The Need for Smaller Gatherings in Larger Churches

Dr. Daniel W. Houck, Senior Pastor, Calvary Hill Baptist Church, Fairfax, VA, https://bio.link/danielwhouck

What kind of church meetings should Christians attend? Many today assume there is only one essential meeting: “going to church” means, roughly, attending a gathering where the word of God is preached, songs of praise are sung, and the Lord’s Supper or eucharist is celebrated. Beyond this gathering, often called a “worship service,” it may be beneficial to attend other meetings: committee meetings, fellowship gatherings, small groups, and so on, but the essential meeting is assumed to be a worship service. (Even churches that view online participation as equally valid often share the assumption that a “worship service” is what is essential; the only difference is that it’s online). In Scripture, however, we get a different view of what is essential. What is needed is not only a “worship service” but also a space for the active participation of the individual in the life of the church. Or, in other words, a meeting where everyone can speak his mind.

When Paul discusses the church meetings in Corinth, he instructs them to facilitate a time for individual speaking. “When you come together, each one has a hymn, a lesson, a revelation, a tongue, or an interpretation. Let all things be done for building up” (1 Cor. 14:26). Leave aside the contested aspects of this verse (regarding tongues, for example) and notice what is incontestable: “each one” has an opportunity to speak. It’s not only the case that everyone participates in a group activity, such as corporate singing; each individual has the chance to speak to the group to ” build up” the body. Christians will be built up by deploying their spiritual gifts, and non-Christians (whom Paul presupposes will be invited in 14:23) will be built in, joining the body through hearing and seeing the love of Christ.

Unless a worship service is very small—fewer than twenty people or so—it won’t be feasible to allow everyone to participate this way. Another option (aside from tiny worship services) is to host two different kinds of gatherings: a larger worship service or “celebration” where only a few (primarily leaders) speak to and for the whole church, and a “cell” or community group gathering where every individual has the chance to speak regularly. Attending each of these meetings is necessary, if we are to “be doers of the word, and not hearers only” (Jas. 1:22). The preached word of God must be practiced in Christian community.  

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A importância das pequenas reuniões em Grandes Igrejas

Dr. Daniel W. Houck, Pastor Senior, Igreja Batista Calvary Hill, Fairfax, Virgínia, https://bio.link/danielwhouck

Que tipo de reuniões da igreja os cristãos devem frequentar? Muitas pessoas acham que há somente um tipo de reunião essencial: “Ir à Igreja” significaria então ir a uma reunião em que a Palavra de Deus seja pregada, músicas de louvor sejam entoadas e a Ceia do Senhor seja celebrada. Além deste tipo de reunião, normalmente chamado de “Culto de Louvor”, também pode ser benéfico frequentar outras reuniões: reuniões de comitês, encontros de comunhão, pequenos grupos e por aí em diante, mas presume-se que a reunião essencial é o Culto de Louvor. (Até mesmo as igrejas que reconhecem a participação online como válida, normalmente também compartilham do entendimento de que o “Culto de Louvor” é o que realmente é essencial, a única diferença é que ele pode ser frequentado online.) Entretanto, na Bíblia nós temos uma ideia diferente do que seria realmente essencial. Não apenas um Culto de Louvor é necessário, mas também um espaço para participação ativa dos indivíduos na vida da igreja. Em outras palavras, uma reunião onde todos possam se expressar.

Quando Paulo fala sobre as reuniões da Igreja em Corinto, ele os instrui a buscar oportunidades para que as pessoas falem. “Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação.” (1 Coríntios 14:26). Deixemos de lado os aspectos que geram polêmica neste versículo (como por exemplo o “falar em línguas”) e observemos o que é incontestável: cada pessoa deve ter a oportunidade de falar. Não é simplesmente quando todos podem participar de uma atividade de grupo como o louvor congregacional; cada indivíduo tem a sua oportunidade de falar ao grupo para a “edificação” do corpo. Os cristãos serão edificados quando utilizarem seus dons espirituais e os não-cristãos (que no capítulo 14 versículo 23 Paulo pressupõe que serão convidados) serão acrescidos, unindo-se ao corpo por ouvir e ver o Amor de Cristo.

A menos que o Culto de Louvor seja muito pequeno, com menos de 20 pessoas, por exemplo, não é factível oferecer oportunidade a todos para participarem desta maneira. Outra opção (além dos Cultos de Louvor) é manter dois tipos diferentes de reuniões, com dois propósitos distintos: um encontro maior ou uma “Celebração” onde apenas algumas pessoas (os principais líderes) falam à toda igreja e uma “Célula” ou encontro de grupo onde cada indivíduo tem a oportunidade de falar regularmente. Neste caso, é crucial enfatizar que é necessário estar presente a ambas as reuniões. Assim como um corpo sadio precisa de muitas partes para crescer, uma igreja saudável não precisa somente de ouvintes e pregadores da Palavra mas sim de praticantes da Palavra. (Tiago 1:22)

Spanish blog:

La necesidad de reuniones más pequeñas en iglesias más grandes 
Dr. Daniel W. Houck, Pastor Principal, Iglesia Bautista Calvary Hill, Fairfax, VA, https://bio.link/danielwhouck

¿A qué tipo de reuniones de la iglesia deben asistir los cristianos? Muchos hoy en día asumen que sólo hay una reunión esencial: “ir a la iglesia” significa, a grandes rasgos, asistir a una reunión en la que se predica la palabra de Dios, se entonan cánticos de alabanza y se celebra la Cena del Señor o eucaristía. Más allá de esta reunión, a menudo llamada “culto de adoración”, puede ser beneficioso asistir a otras reuniones: reuniones de comités, reuniones de hermandad, grupos pequeños, etc., pero se supone que la reunión esencial es un culto de adoración. (Incluso las iglesias que consideran igualmente válida la participación en línea a menudo comparten el supuesto de que un “servicio de culto” es lo esencial; la única diferencia es que es en línea). En las Escrituras, sin embargo, tenemos una visión diferente de lo que es esencial. Lo que se necesita no es sólo un “servicio de culto”, sino también un espacio para la participación activa del individuo en la vida de la iglesia. O, en otras palabras, una reunión en la que todos puedan decir lo que piensan.

Cuando Pablo habla de las reuniones de la iglesia en Corinto, les instruye para que faciliten un tiempo para hablar individualmente. “Cuando os reunís, cada uno tiene un himno, una lección, una revelación, una lengua o una interpretación. Que todo sea para edificación” (1 Cor. 14:26). Dejemos a un lado los aspectos discutidos de este versículo (en relación con las lenguas, por ejemplo) y fijémonos en lo que es incontestable: “cada uno” tiene la oportunidad de hablar. No es solo el caso de que todos participen en una actividad de grupo, como el canto corporativo; cada individuo tiene la oportunidad de hablar al grupo para “edificar” el cuerpo. Los cristianos serán edificados mediante el despliegue de sus dones espirituales, y los no cristianos (que Pablo presupone que serán invitados en 14:23) serán edificados, uniéndose al cuerpo a través de escuchar y ver el amor de Cristo.

A menos que el culto sea muy pequeño -menos de veinte personas-, no será factible permitir que todos participen de esta manera. Otra opción (aparte de los servicios de culto pequeños) es organizar dos tipos diferentes de reuniones, con dos propósitos distintos: un servicio de culto más grande o “celebración” donde sólo unos pocos (principalmente los líderes) hablan a y para toda la iglesia y una “célula” o reunión de grupo comunitario donde cada individuo tiene la oportunidad de hablar regularmente. En este caso, será crucial insistir en que la asistencia a ambas reuniones es necesaria. Al igual que un cuerpo sano necesita muchas partes activas para prosperar, una iglesia sana no sólo necesita oidores y predicadores de la palabra de Dios, sino también hacedores (Santiago 1:22).

Prioritizing What Happens Outside the Meeting

By Rob Campbell, Founding Pastor, www.cypresscreekchurch.com

Leading a small group is not just a commitment; it’s a vital role in the church.  A wise, healthy small group leader is not alone but has a team—preferably a host/hostess, a prayer leader, and other group members who can facilitate. Your role as a leader is crucial in ensuring that care and support extend beyond the group gatherings.

A small group gathering is like a huddle during a football game–the action happens after the huddle.  What happens outside a gathering is as important (if not more critical) as during a meeting. Your prayers, care, counsel, and encouragement to a member during the week can make a significant difference in their life. Your role is not just about leading a group but about impacting lives.

