My Commitment to Cell Based Ministry

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

When we speak about cells, we have to differentiate between the administrative aspect of the system and the organic body of Christ. The way to administrate cells may vary, but the organic body of Christ is supernatural and eternal.

I am committed to the cell system because it is the New Testament way to live the Christ-like community introduced by Jesus and first exemplified in his own cell group  with his disciples. Living in community with the twelve set the model for the New Testament church movement.

In the Acts of the Apostles we see this model being reproduced and lived by the early Church. In the beginning they met in the Temple court for the teaching of the Apostles and from house to house where all the priestly functions were lived through the priesthood of all believers. They ate together, prayed together, participated in holy communion together, followed and remained true to the Apostles teachings together, and lived in Christian love together. They primarily practiced these things in the houses.

Stephen, in chapter seven, explains the transition of God’s dwelling in the temple of Solomon to God’s dwelling in believers who now are the temple of the Holy Spirit. In chapter ten we see Cornelius inviting his friends into his house to hear the Gospel of Jesus Crist presented by the Apostle Peter, who was the first to enter the house of a gentile, a scary thing for a still Jewish minded Apostle.

The accounts of houses being used by the early Church, like the house of Lydia in Philippi, are numerous throughout the epistles and Acts.

Throughout  Church history, we find movements going back to the original pattern of small group meetings of the body of Christ in houses. It should be crystal clear to us  that the “modus operandi” of the early church was to live in community—which was first introduced by Jesus in his own cell.

We could say a lot more about the advantages of the cell system, but I am convinced the most important argument is that it is biblical.

HELP US GOD!

Robert M. Lay
Cell Church Ministry Brazil

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

Meu Compromisso com o Ministério Baseado em Células

Por Robert Lay,  www.celulas.com.br

Quando falamos em células, temos que diferenciar entre o aspecto administrativo do sistema e o corpo orgânico de Cristo. A forma de administrar as células pode variar, mas o corpo orgânico de Cristo é sobrenatural e eterno.

Estou comprometido com o sistema de células porque é a maneira do Novo Testamento de viver a comunidade semelhante à de Cristo introduzida por Jesus e exemplificada pela primeira vez em seu próprio grupo de células com seus discípulos. Viver em comunidade com os doze estabeleceu o modelo para o movimento da igreja do Novo Testamento.

Nos Atos dos Apóstolos, vemos esse modelo sendo reproduzido e vivido pela Igreja primitiva. No início, eles se reuniam no pátio do Templo para o ensino dos Apóstolos e de casa em casa, onde todas as funções sacerdotais eram vividas pelo sacerdócio de todos os crentes. Comeram juntos, oraram juntos, participaram da sagrada comunhão juntos, seguiram e permaneceram fiéis aos ensinamentos dos apóstolos juntos e viveram juntos no amor cristão. Eles praticavam essas coisas principalmente nas casas.

Estevão, no capítulo sete, explica a transição da habitação de Deus no templo de Salomão para a habitação de Deus nos crentes que agora são o templo do Espírito Santo. No capítulo dez, vemos Cornélio convidando seus amigos a entrarem em sua casa para ouvir o Evangelho de Jesus Cristo apresentado pelo Apóstolo Pedro, que foi o primeiro a entrar na casa de um gentio, algo assustador para um apóstolo ainda judeu.

Os relatos de casas usadas pela Igreja primitiva, como a casa de Lídia em Filipos, são numerosos nas epístolas e em Atos.

Ao longo da história da Igreja, encontramos movimentos que remontam ao padrão original de reuniões de pequenos grupos do corpo de Cristo nas casas. Deve estar claro para nós que o “modus operandi” da igreja primitiva era viver em comunidade – o que foi introduzido pela primeira vez por Jesus em sua própria célula.

Poderíamos dizer muito mais sobre as vantagens do sistema celular, mas estou convencido de que o argumento mais importante é que ele é bíblico.

AJUDE-NOS DEUS!

Robert M. Lay
Ministério Igreja em Célula Brasil

Spanish blog:

Mi compromiso con el ministerio celular

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

Cuando hablamos de células, tenemos que diferenciar entre el aspecto administrativo del sistema y el cuerpo orgánico de Cristo. La forma de administrar las células puede variar, pero el cuerpo orgánico de Cristo es sobrenatural y eterno.

Estoy comprometido con el sistema celular porque es la forma del Nuevo Testamento de vivir la comunidad semejante a la de Cristo presentada por Jesús y ejemplificada por primera vez en su propio grupo celular con sus discípulos. Vivir en comunidad con los doce estableció el modelo para el movimiento de la iglesia del Nuevo Testamento.

