Three Actions to Make Disciples of All Nations

By Tito Roberts, pastor and missions visionary, www.iglesiasenmision.org; Whatsapp 5491159369297; www.enmision.org

Most of us know a lot about “making disciples” but not everyone knows “how to make disciples of all nations.”

When we talk about “making disciples to all nations” we are focusing on the task that Jesus entrusts to us and still need to finish. I’m referring to taking the gospel to every people that doesn’t know Jesus, forming new disciples, and then continuing the church planting process.

How can we get involved in this task when we realize that many of these villages are thousands of miles away?

The first action to “make disciples to all nations ” is prayer. Jesus said “Pray that the Lord of the harvest would send workers into his harvest field” (Matthew 9:37-38). God has the workers selected to go to each people group, but he has chosen us to pray them forth (See www.guiamundialdeoracion.com ). Praying for the unreached peoples is one of Jesus’ commands that we need to obey.

You and your church have the privilege of praying daily for one or more not reached peoples.

The second action is go. Each day God calls men and women to take the action steps of going, to follow the example of early missionaries and to actually live among a people group, lead their language and culture, and to reach them for Jesus.

The third action is to give. Maybe God is calling you to support someone who is going. All of us can give so that the people that God has called to “make disciples to all nations” can fulfill their goals and concentrate on building Christ’s church.

In this way we can all be involved in

If every Christian or church is involved in systematically giving projects to making disciples of all nations  we could make a breakthrough in the task that we need to finish.

Completing this task is our way of honoring and glorifying the Lord.

Join the mission of reaching unreached people and making disciples of all nations

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Três ações para fazer discípulos de todas as nações

Por Tito Roberts, www.enmision.org

A maioria de nós sabe muito sobre “fazer discípulos”, mas nem todo mundo sabe “como fazer discípulos de todas as nações”.

Quando falamos sobre “fazer discípulos de todas as nações”, estamos nos concentrando na tarefa que Jesus nos confia e que ainda precisamos completar. Estou me referindo a levar o evangelho a todas as pessoas que não conhecem Jesus e formar novos discípulos até que eles continuem o processo de plantação de igrejas.

Como podemos nos envolver nessa tarefa quando percebemos que muitas dessas aldeias estão a milhares de quilômetros de distância?

A primeira ação para “fazer discípulos para todas as nações” é a oração. Jesus disse: “Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita” (Mateus 9:37-38). Deus seleciona os trabalhadores para irem a cada grupo de pessoas, mas ele nos escolheu para orar por todos eles (veja em www.guiamundialdeoracion.com). Orar pelos povos não alcançados é um dos mandamentos de Jesus que precisamos obedecer.

 Você e sua igreja têm o privilégio de orar diariamente por um ou mais povos não alcançados.

A segunda ação é ir. Todos os dias Deus chama homens e mulheres a seguir as etapas de ação, seguir o exemplo dos primeiros missionários e realmente viver entre um grupo de pessoas, saber sua língua e cultura e alcançá-los para Jesus.

A terceira ação é dar. Talvez Deus esteja te chamando para apoiar alguém que está indo. Todos nós podemos doar para que o povo que Deus chamou para “fazer discípulos de todas as nações” possa cumprir seus objetivos e se concentrarem na construção da Igreja de Cristo.

Desta forma, todos podemos estar envolvidos.

Se todo cristão ou igreja estiver envolvido em dar sistematicamente projetos para fazer discípulos de todas as nações, poderemos avançar na tarefa que precisamos concluir.

Completar esta tarefa é a nossa maneira de honrar e glorificar o Senhor.

Participe da missão de alcançar as pessoas não alcançadas e fazer discípulos de todas as nações.

Spanish blog:

3 acciones para hacer discípulos a todas las naciones.

La mayoría de nosotros sabe mucho acerca de “hacer discípulos” pero no todos saben “como hacer discípulos a todas las naciones.”

Cuando hablamos de “hacer discípulos A TODAS LAS NACIONES” estamos enfocando en la tarea que Jesus nos encargo y aun falta terminar que es llevar el evangelio a cada pueblo que todavía no conoce de Jesus y ahí formar nuevos discípulos hasta plantar su iglesia.

¿Como podemos involucrarnos en esta tarea cuando comprendemos que no podremos hacer esta tarea de forma personal ya que estos pueblos están a miles de kilómetros?

La primera accion para “hacer discípulos A TODAS LAS NACIONES” es ORAR, Jesus dijo “orad al Señor de la mies que envie obreros a su mies”. Dios tiene los obreros seleccionados para ir a cada pueblo a hacer discípulos y nuestra oracion ferviente, sistematica y estratégica (Ver www.guiamundialdeoracion.com) por los pueblos no alcanzados es uno de los mandatos de Jesus para todos aquellos que desean ver esos pueblos con nuevos discípulos del Señor.

Usted y su iglesia deben comenzar a ORAR diariamente por uno o mas pueblos NO ALCANZADOS para que El Señor de la mies seleccione, llame, capacite y envie los obreros que harán nuevos discípulos.

La segunda acción es IR. Cada dia Dios llama a hombres y mujeres a dar los pasos que significan MISION de acuerdo al ejemplo que nos dejan Jesus y Pablo como primeros misioneros.  Estos son Renunciar, viajar, encarnarse y plantar la iglesia.

Seguro Dios puede llamarle a usted a dar estos pasos o usted tiene cerca una persona que Dios ha llamado y puede acompañarla y apoyarla para que ella salga a uno de esos pueblos NO ALCANZADOS y cumpla la tarea misionera.

La tercera acción es DAR, todos nosotros podemos dar para que las personas que Dios ha llamado a “hacer discípulos A TODAS LAS NACIONES” puedan concretar sus salidas, hoy hay cientos de obreros listos para salir que no cuentan con los recursos para hacerlo y cada cristiano o iglesia puede tomar la decisión de apoyarles para llegar al campo de MISION que Dios les ha llamado.

De esta forma seremos parte involucrada en “hacer discípulos A TODAS LAS NACIONES” por medio de la sabia administración de los recursos que Dios nos da.

Si cada cristiano o iglesia se involucra en dar de forma sistematica a proyectos para “hacer discípulos A TODAS LAS NACIONES” podríamos lograr un gran avance en la tarea que nos falta terminar.

Terminar esta tarea es la forma que tenemos de honrar y glorificar al Señor.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

3 Reasons to Include the Phrase To All Nations in Disciple-Making

By Tito Roberts, pastor and missions visionary, www.iglesiasenmision.org; Whatsapp 5491159369297; www.enmision.org

3 Reasons to Include the Phrase To All Nations in Disciple-Making

By Tito Roberts, www.enmision.org

Why is it important to include the phrase “To All Nations” every time we speak or teach about the great commission?

First of all, we must include the phrase  to all nations  because this phrase is  in Scripture (Matthew 28:18-20).  If for different reasons we begin to include what is not in the bible or take out what does not seem convenient to us, we will quickly be out of God’s will.

Remember that God said in Revelation that we should not add or take away from God’s Word (Revelation 22:18-19). The phrase to all nations is part of great commission to make disciples and like any mandate we must do all that it says.

And I know that you’re reading this blog because you want to obey God and do his will. The first step is to do everything possible to make disciples of all nations.

The second reason to include all nations is because it’s  the remedy to the selfishness that consumes  the lives of Christians and leads them to live for themselves or only for their closest circle of family, city and church.

Those who God used greatly, like  Abraham (in you all the families of earth will be blessed), David (All peoples will praise you forever) and Jesus himself (the gospel will be preached to all nations) shows us that God calls us to look at “all the nations He has created” by placing our eyes  “outward” and not limiting it to our close circles of family, city or church.

When as Christians we begin to “make disciples” only in our family, neighborhood, or my church, we can become selfish.

Focusing on making disciples of all nations helps us to focus on the lost, prioritizing people who have never heard and do not have the opportunity to be disciples of Jesus.

Finally, we must include the phrase  to all nations  because it is the remedy to the “egocentrism” of the church. This has been going on for a long time. In Acts 8.1 the disciples were still focusing on Jerusalem and God had to scatter them to the nations. God brought persecution to stir them to reach out.

The phrase to all nations solves the natural egocentrism that leads churches to look inward. Rather, God wants us to  be a blessing to all nations. Every Christian, church and ministry is responsible for seeking the Lord’s guidance about how to live each day by administering everything that God has given him to “make disciples of all nations.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Três razões para incluir a frase “todas as nações” ao fazer discípulos

Por Tito Roberts, www.enmision.org

Por que é importante incluir a frase “todas as nações” toda vez que falamos ou ensinamos sobre esse mandamento?