The people who make a difference in your life are not those with the most credentials, money, or awards. They are people who offer you care and a listening ear. They are the ones who genuinely display their love for you.

As a matter of perspective, answer the following:

-Name the five wealthiest people in the world.

-Name the last five Heisman trophy winners.

-Name the last half dozen Academy Award winners for best actor and actress.

I trust that very few of us remember yesterday’s headlines. The individuals above can be considered the best in their respective fields. Yet, one day, the applause dies. Awards will tarnish. Achievements will be forgotten. Faces and names will disappear from our memory.

To clarify your perspective, answer the following:

-Name three teachers who aided your journey through school.

-Name three friends who helped you through a difficult time.

-Name five people you enjoy spending time with.

Chances are high that you have been reminded of important people in your life who have displayed their love for you. Love is a verb. Love is action-oriented. Love never fails. Perfect love casts out fear. Those who love and care for you– show up. They are present in your times of sorrow, discouragement, and despair. They also rejoice in your victories, successes, and triumphs.

I hope you are experiencing small group LIFE and not just a huddle once a week.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Priorizando O Que Acontece Fora da Reunião
por Rob Campbell, pastor fundador, www.cypresscreekchurch.com

Liderar um pequeno grupo não é apenas um compromisso; é um papel vital na igreja. Um líder de pequeno grupo sábio e saudável não está sozinho, mas tem uma equipe – de preferência um anfitrião/anfitriã, um líder de oração e outros membros do grupo que podem facilitar. Seu papel como líder é crucial para garantir que o cuidado e o apoio se estendam além das reuniões do grupo.

Uma reunião de pequenos grupos é como aquele ajuntamento dos jogadores de futebol americano antes de uma jogada – a ação acontece depois da reunião. O que acontece fora de uma reunião é tão importante (se não mais importante) quanto o que acontece durante uma reunião. Suas orações, cuidado, conselho e incentivo a um membro durante a semana podem fazer uma diferença significativa em sua vida. Seu papel não é apenas liderar um grupo, mas impactar vidas.

As pessoas que fazem a diferença na sua vida não são aquelas com mais credenciais, dinheiro ou prêmios. São pessoas que oferecem carinho e um ouvido atento. São eles que demonstram genuinamente seu amor por você.

Por uma questão de perspectiva, responda o seguinte:

Cite as cinco pessoas mais ricas do mundo.

Cite os últimos cinco vencedores do troféu Heisman.

Cite os últimos seis vencedores do Oscar de melhor ator e atriz.

Acredito que poucos de nós se lembram das manchetes de ontem. Os indivíduos acima podem ser considerados os melhores em suas respectivas áreas. No entanto, um dia, os aplausos morrem. Os prêmios ficarão manchados. As conquistas serão esquecidas. Rostos e nomes desaparecerão da nossa memória.

Para esclarecer sua perspectiva, responda o seguinte:

Cite três professores que ajudaram em sua jornada na escola.

Cite três amigos que ajudaram você em um momento difícil.

Cite cinco pessoas com quem você gosta de passar tempo.

Há grandes chances de você ter se lembrado de pessoas importantes em sua vida que demonstraram amor por você. Amor é um verbo. O amor é orientado para a ação. Amor nunca falha. Amor perfeito inibe o medo. Aqueles que amam e cuidam de você – apareçam. Eles estão presentes em seus momentos de tristeza, desânimo e desespero. Eles também se alegram com suas vitórias, sucessos e triunfos.

Espero que você esteja vivenciando a VIDA em pequenos grupos e não apenas uma reunião uma vez por semana.

Spanish blog:

Dar prioridad a lo que ocurre fuera de la reunión
Por Rob Campbell, Pastor Fundador, www.cypresscreekchurch.com

Dirigir un grupo pequeño no es sólo un compromiso; es un papel vital en la iglesia.  Un líder de grupo pequeño sabio y saludable no está solo sino que tiene un equipo-preferiblemente un anfitrión/anfitriona, un líder de oración y otros miembros del grupo que pueden facilitar. Su papel como líder es crucial para asegurar que el cuidado y el apoyo se extiendan más allá de las reuniones del grupo.

