Long Lost Friend

By Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Over the years, I have had many friends move away. When they are leaving, we cry and hug. We discuss how we will stay in touch and remain the closest of friends. I will bet that you can guess what happens next… YES… we lose touch. I may like their picture on social media and even comment “Happy Birthday” each year, but once someone moves away it is difficult to truly stay connected.

I believe cell groups can be similar. When we are launching groups, we LOVE them. They are on our minds and we are strategizing how it is going to go. After a few months, years or even decades, we begin to take these small, living, spiritual organisms for granted. At Celebration Church, we refer to our groups as the life-blood of the church because our heart is to stay focused on them, alas even that does not always work.

The Cell Group Pastors and I have to be continuously nudged to discuss groups. Here are some of the ways that we do that:

  • Dedicate a person to focus on cell life – It is important to invite that person to pastoral staff meetings.
  • Ask staff members how their personal group is going
  • Invest in Section Leaders and Group Pastors – This may be ongoing leadership training, time, retreats, or other resources. They are your first line of support!
  • Put groups on your calendar – Set aside time each week to visit groups, talk to leaders, pray for growth, review rosters, and all of the other things that groups need to stay healthy.
  • Read the Joel Comiskey Blog – Hooray! You can check one thing off the list. The things we read or listen to will help us to stay focused.

Whether you are one of many group pastors or the only pastor or staff member at the church, find a few people that are passionate and see the value in small groups. They will help to remind you of the life-blood that is meeting weekly and truly being THE church. The more that we do this, the better the opportunity to gently walk alongside those that are under-shepherds of the ministry where God has called us.

I encourage you today to do a couple of things listed in the list and see what happens. I know I certainly don’t want to treat groups like a friend that once was so important to me, who now only gets a nod once a year. Treat your cells like the best friends they really are and love them accordingly.

Korean blog (click here)

Portuguese blog
Um Amigo Perdido Há Muito Tempo

por Michelle Geoffrey, Pastora de Células na igreja www.celebrationchurch.org

Ao longo dos anos muitos dos meus amigos se mudaram para longe de onde eu moro. Quando else estão indo embora, nos abraçamos e choramos juntos. Conversamos sobre como faríamos para nos manter em contato e continuar sendo os amigos mais chegados. Aposto que você sabe o que acontecia depois disso… SIM… nós perdíamos o contato. Eu até curto uma das suas fotos nas mídias sociais, mando um “parabéns” a cada ano, mas depois que alguém se muda, é difícil realmente permanecer conectado.

Eu creio que as células são assim também. Quando estamos iniciando os grupos, nos simplesmente os AMAMOS. As células ocupam nosso pensamento e ficamos imaginando como tudo vai acontecer. Depois de alguns meses, anos ou até mesmo décadas, começamos a esquecer o valor que estes pequenos organismos vivos e espirituais têm. Na Igreja Celebration, nos referimos às células como o sangue e vida da igreja, pois nosso coração está focado neles, infelizmente nem sempre funciona assim.

Os pastores de células e eu precisamos ser continuamente provocados para isso. Estas são algumas das maneiras de fazer isso:

  • Dedique uma determinada pessoa para focar sua atenção à vida das células – É importante que esta pessoa seja convidada para as reuniões da equipe pastoral.
  • Pergunte a cada um do grupo sobre como está a sua própria célula.
  • Invista em Líderes de Área e Pastores de Grupos – Isso pode ser feito no treinamento contímuo de liderança, retiros e outros recursos. Eles são a sua primeira linha de apoio e suporte!
  • Coloque as células na sua agenda – Separe algum tempo a cada semana para visitar células, conversar com os líderes, revisar rosters e todas as outras coisas que as células precisam para se manter saudável.
  • Acompanhe o Blog do Joel Comiskey – Uh huuuuuuu! Isso você já pode marcar como feito! Estas coisas que lemos e ouvimos nos ajudam a manter o foco.

Quer você seja um dos pastores de diversos grupos de pastores, ou seja o único pastor da sua igreja, encontre algumas pessoas que tenham a paixão e percebam o valor das células. Eles vão ajudá-lo a lembrar do sangue e vida que está se reunindo semanalmente e sendo A VERDADEIRA igreja.
Quanto mais fizermos isso, melhor será a oportunidade de gentilmente caminharmos lado a lado com os demais pastores do ministério para o qual Deus nos chamou.

