Team Work Makes the Dream Work

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Today I met for lunch with my cell. Part of our discussion had to do with the benefits of being a part of our weekly meetings. A question we discussed today was ‘How has this cell impacted your life?’ I was very encouraged by the answers that were shared, but one of them really blessed me.

About 2 years ago, when my cell started to meet, there was a young man named Josh who began to attend. Josh decided that he wasn’t going to attend church on the weekend but would be faithful to our weekly cell meetings. Faithful he has been. Josh has rarely missed consecutive weeks over the past two years. Outside of our regular meeting agendas, we have utilized the Live, Encounter,  Grow, Share and Lead books by Joel Comiskey. We would each read a chapter a week and then discuss what we learned when we met up. The conversations would always focus on something very specific that one of the group members was having trouble understanding.

For example, several weeks ago Josh said ‘I don’t know how to hear God’s voice’. Each cell member was able to personally tell how they heard God’s voice. Each member’s answers were unique to that person while there was also some overlap in answers [prayer, reading the Bible, attending church services, etc..]. Josh put into action the things we suggested and began to attend church in person the following week.  As we were reflecting today, I realized how much Josh has grown over the course of 2 years and the important role that the rest of the group has played in his discipleship.

I’ve found that looking at discipleship as a team sport has helped everyone to grow in their walk with the Lord. Having that perspective has allowed the burden of discipleship and equipment to be shared with the entire group, instead of just one member.

How can you leverage your cells for discipleship and equipping in such a way that it would remove the burden of just one person (probably you) being responsible?


Korean blog:
(click here)


Portuguese blog:

O Trabalho em Equipe Faz o Sonho Funcionar

Por Stephen Daigle, pastor universitário e jovem adulto da Celebration Church,  www.celebrationchurch.org

Hoje me encontrei para almoçar com minha célula. Parte de nossa discussão teve a ver com os benefícios de fazer parte de nossas reuniões semanais. Uma questão que discutimos hoje foi ‘Como esta célula impactou sua vida?’ Fiquei muito encorajado com as respostas que foram compartilhadas, mas uma delas realmente me abençoou.

Cerca de 2 anos atrás, quando minha célula começou a se encontrar, havia um jovem chamado Josh que começou a frequentar. Josh decidiu que não iria à igreja no fim de semana, mas seria fiel às nossas reuniões semanais de célula. Ele tem sido fiel. Josh raramente perdeu semanas consecutivas nos últimos dois anos. Fora de nossas agendas regulares de reuniões, utilizamos os livros Viver, Ser Livre, Crescer, Compartilhar e Liderar    de Joel Comiskey. Cada um de nós lia um capítulo por semana e depois discutia o que aprendíamos quando nos encontrávamos. As conversas sempre se concentrariam em algo muito específico que um dos membros do grupo estava tendo problemas para entender.

Por exemplo, há várias semanas, Josh disse “Não sei como ouvir a voz de Deus”. Cada membro da célula foi capaz de contar pessoalmente como ouviram a voz de Deus. As respostas de cada membro eram exclusivas para aquela pessoa, embora também houvesse alguma sobreposição nas respostas [oração, leitura da Bíblia, participação nos cultos da igreja, etc.]. Josh colocou em prática as coisas que sugerimos e começou a frequentar a Igreja pessoalmente na semana seguinte. Enquanto refletíamos hoje, percebi o quanto Josh cresceu ao longo de 2 anos e o importante papel que o resto do grupo desempenhou em seu discipulado.

Eu descobri que olhar para o discipulado como um esporte de equipe ajudou todos a crescer em sua caminhada com o Senhor. Ter essa perspectiva permitiu que o fardo do discipulado e do equipamento fosse compartilhado com todo o grupo, ao invés de apenas um membro.

Como você pode alavancar suas células para o discipulado e equipar de uma maneira que remova o fardo de apenas uma pessoa (provavelmente você) ser o responsável?

Spanish blog:

Un trabajo en equipo hace que el sueño funcione

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Hoy me reuní para almorzar con mi célula. Parte de nuestra discusión tuvo que ver con los beneficios de ser parte de nuestras reuniones semanales. Una pregunta que discutimos hoy fue “¿Cómo ha impactado esta célula en tu vida?” Me alentaron mucho las respuestas que se compartieron, pero una de ellas realmente me bendijo.