En los Hechos de los Apóstoles vemos este modelo siendo reproducido y vivido por la Iglesia primitiva. Al principio se reunían en el patio del templo para la enseñanza de los apóstoles y de casa en casa donde se vivían todas las funciones sacerdotales a través del sacerdocio de todos los creyentes. Comieron juntos, oraron juntos, participaron juntos en la santa cena, siguieron y permanecieron fieles a las enseñanzas de los Apóstoles juntos y vivieron juntos en amor cristiano. Principalmente practicaban estas cosas en las casas.

Esteban, en el capítulo siete, explica la transición de la morada de Dios en el templo de Salomón a la morada de Dios en los creyentes que ahora son el templo del Espíritu Santo. En el capítulo diez vemos a Cornelio invitando a sus amigos a su casa para escuchar el Evangelio de Jesucristo presentado por el apóstol Pedro, quien fue el primero en entrar en la casa de un gentil, algo aterrador para un apóstol todavía judío.

Los relatos de casas que usaba la Iglesia primitiva, como la casa de Lidia en Filipos, son numerosos a lo largo de las epístolas y Hechos.

A lo largo de la historia de la Iglesia, encontramos movimientos que se remontan al patrón original de las reuniones de grupos pequeños del cuerpo de Cristo en las casas. Debe quedarnos muy claro que el “modus operandi” de la iglesia primitiva era vivir en comunidad, lo cual fue introducido por primera vez por Jesús en su propia célula.

Podríamos decir mucho más sobre las ventajas del sistema celular, pero estoy convencido de que el argumento más importante es que es bíblico.

¡AYÚDANOS DIOS!

Robert M. Lay
Ministerio de la Iglesia Celular Brasil

Becoming Disciples of Jesus Through Prayer

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Prayer is the channel to interact with the Trinity through the Holy Spirit. He assists us when we pray.

We are discipled by Jesus when we follow His steps and hear His voice in our listening room. Obedience to what Jesus ordains and requires from us is a clear sign that we are His disciples. On the other hand, rebellion is a sign of independence and self-control, characteristics of a selfish life that ignores the will of God. Disciples of Jesus follow His flow and will, and not their own desires.

Prayer is a change agent. It changes us more than the situation we pray about. Prayer has a therapeutic power on us. It quiets our souls. Scientists say that our brain activities slow down and regenerate when we pray.

During the last year of the Pandemic, I had more time to pray. Because I was not busy with traveling and speaking engagements, I spent more time at His feet to become a better disciple. Slowing down has been one positive aspect of the Pandemic. Since my individual life of prayer improved,  I feel stronger to encourage my cell and the whole congregation to pray.

It is so easy to ignore our prayer life. When we do, the enemy rejoices. Let us never give up and compromise our time with Jesus in prayer. Let’s remain strong disciples until he comes again or we pass from this life to the next.

HELP US GOD!

Robert M. Lay

Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Tornando-se Discípulos de Jesus Através da Oração

Por Robert Lay, Ministério Igreja em Células Brasil, www.celulas.com.br

A oração é o canal para interagir com a Trindade por meio do Espírito Santo. Ele nos ajuda quando oramos.

Somos discipulados por Jesus quando seguimos Seus passos e ouvimos Sua voz em nossa sala de escuta. A obediência ao que Jesus ordena e exige de nós é um sinal claro de que somos Seus discípulos. Por outro lado, a rebelião é um sinal de independência e autocontrole, características de uma vida egoísta que ignora a vontade de Deus. Os discípulos de Jesus seguem Seu fluxo e vontade, e não seus próprios desejos.

A oração é um agente de mudança. Ela nos muda mais do que a situação pela qual oramos. A oração tem um poder terapêutico sobre nós. Ela acalma nossas almas. Os cientistas dizem que nossas atividades cerebrais diminuem e se regeneram quando oramos.

Durante o último ano da Pandemia, tive mais tempo para orar. Como não estava ocupado com viagens e palestras, passei mais tempo aos Seus pés para me tornar um discípulo melhor. A desaceleração tem sido um aspecto positivo da Pandemia. Visto que minha vida individual de oração melhorou, sinto-me mais forte para encorajar minha célula e toda a congregação a orar.

É tão fácil ignorar nossa vida de oração. Quando o fazemos, o inimigo se alegra. Jamais desistamos e comprometamos nosso tempo com Jesus em oração. Vamos permanecer discípulos fortes até que ele volte ou passemos desta vida para a próxima.

