Let’s Do This!

By Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

Over the last two years, we have had a few “ups” in cell groups at Celebration.  Unfortunately, it seems we have had far greater “downs.”  We have lost pastors, lost leaders, lost groups, and in some ways lost hope.  How do we plan for a New Year in ministry, when everything seems to be adrift? What is coming next?  Will we have more losses?  When will things seem to stabilize?  How can we move forward?

All of these questions are part of life that we cannot control.  We know the One who is in control, and we know that His plans are good for us and will bring Him glory, but we do not know what tomorrow will bring.  I realized that over the last two years, I shifted my focus from raising leaders, evangelizing, and making disciples to looking around at all I couldn’t do or control.

The irony in that is it is exactly what our loving Father reminds us over and over again NOT to do:

  • Matthew 6:34 – “Don’t worry about tomorrow.”
  • Proverbs 3:5 – “Trust in the Lord with all your heart, lean not on your own understanding.”
  • Isaiah 41:10 – “Fear not for I am with you.”

And the list goes on…

I have taken my eyes off of the One who I can trust and have looked around at the carnage of my circumstances.  We tell those we counsel that they can have hope and we share our stories of faith, but over the last two years we have been stretched in new ways that may have caused us to question our own wisdom and control.  Guess what!!?!?   That is OK.

This year, I can no longer look at what the news is saying or what email or text message is telling me who has Covid19 or who is stepping down.  This year, I want my motto to be “Let’s do this!”  Not me and another person, but my Creator and I.  “Let’s do this, Jesus,” is my heart’s cry.

I am going to look at what I can control:

  • I can control my prayer life
  • I can control my focus
  • I can control how much I share my faith with others
  • I can control who I am inviting to my cell group
  • I can control the amount of encouragement my leaders are receiving from me

What can you control?  How have you been holding back?  In what areas, do you need to say, “Let’s do this?”

The rest is in His hands.  After all, His will is good, acceptable and perfect for me and YOU. (Romans 12:2)

Korean blog (Click here)

Portuguese Blog

Vamos prosseguir!

Michelle Geoffrey, Pastora de Células na igreja www.celebrationchurch.org

Ao longo dos últimos dois anos, tivemos alguns pontos positivos nas células da igreja Celebration. Infelizmente, parece que tivemos um número ainda maior de pontos negativos. Perdemos pastores, líderes, células e de alguma forma parece que perdemos esperança. Como podemos planejar um novo ano em nosso ministério quando tudo parece estar à deriva? O que acontecerá a seguir? Teremos ainda mais perdas? Quando as coisas vão finalmente se estabilizar? Como podemos passar a caminhar à frente novamente?

Todas estas perguntas são da parte da nossa vida sobre a qual não temos controle. Nós conhecemos Aquele que está no controle, e sabemos que seus planos para nós são bons e serão para Sua glória, mas não sabemos o que o amanhã nos trará. Eu percebi que nos últimos dois anos eu mudei meu foco, e ao invés de formar líderes, evangelizar e fazer discípulos, passei a olhar para tudo aquilo que eu não podia fazer e não podia controlar.

A ironia em tudo isso é que estas coisas são precisamente aquilo que o nosso Amoroso Pai nos lembra vez após vez para NÃO fazermos:

  • Mateus 6:34 – “… não vos inquieteis com o dia de amanhã…”
  • Provérbios 3:5 – “Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento.”
  • Isaías 41:10 – “não temas, porque eu sou contigo…”

E a lista continua …

Eu desviei meus olhos Daquele em quem posso confiar e passei a olhar ao meu redor, para a verdadeira carnificina da minha situação. Nós ministramos para as pessoas que nos procuram que elas devem ter esperança e compartilhamos nossas histórias de fé, mas ao longo dos últimos dois anos passamos por coisas que nos fizeram questionar nossa própria sabedoria e nosso controle. E sabe de um coisa!!?? Isto é normal!

Este ano, eu não posso mais olhar para o que o noticiário está me dizendo ou ficar procurando nas mensagens de email ou sms quem contraiu Convid19 ou quem está deixando o ministério. Este ano meu lema será “Vamos prosseguir!” Não simplesmente eu e outras pessoas, mas o meu Criador e eu. “Vamos prosseguir, Senhor Jesus”, é o clamor do meu coração.

