Blog

The High Calling of Coaching

by Jeff Tunnel

Coaching is more leadership than management. Coaching is relational involvement with other leaders of cells.  Coaching is being close enough to other leaders to see their strengths and weaknesses. Coaches speak the truth in love to develop strengths, overcome weaknesses, and accomplish the will of God.

Being a cell coach is a high calling that requires great commitment to others, while remaining engaged with leading your own cell.

While coaches often lead a cell group or part of a team, they develop deep trust among the team members of their cells, so they can  occasionally visit other cell groups.  

Cell coaches prepare cell leaders to be their very best by spending personal quality time together, challenging growth, observing them lead their cell, and providing feedback. 

Are you willing to be a servant leader through cell coaching? 

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Chamado do Treinador

Por Jeff Tunnel

Treinamento é mais liderança do que gerenciamento. Treinamento é envolvimento relacional com outros líderes de células. Treinamento é estar perto o suficiente de outros líderes para ver seus pontos fortes e pontos fracos. Treinadores falam a verdade em amor para desenvolver pontos fortes, superar pontos fracos e cumprir a vontade de Deus.

Ser um treinador de célula é um chamado que requer grande comprometimento com os outros, enquanto permanece engajado com o liderar de sua própria célula.

Enquanto treinadores frequentemente lideram um grupo de célula ou parte de uma equipe, eles também desenvolvem uma confiança profunda entre os membros de suas células, para que eles possam ocasionalmente visitar outros grupos de células.

Treinadores de células preparam líderes de células a serem os melhores gastando tempo de qualidade pessoal juntos, desafiando o crescimento, observando-os liderarem suas células e provendo retornos.

Você está disposto a ser um líder servo através do treinamento de célula?

Jeff

Spanish blog:

La gran vocación del supervisor

Por Jeff Tunnel

El supervisar es más liderazgo que gerencia. El supervisar es una relación relacional con otros líderes celulares. El supervisar es estar lo suficientemente cerca de otros líderes para ver sus fortalezas y debilidades. Los supervisores dicen la verdad en amor para desarrollar fortalezas, superar debilidades y cumplir la voluntad de Dios.

Ser un supervisor celular es un gran llamado que requiere un gran compromiso con los demás, mientras te mantienes comprometido con el liderazgo de tu propia célula.

Si bien los supervisores a menudo lideran un grupo celular o parte de un equipo, desarrollan una profunda confianza entre los miembros del equipo de sus células, por lo que de vez en cuando pueden visitar otros grupos celulares.

Los supervisores celulares preparan a los líderes celulares, para ser lo mejor posible al pasar tiempo de calidad personal juntos, desafiando el crecimiento, observando cómo lideran a sus células y brindando retroalimentacion. 

¿Estás dispuesto a ser un líder de servicio a través de supervisar las células?

Jeff

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

The Coach in the Cell Structure

By Gerardo Campos, district pastor at Elim Church, San Salvador, El Salvador, www.elim.org.sv

The Elim church defines its cell strategy as an organized army that grows and conquer for Jesus. The cell strategy helps each member have a sense of belonging. The coach’s role is to supervise 2 to 5 cells that he or she constantly visits to maintain a close relationship with leaders and members.

The coach takes care of the state of their leaders in an integral way. In the same way, those leaders care for the members of their cells. The coach watches over the growth within their sector and helps people with their problems and needs, however simple they may seem. The coach challenges the leaders to see each member as a potential leader, regardless of his or her personality.

The coach sometimes must substitute for a leader when the leader can’t attend the cell. However, the coach should never take charge permanently, since their responsibility is more toward the sector. Increasingly, we at Elim have improved our selection process for new coaches, wanting to weed our inefficiency and produce the best coaches who will in turn care for the leaders more effectively.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Supervisor na estrutura celular

Por Gerardo Campos, Pastor de um dos Distritos da Igreja Elim, em San Salvador, El Salvador, www.elim.org.sv

A igreja Elim define seu modelo celular como um exército organizado para crescer e conquistar para Jesus. O modelo celular proposto permite que cada membro se sinta parte do todo. O supervisor é responsável por um grupo de 2 a 5 células que ele ou ela visita com frequência, com o objetivo de cultivar uma relação próxima com os líderes e os membros destas células.

O supervisor cuida de cada um dos líderes de uma maneira integral. Da mesma forma, estes líderes cuidam de cada um dos membros das suas células. O supervisor observa e cuida do crescimento dentro da sua área e assiste as pessoas em seus problemas e necessidades, por mais simples que sejam. O supervisor desafia então cada líder a enxergar em cada um dos membros um líder em potencial, independentemente de sua personalidade.

O supervisor pode também substituir um dos líderes em uma reunião, quando houver necessidade. Entretanto o supervisor nunca deve assumir a liderança de uma célula, pois a sua responsabilidade principal diz respeito à sua área ou distrito. Aqui na Igreja Elim, temos aprimorado sucessivamente nosso processo de escolha de supervisores, sempre em uma tentativa de reconhecer nossas deficiências e produzir sempre melhores supervisores, que por sua vez cuidarão cada vez melhor dos líderes de célula sob sua responsabilidade.

Spanish blog:

El supervisor en la estructura celular

 por Gerardo Campos, pastor del distrito de Iglesia Elim, www.elim.org.sv

La iglesia Elim define su modelo celular como un ejército organizado para crecer y conquistar, en el que cada miembro posee una función bien definida que hará posible lograr uno de sus objetivos: una mejor atención a los miembros de su iglesia, produciendo en ellos un sentido de pertenencia. La función del supervisor es la de supervisar de 2 a 5 células que visita constantemente para mantener una estrecha relación con los líderes y miembros.

El supervisor cuida del estado de sus líderes de manera integral para que éstos también lo hagan con los miembros de las células, vela por el crecimiento dentro de su sector y ayuda a las personas en sus problemas y necesidades por muy sencillas que parezcan. Asume el desafío que significa ser capaz de desarrollar el potencial que hay en cada cristiano para convertirlo en un nuevo líder sin importar el tipo de personalidad que posea.

Puede convertirse en el suplente de algún líder cuando por motivos de fuerza mayor este no pueda atender su célula, pero nunca debe hacerse cargo de manera permanente ya que su responsabilidad es hacia su sector. La selección de un supervisor se torna en iglesia Elim cada vez más cuidadosa, se debe evitar el promover a una persona hasta el nivel de su ineficiencia, ya que así perderíamos a un buen líder para “ganar” a un mal supervisor.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Good coaches challenge and call out leadership in their small group leaders

By Jay Firebaugh, Director of Small Groups at New Life Church in Gahanna/ Columbus, Ohio.

I had lunch recently with one of my best small group leaders. He and his wife do a fantastic job of caring for and spiritually challenging the people in their small group. They have done a terrific job of creating disciple – exactly what our model aspires to create.

The reason for our lunch was that I wanted to challenge him in this next year to widen his vision to the next level. In essence, I want him to move from someone who successfully produces disciple to someone who can and does produce disciplers.

That’s what coaches do: produce and oversee disciplers! The great commission in Matthew 28:19-20 given to all of us is to produce disciples. In our church we primarily do that through small groups where, in community, we are calling each other to identify and take next spiritual steps. We see our small group leaders as the ones leading this charge of raising up Christ-followers who are growing spiritually. Small group leaders produce disciples.

Small coaches oversee these disciple-makers. Thus, their role is to oversee disciplers. My challenge to this excellent small group leader was to see his group that he and his wife are doing such a great job of leading, become several groups that he could then continue to shepherd and lead as their coach. He needed to train and equip some of these disciples that he has raised up to be disciplers.

We currently have several zones of groups, overseen by a coach, that have grown out of an initial small group. Over time the small group leader has been helped to widened their vision from disciple-maker to maker of disciplers. Their ministry has been multiplied as they became a coach.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Bons treinadores desafiam e chamam a liderança em seus líderes de pequenos grupos

Por Jay Firebaugh, diretor de pequenos grupos da New Life Church em Gahanna- Columbus, Ohio.

Eu almocei recentemente com um dos meus melhores líderes de pequenos grupos. Ele e a esposa fazem um trabalho fantástico de cuidar e desafiar espiritualmente as pessoas do seu pequeno grupo. Eles fizeram um excelente trabalho ao criar discípulos – exatamente o que nosso modelo aspira criar.

O motivo do nosso almoço foi que eu queria desafiá-lo no próximo ano para ampliar sua visão para o próximo nível. Em essência, quero que ele mude de alguém que produz discípulos com sucesso para alguém que produz discipuladores.

É isso que os treinadores fazem: produzem e supervisionam os discipuladores! A grande comissão em Mateus 28:19-20 dada a todos nós é para produzir discípulos. Em nossa igreja, fazemos isso principalmente através de pequenos grupos onde, em comunidade, chamamos uns aos outros para identificar e dar os próximos passos espirituais. Vemos nossos líderes de pequenos grupos como os que guam esse chamado de levantar seguidores de Cristo que estão crescendo espiritualmente. Líderes de pequenos grupos produzem discípulos.

Pequenos treinadores supervisionam esses que fazem discípulos. Assim, seu papel é supervisionar os discipuladores. Meu desafio para esse excelente líder de pequeno grupo é ver o grupo em que ele e sua esposa estão fazendo um ótimo trabalho de liderança, tornar-se vários grupos que ele poderia continuar a pastorear e liderar como seu treinador. Ele precisava treinar e equipar alguns desses discípulos que ele levantou para serem discipuladores.

Atualmente, temos várias zonas de grupos supervisionadas por um treinador, que cresceram em um pequeno grupo inicial. Com o tempo, o líder do pequeno grupo recebeu ajuda para ampliar sua visão de discípulo para discipulador. Seu ministério foi multiplicado quando eles se tornaram treinadores.

Spanish blog:

Los buenos supervisores desafían y exigen liderazgo en sus líderes celulares

Por Jay Firebaugh, Director de Grupos celulares en la Iglesia New Life en Gahanna / Columbus, Ohio.

Recientemente almorcé con uno de mis mejores líderes celulares. Él y su esposa hacen un trabajo fantástico al cuidar y desafiar espiritualmente a las personas de su célula. Han hecho un trabajo excelente al levantar discípulos, exactamente lo que nuestro modelo aspira hacer.

La razón de nuestro almuerzo fue desafiarlo en este próximo año para ampliar su visión al siguiente nivel. En esencia, quiero que se mueva de alguien que produce discípulos con éxito a alguien que pueda producir discípuladores.

Eso es lo que hacen los supervisores: ¡producir y supervisar a los discipuladores! La gran comisión en Mateo 28: 19-20 dada a todos nosotros es producir discípulos. En nuestra iglesia lo hacemos principalmente a través de pequeños grupos donde, en comunidad, nos llamamos mutuamente para identificar y dar los próximos pasos espirituales. Vemos a nuestros líderes de grupos celulares como los que lideran esta carga de levantar seguidores de Cristo que están creciendo espiritualmente. Los líderes celulares producen discípulos.

Los supervisores pequeños supervisan a estos hacedores de discípulos. Por lo tanto, su papel es supervisar a los discipuladores. Mi desafío para este excelente líder celular fue que el viera su grupo; en el cual él y su esposa ya están haciendo un gran trabajo de liderazgo, convertirse en varios grupos, que luego podría seguir guiando y liderando como su supervisor. Necesitaba supervisar y equipar a algunos de estos discípulos que el ha levantado para que ahora puedan ser discipuladores.

Actualmente tenemos varias zonas de células, atendidas por un supervisor, que ha surgido de una célula inicial. Con el tiempo, el líder del grupo celular ha sido ayudado a ampliar su visión de discipulo a discipulador. Su ministerio fue multiplicado cuando se convirtieron en supervisores.

Span of Care – Why Coaching is So Important

By Jay Firebaugh, Director of Small Groups at New Life Church in Gahanna/ Columbus, Ohio.

The reason why cells need to multiply is to keep the span of care small enough for one leader (or married set of leaders) to be able to adequately care for people in their cell. When cells get too large, out of necessity, the leader will switch from shepherding to managing his or her people.

This is the very reason you need coaches over your cells/ small groups! If a director or cell pastor tries to oversee all the cells, what he will model for his cell leaders is management – less frequent contact just to see how things are going and if they need anything. This is an unavoidable outcome of a cell pastor or director overseeing too many cells. The span of care is exceeded! And just like it breaks down if a cell leader is trying to care for too many people in their cell, it will break down if a director is trying to care for too many cell leaders.

A better approach is for a middle level of care called coaches. A leader is caring for a comfortable number of people in their cell. They are cared for by a coach. And coaches are overseen and cared for by a director or the cell pastor.

Yes, I want my coaches to manage their cell leaders: read their reports, deal with any problems, give advice for any difficult situations or people the cell leader is facing, and continue to cast the vision for soul-care and moving toward multiplication. But I also want my coaches to provide shepherding soul-care for their cell leaders. In the same way that the cell leader is seeking to pastor and shepherd their people, a coach should be providing that for their leaders: How are they doing spiritually, praying for them, asking about their marriage and personal spiritual development.

Good coaches produce healthy growing cell leaders who produce healthy disciples for Christ. Span of care is a principle to keep in mind across your entire cell/ small group system.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Extensão de Cuidaado – Por que o treinamento é tão importante

Por Jay Firebaugh, diretor de pequenos grupos da New Life Church em Gahanna- Columbus, Ohio.

A razão pela qual as células precisam se multiplicar é manter o tempo de cuidado pequeno o suficiente para que um líder (ou dupla de líderes casados) possa cuidar adequadamente das pessoas em sua célula. Quando as células ficam muito grandes, por necessidade, o líder passa do pastoreio para o gerenciamento de seu pessoal.

Esta é a razão pela qual você precisa de treinadores em suas células/pequenos grupos! Se um diretor ou pastor de células tenta supervisionar todas as células, o que ele modelará para seus líderes de célula é gerenciamento – um contato menos frequente apenas para ver como as coisas estão indo e se precisam de alguma coisa. Este é um resultado inevitável de um pastor ou diretor de célula supervisionando muitas células. O período de atendimento é excedido! E, assim como ocorre quando um líder de célula está tentando cuidar de muitas pessoas em sua célula, também ocorre se um diretor está tentando cuidar de muitos líderes de célula.

Uma abordagem melhor é um nível médio de atendimento chamado treinamento. Um líder está cuidando de um número confortável de pessoas em sua célula. Eles são cuidados por um treinador. E os treinadores são supervisionados e tratados por um diretor ou pastor de células.

Sim, eu quero que meus treinadores gerenciem seus líderes de célula: que leiam seus relatórios, lidem com quaisquer problemas, deem conselhos para qualquer situação difícil ou pessoa que o líder de célula esteja enfrentando e continuem a lançar a visão para cuidar das almas e avançar em direção à multiplicação. Mas também quero que meus treinadores forneçam cuidados espirituais aos líderes de suas células. Da mesma maneira que o líder da célula está procurando pastorear os membros, um treinador deve providenciar isso para seus líderes: Como estão se saindo espiritualmente, orando por eles, perguntando sobre seu casamento e desenvolvimento espiritual pessoal.

Bons treinadores produzem líderes de células prósperos e saudável, que por sua vez produzem discípulos saudáveis para Cristo. A extensão do atendimento é um princípio a ser lembrado em todo o sistema de células/pequenos grupos.

Spanish blog:

Alcance de la atención: por qué el supervisar es tan importante

Por Jay Firebaugh, Director de Grupos Pequeños en la Iglesia New Life en Gahanna / Columbus, Ohio.

La razón por la cual las células necesitan multiplicarse es para mantener la capacidad de atención lo suficientemente pequeña como para que un líder (o un grupo de líderes casados) pueda cuidar adecuadamente a las personas en su célula. Cuando las células se vuelven demasiado grandes, por necesidad, el líder cambiará de pastorear a administrar a su gente.

¡Esta es la razón por la que necesita supervisores sobre sus células / grupos pequeños! Si un director o pastor celular intenta supervisar todas las células, lo que modelará para sus líderes celulares es la administración, un contacto menos frecuente solo para ver cómo van las cosas y si necesitan algo. Este es un resultado inevitable de un pastor o director celular que supervisa demasiadas células. Se supera el alcance de la atención! Y al igual que se descompone si un líder celular está tratando de cuidar a demasiadas personas en su célula, se descompondrá si un director está tratando de cuidar a demasiados líderes celulares.

Un mejor enfoque para tener un nivel medio de atención se encuentra en los llamado supervisores. Un líder está cuidando a un número cómodo de personas en su célula. Los líderes son atendidos por un supervisor y los éstos son supervisados ​​y atendidos por un director o el pastor celular.

Sí, quiero que mis supervisores administren a sus líderes celulares: lean sus informes, aborden cualquier problema, den consejos sobre cualquier situación difícil o personas que el líder celular esté enfrentando, y continúen proyectando la visión del cuidado del alma y avanzando hacia la multiplicación. Pero también quiero que mis supervisores brinden cuidado pastoral para sus líderes celulares. De la misma manera que el líder celular busca guiar y pastorear a su gente, un supervisor debe proporcionar eso a sus líderes: ¿Cómo les está yendo espiritualmente, orando por ellos, preguntándoles sobre su matrimonio y su desarrollo espiritual personal?

Los buenos supervisores producen líderes celulares en crecimiento y saludables que producen discípulos saludables para Cristo. El alcance de la atención es un principio a tener en cuenta en todo el sistema de celular / grupos pequeños.

Pastoral Involvement in Cell Ministry

By Joel Comiskey, check out: Living in Victory

I encourage pastors (lead and staff pastors) to be intimately involved in cell ministry, whether as a team member in a cell or leading a cell group.  The most important reason is to stay close to the fire and maintainpractical experience in winning others to Jesus. This also prevents the pastor from losing touch with cell group leaders.

There are many arguments that would seemingly contradict a pastor leading an open cell group.  “After all,” someone might say, “Shouldn’t he or she delegate as much as possible? Shouldn’t he rotate among various groups instead of concentrating on one?” Such an argument has its merits, but in my opinion, it falls short. The benefits of leading a cell group far outweigh the shortcomings.

Dale Galloway, former pastor and cell expert, told me that every pastor and staff person led a cell group—even when the church had 6,000 members and 600 cell groups. Galloway insisted that it is foolish to expect others to follow what the senior pastor fails to model. Notice the benefits of leading or being part of a cell team:  

  • A deeper cell church vision.
  • Pastoral burden for cell leaders.
  • Personal interaction with non-Christians.
  • Illustrations for teaching material gleaned from experience.
  • Insight into which cell lessons work and which ones do not.

Above all, it declares in numerous ways that cell ministry is so important that even the pastor is willing to lead or be part of a cell group team.   

The long-term success of cell ministry depends on adjusting cell church principles to each church’s reality. The best laboratory is personal involvement. When a pastor leads a cell group (or part of a cell team), he or she captures the weekly benefits of cell ministry and can relate to fellow cell leaders in the church. As Clarence Day once said, “Information’s pretty thin stuff, unless mixed with experience” (Writer to Writer, p. 58)

Cell involvement, whether attending or leader, allows the pastor to experience the need to invite non-Christians, train new leaders, prepare the study time, and shepherd those in need. It also gives the pastor the chance to determine if his own cell lesson (based on his Sunday morning message) edifies the saints and speaks to non-Christians.

Granted, there might be periods of time when the pastor no longer leads an open cell group. Many pastors of the world’s largest cell churches do not personally lead a cell group. These churches have reached another level: most likely, the pastor already has an intense passion for cell ministry and thus might not need to lead a cell to keep him connected. The norm always has its exceptions and there are probably times when this rule can be broken safely.

While we should avoid legalism, the pastor’s direct involvement in cell ministry is critical to ongoing vitality and fruitfulness.  

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O envolvimento pastoral no ministério celular

Por Joel Comiskey

Eu encorajo os pastores (pastores líderes e de equipe) a se envolverem intimamente no ministério celular, seja como membro de uma equipe ou liderando uma célula. A razão mais importante é permanecer perto do fogo e manter a experiência prática em ganhar vidas para Jesus. Isso também impede que o pastor perca o contato com os líderes das células.

Existem muitos argumentos que aparentemente contradizem um pastor liderar uma células aberta. “Afinal”, alguém pode dizer, “ele não deve delegar o máximo possível? Ele não deveria alternar entre vários grupos em vez de se concentrar em apenas um?”. Tal argumento tem seus méritos, mas, na minha opinião, não é uma justfcatva plausível. Os benefícios de liderar uma célula superam em muito os pontos negativos.

Dale Galloway, antigo pastor e especialista em células, me disse que todo pastor e membro da equipe liderava uma célula – mesmo quando a igreja tinha 6.000 membros e 600 células. Galloway insistiu que é tolice esperar que outros sigam o que o pastor sênior não consegue exemplificar. Observe os benefícios de liderar ou fazer parte de uma equipe de células:

  • Uma visão mais profunda da igreja em células;
  • Carga pastoral para os líderes de célula;
  • Interação pessoal com não-cristãos;
  • Exemplos práticos para material didático adquiridos através da experiência;
  • Visão sobre quais conteúdos células funcionam e quais não funcionam nas células.


Acima de tudo, isso demonstra de várias maneiras que o ministério celular é tão importante que até o pastor está disposto a liderar ou fazer parte de uma equipe celular.

O sucesso a longo prazo do ministério celular depende do ajuste dos princípios da igreja celular à realidade de cada igreja. O melhor laboratório é o envolvimento pessoal. Quando um(a) pastor(a) lidera uma célula (ou faz parte de uma equipe celular), ele ou ela captura os benefícios semanais do ministério de células e pode se relacionar com outros líderes de célula na igreja. Como Clarence Day disse uma vez, “a informação é uma coisa muito fina, a menos que seja misturada com a experiência” (Writer to Writer, p. 58).

O envolvimento celular, seja como participante ou líder, permite que o pastor experimente a necessidade de convidar não-cristãos, treinar novos líderes, preparar o tempo de estudo e pastorear os necessitados. Também dá ao pastor a chance de determinar se sua própria lição de célula (baseada em sua mensagem de domingo de manhã) edifica os santos e fala com não-cristãos.

É verdade que pode haver períodos em que o pastor não lidere mais uma célula aberta. Muitos pastores das maiores igrejas em células do mundo não lideram pessoalmente uma célula. Essas igrejas atingiram outro nível: provavelmente, o pastor já tem uma intensa paixão pelo ministério de células e, portanto, pode não precisar liderar uma célula para mantê-lo conectado. A norma sempre tem suas exceções e provavelmente há momentos em que essa regra não precise ser seguida.

Embora devamos evitar o legalismo, o envolvimento direto do pastor no ministério de células é fundamental para a vitalidade e prosperidade.

Spanish blog:

Participación Pastoral en el Ministerio Celular

Por Joel Comiskey

Animo a los pastores (líderes y pastores del personal) a que se involucren íntimamente en el ministerio celular, ya sea como miembro del equipo en una célula o liderando un grupo celular. La razón más importante es permanecer cerca del fuego y mantener la experiencia práctica de ganar a otros para Jesús. Esto también evita que el pastor pierda contacto con los líderes de los grupos celulares.

Hay muchos argumentos que aparentemente contradicen a un pastor que dirige un grupo de células abiertas. “Después de todo”, alguien podría decir: “¿No debería él o ella delegar tanto como sea posible? ¿No debería rotar entre varios grupos en lugar de concentrarse en uno? ” Tal argumento tiene sus méritos, pero en mi opinión, se queda corto. Los beneficios de liderar un grupo celular superan con creces las deficiencias.

Dale Galloway, ex pastor y experto en células, me dijo que cada pastor y miembro del personal dirigía un grupo celular, incluso cuando la iglesia tenía 6,000 miembros y 600 grupos celulares. Galloway insistió en que es una tontería esperar que otros sigan lo que el pastor principal no puede modelar. Observa los beneficios de liderar o ser parte de un equipo celular:

¨ Una visión más profunda de la iglesia celular.

¨ Carga pastoral para líderes celulares.

¨ Interacción personal con no cristianos.

¨ Ilustraciones para material didáctico extraídas de la experiencia.

¨ Percepción de qué lecciones celulares funcionan y cuáles no.

Sobre todo, declara de muchas maneras que el ministerio celular es tan importante que incluso el pastor está dispuesto a liderar o ser parte de un equipo de grupo celular.

El éxito a largo plazo del ministerio celular depende de ajustar los principios de la iglesia celular a la realidad de cada iglesia. El mejor laboratorio es la participación personal. Cuando un pastor dirige un grupo celular (o parte de un equipo celular), él o ella captura los beneficios semanales del ministerio celular y puede relacionarse con otros líderes celulares en la iglesia. Como dijo una vez Clarence Day: “La información es bastante delgada, a menos que se mezcle con la experiencia” (escritor a escritor, p. 58)

La participación celular, ya sea que asista o sea líder, le permite al pastor experimentar la necesidad de invitar a no cristianos, capacitar a nuevos líderes, preparar el tiempo de estudio y guiar a los necesitados. También le da al pastor la oportunidad de determinar si su propia lección celular (basada en su mensaje del domingo por la mañana) edifica a los santos y les habla a los no cristianos.

Por supuesto, puede haber períodos de tiempo en que el pastor ya no lidere un grupo de células abiertas. Muchos pastores de las iglesias celulares más grandes del mundo no lideran personalmente un grupo celular. Estas iglesias han alcanzado otro nivel: lo más probable es que el pastor ya tenga una intensa pasión por el ministerio celular y, por lo tanto, tal vez no necesite dirigir una célula para mantenerlo conectado. La norma siempre tiene sus excepciones y probablemente haya momentos en que esta regla se pueda romper de manera segura.

Si bien debemos evitar el legalismo, la participación directa del pastor en el ministerio celular es fundamental para la vitalidad y la cosecha del fruto.