Practicing Discipleship

angel

by Angel Manuel Hernandez, www.misionmoderna.com, Canary Islands, Spain

Our church was founded as a cell church and actually works that way. People develop from the culture of an unconscious discipleship. In the Kingdom of God, theory and practice work together. In the Kingdom of God, those who teach have experience God’s rule in their lives. Theory without practice is nonsense. Even when we study the Bible in-depth, we still need the practical guidance of the Holy Spirit to truly understand Scripture.

Theory needs to be tested and guided by practice and practice must be observed and corrected by theory. The Hispano-American dictionary of Missions says “Theoretical doctrine does not fully constitute theological truth; it also needs practical action.” Our concern as leaders should not only be correct believing; it must include belief, action, and reflection.

Remember what 1 Corinthians 4:20 says, “For the Kingdom of God does not consist in talk but in power.” Jesus modeled this when the disciples asked Him to teach them to pray (Luke 11:1). The Lord didn’t give them a theoretical class. Rather, he demonstrated how to pray by giving them an actual prayer that he himself made to the Father (Luke 11:2). So, if we are going to disciple others, we must do it through real-life learning, with practical examples.

When someone prays to receive Jesus in our church (whether in a larger gathering or a cell group), this person starts a discipleship process. Leaders and supervisors are very aware that new believers must not stay “alone” in their faith. We understand that we have to prioritize and take care of those who God gives us. If not, God won’t entrust us with more people. Jesus himself took on a similar responsibility when he said in John 17:2 “For you granted him authority over all people that he might give eternal life to all those you have given him."

When we are not working hard in taking care of people, God reproves us by giving us fewer new believers. When we see that the new believers are becoming fewer and fewer, we know we need to work harder in making sure they don’t fall away (John 15:16, 2 Peter 3:9). We need to be willing to sacrifice and even struggle on behalf of those who are new in the faith. In the cell church, the discipleship takes on a strong missional component. That is, we disciple others with the goal of making them future disciplers of others (e.g., leaders, supervisors, pastors).

Comments?

Ángel Manuel Hernández Gutierrez, www.misionmoderna.com

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Praticando o Discipulado 

por Ángel Manuel Hernández, www.misionmoderna.com, Ilhas Canárias, Espanha

Nossa igreja foi fundada como uma igreja em células e realmente funciona assim. As pessoas desenvolvem-se a partir da cultura de um discipulado inconsciente. No Reino de Deus, a teoria e a prática trabalham juntas. No Reino de Deus, aqueles que ensinam têm experimentado o governo de Deus em suas vidas. A teoria sem a prática é um absurdo. Mesmo quando estudamos a Bblia a fundo, nós ainda precisamos da orientação prática do Esprito Santo para verdadeiramente compreendermos as Escrituras. 
   
A teoria precisa ser testada e guiada pela prática, e a prática deve ser observada e corrigida pela teoria. O dicionário Hispano-Americano de Missões diz “A doutrina teórica não constitui plenamente a verdade teológica; ela também precisa de ações práticas.” Nossa preocupação como lderes não deve ser apenas a crença correta; deve incluir crença, ação, e reflexão.

Lembre-se o que 1 Corntios 4:20 diz,” Pois o Reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder.” Jesus foi um exemplo disso quando os discpulos pediram a Ele para ensiná-los a orar (Lucas 11:1). O Senhor não lhes deu uma aula teórica. Em vez disso, Ele demonstrou como orar, dando a eles uma oração real que ele mesmo fez ao Pai (Lucas 11:2). Então, se nós vamos discipular outros, precisamos fazê-lo através do aprendizado da vida real, com exemplos práticos.

Quando alguém ora para receber a Jesus em nossa igreja (seja em uma reunião maior ou em um grupo de célula), essa pessoa começa um processo de discipulado. Lderes e supervisores estão bastante conscientes de que novos crentes não devem ficar “sozinhos” em sua fé. Nós compreendemos que temos de priorizar e cuidar daqueles que Deus nos dá. Se não, Deus não vai confiar-nos com mais pessoas. O próprio Jesus assumiu uma responsabilidade semelhante quando disse em João 17:2 “Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade,  para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. “

Quando não estamos trabalhando duro em cuidar das pessoas, Deus nos reprova dando-nos menos novos crentes. Quando nós vemos que os novos crentes estão se tornando cada vez mais escassos, sabemos que precisamos trabalhar mais duro em ter certeza de que eles não vão cair (João 15:16, 2 Pedro 3:9). Nós precisamos estar dispostos a nos sacrificar e até mesmo lutar em nome daqueles que são novos na fé. Na igreja em células, o discipulado assume um forte componente missionário. Isto é, nós discipulamos outros com o objetivo de torná-los futuros discipuladores de outros (lderes, supervisores, pastores, por exemplo).

Comentários?

Ángel Manuel Hernández Gutierrez, www.misionmoderna.com

Spanish blog:

La Práctica del Discipulado

por Angel Manuel Hernandez, www.misionmoderna.com, Canary Islands, Spain

Para nosotros es muy facilitador el hecho de que la Iglesia sea una iglesia que haya nacido como iglesia celular y funcione como tal, porque la gente ya entra en una cultura que los va discipulando casi inconscientemente. Porque en el Reino de Dios se debe aprender viendo y haciendo. En el Reino de Dios la teora y la práctica van tomadas de la mano. En el Reino de Dios, los que enseñan han vivido y experimentado, no hay un sólo caso bblico de un maestro sin un enriquecimiento práctico. Teora sin práctica es inútil. Incluso en la exégesis bblica, el estudio profundo de la escritura, se requiere el elemento práctico de dejarse guiar por el Espritu Santo a toda verdad bblica. La teora debe ser probada por la práctica y la práctica debe ser observada y corregida por la teora. El diccionario Hispano americano de Misión, dice "la doctrina teórica no constituye una teologa verdadera, sino que necesita que se le de efecto en la acción". La preocupación de los lderes, no debe ser la de una creencia correcta, sino la de una reflexión y acción correcta. Porque en definitiva, y como dice 1Corintios 4:20, “…el reino de Dios no consiste en palabras, sino en poder". Jesús enseño con la práctica. Un ejemplo de esto, es el momento en el que los discpulos le piden que les enseñé a orar (Lucas 11:1). El señor no les dio una clase teórica, sino que les hizo una demostración verdadera, genuina y real, de como se deba orar, a través de la oración que el mismo hizo del Padre nuestro (Lucas 11:2). La enseñanza práctica, debe ser la forma de enseñanza que tiene que adoptar el lder que discpula a otros. Porque entre otras cosas, se aprende mejor experimentando.

Cuando una persona se convierte en nuestra Iglesia, ya se en la celebración del culto principal, o en una célula, y entra automáticamente en su proceso de discipulado. Los supervisores están muy al tanto de que los nuevos conversos no queden desamparados, principalmente porque son vidas que el Señor nos ha entregado para cuidarlas. Y nosotros entendemos que el cuidado sobre lo que Dios nos entrega debe ser nuestra prioridad. Si no fuera as, Dios dejara de entregarnos más gente. Esta fue la clase de responsabilidad que asumió el propio Jesús frente a su Padre, por eso dijo, en “Juan 17:12 Cuando estaba con ellos en el mundo, yo los guardaba en tu nombre; a los que me diste, yo los guardé, y ninguno de ellos se perdió, sino el hijo de perdición, para que la Escritura se cumpliese”. Cuando nosotros hemos aflojado en el cuidado, Dios nos ha tirado de la oreja por medio de la reducción del número de conversiones. De tal manera que cuando vemos que bajan las conversiones, sabemos donde estamos fallando, porque Dios no entrega hijos para que estos se pierdan (Jn 15:16; 2Ped. 3:9). Esta es la base de todo discipulado, el cuidado, un cuidado que debe ser sacrificial y esforzado. Cada Iglesia puede ejercer este cuidado como quiera, pero en las Iglesia celulares, el cuidad tiene un fuerte componente misional, es decir, que se va discipulando para hacer del discipulado un futuro discipulador, lder, supervisor, pastor…

Ángel Manuel Hernández Gutierrez
www.misionmoderna.com

1 thought on “Practicing Discipleship

Leave a Reply to Humberto Siquina Cancel reply

Your email address will not be published.