Encorajo você a fazer hoje algumas das coisas listadas e verificar o que acontece. Eu sei que certamente não quero tratar as células como aquele amigo que certa vez foi muito importante para mim e que agora eu apenas cumprimento uma vez por ano. Trate suas células como seus melhores amigos pois é isso mesmo que elas são, e ame-as exatamente pelo que elas são.

Spanish blog
Amigo Perdido Hace Mucho Tiempo
por Michelle Geoffrey, Pastora Celular en www.celebrationchurch.org

A lo largo de los años, he tenido muchos amigos que se han ido. Cuando se van, lloramos y nos abrazamos. Hablamos de cómo nos mantendremos en contacto y seguiremos siendo los mejores amigos. Apuesto a que puedes adivinar lo que pasa después… SÍ… perdemos el contacto. Puede que me guste su foto en las redes sociales e incluso que comente “Feliz Cumpleaños” cada año, pero una vez que alguien se aleja es difícil seguir realmente conectado.

Creo que los grupos celulares pueden ser similares. Cuando estamos lanzando grupos, los AMAMOS. Las celulas están en nuestras mentes y estamos haciendo estrategias de cómo todo va a ocurrir. Después de unos meses, años o incluso décadas, empezamos a dar por sentado estos pequeños organismos espirituales vivos. En la Iglesia Celebración, nos referimos a nuestros grupos como la sangre de la vida de la iglesia, porque nuestro corazón esta enfocado en permanecer centrados en ellos, por desgracia, incluso eso no siempre funciona.

Los Pastores de Grupos Celulares y yo tenemos que ser continuamente empujados a hablar de los grupos. Estas son algunas de las maneras en que lo hacemos:

  • Dedicar a una persona para que se enfoque en la vida celular – Es importante invitar a esa persona a las reuniones del personal pastoral.
  • Preguntar a los miembros del personal cómo va su grupo personal
  • Invertir en los Líderes de Sección y Pastores de Grupo – Esto puede ser entrenamiento continuo de liderazgo, tiempo, retiros u otros recursos. Ellos son su primera línea de apoyo.
  • Ponga a los grupos en su calendario – Aparte tiempo cada semana para visitar a los grupos, hablar con los líderes, orar por el crecimiento, revisar las listas, y todas las otras cosas que los grupos necesitan para mantenerse saludables.
  • Lee el blog de Joel Comiskey – ¡Hurra! Puedes tachar una cosa de la lista. Las cosas que leemos o escuchamos nos ayudarán a mantenernos concentrados.

Si usted es uno de muchos pastores de grupos o el único pastor o miembro del personal en la iglesia, encuentre algunas personas que son apasionadas y ven el valor en los grupos pequeños. Ellos le ayudarán a recordar la sangre vital que significa reunirse semanalmente y ser realmente LA iglesia. Cuanto más hagamos esto, mejor será la oportunidad de caminar suavemente al lado de aquellos que son sub-pastores del ministerio donde Dios nos ha llamado.

Te animo hoy a hacer un par de cosas de la lista y ver qué pasa. Sé que ciertamente no quiero tratar a los grupos como a un amigo que una vez fue tan importante para mí, y que ahora sólo recibe una inclinación de cabeza una vez al año. Trata a tus células como los mejores amigos que realmente son y quiérelos como corresponde.

The Lord’s Supper in Cell

By Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.orgB

What are some of your most memorable moments in your cell group? Have you done foot washing like when Jesus washed the disciple’s feet? Is your group regularly worshiping the Lord with song? Are you praying together for the Lord to heal the sick? Are any of these times together something that sticks firmly as a moment when you felt God present? Years ago, my group and I decided that we wanted to have an intimate time together of worship and communion. It was amazing!  

The cell meeting began with each group member reading a verse praising God for His goodness. We sought forgiveness and reconciliation from Jesus as each person grieved the sin in our lives and found great freedom from guilt and shame. Following this, we continued in solemn reverence to partake in communion together.  

For the Bible discussion, the group read and discussed Scriptures, such as 1 Corinthians 11:26, “For whenever you eat this bread and drink this cup, you proclaim the Lord’s death until He comes” and Isaiah 53:7 “He was oppressed and afflicted, yet He did not open His mouth; He was led like a lamb to the slaughter, and as a sheep before its shearers is silent, so He did not open His mouth” to dig deeper into what communion means to us as 21st-century believers.

Every person took their bread and juice as I read from Matthew 26:27-28 that says, “Then He took a cup, and when He had given thanks, He gave it to them, saying, ‘Drink from it, all of you. This is My blood of the covenant, which is poured out for many for the forgiveness of sins.'”  