AJUDE-NOS DEUS!

Robert M. Lay

Ministério Igreja em Célula Brasil

Spanish blog:

Convertirse en discípulos de Jesús a través de la oración

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular de Brasil, www.celulas.com.br

La oración es el canal para interactuar con la Trinidad a través del Espíritu Santo. Este nos ayuda cuando oramos.

Somos discipulados por Jesús cuando seguimos Sus pasos y escuchamos Su voz en nuestra sala de escucha. La obediencia a lo que Jesús ordena y exige de nosotros es una clara señal de que somos sus discípulos. Por otro lado, la rebelión es signo de independencia y dominio propio, características de una vida egoísta que ignora la voluntad de Dios. Los discípulos de Jesús siguen Su fluir y voluntad, y no sus propios deseos.

La oración es un agente de cambio. Nos cambia más que la situación por la que oramos. La oración tiene un poder terapéutico sobre nosotros. Tranquiliza nuestras almas. Los científicos dicen que nuestras actividades cerebrales se ralentizan y se regeneran cuando oramos.

Durante el último año de la pandemia, tuve más tiempo para orar. Como no estaba ocupado viajando y hablando, pasé más tiempo a Sus pies para convertirme en un mejor discípulo. Disminuir la velocidad ha sido un aspecto positivo de la pandemia. Dado que mi vida individual de oración mejoró, me siento más fuerte para animar a mi célula y a toda la congregación a orar.

Es muy fácil ignorar nuestra vida de oración. Cuando lo hacemos, el enemigo se regocija. Nunca nos rindamos ni comprometamos nuestro tiempo con Jesús en oración. Sigamos siendo discípulos fuertes hasta que él regrese o pasemos de esta vida a la siguiente.

¡AYÚDANOS DIOS!

Robert M. Lay

Ministerio de la Iglesia Celular Brasil

Making Disciples Through Coaching (Abaixo em português)

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Every cell coach must see their cell leaders as disciples who need love and care. Leaders feel very secure when  their coaches care for them. This can surely be called discipleship. Coaching involves a variety of strategies and methodologies, like individual and group coaching, but the goal is to love and care for them so they might fruitfully minister for God’s glory.

When we started our cell church transition in Brazil, I was very close to my leaders. I had lunch once a week with each one of them, often during their work lunch breaks. I had to learn to take time and give attention to this special group of people that helped me to pastor the flock, without neglecting the church members in general. I poured my life into these leaders.

Strangely, in my seminary training, I didn’t learn about how to disciple leaders or how to coach them. I was trained to pastor the flock all by myself—to preach, teach, counsel and so forth.  Yet, in the cell church vision, I had to learn the Jesus strategy—how to take a smaller group of committed leaders to spend time with them and through them to multiply my ministry.

As our church grew and cells multiplied, I fell into the trap of assuming that now, with the system running, my leaders did not need much care anymore. Wrong. I realized that as I gave the leaders less attention, the cells did not multiply as rapidly, nor did they grow with the same quality. Leaders started to get tired and drag their feet.

I learned that to maintain the leader’s health and vitality, I (and my team) needed to give them regular contact and care. In a discipleship relationships, it is very important to stay close to our disciples, but not to a point of controlling them totally. Some discipleship movements have a sickening relationship of personal control over the disciple. This is very unhealthy.

Joel Comiskey has written various books on coaching in which he mentions seven healthy habits about how to coach.  I list them here:

RECEIVE from God, which means listening to the Holy Spirit and also praying for the leaders.  

LISTEN to those being coached. Great coaches are aware of the needs and struggles of the leaders.

ENCOURAGE the leaders not to give up under hard times or bad circumstances.

CARE for the leaders and help them resolve their problems.

TRAIN the leaders to be efficient in all they do.

DEVELOP A STRATEGY for the leaders to have a clear vision to achieve their proposed goals.

CHALLENGE the leaders to excel in their natural abilities so that their ministries might bear more fruit.

There is much more to  be said about discipleship and coaching. We will never fully exhaust this topic.  I remember Pastor Mario Vega once saying that leading a person to Jesus requires 10% of the effort, but helping them achieve maturity is 90% of the effort.

HELP US GOD!

Robert M. Lay

Cell Church Ministry Brazil

Korean blog: (click here

Portuguese blog:

Fazendo Discípulos Através da Supervisão

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

Cada supervisor de célula deve ver seus líderes de célula como discípulos que precisam de amor e cuidado. Os líderes se sentem muito seguros quando seus treinadores cuidam deles. Isso certamente pode ser chamado de discipulado. A supervisão envolve uma variedade de estratégias e metodologias, como supervisão individual e em grupo, porém o objetivo é amá-los e cuidar deles para que possam ministrar frutuosamente para a glória de Deus.

Quando começamos a transição da nossa igreja em células no Brasil, eu era muito próximo dos meus líderes. Almocei uma vez por semana com cada um deles, muitas vezes durante os intervalos de almoço do trabalho. Tive que aprender a ter tempo e a dar atenção a esse grupo especial de pessoas que me ajudava a pastorear o rebanho, sem descuidar dos membros da igreja em geral. Eu derramei minha vida nesses líderes.

Estranhamente, em meu treinamento no seminário, não aprendi como discipular líderes ou como treiná-los. Fui treinado para pastorear o rebanho sozinho – para pregar, ensinar, aconselhar e assim por diante. Ainda assim, na visão da igreja em células, eu tive que aprender a estratégia de Jesus – como levar um grupo menor de líderes comprometidos para passar tempo com eles e, por meio deles, multiplicar meu ministério.

À medida que nossa igreja crescia e as células se multiplicavam, eu caí na armadilha de presumir que agora, com o sistema funcionando, meus líderes não precisariam mais de muitos cuidados. Errado. Percebi que, ao dar menos atenção aos líderes, as células não se multiplicaram tão rapidamente, nem cresceram com a mesma qualidade. Os líderes começaram a ficar cansados e a arrastar os pés.

Aprendi que, para manter a saúde e a vitalidade do líder, eu (e minha equipe) precisamos dar a eles contato e cuidados regulares. Em um relacionamento de discipulado, é muito importante ficar perto de nossos discípulos, mas não a ponto de controlá-los totalmente. Alguns movimentos de discipulado têm uma relação doentia de controle pessoal sobre o discípulo. Isso é muito prejudicial à saúde.

Joel Comiskey escreveu vários livros sobre supervisão nos quais menciona sete hábitos saudáveis de supervisão. Eu os listo aqui:

RECEBER de Deus, o que significa ouvir o Espírito Santo e também orar pelos líderes.

ESCUTE os que estão sendo supervisionados. Grandes supervisores estão cientes das necessidades e dificuldades dos líderes.

INCENTIVA os líderes a não desistir em tempos difíceis ou circunstâncias adversas.

CUIDAR dos líderes e ajudá-los a resolver seus problemas.

TREINE os líderes para serem eficientes em tudo o que fazem.

DESENVOLVA UMA ESTRATÉGIA para que os líderes tenham uma visão clara para atingir os objetivos propostos.

DESAFIE os líderes a se destacarem em suas habilidades naturais para que seus ministérios dêem mais frutos.

Há muito mais a ser dito sobre discipulado e supervisão. Nunca esgotaremos totalmente este tópico. Lembro-me de que o pastor Mario Vega disse certa vez que levar uma pessoa a Jesus requer 10% do esforço, contudo ajudá-la a atingir a maturidade é 90% do esforço.

AJUDE-NOS DEUS!

Robert M. Lay
Ministério Igreja em Célula Brasil

Spanish blog:

Haciendo discípulos a través del entrenamiento 

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

Cada entrenador celular debe ver a sus líderes celulares como discípulos que necesitan amor y cuidado. Los líderes se sienten muy seguros cuando sus entrenadores se preocupan por ellos. Esto seguramente se puede llamar discipulado. El coaching implica una variedad de estrategias y metodologías, como el coaching individual y grupal, pero el objetivo es amarlos y cuidarlos para que puedan ministrar fructíferamente para la gloria de Dios.

Cuando comenzamos la transición de nuestra iglesia celular en Brasil, estaba muy cerca de mis líderes. Almorzaba una vez a la semana con cada uno de ellos, a menudo durante los descansos del almuerzo en el trabajo. Tuve que aprender a tomarme el tiempo y prestar atención a este grupo especial de personas que me ayudaron a pastorear el rebaño, sin descuidar a los miembros de la iglesia en general. Vertí mi vida en estos líderes.

Curiosamente, en mi formación en el seminario, no aprendí cómo discipular a los líderes o cómo entrenarlos. Fui entrenado para pastorear el rebaño por mi cuenta, para predicar, enseñar, aconsejar, etc. Sin embargo, en la visión de la iglesia celular, tuve que aprender la estrategia de Jesús: cómo llevar a un grupo más pequeño de líderes comprometidos a pasar tiempo con ellos y a través de ellos para multiplicar mi ministerio.