Antes de tudo, devemos incluir a frase todas as nações, porque esta frase está nas Escrituras (Mateus 28:18-20). Se, por razões diferentes, começarmos a incluir o que não está na Bíblia ou retirar o que não nos parece conveniente, estaremos rapidamente fora da vontade de Deus.

Lembre-se de que Deus disse em Apocalipse que não devemos adicionar ou tirar da Palavra de Deus (Apocalipse 22:18-19). A frase para todas as nações faz parte de uma grande comissão para fazer discípulos e, como com qualquer mandamento, devemos fazer tudo o que ele diz.

E eu sei que você está lendo este blog porque quer obedecer a Deus e fazer a vontade dEle.  O primeiro passo é fazer todo o possível para fazer discípulos de todas as nações.

A segunda razão para incluir todas as nações é porque esse é o remédio para o egoísmo que consome a vida dos cristãos e os leva a viver por si mesmos ou apenas pelo seu círculo mais próximo de família, cidade e igreja.

Aqueles que Deus usou grandemente, como Abraão (em você todas as famílias da terra serão abençoadas), Davi (todos os povos te louvarão para sempre) e o próprio Jesus (o evangelho será pregado a todas as nações) nos mostra que Deus sempre nos chama a olhar para “todas as nações que Ele criou” colocando nossos olhos “para fora” e não limitando-os a nossos círculos íntimos de convivência na família, cidade ou igreja.

Quando, como cristãos, começamos a “fazer discípulos” apenas em nossa família, bairro ou igreja, podemos nos tornar egoístas.

Focar em fazer discípulos de todas as nações nos ajuda a focar nos perdidos, priorizando as pessoas que nunca ouviram e não têm a oportunidade de serem discípulos de Jesus.

Finalmente, devemos incluir a frase em todas as nações, porque esse é o remédio para o “egocentrismo” da igreja. Isso vem acontecendo há muito tempo.  Em Atos 8:1, os discípulos ainda estavam concentrados em Jerusalém e Deus teve que espalhá-los para as nações. Deus trouxe perseguição para incitá-los a alcançar outros povos

A frase “todas as nações” resolve o egocentrismo natural que leva as igrejas a olharem para si mesmas, investirem em si mesmas e usarem recursos humanos e financeiros para si mesmas.

Pelo contrário, Deus quer que sejamos uma bênção para todas as nações. Todo cristão, igreja e ministério são responsáveis por buscar a orientação do Senhor sobre como viver todos os dias, administrando tudo o que Deus lhes deu para “fazer discípulos de todas as nações”.

Spanish blog:

3 razones para incluir la frase “A TODAS LAS NACIONES”  al hacer discípulos.

por Tito Robert, www.enmision.org

¿Porque es importante incluir la frase “A TODAS LAS NACIONES” cada vez que hablemos o enseñemos sobre este mandato?

En primer lugar debemos incluir la frase “A TODAS LAS NACIONES” porque esta frase es palabra de Dios para nosotros. Si por diferentes motivos comenzamos a incluir lo que no esta en la biblia o sacar lo que no nos parece conveniente rápidamente estaremos viviendo una vida cristiana y de iglesia lejos de la voluntad de Dios. La llamada de la misma Biblia a “no agregar ni quitar una tilde de su palabra” tiene sus razones y una de ellas es que lo que Dios quiere decirnos pierde su sentido verdadero si nosotros al azar incluimos o sacamos partes de la escritura.

La frase “A TODAS LAS NACIONES”  es parte del mandato de “hacer discípulos” y como todo mandato si no lo tomamos de forma completa no podremos ser obedientes a el.

Creyendo que usted desea obedecer a Dios y hacer su voluntad el primer paso es tomar con todo nuestro corazón el hecho de que para Dios su mandato de “hacer discípulos” incluye el enfoque, la planificación y la ejecución responsable de “hacer discípulos “A TODAS LAS NACIONES””.

En segundo lugar debemos incluir la frase “A TODAS LAS NACIONES” porque es el remedio al egoísmo que carcome la vida de los cristianos llevándolos a vivir para ellos mismos o para su circulo mas cercano de familia, ciudad e iglesia.

La identidad de hombres de Dios como Abraham (en ti serán benditas todas las familias de tierra), David (Todos los pueblos te alabaran por siempre) y el mismo Jesus (será predicado el evangelio a todas las naciones” nos demuestra que Dios siempre llama a mirar a “todas las naciones que El ha creado” colocando la mirada de los cristianos “hacia afuera” y no limitándola a nuestro circulo mas cercano ya sea familia, ciudad o iglesia.

Cuando como cristianos comenzamos a “hacer discípulos” solo en mi familia, solo en mi barrio, solo en mi iglesia podemos empezar a caminar el peligroso camino del egoísmo.

La mirada de “hacer discípulos“A TODAS LAS NACIONES”” nos coloca con un enfoque en los perdidos, priorizando justamente a los pueblos que nunca han escuchado y no tienen la oportunidad de ser discípulos de Jesus.

En tercer lugar debemos incluir la frase “A TODAS LAS NACIONES” porque es el remedio al “egocentrismo” de la iglesia. Este es un hecho que viene de hace tiempo ya que leemos en Hechos 8.1 que los primeros discípulos después de haber escuchado a Jesus decir “deben ir a Jerusalem,Judea, Samaria y hasta lo ultimo de la tierra” (Hechos 1.8) no obedecieron y se quedaron solo en Jerusalem. El correctivo de Dios incluyo una persecusion que los llevo exactamente por las zonas que deban ir voluntariamente en obediencia  para matar el egocentrismo que ya se habia apoderado de la primera iglesia.

La frase “A TODAS LAS NACIONES” soluciona el egocentrismo natural que lleva a las iglesias a solo mirarse a si mismas, a invertir en si mismas, a usar los recursos humanos y financieros en si mismas, en definitiva a desarrollar una cultura egocentrista en una iglesia que fue llamada a ser de bendición a “todas las naciones”.

Cada cristiano, iglesia y ministerio es responsable de buscar con la guía del Señor la forma de vivir cada dia administrando todo lo que Dios le ha dado para “hacer discípulos A TODAS LAS NACIONES”

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Filling the Earth with Disciples

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In the fifth century the church movement started by Jesus Christ died out, and we saw a return to the Old Testament institutional model. The Old Testament was a centralizing institution. It was a come  movement. Come to Israel, come to Jerusalem, come to the Temple to find God. Everything was pointing to the center, House of God, Priests, Law, and so forth.

When Jesus came he turned everything upside down. He introduced the  go into all the world  movement. Nothing was centralized anymore. His message was not limited to a geographical place, Israel, anymore. Now the Gospel should be spread to all the world. God did not dwell in a House, Temple, anymore. Every believer now is the Temple of the Holy Spirit. There is no centralized priesthood any more. Every believer is a Priest right now.

This return to a centralized institution was a big trap of the devil to paralyze the outward movement initiated by Jesus Christ. The church, then, lost its impetus to go to all the world.

The system used by Jesus to take his message out to all the world was making disciples.  He demonstrated this with His own group, relational community life, investing His life in their lives for a good period of time, until they were ready to multiply into others what they experienced with him.

How can we fill the earth with disciples? Only by going back to the lifestyle and system that Jesus clearly demonstrated. Every house a church and every member a priest, who multiplies himself making disciples. Lets go back to the example Jesus gave us. I’m referring to relational cell community that transforms baby Christians into disciples, who make disciples, who make disciples until we fill the Earth with disciples of Jesus Christ.

Help us God!

Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Enchendo a Terra com Discípulos

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

No século V, o movimento da igreja iniciado por Jesus Cristo desapareceu e vimos um retorno ao modelo institucional do Antigo Testamento. O Antigo Testamento era uma instituição centralizadora. Foi um movimento de vir. Venha a Israel, venha a Jerusalém, venha ao Templo para encontrar Deus. Tudo apontava para o centro, Casa de Deus, Sacerdotes, Lei, e assim por diante.

Quando Jesus veio, virou tudo de cabeça para baixo. Ele introduziu o movimento ide por todo o mundo. Nada mais era centralizado. Sua mensagem não estava mais limitada a um local geográfico, Israel. Agora o evangelho devia ser espalhado por todo o mundo. Deus não habitava mais em uma casa ou templo. Agora todo convertido é um templo do Espírito Santo. Não há mais sacerdócio centralizado. Todo crente é um sacerdote.

Esse retorno a uma instituição centralizada foi uma grande armadilha do diabo para paralisar o movimento externo iniciado por Jesus Cristo. A Igreja, então, perdeu seu ímpeto de ir a todo o mundo.