In the church setting, communion may feel more ritualistic, yet in the small group, there is a special intimacy that allows each Christian to have a deeper love for this life-giving practice. Jesus did this at the Last Supper with His twelve closest friends. I am sure it was a very momentous occasion.

I encourage you to take your cell group through a beautiful time of joy and understanding by partaking in the Lord’s Supper as a small community group. There is no time like the present to create a memorable experience for each person who attends. Your church could do this quarterly or yearly to remind the group what Christ has done for us on the cross.  

Here is a guide for Bible Study that may help your group study the Lord’s Supper: https://celebrationchurch.org/wp-content/uploads/2023/03/Celebrating-The-Lords-Supper-in-the-Cell-Group.pdf

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Ceia do Senhor na Célula
por Michelle Geoffrey, pastora de célula em www.celebrationchurch.org

Quais são alguns de seus momentos mais memoráveis em sua célula? Você já lavou os pés como quando Jesus lavou os pés do discípulo? O seu grupo adora regularmente ao Senhor com canções? Vocês estão orando juntos para que o Senhor cure os enfermos? Algum desses momentos juntos é algo que permanece firme como um momento em que você sentiu Deus presente? Anos atrás, meu grupo e eu decidimos que queríamos ter um momento íntimo de adoração e comunhão. Foi fantástico!

A reunião da célula começou com cada membro do grupo lendo um versículo louvando a Deus por Sua bondade. Buscamos o perdão e a reconciliação de Jesus à medida que cada pessoa sofria o pecado em nossas vidas e encontrava grande liberdade da culpa e da vergonha. Depois disso, continuamos com solene reverência a participar juntos da comunhão.

Para a discussão bíblica, o grupo leu e discutiu Escrituras, como 1 Coríntios 11:26: “Porque sempre que comerdes este pão e beberdes este cálice, proclamais a morte do Senhor até que Ele venha” e Isaías 53:7 “Ele foi oprimido e angustiado, mas Ele não abriu a boca; Ele foi levado como um cordeiro ao matadouro, e como uma ovelha diante de seus tosquiadores fica em silêncio, Ele também não abriu a boca” para aprofundar o que a comunhão significa para nós, como crentes do século XXI.

Cada pessoa pegou seu pão e suco conforme li em Mateus 26:27-28 que diz: “Então ele tomou um copo e, tendo dado graças, deu-lho, dizendo: ‘Bebam dele, todos vocês’. Este é o Meu sangue da aliança, que é derramado por muitos para o perdão dos pecados.'”

No ambiente da igreja, a comunhão pode parecer mais ritualística, mas no pequeno grupo existe uma intimidade especial que permite a cada cristão ter um amor mais profundo por esta prática que dá vida. Jesus fez isso na Última Ceia com Seus doze amigos mais próximos. Tenho certeza de que foi uma ocasião muito importante.

Eu encorajo você a conduzir sua célula através de um lindo momento de alegria e compreensão, participando da Ceia do Senhor como um pequeno grupo comunitário. Não há melhor momento como o presente para criar uma experiência memorável para cada pessoa que participa. A sua igreja poderia fazer isso trimestralmente ou anualmente para lembrar ao grupo o que Cristo fez por nós na cruz.

Aqui está um guia para estudo bíblico que pode ajudar seu grupo a estudar a Ceia do Senhor: https://celebrationchurch.org/wp-content/uploads/2023/03/Celebrating-The-Lords-Supper-in-the-Cell-Group.pdf

Spanish blog:

La Cena del Señor en la Célula
Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

¿Cuáles son algunos de tus momentos más memorables en tu grupo celular? ¿Has hecho el lavatorio de pies como cuando Jesús lavó los pies de los discípulos? ¿Tu grupo adora regularmente al Señor con canciones? ¿Oran juntos para que el Señor sane a los enfermos? ¿Alguno de estos momentos juntos es algo que se te queda grabado como un momento en el que sentiste a Dios presente? Hace años, mi grupo y yo decidimos que queríamos tener un tiempo íntimo juntos de adoración y Cena del Señor. Fue increíble.  

La reunión celular comenzó con cada miembro del grupo leyendo un versículo en el que alababa a Dios por su bondad. Buscamos el perdón y la reconciliación de Jesús mientras cada persona se afligía por el pecado en nuestras vidas y encontrábamos una gran libertad de la culpa y la vergüenza. A continuación, en solemne reverencia, participamos juntos en la Cena del Señor.  