A medida que nuestra iglesia crecía y las células se multiplicaban, caí en la trampa de asumir que ahora, con el sistema en funcionamiento, mis líderes ya no necesitaban mucho cuidado. Incorrecto. Me di cuenta de que a medida que prestaba menos atención a los líderes, las células no se multiplicaban tan rápidamente ni crecían con la misma calidad. Los líderes comenzaron a cansarse y arrastrar los pies.

Aprendí que para mantener la salud y la vitalidad del líder, yo (y mi equipo) necesitábamos brindarles atención y contacto regular. En las relaciones de discipulado, es muy importante estar cerca de nuestros discípulos, pero no hasta el punto de controlarlos por completo. Algunos movimientos de discipulado tienen una relación enfermiza de control personal sobre el discípulo. Esto es muy perjudicial para la salud.

Joel Comiskey ha escrito varios libros sobre entrenamiento en los que menciona siete hábitos saludables sobre cómo entrenar. Los enumero aquí:

RECIBIR de Dios, que significa escuchar al Espíritu Santo y también orar por los líderes.

ESCUCHE a los que están siendo entrenados. Los grandes entrenadores son conscientes de las necesidades y luchas de los líderes.

ANIME a los líderes a no darse por vencidos en tiempos difíciles o malas circunstancias.

CUIDAR a los líderes y ayudarlos a resolver sus problemas.

ENTRENAR a los líderes para que sean eficientes en todo lo que hacen.

DESARROLLAR UNA ESTRATEGIA para que los líderes tengan una visión clara para lograr sus metas propuestas.

RETE a los líderes a sobresalir en sus habilidades naturales para que sus ministerios den más frutos.

Hay mucho más que decir sobre el discipulado y el entrenamiento. Nunca agotaremos completamente este tema. Recuerdo que el pastor Mario Vega dijo una vez que llevar a una persona a Jesús requiere el 10% del esfuerzo, pero ayudarlos a alcanzar la madurez es el 90% del esfuerzo.

¡AYÚDANOS DIOS!

Robert M. Lay Ministerio de la Iglesia Celular Brasil

Celebration and Discipleship

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

God’s people gathered in the temple courts to celebrate God’s greatness and majesty in the Old Testament. These gatherings also were used to listen to Priests and Prophets to deliver their message to the people. Besides the corporate gatherings, we can also see the groups of ten (Exodus 18).

In the New Testament, God’s people met publicly and from house to house (book of Acts). This month we talked about celebration and its importance in the cell system and discipleship overall.

As we said earlier, the celebration is the gathering of all cells. It is an experience of showing strength and unity. Corporate gatherings, representing the transcendence of God, complements the community gathering, representing the immanence of God—most high and the most nigh God. Dr Bill Beckham uses the analogy of the two wings of a bird to illustrate these two elements of the cell church. The one-wing church features only corporate gatherings or only community gatherings. Such a church will not fly.

The celebration service should be attractive, inspiring, and well planned. It should lead to a deep relationship with God through worship. These qualities are also very positive and strong in reaching out to unbelievers present. It is an effective evangelistic tool.

In the celebration, it is also easy to lead the cells to multiplication. They can be prepared for some weeks until the multiplication day arrives. It is a joyful day when multiplication can be made visible and celebrated. Also, in celebration services, the people of multiplied cells can meet and see each other again.

Preaching is a very important and perhaps the most critical part of the celebration service. Sermons have to be of high quality and very practical, down to earth. Members must apply the teaching in everyday life. Many cell churches deliberately use the sermon teachings for practical application during the Word time in the cell. This preaching time can also be beneficial for the teaching of values and vision casting and reinforcement.

Celebration is crucial in the overall discipleship process. At the beginning of the cell movement, we tended to emphasize the cells and neglected the celebration. However, today, we have come back to highlight the celebration as equally important to the cell. They complement each other.

HELP US GOD!

Robert M. Lay
Cell Church Brazil

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

Celebração e Discipulado
Robert Lay, www.celulas.com.br

O povo de Deus se reunia no templo para celebrar a grandeza e a majestade de Deus no Antigo Testamento. Aquelas reuniões também eram uma oportunidade para ouvir os pregadores e profetas, que entregavam suas mensagens ao povo. Além destas grandes reuniões, também é possível observar que havia outras reuniões em grupos de 10 pessoas (Êxodo 18).

