de guerra que aproxima os membros do grupo.

Aqui estão algumas coisas que eu faço ao passar por tempestades ou conflitos em um grupo:

  • Não se surpreenda: o conflito leva as pessoas a um local de comunidade;
  • Peça ajuda – se você não tiver certeza do que fazer, entre em contato com o líder/treinador ou pastor do setor;
  • Ame – Lembre ao grupo que vocês são uma família e que permanecerão unidos mesmo durante tempos difíceis;
  • Alcance – às vezes acontece um conflito entre os membros porque o grupo ficou focado em si mesmo. Planeje um projeto de evangelismo que lembrará a todos do que se trata a célula;
  • ORE! ORE! ORE!  – pergunte ao Senhor como Ele quer usar essa situação para o bem e para a glória do grupo.

Encontre recursos úteis que podem ajudá-lo a aprender, como Como liderar uma grande reunião de célula (em tradução livre) de Joel Comiskey. Grandes células passarão pelas estações do ano e, quando enfrentar esses momentos difíceis, incline-se para Jesus. Ele tem experiência com isso! Faça o que fizer… NÃO DESISTA!! Você foi chamado e o conflito faz parte do processo de equipar e crescer.

Spanish blog:

El conflicto trae comunidad

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Si alguien me hubiera dicho que en mi primera noche oficial de juegos de mesa del grupo celular surgiría un verdadero conflicto, no lo habría creído … pero, lo hizo. Nos reíamos y nos divertíamos y el juego de pictionary se calentó entre dos miembros del grupo. Suena tonto, sin embargo, se volvió serio. Siendo una nueva líder, no lo manejé tan bien como debería, y se intensificó hasta el punto de llamar a nuestro líder de sección (o supervisor de célula). Durante el conflicto, ambas partes querían nunca volver al grupo. El líder de la sector ayudó a decir la verdad sobre la situación y ambas partes regresaron con un mayor amor mutuo y un mayor compromiso con la célula. Sobrevivimos a la tormenta!

El conflicto y la comunidad suenan como lados opuestos, aunque trabajan juntos. Piense en las personas más cercanas a usted, como padres, cónyuge, mejor amigo, hijos. Esas relaciones han resistido tormentas. Con suerte, cuando atravesó la tormenta, estaba más cerca y más seguro en la relación. Esto funciona igual en los grupos celulares.

Todos los grupos celulares enfrentarán tormentas. No todas las tormentas son un conflicto entre dos personas (a veces lo es). Las tormentas pueden ser alguien en el grupo que tiene cáncer o se aleja. Algunos conflictos pueden ser con un divorcio o pérdida de trabajo que afecta al grupo. El impacto podría ser el grito de guerra que acerca a los miembros del grupo.

Aquí hay algunas cosas que hago cuando paso por tormentas o conflictos en un grupo:

▪️No se sorprenda: el conflicto lleva a las personas a un lugar comunitario. 

▪️Pida ayuda: si no está seguro de qué hacer, comuníquese con el líder / supervisor o pastor de su zona. 

▪️Amor: recuerde al grupo que son una familia y que se mantendrán unidos incluso a través de las cosas difíciles

▪️Alcance: a veces se produce un conflicto entre los miembros, porque el grupo se ha encarnado. Planifique un proyecto de servicio que les recuerde a todos de qué se trata el grupo celular

▪️¡ORAR! ¡ORAR! ¡ORAR! – pregunte al Señor cómo quiere usar esta situación para el bien del grupo y su gloria. 

Encuentre recursos útiles que pueden ayudarlo a aprender, por ejemplo, Cómo liderar una gran reunión de grupo celular de Joel Comiskey. Los grandes grupos celulares atravesarán por todas las estaciones y cuando enfrente estos tiempos difíciles, inclínese hacia Jesús. Él tiene experiencia con esto! Haga lo que haga … ¡NO SE RINDA! Ha sido llamado y el conflicto es parte del proceso de equipamiento y crecimiento.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

The Cell on Mission

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

There is a precious cell group of senior adult ladies that meet on Friday mornings in New Orleans, Louisiana. They pray, support and encourage each other like cell groups should do, but something was missing.  The leader, Elizabeth, reached out to a missionary, Mark, that attends church with her when he is in town. She invited him to come to the group and share with the ladies what he is doing around the world.  Mark told about how he is spreading the Gospel and ministering to those in need in Guatemala, Cuba, Gambia and more. Elizabeth and her group were inspired by what he reported and decided to “adopt” Mark as their group’s missionary.

They can be part of what Mark is doing by praying for him at the cell meeting, collecting money to support him and encouraging him through regular cards and emails.  This amazing group of ladies have decided that they want to continue to be a part of what God is doing in other nations, even if they can not be there physically What they did can be replicated in every cell group.

Here are a few suggestions:

  • Invite a visiting missionary to your cell meeting and ask them to share.  Also, ask how the group can encourage them.
  • Write note cards to the missionaries that your church supports. (This is a great way to involve the children.)
  • Pray for missionaries that you know at each meeting.
  • Ask the group to put a care package together of the missionaries favorite things to send to them for their birthday or holiday.
  • Support a missionary financially by sending money. (Even small amounts are a blessing.)
  • Email or message the missionary to let them know

I truly believe that when Elizabeth and the group get to Heaven that they are going to see people that they have never personally met, but that heard about Christ through the support and love that they showed to Mark.  Regardless of what type of cell group you lead, your group can make a difference and help spread the love of Christ.  

As leaders and leaders of leaders, we need to help inspire and challenge those we shepherd to rise up and care for those that are making disciples in all nations.  Any cell group can do this!  We can all be part of missions!  Everyone can accomplish the Great Commission!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do Google. O blog normal será publicado no site da JCG quando for recebido.

A célula em missão
 
Michelle Geoffrey, pastor de células em www.celebrationchurch.org
 
Há um precioso grupo de células de mulheres adultas que se encontram nas sextas-feiras de manhã em Nova Orleans, Louisiana. Eles oram, apóiam e encorajam um ao outro como grupos de células deveriam fazer, mas algo estava faltando. A líder, Elizabeth, estendeu a mão para um missionário, Mark, que frequenta a igreja com ela quando ele está na cidade. Ela o convidou para vir ao grupo e compartilhar com as mulheres o que ele está fazendo ao redor do mundo. Marcos contou como está divulgando o Evangelho e ministrando aos necessitados na Guatemala, Cuba, Gâmbia e muito mais. Elizabeth e seu grupo foram inspirados pelo que ele relatou e decidiram “adotar” Mark como missionário de seu grupo.
 
Eles podem fazer parte do que Mark está fazendo orando por ele na reunião da célula, coletando dinheiro para apoiá-lo e incentivando-o através de cartões e e-mails regulares. Esse incrível grupo de mulheres decidiu que querem continuar fazendo parte do que Deus está fazendo em outras nações, mesmo que não possam estar lá fisicamente. O que eles fizeram pode ser replicado em todos os grupos de células.
 
Aqui estão algumas sugestões:
 
• Convide um missionário visitante para sua reunião de célula e peça que compartilhem. Além disso, pergunte como o grupo pode incentivá-los.
• Escreva cartões de nota aos missionários que sua igreja apóia. (Essa é uma ótima maneira de envolver as crianças.)
• Ore pelos missionários que você conhece em cada reunião.
• Peça ao grupo que junte um pacote de cuidados com as coisas favoritas dos missionários para lhes enviar no aniversário ou no feriado.
• Apoiar um missionário financeiramente enviando dinheiro. (Mesmo pequenas quantidades são uma bênção.)
• Enviar por e-mail ou mensagem ao missionário para que eles saibam

Spanish blog:

La célula en misión

Michelle Geoffrey, pastor celular en www.celebrationchurch.org

Hay un grupo celular precioso de mujeres adultas mayores que se reúnen los viernes por la mañana en Nueva Orleans, Louisiana. Oran, se apoyan y animan unas a otras como deberían hacer los grupos celulares, pero faltaba algo. La líder, Elizabeth, contactó a un misionero, Mark, que asiste a la iglesia con ella cuando está en la ciudad. Ella lo invitó a venir al grupo y compartir con las damas lo que está haciendo en todo el mundo. Mark contó cómo está difundiendo el Evangelio y ministrando a los necesitados en Guatemala, Cuba, Gambia y más. Elizabeth y su grupo se inspiraron en lo que informó y decidieron “adoptar” a Mark como el misionero de su grupo.

Pueden ser parte de lo que Mark está haciendo al orar por él en la reunión celular, recolectando dinero para apoyarlo y alentándolo a través de tarjetas y correos electrónicos regularmente. Este increíble grupo de mujeres ha decidido que quieren seguir siendo parte de lo que Dios está haciendo en otras naciones, incluso si no pueden estar allí físicamente. Lo que hicieron puede replicarse en cada grupo celular.

Aqui hay algunas sugerencias:

• Invita a un misionero visitante a tu reunión celular y pídele que comparta. Además, pregunta cómo el grupo puede animarlos. 

• Escribe tarjetas a los misioneros que tu iglesia apoya. (Esta es una excelente manera de involucrar a los niños).

• Ora por los misioneros que conoce en cada reunión.

• Pídele al grupo que prepare un paquete de cuidado de las cosas favoritas de los misioneros para enviarles para su cumpleaños o en un día festivo.

• Apoya financieramente a un misionero enviando dinero. (Incluso pequeñas cantidades son una bendición).

• Envía un correo electrónico o un mensaje al misionero para informarles. 

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

A Great Gift

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

I remember when my cell leader told me that he would like me to lead a cell group.  I was a newly surrendered Christian that was trying to figure out what God had created me to be.  I was enjoying my new Christian community, but I didn’t know where I fit into the group. Everyone seemed to know what God had created them to do, except me.  I remember when my leader said, “I see you as a leader.” I had been leading in other areas of my life, but to use my gifts in church was a whole new world that I was thrilled to be able to use.  I was blown away that God would allow me, this ragged, sinful 20-something, to lead in His kingdom. 

I love what I Peter 4:10 says, “Each of you should use whatever gift you have received to serve others, as faithful stewards of God’s grace in its various forms.”  God has given us each something so wonderful and unique to each of us. Our gifts fit our personality and our experiences. Our gifts make others smile. Our gifts are there waiting to show off the glory of the Lord!

So often, we see people going through their lives as Christians and non-believers without understanding how God created them.  As church leaders and ministers, we have the opportunity and obligation to connect with others and help them discover how unique God created them. 

I believe that cell groups are a launching pad for the Kingdom of God.  If I had stayed out in the world and not become part of a cell group, I would not have the occasion to put those skills into practice.  If my cell leader would not have allowed me to step out into leadership, I might still be following those going down the wrong path. When we are working in our gifts, it spurs our heart to draw closer to God and not lose heart.  Sure, there will be tough times, but when we see it as a greater purpose then it makes it worth it.

As leaders, it is up to us to not only lead, but to challenge others to use their gifts, talents and abilities for God’s glory.  Who do you need to help find their great gift from God?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um Grande Dom

Por Michelle Geoffrey, pastora de células em www.celebrationchurch.org

Lembro-me de quando meu líder de célula me disse que gostaria que eu liderasse uma célula. Eu era uma cristã recém convertida que estava tentando descobrir o que Deus havia me criado para ser. Eu estava gostando da minha nova comunidade cristã, mas não sabia onde me encaixava no grupo. Todos pareciam saber o que Deus tinha para a vida deles, exceto eu. Lembro-me de quando meu líder disse: “Vejo você como uma líder”. Eu liderava em outras áreas da minha vida, mas usar meus dons na igreja era um mundo totalmente novo que me deixou animada em usá-los. Fiquei impressionada que Deus permitiria que eu, uma pecadora imperfeita de 20 e poucos anos, liderar em Seu reino.

Adoro o que diz em 1Pedro 4:10: “Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas”. Deus deu algo tão maravilhoso e único para cada um de nós. nos. Nossos dons se encaixam em nossa personalidade e em nossas experiências. Nossos dons fazem os outros sorrirem. Nossos dons estão esperando para mostrar a glória do Senhor!

Com frequência, vemos pessoas vivendo suas vidas como cristãs e não convertidos sem entender como Deus as criou. Como líderes e ministros da igreja, temos a oportunidade e a obrigação de nos conectar com os outros e ajudá-los a descobrir que Deus os criou de maneira única.

Eu acredito que as células são uma plataforma de lançamento para o Reino de Deus. Se eu tivesse ficado no mundo e não me tornasse parte de uma célula, não teria a oportunidade de colocar essas habilidades em prática. Se meu líder de célula não me permitisse assumir a liderança, eu ainda estaria seguindo aqueles que estavam no caminho errado. Quando estamos trabalhando em nossos dons, isso estimula nosso coração a se aproximar de Deus e a não desanimar. Claro, haverá tempos difíceis, mas quando os vemos como um objetivo maior, vale a pena.

Como líderes, cabe a nós não apenas liderar, mas desafiar os outros a usarem seus dons, talentos e habilidades para a glória de Deus. A quem você precisa ajudar a encontrar seu grande dom de Deus?

Spanish blog:

Un gran regalo

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Recuerdo cuando mi líder celular me dijo que le gustaría que yo liderara un grupo celular. Era una cristiana recién convertida que estaba tratando de descubrir lo que Dios me había creado para ser. Estaba disfrutando de mi nueva comunidad cristiana, pero no sabía dónde encajaba en el grupo. Todos parecían saber para qué los había creado Dios, excepto yo. Recuerdo cuando mi líder dijo: “Te veo como un líder”. Había estado liderando en otras áreas de mi vida, pero usar mis dones en la iglesia era algo completamente nuevo que estaba encantada de poder hacer. Me sorprendió que Dios le permitiera, a esta harapienta pecadora de 20 y algo de años, liderar en Su reino.

Me encanta lo que dice Pedro 4:10: “Cada uno de ustedes debe usar cualquier don que hayan recibido para servir a los demás, como fieles administradores de la gracia de Dios en sus diversas formas”. Dios nos ha dado a cada uno algo tan maravilloso y único. Nuestros dones se ajustan a nuestra personalidad y nuestras experiencias. Nuestros dones hacen sonreír a los demás. ¡Nuestros dones están allí esperando para mostrar la gloria del Señor!

Muy a menudo, vemos personas que pasan por sus vidas como cristianos y no creyentes sin entender cómo Dios los creó. Como líderes y ministros de la iglesia, tenemos la oportunidad y la obligación de conectarnos con otros y ayudarlos a descubrir cuán único Dios los creó.

Creo que los grupos celulares son una plataforma de lanzamiento para el Reino de Dios. Si me hubiera quedado fuera del mundo y no me hubiera convertido en parte de un grupo celular, no habría tenido la oportunidad de poner en práctica esas habilidades. Si mi líder celular no me hubiera permitido ascender al liderazgo, aún podría estar siguiendo a los que van por el camino equivocado. Cuando estamos trabajando en nuestros dones, estimula nuestro corazón a acercarnos a Dios y no desanimarnos. Claro, habrá momentos difíciles, pero cuando lo vemos como un propósito mayor, entonces hace que valga la pena.

Como líderes, depende de nosotros no solo liderar, sino desafiar a otros a usar sus dones, talentos y habilidades para la gloria de Dios. ¿A quién necesitas  ayudar a encontrar su gran don de Dios?