A Great Gift

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

I remember when my cell leader told me that he would like me to lead a cell group.  I was a newly surrendered Christian that was trying to figure out what God had created me to be.  I was enjoying my new Christian community, but I didn’t know where I fit into the group. Everyone seemed to know what God had created them to do, except me.  I remember when my leader said, “I see you as a leader.” I had been leading in other areas of my life, but to use my gifts in church was a whole new world that I was thrilled to be able to use.  I was blown away that God would allow me, this ragged, sinful 20-something, to lead in His kingdom. 

I love what I Peter 4:10 says, “Each of you should use whatever gift you have received to serve others, as faithful stewards of God’s grace in its various forms.”  God has given us each something so wonderful and unique to each of us. Our gifts fit our personality and our experiences. Our gifts make others smile. Our gifts are there waiting to show off the glory of the Lord!

So often, we see people going through their lives as Christians and non-believers without understanding how God created them.  As church leaders and ministers, we have the opportunity and obligation to connect with others and help them discover how unique God created them. 

I believe that cell groups are a launching pad for the Kingdom of God.  If I had stayed out in the world and not become part of a cell group, I would not have the occasion to put those skills into practice.  If my cell leader would not have allowed me to step out into leadership, I might still be following those going down the wrong path. When we are working in our gifts, it spurs our heart to draw closer to God and not lose heart.  Sure, there will be tough times, but when we see it as a greater purpose then it makes it worth it.

As leaders, it is up to us to not only lead, but to challenge others to use their gifts, talents and abilities for God’s glory.  Who do you need to help find their great gift from God?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um Grande Dom

Por Michelle Geoffrey, pastora de células em www.celebrationchurch.org

Lembro-me de quando meu líder de célula me disse que gostaria que eu liderasse uma célula. Eu era uma cristã recém convertida que estava tentando descobrir o que Deus havia me criado para ser. Eu estava gostando da minha nova comunidade cristã, mas não sabia onde me encaixava no grupo. Todos pareciam saber o que Deus tinha para a vida deles, exceto eu. Lembro-me de quando meu líder disse: “Vejo você como uma líder”. Eu liderava em outras áreas da minha vida, mas usar meus dons na igreja era um mundo totalmente novo que me deixou animada em usá-los. Fiquei impressionada que Deus permitiria que eu, uma pecadora imperfeita de 20 e poucos anos, liderar em Seu reino.

Adoro o que diz em 1Pedro 4:10: “Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas”. Deus deu algo tão maravilhoso e único para cada um de nós. nos. Nossos dons se encaixam em nossa personalidade e em nossas experiências. Nossos dons fazem os outros sorrirem. Nossos dons estão esperando para mostrar a glória do Senhor!

Com frequência, vemos pessoas vivendo suas vidas como cristãs e não convertidos sem entender como Deus as criou. Como líderes e ministros da igreja, temos a oportunidade e a obrigação de nos conectar com os outros e ajudá-los a descobrir que Deus os criou de maneira única.

Eu acredito que as células são uma plataforma de lançamento para o Reino de Deus. Se eu tivesse ficado no mundo e não me tornasse parte de uma célula, não teria a oportunidade de colocar essas habilidades em prática. Se meu líder de célula não me permitisse assumir a liderança, eu ainda estaria seguindo aqueles que estavam no caminho errado. Quando estamos trabalhando em nossos dons, isso estimula nosso coração a se aproximar de Deus e a não desanimar. Claro, haverá tempos difíceis, mas quando os vemos como um objetivo maior, vale a pena.

Como líderes, cabe a nós não apenas liderar, mas desafiar os outros a usarem seus dons, talentos e habilidades para a glória de Deus. A quem você precisa ajudar a encontrar seu grande dom de Deus?

Spanish blog:

Un gran regalo

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Recuerdo cuando mi líder celular me dijo que le gustaría que yo liderara un grupo celular. Era una cristiana recién convertida que estaba tratando de descubrir lo que Dios me había creado para ser. Estaba disfrutando de mi nueva comunidad cristiana, pero no sabía dónde encajaba en el grupo. Todos parecían saber para qué los había creado Dios, excepto yo. Recuerdo cuando mi líder dijo: “Te veo como un líder”. Había estado liderando en otras áreas de mi vida, pero usar mis dones en la iglesia era algo completamente nuevo que estaba encantada de poder hacer. Me sorprendió que Dios le permitiera, a esta harapienta pecadora de 20 y algo de años, liderar en Su reino.