Eu vou olhar para as coisas que estão sob meu controle:

  • Eu posso controlar a minha vida de oração
  • Eu posso controlar qual é o foco da minha vida
  • Eu posso controlar o quanto eu compartilho a minha fé com outras pessoas
  • Eu posso controlar quem eu convido para a minha célula
  • Eu posso controlar a quantidade de encorajamento que estou dando aos meus líderes de células

O que você pode controlar? Que tipo de coisas você tem deixado de fazer? Em quais áreas da sua vida você também precisa dizer, “Vamos prosseguir” ?

O resto está nas mãos dEle. Afinal de contas, a vontade dEle para VOCÊ é boa, agradável e perfeita. (Romanos 12:2)

Spanish blog:

¡Hagámoslo!

Por Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

En los últimos dos años, hemos tenido algunos “altibajos” en los grupos celulares de la iglesia Celebration. Desafortunadamente, parece que hemos tenido “bajas” mucho mayores. Hemos perdido pastores, líderes, grupos y, de alguna manera, perdido la esperanza. ¿Cómo planeamos un Año Nuevo en el ministerio, cuando todo parece ir a la deriva? ¿Qué viene después? ¿Tendremos más pérdidas? ¿Cuándo parecerá que las cosas se estabilizarán? ¿Cómo podemos avanzar?

Todas estas preguntas son parte de la vida que no podemos controlar. Conocemos a Aquel que está en control, y sabemos que Sus planes son buenos para nosotros y le traerán gloria, pero no sabemos lo que traerá el mañana. Me di cuenta de que en los últimos dos años, cambié mi enfoque de criar líderes, evangelizar y hacer discípulos a mirar a mi alrededor todo lo que no podía hacer o controlar.

La ironía es que es exactamente lo que nuestro amoroso Padre nos recuerda una y otra vez que NO hagamos:

  • Mateo 6:34 – “No os preocupéis por el día de mañana.”
  • Proverbios 3:5 – “Confía en el Señor con todo tu corazón, no te apoyes en tu propia prudencia”.
  • Isaías 41:10 – “No temas porque yo estoy contigo”.

Y la lista continúa…

He apartado mis ojos de Aquel en quien puedo confiar y he mirado alrededor la carnicería de mis circunstancias. Les decimos a los que asesoramos que pueden tener esperanza y compartimos nuestras historias de fe, pero en los últimos dos años nos hemos visto presionados en nuevas formas que pueden habernos hecho cuestionar nuestra propia sabiduría y control. ¿¡¿¡¡Adivina qué!!?!? Es correcto.

Este año, ya no puedo mirar lo que dicen las noticias o qué correo electrónico o mensaje de texto me dice quién tiene Covid19 o quién se va. Este año, quiero que mi lema sea “¡Hagámoslo!” No yo y otra persona, sino mi Creador y yo. “Hagámoslo, Jesús”, es el grito de mi corazón.

Voy a ver lo que puedo controlar:

  • Puedo controlar mi vida de oración
  • Puedo controlar mi enfoque
  • Puedo controlar cuánto comparto mi fe con los demás
  • Puedo controlar a quién estoy invitando a mi grupo celular
  • Puedo controlar la cantidad de aliento que mis líderes reciben de mí

¿Qué puedes controlar? ¿Cómo te has estado conteniendo? ¿En qué áreas necesita decir: “Hagamos esto”?

El resto está en Sus manos. Después de todo, Su voluntad es buena, aceptable y perfecta para mí y para USTED. (Romanos 12:2)

 

2022: affirm the principles (Español Abajo)

By Mario Vega, www.elim.org.sv

It should never be assumed that leaders and supervisors know everything they should. Even if they have received the established training and have experience in cell work, there is always a chance that they will miss something. Furthermore, even if people know and remember things well, it does not mean that they are doing them well. Out of neglect, convenience, or other reasons, many don’t do what they know they should.

Hence, we always need to remind people of the principles and values ​​of cell work. We need to teach the basics, as if people are hearing about them for the first time. For this purpose, Joel Comiskey´s new book «Empowered to lead» seems to me to be a very good example. It is a small book, succinctly teaching the principles that every leader, coach, and pastor should keep in mind.

It is an easy-to-understand book that summarizes decades of learning and experience. I see it as a manual that everyone should have. Everything I want leaders and pastors to know about cells is there. The purpose for 2022 is to affirm the cell principles by relying on this essential manual.

Korean blog (click here)


Portuguese blog:


2022: afirmar os princípios

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Nunca se deve presumir que líderes e supervisores sabem tudo o que devem. Mesmo que eles tenham recebido o treinamento estabelecido e tenham experiência em trabalho em células, sempre há uma chance de que eles percam alguma coisa. Além disso, mesmo que as pessoas conheçam e se lembrem bem das coisas, isso não significa que as estejam fazendo bem. Por negligência, conveniência ou outros motivos, muitos não fazem o que sabem que deveriam.

Por isso, sempre precisamos lembrar as pessoas dos princípios e valores do trabalho das células. Precisamos ensinar o básico, como se as pessoas estivessem ouvindo falar deles pela primeira vez. Para isso, o novo livro de Joel Comiskey «Empowered to lead» (Empoderado para Liderar [tradução livre]) parece-me ser um bom exemplo. É um livro pequeno, que ensina de forma sucinta os princípios que todo líder, supervisor e pastor deve ter em mente.

É um livro fácil de entender que resume décadas de aprendizado e experiência. Eu vejo isso como um manual que todos deveriam ter. Tudo o que eu quero que líderes e pastores saibam sobre células está lá. O objetivo para 2022 é afirmar os princípios da célula confiando neste manual essencial.

Spanish blog:


2022: afirmar los principios

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Nunca se debe dar por sentado que los líderes y supervisores saben todo lo que debieran. Aun cuando hayan recibido el entrenamiento establecido y tengan experiencia en el trabajo celular, siempre existe la probabilidad de que pasen algo por alto. Además, aun en el caso de que las personas conozcan y recuerden bien las cosas, no significa que las estén haciendo. Por negligencia, comodidad u otras razones, muchos no hacen lo que saben que deberían hacer.

De allí, la importancia de repetir, recordar e insistir en los principios y valores del trabajo celular. Se deben enseñar los aspectos básicos como si fuera la primera vez. Para este propósito, el nuevo libro de Joel Comiskey: «Empoderado para liderar», me parece un muy buen ejemplo. Se trata de un libro pequeño, que enseña de manera sucinta los principios que todo líder, supervisor y pastor debería tener en cuenta. Es un libro de fácil comprensión que resume décadas de aprendizajes y experiencia. Lo veo como un manual que todos deberían tener. Todo lo que quisiera que los líderes y pastores conocieran sobre las células está allí. El propósito para 2022 es afirmar los principios celulares apoyándonos en este manual esencial.

Growth in Community (Español Abajo)

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

What we are beginning to see in 2022 is a shrinking of the institutional church and a growth of the community church. The church that Jesus established long ago began as a community. People were converted, baptized, and discipled. Sadly, it slowly grew into an institutionalized church, focusing on the building, the programs, and the activities.

Granted, the institution is necessary for the legal representation before society, but it must focus on the community. The institutional church must always serve the community and not the other way around. The institutional church has suffered from closures all over the world—but not the community church, or the church in community.

Therefore, the community church must grasp our full attention, and it is towards the community church that all our efforts should be directed. So what should we do in 2022? We must strengthen the church community, that is the cell groups! And everything else—the building, programs, and activities should be focused on strengthening the church community.

This is what we are doing at our church in Spain. We are giving people time to dedicate themselves to community through the cell groups. We don’t want our people to occupy too much time in the institutional activities that isolate them from community life.

Let them, as Acts 2:46 says, eat together with joy and simplicity of heart.  We need to strengthen mutual help more than ever, which are like a sacrifice of praise to God mentioned in Acts 13: 15-16. Why? Because mutual aid is a communal praise to God.

Every time we help each other, we are praising God with the same or greater power than when we do it by singing psalms. Mutual edification creates unity and links us together according to the activity of each member (Ephesians 4:17). The joints of the body of Christ are those that allow the body of Christ to advance and achieve its goals, like the legs and arms of the human body.

