A New Paradigm of Authority

By Gerardo Campos, district pastor at Elim Church, www.elim.org.sv

Several years ago, Pastor Mario Vega summoned all the leadership of the church to participate in the first cell conference in order to establish the principles and norms of the cell model. One of the issues that impacted me most was about authority. From the beginning of our cell ministry in Elim, a lot of authoritarianism was used in the different functions of the cell structure. In other words, we often coerced each other in an authoritarian way.

But that day, we heard Mario saying for the first time, “The authority that is expected within the cell model should not be based on authoritarianism (authority imposed or required) but rather authority based on love, example, and natural acceptance.” We learned that by growing in Christian virtues and in humility the authority of the person grows.

Spiritual authority produces harmony between the people and their coaches so they will follow wherever the work of God leads. Relationship between coaches and leaders become different because they began to put friendship before obligation. Appreciation, understanding, solidarity and support gives rise to the motivation to do the work according to the values ​​of the Kingdom of God.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um novo paradigma de autoridade

Por Gerardo Campos, pastor de distrito na Igreja de Elim, www.elim.org.sv

Vários anos atrás, o Pastor Mario Vega convocou toda a liderança da igreja para participar das primeiras conferências de células, a fim de estabelecer os princípios e as normas do modelo celular. Um dos assuntos que me impactou foi sobre autoridade. Desde o início do ministério de células em Elim, muito autoritarismo foi usado nas diferentes funções da estrutura celular. Em outras palavras, muitas vezes coagimos uns aos outros de maneira autoritária.

Mas naquele dia, ouvimos Mario dizer pela primeira vez: “A autoridade esperada dentro do modelo celular não deve se basear no autoritarismo – isto é, autoridade imposta ou exigida – mas sim na autoridade baseada no amor, no exemplo e na aceitação natural. Aprendemos que, ao crescer nas virtudes cristãs e na humildade, a autoridade da pessoa cresce.

A autoridade espiritual produz harmonia entre as pessoas e seus treinadores para que elas sigam onde quer que a obra de Deus conduza. A relação entre treinadores e líderes se torna diferente porque eles começam a colocar a amizade antes da obrigação. Apreciação, compreensão, solidariedade e apoio dão origem à motivação para fazer o trabalho de acordo com os valores do Reino de Deus.

Spanish blog:

Un nuevo paradigma de la autoridad

Por Gerardo Campos, pastor del distrito de Iglesia Elim, www.elim.org.sv

Hace varios años atrás el pastor Mario Vega convocó a todo el liderazgo de la iglesia a participar de las primeras  conferencias celulares a fin de establecer los principios y normas del modelo celular. Uno de los temas que dieron a mi vida un golpe de timón fue el de la autoridad. Desde el comienzo del trabajo celular en Elim se utilizó mucho autoritarismo en las diferentes funciones de la estructura celular: nos sometíamos los unos a otros con mucha coacción.

Pero ese día por primera vez escuchábamos decir: «La autoridad que se espera dentro del modelo celular no debe estar basada en el autoritarismo, la autoridad no se impone ni se exige, se recibe de manera natural cuando las personas notan que los encargados de la supervisión enseñan con el ejemplo».

Aprendimos que al crecer en virtudes cristianas y en humildad crece la autoridad de la persona. La autoridad espiritual produce armonía entre el pueblo y sus supervisores de modo que le seguirán a donde quiera que la obra de Dios lo necesite.

Fue así que la relación entre supervisores y líderes llegó a ser diferente porque se comenzó a anteponer la amistad a la obligatoriedad. La valoración, comprensión, solidaridad y apoyo dieron lugar a la motivación para hacer el trabajo acorde a los valores  del reino de Dios.

Say Something

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

I’ve been privileged to have many mentors over the years that have helped me learn, grow and excel in the ministry. As I reflect on some of the most important lessons I’ve learned, the most important, by far, has been about submission.

When I was young and wanting more opportunities, I remember being frustrated and annoyed because I was never getting the opportunities that I believed the Lord had for me.  At the time, I didn’t realize what the issue was. It wasn’t till I sat under the leadership of a Pastor who, for the first time, spoke correction in love to me.

Instead of agreeing with me, like many before him, he saw the potential inside of me and wasn’t afraid to tell me that the main thing hindering my spiritual growth and development was my unwillingness to submit to my spiritual authority. Sure I was doing what I was told to do, but my attitude and my heart were far from honoring those over me.

I’m forever grateful for those tough conversations. I frequently reflect on them and have had to have those same tough conversations with those who are in the same position I was once in. Here’s a blueprint for having those tough conversations with someone:

PRAY: This should be obvious, but sometimes we forget.  Ask the Lord for the right timing as well as a receptive/teachable spirit in the individual you will be speaking with. (1 Thessalonians 5:16; James 1:5)

BE A FRIEND:  They don’t care what you know till they know you care. I’m sure we’ve all received correction/guidance from someone we didn’t consider a friend. We’ve also received correction/guidance from someone we do consider a friend. Which person would you trust? The friend! Me too. (Proverbs 27:6)

BE HONEST:  Nathan was sent by God to correct David. What a tough job, but a necessary one! Sometimes, we are called to be the Nathan in someone else’s life. Imagine if Nathan was only concerned about flattering David. How many people would have suffered and what David would have missed out on if Nathan wouldn’t have done his job. We are called to be faithful stewards of those that have been entrusted to us. Sometimes that means giving tough advice and correction. (2 Samuel 12).

USE SCRIPTURE: It’s important to show the individual the importance of submission using God’s Word. Personal examples are great, but scripture is powerful and authoritative.  (2 Timothy 3:16-17)

SPEAK ABOUT WHAT COULD BE: Casting a vision of what could be is powerful. Make sure to let them know what the benefits are and how God will use their submission and obedience to further their God given calling. (1 Corinthians 2:9)

FOLLOW UP AND ENCOURAGE:  One of my greatest fears, outside of disobeying the Lord, is losing the relationship of the individuals that I’m leading. Satan wants nothing more than to ruin those relationships. We need to make sure to follow up with the individual and continue to encourage and challenge them in their obedience/submission to The Lord, His Word and their spiritual authority. Don’t wait for them! You pursue them. (1 Thessalonians 5:11)

Don’t be afraid to speak the truth in love to those you are leading. They will be forever grateful for your wisdom and willingness to speak up when they look back many years from now. I know I am.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Diga algo

Por Stephen Daigle, pastor em www.celebrationchurch.org

Tenho tido o privilégio de ter muitos mentores ao longo dos anos que me ajudaram a aprender, crescer e se destacar no ministério. Ao refletir sobre algumas das lições mais importantes que aprendi, a principal, de longe, foi sobre a submissão.

Quando eu era jovem e queria mais oportunidades, eu me lembro de estar frustrada e irritada porque nunca tinha as oportunidades que eu acreditava que o Senhor tinha para mim. Na época, eu não sabia qual era o problema. Até que estive sob a liderança de um pastor que, pela primeira vez, falou correção em amor para mim.

Em vez de concordar comigo, como muitos antes dele, ele viu o potencial dentro de mim e não teve medo de me dizer que a principal coisa que impedia meu crescimento espiritual e desenvolvimento era minha relutância em me submeter à minha autoridade espiritual. Claro que eu estava fazendo o que me diziam para fazer, mas minha atitude e meu coração estavam longe de honrar aqueles que estavam acima de mim.

Eu sou eternamente grato por essas conversas difíceis. Eu frequentemente reflito sobre elas e tive que ter essas mesmas conversas duras com aqueles que estão na mesma posição em que estive. Aqui está um esquema para ter essas conversas difíceis com alguém:

ORE: Isso deveria ser óbvio, mas às vezes nos esquecemos. Peça ao Senhor pelo momento certo, bem como um espírito receptivo/ensinável no indivíduo com quem você estará falando. (1 Tessalonicenses 5:16; Tiago 1: 5)

SEJA AMIGO: Eles não se importam com o que você sabe até que eles saibam que você se importa. Tenho certeza de que todos nós recebemos a correção/orientação de alguém que não consideramos um amigo. Também recebemos correção/orientação de alguém que consideramos um amigo. Qual pessoa você confiaria? O amigo! Eu também. (Provérbios 27: 6)

SEJA HONESTO: Naamã foi enviado por Deus para corrigir Davi. Que trabalho duro, mas necessário! Às vezes, somos chamados a ser o Naamã na vida de outra pessoa. Imagine se Naamã estivesse apenas preocupado em elogiar Davi. Quantas pessoas teriam sofrido e o que Davi teria perdido se Naamã não tivesse feito o seu trabalho. Somos chamados a ser mordomos fiéis daqueles que nos foram confiados. Às vezes isso significa dar conselhos e correções difíceis. (2 Samuel 12)

USE AS ESCRITURAS: É importante mostrar ao indivíduo a importância da submissão usando a Palavra de Deus. Exemplos pessoais são ótimos, mas as escrituras são poderosas e confiáveis. (2 Timóteo 3: 16-17)

FALE SOBRE O QUE PODERIA SER: Dar uma visão do que poderia ser é poderoso. Certifique-se de que eles saibam quais são os benefícios e como Deus usará sua submissão e obediência para promover seu chamado dado por Ele (1 Coríntios 2: 9).

ACOMPANHE E ENCORAJE: Um dos meus maiores medos, além de desobedecer ao Senhor, é perder o relacionamento dos indivíduos que estou liderando. Satanás não quer nada mais do que arruinar esses relacionamentos. Precisamos ter certeza de acompanhar o indivíduo e continuar a encorajá-lo e desafiá-lo em sua obediência/submissão ao Senhor, Sua Palavra e a suas autoridades espirituais. Não espere por eles! Busque-os você. (1 Tessalonicenses 5:11)

Não tenha medo de falar a verdade em amor àqueles que você está liderando. Eles serão eternamente gratos por sua sabedoria e disposição de falar quando olharem para trás daqui a muitos anos. Sei que eu sou.

Spanish blog:

Di algo

Por Stephen Daigle, pastor en www.celebrationchurch.org

He tenido el privilegio de tener muchos mentores a lo largo de los años que me han ayudado a aprender, crecer y sobresalir en el ministerio. Al reflexionar sobre algunas de las lecciones más importantes que he aprendido, la más importante, por mucho, ha sido la sumisión.

Cuando era joven y quería más oportunidades, recuerdo estar frustrado y molesto porque nunca tuve las oportunidades que creía que el Señor tenía para mí. En ese momento, no me di cuenta de cuál era el problema. No fue hasta que me senté bajo el liderazgo de un Pastor que, por primera vez, me hizo una corrección en el amor.

En lugar de estar de acuerdo conmigo, como muchos antes que él, vio el potencial que tenía dentro de mí y no tenía miedo de decirme que lo principal que impedía mi crecimiento y desarrollo espiritual era mi falta de voluntad para someterme a mi autoridad espiritual. Claro que estaba haciendo lo que me ordenaron que hiciera, pero mi actitud y mi corazón distaban mucho de honrar a los que estaban sobre mí.

Siempre estoy agradecido por esas conversaciones difíciles. Con frecuencia reflexiono sobre ello y he tenido que tener esas mismas conversaciones difíciles con aquellos que están en la misma posición en la que yo estaba. Aquí hay un plan para tener esas conversaciones difíciles con alguien:

ORAR: Esto debería ser obvio, pero a veces lo olvidamos. Pídele al Señor el momento adecuado, así como un espíritu receptivo / y de enseñanza en la persona con la que hablará. (1 Tesalonicenses 5:16; Santiago 1: 5)

SÉ UN AMIGO: no les importa lo que saben hasta que saben que les importan. Estoy seguro de que todos hemos recibido corrección / orientación de alguien a quien no consideramos un amigo. También hemos recibido corrección / orientación de alguien a quien consideramos un amigo. ¿En qué persona confiarías? ¡El amigo! Yo también. (Proverbios 27: 6)

SEA HONESTO: Natán fue enviado por Dios para corregir a David. ¡Qué trabajo tan duro, pero necesario! A veces, estamos llamados a ser el Natán en la vida de otra persona. Imagínate si Natán solo le preocupara el halagar a David. Cuánta gente hubiera sufrido y lo que David se habría perdido si Natán no hubiera hecho su trabajo. Estamos llamados a ser fieles administradores de los que nos han sido confiados. A veces eso significa dar consejos difíciles y corrección. (2 Samuel 12)

UTILIZAR LA ESCRITURA: Es importante mostrarle a la persona la importancia de la sumisión usando la Palabra de Dios. Los ejemplos personales son geniales, pero las escrituras son poderosas y autoritarias. (2 Timoteo 3: 16-17)

HABLAR DE LO QUE PODRÍA SER: lanzar una visión de lo que podría ser es poderoso. Asegúrate de informarles cuáles son los beneficios y cómo usará Dios su sumisión y obediencia para promover su llamado dado por Dios. (1 Corintios 2: 9)

SEGUIR Y FOMENTAR: Uno de mis mayores temores, aparte de desobedecer al Señor, es perder la relación de las personas que estoy liderando. Satanás no quiere nada más que arruinar esas relaciones. Debemos asegurarnos de hacer un seguimiento con el individuo y continuar alentándolos y desafiándolos en su obediencia / sumisión al Señor, a Su Palabra y a su autoridad espiritual. ¡No esperes por ellos! Tú persiguelos. (1 Tesalonicenses 5:11)

No tengas miedo de decir la verdad en amor a aquellos a quienes diriges. Estarán siempre agradecidos por su sabiduría y voluntad de expresarse cuando miren hacia atrás dentro de muchos años. Sé que yo lo estoy.

A Biblical Symbol of Submission: The Cross

by Dr. Bill Beckham

The cross is the most recognized symbol of Christianity. The shape of the cross is on church buildings, religious objects and worn as necklaces and pins. Catholics use the sign of the cross. The cross is a dramatic symbol of submission that is the heart of discipleship.

“Then Jesus said to his disciples, “If anyone would come after me, he must deny himself and take up his cross and follow me. For whoever wants to save his life will lose it, but whoever loses his life for me will find it.” (Matthew 16:24-27).

Jesus’ discipleship instructions in Matthew 16:24-27 are stated in the present, continuous tense. “Keep on denying yourself, keep on taking up your cross, keep on following me.” This is not the decision of a moment, but an attitude and action for a lifetime. This is the path of self-denial, cross-bearing and following Jesus. This is submission to Christ in the real world in hard situations. Biblical submission always pulls us toward the cross and looks like the cross.

Submission is the way Jesus lived every day of his life. Jesus only asks us to do what He did. Every element of His life was submitted to God in perfect obedience—including His death. Jesus delighted to do the will of His Father (John 4:34; 5:19,30; 6:38; 8:29; 12:50). Submission is how He teaches us to pray in the Lord’s Prayer: “Thy kingdom come, Thy will be done on earth as it is in heaven.” Submission requires us to give up power.

Perhaps the most astonishing aspect of Jesus’ life on earth is that as the Son of God, and our Lord and Savior, he lived his life on earth by the discipline of submission. The King came to serve! Dallas Willard uses the phrase “abandoning outcomes to God” to describe submission.

Jesus’ discipleship instructions presuppose submission to Jesus and to each other. There is a connection between my submission to Christ and my willingness to submit to you. Denying self, taking up my cross and following Jesus prepare me to do the same in my relationship with you.

“Whatever you do, work at it with all your heart, as working for the Lord, not for human masters, since you know that you will receive an inheritance from the Lord as a reward. It is the Lord Christ you are serving” (Colossians 3:23-24 NIV).

“Submit to one another out of reverence for Christ” (Ephesians 5:21, NIV).

“Whatever you did for one of the least of these brothers and sisters of mine, you did for me.’ (Matthew 25:40, NIV).

When I submit to Christ, I am learning to submit to you. And, when I submit to you, I am doing it to Christ. My attitude and action of submission to you is doing the same to Christ. The more I submit to Christ, the more I will submit to you “as unto the Lord”.

Important lesson: Submit first to Christ, and then in reverence to Christ submit to one another.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um Símbolo Bíblico de Submissão: A Cruz

Por Dr. Bill Beckham

A cruz é o símbolo mais reconhecido do cristianismo. A forma da cruz está em prédios de igrejas, objetos religiosos e é usada como colares e broches. Os católicos usam o sinal da cruz. A cruz é um símbolo dramático de submissão, que é o coração do discipulado.

“Então Jesus disse aos seus discípulos: ‘Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará” (Mateus 16:24-25).

As instruções de discipulado de Jesus em Mateus 16: 24-27 são declaradas no presente. “Negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”. Esta não é a decisão de um momento, mas uma atitude e ação para a vida toda. Esse é o caminho da autonegação, de carregar a cruz e de seguir Jesus. Isso é submissão a Cristo no mundo real em situações difíceis. A submissão bíblica sempre nos puxa em direção à cruz e se parece com a cruz.

A submissão é a maneira como Jesus viveu todos os dias de sua vida. Jesus apenas nos pede para fazer o que Ele fez. Cada elemento de Sua vida foi submetido a Deus em perfeita obediência – incluindo a Sua morte. Jesus se deleitou em fazer a vontade de Seu Pai (João 4:34; 5: 19,30; 6:38; 8:29; 12:50). A submissão é como Ele nos ensina a orar na oração do Pai Nosso: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”. A submissão exige que desistamos do poder.

Talvez o aspecto mais surpreendente da vida de Jesus na Terra seja que, como Filho de Deus e nosso Senhor e Salvador, Ele viveu sua vida na Terra pela disciplina da submissão. O rei veio para servir! Dallas Willard usa a frase “abandonar os resultados para Deus” para descrever a submissão.

As instruções de discipulado de Jesus pressupõem a submissão a Jesus e uns aos outros. Existe uma conexão entre a minha submissão a Cristo e a minha disposição a me submeter a você. Negar a si mesmo, tomar minha cruz e seguir Jesus me prepara para fazer o mesmo em meu relacionamento com você.

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor, que vocês estão servindo” (Colossenses 3:23-24).

“Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo” (Efésios 5:21).

“… O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’” (Mateus 25:40).

Quando me submeto a Cristo, estou aprendendo a me submeter a você. E, quando me submeto a você, estou fazendo isso para Cristo. Minha atitude e ação de submissão a você é fazer o mesmo a Cristo. Quanto mais eu me submeter a Cristo, mais eu me submeterei a você “como ao Senhor”.

Lição importante: Submetam-se primeiro a Cristo e depois, em reverência a Cristo, submetam-se uns aos outros.

Spanish blog:

Un símbolo bíblico de sumisión: la cruz

Por el Dr. Bill Beckham

La cruz es el símbolo más reconocido del cristianismo. La forma de la cruz se encuentran en edificios de iglesias, objetos religiosos y se usa como collares y alfileres; los católicos usan el signo de la cruz. La cruz es un símbolo dramático de sumisión que es el corazón del discipulado.