Me encanta lo que dice Pedro 4:10: “Cada uno de ustedes debe usar cualquier don que hayan recibido para servir a los demás, como fieles administradores de la gracia de Dios en sus diversas formas”. Dios nos ha dado a cada uno algo tan maravilloso y único. Nuestros dones se ajustan a nuestra personalidad y nuestras experiencias. Nuestros dones hacen sonreír a los demás. ¡Nuestros dones están allí esperando para mostrar la gloria del Señor!

Muy a menudo, vemos personas que pasan por sus vidas como cristianos y no creyentes sin entender cómo Dios los creó. Como líderes y ministros de la iglesia, tenemos la oportunidad y la obligación de conectarnos con otros y ayudarlos a descubrir cuán único Dios los creó.

Creo que los grupos celulares son una plataforma de lanzamiento para el Reino de Dios. Si me hubiera quedado fuera del mundo y no me hubiera convertido en parte de un grupo celular, no habría tenido la oportunidad de poner en práctica esas habilidades. Si mi líder celular no me hubiera permitido ascender al liderazgo, aún podría estar siguiendo a los que van por el camino equivocado. Cuando estamos trabajando en nuestros dones, estimula nuestro corazón a acercarnos a Dios y no desanimarnos. Claro, habrá momentos difíciles, pero cuando lo vemos como un propósito mayor, entonces hace que valga la pena.

Como líderes, depende de nosotros no solo liderar, sino desafiar a otros a usar sus dones, talentos y habilidades para la gloria de Dios. ¿A quién necesitas  ayudar a encontrar su gran don de Dios?

Down to the Core

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

To me the most important and disregarded part of an apple is the core.  We love the crisp skin and sweet, juicy inside, but when we get to the core, it is tossed in the trash.  Think about it… without the core, there would be no more apples. The core contains the seeds to plant and grow more trees that produce more apples.  

Cell groups are the same way.  We spend time each week meeting together and read God’s Word, fellowship, and pray together.  We often miss the importance of the core. Those who show up regularly, those that host, those that create a safe space for the children, and those that plan great worship experiences.  Without these core members, groups would not be the same and when we focus on building them up, they often become grow new members and plant new groups. We have to be the type of leaders that are investing in our core.

I believe that to be a truly great leader, one must grow those around us to the extent that if we are not there, it can go unnoticed.  This is an “easier said than done” concept. Think about it… when you go on vacation or have an ill child at home, will the cell meeting go off without a hitch?  If you are stuck late at work will the children have ministry? Are the Bible verses and questions going to be asked? Will someone reach out to the people that are not there to see how they can be prayed for?  

Here are a few tips to nurture the gifts in others to create a strong core:

  • Look around the group and ask yourself these questions:
    • Who attends group each week?  
    • Who asks questions in the meeting? 
    • Who participates in shared ministry? 
  • Spend time with the members building them up
  • Find out what gifts and strengths they have and  encourage them to use them at the group meetings.
  • Give small assignments in the cell and see who completes them

Once you have two or three members that you want to invest in, then ask them to meet you outside of the regular meeting.  You might be thinking that you don’t have extra time to spend with them. Even if your schedule is full, try for 30 minutes before or after the cell meet at church before the service.  If we do this then we are focusing on the core and making disciples. Then the ministry will go on and grow from the core.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Até o Núcleo

Por Michelle Geoffrey, pastora de células na www.celebrationchurch.org

Para mim, a parte mais importante e desconsiderada de uma maçã é o núcleo. Nós amamos sua pele nítida e doce, suculenta por dentro, mas quando chegamos ao núcleo, ele é jogado no lixo. Pense nisso… sem o núcleo, não haveria mais maçãs. O núcleo contém as sementes para plantar e cultivar mais árvores que produzem mais maçãs.

As células são da mesma maneira. Nós passamos tempo a cada semana nos reunindo e lendo a Palavra de Deus, em comunhão e orando juntos. Muitas vezes perdemos a importância do núcleo. As pessoas que comparecem regularmente, que hospedam, que criam um espaço seguro para as crianças e aqueles que planejam grandes experiências de adoração. Sem esses membros principais, os grupos não seriam os mesmos e quando nos concentramos em desenvolvê-los, eles muitas vezes trazem novos membros e plantam novos grupos. Temos que ser o tipo de líderes que investe em nosso núcleo.

Acredito que, para realmente ser um grande líder, é preciso cultivar as pessoas que nos rodeiam ao ponto de se não estivermos lá, isso passar despercebido. Este é um conceito “mais fácil de dizer do que fazer”. Pense nisso… quando você sair de férias ou tiver uma criança doente em casa, a reunião da célula vai acontecer sem problemas? Se você estiver atrasado no trabalho, as crianças terão ministério? Os versículos da Bíblia e as perguntas serão feitas? Alguém se aproximará das pessoas que não estão lá para ver como elas podem receber oração?

Aqui estão algumas dicas para cultivar os dons das pessoas para criar um núcleo forte:

Olhe ao redor do grupo e faça a si mesmo estas perguntas:

Quem participa do grupo a cada semana?

Quem faz perguntas na reunião?

Quem participa no ministério compartilhado?

Passe tempo com os membros construindo-os

Descubra quais dons e pontos fortes eles têm e incentive-os a usá-los nas reuniões do grupo.

Dê pequenas atribuições na célula e veja quem as realiza de fato.

Quando você tiver dois ou três membros nos quais deseja investir, peça para encontrá-los fora da reunião regular. Você pode estar pensando que você não tem tempo extra para gastar com eles. Mesmo que sua agenda esteja cheia, tente por 30 minutos antes ou depois da reunião da célula ou do culto. Se fizermos isso, estaremos nos concentrando no núcleo e fazendo discípulos. Então o ministério continuará e crescerá do núcleo.

Spanish blog:

Hasta el núcleo

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Para mí, la parte más importante y olvidada de una manzana es el núcleo. Nos encanta la piel crujiente y dulce, jugosa por dentro, pero cuando llegamos al núcleo, se tira a la basura. Piénselo … sin el núcleo, no habría más manzanas. El núcleo contiene las semillas para plantar y cultivar más árboles que producen más manzanas.

Los grupos celulares son de la misma manera. Pasamos tiempo cada semana reuniéndonos juntos y leemos la Palabra de Dios, practicamos el compañerismo y oramos juntos. A menudo extrañamos la importancia del núcleo. Los que se presentan regularmente, los que acogen, los que crean un espacio seguro para los niños y los que planean grandes experiencias de adoración. Sin estos miembros principales, los grupos no serían lo mismo y cuando nos enfocamos en construirlos, a menudo se convierten en miembros nuevos y se plantan nuevos grupos. Tenemos que ser el tipo de líderes que están invirtiendo en nuestro núcleo.

Creo que para ser un gran líder, uno debe hacer crecer a quienes nos rodean en la medida en que si no estamos allí, pueden pasar desapercibidos. Este es un concepto “más fácil decirlo que hacerlo”. Piénsalo… cuando salga de vacaciones o tengas un hijo enfermo en casa, ¿se desarrollará la reunión celular sin problemas? Si estás atrapado tarde en el trabajo, ¿serán los niños ministrados? ¿Se leerán los versículos y se harán preguntas de la Biblia? ¿Alguien se acercará a las personas que no están allí para ver cómo se puede orar ellas?

Aquí hay algunos consejos para nutrir los dones en otros para crear un núcleo fuerte:

Mire alrededor del grupo y haz estas preguntas:

¿Quién asiste al grupo cada semana?

¿Quién hace preguntas en la reunión?

¿Quién participa en el ministerio compartido?

Pasas tiempo con los miembros construyéndolos ?

Descubre qué dones y fortalezas tienen y aliéntalos a usarlos en las reuniones grupales.

Dé pequeñas tareas en la célula y observa quién las completa.

Una vez que tengas dos o tres miembros en los que quieras invertir, pídeles que se reúnan contigo fuera de la reunión ordinaria. Tal vez pienses que no tienes tiempo extra para pasar con ellos. Incluso si tu horario está lleno, intenta 30 minutos antes o después de que la célula se reúna en la iglesia antes del servicio. Si hacemos esto, entonces nos estamos enfocando en el núcleo y haciendo discípulos. Entonces el ministerio continuará y crecerá desde el núcleo.

We Are Family

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

A few years ago, a young lady joined my Cell Group that was just getting out of a really bad relationship.  Let’s call her Jane. Jane was kicked out of the home where she was staying with only the clothes on her back and a few random items.  Because she had a job, she was able to rent an apartment, but her apartment was completely empty My group was always good about moving to different host homes each month and sharing the ministry of hospitality.  Jane wanted to be a host home, but shared her concerns with me about inviting the group to her empty apartment. I assured her that we would be fine sitting on the floor and that no one would criticize her.

So we met at Jane’s apartment – albeit empty.  Everyone was so gracious and glad to see how she had come out of a bad situation and was happily living on her own. As we met each week, our group brought different items to help her furnish her apartment. By the time the month was over, Jane had a full apartment; bed, sofa, television, dining set and fully stocked kitchen.  Not only was Jane blessed by the outpouring of our love and support, but our members grew closer together as the Lord used us to display his faithful provision. Because Jane opened up her empty apartment to host our group, she soon realized the fullness of the blessing God had planned for her.  

Whenever a leader tells me that their group will not rotate homes because of various excuses, I share Jane’s remarkable story.  God moved in a way that no one would have expected as each of us were able to see our faith greatly increased. Changing host homes on a regular basis is more than just giving the host home a break from the responsibilities of preparing their home each week. By changing host homes on a rotating basis, we get to see where other members of our group live, meet their families and even their neighbors, who don’t know Christ yet. That’s where life change occurs and where you get to really know someone. Being in a Cell Group is about being part of a family and sharing life together. Just like my own personal family, we visit each other’s homes and take turns hosting family celebrations and gatherings. That’s just what families do…no different that your cell family.

As leaders, we have to help people stop seeing the challenges that come with hosting the group, but instead find the opportunities that will help our groups grow.  Here are some common remarks:

  • “My house is too small.”
  • “I don’t have enough parking.”
  • “My husband doesn’t know Jesus.”
  • “I live far away.”
  • “My apartment is not nice enough.”
  • “My pets might be a bother.”

There are solutions to each of these situations. We simply have to help our group discover how to resolve them. Take some time today to ask the Lord to help you overcome the challenges of moving host homes that your group is now facing. Like the story of my friend, Jane, the Lord already has a solution planned.  As leaders, we need to stop accepting the status quo and share the vision of what being part of a cell group is all about. After all, that’s what families do.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Nós Somos Família

Por Michelle Geoffrey, pastora de células na www.celebrationchurch.org

Há alguns anos, uma jovem que estava saindo de um relacionamento muito ruim se juntou à minha célula. Vamos chamá-la de Jane. Jane foi expulsa da casa onde estava hospedada, apenas com as roupas nas costas e alguns itens aleatórios. Como ela tinha um emprego, ela conseguiu alugar um apartamento, mas seu apartamento estava completamente vazio. Meu grupo sempre foi bom em mudar-se para diferentes residências por mês e dividir o ministério da hospitalidade. Jane queria ser uma casa de acolhimento, mas compartilhou suas preocupações comigo sobre convidar o grupo para seu apartamento vazio. Eu assegurei a ela que ficaríamos bem sentados no chão e que ninguém iria criticá-la.

Então nos encontramos no apartamento de Jane – embora estivesse vazio. Todo mundo foi tão gracioso e felizes por ver como ela tinha saído de uma situação ruim e estava feliz vivendo sozinha. À medida que fomos nos conhecendo a cada semana, o nosso grupo trouxe itens diferentes para ajudá-la a preencher seu apartamento. Quando o mês acabou, Jane tinha um apartamento completo: cama, sofá, televisão, conjunto de jantar e cozinha totalmente equipada. Não só Jane foi abençoada pelo derramamento de nosso amor e apoio, mas nossos membros se aproximaram mais quando o Senhor nos usou para mostrar sua fiel provisão. Como Jane abriu seu apartamento vazio para receber nosso grupo, logo ela percebeu a plenitude da bênção que Deus planejara para ela.

Sempre que um líder me diz que seu grupo não vai rodiziar nas casas por causa de várias desculpas, eu compartilho a história notável de Jane. Deus se moveu de uma maneira que ninguém poderia esperar, pois cada um de nós foi capaz de ver nossa fé ser grandemente aumentada. Mudar as casas de acolhimento regularmente é mais do que apenas dar à casa wue é anfitriã uma pausa nas responsabilidades de preparar a sua casa todas as semanas. Ao mudar as casas de acolhimento de forma rotativa, podemos ver onde outros membros do nosso grupo vivem, conhecer as suas famílias e até os seus vizinhos que ainda não conhecem a Cristo. É aí que a mudança de vida ocorre e onde você realmente conhece alguém.  Estar em uma célula é sobre fazer parte de uma família e compartilhar a vida juntos. Assim como minha própria família pessoal, nós visitamos as casas uns dos outros e nos revezamos organizando celebrações e encontros familiares. Isso é o que as famílias fazem… não é diferente da sua família de células.