No Novo Testamento o povo de Deus reunia-se publicamente e também de casa em casa (livro de Atos). Durante este mês temos falado sobre a celebração e sua importância no sistema celular e no discipulado em geral.

Como mencionamos anteriormente, a celebração é a reunião de todas as células. É uma experiência onde é possível demonstrar força e unidade. As grandes reuniões, representando a transcendência de Deus, complementam as reuniões de íntima comunhão, que representam a imanência de Deus – Deus Altíssimo e Deus Presente. O Dr. Bill Beckham utiliza a analogia das duas asas de um pássaro para ilustrar estes dois elementos da igreja celular. A igreja com apenas uma asa é aquela que utiliza apenas as grandes reuniões ou apenas as reuniões de íntima comunhão. Uma igreja assim não voará.

O Culto de Celebração deve ser atraente, inspirador e muito bem planejado. Ele deve levar as pessoas a um relacionamento mais profundo com Deus através da adoração. Estas qualidades também são muito positivas e fortes no sentido de alcançar pessoas fora da comunidade ou descrentes que estejam presentes. É uma ferramenta evangelística efetiva.

É fácil levar as células à multiplicação através da Celebração. É possível prepará-las para a multiplicação por diversas semanas até o dia da multiplicação. É um dia cheio de alegria quando a
Multiplicação é visível e pode ser celebrada. Além disso, nos Cultos de Celebração, as pessoas de células que passaram pela multiplicação podem novamente se encontrar.

A pregação é muito importante e talvez seja a parte mais crítica do Culto de Celebração. Os sermões precisam ser de alta qualidade e muito práticos, realmente pragmáticos. Os membros devem poder aplicar o ensino no dia a dia. Muitas igrejas intencionalmente utilizam o ensino da pregação para aplicação prática durante o momento da Palavra nas células daquela semana. Este momento da pregação também pode ser muito bom para o ensino dos valores e para passar e reforçar a visão da igreja.

A celebração é crucial no processo de discipulado como um todo. No início do movimento celular nós tendíamos a enfatizar as células e negligencias a celebração. Hoje nós voltamos a chamar a atenção para a Celebração como um momento tão importante quanto a célula. Eles se complementam.

Nos ajude Deus!
Robert M. Lay
Ministério Igreja em Células no Brasil.

Spanish blog:

Esta es una traducción de Google. Cuando se reciba el blog normal, se publicará en el sitio web de JCG.

Celebración y discipulado Por Robert Lay, www.celulas.com.br
El pueblo de Dios se reunió en los patios del templo para celebrar la grandeza y majestad de Dios en el Antiguo Testamento. Estas reuniones también se utilizaron para escuchar a los sacerdotes y profetas para transmitir su mensaje a la gente. Además de las reuniones corporativas, también podemos ver los grupos de diez (Éxodo 18).

En el Nuevo Testamento, el pueblo de Dios se reunía públicamente y de casa en casa (libro de los Hechos). Este mes hablamos sobre la celebración y su importancia en el sistema celular y el discipulado en general.

Como dijimos anteriormente, la celebración es la reunión de todas las células. Es una experiencia de mostrar fuerza y ​​unidad. Las reuniones colectivas, que representan la trascendencia de Dios, complementan la reunión de la comunidad y representan la inmanencia de Dios, el Dios más alto y más cercano. El Dr. Bill Beckham usa la analogía de las dos alas de un pájaro para ilustrar estos dos elementos de la iglesia celular. La iglesia de un ala presenta solo reuniones corporativas o solo reuniones comunitarias. Una iglesia así no volará.

El servicio de celebración debe ser atractivo, inspirador y bien planificado. Debería conducir a una relación profunda con Dios a través de la adoración. Estas cualidades también son muy positivas y fuertes para llegar a los incrédulos presentes. Es una herramienta de evangelización eficaz.

En la celebración, también es fácil llevar las células a la multiplicación. Se pueden preparar durante algunas semanas hasta que llegue el día de la multiplicación. Es un día alegre en el que la multiplicación puede hacerse visible y celebrarse. Además, en los servicios de celebración, las personas de células multiplicadas pueden encontrarse y verse de nuevo.

La predicación es una parte muy importante y quizás la más crítica del servicio de celebración. Los sermones deben ser de alta calidad y muy prácticos, con los pies en la tierra. Los miembros deben aplicar la enseñanza en la vida diaria. Muchas iglesias celulares usan deliberadamente las enseñanzas del sermón para una aplicación práctica durante el tiempo de la Palabra en la celda. Este tiempo de predicación también puede ser beneficioso para la enseñanza de valores y para proyectar y reforzar la visión.