Para la discusión bíblica, el grupo leyó y discutió las Escrituras, como en 1 Corintios 11:26, «Porque cada vez que coméis este pan y bebéis esta copa, anunciáis la muerte del Señor hasta que Él venga» e Isaías 53:7 «Fue oprimido y afligido, pero no abrió la boca; fue llevado como un cordero al matadero, y como una oveja delante de sus trasquiladores está en silencio, así Él no abrió la boca» para profundizar en lo que significa la Cena del Señor para nosotros como creyentes del siglo XXI.

Cada persona tomó su pan y su jugo, como leí en Mateo 26:27-28 que dice: «Luego tomó una copa, y habiendo dado gracias, se la dio, diciendo: Bebed de ella todos. Esto es mi sangre de la alianza, que se derrama por muchos para el perdón de los pecados’».  

En el entorno de la iglesia, la comunión puede parecer más ritual, sin embargo, en el pequeño grupo, hay una intimidad especial que permite a cada cristiano tener un amor más profundo por esta práctica vivificante. Jesús hizo esto en la Última Cena con sus doce amigos más cercanos y estoy segura de que fue una ocasión memorable.

Te animo a que lleves a tu grupo celular a través de un hermoso tiempo de alegría y comprensión participando en la Cena del Señor como un pequeño grupo comunitario. No hay tiempo como el presente para crear una experiencia memorable para cada persona que asista. Su iglesia podría hacer esto trimestral o anualmente para recordar al grupo lo que Cristo ha hecho por nosotros en la cruz.  

Aquí tienes una guía para el estudio de la Biblia que puede ayudar a tu grupo a estudiar la Cena del Señor: https://celebrationchurch.org/wp-content/uploads/2023/03/Celebrating-The-Lords-Supper-in-the-Cell-Group.pdf

Ojo: *PLAN CRECER GRATUITO PARA IGLESIAS POR 30 DIAS* (Ministerio Crecer)

*Oportunidad UNICA* del 1 al 30 de mayo.                

*Una herramienta* pastoral, ministerial y misional.
*Cierre de inscripcion* 30 de Abril

REGISTRATE AQUI 👉 https://ir.plancrecer.org/plan30G

Going from Autopilot to a Proactive Disciple-making Ministry

By Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Imagine if you started a business. You dreamt of having your establishment for years, made plans, had them approved and vetted, and finally opened the front doors. But wait, you had not advertised the business, and when people visited, the staff was mean-spirited with them. Worst yet, customers are only allowed to look at products. They can’t purchase them. It’s time to wake up from this nightmare.

But is this a bad dream, or is it what we do in our small groups? We are so excited about launching our groups, but then we flop at making disciples. We don’t teach our members to invite others and bring them to Life Group. We fail at building Christ-like communities through relationships. And worst of all, we don’t follow up when people stop coming. Yikes!! 

I know I am being a little dramatic, but often, we cruise on autopilot with our small groups and forget what the purpose of the group is to make disciples that make disciples. We can do that by living life with them. We need to expect more of our members and more from ourselves. How can we do this?

  • We need to be the examples of a Christ-like, authentic community that builds others up.
  • We have to share the gospel with those we meet and invite people regularly to the group.
  • We need to show up and check on those when they don’t come.

Having other members help with this regularly is also a great thing. As we grow our members into committed followers of Jesus, it will be just like that new business launching, but even better! This work will last not just while we are here on earth but also for eternity. As leaders and pastors, we can get excited to see those we disciple filled with the wonder of serving the true and living God. Begin praying this week for the Lord to stir your affection for Him and your small group. Ask the Lord how you can better focus on making disciples that make disciples!! He has a great plan that has undoubtedly been vetted.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Saindo do piloto automático para o modo proativo no ministério de fazer discípulos

Michelle Geoffrey, Pastora de Células na igreja www.celebrationchurch.org

Imagine que você acabou de iniciar um negócio. Por anos você sonhou em ter seu próprio negócio. Você fez planos e buscou que cada um deles fosse aprovado e autorizado e finalmente abriu as portas da sua empresa. Mas espere um pouco! Você não tinha feito nenhuma divulgação do seu negócio e quando as pessoas vieram os empregados não foram gentis com elas. Para piorar as coisas, os clientes só podiam olhar os produtos, mas não podiam comprá-los. Está na hora de acordar deste pesadelo.

Mas será que é apenas um pesadelo ou é o que fazemos em nossas células? Nós ficamos animados ao iniciar as células, mas fracassamos em fazer novos discípulos. Não ensinamos nossos membros a convidarem outras pessoas e trazê-las até a célula. Fracassamos em construir comunidades que se pareçam de verdade com Cristo através dos seus relacionamentos. E o pior de tudo é que não procuramos as pessoas quando elas se afastam de nós. Eca!

Eu sei que estou sendo um pouco dramática, mas frequentemente voamos no piloto automático com nossas células e esquecemos que o propósito para a existência destes grupos é fazer discípulos que fazem discípulos. Para isso, precisamos viver com eles. Devemos esperar mais dos membros da célula e mais de nós mesmos. Como podemos fazer isso?

  • Precisamos ser bons exemplos de comunidades autênticas, que se parecem com Cristo e que promovem o crescimento das pessoas.
  • Precisamos compartilhar o Evangelho com as pessoas que encontramos e convidar pessoas com regularidade para a célula.
  • Precisamos estar presentes e procurar as pessoas quando elas não vierem.

Também é muito bom que outros membros nos ajudem com tudo isso. À medida que os membros da célula se tornem seguidores comprometidos de Jesus, será exatamente quando um novo negócio está começando, só que muito melhor! Este trabalho vai permanecer não apenas aqui na terra, mas também pela eternidade. Nós líderes e pastores ficamos animados ao vermos as pessoas que discipulamos serem cheias de alegria por servir o Deus vivo e verdadeiro. Comecem orando esta semana pedindo ao Senhor que aumente o amor de vocês por Ele e pela célula que você lidera. Pergunte ao Senhor sobre como você pode melhorar seu foco em fazer discípulos que fazem discípulos! Ele tem um plano maravilhoso, que com certeza já está aprovado.

Spanish blog:

Pasando del Piloto Automático a un Ministerio Proactivo de Hacer Discípulos
Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Imagínese que usted comenzó un negocio. Usted soñó durante años con tener su establecimiento, hizo planes, los hizo aprobar y examinar, y finalmente abrió las puertas delanteras. Pero haz una pausa, no habías publicitado el negocio, y cuando la gente lo visitaba, el personal era mezquino con ellos. Peor aún, a los clientes sólo se les permite mirar los productos, no pueden comprarlos. Es hora de despertar de esta pesadilla.

Pero, ¿se trata de un mal sueño, o es lo que hacemos en nuestros grupos pequeños? Estamos tan entusiasmados con el lanzamiento de nuestros grupos, pero luego fracasamos en hacer discípulos. No enseñamos a nuestros miembros a invitar a otros y traerlos al Grupo de Vida. Fallamos en construir comunidades como Cristo a través de las relaciones. Y lo peor de todo, no hacemos seguimiento cuando la gente deja de venir. ¡¡¡Que mal!!!  

Sé que estoy siendo un poco dramática, pero a menudo, navegamos en piloto automático con nuestros grupos pequeños y olvidamos que el propósito del grupo es hacer discípulos que hagan discípulos. Podemos hacer eso compartiendo la vida con ellos. Necesitamos esperar más de nuestros miembros y más de nosotros mismos. ¿Cómo podemos hacerlo?

  • Tenemos que ser los ejemplos de una comunidad auténtica y semejante a Cristo que edifica a los demás
  • Tenemos que compartir el evangelio con aquellos con los que nos reunimos e invitar a la gente regularmente al grupo
  • Tenemos que estar cerca y buscar a los que no vienen

Tener otros miembros que ayuden con esto regularmente es también una gran cosa. A medida que hacemos crecer a nuestros miembros en seguidores comprometidos de Jesús, será como el lanzamiento de un nuevo negocio, ¡pero aún mejor! Este trabajo durara no solo mientras estemos aqui en la tierra sino tambien por la eternidad. Como líderes y pastores, podemos emocionarnos al ver a quienes discipulamos llenos de la maravilla de servir al Dios vivo y verdadero. Comience a orar esta semana para que el Señor despierte su afecto por Él y por su grupo pequeño. Pregúntale al Señor cómo puedes enfocarte mejor en hacer discípulos que hagan discípulos. El tiene un gran plan que sin duda ha sido investigado.

Let’s Get Back to Real Life (Español Abajo)

By Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

I am from New Orleans, Louisiana.  We are known for our hospitality in the southern part of the United States.  We greet strangers in the grocery store, make friends on the street, and welcome people into our homes. All this was true until March of 2020.  Things changed, and fear overcame us.  Suddenly, people we knew, even family members, were viewed as dangerous, and anyone could be a carrier of COVID-19. The pandemic changed our outlook and isolated us in ways we could never have imagined. 

Almost four years later, we returned to meeting in the church, going into the office, and sitting across the table from a friend, but somehow, we stopped opening our front doors and inviting in the lost, hurting, and broken.  We don’t feel as safe hugging those we know when we see them.  We lost confidence in the health we take so often for granted.

So, where do we go from here?  What do we want to teach our children and new believers to be hospitable?  How can we reverse this mentality to escape the fear and into true fellowship? 

As leaders, we have to be an example.  We have to invite our group into our homes, meet up at coffee shops, and live life alongside each other.  I think of what it says in Hebrews 10:24–25, “And let us consider how to stir up one another to love and good works, not neglecting to meet together, as is the habit of some, but encouraging one another, and all the more as you see the Day drawing near.”  I am unsure what caused people not to want to meet together then, but this Word still rings true for us today.

We cannot neglect meeting together.  The generations after us are learning that they can have community through gaming devices and video calls, but that is missing critical components of relationships.  No virtual contact can measure up to being with a person IRL (in real life)!   Let’s be leaders of change and bring back the simple things such as dinner around the table with our cell group or visiting group members’ homes. 

If we don’t bring back actual human contact, who will?  The world offers isolation in very appealing ways, but we can draw people through the love of Christ, transparency, and authenticity that are so alluring that they make the world’s way of doing things look foolish.  Join me by intentionally inviting someone to our home with whom we can share Jesus’s love!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Voltemos à vida real

Michelle Geoffrey, Pastora de Células na Igreja www.celebrationchurch.org

Eu nasci em Nova Orleans, no estado de Louisiana. A região Sul dos Estados Unidos é conhecida por sua hospitalidade. Nós cumprimentamos estranhos no mercado, fazemos amigos na rua e convidamos as pessoas para irem às nossas casas. Tudo isso era verdade até março de 2020. As coisas mudaram e o medo veio sobre nós. De uma hora para outra, conhecidos e até mesmo familiares passaram a ser vistos como perigosos e qualquer um poderia ser um portador da COVID-19. A pandemia nos mudou e isolou como jamais poderíamos ter imaginado. 

Quase quatro anos mais tarde, retornamos às nossas reuniões na igreja, voltamos aos escritórios e novamente nos sentamos à mesa com os amigos. Mas por algum motivo, paramos de abrir nossas portas e não mais convidamos os perdidos, os que sofrem e os abatidos a entrar. Não nos sentimos mais tão seguros para abraçar os conhecidos quando os encontramos. Perdemos a confiança na saúde que tantas vezes nem consideramos como preciosa.

O que mais está por vir? Como poderemos ensinar as crianças e os novos crentes a serem hospitaleiros? Como poderemos reverter esta mentalidade e escapar do medo e voltar à comunhão verdadeira?  

Nós líderes, precisamos ser o exemplo. Precisamos convidar nossas células às nossas casas, precisamos nos encontrar em cafeterias e viver lado a lado uns com os outros. Penso sobre o que lemos em Hebreus 10:24-25: “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” Não sei bem o que levou as pessoas a deixar de se congregarem naquele tempo, mas esta Palavra ainda é verdade para nós hoje.

Não podemos negligenciar o nosso congregar. As gerações que virão após nós estão aprendendo que podem ter comunhão através de consoles de jogos eletrônicos e vídeo chamadas, mas estão perdendo alguns elementos chave dos relacionamentos. Nenhum tipo de contato virtual pode ser comparado ao encontro com alguém na vida real! Sejamos nós os líderes desta mudança e vamos trazer de volta as coisas simples como um jantar ao redor de uma mesa com a nossa célula ou nas visitas aos membros da célula.

Se nós não trouxermos de volta o contato humano, quem fará isso? O mundo oferece o isolamento de uma maneira apelativa. Nós podemos trazer as pessoas através do Amor de Cristo de uma maneira tão autêntica e transparente que será tão convidativa ao ponto de que a maneira do mundo de fazer as mesmas coisas vai parecer uma tolice. Junte-se a mim e intencionalmente vamos convidar pessoas às nossas casas para que possamos compartilhar o Amor de Jesus com elas!

Spanish blog:

Volvamos a la vida real

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Soy de Nueva Orleans, Luisiana. En el sur de Estados Unidos somos conocidos por nuestra hospitalidad. Saludamos a extraños en la tienda de comestibles, hacemos amigos en la calle y recibimos a la gente en nuestras casas. Todo esto fue cierto hasta marzo de 2020. Las cosas cambiaron y el miedo se apoderó de nosotros. De repente, las personas que conocíamos, incluso miembros de nuestra familia, eran vistas como peligrosas, y cualquiera podía ser portador del COVID-19. La pandemia cambió nuestra perspectiva y nos aisló de un modo que nunca hubiéramos imaginado.

Casi cuatro años después, volvimos a reunirnos en la iglesia, a ir a la oficina y a sentarnos frente a la mesa de un amigo, pero, de alguna manera, dejamos de abrir nuestras puertas e invitar a los perdidos, dolidos y quebrantados. No nos sentimos tan seguros abrazando a los que conocemos cuando los vemos. Perdimos la confianza en la salud que tan a menudo damos por sentada.

Entonces, ¿hacia dónde vamos? ¿Qué queremos enseñar a nuestros hijos y a los nuevos creyentes para que sean hospitalarios? ¿Cómo podemos invertir esta mentalidad para escapar del miedo y entrar en una verdadera comunión?

Como líderes, tenemos que ser un ejemplo. Tenemos que invitar a nuestro grupo a nuestras casas, reunirnos en cafeterías y vivir la vida unos junto a otros. Pienso en lo que dice Hebreos 10:24-25: “Y considerémonos unos a otros para estimularnos al amor y a las buenas obras, no dejando de reunirnos, como algunos tienen por costumbre, sino animándonos unos a otros, y tanto más cuanto veis que aquel día se acerca.” No estoy seguro de por qué la gente no quería reunirse entonces, pero esta Palabra sigue siendo válida para nosotros hoy.

No podemos dejar de reunirnos. Las generaciones que nos siguen están aprendiendo que pueden tener comunidad a través de dispositivos de juego y videollamadas, pero eso es perder componentes críticos de las relaciones. Ningún contacto virtual puede compararse con estar con una persona IRL (en la vida real). Seamos líderes del cambio y recuperemos las cosas sencillas como cenar alrededor de la mesa con nuestro grupo celular o visitar las casas de los miembros del grupo.

Si no recuperamos el contacto humano real, ¿quién lo hará? El mundo ofrece aislamiento en formas muy atractivas, pero podemos atraer a la gente a través del amor de Cristo, la transparencia y la autenticidad que son tan atractivas que hacen que la forma del mundo de hacer las cosas parezca tonta. Únete a mí invitando intencionadamente a alguien a nuestra casa con quien podamos compartir el amor de Jesús

Useless Brace

By Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

On December 12th, I had elbow surgery.  It was painful and challenging, but I went through with it because I knew the outcome would eventually be a better quality of life.  At the end of the surgery, the doctor put a brace on my arm and instructed me to wear it until I saw him again. 

After my follow-up, he said I only had to wear it in public. I am NOT the best patient.  Last Thursday, I picked up the brace, carried it to the car, and brought it to my office.  I worked all day, then carried the brace to the car that evening.  I had a few errands, yet the brace sat in my passenger seat.  That evening, my elbow was not working well.  It was sore and swollen, and moving it was pretty painful.  I thought, “How am I going to get the benefit of this surgery if I don’t wear the brace?”

You may be thinking, “What does this lady’s brace have to do with cell groups?”  Well, here it is… we can do the work of going to church and studying the Bible, and we can pray and do the things we think “Christians” are supposed to do, but are we going to have a high-quality Christ-like walk if we leave the cell group sitting in the passenger seat?

Cell groups are the laboratories to explore who we were created to be.  We can discover and innovate with the guardrails of a community of believers.  Just like the brace for my arm, it protects us from doing things we may not be ready to do.  We can work our spiritual muscles in a group and receive exhortation, wisdom, and encouragement to sharpen us.  

I won’t always have to wear this brace in public, but it shows me how to be obedient and not just do the challenging work.  At first, cells may seem hard, but eventually, they become this beautiful place where disciples are formed, and people find true freedom in Christ.  Isn’t that the point of all of this?

This year, let’s dig our heels in and decide that we will do the hard work.  In 2024, let’s stop carrying the annoying brace around with us and put it to use as intended.  It will build the body of Christ with strong men, women, and children to reach out to the next generation! 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Tipoia Inútil
por Michelle Geoffrey, pastora de célula em  www.celebrationchurch.org

No dia 12 de dezembro, fiz uma cirurgia no cotovelo. Foi doloroso e desafiador, mas continuei porque sabia que o resultado seria uma melhor qualidade de vida. No final da cirurgia, o médico colocou uma tipoia no meu braço e me orientou a usá-la até vê-lo novamente.