Como líderes, temos que ajudar as pessoas a pararem de ver os desafios que surgem ao hospedar o grupo, mas, em vez disso, encontrar as oportunidades que ajudarão nossos grupos a crescer.  Aqui estão algumas observações comuns:

  • “Minha casa é muito pequena.”
  • “Eu não tenho espaço de estacionamento suficiente.”
  • “Meu marido não conhece Jesus”.
  • “Eu moro longe.”
  • “Meu apartamento não é bom o bastante.”
  • “Meus animais de estimação podem ser um incômodo.”

Existem soluções para cada uma dessas situações. Nós simplesmente temos que ajudar nosso grupo a descobrir como resolvê-las. Reserve um tempo hoje para pedir ao Senhor que o ajude a superar os desafios de mudança de residência que seu grupo enfrenta agora. Como a história da minha amiga Jane, o Senhor já tem uma solução planejada. Como líderes, precisamos parar de aceitar o padrão atual e compartilhar a visão de como fazer parte de uma célula. Afinal, é isso que as famílias fazem.

Spanish blog:

Somos familia

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Hace unos años, una joven se unió a mi grupo celular, ella estaba saliendo de una relación realmente mala. Llamémosla Jane. Jane fue expulsada de la casa donde se encontraba con solo la ropa en su espalda y algunos artículos que tomó al azar. Debido a que tenía un trabajo, pudo alquilar un apartamento, pero este lugar estaba completamente vacío. Mi grupo siempre fue bueno al mudarse a diferentes hogares anfitriones cada mes y compartir el ministerio de hospitalidad. Jane quería ser una anfitriona, pero compartió sus preocupaciones conmigo acerca de invitar al grupo a su apartamento vacío. Le aseguré que estaríamos bien sentados en el suelo y que nadie la criticaría.

Así que nos encontramos en el apartamento de Jane, aunque vacío. Todos fueron tan amables y contentos de ver cómo ella había salido de una mala situación y estaba felizmente viviendo sola. Como nos reunimos cada semana, nuestro grupo trajo diferentes artículos para ayudarla a amueblar su apartamento. Cuando el mes terminó, Jane tenía un departamento completo; Cama, sofá, televisión, juego de comedor y cocina completamente equipada. Jane no solo fue bendecida por el derramamiento de nuestro amor y apoyo, sino que nuestros miembros se acercaron más a medida que el Señor nos usaba para mostrar su provisión fiel. Como Jane abrió su departamento vacío para albergar a nuestro grupo, pronto se dio cuenta de la plenitud de la bendición que Dios había planeado para ella.

Cada vez que un líder me dice que su grupo no cambiará de hogar debido a varias excusas, comparto la extraordinaria historia de Jane. Dios se movió de una manera que nadie hubiera esperado, ya que cada uno de nosotros pudimos ver que nuestra fe aumentaba enormemente. Cambiar las casas anfitrionas de manera regular es más que solo darle a la casa anfitriona un descanso de las responsabilidades de preparar su casa cada semana. Al cambiar las casas de acogida de forma rotativa, podemos ver dónde viven otros miembros de nuestro grupo, conocer a sus familias e incluso a sus vecinos, que aún no conocen a Cristo. Ahí es donde ocurre el cambio de vida y donde realmente conoces a alguien. Estar en un grupo celular se trata de ser parte de una familia y compartir la vida juntos. Al igual que mi propia familia, visitamos las casas de los demás y nos turnamos para realizar celebraciones familiares y reuniones. Eso es justo lo que hacen las familias … no es diferente a tu familia celular.

Como líderes, debemos ayudar a las personas a dejar de ver los desafíos que conlleva hospedar al grupo, pero en su lugar encontrar las oportunidades que ayudarán a nuestros grupos a crecer. Aquí hay algunos comentarios comunes:

  • “Mi casa es demasiado pequeña”.
  • “No tengo suficiente estacionamiento”.
  • “Mi esposo no conoce a Jesús”.
  • “Vivo muy lejos.”
  • “Mi apartamento no es lo suficientemente agradable”.
  • “Mis mascotas pueden ser una molestia”.

Hay soluciones para cada una de estas situaciones. Simplemente tenemos que ayudar a nuestro grupo a descubrir cómo resolverlos. Tómate un tiempo hoy para pedirle al Señor que te ayude a superar los desafíos de mudar las casas anfitrionas donde tu grupo se reúne ahora. Al igual que la historia de mi amiga, Jane, el Señor ya tiene una solución planificada. Como líderes, debemos dejar de aceptar el status quo y compartir la visión de lo que se trata ser parte de un grupo celular. Después de todo, eso es lo que hacen las familias.