A human body without its mobility at its joints becomes paralyzed. In the body of Christ, it is mutual help that moves people forward and stirs them reach out to others. The level of love in a church is equivalent to the level of mutual edification. How much we help each other is how much we love each other. We all want a church that breathes love for one another, but love for one another is something that is built through mutual ministry through community.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Crescimento na Comunidade

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

O que estamos começando a ver neste ano de 2022 é um encolhimento da igreja institucional e um crescimento da igreja comunitária. A igreja que Jesus estabeleceu há muito tempo começou como uma comunidade. As pessoas foram convertidas, batizadas e discipuladas. Infelizmente, ela cresceu lentamente para uma igreja institucionalizada, concentrando-se no edifício, nos programas e nas atividades.

É certo que a instituição é necessária para a representação legal perante a sociedade, mas deve ter como foco a comunidade. A igreja institucional deve sempre servir à comunidade e não o contrário. A igreja institucional sofreu fechamentos em todo o mundo – mas não a igreja comunitária, ou a igreja em comunidade.

Portanto, a igreja da comunidade deve captar toda a nossa atenção, e é para a igreja da comunidade que todos os nossos esforços devem ser direcionados. Então, o que devemos fazer em 2022? Devemos fortalecer a igreja da comunidade, que são as células!

E todo o resto – o edifício, programas e atividades – deve ser focado no fortalecimento da comunidade da igreja.

Isto é o que estamos fazendo em nossa igreja na Espanha. Estamos dando tempo para que as pessoas se dediquem à comunidade através das células familiares. Não queremos que nosso povo ocupe muito tempo nas atividades institucionais que os isolam da vida comunitária.

Que eles, como diz Atos 2:46, comam juntos com alegria e simplicidade de coração. Precisamos fortalecer mais do que nunca a ajuda mútua, aquele sacrifício de louvor mencionado em Atos 13: 15-16. Por quê? Porque a ajuda mútua é um louvor comunitário a Deus.

Toda vez que ajudamos uns aos outros, estamos louvando a Deus com o mesmo ou maior poder do que quando o fazemos cantando salmos. A edificação mútua cria unidade e nos une de acordo com a atividade de cada membro (Efésios 4:17). As articulações do corpo de Cristo são aquelas que permitem que o corpo de Cristo avance e alcance seus objetivos, como as pernas e os braços do corpo humano.

Um corpo humano sem mobilidade nas articulações fica paralisado. No corpo de Cristo, é a ajuda mútua que faz as pessoas avançarem e alcançarem os outros. O nível de amor em uma igreja é equivalente ao nível de edificação mútua. O quanto nos ajudamos uns aos outros é o quanto nos amamos. Todos nós queremos uma igreja que respire amor uns pelos outros, mas o amor uns pelos outros é algo que é construído através do ministério mútuo.

Spanish blog:

Crecimiento De La Iglesia Comunidad

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

Lo que estamos comenzado a ver en este año 2022 es un achicamiento de la iglesia institucional y un crecimiento de la iglesia comunidad. La iglesia comenzó como una comunidad, la gente se empieza a convertir, bautizar, ser discipulada, pero poco a poco fue derivando a una iglesia institucionalizada, centrada en el edificio, los programas y las actividades. Es cierto que la institución es necesaria para su representación legal ante las fuerzas sociales, pero debe centrarse en la comunidad. La iglesia institucional debe servir siempre a la comunidad y no al revés. Ha sido la iglesia institución la que ha sufrido de cierres en todo el mundo y no la iglesia comunidad, por tanto debe ser la iglesia comunidad la que tiene que tener toda nuestra atención, y es hacia la iglesia comunidad hacia donde se deben dirigir todos nuestros esfuerzos.

¿Que hacer en este 2022? Debemos fortalecer la iglesia comunidad, las células, los grupos. El edificio, los programas y las actividades de la iglesia institucional deben estar enfocados al fortalecimiento de la iglesia comunidad. Esto es lo que nosotros estamos haciendo. A la gente hay que dejarle tiempo para dedicarse a la iglesia comunidad, a las células, a los grupos, y no ocuparles tanto en actividades institucionales que les aíslan de la vida comunitaria. Dejarles como dice Hechos 2:46 comer juntos con alegría y sencillez de corazón, estar juntos. Necesitamos potenciar mas que nunca la ayuda mutua, ese sacrificio de alabanza mencionado en hechos 13:15-16, porque la ayuda mutua es una alabanza comunitaria a Dios. Cada vez que nos ayudamos unos a los otros, estamos alabando a Dios con la misma o mayor potencia que cuando lo hacemos cantando salmos, porque es esa ayuda mutua lo que crea unidad, y una comunidad fuerte y resistente, como enseña “Efesios 4:16 …unido entre sí por todas las coyunturas que se ayudan mutuamente, según la actividad propia de cada miembro…”. Las coyunturas del cuerpo de Cristo, son las que le permite al cuerpo de Cristo avanzar y alcanzar sus metas, como las piernas y brazos del cuerpo humano. Un cuerpo humano sin su movilidad en sus coyunturas se queda paralizado. En el cuerpo de Cristo, es la ayuda mutua la que le hace avanzar y llegar a otros.

El nivel de amor en una iglesia es equivalente al nivel de ayuda mutua. Cuánto nos ayudamos unos otros, es cuánto nos amamos. Todos queremos una iglesia en la que se respire amor los unos a los otros, pero el amor unos a otros es algo que se “edifica”, se construye con la ayuda mutua.

Communication In Community (Español Abajo)

By Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, www.misionmoderna.com

The pandemic has given us a lot of positive results that we are seeing in 2022. It is preparing the church for the greatest and most powerful revival in history.

Why? Because people are realizing that you cannot have communication without community and  that community is everything. We need each other! We all need to be part of a community because we cannot live isolated from others. The human being needs others from the moment of  birth until  death. A person cannot be born without help, nor can he be buried without it.

People “watch” society online, while eating, or lying down, completely isolated from each other, only “receiving” what is presented to them on the screen. This sad state only increases a narcissistic view of self.

British theologian Willian Manson (1882-1958) says that failure to be part of a church congregation leads to the loss of faith and distinctive Christian vision. The Spanish theologian Perez Millo says: “A sense of conceit leads some believers, to be deceived into believing that they can grow spiritually apart from the congregation.” He adds, “This self-deception has also led to the view that a single Sunday meeting is enough.”

The Internet has created a new form of evangelizing, but we cannot live without community. God’s people have always fulfilled their mission through communities of believers, not through millions of individuals.

Focusing on evangelism without a community has contributed to an individualistic, privatized message, which has ignored that the head and the body are inseparable. It’s also caused the largest group of “believers” in all western cities to have detached themselves from the body of Christ. As the philosopher Byung-Chul Han says, our culture increasingly celebrates “fewer community festivals, each one celebrates only himself”.

At this time there is a return to home group meetings, to cell groups, a return to the ways of the early church, as it says “Acts 5:42 And every day, in the temple and at home, they did not stop teaching and preaching Jesus Christ” .

In this return to meeting together, we must create more participatory services, not services led by 10 people and the rest not participating. We must return to 1 Corinthians 14:26, where are told, “What is there, then, brothers? When you come together, each one of you has a psalm, has a doctrine, has a tongue, has a revelation, has an interpretation. Let everything be done for edification ”.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Comunicação na Comunidade

Por Ángel Manuel Hernández Gutiérrez,  www.misionmoderna.com

A pandemia nos deu muitos resultados positivos que estamos vendo em 2022. Ela está preparando a igreja para o maior e mais poderoso avivamento da história.

Por quê? Porque as pessoas estão percebendo que você não pode ter comunicação sem comunidade e que a comunidade é tudo. Nós precisamos um do outro! Todos nós precisamos fazer parte de uma comunidade porque não podemos viver isolados uns dos outros. O ser humano precisa dos outros desde o nascimento até a morte. Uma pessoa não pode nascer sem ajuda, nem pode ser enterrada sem ela.

As pessoas “assistem” à sociedade online, enquanto comem, ou deitam, completamente isoladas umas das outras, apenas “recebendo” o que lhes é apresentado na tela. Esse estado triste só aumenta uma visão narcisista de si mesmo.

O teólogo britânico Willian Manson (1882-1958) diz que deixar de fazer parte de uma congregação da igreja leva à perda da fé e da visão cristã distinta. O teólogo espanhol Perez Millo diz: “Um senso de vaidade leva alguns crentes a serem enganados a acreditar que podem crescer espiritualmente à parte da congregação”. Ele acrescenta: “Esse autoengano também levou à visão de que uma única reunião de domingo é suficiente”.

A Internet criou uma nova forma de evangelização, mas não podemos viver sem a comunidade. O povo de Deus sempre cumpriu sua missão por meio de comunidades de crentes, não por meio de milhões de indivíduos.

Concentrar-se no evangelismo sem comunidade contribuiu para uma mensagem individualista e privatizada, que ignorou que a cabeça e o corpo são inseparáveis. Também fez com que o maior grupo de “crentes” em todas as cidades ocidentais se separasse do corpo de Cristo. Como diz o filósofo Byung-Chul Han, nossa cultura cada vez mais celebra “menos festivais comunitários, cada um celebra apenas a si mesmo”.

Neste momento há um retorno às reuniões dos grupos às células familiares, aos grupos de células, um retorno aos caminhos da igreja primitiva, como diz “Atos 5:42 E todos os dias, no templo e em casa, eles não paravam de ensinar e pregando Jesus Cristo”.

Neste retorno ao encontro, devemos criar mais serviços participativos, não serviços liderados por 10 pessoas e o resto não participando. Devemos retornar a 1 Coríntios 14:26, onde é dito: “O que há, então, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, tem uma doutrina, tem uma língua, tem uma revelação, tem uma interpretação. Que tudo seja feito para a edificação”.

Spanish blog:

Comunicación Con Comunidad

Por pastor Ángel Manuel Hernández Gutiérrez, Misión Cristiana Moderna

Este tiempo de pandemia está provocando un cambio muy positivo en la iglesia que se está empezando a vislumbrar en este 2022. Este está siendo el cambio que está preparando la iglesia para el mas grande y poderoso avivamiento de la historia. Las razones son evidentes, la gente está dándose cuenta que no se puede tener comunicación sin comunidad, que la comunidad lo es todo. Nos necesitamos unos a los otros, todos necesitamos ser acompañados, no podemos vivir solos aislados de la comunidad. El ser humano necesita ser acompañado desde el momento de su nacimiento hasta su muerte, porque ni puede nacer sin ayuda, ni puede ser enterrado sin ella. La gente “vé” el culto online, mientras come, o están acostados, completamente aislados unos de otros sólo “recibiendo” lo que se le presenta en la pantalla, y aumentando la centralidad narcisista en él yo.

El teólogo británico Willian Manson (1882-1958) dice que no congregarse lleva a la pérdida de la fe y la visión cristiana distintiva. El teólogo Español Perez Millo dice: “Un sentido de vanagloria alcanza a algunos creyentes, en todos los tiempos, que creen en el autoengaño de ser capaces de edificarse solos, al margen de la congregación” y añade que este auto engaño también lleva a otros a “consideran que una sola reunión dominical ya es suficiente para mostrar identificación cristiana”. Internet ha creado una nueva forma de evangelización, pero no podemos prescindir de la comunidad.

El pueblo de Dios ha cumplido su misión siempre mediante la comunidad, no mediante millones de individuos solos. Centrarse en una evangelización sin comunidad ha contribuido a un mensaje individualista, privatizado, que ha ignorado que la cabeza y el cuerpo son inseparables, y que ha provocado que la iglesia más grande en todas las ciudades de occidente, sea la que no se congrega. Como dice el filosofo Byung-Chul Han, nuestra cultura cada vez celebra “menos fiestas comunitarias, cada uno se celebra sólo a sí mismo”.

En este tiempo hay un regreso a las reuniones caseras, a las células, una vuelta a lo primitivo, como dice “Hechos 5:42 Y todos los días, en el templo y por las casas, no cesaban de enseñar y predicar a Jesucristo”. En esta vuelta a congregarse, debemos crear cultos más participativos, no cultos dirigidos por 10 personas y el resto sin participación, hay que volver a “1Corintios 14:26 ¿Qué hay, pues, hermanos? Cuando os reunís, cada uno de vosotros tiene salmo, tiene doctrina, tiene lengua, tiene revelación, tiene interpretación. Hágase todo para edificación”.

Quality Control (Español Abajo)

By Joel Comiskey, Living in Victory

My goal each day is to sleep 7 hours, walk 14,000 steps, and eat only healthy foods. I usually come close to fulfilling these goals. How? I daily track my progress (check out my sample chart). Keeping an exact accounting of how I’m doing in sleep, steps, and eating helps me become more effective.

If we’re going to have a healthy cell system, we must maintain statistical control—for the health of our groups! Whether your groups are meeting face-to-face or on Zoom, it’s essential that the pastoral team knows the statistics of each group to pray, mend the nets, do a better job coaching, and make midcourse corrections. Sending in the weekly statistical reports also helps the cell leader become more accountable. 

A lot of people cringe when they hear about statistical control. The phrase “numbers game” might come to mind. But we need to understand that receiving weekly statistics is a health issue. Without weekly reporting, the danger is to have ghost groups and other types of group sicknesses without even knowing about it.

Remember that cell groups are out of sight and can easily be out of mind. When everyone gathers for the Sunday celebration services, pastors and leaders can see firsthand the problems with the worship, ushers, sound system, and other problems. Because these problems are evident, they usually receive immediate attention. Cells, on the other hand, meet during the week and can be overlooked without statistical control. 

For this reason, I encourage the pastoral team (whether lay-led or fulltime) to start the pastoral meeting by looking at the weekly cell statistics and then talking and praying over each cell or cell network.  

I counsel pastors to keep the statistics simple. That is, don’t ask the leaders to fill out loads and loads of information. I’m always pleased, for example, when I talk to customer service at Amazon and then receive a simple evaluation from Amazon that includes two questions: 1. Were your needs met? 2. Rate the customer service. In the same way, a simple cell report should include:  1. How many people were present. 2. Prayer requests.  And because we live in the internet/cell phone age, it can be simple to send in those reports electronically. 

I have a confession to make. At my own church in Los Angeles, we need to improve our statistical control.  We hired someone to make us a beautiful, simple WordPress cell software system in 2020, and it works great. The problem? Over time, many of our leaders stopped sending in their reports! As a pastoral team, one of our principal goals for 2022 is to reclaim the high ground and make sure each cell sends in their statistical report each week. We also plan on regularly reviewing these statistics as a pastoral team.

How are you doing with your statistical reporting? 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Controle de qualidade

Por Joel Comiskey, Living in Victory.

Meu objetivo a cada dia é dormir 7 horas, andar 14.000 passos e comer apenas alimentos saudáveis. Geralmente chego perto de cumprir esses objetivos. Como? Eu acompanho diariamente meu progresso (confira meu gráfico de exemplo). Manter uma contabilidade exata de como estou dormindo, passos e comendo me ajuda a ser mais eficaz.

Se vamos ter um sistema celular saudável, devemos manter o controle estatístico – para a saúde de nossos grupos! Quer seus grupos estejam se reunindo pessoalmente ou no Zoom, é essencial que a equipe pastoral conheça as estatísticas de cada grupo para orar, consertar as redes, fazer um melhor trabalho de supervisão e fazer correções no meio do percurso. O envio dos relatórios estatísticos semanais também ajuda o líder da célula a se tornar mais responsável.

Muitas pessoas se arrepiam quando ouvem falar de controle estatístico. A frase “jogo de números” pode vir à mente. Mas precisamos entender que receber estatísticas semanais é uma questão de saúde. Sem relatórios semanais, o perigo é ter grupos fantasmas e outros tipos de grupos de doenças sem sequer saber disso.

Lembre-se de que as células familiares estão fora de vista e podem facilmente sair da mente. Quando todos se reúnem para os cultos de celebração dominical, pastores e líderes podem ver em primeira mão os problemas com o culto, voluntários, sistema de som e outros problemas. Como esses problemas são evidentes, geralmente recebem atenção imediata. As células, por outro lado, se reúnem durante a semana e podem passar despercebidas sem controle estatístico.

Por esta razão, encorajo a equipe pastoral (seja liderada por leigos ou em tempo integral) a iniciar a reunião pastoral observando as estatísticas semanais das células e depois conversando e orando em cada célula ou rede de células.

Aconselho os pastores a manter as estatísticas simples. Ou seja, não peça aos líderes que preencham muitas e muitas informações. Sempre fico satisfeito, por exemplo, quando falo com o atendimento ao cliente da Amazon e recebo uma avaliação simples da Amazon que inclui duas perguntas: 1. Suas necessidades foram atendidas? 2. Avalie o atendimento ao cliente. Da mesma forma, um simples relatório de célula deve incluir: 1. Quantas pessoas estavam presentes. 2. Pedidos de oração. E porque vivemos na era da internet/telefone celular, pode ser simples enviar estes relatórios eletronicamente.

Eu tenho uma confissão a fazer. Na minha própria igreja em Los Angeles, precisamos melhorar nosso controle estatístico. Contratamos alguém para nos deixar bem na foto com um sistema de software de WordPress de células em 2020, e funciona muito bem. O problema? Com o tempo, muitos de nossos líderes pararam de enviar seus relatórios! Como equipe pastoral, uma de nossas principais metas para 2022 é recuperar o terreno elevado e garantir que cada célula envie seu relatório estatístico a cada semana. Também planejamos revisar regularmente essas estatísticas como uma equipe pastoral.

Como você está se saindo com seus relatórios estatísticos?

Spanish blog:

Control de calidad

Por Joel Comiskey, Viviendo en Victoria.

Mi meta cada día es dormir 7 horas, caminar 14,000 pasos y comer solo alimentos saludables. Por lo general, me acerco a cumplir estos objetivos. ¿Cómo? Diariamente hago un seguimiento de mi progreso (consulte mi gráfico de muestra). Llevar un registro exacto de cómo me va en cuanto a sueño, pasos y alimentación me ayuda a ser más eficaz.

Si vamos a tener un sistema celular saludable, debemos mantener un control estadístico, ¡por la salud de nuestros grupos! Ya sea que sus grupos se reúnan cara a cara o en Zoom, es esencial que el equipo pastoral conozca las estadísticas de cada grupo para orar, reparar las redes, hacer un mejor trabajo de entrenamiento y hacer correcciones a mitad de camino. Enviar los informes estadísticos semanales también ayuda al líder de grupo a ser más responsable.

Muchas personas se estremecen cuando escuchan sobre el control estadístico. La frase “juego de números” podría venir a la mente. Pero debemos entender que recibir estadísticas semanales es un problema de salud. Sin informes semanales, el peligro es tener grupos fantasmas y otros tipos de enfermedades grupales sin siquiera saberlo.

Recuerde que los grupos celulares están fuera de la vista y fácilmente pueden estar fuera de la mente. Cuando todos se reúnen para los servicios de celebración del domingo, los pastores y líderes pueden ver de primera mano los problemas con la adoración, los ujieres, el sistema de sonido y otros problemas. Debido a que estos problemas son evidentes, por lo general reciben atención inmediata. Las células, por otro lado, se reúnen durante la semana y pueden pasarse por alto sin control estadístico.

Por esta razón, animo al equipo pastoral (ya sea dirigido por servidores o empleados de tiempo completo) a comenzar la reunión pastoral mirando las estadísticas celulares semanales y luego hablando y orando por cada célula o red celular.

Aconsejo a los pastores que mantengan las estadísticas simples. Es decir, no le pidas a los líderes que llenen montones y montones de información. Siempre me complace, por ejemplo, cuando hablo con el servicio de atención al cliente de Amazon y luego recibo una evaluación simple de Amazon que incluye dos preguntas: 1. ¿Se cumplieron sus necesidades? 2. Califica el servicio al cliente. De la misma manera, un reporte de células simple debe incluir: 1. Cuantas personas estuvieron presentes. 2. Peticiones de oración. Y debido a que vivimos en la era de Internet/teléfono celular, puede ser simple enviar esos informes electrónicamente.

Tengo una confesión que hacer. En mi propia iglesia en Los Ángeles, necesitamos mejorar nuestro control estadístico. Contratamos a alguien para que nos hiciera un hermoso y simple sistema de software celular de WordPress en 2020, y funciona muy bien. ¿El problema? ¡Con el tiempo, muchos de nuestros líderes dejaron de enviar sus informes! Como equipo pastoral, uno de nuestros principales objetivos para 2022 es recuperar el terreno y asegurarnos de que cada célula envíe su informe estadístico cada semana. También planeamos revisar regularmente estas estadísticas como equipo pastoral. ¿Cómo te va con tus informes estadísticos?