Após meu acompanhamento, ele disse que eu só precisava usá-la em público. Eu NÃO sou a melhor paciente. Na quinta-feira passada, peguei a tipoia, levei-a para o carro e levei-a para o meu escritório. Trabalhei o dia todo e naquela noite levei a tipoia para o carro. Eu tinha algumas tarefas, mas a tipoia estava no banco do passageiro. Naquela noite, meu cotovelo não estava funcionando bem. Estava dolorido e inchado, e movê-lo era muito doloroso. Pensei: “Como vou obter os benefícios desta cirurgia se não usar a tipoia ortopédica?”

Você pode estar pensando: “O que  a tipoia ortopédica desta senhora tem a ver com as células?” Bem, aqui está… podemos fazer o trabalho de ir à igreja e estudar a Bíblia, e podemos orar e fazer as coisas que achamos que os “cristãos” deveriam fazer, mas será que teremos uma comunidade cristã de alta qualidade? Como caminhar se deixarmos a celula sentada no banco do passageiro?

As células são os laboratórios para explorar quem fomos criados para ser. Podemos descobrir e inovar com as grades de proteção de uma comunidade de crentes. Assim como a tipoia para meu braço, ela nos protege de fazer coisas que talvez não estejamos preparados para fazer. Podemos exercitar nossos músculos espirituais em grupo e receber exortação, sabedoria e encorajamento para nos aguçar.

Nem sempre terei que usar essa tipoia em público, mas ela me mostra como ser obediente e não apenas fazer o trabalho desafiador. A princípio, as células podem parecer difíceis, mas eventualmente elas se tornam este lindo lugar onde os discípulos são formados e as pessoas encontram a verdadeira liberdade em Cristo. Não é esse o objetivo de tudo isso?

Este ano, vamos nos esforçar e decidir que faremos o trabalho duro. Em 2024, vamos parar de carregar a tipoia chata conosco e colocá-la em uso conforme pretendido. Construirá o corpo de Cristo com homens, mulheres e crianças fortes para alcançar a próxima geração!

Spanish blog:

Una Férula inútil
Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

El 12 de diciembre me operaron del codo.  Fue dolorosa y difícil, pero seguí adelante porque sabía que el resultado sería una mejor calidad de vida.  Al final de la cirugía, el médico me puso un aparato ortopédico en el brazo y me ordenó que lo usara hasta que lo volviera a ver. 

Después del seguimiento, me dijo que sólo tenía que llevarlo en público. No soy la mejor paciente.  El jueves pasado cogí la férula, la llevé al coche y la traje a la consulta.  Trabajé todo el día y por la tarde llevé la férula al coche.  Tenía que hacer unos recados, pero la ortesis estaba en el asiento del copiloto.  Esa tarde, el codo no funcionaba bien.  Estaba dolorido e hinchado, y moverlo me dolía bastante.  Pensé: “¿Cómo voy a sacar provecho de esta operación si no llevo la ortesis?”.

Estarás pensando: “¿Qué tiene que ver la férula de esta señora con los grupos celulares?”.  Bueno, aquí está… podemos hacer el trabajo de ir a la iglesia y estudiar la Biblia, y podemos orar y hacer las cosas que pensamos que los “cristianos” se supone que deben hacer, pero ¿vamos a tener un caminar como Cristo de alta calidad si dejamos el grupo celular sentado en el asiento del pasajero?

Los grupos celulares son los laboratorios para explorar quiénes fuimos creados para ser.  Podemos descubrir e innovar con la protección de una comunidad de creyentes.  Al igual que el aparato ortopédico para mi brazo, nos protege de hacer cosas que tal vez no estemos preparados para hacer.  Podemos trabajar nuestros músculos espirituales en grupo y recibir exhortación, sabiduría y ánimo para afilarnos.  

No siempre tendré que llevar esta férula en público, pero me enseña a ser obediente y a no limitarme a hacer el trabajo difícil.  Al principio, las células pueden parecer duras, pero con el tiempo, se convierten en este hermoso lugar donde se forman discípulos, y la gente encuentra la verdadera libertad en Cristo.  ¿No es ese el objetivo de todo esto?

Este año, pongámonos manos a la obra y decidamos que vamos a hacer el trabajo duro.  En 2024, dejemos de llevar con nosotros el molesto aparato ortopédico y pongámoslo en práctica como es debido.  ¡Construirá el cuerpo de Cristo con hombres, mujeres y niños fuertes para alcanzar a la próxima generación!