Una reunión de un grupo pequeño es como un apiñamiento durante un partido de fútbol: la acción ocurre después del apiñamiento.  Lo que sucede fuera de una reunión es tan importante (si no más importante) como lo que sucede durante una reunión. Sus oraciones, cuidado, consejo y aliento a un miembro durante la semana puede hacer una diferencia significativa en su vida. Su papel no consiste sólo en dirigir un grupo, sino en influir en la vida de las personas.

Las personas que marcan la diferencia en tu vida no son las que tienen más credenciales, dinero o premios. Son las personas que te ofrecen atención y un oído atento. Son las que demuestran genuinamente su amor por ti.

-A modo de perspectiva, responde a lo siguiente:

-Nombra a las cinco personas más ricas del mundo.

-Nombra a los cinco últimos ganadores del trofeo Heisman.

-Nombra a la última media docena de ganadores del Oscar al mejor actor y actriz.

Confío en que muy pocos de nosotros recordemos los titulares de ayer. Las personas mencionadas pueden considerarse las mejores en sus respectivos campos. Sin embargo, un día, los aplausos mueren. Los premios se empañarán, los logros se olvidarán, los rostros y los nombres desaparecerán de nuestra memoria.

-Para aclarar su perspectiva, responda a lo siguiente:

-Nombra a tres profesores que te ayudaron en tu paso por la escuela.

-Nombra a tres amigos que te ayudaron en un momento difícil.

-Nombra a cinco personas con las que disfrutes pasando el tiempo.

Es muy probable que hayas recordado a personas importantes en tu vida que te han demostrado su amor. El amor es un verbo, el amor es acción, el amor nunca falla. El amor perfecto echa fuera el miedo. Aquellos que te aman y se preocupan por ti- aparecen. Están presentes en tus momentos de tristeza, desánimo y desesperación. También se regocijan en tus victorias, éxitos y triunfos.

Espero que estés experimentando la VIDA de un grupo pequeño y no sólo una reunión una vez a la semana.

Delegated Authority 

By Steve Cordle, https://xr.church/

“What do I need to do to become a group leader?” 

The apprentice of the group I lead recently asked me that question. I explained the equipping track to him and encouraged him to get started. Even though he knew how to lead a meeting, I couldn’t declare him a leader yet. I explained to him that becoming a group leader was more than just leading a meeting; it was receiving and exercising delegated pastoral authority. 

In a cell-based church, pastors delegate essential ministry to the group leaders. We equip the leaders to disciple and care for the members in their groups and train them to evangelize their network of relationships. Ultimately, the health and effectiveness of the church will rise or fall on the members’ fulfillment of their ministry. 

Some pastors have a hard time handing over the ministry to their members. What if they don’t do it right? What if they don’t do it at all? However, consider that Jesus delegated his mission to his disciples and returned to heaven. We don’t have any other choice but to trust our members to do the ministry because we pastors cannot do it all ourselves unless the church remains small, and our goal is to fulfill the Great Commission. 

Rather than trying to care for the needs of all ourselves, the church is healthiest when we pastors equip the saints to do the work of the ministry (Eph. 4:11-12.) That means more than just handing out bulletins or running a soundboard; it means making disciples, caring for the hurting, and reaching the lost.

My apprentice understood and was ready to start the equipping track two weeks from now. He’ll be a great leader! 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Autoridade Delegada
por Steve Cordle, https://xr.church/

“O que preciso fazer para me tornar um líder de grupo?”

O aprendiz do grupo que lidero recentemente me fez essa pergunta. Expliquei-lhe o trilho de treinamento e encorajei-o a começar. Embora ele soubesse liderar uma reunião, ainda não poderia declará-lo líder. Expliquei-lhe que tornar-se líder de grupo era mais do que apenas liderar uma reunião; era receber e exercer autoridade pastoral delegada.

Numa igreja baseada em células, os pastores delegam o ministério essencial aos líderes do grupo. Equipamos os líderes para discipular e cuidar dos membros dos seus grupos e os treinamos para evangelizar a sua rede de relacionamentos. Em última análise, a saúde e a eficácia da igreja aumentarão ou diminuirão com base no cumprimento do seu ministério pelos membros.

Alguns pastores têm dificuldade em entregar o ministério aos seus membros. E se eles não fizerem isso direito? E se eles não fizerem nada? Contudo, considere que Jesus delegou sua missão aos seus discípulos e voltou para o céu. Não temos outra escolha senão confiar nos nossos membros para fazerem o ministério, porque nós, pastores, não podemos fazer tudo sozinhos, a menos que a igreja permaneça pequena e o nosso objetivo seja cumprir a Grande Comissão.

Em vez de tentar cuidar das necessidades de todos nós mesmos, a igreja é mais saudável quando nós, pastores, equipamos os santos para fazerem o trabalho do ministério (Efésios 4:11-12). Isso significa mais do que apenas distribuir boletins ou administrar uma mesa de som; significa fazer discípulos, cuidar dos feridos e alcançar os perdidos.

Meu aprendiz entendeu e estava pronto para iniciar o trilho de treinamento daqui a duas semanas. Ele será um grande líder!

Spanish blog:

Autoridad delegada 
Por Steve Cordle, https://xr.church/

“¿Qué tengo que hacer para convertirme en líder de grupo?”. 

El aprendiz del grupo que dirijo me hizo esa pregunta hace poco. Le expliqué la ruta de equipamiento y le animé a empezar. Aunque sabía cómo dirigir una reunión, todavía no podía declararle líder. Le expliqué que convertirse en líder de un grupo era algo más que dirigir una reunión; era recibir y ejercer la autoridad pastoral delegada. 

En una iglesia celular, los pastores delegan el ministerio esencial a los líderes de grupo. Equipamos a los líderes para que discipulen y cuiden de los miembros de sus grupos y les formamos para evangelizar su red de relaciones. En última instancia, la salud y la eficacia de la iglesia dependerán del cumplimiento de su ministerio por parte de los miembros. 

A algunos pastores les cuesta entregar el ministerio a sus miembros. ¿Y si no lo hacen bien? ¿Y si no lo hacen en absoluto? Sin embargo, considera que Jesús delegó su misión a sus discípulos y regresó al cielo. No tenemos otra opción que confiar en nuestros miembros para hacer el ministerio porque nosotros los pastores no podemos hacerlo todo nosotros mismos a menos que la iglesia siga siendo pequeña, y nuestro objetivo es cumplir la Gran Comisión. 

En lugar de tratar de atender las necesidades de todos nosotros mismos, la iglesia es más saludable cuando los pastores equipamos a los santos para hacer la obra del ministerio (Ef. 4:11-12.) Eso significa algo más que repartir boletines o manejar una caja de resonancia; significa hacer discípulos, cuidar de los heridos y alcanzar a los perdidos.

Mi aprendiz lo entendió y estaba listo para comenzar la ruta de equipamiento dentro de dos semanas. ¡Será un gran líder! 

The Cell Leader as Pastor

By Joel Comiskey, Reap the Harvest

If we believe the cell is the church, it’s logical to view cell leaders as pastors. Some people have trouble calling cell leaders “pastors,” but they fulfill every biblical principle of a pastor. Pastoring involves five main principles.

1. Care for the Sheep (Acts 20:28-29)

The cell leader visits, counsels, and prays for the sick flock. The cell leader cares for the cell as a shepherd cares for his flock. Karen Hurston’s long involvement with Yoido Full Gospel Church in Seoul, Korea, convinced her that cell leader visitation is paramount.

2. Know the Sheep (John 10: 14,15)

Fruitful cell leaders get to know each person who enters the group. Ralph Neighbour Jr. recommends that the cell leader talk one-on-one with new members, using a booklet called The Journey Guide to facilitate this initial interview. He urges:

Nothing can substitute for personal time with each member of your flock! In such private times, you will discern their value systems and deepest needs. While you will usually have your Intern at your side when you visit, there will be times when more private sessions may help you gain special insights into each person.

3. Seek the Sheep (Luke 15:4)

Jesus talks about leaving the flock of 99 sheep to seek the one who has gone astray. Knowing that a satanic-dominated world always works against godliness in the lives of the cell members, a faithful shepherd goes after the sheep who stop attending.

4. Feed the Sheep (Psalm 23: 1-3)

The cell group is not a Bible study, but the Word of God always has a central place. Many meetings prioritize the practical application of a scripture passage, and leaders preparing for the cell often meditate on a passage longer than they would if they were leading a Bible study or Sunday School. They must know it well enough to lovingly draw the group into understanding how the Bible applies to their daily lives. In this way, the sheep are fed, leaving the cell group satisfied.

5. Watch Out for the Sheep (John  10:10, Ephesians  6:12)

Satan walks about like a roaring lion, hoping to devour God’s flock (1 Peter 5:8-9). In many churches, Satan has free reign to attack because the people are not cared for properly. In the cell church, every ten or so members are under the care and guidance of the cell pastor and intern, who are responsible for protecting their sheep. Paul’s advice to the pastors in Ephesus is helpful to every cell leader:

Keep watch over yourselves and all the flock of which the Holy Spirit has made you overseers. Be shepherds of the church of God, which he bought with his own blood. I know that after I leave, savage wolves will come in among you and will not spare the flock. Even from your own number, men will arise and distort the truth in order to draw away disciples after them. So be on your guard! (Acts 20:28-31)

Satan attacks from without and within. He controls self-proclaimed leaders in Christian small-group gatherings to create division and attract a following. Problem people are normal in small groups, and the cell shepherd must ensure their behavior does not negatively affect his flock.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Líder de Célula como Pastor
por Joel Comiskey, Multiplicando a Liderança

Se acreditarmos que a célula é a igreja, também é lógico ver os líderes das células como pastores. Algumas pessoas têm dificuldade em chamar os líderes de células de “pastores”, mas eles cumprem todos os princípios bíblicos de um pastor. Pastorear envolve cinco princípios principais.

1. Cuida das Ovelhas (Atos 20:28-29)

O líder da célula visita, aconselha e ora pelo rebanho doente. O líder da célula é responsável por cuidar da célula assim como um pastor cuida do seu rebanho. O longo envolvimento de Karen Hurston com a Igreja Yoido Full Gospel em Seul, na Coreia, convenceu-a de que a visitação do líder de célula é fundamental.

2. Conhece as ovelhas (João 10: 14,15)

Líderes de célula frutíferos conhecem cada pessoa que entra no grupo. Ralph Neighbor Jr. recomenda que o líder da célula converse individualmente com os novos membros, usando um livreto chamado The Journey Guide (O Guia da Jornada) para facilitar esta entrevista inicial. Ele insiste:

Nada pode substituir o tempo pessoal com cada membro do seu rebanho! Será nesses momentos privados que vocês discernirão seus sistemas de valores e necessidades mais profundas. Embora normalmente você tenha seu aprendiz ao seu lado durante a visita, haverá momentos em que mais sessões privadas poderão ajudá-lo a obter informações especiais sobre cada pessoa.

3. Procure as ovelhas (Lucas 15:4)

Jesus fala sobre deixar o rebanho de 99 ovelhas para procurar aquela que se extraviou. Sabendo que um mundo dominado por demônios está sempre trabalhando contra a piedade na vida dos membros da célula, um pastor fiel vai atrás das ovelhas que deixam de frequentar.

4. Alimente as ovelhas (Salmo 23: 1-3)

A célula não é um estudo bíblico, mas a Palavra de Deus sempre tem um lugar central. Muitas reuniões priorizam a aplicação prática de uma passagem das escrituras, e os líderes que se preparam para a célula muitas vezes meditam em uma passagem por mais tempo do que fariam se estivessem liderando um estudo bíblico ou uma Escola Dominical. Eles devem conhecê-la bem o suficiente para levar amorosamente o grupo a compreender como a Bíblia se aplica às suas vidas diárias. Desta forma, as ovelhas são alimentadas e saem satisfeitas da célula.

5. Cuidado com as ovelhas (João 10:10, Efésios 6:12)

Satanás anda como um leão que ruge na esperança de devorar o rebanho de Deus (1 Pedro 5:8-9). Em muitas igrejas, Satanás tem liberdade para atacar porque as pessoas não são cuidadas adequadamente. Na igreja em células, cerca de dez membros estão sob os cuidados e orientação do pastor da célula e do aprendiz, que são responsáveis por proteger suas ovelhas. O conselho de Paulo aos pastores em Éfeso é útil para todo líder de célula:

Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os constituiu bispos. Sejam pastores da igreja de Deus, que ele comprou com seu próprio sangue. Eu sei que depois que eu partir, lobos selvagens entrarão no meio de vocês e não pouparão o rebanho. Mesmo entre vocês, surgirão homens e distorcerão a verdade, a fim de atrair discípulos atrás deles. Então fique atento! (Atos 20:28-31)

Satanás ataca de fora e de dentro. Ele controla líderes autoproclamados em reuniões cristãs de pequenos grupos para criar divisão e atrair seguidores. Pessoas problemáticas são comuns em pequenos grupos, e o pastor de célula deve garantir que o seu comportamento não afete negativamente o seu rebanho.

Spanish blog:

El Líder Celular como Pastor
por Joel Comiskey, Recoged la Cosecha

Los líderes celulares también son pastores. Algunas personas tienen problemas para llamar a los líderes celulares “pastores”, pero cumplen con todos los principios bíblicos de un pastor. En el sistema de grupos pequeños de John Wesley, los líderes de clase eran pastores. El pastoreo implica cinco principios fundamentales.

1. Cuida de las ovejas (Hechos 20:28-29)

El líder celular visita, aconseja y ora por el rebaño enfermo. El líder de la célula es responsable del cuidado de la célula como un pastor cuida de su rebaño. La extensa participación de Karen Hurston en la Iglesia del Evangelio Completo de Yoido en Seúl, Corea, la convenció de que las visitas del líder celular son primordiales.

2. Conoce a las ovejas (Juan 10: 14,15)

Los líderes celulares fructíferos llegan a conocer a cada persona que ingresa al grupo. Ralph Neighbour Jr. recomienda que el líder celular hable en privado con los nuevos miembros, utilizando un folleto llamado The Journey Guide (La guía del viaje) para facilitar esta entrevista inicial. Él insta:

¡Nada puede sustituir el tiempo personal con cada miembro de su rebaño! Será en momentos tan privados que discernirá sus sistemas de valores y sus necesidades más profundas en estas visitas, habrá momentos en que las sesiones más privadas pueden ayudarlo a obtener información especial sobre cada persona.

3. Busca a las ovejas (Lucas 15:4)

Jesús habla de dejar el rebaño de 99 ovejas para buscar la que se ha descarriado. Sabiendo que un mundo dominado por Satanás siempre está obrando en contra de la piedad en las vidas de los miembros de la célula, un pastor fiel persigue a las ovejas que dejan de asistir.

4. Alimenta a las ovejas (Salmos 23: 1-3)

El grupo celular no es un estudio bíblico, pero la Palabra de Dios siempre tiene un lugar central. Muchas reuniones dan prioridad a la aplicación práctica de un pasaje de las Escrituras, y los líderes que se preparan para la célula a menudo meditan en un pasaje más tiempo que si estuvieran dirigiendo un estudio bíblico o una escuela dominical. Deben saber lo suficiente como para traer amorosamente al grupo a comprender cómo se aplica la Biblia a su vida diaria. De esta manera, las ovejas se alimentan y el grupo celular queda satisfecho.

5. Protege a las ovejas (Juan 10:10, Efesios 6:12)

Satanás anda como león rugiente esperando devorar el rebaño de Dios (1 Pedro 5:8-9). En muchas iglesias, Satanás tiene rienda suelta para atacar porque las personas no son atendidas adecuadamente. En la iglesia celular, cada diez o más miembros están bajo el cuidado y la guía del pastor celular y el pasante, quienes son responsables de proteger a sus ovejas. El consejo de Pablo a los pastores en Éfeso es útil para todos los líderes celulares:

Tengan cuidado de sí mismos y de todo el rebaño sobre el cual el Espíritu Santo los ha puesto como obispos para pastorear la iglesia de Dios, que él adquirió con su propia sangre. Sé que después de mi partida entrarán en medio de ustedes lobos feroces que procurarán acabar con el rebaño. Aun de entre ustedes mismos se levantarán algunos que enseñarán falsedades para arrastrar a los discípulos que los sigan.  Así que estén alerta. (Hechos 20:28-31)

Satanás ataca desde afuera y desde adentro. Él controla a los líderes autoproclamados en las reuniones cristianas para crear división y atraer seguidores. Las personas problemáticas son comunes en grupos pequeños, y el pastor de célula debe asegurarse de que su comportamiento no afecte negativamente a su rebaño.


What We Can Learn from the Church at the House in Dura

By Mario Vega, www.elim.org.sv

Dura-Europos was an old Roman city located in the current Syria. They discovered Its archaeological remains in 1920. The discovery revealed a well-preserved town with a building believed to be used as the first Christian church. Archaeologists called it “the church of the house” or “the Church of Dura-Europos,” dating from the third century A.D. C. The discovery is the oldest known example of a Christian church.

We can learn two critical lessons from this discovery. First, primitive Christians gathered in houses; second, before the third century A.D., archeologists have not discovered another church building. For what reason? According to the New Testament, Christians gathered in the houses and did not have church buildings. It was not until after the first 300 years of Christianity that the first church buildings were identified. Church buildings came into existence when the Roman Empire accepted Christianity as the official religion.

Even when the Dura building was dedicated as a church, it continued to function as a house and a church. Archeology confirms the teachings of the Scriptures that the New Testament Church was a house-to-house ministry. We should remember that the early Christians were not concerned about temples and buildings like we are today. We must rethink the value of meetings in houses as a model to recover the ecclesiastical nature of primitive Christianity.

Korean blog (click here)

Portuguese Blog:

O que nós Podemos aprender com a “Igreja da Casa” em Dura

Mario Vega, www.elim.org.sv

Dura-Europos foi uma antiga cidade romana localizada no que é hoje a Síria. Suas ruínas foram descobertas em 1920. A descoberta revelou uma cidade bem preservada em que havia um prédio que se acredita ser a primeira Igreja Cristã. Os arqueólogos se referem àquela construção como “A Igreja da Casa” ou ainda “A Igreja de Dura-Europos”, que data do terceiro século da era Cristã. Aquela descoberta é o mais antigo exemplo de uma Igreja Cristã.

Podemos aprender duas lições fundamentais a partir desta descoberta. Em primeiro lugar, os cristãos primitivos se reuniam em casas; em segundo lugar, os arqueólogos ainda não encontraram outra Igreja anterior ao terceiro século da era cristã. E qual o motivo para isso? De acordo com o Novo Testamento, os Cristãos se reuniam em casas e não tinham prédios que funcionassem como Igrejas. Somente depois de 300 anos de cristianismo é que os primeiros prédios de igrejas começam a ser identificados. Os prédios das igrejas passaram a existir depois que o Império Romano aceitou o Cristianismo como religião oficial.

Mesmo depois que o prédio em Dura foi dedicado a ser uma igreja, ele continuou a funcionar como uma casa e uma igreja. A arqueologia confirma os ensinos da Bíblia de que a Igreja do Novo Testamento era um ministério de casa em casa. Devemos nos lembrar que os cristãos primitivos não estavam preocupados com templos e prédios como nós hoje nos preocupamos. Precisamos repensar o valor das reuniões nas casas como um modelo para recuperarmos a natureza eclesiástica do cristianismo primitivo.

Spanish blog:

La iglesia de casa en Dura y sus lecciones
Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Dura-Europos fue una antigua ciudad romana situada en la actual Siria. Sus restos arqueológicos fueron descubiertos en 1920. Su descubrimiento reveló una ciudad bien conservada con un edificio que se cree era utilizado como iglesia cristiana. De hecho, los arqueólogos que trabajan en el lugar lo han llamado «la iglesia de la casa» o «la iglesia de Dura-Europos», que data del siglo III d. C. Se considera el edifico para culto cristiano más antiguo que se conoce y uno de los primeros ejemplos conocidos de una iglesia cristiana.

Hay dos lecciones importantes que la arqueología ha descubierto en el lugar: primero, que los cristianos primitivos se reunían en las casas y, segundo, que antes del siglo III d. C. no ha sido posible encontrar otro edificio de culto. ¿Por qué razón? Porque, según el Nuevo Testamento, los cristianos se reunían en las casas y no poseían edificios de culto. Es hasta después de los primeros 300 años de cristianismo que se ha logrado identificar este primer edifico de culto. La época concuerda con el tiempo cuando el imperio romano aceptó al cristianismo como religión oficial.

Aun cuando el edifico de Dura es dedicado al culto, en realidad es una combinación de casa con sitio de adoración. La arqueología confirma las enseñanzas de las Escrituras en cuanto a que la iglesia del Nuevo Testamento era básicamente doméstica. Este es un elemento que debe llamar nuestra atención con respecto a nuestros conceptos actuales que otorgan a los edificios de culto una prominencia que no tuvieron para los primeros cristianos. Es importante replantearnos el valor de las reuniones en las casas como modelo para recobrar la naturaleza eclesiástica del cristianismo primitivo.