O sistema usado por Jesus para levar Sua mensagem a todo o mundo estava fazendo discípulos. Ele demonstrou isso com Seu próprio grupo, a vida relacional da comunidade, investindo Sua vida nas vidas deles por um bom período de tempo, até que eles estivessem prontos para multiplicar em outras pessoas o que experimentaram com Ele.

Como podemos encher a terra de discípulos? Somente voltando ao estilo de vida e sistema que Jesus demonstrou claramente. Toda casa sendo uma igreja e todo membro um sacerdote, que se multiplica fazendo discípulos. Vamos voltar ao exemplo que Jesus nos deu. Estou me referindo à comunidade de células relacionais que transforma bebês cristãos em discípulos, que fazem discípulos, que fazem discípulos até enchermos a Terra com discípulos de Jesus Cristo.

Ajude-nos, Deus!

Robert Lay, Ministério Igreja em Células Brasil

 Spanish blog:

Llenando la tierra con discípulos

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

En el siglo quinto, el movimiento de la iglesia iniciado por Jesucristo se extinguió y vimos un regreso al modelo institucional del Antiguo Testamento. El Antiguo Testamento era una institución centralizadora; era un movimiento basado en el ven. Ven a Israel, ven a Jerusalén, ven al Templo a buscar a Dios. Todo apuntaba al centro, a la Casa de Dios, a los Sacerdotes, a la Ley, etc.

Cuando Jesús vino, puso todo al revés. Introdujo el ir a todo el movimiento mundial, ya nada estaba centralizado. Su mensaje ya no se limitaba a un lugar geográfico, Israel. Ahora el Evangelio debería extenderse a todo el mundo. Dios ya no habitaba en una casa, templo. Todo creyente ahora es el Templo del Espíritu Santo, ya no hay sacerdocio centralizado. Todo creyente es un sacerdote en este momento.

Este regreso a una institución centralizada fue una gran trampa del diablo para paralizar el movimiento exterior iniciado por Jesucristo. La iglesia, entonces, perdió su ímpetu para ir a todo el mundo.

El sistema utilizado por Jesús para llevar su mensaje a todo el mundo era hacer discípulos. Lo demostró con su propio grupo, la vida comunitaria relacional, invirtiendo su vida en sus vidas durante un buen período de tiempo, hasta que estuvieron listos para multiplicar en otros lo que experimentaron con él.

¿Cómo podemos llenar la tierra con discípulos? Solo volviendo al estilo de vida y al sistema que Jesús demostró claramente. Cada casa es una iglesia y cada miembro es un sacerdote, que se multiplica para hacer discípulos. Volvamos al ejemplo que Jesús nos dio. Me estoy refiriendo a la comunidad celular relacional que transforma a los bebés cristianos en discípulos, que hacen discípulos, que hacen más discípulos hasta que llenemos la Tierra con discípulos de Jesucristo.

Ayúdanos Dios!

Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil

Developing Disciples from The Nucleus of The Cell

By Gerardo Campos, district pastor at Elim Church, San Salvador, El Salvador, www.elim.org.sv

A human cell is basically formed by the nucleus and the cytoplasm. Take for example, an egg, which is a giant cell. The nucleus is the yolk and the cytoplasm is the white. The multiplication process begins and is completed in the nucleus. The cytoplasm only follows the multiplication of the nucleus. This biological reality is also true when we talk about home-based cell groups. Multiplication can only occur when the nucleus develops and multiplies.

How do we achieve the cell nucleus development process? Generating a new leader, preparing a new host, and developing members to be carriers of the cell’s DNA. All of that is only possible through discipleship, which means completing actions aimed at getting a discipler to make disciples from other believers.

Discipleship within a cell is done through the mentoring of the members. It’s making sure they have a relationship of intimacy with God, knowledge of His Word, and then  obedience to it. With his mentoring example, the leader will produce a domino effect on the members of the cell, making it a lifestyle for the members to go from being mere believers to becoming disciples. The actions must be intentional and persistent knowing that Jesus Christ commissioned us to make disciples rather than win believers.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Desenvolvendo discipulos do núcleo da célula

Por Gerardo Campos, pastor de distrito da Igreja Elim, San Salvador, El Salvador, www.elim.org.sv

Uma célula humana é basicamente formada pelo núcleo e pelo citoplasma. Vamos pensar, por exemplo, no ovo, que é uma célula gigante. O núcleo é a gema e o citoplasma é a clara. O processo de multiplicação começa e é concluído no núcleo. O citoplasma apenas segue a multiplicação do núcleo. Essa realidade biológica também é verdadeira quando falamos de células domésticas. A multiplicação só pode ocorrer quando o núcleo se desenvolve e se multiplica.