Sleeping Giants

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Each week, church services take place.  They can easily become our focus because Sunday (or Saturday) is always coming… until Christ returns!  When we meet with our staff or lay leaders to build strategies or make plans, the conversation can be swayed to discuss worship services or celebrations.  We must be intentional with our time and talk about the sleeping giant that is cell groups.

I think of cell groups as sleeping giants that are waiting for us to wake them up and let them turn the city upside down for Jesus!  There are groups that with a little encouragement and vision casting from you and I, they would be world-changers that are shaping and molding our culture for Jesus Christ.

These groups are meeting consistently and seeing themselves as just mediocre, but instead, they really are faithful and spirit-filled.  Lives are being changed and hope is restoring brokenness. We talk about the church services as a whole, but what about these smaller church services that are taking place in neighborhoods and schools and coffee shops?  When we move to be laser-focused on cell groups, we awake the sleeping giant and expand our influence and impact. How can we do that effectively?

As pastors, it is our responsibility to keep cell groups at the forefront of our minds and hearts.  When we are meeting with staff or lay leaders, here are a few ways to be intentional:

  • Celebrate what God is doing inside cell group(s)
  • Ask each person to share how their last cell group was
  • Visit other groups on a regular basis
  • Invite cell leaders to join the meeting
  • Share the importance of cell group(s) in the sermon

As pastors, if cell groups are not being discussed on a regular basis, it is each of our jobs to bring it up.  Habakkuk 2:2 says, “Then the Lord said to me, ‘Write my answer plainly on tablets, so that a runner can carry the correct message to others.’”  Let’s launch these sleeping giants to build the kingdom of God like never before!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Gigantes adormecidos

por Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

Toda semana, os cultos da igreja acontecem. Eles podem facilmente se tornar nosso foco porque o domingo (ou sábado) sempre vai chegar… até que Cristo retorne! Quando nos reunimos com nossos funcionários ou líderes leigos para construir estratégias ou fazer planos, a conversa pode ser influenciada para discutir os cultos de celebrações. Devemos ser intencionais com o nosso tempo e falar sobre o gigante adormecido que é a célula.

Eu penso nas células como gigantes adormecidos que estão esperando por nós para acordá-las e deixá-las virar a cidade de cabeça para baixo para Jesus! Há grupos que, com um pouco de incentivo e visão, seriam os que mudam o mundo e moldam nossa cultura para Jesus Cristo.

Esses grupos se reunem de forma consistente e se consideram medíocres, mas, ao contrário, são realmente fiéis e cheios de espírito. Vidas estão sendo mudadas e a esperança está restaurando o quebrantamento. Nós falamos sobre os cultos da igreja como um todo, mas o que acontece com esses cultos menores que estão ocorrendo em bairros e escolas e cafeterias? Quando nos movemos para focalizar nas células, nós despertamos o gigante adormecido e expandimos nossa influência e impacto. Como podemos fazer isso de forma eficaz?

Como pastores, é nossa responsabilidade manter as células na vanguarda de nossas mentes e corações. Quando nos reunimos com funcionários ou líderes leigos, aqui estão algumas maneiras de ser intencional:

– Comemore o que Deus está fazendo dentro da(s) célula(s)

– Peça a cada pessoa para compartilhar como foi a última reunião de sua célula 

– Visite outros grupos regularmente

– Convide líderes de células para participar da reunião

– Compartilhe sobre a importância da célula em seu sermão de domingo.

Como pastores, se as células não estão sendo discutidas regularmente, é dever de cada um de nós colocar isso em prática. Habacuque 2:2 diz: “Então o Senhor me respondeu: ‘Escreva claramente a visão em tábuas, para que se leia facilmente’”. Vamos lançar esses gigantes adormecidos para construir o Reino de Deus como nunca antes!

Spanish blog:

Gigantes durmientes

Cada semana, se llevan a cabo servicios religiosos. Pueden convertirse fácilmente en nuestro enfoque porque el domingo (o sábado) siempre viene … ¡hasta que Cristo regrese! Cuando nos reunimos con nuestro personal o líderes para construir estrategias o hacer planes, la conversación puede ser influenciada para discutir servicios de adoración o celebraciones. Debemos ser intencionales con nuestro tiempo y hablar sobre el gigante dormido que son los grupos celulares.

¡Pienso en los grupos celulares como gigantes durmientes que nos esperan para despertarlos y dejar que vuelvan la ciudad para Jesús! Hay grupos que, con un poco de aliento y visión tuya y mía, cambiarían y dieran forma a el mundo, y moldearían nuestra cultura para Jesucristo.

Estos grupos se reúnen constantemente y se ven a sí mismos como simplemente mediocres, pero en cambio, realmente son fieles y están llenos de espíritu. Se están cambiando vidas y la esperanza está restaurando el quebrantamiento. Hablamos de los servicios de la iglesia en su conjunto, pero ¿qué pasa con estos servicios de iglesias más pequeñas que se llevan a cabo en los vecindarios, escuelas y cafeterías? Cuando nos movemos para centrarnos en grupos celulares, despertamos al gigante dormido y expandimos nuestra influencia e impacto. ¿Cómo podemos hacer eso efectivamente?

Como pastores, es nuestra responsabilidad mantener a los grupos celulares al frente de nuestras mentes y corazones. Cuando nos reunimos con personal o líderes, aquí te dejo algunas maneras de ser intencional:

  • Celebra lo que Dios está haciendo dentro de los grupos celulares.
  • Pida a cada persona que comparta cómo fue su último grupo celular
  • Visita otras células regularmente.
  • Invita a los líderes celulares a unirse a la reunión.
  • Comparte la importancia de los grupos celulares en el sermón.

Como pastores, si los grupos celulares no se discuten regularmente, cada uno de nuestros trabajos es mencionarlo. Habacuc 2: 2 dice: “Y Jehová me respondió, y dijo: Escribe la visión, y declárala en tablas, para que corra el que leyere en ella'”. Lanzemos estos gigantes dormidos para construir el reino de Dios como nunca antes!

Time to Open Up

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

One evening, I was visiting a senior adult cell group and the question was asked, “What is something you need to work on to grow closer to Jesus?”  The group went around and each member shared that they were close to God, but weren’t aware of any way they were lacking in their relationship with the Lord.  When my turn came, I decided to be honest and say, “I want to spend more time in prayer, share my faith better, and get deeper in God’s Word.” Once I shared, each person began to open up and explained how they would really like to grow in the Lord.  I chose to be vulnerable first for others to feel comfortable to share. As a pastor, my heart is for the groups I coach to be real, raw and vulnerable, not head-based and unemotionally invested Bible Studies.

Transparency is personal.  Bible Study is intellectual.  Transparency changes lives. Bible Study transfers knowledge.  Transparency is courageous. Bible Study is more constrained.

We have to decide as leaders and pastors what type of groups we would like to have.  There is a place for both. True cell groups are a place where life change happens and the lessons can be applied to our daily lives, which means there must be open sharing and transparency.  Here are a few ways to help your groups to find that place:

  1. Pray!  Ask the Lord to help them share openly.
  2. Share your struggles.  It all starts with you.
  3. Acknowledge and validate others when they do share.
  4. Encourage members after they share.
  5. Listen…don’t interrupt or give “pat” responses.
  6. Remind the group that “what is said here, stays here.” Transparency is based on trust.
  7. Be empathetic and compassionate, no matter how trivial it seems.

As we put into practice, transparency our groups will have more of a sense of belonging and growth.  They will truly know what it means to be a disciple and each member will feel like they are not alone or isolated.

Brene Brown says in her book, Daring Greatly, “Because true belonging only happens when we present our authentic imperfect selves to the world, our sense of belonging can never be greater than our level of self-acceptance.”  Let’s create a place where people can really find true community and safe space to be transparent.

Michelle

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Hora de se abrir

Por Michelle Geoffrey, Pastora de células na www.celebrationchurch.org

Certa noite, eu estava visitando um grupo adulto sênior e a pergunta foi feita: “O que é algo em que você precisa trabalhar para se aproximar de Jesus?” O grupo circulou e cada membro compartilhou que eles eram próximos a Deus, mas não sabiam de nenhuma área em que estavam falhando em seu relacionamento com o Senhor. Quando chegou a minha vez, decidi ser honesto e dizer: “Quero passar mais tempo em oração, compartilhar melhor a minha fé e aprofundar-me na Palavra de Deus”. Depois que eu compartilhei, cada pessoa começou a se abrir e explicou como gostaria muito de crescer no Senhor. Eu escolhi ser vulnerável primeiro para os outros se sentirem confortáveis ​​para compartilhar.  Como pastora, meu coração é que os grupos que eu treino sejam reais, “crus” e vulneráveis, que não sejam estudos bíblicos baseados na cabeça e sem qualquer envolvimento.

A transparência é pessoal. O estudo da Bíblia é intelectual. A transparência muda vidas. O estudo da Bíblia transfere conhecimento. A transparência é corajosa. O estudo da Bíblia é mais restrito.

Temos que decidir como líderes e pastores que tipo de grupos gostaríamos de ter. Existe um lugar para ambos.  Células verdadeiras são um lugar onde a mudança de vida acontece e as lições podem ser aplicadas em nossas vidas diárias, o que significa que deve haver compartilhamento aberto e transparência.  Aqui estão algumas maneiras de ajudar seus grupos a encontrar esse lugar:

 1. Ore! Peça ao Senhor para ajudá-los a compartilhar abertamente.

 2. Compartilhe suas lutas. Tudo começa com você.

 3. Reconheça e valide os outros quando eles compartilham.

 4. Encoraje os membros depois que eles compartilham.

 5. Ouça… não interrompa nem dê respostas prontas.

 6. Lembre ao grupo que “o que é dito aqui fica aqui”. A transparência é baseada na confiança.

 7. Seja empático e compassivo, não importa o quão trivial a situação pareça.

À medida que colocamos a transparência em prática, nossos grupos terão mais um sentimento de pertencimento e crescimento. Eles verdadeiramente saberão o que significa ser um discípulo e cada membro sentirá que não está sozinho ou isolado.

Brene Brown diz em seu livro, Daring Greatly: “Porque o verdadeiro pertencimento só acontece quando apresentamos nossos autênticos eus imperfeitos ao mundo, nosso senso de pertencimento nunca pode ser maior que o nosso nível de auto-aceitação”. Vamos criar um lugar onde as pessoas podem realmente encontrar a verdadeira comunidade e um espaço seguro para serem transparentes.

 Michelle

Spanish blog:

Es hora de ser transparentes

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Una noche, estaba visitando un grupo celular de adultos mayores y se preguntó: “¿Qué es algo en lo que necesitas trabajar para acercarte más a Jesús?” cada miembro compartió que estaban cerca de Dios, pero no sabían de qué manera carecían de su relación con el Señor. Cuando llegó mi turno, decidí ser honesto y decir: “Quiero pasar más tiempo en oración, compartir mejor mi fe y profundizar en la Palabra de Dios”. Una vez que compartí, cada persona comenzó a abrirse y explicó cómo realmente me gustaría crecer en el Señor. Elegí ser vulnerable primero para que otros se sientan cómodos al compartir. Como pastora, mi corazón es para que los grupos que entreno sean reales, crudos y vulnerables, no estén basados ​​en la cabeza y tengan estudios bíblicos sin sentido emocional.

La transparencia es personal. El estudio de la Biblia es intelectual. La transparencia cambia vidas. El estudio de la Biblia transfiere el conocimiento. La transparencia es valiente. El estudio de la Biblia es más limitado.

Tenemos que decidir como líderes y pastores qué tipo de células nos gustaría tener. Hay un lugar para ambos. Los verdaderos grupos celulares son un lugar donde ocurren cambios en la vida y las lecciones se pueden aplicar a nuestra vida diaria, lo que significa que debe haber un intercambio abierto y transparente. Aquí hay algunas maneras de ayudar a tus células a encontrar ese lugar:

1. ¡Ora! Pide al Señor que los ayude a compartir de manera abierta.

2. Comparte tus luchas. Todo comienza contigo.

3. Reconoce y valida a los demás cuando compartan.

4. Anima a los miembros después de que compartan.

5. Escucha … no interrumpas ni dé respuestas de “palmaditas”.

6. Recuerda a la célula que “lo que se dice aquí se queda aquí”. La transparencia se basa en la confianza.

7. Se empático y compasivo, no importa cuán trivial parezca el problema.

Al poner en práctica la transparencia, nuestros grupos tendrán un mayor sentido de pertenencia y crecimiento. Sabrán realmente lo que significa ser un discípulo y cada miembro sentirá que no está solo o aislado.

Brene Brown dice en su libro Daring Greatly, “Porque la verdadera pertenencia solo ocurre cuando presentamos nuestro auténtico ser imperfecto al mundo, nuestro sentido de pertenencia nunca puede ser más grande que nuestro nivel de autoaceptación”. Creemos un lugar donde las personas pueden realmente encontrar verdadera comunidad y espacio seguro para ser transparente.

Michelle