“Entonces Jesús les dijo a sus discípulos:“Entonces Jesús dijo a sus discípulos: Si alguno quiere venir en pos de mí, niéguese a sí mismo, y tome su cruz, y sígame. Porque todo el que quiera salvar su vida, la perderá; y todo el que pierda su vida por causa de mí, la hallará.”(Mateo 16: 24-25).

Las instrucciones de discipulado de Jesús en Mateo 16: 24-27 se indican en tiempo presente, continuo. “niéguese a sí mismo, y tome su cruz, y sígame”. Esta no es la decisión de un momento, sino una actitud y acción para toda la vida. Este es el camino de la abnegación, el cruce y el seguimiento de Jesús. Esto es sumisión a Cristo en el mundo real en situaciones difíciles. La sumisión bíblica siempre nos empuja hacia la cruz.

La sumisión es la forma en que Jesús vivió todos los días de su vida. Jesús solo nos pide que hagamos lo que hizo. Cada elemento de su vida fue sometido a Dios en perfecta obediencia, incluida su muerte. Jesús se complació en hacer la voluntad de su Padre (Juan 4:34; 5: 19,30; 6:38; 8:29; 12:50). La sumisión es la forma en que Él nos enseña a orar: “Ven, tu reino, hágase tu voluntad en la tierra como en el cielo”. La sumisión requiere que renunciemos al poder.

Quizás el aspecto más sorprendente de la vida de Jesús en la tierra es que, como el Hijo de Dios y nuestro Señor y Salvador, él vivió su vida en la tierra por la disciplina de la sumisión. ¡El rey vino a servir! Dallas Willard usa la frase “abandonar los resultados a Dios” para describir la sumisión.

Las instrucciones de discipulado de Jesús presuponen la sumisión a Jesús y entre sí. Hay una conexión entre mi sumisión a Cristo y mi disposición a someterme. Negarme a mí mismo, tomar mi cruz y seguir a Jesús me prepara para hacer lo mismo en mi relación contigo.

 Hagan lo que hagan, trabajen de buena gana, como para el Señor y no como para nadie en este mundo, conscientes de que el Señor los recompensará con la herencia. Ustedes sirven a Cristo el Señor. ”(Colosenses 3: 23-24 NVI).

“Sométanse unos a otros por reverencia a Cristo” (Efesios 5:21, NVI).

“Lo que hiciste por uno de estos hermanos y hermanas míos, lo hiciste por mí” (Mateo 25:40, NVI).

Cuando me someto a Cristo, estoy aprendiendo a someterme a ustedes. Y, cuando me someto a ti, lo hago a Cristo. Mi actitud y acción de sumisión a ti es hacer lo mismo con Cristo. Cuanto más me someta a Cristo, más me someteré a ti “como al Señor”.

Lección importante: someterse primero a Cristo, y luego, en reverencia a Cristo, someterse el uno al otro.

A Biblical Symbol of Submission: The Yoke

by Dr. Bill Beckham [William A. (Bill) Beckham has been a pastor in Texas, missionary in Thailand, church planter in Houston, conference speaker in many parts of the world, and a strategy consultant for cell ministry. He has written many books on the cell movement, including The Second Reformation]

In the Bible the yoke is a powerful symbol of submission. Jesus uses it as a picture of the Christian life.

“Come to me, all you who are weary and burdened, and I will give you rest. Take my yoke upon you and learn from me, for I am gentle and humble in heart, and you will find rest for your souls. For my yoke is easy and my burden is light” (Matthew 11:29-30).

The yoke is a tool designed to join two oxen, mules or horses together so they can carry or pull a load. A yoke also allows the animals to be controlled and directed. One ox, horse or mule can triple or even quadruple their strength when they pull with a partner in harness. To be technically correct, we should understand Jesus is talking about a double yoke.

Jesus calls us to first come to Him with our weariness and burden and then to get into His yoke so we can learn from Him. He promises rest for our soul: Rest on the inside and outside.

This Scripture is one of the few places where Jesus actually describes His heart. “I am gentle and humble in heart.” With this profoundly simple statement, Jesus ties together submission and spiritual fruit because gentleness is a fruit of the Spirit. The word “gentle” is from the root word for horse. A powerful horse may be gentle: that means it is under control. Someone said, “gentleness is a strong hand with a soft touch”. C.S. Lewis makes a great observation: “Humility is not thinking less of yourself but thinking of yourself less.”

We learn to be gentle and humble when yoked with Jesus. A gentle and humble heart is necessary for expressing authority and submission in relation to God and each other.

Jesus had probably made dozens of yokes in the carpenter’s shop in Nazareth. Perhaps he had the slogan written in Hebrew over the door: “My yoke is easy!” Those who yoke up with Jesus, will actually find rest in their souls while toiling and laboring with him. Our burdens will be lighter because His yoke is ‘easier.’ We share both burdens and blessings with our Lord. The yoke of submission to Christ is not grievous; it is joyous!

What an amazing concept; we work for and with Jesus while at the same time acquiring rest! We are at rest about submitting and we are at rest about being in authority because these are attached to Jesus’ yoke that we share with Him.

A teacher read Matthew 11:29-30 to her Sunday School class. “Who can tell me what a yoke is?” she asked. A boy said, “A yoke is something they put on the necks of animals.” Then the teacher asked, “What is the yoke God puts on us?” A little girl said, “It is God putting His arms around our necks.”

Yoked to Jesus I learn to submit in humility and gentleness. In this same yoked condition I also learn to exercise authority in gentleness and humility.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um Símbolo Bíblico de Submissão: O Jugo 

Por Dr. Bill Beckham [William A. (Bill) Beckham é um pastor no Texas, missionário na Tailândia, implantador de igreja em Houston, palestrante em muitos lugares do mundo e um consultor de estratégias para o ministério celular. Ele já escreveu muitos livros sobrenome movimento das células, incluindo The Second Reformation(“A Segunda Reforma”, em tradução livre)].

Na Bíblia o jugo é um símbolo poderoso de submissão. Jesus o usa como uma imagem da vida cristã.

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” Mateus 11:28-30 NVI.

O jugo é uma ferramenta projetada para unir dois bois, mulas ou cavalos para que possam carregar ou puxar uma carga.  Um jugo também permite que os animais sejam controlados e direcionados.  Um boi, cavalo ou mula pode triplicar ou mesmo quadruplicar sua força quando puxa com um parceiro no arreio. Para ser tecnicamente correto, devemos entender que Jesus está falando de um jugo duplo.

Jesus nos chama para primeiro irmos a Ele com nosso cansaço e fardo e então entrar em Seu jugo para que possamos aprender com Ele.  Ele promete descanso para nossa alma: Descanso por dentro e por fora.

Este trecho das Escrituras é um dos poucos lugares onde Jesus realmente descreve o Seu coração. “Sou gentil e humilde de coração”. Com essa afirmação profundamente simples, Jesus une a submissão e o fruto espiritual, porque a gentileza é um fruto do Espírito.  A palavra “gentil” deriva da palavra raiz de “cavalo”.  Um cavalo poderoso pode ser gentil: isso significa que ele está sob controle.  Alguém disse: “a gentileza é uma mão forte com um toque suave”.  C.S. Lewis faz uma grande observação: “A humildade não é pensar menos de você mesmo, mas pensar em si mesmo menos”.

Aprendemos a ser gentis e humildes quando unidos a Jesus.  Um coração gentil e humilde é necessário para expressar autoridade e submissão em relação a Deus e uns aos outros.

Jesus provavelmente fez dezenas de jugos em sua oficina de carpintaria em Nazaré. Talvez ele tivesse o slogan escrito em hebraico sobre a porta: “Meu jugo é leve!”. Aqueles que se unem a Jesus realmente encontrarão descanso em suas almas enquanto trabalham duro com Ele. Nossos fardos serão mais leves porque Seu jugo é “mais suave”. Compartilhamos os fardos e bênçãos com nosso Senhor.  O jugo de submissão a Cristo não é grave;  é alegre!

Aprendemos a ser gentis e humildes quando nos unimos a Jesus. Um coração gentil e humilde é necessário para expressar autoridade e submissão em relação a Deus e uns aos outros.

Que conceito incrível! Nós trabalhamos para e com Jesus enquanto, ao mesmo tempo, adquirimos descanso!  Estamos tranquilos quanto a nos submeter e estamos tranquilos sobre a autoridade, porque isso está ligado ao jugo de Jesus que compartilhamos com Ele.

Uma professora leu Mateus 11:28-30 para a classe da Escola Dominical. “Quem pode me dizer o que é um jugo?”, perguntou ela. Um menino disse: “Um jugo é algo que eles colocam nos pescoços dos animais”. Então a professora perguntou: “Qual é o jugo que Deus coloca em nós?”. Uma garotinha disse: “Ele coloca Seus braços ao redor de nossos pescoços”. 

Unido a Jesus, aprendo a me submeter com humildade e mansidão.  Nesta mesma condição de jugo eu também aprendo a exercer autoridade em gentileza e humildade.

Spanish blog:

Un símbolo bíblico de sumisión: el yugo

Por el Dr. Bill Beckham [William A. (Bill) Beckham ha sido pastor en Texas, misionero en Tailandia, plantador de iglesias en Houston, ponente de conferencias en muchas partes del mundo y consultor de estrategia para el ministerio celular. Ha escrito muchos libros sobre el movimiento celular, incluyendo La Segunda Reforma]

En la Biblia el yugo es un poderoso símbolo de sumisión. Jesús lo usa como un cuadro de la vida cristiana.

“Llevad mi yugo sobre vosotros, y aprended de mí, que soy manso y humilde de corazón; y hallaréis descanso para vuestras almas; porque mi yugo es fácil, y ligera mi cargo. ”(Mateo 11: 29-30).

El yugo es una herramienta diseñada para unir dos bueyes, mulas o caballos para que puedan transportar o jalar una carga. Un yugo también permite que los animales sean controlados y dirigidos. Un buey, un caballo o una mula pueden triplicar o incluso cuadruplicar su fuerza cuando tiran con un compañero en el arnés. Para ser técnicamente correctos, debemos entender que Jesús está hablando de un yugo doble.

Jesús nos llama a venir primero a Él con nuestro cansancio y cargas y luego a entrar en Su yugo para que podamos aprender de Él. Él promete descanso para nuestra alma: Descanso por dentro y por fuera.

Este pasaje de la Escritura es uno de los pocos lugares donde Jesús realmente describe como es su corazón. “Soy manso y humilde de corazón”. Con esta declaración profundamente simple, Jesús une la sumisión y el fruto espiritual porque la gentileza es un fruto del Espíritu. La palabra “gentil” viene de la raíz de la palabra caballo. Un caballo poderoso puede ser amable: eso significa que está bajo control. Alguien dijo: “la delicadeza es una mano fuerte con un toque suave”. También C.S. Lewis hace una gran observación: “La humildad no es pensar menos de ti, sino pensar menos en ti”.

Aprendemos a ser mansos y humildes cuando nos unimos con Jesús. Un corazón manso y humilde es necesario para expresar autoridad y sumisión en relación con Dios y con los demás.

Jesús probablemente había elaborado docenas de yugos en el taller de carpintería en Nazaret. Tal vez tenía el eslogan escrito en hebreo en la puerta: “¡Mi yugo es fácil!” Aquellos que se unen con Jesús, encontrarán descanso en sus almas mientras trabajan duro junto a él. Nuestras cargas serán más livianas porque su yugo es “más fácil”. Compartimos las cargas y las bendiciones con nuestro Señor. El yugo de la sumisión a Cristo no es penoso; ¡Es alegre!

Qué concepto tan asombroso; ¡Trabajamos para y con Jesús mientras que al mismo tiempo obtenemos descanso!. Estamos tranquilos acerca de someternos y estamos tranquilos acerca de estar en autoridad porque los dos conceptos están unidos al yugo de Jesús, el cual compartimos con él.

Una maestra leyó Mateo 11: 29-30 en su clase de la Escuela Dominical. “¿Quién puede decirme qué es un yugo?”, Preguntó. Un niño dijo: “Un yugo es algo que ponen en el cuello de los animales”. Entonces el maestro preguntó: “¿Qué es el yugo que Dios pone sobre nosotros?” Una niña dijo: “Es Dios poniendo sus brazos alrededor de nuestros cuellos. ”

Con el yugo de Jesús aprendí a someterme con humildad y amabilidad. En esta misma condición acerca del yugo, también aprendo a ejercer la autoridad con amabilidad y humildad.

How to Get People to Submit

By Joel Comiskey, check out: Facilitate

I’ve spent many hours trying to discover the principles behind effective leadership. I’ve searched for secret formulas and hidden mysteries. When I finally found what I consider the key, I was embarrassed by its simplicity.

I felt like the famous German theologian who boiled down all his years of research into one phrase: Jesus loves me this I know for the Bible tells me so.

People willingly submit when they know they’re loved and when a relationship exists. Relational authority is a type of authority that a coach can continually improve because it’s based on his or her relationships. It’s an authority based on a relationship with a person rather than the person’s position of authority. It’s the most important type of authority.

Jesus demonstrated this type of authority in Mark 3:13ff.  The Bible says, “Jesus went up on a mountainside and called to him those he wanted, and they came to him. He appointed twelve—designating them apostles—that they might be with him.  Jesus asked these people to spend time with Him and share His life.  Relationships! Leadership authority is all about loving and serving the leaders. It’s all about doing what it takes to fine-tune their lives.

It finally began to dawn on me that people really don’t care how much you know until they know how much you care. People submit to love and friendship. Listen to Christ’s own words to his disciples, “I no longer call you servants, because a servant does not know his master’s business. Instead, I have called you friends, for everything that I learned from my Father I have made known to you” (John 15:15).

How can you increase your relational authority?

  • Take time with people
  • Find common areas of passion and interest (including non-ministry areas)
  • Look to their interests more than your own
  • Seek to meet their needs and agendas before your own

Knowledge, skill training, problem solving, group dynamics, and other techniques can play an important role in a leader’s success. But, what a small group member or leader really needs is someone to bear the burden, to share the journey, to serve as a sounding board. To be a friend. People will submit to you when they know how much you care for them.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Como Fazer as Pessoas se Submeterem

Por Joel comiskey

Passei muitas horas tentando descobrir os princípios por trás de uma liderança eficaz.  Eu procurei por fórmulas secretas e mistérios ocultos.  Quando finalmente encontrei o que considero a chave, fiquei envergonhado por sua simplicidade.

Eu me senti como o famoso teólogo alemão que resumiu todos os seus anos de pesquisa em uma frase: Jesus me ama, e eu sei porque é o que a Bíblia me diz.

As pessoas se submetem voluntariamente quando sabem que são amadas e quando existe um relacionamento.  A autoridade relacional é um tipo de autoridade que um treinador pode melhorar continuamente porque é baseada em seus relacionamentos.  É uma autoridade baseada em um relacionamento com uma pessoa e não na posição de autoridade da pessoa.  É o tipo mais importante de autoridade.

Jesus demonstrou esse tipo de autoridade em Marcos 3:13. A Bíblia diz: “Jesus subiu a um monte e chamou a si aqueles que ele quis, os quais vieram para junto dele. Escolheu doze, designando-os apóstolos, para que estivessem com ele”. Jesus pediu a essas pessoas que passassem tempo com Ele e compartilhassem Sua vida.  Relacionamentos!  Autoridade de liderança trata-se de amar e servir os líderes.  É tudo sobre fazer o que é preciso para ajustar suas vidas.

Finalmente comecei a perceber que as pessoas realmente não se importam com o quanto você sabe até saberem o quanto você se importa.  As pessoas se submetem ao amor e à amizade.  Ouça as próprias palavras de Cristo aos seus discípulos: “Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu tornei conhecido a vocês” João 15:15 NVI.

Como você pode aumentar sua autoridade relacional?

  • Tire um tempo com as pessoas;
  • Encontre áreas comuns de paixão e interesse (incluindo áreas não-ministeriais);
  • Olhe para os interesses delas mais do que para os seus próprios;
  • Procure satisfazer as necessidades e agendas delas antes das suas próprias.

Conhecimento, treinamento de habilidades, resolução de problemas, dinâmica de grupo e outras técnicas podem desempenhar um papel importante no sucesso de um líder.  Mas, o que um membro ou líder de um pequeno grupo realmente precisa é alguém para carregar o fardo, compartilhar a jornada, servir como um parceiro.  Para ser um amigo.  As pessoas vão se submeter a você quando souberem o quanto você se importa com elas.

Spanish blog:

Cómo hacer que la gente se sujete

Por Joel comiskey

Como investigador, he pasado muchas horas tratando de descubrir los principios detrás del liderazgo efectivo. He buscado fórmulas secretas y misterios ocultos. Cuando finalmente encontré lo que considero la clave, me sentí avergonzado por su simplicidad.

Me sentí como el famoso teólogo alemán que resumió todos sus años de investigación en una frase: Jesús me ama, lo que sé, porque la Biblia me lo dice.

Las personas se someten voluntariamente cuando saben que son amados y cuando existe una relación. La autoridad relacional es un tipo de autoridad que un entrenador puede mejorar continuamente porque se basa en sus relaciones. Es una autoridad basada en una relación con una persona en lugar de la posición de autoridad de la persona. Es el tipo de autoridad más importante.

Jesús demostró este tipo de autoridad en Marcos 3: 13. La Biblia dice: “Después subió al monte, y llamó a sí a los que él quiso; y vinieron a él.” Él nombró a doce, designándolos apóstoles, para que pudieran estar con él. Jesús les pidió a estas personas que pasaran tiempo con Él y compartieran Su vida. Relaciones! La autoridad de liderazgo tiene que ver con amar y servir a los líderes. Se trata de hacer lo que sea necesario para afinar sus vidas.

Finalmente, me di cuenta de que a la gente realmente no le importa cuánto sabes hasta que se dan cuenta cuánto les interesas. La gente se somete al amor y la amistad. Escuche las propias palabras de Cristo a sus discípulos: “Ya no os llamaré siervos, porque el siervo no sabe lo que hace su señor; pero os he llamado amigos, porque todas las cosas que oí de mi Padre, os las he dado a conocer.”(Juan 15:15).

¿Cómo puedes aumentar tu autoridad relacional?

  • Toma tiempo con la gente
  • Encuentra áreas comunes de pasión e interés (incluidas las áreas que no pertenecen al ministerio)
  • Mira sus intereses más que los tuyos.
  • Busca satisfacer sus necesidades y agendas antes que las tuyas.

El conocimiento, el entrenamiento de habilidades, la resolución de problemas, la dinámica de grupo y otras técnicas pueden jugar un papel importante en el éxito de un líder. Pero, lo que realmente necesita un miembro de una célula o un líder es que alguien lleve la carga, que comparta el viaje, que sirva como caja de resonancia. Ser un amigo; las personas se someterán a ti cuando sepan cuánto les importas.