Como alcançamos o processo de desenvolvimento do núcleo celular? Gerar um novo líder, preparar um novo hospedeiro e desenvolver membros para serem portadores do DNA da célula. Tudo isso só é possível através do discipulado, o que significa concluir ações destinadas a convencer um discipulador a fazer com que outros convertidos se tornem discípulos.

O discipulado dentro de uma célula é feito através da orientação dos membros. É garantir que eles tenham um relacionamento de intimidade com Deus, conhecimento da Sua Palavra e, em seguida, obediência a ela. Com seu exemplo de mentor, o líder produzirá um efeito dominó sobre os membros da célula, criando um estilo de vida para os membros deixarem de ser meros crentes e se tornarem discípulos. As ações devem ser intencionais e persistentes, sabendo que Jesus Cristo nos encarregou de fazer discípulos em vez de ganhar crentes.

Spanish blog:

Desarrollando discípulos desde el núcleo de la célula

Por Gerardo Campos, pastor del distrito de Iglesia Elim, San Salvador, El Salvador, www.elim.org.sv

La célula está formada básicamente por el núcleo y el citoplasma, si tomamos para ilustración el ejemplo de una célula gigante, el huevo, el núcleo es la yema y el citoplasma es la clara. El proceso de multiplicación comienza y se completa en el núcleo, el citoplasma solamente sigue a la multiplicación del núcleo. Esta realidad biológica también es verdad cuando hablamos de las células en las casas, la multiplicación solamente se puede dar cuando el núcleo se desarrolla y se multiplica.

¿Cómo lograr el proceso de desarrollo del núcleo celular? Generando un nuevo líder, preparando un nuevo anfitrión y desarrollando a los miembros para que sean portadores del ADN de la célula. Todo eso solo es posible por medio del discipulado, lo cual, significa completar las acciones dirigidas a lograr que un discipulador haga de los creyentes discípulos.

El discipulado dentro de una célula se hace por medio de la mentoría del líder hacia todos los miembros, cuidando de que tengan una relación de intimidad con Dios, el conocimiento de su Palabra y la obediencia a ella. Con su ejemplo de mentoría el líder producirá un efecto dominó en los miembros de la célula, haciendo que el estilo de ser mentores mutuos permita que los miembros de la célula pasen de ser simples creyentes para convertirse en discípulos. Las acciones deberán ser intencionales y persistentes sabiendo que Cristo Jesús nos comisionó a hacer discípulos más que ganar creyentes.

Who’s At Your Table?

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Jesus was a master at disciple-making by simply using everyday life circumstances to make a lasting impact on the lives of people around him. Whether fishing or walking along the road or attending a wedding, Jesus used ordinary circumstances to disciple and equip those around him to be difference makers. Sometimes, we tend to over complicate the discipleship and equipping process and transform it into a textbook-type training instead of letting connection and community take place in the simplest of places. For me, it happened at the dinner table.  

I noticed an amazing group of ladies who were leaders of leaders in different ministries, yet each one needed to be equipped and discipled to continue their ministry with excellence.  Although God had called each of them to be leaders in various ministries, how could I possibly make a lasting impact on so many individual women at the same time? Then, God graciously put on my heart a very natural yet effective way – simply invite them to my house for dinner.  

That’s not so hard, I thought; a once a month dinner meeting in my home. Although they really didn’t know each other very well, each woman had the same desire to grow in the Lord and in their ministry leadership. As I served a simple meal and as they were enjoying dinner, they dialogued together and answered some basic “get to know you questions” I prepared in advance.  At our first dinner meeting, we shared our struggles and our burdens Each woman found a connection through the inadequacies that we, including me, all felt at times in our lives. This amazing group of women soon bonded and became friends while reading leadership books and sharing life together over the course of a year.

Discipleship and equipping can have the best of strategies and be carefully executed, but at the end of the day, who have you invited to your table?  Are you looking around in your role as a leader and investing in those who want to grow?  You can start with something simple:

  • Pray for God to show you who He wants to be part of your group
  • Ask five people (same gender works best) if they would like to meet and have dinner (I call my group a “Leadership Table”) once a month for a year:
    • It helps to set clear expectations of duration and frequency in advance, so those you ask to join your group will know what to expect.
    • You may want to invite six or seven people, but the best number for conversation is six.
  • Pick a book that would be an encouragement to the whole group:
    • I started with The Gifts of Imperfection by Brene Brown.  This is not a “Christian” book, but it sets the stage for transparency and vulnerability.
    • Pick a book that is not ministry specific, so everyone’s perspective will be addressed
  • Serve dinner.  You can make it potluck or order in; eating together seems to break down communication barriers and allows people to chat and share naturally over dinner in a more relaxing way. 
  • Enjoy your time together. 

Take some time this week and be thinking about who you can invite to your own “Leadership Table.” Watch and see how God will transform these men and women into even greater leaders. I’ve started my second “Leadership Table” this year, and I look forward, with great anticipation, to what the Lord is going to do in and through these leader’s lives as they rise up to their next level of leadership.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quem está na sua mesa?

Por Michelle Geoffrey, pastor de células em www.celebrationchurch.org

Jesus era um mestre na criação de discípulos, usando simplesmente as circunstâncias da vida cotidiana para causar um impacto duradouro na vida das pessoas ao seu redor. Fosse pescando, caminhando pela estrada ou participando de um casamento, Jesus usou circunstâncias comuns para discipular e equipar as pessoas ao seu redor para fazerem diferença. Às vezes, tendemos a complicar demais o processo de discipulado e equipamento e transformá-lo em um treinamento do tipo seguir um manual, em vez de permitir que a conexão e a comunidade ocorram nos lugares mais simples. Para mim, isso aconteceu na mesa de jantar.

Notei um incrível grupo de mulheres que eram líderes de líderes em diferentes ministérios, mas cada uma precisava ser equipada e disciplinada para continuar seu ministério com excelência. Embora Deus tenha chamado cada uma delas para ser líder em vários ministérios, como eu poderia causar um impacto duradouro de modo individual em tantas mulheres ao mesmo tempo? Então, Deus gentilmente colocou em meu coração uma maneira muito natural, mas eficaz – simplesmente as convide para jantar em minha casa.

Isso não é tão difícil, pensei; uma reunião de jantar uma vez por mês em minha casa. Embora elas realmente não se conhecessem muito bem, cada mulher tinha o mesmo desejo de crescer no Senhor e em sua liderança no ministério. Enquanto eu servia uma refeição simples e, enquanto desfrutavam do jantar, elas dialogavam juntas e respondiam a algumas perguntas básicas para conhecer umas às outras. Em nosso primeiro jantar, compartilhamos nossas lutas e nossos fardos. Cada mulher encontrou uma conexão através das inadequações que nós, inclusive eu, todos sentimos às vezes em nossas vidas. Esse incrível grupo de mulheres logo se uniu e tornaram-se amigas, lendo livros de liderança e compartilhando a vida juntas ao longo de um ano.

O discipulado e o equipamento podem ter as melhores estratégias e serem executados com cuidado, mas no final do dia, quem você convidou para sua mesa? Você está olhando à sua volta em seu papel de líder e investindo naqueles que querem crescer? Você pode começar com algo simples:

– Ore para que Deus mostre quem ele quer que faça parte do seu grupo;
– Pergunte a cinco pessoas (funciona melhor com pessoas do mesmo sexo) se elas gostariam de se encontrar e jantar (chamo meu grupo de “Mesa de Liderança”) uma vez por mês durante um ano:
• Isso ajuda a estabelecer expectativas claras de duração e frequência com antecedência, para que aqueles que você chama para se juntar ao seu grupo saibam o que esperar.
•Você pode convidar seis ou sete pessoas, mas o melhor número para conversar é seis.
– Escolha um livro que seria um incentivo para todo o grupo:
• Comecei com Os presentes da imperfeição, de Brene Brown.  Este não é um livro “cristão”, mas prepara o terreno para a transparência e a vulnerabilidade.
• Escolha um livro que não seja específico do ministério, para que a perspectiva de todos seja abordada.
– Sirva o jantar. Você pode pedir para cada pessoa levar algo ou pedir delivery; comer juntos parece quebrar as barreiras de comunicação e permite que as pessoas conversem e compartilhem naturalmente durante o jantar de uma maneira mais relaxante;
– Aproveitem o seu tempo juntos.

Reserve um tempo nesta semana e pense em quem você pode convidar para sua própria “Mesa de Liderança”. Observe e veja como Deus transformará esses homens e mulheres em líderes ainda maiores. Eu comecei minha segunda “Mesa de Liderança” este ano e aguardo com grande expectativa o que o Senhor fará em suas vidas e através de suas lideranças, à medida que elas subirem para o próximo nível de liderança.

Spanish blog:

¿Quién está en tu mesa?

Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Jesús era un maestro en hacer discípulos simplemente usando las circunstancias de la vida cotidiana para tener un impacto duradero en la vida de las personas que lo rodeanban. Ya sea que esté pescando o caminando por el camino o asistiendo a una boda, Jesús usó circunstancias ordinarias para discipular y equipar a los que lo rodeaban para ser creadores de diferencias. A veces, tendemos a complicar demasiado el proceso de discipulado y equipamiento y transformarlo en una capacitación tipo libro de texto en lugar de permitir que la conexión y la comunidad se lleven a cabo en los lugares más simples. Para mí, sucedió en la mesa.

Noté un increíble grupo de mujeres que eran líderes de líderes en diferentes ministerios, sin embargo, cada una de ellas necesitaba estar equipada y discipulada para continuar su ministerio con excelencia. Aunque Dios las había llamado a ser líderes en varios ministerios, ¿cómo podrían tener un impacto duradero en tantas mujeres individuales al mismo tiempo? Entonces, Dios graciosamente puso mi corazón una manera muy natural pero efectiva: simplemente invítalas a cenar a casa.

Eso no es tan difícil, pensé; una cena de una vez al mes en mi casa. Aunque realmente no se conocían muy bien, cada mujer tenía el mismo deseo de crecer en el Señor y en el liderazgo de su ministerio. Mientras servía una comida sencilla y mientras disfrutaban de la cena, dialogaron juntas y respondieron algunas preguntas básicas para “conocerse” que preparé con anticipación. En nuestra primera cena, compartimos nuestras luchas y nuestras cargas y cada una encontró una conexión a través de las deficiencias que nosotras, incluyéndome a mí, sentimos en ocasiones en nuestras vidas. Este increíble grupo de mujeres pronto se unió y se creó una amistad; mientras leían libros de liderazgo y compartían la vida en el transcurso de un año.

El discipulado y el equipamiento pueden tener las mejores estrategias y ser ejecutados cuidadosamente, pero al final del día, ¿a quién has invitado a tu mesa? ¿Estás buscando tu rol como líder e invirtiendo en aquellos que quieren crecer? Puedes comenzar con algo simple:

▪️Ora para que Dios te muestre quién quiere que forme parte de tu grupo

▪️Pregunte a cinco personas (el mismo género funciona mejor) si les gustaría reunirse y cenar (llamo a mi grupo una “Mesa de Liderazgo”) una vez al mes durante un año:

              – Ayuda a establecer expectativas claras de duración y frecuencia de                  antemano, para que aquellos a quienes les solicites unirse a tu                        grupo sepan qué esperar.

               – Es posible que desee invitar a seis o siete personas, pero el mejor                     número para conversar es seis.

▪️Elige un libro que sea un estímulo para todo el grupo:

               -Comencé con los dones de la imperfección (The Gifts of                                      Imperfection) de Brene Brown. Este no es un libro “cristiano”, pero                    prepara el escenario para la transparencia y la vulnerabilidad

                -Elige un libro que no sea específico para el ministerio, de modo                         que se aborde la perspectiva de todos

▪️Sirve la cena. Puedes hacer que sea una comida compartida o pedirla; comer juntos parece romper las barreras de comunicación y permite a las personas conversar y compartir naturalmente durante la cena de una manera más relajante.

▪️Disfruten su tiempo juntos.

Tómete un tiempo esta semana y piense en a quién puedes invitar a tu propia “mesa de Liderazgo”. Observa cómo Dios transformará a estos hombres y mujeres en líderes aún mayores. Comencé mi segunda “Tabla de Liderazgo” este año, y espero con gran anticipación lo que el Señor hará en y a través de las vidas de estos líderes a medida que se eleven a su próximo nivel de liderazgo.