Hace aproximadamente 2 años, cuando mi célula inició a reunirse, había un joven llamado Josh que comenzó a asistir. Josh decidió que no iba a asistir a la iglesia el fin de semana, pero que sería fiel a nuestras reuniones celulares semanales. El ha sido fiel. Josh rara vez se ha perdido semanas consecutivas en los últimos dos años. Fuera de nuestras agendas de reuniones regulares, hemos utilizado los libros Vive, Encuentro, Crece, Comparte, Dirige de Joel Comiskey. Cada uno de nosotros leía un capítulo a la semana y luego discutíamos lo que aprendimos cuando nos reuníamos. Las conversaciones siempre se enfocarían en algo muy específico que a uno de los miembros del grupo le costaba entender.

Por ejemplo, hace varias semanas Josh dijo: “No sé cómo escuchar la voz de Dios”. Cada miembro de la célula pudo decir personalmente cómo escucharon la voz de Dios. Las respuestas de cada miembro fueron únicas para esa persona, mientras que también hubo cierta superposición en las respuestas [oración, lectura de la Biblia, asistencia a los servicios de la iglesia, etc.]. Josh puso en acción las cosas que sugerimos y comenzó a asistir a la iglesia en persona la semana siguiente. Mientras reflexionábamos hoy, me di cuenta de cuánto ha crecido Josh en el transcurso de 2 años y del importante papel que el resto del grupo ha jugado en su discipulado.

Descubrí que considerar el discipulado como un deporte de equipo ha ayudado a todos a crecer en su caminar con el Señor. Tener esa perspectiva ha permitido que la carga del discipulado y el equipo se comparta con todo el grupo, en lugar de con un solo miembro.

¿Cómo pueden aprovechar tus células para el discipulado y el equipamiento de tal manera que elimine la carga de que una sola persona (probablemente tu) sea responsable?

The Trickle-Down Effect

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Have you ever heard the phrase ‘What you feed grows’? This is true when it comes to cell ministry. Whatever you focus on, talk about, and resource will grow more quickly than other areas. It is vitally important that we ‘feed’ our cells with vision and strategy so that they can grow. It is similarly important that we ‘feed’ our congregation with the benefits and biblical mandate for participating in a cell. The weekend gathering provides great opportunities to do just that.

I’ve heard it said that congregations begin to look like their Pastor. Why? Because the Pastor is sharing and encouraging the congregation with the passions and directions that God puts on his heart and passion is contagious. What starts at the top will ultimately trickle down.

The best way for cells to be promoted and encouraged is from the pulpit. Instead of having a cell-focused weekend, this needs to be spoken about consistently by the Pastor. It needs to become a part of the DNA of the church and not just a seasonal focus. Cell ministry is not a ministry the church offers, and it’s how the church should function.

As a Pastor who is privileged to preach frequently, I make it a point to highlight the importance of cell ministry in the sermons that I preach. No matter what the topic, cell ministry fits. If you are not the preaching pastor at your church, I would first suggest praying for your Pastor to have a vision for cell ministry. Then I would set up a meeting to talk about how cell ministry can be the backbone of your church.

Imagine you are a first-time guest walking into your church. How long would it take for you to hear about cell ministry and get plugged in? Putting yourself in a first-time guest’s shoes will help give you perspective on how you can make sure cell ministry is a central focus of your church.

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

O “Efeito Cascata”

Stephen Daigle, Pastor de Universitários e jovens adultos na Igreja Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Você já ouviu aquela frase: “Aquilo que você alimenta é o que vai crescer”? Isto também é verdade quando o assunto é o ministério em células. Aquilo em que você colocar seu foco, aquilo sobre o que você fala e onde você se apoia, é isto que vai crescer mais rapidamente em sua vida. É de vital importância que você “alimente” suas células com visão e estratégia, para que elas cresçam. Também é importante que você “alimente” sua congregação com os benefícios e instruções bíblicas que sustentam a participação nas células. O Culto do final de semana é uma grande oportunidade para isso.

Eu também já ouvi dizer que as congregações aos poucos começam a se parecer com seu pastor. E qual o motivo disso? É que o pastor compartilha e encoraja a congregação com a paixão e o direcionamento que Deus coloca em seu coração, e paixão é algo contagioso. Tudo que começa no alto acaba atingindo a todos, pelo efeito cascata.

O encorajamento que vem do púlpito é a melhor maneira de promover as células. Ao invés de fazer isso apenas em uma programação especial de final de semana, isto precisa ser constantemente feito pelo pastor. É preciso que isto se torne parte do DNA da igreja e não um foco sazonal. O ministério em células não é um ministério oferecido pela igreja, é a maneira pela qual a igreja deve funcionar.

Por ser pastor e ter o privilégio de pregar com frequência, tenho um propósito de fazer dos meus sermões uma oportunidade de enfatizar o ministério em células. Seja qual for o assunto, é possível encaixar o ministério em células. Se você não é o pastor que prega em sua igreja eu sugiro que você ore para que seu pastor receba a visão do ministério em células. Depois disso, você pode organizar um encontro para conversarem sobre como o ministério em células pode ser a espinha dorsal de sua igreja.

Imagine-se visitando sua igreja pela primeira vez. Quanto tempo demoraria para que você ouvisse falar do ministério em células e se integrasse? Colocar-se na posição do visitante pode ajudar a entender o que você pode fazer para tornar o ministério em células o ponto central e o foco da sua igreja.

Spanish blog:

El efecto de goteo

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

¿Alguna vez has escuchado la frase ‘Lo que alimentas crece’? Esto es cierto cuando se trata del ministerio celular. Cualquier cosa en la que se concentre, en lo que hable y en sus recursos, crecerá más rápidamente que en otras áreas. Es de vital importancia que ‘alimentemos’ nuestras células con visión y estrategia para que puedan crecer. Es igualmente importante que ‘alimentemos’ a nuestra congregación con los beneficios y el mandato bíblico de participar en una célula. La reunión de fin de semana ofrece grandes oportunidades para hacer precisamente eso.

Escuché decir que las congregaciones comienzan a parecerse a su Pastor. ¿Por qué? Porque el Pastor está compartiendo y animando a la congregación con las pasiones y direcciones que Dios pone en su corazón y la pasión es contagiosa. Lo que comienza en la parte superior finalmente se filtrará hacia abajo.

La mejor manera de promover y alentar a las células es desde el púlpito. En lugar de tener un fin de semana centrado en las células, el pastor debe hablar de esto constantemente. Debe convertirse en parte del ADN de la iglesia y no solo en un enfoque estacional. El ministerio celular no es un ministerio que ofrece la iglesia, y es la forma en que la iglesia debería funcionar.

Como pastor que tiene el privilegio de predicar con frecuencia, me aseguro de resaltar la importancia del ministerio celular en mis predicaciones que hago. No importa cuál sea el tema, el ministerio celular encaja. Si usted no es el pastor predicador en su iglesia, primero le sugiero que ore para que su pastor tenga una visión para el ministerio celular. Luego, organizaría una reunión para hablar sobre cómo el ministerio celular puede ser la columna vertebral de su iglesia.

Imagínese que es la primera vez que entra a su iglesia. ¿Cuánto tiempo le tomaría escuchar sobre el ministerio celular y conectarse? Ponerse en el lugar de un invitado por primera vez le ayudará a tener una perspectiva de cómo puede asegurarse de que el ministerio celular sea un enfoque central de su iglesia.

Speak Life

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

There was a young man who was a great volunteer at our church. He was F.A.S.T. (faithful, available, submissive, and teachable). However, he grew up in a broken family. Because of his socioeconomic status, he didn’t believe himself and didn’t think he could grow.

I tried to speak life over him at every opportunity. I even told him that one day he would be a great pastor! He would always say ‘no, no, no. not me. You must mean someone else’. He was very content staying comfortable leading his small cell, but I knew God had more for him. I consistently affirmed him and cast vision for him of what God wanted to do with his life.

An opportunity arose for him to participate in a summer intensive program focused on pastoral training. I convinced him to attend and believed that God was going to use him mightily. Today he is a pastor that oversees two churches and who is raising up the next generation of pastors and leaders.

He never believed in himself. He couldn’t see past his current circumstances. It was my job as a leader to help him see what God saw in him and to combat the lies of the enemy that he was believing.  Proverbs 18:21 says “Death and life are in the power of the tongue.” Most people don’t have life spoken over them. They are constantly reminded of what they can’t do, what they don’t have, where they can’t go. We get to speak life over people! We get to tell people what they CAN do, what they DO have, where they CAN go.

One of the greatest joys I’ve experienced as a pastor and cell leader is being a part of helping someone grow into their God-given calling. I’ve heard it said, and found it to be true in my own life, that others can see more in you than you can see in yourself. People used to always tell me that they saw me being a pastor when I didn’t see that personally. I wanted to work in the financial sector and pursue a career in finance. I’m grateful for the leaders who encouraged me to follow God’s plans and purposes for my life, and not my own. Proverbs 29:18 says “Where there is no vision, the people perish.” It’s our joy and responsibility to give vision to the people that the Lord entrusts us to shepherd.

How have you been encouraging your current cell leaders in their potential? Have you been casting vision for them of what God wants to do with their lives?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Ministre Vida

Stephen Daigle, Pastor de Jovens adultos e universitários na Igreja Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Havia um determinado jovem que era um excelente voluntário em nossa Igreja. Ele demonstrava fidelidade, disponibilidade, se submetia à sua liderança e estava sempre disposto a aprender. Apesar de todas essas características, ele não acreditava em si mesmo e não se considerava capaz de crescer, especialmente por conta de sua condição socioeconômica. Ele havia crescido em uma família repleta de problemas.

Eu tentei Ministrar Vida sobre ele em cada oportunidade que tive. Certo dia eu inclusive mencionei a ele que em minha opinião ele seria um excelente pastor! Ele sempre respondia: “não, não, não, eu não. Você deve estar pensando em outra pessoa”. Ele estava muito satisfeito e confortável liderando sua pequena célula, mas eu sabia que Deus tinha mais do que isso para ele. Eu consistentemente afirmava estas coisas para ele e ministrava sobre ele o que Deus queria fazer através de sua vida.

Surgiu uma oportunidade para que ele participasse em um programa de verão intensivo que era focado em treinamento pastoral. Eu o convenci a participar e realmente acreditava que Deus o usaria com poder. Hoje em dia ele é pastor e supervisiona duas igrejas, e tem levantado uma nova geração de pastores e líderes.

Ele nunca acreditou em si mesmo. Ele não conseguia enxergar além da sua situação atual. Ajudá-lo a enxergar o que Deus via nele, e combater as mentiras do inimigo era meu trabalho como líder. Provérbios 18:21 diz: ”A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto”. A maioria das pessoas não recebe Ministração de Vida. Ao contrário, as pessoas são constantemente relembradas do que elas não são capazes de fazer, daquilo que elas não têm, dos lugares aos quais elas não podem ir. Nós podemos realmente Ministrar Vida sobre as pessoas! Nós temos a oportunidade de dizer para as pessoas o que elas PODEM fazer, o que elas realmente TÊM, os lugares que elas PODEM ir.

Uma das maiores alegrias que eu tenho experimentado como Pastor e líder de célula é fazer parte deste processo de crescimento das pessoas em seu chamado por Deus. Eu já ouvi dizer, e sei que é verdade, o fato de que outras pessoas conseguem ver mais em você do que você mesmo. As pessoas constantemente me diziam que me viam como pastor mesmo antes de eu mesmo perceber isso. Eu queria trabalhar no setor financeiro e conquistar uma carreira nesta atividade. Eu sou muito grato aos líderes que me encorajaram a seguir o plano de Deus para minha vida e seus propósitos, ao invés dos meus próprios. Provérbios 29:18 diz: “Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz”. É a nossa alegria e responsabilidade profetizar, trazer a visão que o Senhor nos entrega como parte de nosso pastoreio.

Como você tem encorajado os líderes sob sua supervisão sobre o potencial em suas vidas? Você tem ministrado visão sobre eles do que Deus quer fazer através de suas vidas?

Spanish blog:

Hablar vida

 

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

 

Había un joven que era un gran voluntario en nuestra iglesia. Él era fiel, disponible, sumiso y enseñable. Sin embargo, creció en una familia disfuncional. Debido a su estatus socioeconómico, no se creía a sí mismo y no creía que pudiera crecer.

 

Traté de hablar de la vida sobre él en cada oportunidad. ¡Incluso le dije que algún día sería un gran pastor! Siempre decía ‘no, no, no. yo no. Debes referirte a otra persona “. Estaba muy contento de sentirse cómodo al frente de su pequeña célula, pero sabía que Dios tenía más para él. Constantemente lo afirmé y le proyecté una visión de lo que Dios quería hacer con su vida.

 

Se le presentó la oportunidad de participar en un programa intensivo de verano centrado en la formación pastoral. Lo convencí de que asistiera y creí que Dios lo usaría poderosamente. Hoy es un pastor que supervisa dos iglesias y que está formando la próxima generación de pastores y líderes.

 

Nunca creyó en sí mismo. No podía ver más allá de sus circunstancias actuales. Mi trabajo como líder era ayudarlo a ver lo que Dios veía en él y combatir las mentiras del enemigo en el que estaba creyendo. Proverbios 18:21 dice: “La muerte y la vida están en poder de la lengua”. A la mayoría de la gente no se le habla de la vida. Se les recuerda constantemente lo que no pueden hacer, lo que no tienen y adónde no pueden ir. ¡Hablamos vida a las personas! Tenemos la oportunidad de decirle a la gente lo que PUEDEN hacer, lo que SÍ tienen y adónde PUEDEN ir.

 

Una de las mayores alegrías que he experimentado como pastor y líder celular es ser parte de ayudar a alguien a crecer en el llamado que Dios le ha dado. Lo escuché decir, y descubrí que es cierto en mi propia vida, que los demás pueden ver más en ti de lo que tú puedes ver en ti mismo. La gente solía decirme siempre que me veían siendo pastor cuando yo no lo veía personalmente. Quería trabajar en el sector financiero y seguir una carrera en finanzas. Estoy agradecido por los líderes que me animaron a seguir los planes y propósitos de Dios para mi vida, no la mía. Proverbios 29:18 dice: “Donde no hay visión, el pueblo perece”. Es nuestro gozo y responsabilidad dar visión a las personas que el Señor nos confía para pastorear.

 

¿Cómo ha estado animando a sus líderes celulares actuales en su potencial? ¿Les ha estado proyectando una visión de lo que Dios quiere hacer con sus vidas? 

Less Busy, More Strategic

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

There has been a lot of research lately on the mental and spiritual health of pastors and what contributes to their health. Of all the things that keep coming up, busyness continues to be a recurring theme in those studies.

I’m a perfectionist. I like to make sure that things get done correctly, especially when it relates to something that I deem to be important. Are you a perfectionist? Be honest. If you are fully aware of the pressure, you feel day in and day out to make everything ‘perfect. You might feel the tendency to do everything. Maybe you think it’s hard to stop.

I’ve been there more than I would like to admit. And maybe you are willing to admit the same thing. Self-awareness is the first step to growth. Acknowledging the need to control everything is a significant first step, but there must be other steps after that.

One of the things that made cell ministry so attractive to me was the concept of shared ministry. The leader not being responsible for every single aspect of the cell was new to me. Instead, the cell leader is responsible for facilitating the delegation of responsibilities to the other cell members. Empowering others is the difference between a bible study and a cell. In a cell, The members are sharing the responsibilities of the cell. In doing this, other members grow and step into new leadership roles. Jesus understood the importance of empowering and sending out those He was discipling (Mark 6). If we are going to be like Jesus, we also need to cultivate a delegation and sending out culture.

Personally, this has been a journey for me. It’s also been very freeing. I’ve heard it said that if someone can do a specific task 70% the way you would do it, you should empower and release them. One of the greatest joys of ministry for me is seeing the individuals I have had the opportunity to empower to walk in their God-given calling. Here are a couple of tips to do this:

  • Identify individuals who are faithful with a given task
  • Release more responsibility to them little by little
  • Give them feedback and encourage them
  • Allow them to take full responsibility for that task

Take a moment to take a deep breath. Ask God to help you see those around you to empower and give more responsibility to those around you. Commit today to take steps towards being less ‘busy’ and more strategic.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Menos ocupado, Mais estratégico

Stephen Daigle, Pastor de Jovens Adultos e Universitários na Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Nos últimos tempos tem sido feitos diversos estudos a respeito da saúde espiritual e mental de pastores e sobre o que pode contribuir para sua saúde de uma forma geral. De todos os achados, o fato de estar excessivamente ocupado é algo que tem se repetido em todos os estudos.

Eu sou perfeccionista. Gosto de me certificar de que tudo foi feito corretamente, especialmente no que diz respeito às coisas que considero importantes. Você também é perfeccionista? Seja honesto. Quando você tem completa consciência da pressão à que está submetido, você acaba tentando fazer tudo perfeito, diariamente. Você pode inclusive tender a querer fazer tudo. Talvez você também perceba que é difícil deixar este modo de ação.

Eu já me senti assim muito mais do que gostaria de admitir. Talvez você também esteja disposto a admitir isso. Conhecer a si mesmo é o primeiro passo para o crescimento. Reconhecer que você sente a necessidade de controlar as coisas é um passo muito importante, mas há outros passos a dar.

Uma das coisas que tornam o ministério em células tão atrativo a mim é exatamente o conceito de ministério compartilhado. O fato de o líder não ser responsável por cada aspecto da célula foi realmente algo novo para mim. Ao invés disso, o líder de célula é responsável por permitir e coordenar a delegação de responsabilidades aos outros membros da célula. Empoderar as pessoas é a diferença entre um estudo bíblico e uma reunião de célula. Na célula, os membros estão compartilhando as responsabilidades. Ao fazer isso, os membros crescem e passam a desempenhar novas funções de liderança. Jesus entendia a importância do empoderamento e do envio daqueles que Ele estava discipulando (Marcos 6). Se nosso objetivo é sermos como Jesus, precisamos cultivar a cultura de delegar e de enviar.

Tudo isso tem sido uma grande jornada para mim. Também tem sido libertador. Eu já ouvi dizer que se alguém consegue realizar uma tarefa 70% do que você consegue, você deveria empoderar e liberar esta pessoa para prosseguir. Para mim, uma das maiores alegrias do ministério é poder assistir as pessoas que eu tive a oportunidade de empoderar caminharem em seu próprio chamado, segundo a vontade de Deus. Seguem algumas dicas para que isto aconteça:

  • Identifique as pessoas que são fiéis em algo que lhes foi confiado
  • Conceda mais responsabilidade a estas pessoas, pouco a pouco.
  • Compartilhe suas impressões sobre como tudo está sendo feito, e encoraje-os
  • Permita que eles se encarreguem por complete destas tarefas

Pare por um instante e respire fundo. Peça ajuda a Deus para conseguir perceber a quem empoderar e dar mais responsabilidades. Comprometa-se em caminhar rumo a ser menos “ocupado” e mais estratégico.

Spanish blog:

Menos ocupado, más estratégico

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Últimamente se han realizado muchas investigaciones sobre la salud mental y espiritual de los pastores y lo que contribuye a su salud en general. De todas las cosas que siguen surgiendo, el ajetreo diario sigue siendo un tema recurrente en esos estudios.

Soy perfeccionista. Me gusta asegurarme de que las cosas se hagan correctamente, especialmente cuando se relaciona con algo que considero importante. ¿Eres perfeccionista? Se honesto. Si eres plenamente consciente de la presión, te esforzarás día tras día para que todo sea “perfecto”. Puedes sentir la tendencia a hacer todo. Quizás pienses que es difícil parar.

He estado allí más de lo que me gustaría admitir. Y tal vez tu estés dispuesto a admitir lo mismo. La autoconciencia es el primer paso para crecer. Reconocer la necesidad de controlar todo es un primer paso importante, pero debe haber otros pasos después de eso.

Una de las cosas que hizo que el ministerio celular fuera tan atractivo para mí fue el concepto de ministerio compartido. El hecho de que el líder no fuera responsable de todos los aspectos de la célula era algo nuevo para mí. En cambio, el líder de la célula es responsable de facilitar la delegación de privilegios a los otros miembros de la célula. Empoderar a otros es la diferencia entre un estudio bíblico y una célula. En una célula, los miembros comparten las responsabilidades de la misma. Al hacer esto, otros miembros crecen y asumen nuevos roles de liderazgo. Jesús entendió la importancia de empoderar y enviar a aquellos a quienes estaba discipulando (Marcos 6). Si vamos a ser como Jesús, también necesitamos cultivar la delegación y una cultura de emparedar.

Personalmente, este ha sido un viaje para mí. También ha sido muy liberador. He oído decir que si alguien puede hacer una tarea específica en un 70% de la forma en que tú la harías, debes empoderarlo y liberarlo. Una de las mayores alegrías del ministerio para mí es ver a las personas a las que he tenido la oportunidad de capacitar para caminar en el llamado que Dios les ha dado. Aquí hay un par de consejos para hacer esto:

  • Identificar personas que son fieles en una determinada tarea.
  • Libéreles más responsabilidad poco a poco
  •  Dales retroalimentación y anímalos
  •  Permítales asumir la responsabilidad total de esa tarea.

Tómate un momento para respirar profundamente. Pídele a Dios que te ayude a ver a quienes te rodean para empoderar y darles más responsabilidad. Comprométete hoy a tomar medidas para estar menos “ocupado” y ser más estratégico.

Food, Sports, and Disciplines

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

I am a Father to 3 boys. Each person is different with their own likes and dislikes. One of the joys I have as a father is finding out what each of my boys loves to incorporate into our weekly schedule. I’ve found that each of my boys looks forward to not only the things they want to do but also what their brothers want to do because they are doing it together. Spiritually speaking, we should be striving to become fathers and mothers. As we do so, we will have the unique opportunity to relate to those we are raising up through their specific interests and joys.

Something that I’ve found to be effective in creating community in the cell group is to find out the interests and hobbies of the attendees.  Just like my kids have specific interests, each of the members of the cell has interests. When I know what those things are I can leverage them to not only create community but entice others to join in. Some of those things are as follows:

  • Specific Food Interests – Food is always a great thing that draws people to gather. In fact, the table is meant to be used to grow community [Acts 2:42]. We regularly switch up the food we are feasting on in the cell depending upon what the members enjoy. We have even met at different restaurants depending upon the recommendation of the cell members.
  • Sports or Games – Not everyone is interested in sports but finding out what specific sport the members of your cell have can be a great opportunity to grow the community. We have watched sporting events together on tv as well as met up at a local park to play together. Game nights have also been fun to host at the cell member’s houses. Not only has this created a community, but also provided a great opportunity to invite those who would regularly not attend the cell meeting.
  • Prayer and Fasting – I’ve found that not many people are knowledgeable about how to pray and how to fast. Teaching the members of the cell these important spiritual disciplines while focusing on their prayer requests and needs has helped to create a deeper community. As each member begins to see the results of prayer and fasting and share those results with the group, the members are encouraged, and the community deepens.

These are 3 things that have greatly impacted the community of the cell I personally lead. I am sure that as you get to know the individual members of the cell you are leading you will find similar interests but also different interests that can be leveraged to create a deeper community.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Comida, Esportes e Disciplinas

Stephen Daigle, Pastor de Jovens Adultos e Universitários na Igreja Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Eu sou pai de 3 meninos. Cada um deles é diferente e gosta ou não gosta de coisas específicas. Uma das alegrias que eu tenho enquanto pai e descobrir o que cada um deles gosta de fazer e inserir isso em nossa programação semanal. Eu descobri que cada um dos meninos fica esperando por estes momentos, não apenas das coisas que cada um aprecia, mas também das coisas que os outros gostam, porque eles fazem juntos. Do ponto de vista espiritual, nós deveríamos nos empenhar por nos tornarmos pais e mães espirituais. À medida que fazemos isso, teremos o privilégio de nos relacionarmos com cada um destes filhos através de seus interesses e alegrias.

Uma das coisas que eu percebi ser muito efetiva para a comunhão na célula é descobrir os interesses e passatempos das pessoas. Assim como meus filhos, cada um dos membros da célula tem interesses específicos. Quando eu conheço estes interesses, eu posso utilizar isso não apenas para estabelecer comunhão entre o grupo, mas para persuadir outros a unir-se. Estes são alguns dos exemplos:

  • Comidas específicas – Comida é uma coisa maravilhosa e une as pessoas. Na realidade, a comunhão é o sentido de estarmos à mesa [Atos 2:42]. Nós mudamos o tipo de comida que utilizamos na célula, dependendo do que os membros preferem. Nós também já realizamos encontros em diversos restaurantes, dependendo da recomendação das pessoas.
  • Esportes ou Jogos – Nem todos se interessam por esportes, mas conhecer quais esportes são do interesse das pessoas da célula pode ser uma oportunidade para aumentar a comunhão do grupo. No nosso caso já assistimos a eventos esportivos na TV e também já nos encontramos em parques para jogar. Noites de jogos também são divertidas e podem acontecer nas casas dos membros das células. Isso não apenas tem ajudado a aumentar a comunhão, mas também tem sido uma grande oportunidade para convidar pessoas que ainda não são membros do grupo.
  • Jejum e Oração – Eu descobri que muitas pessoas gostariam de saber mais sobre como orar e jejuar. O ensino estas importantes disciplinas espirituais e o foco nos motivos de oração do próprio grupo tem nos ajudado a aprofundar nossa comunhão. À medida que cada um dos membros observa o resultado do jejum e da oração e compartilha isso com o grupo, os membros são encorajados e a comunhão se aprofunda.

Estes são os 3 pontos que impactaram fortemente a comunhão da célula que eu lidero. Tenho certeza que à medida que você conhecer individualmente cada membro da célula que você lidera você mesmo vai descobrir interesses em comum, além de outros interesses que podem ser utilizados para aprofundar a comunhão entre vocês.

Spanish blog:

Comidas, deportes y disciplinas

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Soy padre de 3 niños. Cada uno es diferente y tiene sus propios gustos y disgustos. Una de las alegrías que tengo como padre es descubrir qué le encanta incorporar a cada uno de mis hijos en nuestro horario semanal. Descubrí que cada uno de mis hijos espera no solo las cosas que quieren hacer, sino también lo que sus hermanos quieren hacer porque lo están haciendo juntos. Hablando espiritualmente, debemos esforzarnos por convertirnos en padres y madres. Al hacerlo, tendremos la oportunidad única de relacionarnos con aquellos a quienes estamos criando a través de sus intereses y alegrías específicos.

Algo que me ha resultado eficaz para crear comunidad en el grupo celular es averiguar los intereses y pasatiempos de los asistentes. Al igual que mis hijos tienen intereses específicos, cada uno de los miembros de la célula tiene intereses. Cuando sé cuáles son esas cosas, puedo aprovecharlas no solo para crear una comunidad, sino también para atraer a otros a unirse. Algunas de esas cosas son las siguientes:

  • Intereses alimentarios específicos: la comida siempre es una gran cosa que atrae a la gente a reunirse. De hecho, la mesa está destinada a hacer crecer la comunidad [Hechos 2:42]. Regularmente cambiamos la comida que compartimos en la célula dependiendo de lo que disfruten los miembros. Incluso nos hemos reunido en diferentes restaurantes dependiendo de la recomendación de los miembros de la célula.
  • Deportes o juegos: no todo el mundo está interesado en los deportes, pero descubrir qué deporte específico practican los miembros de su célula puede ser una gran oportunidad para hacer crecer la comunidad. Hemos visto eventos deportivos juntos en la televisión y nos hemos reunido en un parque local para jugar juntos. También ha sido divertido organizar noches de juegos en las casas de los miembros de la célula. Esto no solo ha creado una comunidad, sino que también ha brindado una gran oportunidad para invitar a quienes regularmente no asistirían a la reunión celular.
  • Oración y ayuno: he descubierto que no muchas personas saben cómo orar y ayunar. Enseñar a los miembros de la célula estas importantes disciplinas espirituales mientras se enfoca en sus peticiones y necesidades de oración ha ayudado a crear una comunidad más profunda. A medida que cada miembro comienza a ver los resultados de la oración y el ayuno y comparte esos resultados con el grupo, los miembros se animan y la comunidad se profundiza.

Estas son 3 cosas que han impactado enormemente a la comunidad de la célula que personalmente dirijo. Estoy seguro de que a medida que conozca a los miembros individuales de la célula que dirige, encontrará intereses similares pero también intereses diferentes que pueden aprovecharse para crear una comunidad más profunda.