La celebración es crucial en el proceso general de discipulado. Al comienzo del movimiento celular, tendíamos a enfatizar las células y descuidamos la celebración. Sin embargo, hoy hemos vuelto para destacar la celebración como igualmente importante para la célula. Se complementan entre sí.

¡AYÚDENOS DIOS!

Robert M. Lay
Iglesia celular Brasil

Cell Multiplication

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In our body, healthy cells multiply normally to keep us alive. In every system, cells have to be mature before multiplying. The aging process happens when more cells die then multiply. Sick cells multiply into sick cells. This leads to disease.

In the cell church what are some characteristics of a mature cell that is ready for multiplication? This is not an exhaustive study.

  1. The cell is seen as the church, that is, a basic Christian community. Living in close community is very powerful. The cell is not an appendix of the overall church program. It is the body of Christ in its full function. Dr Bill Beckham says, “the cell is a lean and mean fighting machine.” The presence, power, and purpose of Jesus Christ gives it a legitimized existence as a church under a local leadership team. The gates of hell will not prevail against her.
  2. The Priesthood of all Believers is understood and practiced. In Brazil, we have a governing principle that we have used since the beginning of the cell movement: “Each House a Church, Each Member a Minister.” The cell isn’t a one-man show. Remember it’s not only the leader that builds up Christ’s body. Rather, every member has one or more gifts of the Holy Spirit to edify (oikodomeo) the body of Christ. Each member does this through practicing the one-another ministry, mentioned over 50 times in the New Testament.
  3. The Word of God is applied to everyday life according to James 1:22-24. Transformation and life according to Christian values are essential as a sign of maturity as the cell prepares to multiply.
  4. One or more interns have been developed through discipleship, equipping, and active participation in leading the cell. A key question is whether the disciple is making new disciples.  An Apple tree does not stop by producing apples. It produces other apple trees. It is important that the more mature cell members form a leadership core (1 John 2:12-14).
  5. There is an earnest desire to live a holy life. “Holiness and Harvest” were the two pillars of John Wesley’s cells. Sadly, the church of Jesus Christ started as an organic movement and later was transformed into a static monument.
  6. The cell does not suffer from multiplication phobia. Remember that growth leads to natural multiplication. It is a consequence of normal life through natural relationships with unsaved friends. Jesus was authentic and simple. He related to people on the streets, in houses, at feasts, on the beach, etc. He loved to eat with people! This is the most effective way to grow.

We need to teach these characteristics of a mature cell in our equipping and practice them in normal cell life.

HELP US GOD!

Robert M. Lay, Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Multiplicação de Células

Por Robert Lay,  www.celulas.com.br

Em nosso corpo, as células saudáveis se multiplicam normalmente para nos manter vivos. Em todos os sistemas, as células precisam estar maduras antes de se multiplicarem. O processo de envelhecimento ocorre quando mais células morrem e depois se multiplicam. As células doentes se multiplicam em células doentes. Isso leva à doença.

Na igreja em células, quais são algumas características de uma célula madura que está pronta para a multiplicação? Este não é um estudo exaustivo.

  1. A célula é vista como a igreja, ou seja, uma comunidade cristã básica. Viver em comunidade próxima é muito poderoso. A célula não é um apêndice do programa geral da igreja. É o corpo de Cristo em todas as suas funções. O Dr. Bill Beckham diz: “a célula é uma máquina de combate enxuta e malvada”. A presença, o poder e o propósito de Jesus Cristo conferem a ela uma existência legitimada como uma igreja sob uma equipe de liderança local. As portas do inferno não prevalecerão contra ela.
  2. O sacerdócio de todos os crentes é compreendido e praticado. No Brasil, temos um princípio governante que usamos desde o início do movimento de células: “Cada Casa é uma Igreja, Cada Membro é um Ministro”. A célula não é trabalho de um homem só. Lembre-se de que não é apenas o líder que constrói o corpo de Cristo. Em vez disso, cada membro tem um ou mais dons do Espírito Santo para edificar (oikodomeo) o corpo de Cristo. Cada membro faz isso praticando o ministério uns dos outros, mencionado mais de 50 vezes no Novo Testamento.
  3. A Palavra de Deus é aplicada à vida cotidiana de acordo com Tiago 1:22-24. A transformação e a vida segundo os valores cristãos são essenciais como sinal de maturidade enquanto a célula se prepara para se multiplicar.
  4. Um ou mais estagiários foram desenvolvidos por meio do discipulado, treinamento e participação ativa na liderança da célula. Uma questão chave é se o discípulo está fazendo novos discípulos. Uma macieira não para de produzir maçãs. Produz outras macieiras. É importante que os membros mais maduros da célula formem um núcleo de liderança (1 João 2:12-14).
  5. Há um desejo sincero de viver uma vida santa. “Santidade e Colheita” eram os dois pilares das células de John Wesley. Infelizmente, a igreja de Jesus Cristo começou como um movimento orgânico e mais tarde foi transformada em um monumento estático.
  6. A célula não sofre de fobia de multiplicação. Lembre-se de que o crescimento leva à multiplicação natural. É uma consequência da vida normal por meio de relacionamentos naturais com amigos não salvos. Jesus era autêntico e simples. Ele se relacionava com as pessoas nas ruas, nas casas, nas festas, na praia, etc. Ele adorava comer com as pessoas! Esta é a maneira mais eficaz de crescer.

Precisamos ensinar essas características de uma célula madura em nosso equipamento e praticá-las na vida normal da célula.

AJUDE-NOS DEUS!

Robert M. Lay, Ministério Igreja em Células no Brasil

Spanish blog:

Multiplicación celular

 

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

 

En nuestro cuerpo, las células sanas se multiplican normalmente para mantenernos con vida. En todos los sistemas, las células deben estar maduras antes de multiplicarse. El proceso de envejecimiento ocurre cuando mueren más células y luego se multiplican. Las células enfermas se multiplican en células enfermas. Esto conduce a la enfermedad.

 

En la iglesia celular, ¿cuáles son algunas de las características de una célula madura que está lista para la multiplicación? Este no es un estudio exhaustivo.

 

 1. La célula se ve como la iglesia, es decir, una comunidad cristiana básica. Vivir en una comunidad cercana es muy poderoso. La célula no es un apéndice del programa general de la iglesia. Es el cuerpo de Cristo en plena función. El Dr. Bill Beckham dice, “la célula es una máquina de lucha magra y mezquina”. La presencia, el poder y el propósito de Jesucristo le dan una existencia legitimada como iglesia bajo un equipo de liderazgo local. Las puertas del infierno no prevalecerán contra ella.

 

2. El sacerdocio de todos los creyentes se comprende y se practica. En Brasil tenemos un principio rector que hemos utilizado desde el inicio del movimiento celular: “Cada casa una Iglesia, cada miembro un ministro”. La célula no es un espectáculo de un solo hombre. Recuerde que no es solo el líder quien edifica el cuerpo de Cristo. Más bien, cada miembro tiene uno o más dones del Espíritu Santo para edificar (oikodomeo) el cuerpo de Cristo. Cada miembro hace esto practicando el ministerio de unos a otros, esto es mencionado más de 50 veces en el Nuevo Testamento.

 

3. La Palabra de Dios se aplica a la vida diaria según Santiago 1: 22-24. La transformación y la vida según los valores cristianos es esencial como signo de madurez mientras la célula se prepara para multiplicarse.

 

4. Se han desarrollado uno o más miembros a través del discipulado, el equipamiento y la participación activa en la dirección de la célula. Una pregunta clave es si el discípulo está haciendo nuevos discípulos. Un manzano no deja de producir manzanas. Produce otros manzanos. Es importante que los miembros de la célula más maduros formen un núcleo de liderazgo (1 Juan 2: 12-14).

 

5. Hay un ferviente deseo de vivir una vida santa. “Santidad y cosecha” eran los dos pilares de las células de John Wesley. Lamentablemente, la iglesia de Jesucristo comenzó como un movimiento orgánico y luego se transformó en un monumento estático.

 

6. La célula no sufre de fobia a la multiplicación. Recuerde que el crecimiento conduce a la multiplicación natural. Es una consecuencia de la vida normal a través de relaciones naturales con amigos inconversos. Jesús fue auténtico y sencillo. Se relacionaba con la gente en las calles, en las casas, en las fiestas, en la playa, etc. ¡Le encantaba comer con la gente! Ésta es la forma más eficaz de crecer. 

 

Necesitamos enseñar estas características de una célula madura en nuestro equipamiento y practicarlas en la vida celular normal. 

 

¡AYÚDANOS DIOS! 

 

Robert M. Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil