Don’t Be The Lid

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Every year I travel to India to do pastoral training with a string of churches that have been planted over the last 10 years. This is a very rich time of ministry and training that has proved to be extremely fruitful as equipped and trained pastors are released to do ministry in their respective villages.  There are many subjects that we cover during our time together: Evangelism, Discipleship, Church Growth Strategies in their cultural context, Leadership Training, Theology of Cell Ministry, and more.

After each session, I could see how each pastor is overwhelmed and thinking ‘how can I do all of this?’. The ‘game changer’ and ‘tradition breaker’ that changes everything for them is when I ask the question ‘Who are you going to raise up to do these things?’. This is a very confusing statement because all that they have been taught is to do everything. (And yes, I mean everything). Because of this, many churches never grow past a certain point. Why? Because the Pastor can only manage so much. The pastor becomes the lid to the ministry. It’s a completely new concept to raise up others to assist and ultimately release into ministry. 

One of my very good friends, let’s call him Ayevi, surrendered his life to the Lord and was delivered from drug abuse around 7 years ago. Immediately he began to receive discipleship from a local pastor and went to ministry school to become a pastor. He was given a small church in a remote Hindu village that was averaging around 20 people a week. He was doing EVERYTHING: Leading worship, preaching, teaching, children’s ministry, evangelism, orphans and widows ministry, etc.. I could tell he was very exhausted and near burn out, like so many pastors. 

Ayevi attended our Pastoral Training and decided to implement what we call ‘shared ministry’. He began to raise up different people within the village church and delegate ministry areas to those individuals after they had received proper training. Let’s fast forward 2 years. Since that time, that one village church has now multiplied into 4 other churches in 4 different villages and 1 children ministry center! It’s amazing what God will do when we stop being the lid. 

Don’t be the lid for your ministry! So many times the ministry is dictated by what the pastor can handle. It was never intended to be that way! We are called to raise up and release people for ministry. Who are you raising up? How are you equipping them to take over ministry areas that you will release to them? 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Não seja a tampa

por Stephen Daigle, pastor, Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Todos os anos eu viajo à Índia para ministrar treinamento pastoral a um grupo de igrejas que foram plantadas nos últimos 10 anos. É um momento muito rico de ministração e treinamento que já se provou extremamente frutífero, na medida em que pastores treinados e capacitados são enviados ao ministério em seus próprios vilarejos. Nós estudamos diversas disciplinas durante este tempo que passamos juntos: Evangelismo, Discipulado, Estratégias de Crescimento da Igreja no seu contexto cultural, Treinamento de Liderança e Teologia do Ministério em Células, além de outras.

Depois de cada sessão de treinamento, eu podia notar que cada um dos pastores se sentia assustado e pensava: Como eu vou conseguir fazer tudo isso? Mas havia uma pergunta que era lançada que fazia o jogo virar e quebrava o tradicionalismo: Quem você vai levantar para fazer estas coisas? Esta era uma pergunta muito estranha, pois eles sempre foram ensinados a fazer tudo. (Não, eu não estou exagerando!) Exatamente por esta razão, muitas igrejas nunca crescem além de um certo ponto. O motivo? Porque o Pastor só consegue tratar um certo número de assuntos. O Pastor se torna então, a tampa do ministério. Levantar pessoas e por fim, lança-las no ministério, é um conceito muito novo.

Um dos meus amigos mais chegados, vamos chamá-lo de Ayevi, entregou sua vida ao Senhor e foi liberto das drogas há mais ou menos 7 anos. Ele imediatamente começou a ser discipulado por um pastor local e foi encaminhado para seus estudos para tornar-se Pastor também. Ele recebeu uma pequena igreja em uma distante vila hindu que tinha uma média de 20 pessoas por semana. Ele estava fazendo TUDO: Liderando o louvor, pregando, ensinando, evangelizando, cuidando do ministério infantil, do ministério dos órfãos e viúvas, etc. Era possível ver que ele estava exausto e muito próximo de uma situação de esgotamento, assim como muitos outros pastores.

Ayevi compareceu ao nosso Treinamento Pastoral e decidiu implementar o que nós chamamos “Ministério Compartilhado”. Ele começou a levantar diferentes pessoas da comunidade da igreja e delegar áreas do ministério à estas pessoas, depois de adequadamente capacitadas. Vamos avançar dois anos em nossa história. Depois disso, aquela igreja multiplicou-se em 4 outras igrejas em outros vilarejos, além de um Centro de Ministério Infantil! É surpreendente o que Deus faz quando deixamos de ser tampas em nossos ministérios!

Não seja a tampa do seu ministério! É muito comum o ministério ser ditado pelo que o pastor consegue fazer. Nunca devia ter sido assim! Nós somos chamados a levantar e lançar pessoas ao ministério. Quem você está levantando agora? Como você os está capacitando para assumirem áreas ministeriais que você vai delegar?

Separe tempo em oração para interceder sobre pessoas a quem você pode delegar certas oportunidades.

Spanish blog:

No seas una tapadera 

Por Stephen Daigle, pastor en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Todos los años viajo a la India para realizar una formación pastoral con una serie de iglesias que se han plantado durante los últimos 10 años. Este es un tiempo muy rico de ministerio y capacitación que ha demostrado ser extremadamente fructífero ya que los pastores equipados y capacitados son liberados para ejercer el ministerio en sus respectivos pueblos. Hay muchos temas que cubrimos durante nuestro tiempo juntos: Evangelismo, Discipulado, Estrategias de Crecimiento de la Iglesia en su contexto cultural, Entrenamiento de Liderazgo, Teología del Ministerio Celular y más.

Después de cada sesión, pude ver cómo cada pastor está abrumado y pensando “¿cómo puedo hacer todo esto?”. El “cambio de juego” y el “quiebre de tradiciones” cambia todo para ellos es cuando les hago la pregunta “¿A quién vas a formar para hacer estas cosas?”. Esta es una declaración muy confusa porque todo lo que les han enseñado es a hacer todo. (Y sí, me refiero a todo). Debido a esto, muchas iglesias nunca pasan de cierto punto. ¿Por qué? Porque el pastor solo puede administrar hasta cierto punto. El pastor se convierte en la tapadera del ministerio. Es un concepto completamente nuevo para formar a otros para ayudar y finalmente liberar al ministerio.

Uno de mis muy buenos amigos, llamémosle Ayevi, entregó su vida al Señor y fue liberado del abuso de drogas hace unos 7 años. Inmediatamente comenzó a recibir el discipulado de un pastor local y fue a la escuela del ministerio para convertirse en pastor. Finalmente, le entregaron una pequeña iglesia en un remoto pueblo hindú que tenía un promedio de 20 personas por semana. Estaba haciendo TODO: Liderar la adoración, predicar, enseñar, ministerio de niños, evangelismo, ministerio de huérfanos y viudas, etc. Me di cuenta de que estaba muy agotado y a punto de desmayar, como tantos pastores.

Ayevi asistió a nuestra Capacitación Pastoral y decidió implementar lo que llamamos “ministerio compartido”. Comenzó a formar a diferentes personas dentro de la iglesia de la aldea y a delegar áreas del ministerio a esas personas después de haber recibido la capacitación adecuada. Avancemos 2 años. Desde entonces, ¡esa iglesia de una aldea se ha multiplicado en otras 4 iglesias en 4 aldeas diferentes y 1 centro de ministerio de niños! Es asombroso lo que hará Dios cuando dejemos de ser una tapadera. 

¡No seas la tapadera de tu ministerio! Muchas veces el ministerio está dictado por lo que el pastor puede manejar. ¡Nunca se pretendió que fuera así! Estamos llamados a levantar y liberar personas para el ministerio. ¿A quién estás formando? ¿Cómo los estás preparando para hacerse cargo de las áreas del ministerio que les entregará?

Tómate el tiempo para orar sobre a quién puedes comenzar a brindar ciertas oportunidades.

Stay Encouraged

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

In times like this, it’s important that we stay encouraged and faithful to the process of starting new cells, growing existing cells, and looking for opportunities to multiply those cells. Here are some things that have helped me to stay focused and encouraged:

  • Listen to those who have been successful in utilizing the cell strategy. I remember when I first really understood the theology of cells. Joel Comisky visited our church to speak to our pastoral staff. I had never heard the biblical theology behind cell ministry. After listening, I was all in! Hearing how ‘theology breeds methodology’ was just what I needed to hear in order to understand why cell ministry is foundational for building the church.
  • Talk to those who are also using the cell model. During these past 6 months, we’ve all encountered ups and downs in cell ministry. Something that has kept me focused is consistently communicating with other churches that are also focused on cell ministry. As we share our challenges and celebrate our successes, I have remained encouraged. Also being able to learn what others are doing during this time has been able to spark creativity and lead to new implementations in our cell ministry.
  • Read about the theology behind why we do what we do. When you forget your ‘why’, you can become discouraged, lose your passion, and be less impactful to the team you are leading. In addition to Joel Comiskey’s books and JCG Blogs, a great resource to me has been When the Church Was a Family by Joseph H. Hellerman. This book provides a great look at the theology of cells (the why’) and provides insight into the methodology as well (the ‘how’). Being reminded of the ‘why’ has been crucial for pressing forward during this time.

These three things have been fuel for me these past years. Let’s not forget the goal: making disciples who make disciples. Joel said in a blog earlier this month that “Cell groups provide the environment to form disciples.” I couldn’t agree more! The enemy wants to discourage and distract us from the biblical model of building the church: cell ministry. Staying encouraged and resourced is vital to your personal growth and keeping you focused as you lead others.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Stay Encouraged

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Em tempos como os que estamos vivendo, é importante permanecermos animados e fiéis ao processo de iniciarmos novas células, fazer crescer células que já existem e continuar buscando novas oportunidades de multiplicar estes grupos. Aqui estão algumas coisas que têm me ajudado a continuar focado e encorajado:

  • Ouça as pessoas que foram bem sucedidas ao utilizar a estratégia celular. Eu lembro bem do momento em que realmente entendi a teologia das células pela primeira vez. Joel Comisky estava visitando nossa igreja para falar ao corpo pastoral. Eu nunca tinha ouvido a teologia bíblica por trás do ministério em células. Depois de ouvir, entrei de cabeça! Tudo o que eu precisava para entender o motivo pelo qual o ministério em células é um fundamento para a construção da igreja era ouvir que “a teologia gera a metodologia”.
  • Converse com outras pessoas que também estão utilizando o modelo celular. Durante estes últimos 6 meses, todos nós percebemos vantagens e desvantagens no ministério em células. Uma das coisas que me ajudam a manter o foco é estar constantemente me comunicando com outras igrejas que também têm seu foco no ministério em células. À medida que compartilhamos nossos desafios e celebramos nossos sucessos, eu tenho conseguido me manter encorajado. Da mesma forma, isto permite que eu aprenda o que outras pessoas têm feito durante estes dias e isso acende a fagulha da criatividade e leva a novas implementações em nosso próprio ministério em células.
  • Leia sobre a teologia por trás de tudo o que fazemos. Quando esquecemos o “porquê”, podemos nos desencorajar, perder a paixão e nosso impacto sobre a equipe que lideramos. Além dos livros do Joel Comiskey e os blogs do Grupo JCG, uma importante fonte para mim foi o livro When the Church Was a Family (Quando a Igreja era uma família – Tradução Livre), do autor Joseph H. Hellerman. Este livro fornece uma abordagem maravilhosa sobre a teologia das células (o “porquê”) e aborda também a metodologia (o “como fazer”). É fundamental sermos relembrados do “porquê” para que possamos continuar firmes durante estes tempos que vivemos.

Estas três coisas têm sido um verdadeiro combustível para mim nos últimos anos. Não nos esqueçamos do objetivo: fazer discípulos que fazem discípulos. No início deste mês li em um dos blogs do Joel Comiskey: “As células provêm o ambiente para que se formem discípulos”. Concordo plenamente! O inimigo deseja nos desencorajar e distrair do modelo bíblico de construção da igreja: ministério celular. Permanecer encorajado e buscando em fontes corretas é vital para o seu crescimento pessoal e para que você possa manter o foco enquanto exerce sua liderança.

Spanish blog:

Manténte Animado

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

En momentos como este, es importante que nos mantengamos animados y fieles al proceso de iniciar nuevas células, hacer crecer las células existentes y buscar oportunidades para multiplicar esas células. Aquí hay algunas cosas que me han ayudado a mantenerme enfocado y animado:

  • Escuche a aquellos que han tenido éxito utilizando la estrategia celular. Recuerdo la primera vez que entendí realmente la teología de las células. Joel Comisky visitó nuestra iglesia para hablar con nuestro personal pastoral. Nunca había escuchado la teología bíblica detrás del ministerio celular. Después de escuchar, ¡estaba convencido! Escuchar cómo “la teología genera metodología” era justo lo que necesitaba para entender por qué el ministerio celular es fundamental para la construcción de la iglesia.
  • Habla con quienes también estén usando el modelo celular. Durante estos últimos 6 meses, todos hemos encontrado altibajos en el ministerio celular. Algo que me ha mantenido enfocado es comunicarme constantemente con otras iglesias que también están enfocadas en el ministerio celular. Mientras compartimos nuestros desafíos y celebramos nuestros éxitos, me he mantenido animado. También poder aprender lo que otros están haciendo durante este tiempo ha sido capaz de despertar la creatividad y conducir a nuevas implementaciones en nuestro ministerio celular.
  • Lea sobre la teología detrás de por qué hacemos lo que hacemos. Cuando olvida su “por qué”, puede desanimarse, perder su pasión y tener menos impacto en el equipo que dirige. Además de los libros de Joel Comiskey y los blogs de JCG, un gran recurso para mí ha sido Cuando la Iglesia era una Familia (When the Church Was a Family) de Joseph H. Hellerman. Este libro ofrece una excelente mirada a la teología de las células (el por qué) y también brinda una idea de la metodología (el “cómo”). Recordar el “por qué” ha sido crucial para seguir adelante durante este tiempo.

Estas tres cosas me han servido de combustible estos últimos años. No olvidemos el objetivo: hacer discípulos que hagan discípulos. Joel dijo en un blog a principios de este mes que “los grupos celulares proporcionan el entorno para formar discípulos”. ¡No podría estar mas de acuerdo! El enemigo quiere desanimarnos y distraernos del modelo bíblico de edificación de la iglesia: el ministerio celular. Mantenerse animado y contar con recursos es vital para tu crecimiento personal y mantenerte enfocado mientras lideras a otros.

A Different Peace

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

To say that the enemy is stealing peace (John 10:10) would be an understatement. Mental health has been a topic of discussion during these days as a flood of bad news, economic challenges and social injustices are at the forefront of what we are encountering daily. One of the most comforting promises found in God’s Word, in my opinion, is found in Philippians 4:7 which says And the peace of God, which surpasses all understanding, will guard your hearts and your minds in Christ Jesus.

Notice the phrase, ‘surpasses all understanding’ – I love those words. The Peace that God wants to give is something that can’t be explained by a broken world. This Peace is something that only can be had through a relationship with Jesus. That Peace is evident to unbelievers in conversations and interactions. I’ve heard of a cell that is growing with a majority of the new members being atheists.  Why would a self-proclaimed atheists regularly attend a cell? Because there is something that ‘surpasses all understanding’ and can’t be understood apart from the Body of Christ and the Word of God. It’s a Peace that begs the question ‘where it comes from?’.

Then Paul says, ‘will guard your hearts and your minds’-  We’ve all had our fair share of bad news lately. The enemy will try anything and everything to steal our peace. Keeping your guard up in a fight is exhausting. The promise here is that the peace of God will be the guard that we need at all times.

And the last phrase, ‘..in Christ Jesus’ – This peace can only be found through a continual relationship with The Lord. We need to make sure we prioritize being ‘in Christ Jesus’ on a daily basis. The way to do so is thru daily quiet time (Luke 5:16), prayer (1 Thessalonians 5:16-17), Bible reading, and fellowshipping with the body of Christ.

I’ve had to prioritize asking the Lord for His peace these days. I’m grateful for His willingness to give that to me and believe that He will extend that to you as well as you ask Him for it. Praying peace over your life.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Uma Paz diferente

Stephen Daigle, Pastor de Universitários e Jovens Adultos na Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Dizer que o inimigo está roubando a paz (João 10:10) seria minimizar o que está de fato acontecendo. A saúde mental tem sido um dos assuntos mais atuais, à medida que uma verdadeira inundação de más notícias, desafios econômicos e injustiças sociais estão nas manchetes do que temos lido diariamente. Uma das promessas mais reconfortantes da Palavra de Deus está no livro de Filipenses, 4:7 “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.”

Note a expressão: “excede todo o entendimento”. Eu simplesmente amo estas palavras. A Paz que Deus quer nos dar é algo que simplesmente não pode ser explicado por um mundo quebrado como o nosso. Esta Paz só pode ser obtida através de um relacionamento com Jesus. Esta Paz é evidente para os não-cristãos em sua interação com os Cristãos. Eu soube de uma célula que está crescendo e cuja maioria de seus membros são ateus. O que levaria um ateísta a estar participando regularmente de uma célula? A razão é que há algo que “excede todo o entendimento” e não pode ser compreendido fora do Corpo de Cristo e de Sua Palavra. É uma Paz que necessariamente nos leva à pergunta: De onde vem tal Paz?

Paulo então declara: “guardará o vosso coração e a vossa mente”. Todos nós já recebemos nossa conta de más notícias nos últimos dias. O inimigo se utilizará de qualquer coisa para roubar a nossa Paz. Certamente é cansativo manter a guarda levantada durante uma luta. A promessa aqui é de que a Paz de Deus será a proteção necessária, sempre que precisarmos.

O texto termina com a sentença: “em Cristo Jesus”. Esta Paz só pode ser encontrada através de um relacionamento contínuo com o Senhor. Nós precisamos nos certificar de que estamos efetivamente priorizando o fato de estarmos “em Cristo Jesus” diariamente. A maneira de fazer isso é através de um tempo a sós com ele (Lucas 5:16), através da oração (1 Tessalonicensses 5:16-17), através da leitura da Bíblia e da comunhão com o Corpo de Cristo.

Eu tive que priorizar minhas orações pedindo que o Senhor me conceda sua Paz nestes últimos dias. Eu sou grato por sua vontade em me conceder o que tenho lhe pedido e creio que Ele mesmo fará isso por você também se você pedir. Oro por Paz sobre a sua vida.

Spanish blog:

Una paz diferente

Por Stephen Daigle, pastor de jóvenes universitarios y adultos en la Iglesia Celebration, www.celebrationchurch.org

Decir que el enemigo está robando la paz (Juan 10:10) sería un eufemismo. La salud mental ha sido un tema de discusión durante estos días, ya que una avalancha de malas noticias, desafíos económicos e injusticias sociales están a la vanguardia de lo que enfrentamos a diario. Una de las promesas más reconfortantes que se encuentran en la Palabra de Dios, en mi opinión, esta en Filipenses 4: 7, que dice: Y la paz de Dios, que sobrepasa todo entendimiento, guardará sus corazones y sus mentes en Cristo Jesús.

Observe la frase “supera toda comprensión”, me encantan esas palabras. La paz que Dios quiere dar es algo que no puede explicarse en un mundo roto. Esta paz es algo que solo se puede obtener a través de una relación con Jesús. Esa paz es evidente para los no creyentes en las conversaciones e interacciones. He oído hablar de una célula que está creciendo y la mayoría de los nuevos miembros son ateos. ¿Por qué los ateos autoproclamados asistirían regularmente a una célula? Porque hay algo que “sobrepasa todo entendimiento” y no se puede entender alejada del Cuerpo de Cristo y la Palabra de Dios. Es una paz que plantea la pregunta “¿de dónde viene?”.

Entonces Pablo dice: “Protegeré sus corazones y sus mentes”. Todos hemos tenido una buena cantidad de malas noticias últimamente. El enemigo intentará cualquier cosa para robar nuestra paz. Mantener la guardia alta en una pelea es agotador; la promesa aquí es que la paz de Dios será la guardia que necesitamos, cuando la necesitamos.

Y la última frase, “en Cristo Jesús” – Esta paz solo se puede encontrar a través de una relación continua con El Señor. Necesitamos asegurarnos de que priorizamos estar “en Cristo Jesús” a diario. La forma de hacerlo es a través del tiempo de silencio diario (Lucas 5:16), la oración (1 Tesalonicenses 5: 16-17), la lectura de la Biblia y el compañerismo con el cuerpo de Cristo.

He tenido que priorizar pedirle al Señor Su paz en estos días. Estoy agradecido por su disposición a dármela y creo que Él te extenderá esa paz a ti, así como tu se lo pidas. Oro por paz sobre tu vida.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

This is Our Moment

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

When everything began to happen and different rules and regulations started to get passed down from the government regarding meeting size restrictions,  my thoughts went to the early church. History reminds us that suffering produces fruit and the spread of The Gospel (Acts 12:24). The light of The Gospel shines brightest in the dark.

The Great Epidemic, known as the ‘Plague of Galen’, happened between 165AD to 180AD. It was during this time that those who were suffering said,  “The Christian faith made life meaningful even amid sudden and surprising death.” The Second Great Epidemic happened around 260 AD. Christians greeted the epidemic as merely “schooling and testing.” Thus, at a time when all other faiths were called to question, Christianity offered explanation and comfort. Even more important, Christian doctrine provided a prescription for action. That is, the Christian way appeared to work.

It was during these epidemics in the first century that those outside of the Christian faith were greatly impacted by how the Christians responded to chaos. They saw hope in the darkness. The ancient church was a strong-group family of surrogate siblings who lived out their belief system in a practical and winsome way. This was done through the cells of Christians ministering to those in need.

May I say, this is our moment! Generations will look at back at these days and tell a story of how the church responded. But how will it respond? Cell ministry is the key to meeting the needs of today. Technology has made connections accessible to anyone anywhere at any time. Chaos causes people to grasp for anything. Let what they take hold of be the church, through cells!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Nossa Hora é Agora!

Stephen Daigle, Pastor de Universitários e Jovens Adultos na Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Quando tudo começou a acontecer e o governo começou a determinar diversas regras e normas de funcionamento para as igrejas durante a atual epidemia eu imediatamente lembrei da Igreja Primitiva.  A história nos ensina que o sofrimento produz frutos e traz a expansão do Evangelho (Atos 12:24). A luz do Evangelho brilha ainda mais forte em meio à escuridão.

A grande epidemia conhecida como a “Peste Antonina”aconteceu entre os anos 165 e 180 da era Cristã. Foi neste período que muitos dos que sofriam diziam: “A fé Cristã deu significado à vida, mesmo em meio à morte súbita e inesperada”. A segunda grande epidemia aconteceu por volta do ano 260. Os cristãos encararam a epidemia como simples “ensino e prova”. Assim aconteceu que enquanto outras expressões de fé eram questionadas, o Cristianismo oferecia explicação e consolo. Ainda mais importante do que isso, a doutrina cristã orientava o agir e o viver. O modo de vida cristão parecia funcionar. 

As pessoas que não pertenciam à fé Cristã foram fortemente impactadas durante estas epidemias exatamente pela forma como os Cristãos responderam ao caos. As pessoas viram esperança em meio à escuridão. A igreja primitiva era um grupo/família de irmãos adotivos que viviam o seu sistema de crenças de uma forma prática e cativante. Isto era feito através de pequenos grupos de cristãos que ministravam aos que precisavam.

Me permitam afirmar: a nossa hora é agora! Gerações que estão por vir olharão para estes dias e contarão como a Igreja respondeu a tudo isso. Mas como responderemos? O ministério em células é a chave para atender à necessidade do momento atual. A tecnologia nos permite estarmos conectados a qualquer pessoa a qualquer momento. O caos leva as pessoas a agarrarem-se a qualquer coisa que possam alcançar. Vivamos de forma que a Igreja esteja ao seu alcance, através das células e grupos pequenos.

Spanish blog:

Este es nuestro momento

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Cuando todo comenzó a suceder y diferentes reglas y regulaciones comenzaron a transmitirse del gobierno con respecto a las restricciones del tamaño de la reunión, mis pensamientos viajaron a la iglesia primitiva. La historia nos recuerda que el sufrimiento produce fruto y la difusión del Evangelio (Hechos 12:24). La luz del Evangelio brilla más en la oscuridad.

La Gran Epidemia, conocida como la “Plaga de Galeno”, ocurrió entre 165AD y 180AD. Fue durante este tiempo que aquellos que sufrían dijeron: “La fe cristiana hizo que la vida fuese significativa incluso en medio de una muerte repentina y sorprendente”. La Segunda Gran Epidemia ocurrió alrededor del año 260 DC. Los cristianos saludaron la epidemia como meramente “escolarización y pruebas”. Por lo tanto, en un momento en que todas las demás religiones fueron cuestionadas, el cristianismo ofreció explicación y consuelo. Aún más importante, la doctrina cristiana proporcionó una receta para la acción. Es decir, la forma cristiana parecía funcionar.

Fue durante estas epidemias en el primer siglo que aquellos fuera de la fe cristiana se vieron muy afectados por la forma en que los cristianos respondieron al caos. Vieron esperanza en la oscuridad. La antigua iglesia era una familia de hermanos sustitutos de un grupo fuerte que vivía su sistema de creencias de una manera práctica y atractiva. Esto se hizo a través de células de cristianos que ministraban a los necesitados.

¡Puedo decir que este es nuestro momento! Las generaciones mirarán hacia atrás, a estos días y contarán una historia de cómo respondió la iglesia. ¿Pero cómo responderá? El ministerio celular es la clave para satisfacer las necesidades de hoy. La tecnología ha hecho que la conexión sea accesible para cualquier persona en cualquier lugar y en cualquier momento. El caos hace que las personas se aferren a cualquier cosa. ¡Que de lo que se apoderen sea la iglesia, a través de las células!

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Responsibilities of a Coach

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Being a coach isn’t to be taken lightly. Coaches are the first line of communication for the cell leader and now needed more than ever, in the midst of the coronavirus crisis. Pastors are stretched like never stretched before. Having cell coaches prepared to coach cells leaves them well cared for, while other ministry leaders problem solve, create online worship services and ministry opportunities. Here are some of the responsibilities that we require for cell coaches:

  • Visit their cells once a quarter (once every 3 months) – This is the minimum requirement for cell visits from the cell coach. Most of our coaches visit their cells more often than this, but we put this in place as a standard.
  • Meet quarterly with each cell leader they oversee – Cell coaches are responsible for meeting with their cell leaders for a follow up after visiting their cell. This is an opportunity to give feedback, encourage and challenge the cell leader.
  • Pray for their cells regularly – 1 Samuel 12:23 reminds us that it is a sin not to pray for those that God has called us to lead. Cell coaches need to pray for their cell leaders and the members of those cells regularly.
  • Communicate important ministry updates – Our pastors communicate important information to the cell coach and they communicate with the cell leaders they are coaching. This structure has allowed us to communicate effectively during challenging times we are facing today.

These are just several of the responsibilities that we have put in place for our cell coaches. We’ve found these 4 to be some of the most important requirements. Having a strategic list of requirements for the cell coach helps eliminate confusion, while simultaneously communicating what is most important and expected.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Responsabilidades de um treinador

Por Stephen Daigle, Colégio e Pastor de Jovens Adultos na Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Ser treinador não deve ser considerado uma função tão simples. Os treinadores são a primeira linha de comunicação para o líder celular e agora são necessários mais do que nunca, no meio da crise do corona vírus. Pastores são exigidos como nunca antes. Ter treinadores de células preparados para treinar células os deixa bem cuidados, enquanto outros líderes de ministério resolvem problemas, criam serviços de adoração on-line e oportunidades de ministério. Aqui estão algumas das responsabilidades que exigimos para os treinadores de células:

• Visitar as células uma vez por trimestre (uma vez a cada 3 meses) – Esse é o requisito mínimo para visitas às células do treinador de células. A maioria dos nossos treinadores visita suas células com mais frequência do que isso, mas colocamos isso no lugar como padrão.

• Reunir-se trimestralmente com cada líder de célula que eles supervisionam – os treinadores de célula são responsáveis por se reunir com seus líderes de célula para um acompanhamento depois de visitar sua célula. Esta é uma oportunidade para dar feedback, incentivar e desafiar o líder da célula.

• Orar regularmente por suas células – 1 Samuel 12:23 nos lembra que é pecado não orar por aqueles que Deus nos chamou para liderar. Os treinadores de células precisam orar regularmente pelos líderes de suas células e pelos membros dessas células.

• Comunicar atualizações importantes do ministério – Nossos pastores comunicam informações importantes ao treinador da célula e eles se comunicam com os líderes da célula que estão treinando. Essa estrutura nos permitiu comunicar efetivamente durante tempos difíceis que enfrentamos hoje.

Essas são apenas algumas das responsabilidades que colocamos em prática para nossos treinadores de células. Nós descobrimos que esses 4 são alguns dos requisitos mais importantes. Ter uma lista estratégica de requisitos para o treinador de célula ajuda a eliminar a confusão, enquanto comunica simultaneamente o que é mais importante e esperado.

Spanish blog:

Responsabilidades de un supervisor

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Ser supervisor no se debe tomar a la ligera. Los supervisores son la primera línea de comunicación para el líder celular y ahora, en medio de la crisis del coronavirus, se necesitan más que nunca. Los pastores están sobrecargados como nunca antes. Tener supervisores celulares preparados para trabajar las células, hace que estas sean bien atendidas, mientras que los otros líderes del ministerio resuelven problemas, crean servicios de adoración en línea y oportunidades de ministerio. Estas son algunas de las responsabilidades que se requieren para los supervisores celulares:

  • Visitar las células una vez por trimestre (una vez cada 3 meses): este es el requisito mínimo para las visitas a la células por parte del supervisor celular. La mayoría de nuestros supervisores visitan sus células con más frecuencia que esto, pero implementamos este número como estándar.
  • Reunirse trimestralmente con cada líder celular que supervisan: los supervisores celulares son responsables de reunirse con sus líderes para un seguimiento después de visitar su célula. Esta es una oportunidad para dar retroalimentación, animar y desafiar al líder.
  • Orar por las células regularmente – 1 Samuel 12:23 nos recuerda que es un pecado no orar por aquellos a quienes Dios nos ha llamado a liderar. Los supervisores celulares necesitan orar regularmente por sus líderes y los miembros de esas células.
  • Comunicar actualizaciones importantes del ministerio: nuestros pastores comunican información importante al supervisor celular y se comunican con los líderes celulares que están supervisando. Esta estructura nos ha permitido comunicarnos de manera efectiva durante los tiempos difíciles que enfrentamos hoy.

Estas son solo algunas de las responsabilidades que hemos establecido para nuestros supervisores celulares. Hemos encontrado que estos 4 son algunos de los requisitos más importantes. Tener una lista estratégica de requisitos para el supervisor celular ayuda a eliminar la confusión, y al mismo tiempo comunica lo que es más importante y esperado.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados