Our Gospel is Contagious

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In this time of pandemic, everybody is scared of something so small that it cannot be seen. Yet, it’s dangerous enough to kill. This Covid-19 virus is very lethal and crippling. It always looks for a body to infect and destroy. Another characteristic is that it is always ready to pass its venom on to other bodies, thus making it extremely contagious.

The best way to avoid being infected is maintaining distance from other people. Distancing or quarantine is the recommended way to overcome the disease, according to the World Health Organization. In other words, isolation is the key to avoiding passing on this deadly plague.

On a spiritual level, we have a gospel that must be shared. We dare not isolate the gospel from those who need it most. God has provided a cure or remedy to a far greater disease: sin.  On the cross, Jesus liberated us from the  “virus” of sin through his own blood which is shed on the cross. Only Jesus Christ can forgive and cleanse us from the deadly virus called sin. Because of His shed blood, there is hope for the human race. The vaccine for this deadly virus called sin is available through Jesus Christ.

But how can we give this cure to others? Jesus showed us the way. It is through personal contact with people. Jesus spread the message with  12, 70, then 120. These in turn touched 3.000 and 5.000 and so on.

How did they do it so effectively? Since the beginning they met in houses and in the Temple courts. Close contact with one another infected them for the good. The Gospel is highly contagious, but it must get in contact with sin-sick souls.

Cells are the means to bring the cure through to humanity. But we who have the good virus have to be in contact with sinners in order to contaminate them with the Gospel. The sad fact is that the longer we are saved the fewer unsaved friends we have. Our Sunday services and cells have the tendency, with time, to become closed Love Boats. Actually it is the New Believer that has the most contact with sinners.

The only Commission we received from Jesus is to make disciples. This should stir us to get close to people so they might be infected with the gospel message and to continue the process until men and women are saved with the gospel. As people receive forgiveness of sin, become disciples of Jesus, and then learn to obey the values of the Kingdom, a lost world will be reached for Jesus.

According to Bill Beckham, the cell is a mean, lean fighting machine, capable of infiltrating the enemy lines and rescuing those without hope. Let’s be renewed to allow our cells to penetrate behind enemy lines and liberate lost souls with the gospel of Jesus Christ.

Help us God!

Robert M. Lay

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Nosso Evangelho é Contagioso

Por Robert Lay, Ministério Igreja em Célula Brasil, www.celulas.com.br

Nesse tempo de pandemia, todo mundo está assustado com uma coisa tão pequena que não se pode ver. Ainda assim, é perigoso o suficiente para matar. Esse vírus Covid-19 é muito letal e paralisador. Ele sempre procura um corpo para infectar e destruir. Outra característica é que ele sempre está pronto para passar seu veneno para outros corpos, assim tornando-se extremamente contagioso.

O melhor jeito de evitar ser infectado é mantendo distância de outras pessoas. Distanciamento ou quarentena é meio recomendado para vencer a doença, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Em outras palavras, isolamento é a chave para evitar passar adiante essa praga mortal.

No nível espiritual, nós temos o evangelho que precisa ser compartilhado. Nós nos desafiamos a não isolar o evangelho daqueles que mais precisam dele. Deus tem providenciado a cura ou o remédio para uma doença ainda maior: o pecado. Na cruz Jesus libertou-nos do “vírus” do pecado e através do seu próprio sangue cujo qual é vertido na cruz. Somente Jesus Cristo pode nos perdoar e limpar do vírus mortal chamado pecado. Por causa de seu sangue vertido, há esperança para a raça humana. A vacina para esse vírus mortal chamado pecado está disponível através de Jesus Cristo.

Mas como nós podemos dar essa cura aos outros? Jesus nos mostrou o caminho. É através do contato pessoa com pessoas. Jesus compartilhou a mensagem com 12, depois 70, depois 120. Esses, em troca, tocaram 3.000 e 5000 e assim por diante.

Como eles fizeram isso tão eficientemente? Desde o começo eles se reuniam em casas e no pátio do Templo. Contatos próximos uns dos outros os infectaram  para o bem. O Evangelho é altamente contagioso, porém ele precisa entrar em contato com almas doentes no pecado.

As células são os meios para trazer cura para a humanidade. Porém nós que temos o vírus bom temos que estar em contato com pecadores para que os contaminemos com o Evangelho. O fato entristecedor é que quanto mais nós somos salvos, menos amigos não salvos nós temos; Nossos cultos de domingo e células tem a tendência, com o tempo, de se tornar um Barco do Amor. Na verdade é o Novo Crente que tem mais contato com pecadores.

A única Comissão que nós recebemos de Jesus é fazer discípulos. Esse deveria ser o que nos move para mais perto das pessoas, para que elas sejam infectadas com a mensagem do evangelho e continue o processo até que homens e mulheres sejam salvos com o evangelho. Enquanto as pessoas recebem o perdão dos pecados, se tornam discípulos de Jesus e então aprendem a obedecer aos valores do Reino, um mundo perdido será alcançado para Jesus. 

De acordo com Bill Beckham, a célula é o meio, a máquina de luta, capaz de infiltrar as linhas do inimigo e resgatar aqueles que estão sem esperança. Vamos ser renovados e permitir que nossas células penetrem por trás das linhas inimigas e libertem as almas perdidas com o evangelho de Jesus Cristo.

Ajude-nos Deus! 

Robert M. Lay

Spanish blog:

Nuestro evangelio es contagioso

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular de Brasil, www.celulas.com.br

En esta época de pandemia, todo el mundo tiene miedo de algo tan pequeño que no se puede ver. Sin embargo, es lo suficientemente peligroso como para matar. Este virus, Covid-19 es muy letal y nos paraliza. Siempre busca un cuerpo para infectar y destruir. Otra característica es que siempre está listo para transmitir su veneno a otros cuerpos, lo que lo hace extremadamente contagioso.

La mejor forma de evitar la infección es manteniendo la distancia de otras personas. El distanciamiento o la cuarentena es la forma recomendada para superar la enfermedad, según la Organización Mundial de la Salud. En otras palabras, el aislamiento es la clave para evitar transmitir esta plaga mortal.

A nivel espiritual, tenemos un evangelio que debemos compartir. No nos atrevamos a aislar el evangelio de quienes más lo necesitan. Dios ha provisto una cura o remedio para una enfermedad mucho mayor: el pecado. En la cruz, Jesús nos liberó del “virus” del pecado a través de su propia sangre que fue derramada. Solo Jesucristo puede perdonarnos y limpiarnos del virus mortal llamado pecado. Debido a su sangre derramada, hay esperanza para la raza humana. La vacuna para este virus mortal llamado pecado está disponible a través de Jesucristo.

Pero, ¿cómo podemos dar esta cura a otros? Jesús nos mostró el camino. Es a través del contacto personal con las personas. Jesús difundió el mensaje con 12, luego 70, luego 120. Estos a su vez tocaron 3.000 y 5.000 y así sucesivamente.

¿Cómo lo hicieron con tanta eficacia? Desde el principio se reunieron en casas y en los patios del templo. El contacto cercano entre ellos los infectó para siempre. El Evangelio es muy contagioso, pero debes ponerse en contacto con las almas enfermas de pecado.

Las células son el medio para llevar la cura a la humanidad. Pero los que tenemos el virus bueno tenemos que estar en contacto con los pecadores para “contaminarlos” con el Evangelio. La triste realidad es que cuanto más tiempo llevamos salvamos, menos amigos no salvos tenemos. Nuestros servicios y células dominicales tienen la tendencia, con el tiempo, a convertirse en barcos cerrados. En realidad, es el nuevo creyente el que tiene más contacto con los pecadores.

La única comisión que recibimos de Jesús es hacer discípulos. Esto debería impulsarnos a acercarnos a las personas para que puedan infectarse con el mensaje del evangelio y continuar el proceso hasta que los hombres y mujeres sean salvos con el evangelio. A medida que las personas reciban el perdón de los pecados, se conviertan en discípulos de Jesús y luego aprendan a obedecer los valores del Reino, Jesús alcanzará un mundo perdido.

Según Bill Beckham, la célula es una máquina de combate terrible y audaz, capaz de infiltrarse en las líneas enemigas y rescatar a los que no tienen esperanzas. Seamos renovados para permitir que nuestras células penetren detrás de las líneas enemigas y liberen a las almas perdidas con el evangelio de Jesucristo.

¡Ayúdanos Dios!

Robert M. Lay

The Power of Prayer

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Imagine an electric car sitting in front of a loading station with no cable to attach the source of power to the batteries. As a result, the batteries remain empty. Why is the cable so important? Because it is the solution to bring the energy from the power source to the car’s batteries. The cable is the channel through which the energy flows.

Prayer is the cable that brings the power of God to our batteries so we are fit and ready to function at full capacity. God is always ready with full power, and he wants to give us his strength. With God, there will never be a shortage of power.

Pastor Eddy Leo mentions in his book: “Touching Heaven, Changing Lives,” three phases or levels of prayer.

Phase one is reactional intimacy. In this phase, there is no continuous intimacy with God. It is more occasional guided by reactions to circumstances in life. Sometimes it is suffering that stir to seek God with phrases like, “My God, help me.” But there is no continuous, intentional communication with the source of power, therefore the batteries mainly remain empty with only occasional power surges.

Phase two is active intimacy. Here we communicate actively with God. In this phase, we intentionally set aside a time of fellowship with God. Here we have a planned time and place to get intimate with our father. Dr. Ralph Neighbour calls it: “The listening room.” If you keep this active intimacy you will be ready for the next phase.

Phase three is automatic intimacy. Here intimacy with God happens almost unconsciously. We learned to develop the habit of communicating with the Father in every and all circumstances. It is praying without ceasing. Paul experienced this phase when he wrote in Gal. 2,20 “I died with Christ on the cross. So it is no longer I that live, but Christ lives in me.”

Our cell members should be taught to practice automatic intimacy with God. If this is the case, we will have vibrant and growing cells.

Help Us, God!

Robert M. Lay,  Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Poder da Oração

Por Robert Lay, Ministério Igreja em Células Brasil, www.celulas.com.br

Imagine um carro elétrico parado em frente a uma estação de abastecimento sem os cabos conectados do carregador às baterias. Como resultado as baterias continuariam descarregadas.

Por que o cabo é tão importante? Porque é a solução para trazer a energia da fonte para a bateria do carro. O cabo é o canal cujo qual a energia flui.

Oração é cabo que leva o poder de Deus para nossa bateria carregando-as para que nós estejamos prontos e preparados para funcionar em capacidade total. A fonte de poder, Deus, está sempre pronta com poder total. Ele quer nos dar sua força. Nunca haverá falta de energia. O cabo também sempre garante que haverá transmissão fiel de energia. Por outro lado poderá haver o problema de baterias descarregadas ou um cabo não conectado.

Pastor Eddy Leo menciona em seu livro: “Tocando o Céu, Mudando Vidas,” [tradução livre] três fases ou níveis de oração.

Fase um é a intimidade reacional. Nessa fase não existe intimidade contínua com Deus. É mais ocasional guiada por reações às circunstâncias da vida. Às vezes é o sofrimento que move a buscar a Deus com frases tipo, “Meu Deus, ajuda-me.” Mas não existe comunicação contínua e intencional com a fonte de poder, portanto as baterias basicamente mantêm-se descarregadas com somente descargas de energias ocasionais.

Fase dois é intimidade ativa. Aqui nós comunicamos ativamente com Deus. Nessa fase nós intencionalmente colocamos um tempo dedicado para a comunhão de Deus. Aqui nós temos um tempo e lugar planejados para ter intimidade com nosso pai. Dr. Ralph Neighbour chama-a: “a sala do ouvir.” Se você mantiver essa intimidade ativa você estará pronto para a próxima fase.

Fase três é intimidade automática.  Aqui a intimidade com Deus acontece quase que inconscientemente. Nós aprendemos a desenvolver o hábito da comunicação com o Pai em cada e em toda circunstância. É orar sem cessar. Paulo experienciou essa fase quando escreveu em Gl 2.20 “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim.”

Nossos membros da célula deveriam ser ensinados a prática da intimidade automática com Deus. Se esse for o caso, nós teremos células vibrantes e crescentes.

Ajude-nos Deus!

Robert M. Lay

Ministério Igreja em Células Brasil

Spanish blog:

El poder de la oración

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil, www.celulas.com.br

Imagina un automóvil eléctrico parqueado frente a una estación de carga sin cable para conectar la fuente de energía a las baterías. Como resultado, las baterías permanecen vacías. ¿Por qué es tan importante el cable? Porque es la solución para llevar la energía de la fuente de a las baterías del automóvil. El cable es el canal a través del cual fluye la energía.

La oración es el cable que lleva el poder de Dios a nuestras baterías, cargándolas para que estemos en forma y listos para funcionar a plena capacidad. La fuente de poder, Dios, siempre está lista con todo el poder. Quiere darnos su fuerza y nunca habrá escasez de poder. El cable también garantiza siempre la transmisión fiel de energía. Por otro lado, podría haber el problema de baterías agotadas o un cable que no está conectado.

El pastor Eddy Leo menciona en su libro: “Tocando el cielo, cambiando vidas”, tres fases o niveles de oración.

La primera fase es la intimidad reaccionaria. En esta fase no hay intimidad continua con Dios. Es más ocasional guiado por reacciones a las circunstancias de la vida. A veces es doloroso buscar a Dios con frases como “Dios mío, ayúdame”. Pero no existe una comunicación continua e intencional con la fuente de energía, por lo tanto, las baterías permanecen principalmente vacías con algunas sobrecargas ocasionales.

La fase dos es la intimidad activa. Aquí nos comunicamos activamente con Dios. En esta fase, apartamos intencionalmente un tiempo de comunión con Dios. Aquí tenemos un tiempo y un lugar planeados para intimar con nuestro padre. El Dr. Ralph Neighbour lo llama: “La sala de escucha”. Si mantienes esta intimidad activa, estarás listo para la siguiente fase.

La tercera fase es la intimidad automática. Aquí la intimidad con Dios ocurre casi inconscientemente. Aprendimos a desarrollar el hábito de comunicación con el Padre en todas y cada una de las circunstancias. Es la oración sin cesar. Pablo experimentó esta fase cuando escribió en Gal. 2,20 “Morí con Cristo en la cruz. Entonces ya no soy yo quien vive, sino que Cristo vive en mí ”.

A los miembros de nuestras células se les debe enseñar a practicar la intimidad automática con Dios. Si este es el caso, tendremos células vibrantes y en crecimiento.

Ayúdanos Dios!

Robert M. Lay

Ministerio de la Iglesia Celular Brasil

The Church in Times of Trouble

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Throughout history, since Jesus founded his church, there have been  hardships such as persecutions, diseases, pestilences, and so forth. Christ’s church has never given up or been conquered.

The disciples, on one occasion, went through a storm on the sea, and Jesus was at the stern in the boat, sleeping on a cushion (Mark 4:38-41. The disciples were terrified and woke Jesus up asking Him, “Teacher, don’t you care if we drown?” After He rebuked the wind and stilled the waves, he said to his disciples, “Why are you so afraid? Do you still have no faith?” They were terrified and asked each other, “Who is this? Even the wind and the waves obey him!”

In these days of fear of Coronavirus we should not be disturbed and afraid. Jesus is in our boat! Sometimes it feels like He is asleep and doesn’t care. We might intellectually believe that Jesus is in control of every situation, but sometimes fear takes over. The Master wanted his disciples to exercise their faith, so he allowed a storm to come up to see how they would respond. As it turned out they were slow learners, like many of us today.

The Master’s teaching methods are similar today. Only as we exercise our spiritual muscles does our faith grow strong. Let us not be afraid of difficult times. They are good for us and help us increase our faith.

Hardships also bring us back to consider and analyze our priorities. Jesus gave the movement called Church only one order or command, “Make disciples of all nations”. He did not tell us make attractive and fancy programs to lure people into a building to “Worship” God, etc. In this times of coronavirus the Church is underground. No fancy meetings, just indoor family gatherings.

Social media is helping Christ’s church to maintain contact with fellow believers. Also in this time of distress, many new doors are opening to the gospel. People are much more willing to listen when the church offers a clear alternative to fear and panic. Jesus is the one who continues to rebuke the wind and calms the waves. This is the time to win people and make them disciples of Jesus Christ.

Let’s get back to simplicity. Jesus was simple. We have the gift of complication. Let’s use the different channels of social media to offer peace and hope to our unsaved friends. Let’s get back to what really matters. Make Disciples!

Help us God!

Robert

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Igreja em tempos difíceis

Por Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Ao longo da história, desde que Jesus fundou sua Igreja, houve dificuldades como perseguições, doenças, epidemias e assim por diante. A igreja de Cristo nunca desistiu ou foi derrotada.

Os discípulos, em uma ocasião, passaram por uma tempestade no mar, e Jesus estava na popa do barco, dormindo sobre um travesseiro (Marcos 4: 38-41). Os discípulos ficaram aterrorizados e acordaram Jesus perguntando a Ele: “’Mestre, não te importas que morramos?’ Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: ‘Aquiete-se! Acalme-se!’ O vento se aquietou, e fez-se completa bonança. Então perguntou aos seus discípulos: ‘Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?’ Eles estavam apavorados e perguntavam uns aos outros: ‘Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?'”.

Nestes dias de medo do coronavírus, não devemos ficar perturbados nem com medo. Jesus está no nosso barco! Às vezes parece que ele está dormindo e não se importa. Podemos acreditar com nossa mente que Jesus está no controle de todas as situações, mas às vezes o medo toma conta. O Mestre queria que seus discípulos exercessem sua fé, então ele permitiu que uma tempestade se levantasse para ver como eles reagiriam. Como você pôde ver, eles aprendiam devagar, como muitos de nós hoje.

Os métodos de ensino do Mestre são semelhantes hoje. Somente quando exercitamos nossos músculos espirituais nossa fé se fortalece. Não tenhamos medo de tempos difíceis. Eles são bons para nós e nos ajudam a aumentar nossa fé.

As dificuldades também nos trazem de volta a considerar e analisar nossas prioridades.  Jesus deu ao movimento chamado Igreja apenas uma ordem/comando: “Façam discípulos de todas as nações”. Ele não nos disse para criar programas atraentes e sofisticados para atrair as pessoas a um prédio para “adorar” a Deus, etc. Nesse período de coronavírus, a Igreja está no “subsolo”. Não há reuniões sofisticadas, apenas reuniões familiares internas.

As mídias sociais estão ajudando a igreja de Cristo a manter contato com os irmãos. Também neste momento de angústia, muitas portas novas estão se abrindo para o evangelho. As pessoas estão muito mais dispostas a ouvir quando a Igreja oferece uma alternativa clara ao medo e ao pânico. Jesus é quem continua a repreender o vento e acalmar as ondas. Este é o momento de conquistar as pessoas e torná-las discípulas de Jesus Cristo.

Vamos voltar à simplicidade. Jesus era simples. Temos o dom da complicação. Vamos usar os diferentes canais das mídias sociais para oferecer paz e esperança aos nossos amigos não salvos. Vamos voltar ao que realmente importa. Faça discípulos!

Ajude-nos, Deus!

Robert

Spanish blog:

La iglesia en tiempos de problemas

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil, www.celulas.com.br

A lo largo de la historia, desde que Jesús fundó su iglesia, han habido dificultades como persecuciones, enfermedades, pestilencias, etc. La iglesia de Cristo nunca se ha rendido o ha sido conquistada.

Los discípulos, en una ocasión, atravesaron una tormenta en el mar, y Jesús estaba en la popa en el bote, durmiendo en un cojín (Marcos 4: 38-41. Los discípulos estaban aterrorizados y despertaron a Jesús preguntándole: “Maestro , ¿no te importa si nos ahogamos? “Después de que reprendió al viento y calmó las olas, les dijo a sus discípulos:” ¿Por qué tienen tanto miedo? ¿Todavía no tienen fe? “Ellos se aterrorizaron y se preguntaron unos a otros: “¿Quién es este? ¡Incluso el viento y las olas lo obedecen!”

En estos días de miedo al coronavirus no debemos ser molestados y asustados. ¡Jesús está en nuestro bote! A veces parece que está dormido y no le importa. Podríamos creer intelectualmente que Jesús tiene el control de cada situación, pero a veces el miedo se toma el control. El Maestro quería que sus discípulos ejercitaran su fe, por lo que permitió que se desatara una tormenta para ver cómo responderían. Al final resultó que eran estudiantes lentos, como muchos de nosotros hoy.

Los métodos de enseñanza del Maestro son similares hoy. Solo cuando ejercitamos nuestros músculos espirituales nuestra fe se fortalece. No tengamos miedo a los tiempos difíciles. Son buenos para nosotros y nos ayudan a aumentar nuestra fe.

Las dificultades también nos hacen volver a considerar y analizar nuestras prioridades. Jesús le dio al movimiento llamado Iglesia una sola orden o mandamiento: “Hacer discípulos a todas las naciones”. No nos dijo que hiciéramos programas atractivos y elegantes para atraer a la gente a un edificio para “adorar” a Dios, etc. En estos tiempos de coronavirus, la Iglesia está bajo tierra. No hay reuniones elegantes, solo reuniones familiares en interiores.

Las redes sociales están ayudando a la iglesia de Cristo a mantener contacto con otros creyentes. También en este momento de angustia, se están abriendo muchas puertas nuevas al evangelio. La gente está mucho más dispuesta a escuchar cuando la iglesia ofrece una alternativa clara al miedo y al pánico. Jesús es el que continúa reprendiendo al viento y calma las olas. Este es el momento de ganar personas y hacerles discípulos de Jesucristo.

Volvamos a la simplicidad. Jesús fue simple. Nosotros tenemos el don de la complicación. Usemos los diferentes canales de las redes sociales para ofrecer paz y esperanza a nuestros amigos no salvos. Volvamos a lo que realmente importa. ¡Hacer discípulos!

Ayúdanos Dios!

Robert

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Leader and Coach at the Same Time

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In the past we have seen various types of coaching in the cell movement. There is the original five by five system, where the coach does not lead a cell. The emphasis was more administrative. The coach helped his leaders in managing the cell, taking care of numbers, methods, structure, and so forth. This system was always aiming the correct functions of the cell. There was less emphasis on caring for the leader’s life and personal needs, with more focus on administration. There were variations of this model, but the main emphasis was always on the proper function of the cell.

Later we saw the need to care more for the leader’s needs and life. We began to notice that many leader were burning out because coaching was perceived as very demanding and totally based on results. Some taught that the “The cell must multiply in such a such a time.”  There was too much pressure on the leader. As the leader got more and more attention, fewer leaders began to burn out. With more healthy leaders, the cells always began to function better.

More recently, we discovered that one leader can care or coach leaders that have  multiplied from his or own cell. In our experience each leader/coach, should not have more than three cells to coach. It can be less, but rarely more. So, at the same time a leader leads his cell, he cares for leaders that multiplied from him. This will not overload the leader/coach because he has a deep relationship to his ex-intern, who is now a leader.

This does not call for many extra official meetings, but problems will be solved mush easier based on prior identification and communication. This has another advantage. You don’t “lose” a leader. In the previous system,  the best leaders became coaches and did not lead cells anymore.

Once you have ten leader/coaches and each coaching three cells you can have a superintendent or area pastor over them. So, this superintendent will pastor ten leader/coaches with thirty cells.

There are many churches in Brazil using this system now, with much success!

Help Us God!

Robert M. Lay, Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog: 

Líder e treinador ao mesmo tempo

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

No passado, vimos vários tipos de treinamento no movimento celular. Existe o sistema original cinco por cinco, em que o treinador não lidera uma célula. A ênfase era mais administrativa. O treinador ajudava seus líderes no gerenciamento da célula, cuidando de números, métodos, estrutura e assim por diante. Este sistema estava sempre visando as funções corretas da célula. Havia menos ênfase no cuidado com a vida e as necessidades pessoais do líder, com mais foco na administração. Havia variações desse modelo, mas a ênfase principal estava sempre no bom funcionamento da célula.

Mais tarde, vimos a importância de cuidar mais das necessidades e da vida do líder. Começamos a perceber que muitos líderes estavam se esgotando porque o treinamento era percebido como algo muito exigente e totalmente baseado em resultados. Alguns ensinavam que “a célula deve se multiplicar em tal momento”. Havia muita pressão sobre o líder. À medida que o líder recebia cada vez mais atenção, menos líderes começaram a se esgotar. Com líderes mais saudáveis, as células passaram a funcionar melhor.

Mais recentemente, descobrimos que um líder pode cuidar ou treinar líderes que se multiplicaram a partir de sua própria célula. Em nossa experiência, cada líder/treinador não deve ter mais de três células para treinar. Pode ser menos, mas raramente mais. Assim, ao mesmo tempo em que um líder lidera sua célula, ele se importa com os líderes que se multiplicam dele. Isso não sobrecarregará o líder/treinador porque ele tem um relacionamento profundo com seu antigo líder em treinamento, que agora é um líder.

Isso não exige muitas reuniões oficiais extras, e os problemas serão resolvidos com mais facilidade com base na identificação e comunicação anteriores. Isso tem outra vantagem. Você não “perde” um líder.  No sistema anterior, os melhores líderes se tornaram treinadores e não lideravam mais as células.

Depois de ter dez líderes/treinadores e cada um deles treinar três células, você poderá ter um superintendente ou pastor de área sobre eles. Portanto, esse superintendente cuidará de dez líderes/treinadores com trinta células.

Existem muitas igrejas no Brasil usando esse sistema agora, com muito sucesso!

Ajude-nos, Deus!

Spanish blog: 

Líder y supervisores al mismo tiempo

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

En el pasado hemos visto varios tipos en la manera de supervisar en el movimiento celular. Existe el sistema original de cinco por cinco, donde el supervisor no dirige una célula. El énfasis fue más administrativo, el supervisor ayudó a sus líderes en el manejo de la célula, cuidando los números, los métodos, la estructura, etc. Este sistema siempre apuntaba a las funciones correctas de la célula. Hubo menos énfasis en cuidar la vida y las necesidades personales del líder, con un mayor enfoque en la administración. Hubo variaciones de este modelo, pero el énfasis principal siempre estuvo en la función adecuada de la célula.

Más tarde vimos la necesidad de preocuparnos más por las necesidades y la vida del líder. Comenzamos a notar que muchos líderes se estaban agotando porque el entrenamiento se percibía como muy exigente y totalmente basado en los resultados. Algunos enseñaron que “la célula debe multiplicarse en tal tiempo”, había demasiada presión sobre el líder. A medida que el líder recibió más y más atención, menos líderes comenzaron a agotarse. Con líderes más saludables, las células siempre comenzaron a funcionar mejor.

Más recientemente, descubrimos que un líder puede cuidar o entrenar a los líderes que se han multiplicado desde su propia célula. En nuestra experiencia, cada líder / supervisor no debe tener más de tres células para supevisar. Puede ser menos, pero rara vez más. Entonces, al mismo tiempo que un líder dirige su célula, se preocupa por los líderes que se multiplicaron de él. Esto no sobrecargará al líder / supervisor porque tiene una relación profunda con su ex interno, quien ahora es un líder.

Esto no requiere muchas reuniones oficiales adicionales, pero los problemas se resolverán más fácilmente en función de la identificación y comunicación previa. Esto tiene otra ventaja, no “pierdes” un líder. En el sistema anterior, los mejores líderes se convirtieron en supervisores y ya no lideraron células.

Una vez que tenga diez líderes / supervisores y cada uno atendió tres células, puede tener un superintendente o un pastor de área sobre ellos. Entonces, este superintendente pastoreará diez líderes / supervisores con treinta células.

¡Hay muchas iglesias en Brasil que usan este sistema ahora, con mucho éxito!

Ayúdanos Dios!

Robert M. Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Filling the Earth with Disciples

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In the fifth century the church movement started by Jesus Christ died out, and we saw a return to the Old Testament institutional model. The Old Testament was a centralizing institution. It was a come  movement. Come to Israel, come to Jerusalem, come to the Temple to find God. Everything was pointing to the center, House of God, Priests, Law, and so forth.

When Jesus came he turned everything upside down. He introduced the  go into all the world  movement. Nothing was centralized anymore. His message was not limited to a geographical place, Israel, anymore. Now the Gospel should be spread to all the world. God did not dwell in a House, Temple, anymore. Every believer now is the Temple of the Holy Spirit. There is no centralized priesthood any more. Every believer is a Priest right now.

This return to a centralized institution was a big trap of the devil to paralyze the outward movement initiated by Jesus Christ. The church, then, lost its impetus to go to all the world.

The system used by Jesus to take his message out to all the world was making disciples.  He demonstrated this with His own group, relational community life, investing His life in their lives for a good period of time, until they were ready to multiply into others what they experienced with him.

How can we fill the earth with disciples? Only by going back to the lifestyle and system that Jesus clearly demonstrated. Every house a church and every member a priest, who multiplies himself making disciples. Lets go back to the example Jesus gave us. I’m referring to relational cell community that transforms baby Christians into disciples, who make disciples, who make disciples until we fill the Earth with disciples of Jesus Christ.

Help us God!

Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Enchendo a Terra com Discípulos

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

No século V, o movimento da igreja iniciado por Jesus Cristo desapareceu e vimos um retorno ao modelo institucional do Antigo Testamento. O Antigo Testamento era uma instituição centralizadora. Foi um movimento de vir. Venha a Israel, venha a Jerusalém, venha ao Templo para encontrar Deus. Tudo apontava para o centro, Casa de Deus, Sacerdotes, Lei, e assim por diante.

Quando Jesus veio, virou tudo de cabeça para baixo. Ele introduziu o movimento ide por todo o mundo. Nada mais era centralizado. Sua mensagem não estava mais limitada a um local geográfico, Israel. Agora o evangelho devia ser espalhado por todo o mundo. Deus não habitava mais em uma casa ou templo. Agora todo convertido é um templo do Espírito Santo. Não há mais sacerdócio centralizado. Todo crente é um sacerdote.

Esse retorno a uma instituição centralizada foi uma grande armadilha do diabo para paralisar o movimento externo iniciado por Jesus Cristo. A Igreja, então, perdeu seu ímpeto de ir a todo o mundo.

O sistema usado por Jesus para levar Sua mensagem a todo o mundo estava fazendo discípulos. Ele demonstrou isso com Seu próprio grupo, a vida relacional da comunidade, investindo Sua vida nas vidas deles por um bom período de tempo, até que eles estivessem prontos para multiplicar em outras pessoas o que experimentaram com Ele.

Como podemos encher a terra de discípulos? Somente voltando ao estilo de vida e sistema que Jesus demonstrou claramente. Toda casa sendo uma igreja e todo membro um sacerdote, que se multiplica fazendo discípulos. Vamos voltar ao exemplo que Jesus nos deu. Estou me referindo à comunidade de células relacionais que transforma bebês cristãos em discípulos, que fazem discípulos, que fazem discípulos até enchermos a Terra com discípulos de Jesus Cristo.

Ajude-nos, Deus!

Robert Lay, Ministério Igreja em Células Brasil

 Spanish blog:

Llenando la tierra con discípulos

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

En el siglo quinto, el movimiento de la iglesia iniciado por Jesucristo se extinguió y vimos un regreso al modelo institucional del Antiguo Testamento. El Antiguo Testamento era una institución centralizadora; era un movimiento basado en el ven. Ven a Israel, ven a Jerusalén, ven al Templo a buscar a Dios. Todo apuntaba al centro, a la Casa de Dios, a los Sacerdotes, a la Ley, etc.

Cuando Jesús vino, puso todo al revés. Introdujo el ir a todo el movimiento mundial, ya nada estaba centralizado. Su mensaje ya no se limitaba a un lugar geográfico, Israel. Ahora el Evangelio debería extenderse a todo el mundo. Dios ya no habitaba en una casa, templo. Todo creyente ahora es el Templo del Espíritu Santo, ya no hay sacerdocio centralizado. Todo creyente es un sacerdote en este momento.

Este regreso a una institución centralizada fue una gran trampa del diablo para paralizar el movimiento exterior iniciado por Jesucristo. La iglesia, entonces, perdió su ímpetu para ir a todo el mundo.

El sistema utilizado por Jesús para llevar su mensaje a todo el mundo era hacer discípulos. Lo demostró con su propio grupo, la vida comunitaria relacional, invirtiendo su vida en sus vidas durante un buen período de tiempo, hasta que estuvieron listos para multiplicar en otros lo que experimentaron con él.

¿Cómo podemos llenar la tierra con discípulos? Solo volviendo al estilo de vida y al sistema que Jesús demostró claramente. Cada casa es una iglesia y cada miembro es un sacerdote, que se multiplica para hacer discípulos. Volvamos al ejemplo que Jesús nos dio. Me estoy refiriendo a la comunidad celular relacional que transforma a los bebés cristianos en discípulos, que hacen discípulos, que hacen más discípulos hasta que llenemos la Tierra con discípulos de Jesucristo.

Ayúdanos Dios!

Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil