Planting Churches in Spain

By Mario Vega, www.elim.org.sv

I’m in Madrid, Spain, writing this blog, where I have been invited for the tenth anniversary of our branch church in this city. I was received at the airport early in the morning by our pastor in charge. During the day he told me about a family from our church in El Salvador who had to flee the country because of street violence. When they arrived in Spain they requested asylum, which was granted to them. They were located in a town called Ciudad Real. The family were cell leaders in  our cells in El Salvador and when they arrived in Ciudad Real they started a cell group in their house. Later the cell multiplied and the brother’s wife assumed the leadership of the second cell. The task of evangelizing, fraternizing and edifying has been carried out with perseverance for several weeks.

They are also making disciples who, in turn, make other disciples. The work has matured. Then they got in touch with our pastor in Madrid, who now tells me that we should expect to have a new branch church in Ciudad Real, Spain, very soon. All that has happened, which is not the product of a missionary plan but of the spontaneity of the cell church, is the same way that our churches have developed in Madrid, Jaén, Seville and Barcelona, ​​Spanish cities. But the same has happened in Italy, Switzerland, Belgium, the United States, Canada, Mexico, Guatemala, Honduras, Nicaragua, Costa Rica, Peru, Ecuador and Australia. In very few cases the Elim churches were born by an initiative of the mother church. Almost always, they emerged from common lay people naturally starting cell groups wherever they went. It is the natural way in which the church grows and multiplies reaching new cities in different countries.

Korean blog

Portuguese blog:

Plantando Igrejas na Espanha

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Estou escrevendo este blog em Madrid, Espanha, onde fui convidado para o décimo aniversário da nossa igreja que foi plantada nesta cidade. Fui recebido no aeroporto no início da manhã pelo nosso pastor responsável. Durante o dia ele me contou sobre uma família da nossa igreja em El Salvador que teve que fugir do país devido à violência das ruas. Quando chegaram na Espanha, eles pediram asilo, que foi concedido a eles. Eles estavam localizados em uma cidade chamada Ciudad Real. A família era formada por líderes de células de nossas células em El Salvador e, quando chegaram em Ciudad Real, abriram uma célula em sua casa. Mais tarde, a célula multiplicou e a esposa do irmão assumiu a liderança da segunda célula. As tarefas de evangelização, confraternização e edificação foram realizadas com perseverança por várias semanas.

Eles também estão fazendo discípulos que, por sua vez, fazem outros discípulos. O trabalho amadureceu. Então eles entraram em contato com o nosso pastor em Madrid, que agora me disse que devemos esperar ter uma nova igreja plantada em Ciudad Real, Espanha, muito em breve. Tudo o que aconteceu (que não é o produto de um plano missionário, mas da espontaneidade da igreja em células) ocorreu da mesma forma pela qual nossas igrejas se desenvolveram em Madrid, Jaén, Sevilha e Barcelona, cidades espanholas. Mas o mesmo aconteceu na Itália, na Suíça, Bélgica, Estados Unidos, Canadá, México, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Peru, Equador e Austrália. Em pouquíssimos casos as igrejas Elim nasceram por uma iniciativa da Igreja Mãe. Quase sempre, elas emergiram através de pessoas leigas comuns que naturalmente começaram células onde quer que fossem. É a maneira natural em que a igreja cresce e se multiplica, alcançando novas cidades em diferentes países.

Spanish blog:

Plantando iglesias en España

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Escribo este blog en Madrid, España, donde he sido invitado para la actividad de décimo aniversario de nuestra iglesia filial en esta ciudad. Fui recibido en el aeropuerto, temprano por la mañana, por nuestro pastor encargado. Durante el día él me relató acerca de una familia de nuestra iglesia en El Salvador que tuvo que huir del país por causa de la violencia callejera. Al llegar a España solicitaron asilo, el cual, les fue concedido. Fueron ubicados en una población que se llama Ciudad Real. Los padres de familia fueron líderes activos de nuestras células en El Salvador y al llegar a Ciudad Real iniciaron una célula en su casa de asilados. Posteriormente la célula se multiplicó y la esposa del hermano asumió el liderazgo de la segunda célula. La tarea de evangelizar, confraternizar y edificar la han realizado con perseverancia durante varias semanas.

También están haciendo discípulos que, a su vez, hagan otros discípulos. El trabajo ha cobrado madurez. Luego se pusieron en contacto con nuestro pastor en Madrid, quien, ahora me dice que debemos esperar tener muy pronto una nueva filial en Ciudad Real, España. Este procedimiento, que no es producto de un plan misionero sino de la espontaneidad de la iglesia celular, es el mismo que dio origen a nuestras iglesias en Madrid, Jaén, Sevilla y Barcelona, ciudades españolas. Pero, lo mismo ha ocurrido en Italia, Suiza, Bélgica, Estados Unidos, Canadá, México, Guatemala, Honduras, Nicaragua, Costa Rica, Perú, Ecuador y Australia. En muy contados casos las iglesias de Elim nacieron por una iniciativa de la iglesia madre. Casi siempre, surgieron de la capacidad que laicos comunes desarrollaron al participar activamente en el trabajo celular. Es la manera natural en que la iglesia crece y se multiplica alcanzando nuevas ciudades en distintos países.

So you want to plant a church?!

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

It sounds so cool…being a church planter.  When the Lord places this on a pastor’s heart, they are filled with excitement, passion, dreams and a little trepidation.  It is a momentous task that Jesus gives those called to plant.

Then, the reality sets in and “poof” the idea of church planting can be overwhelming.  I am blessed to be part of a church just two miles from New Orleans, LA. Our Pastor, Dennis Watson, often reminds us that New Orleans is often called the graveyard of churches.  Over the years, I have seen so many young families move to the area with the hope of bringing revival to this city that considers itself to be “religious,” but not Christ-centered.  Most of them move on to other places where it may be easier to plant a church. Why do you think that is?

I believe that the reason most church plants don’t get very far is community.  New Orleans is a tough place. Even though we are in the Southern part of the United States, we are not part of the “Bible Belt.”  The city runs on sports, festivals and Catholic roots. There are a lot of “spiritual” people here, but it is just not the right spirit.  Once a new pastor encounters many of these individuals, if he is not in the community with other local pastors or his home church, he will not make it.

Church planting is not for the faint of heart.  The world is a different place. We need to stay connected to others that can encourage us on a regular basis, point out where we might need to do better and keep us focused on the calling we first received from Jesus.

Being part of a pre-existing church staff is one thing, but stepping out on our own and planting the flag for Jesus in a new community, unreached neighborhood or broken city is where we must stay in contact and fellowship with those that are running the same race.  The worse thing any church planter can do if think, “I don’t need anymore advice.” It is similar to a teenager, telling their parents that they can’t wait to join the military because they are tired of being told what to do.

Proverbs 19:20 says, “Get all the advice and instruction you can, so you will be wise the rest of your life.”  This is the best thing a church planter can do. Find someone who has walked this path before and heed their words.  That way you really can excel at planting a church and will be able to fulfill your God-given calling!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Então você quer plantar uma igreja?

Michelle Geoffrey, pastor de células na www.celebrationchurch.org

Parece tão legal… ser plantador de igrejas. Quando o Senhor coloca isso no coração de um pastor, eles ficam cheios de excitação, paixão, sonhos e um pouco de receio. Essa é uma tarefa importante que Jesus dá àqueles que são chamados para plantar.

Então, a realidade se estabelece e “puff” a idéia de plantação de igrejas pode ser esmagadora. Eu sou abençoado por fazer parte de uma igreja a apenas duas milhas de Nova Orleans, LA. Nosso pastor, Dennis Watson, frequentemente nos lembra que Nova Orleans é frequentemente chamada de cemitério de igrejas. Ao longo dos anos, tenho visto tantas famílias jovens se mudarem para a área com a esperança de trazer avivamento a essa cidade que se considera “religiosa”, mas não é centrada em Cristo. A maioria deles se muda para outros lugares onde é mais fácil plantar uma igreja. Por que você acha que isso acontece?

Eu acredito que a razão pela qual a maioria das igrejas não chega muito longe é comunidade. Nova Orleans é um lugar difícil. Apesar de estarmos na parte sul dos Estados Unidos, não fazemos parte do “Cinturão da Bíblia”. A cidade é baseada em esportes, festivais e raízes católicas. Há muitas pessoas “espirituais” aqui, mas não é o espírito certo. Uma vez que um novo pastor encontra muitos desses indivíduos, se ele não estiver na comunidade com outros pastores locais ou com sua igreja local, ele não vai conseguir cumprir seu propósito.

O plantio de igrejas não é para os fracos de coração. O mundo é um lugar diferente. Precisamos estar conectados a outras pessoas que possam nos encorajar regularmente, apontar onde precisamos melhorar e nos manter focados no chamado que recebemos de Jesus.

Fazer parte de uma equipe pré-existente da igreja é uma coisa, mas ao sair por nossa própria conta e plantar a bandeira de Jesus em uma nova comunidade, bairro não alcançado ou cidade quebrada é quando devemos nos manter em contato e ter companheirismo com aqueles que estão governando. mesma corrida. A pior coisa que qualquer plantador de igrejas pode fazer é pensar: “Eu não preciso de mais conselhos”. Ele é semelhante a um adolescente que diz a seus pais que não vê a hora de se juntar aos militares porque está cansado de ser mandado o tempo todo.

Provérbios 19:20 diz: ““Ouça conselhos e aceite instruções, e acabará sendo sábio”. Essa é a melhor coisa que um plantador de igrejas pode fazer. Encontre alguém que tenha percorrido esse caminho antes de você e escute suas palavras. Dessa forma, você pode realmente se sobressair no plantio de uma igreja e será capaz de cumprir o chamado que Deus lhe deu!

Spanish blog:

¿Asi que quieres plantar una iglesia?

Michelle Geoffrey, pastora celular en www.celebrationchurch.org

Suena tan genial … ser un plantador de iglesias. Cuando el Señor coloca esto en el corazón de un pastor, están llenos de emoción, pasión, sueños y un poco de temor. Es una tarea trascendental que Jesús da a los llamados a plantar.

Entonces, la realidad se establece y la idea de plantar iglesias puede ser abrumadora. Tengo la bendición de ser parte de una iglesia a solo dos millas de Nueva Orleans, Louisiana. Nuestro pastor, Dennis Watson, a menudo nos recuerda que a Nueva Orleans se le suele llamar el cementerio de las iglesias. A lo largo de los años, he visto a tantas familias jóvenes mudarse al área con la esperanza de traer un avivamiento a esta ciudad que se considera “religiosa”, pero no centrada en Cristo. La mayoría de ellos se mudan a otros lugares donde puede ser más fácil plantar una iglesia. ¿Por qué crees que esto ocurre?

Creo que la razón por la que la mayoría de las iglesias no llegan muy lejos es la comunión; Nueva Orleans es un lugar difícil. A pesar de que estamos en la parte sur de los Estados Unidos, no somos parte del “Cinturón de la Biblia”. La ciudad funciona con deportes, festivales y raíces católicas, hay muchas personas “espirituales” aquí, pero no es el espíritu correcto. Una vez que un nuevo pastor se encuentre con muchas de estas personas, si no está en la comunión con otros pastores locales o con su iglesia local, no lo logrará.

La plantación de iglesias no es para los débiles de corazón; el mundo es un lugar diferente. Necesitamos estar conectados con otros que puedan alentarnos de manera regular, señalar dónde deberíamos hacerlo mejor y mantenernos enfocados en el llamamiento que recibimos por primera vez de Jesús.

Ser parte de un personal eclesiástico preexistente es una cosa, pero salir por nuestra cuenta y plantar la bandera de Jesús en una comunidad nueva, un vecindario no alcanzado o una ciudad rota es donde debemos mantenernos en contacto y tener comunión con aquellos que van corriendo la misma carrera. Lo peor que un plantador de iglesias puede hacer es pensar: “No necesito más consejos”. Es similar a un adolescente, que les dice a sus padres que no puede esperar para unirse al ejército porque están cansado de que le digan qué hacer.

Proverbios 19:20 dice: “Escucha el consejo, y recibe la corrección, Para que seas sabio en tu vejez”. Esto es lo mejor que puede hacer un plantador de iglesias. Encuentra a alguien que haya recorrido este camino antes y presta atención a sus palabras. De esa manera, ¡realmente puedes sobresalir al plantar una iglesia y podrás cumplir tu llamado divino!

Don’t go to plant churches. Just go and make disciples! 

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available @amazon.com)]

Our church in Brazil, Central Baptist of Belo Horizonte, has been a cell church for the last 18 years. Today we have more than 1800 cells and have been relatively successful in opening new sites in  our home city (today we have 8 facilities). But we have very little experience in church planting through cells. In fact, we have planted only two churches in the last 5 years and have just started planting a new one. So we are just learning. But look at what has happened so far.

The first started by “accident” as a couple that were cell leaders in our church moved  to a town 150 km away, because of a business opportunity. They started a cell in their home with no intention of starting a church, but through reaching people, baptizing them and raising new leaders they started growing. Six years later they have 14 cells, 134 people, 50 of which have already been baptized and soon many others will be. And now the husband has become a full time pastors of the church they planted.

The second church plant was done intentionally. We had supported missionaries in a poor area 1.000 km away from the main church in the northeast of Brasil, called “sertão baiano” for many years, trying to develop a church in the conventional model, but it never grew more than 12 members. Five years ago, we decided to do it in a new way. We started with a short term mission trip with more than 40 people invading the town and doing all kinds of outreach activities with children, youth and adults. Every night they visited people, prayed for them, shared a short Bible story and offered to visit them weekly – at the end of the first week they had started six new cells! The cells grew very fast as they focused on making disciples. Today the church has 50 cells, 160 were baptized and 325 people are currently involved in the cells. And now, in December/2018, they will open a second church building in the region.

The third story is even more amazing. In May/2018 one of the leading pastors of our church visited the town where the new church would be planted. He would stay there 3 weeks per month to structure the new front. In June, he defined the team, formed by 5 experienced cell coaches that were also very successful cell leaders. As they moved into Picos, (2.000 km away from the main church), they developed new relationships with everybody they met. At the end of the first month they already had three cells with 21 people involved. In September, a short term mission trip with 20 volunteers from our church helped to broaden the contacts and raised new opportunities for visiting homes later on. In the end of October, there were already 9 cells with 108 people participating. Classes for preparation for baptisms have started and new believers are already being challenged to prepare themselves to lead. They expect to end 2018 with 15 cells – 5 months after opening the first one. Miracles are on the way!

How can we explain all this? Obviously it is all about the amazing work of the Holy Spirit, through disciples focused on doing only the most important thing. And it is not planting churches. We are mainly focused on making disciples that make disciples! By dong this, we will continuously grow and multiply. And many churches will be planted along the way!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Não vá para plantar igrejas. Apenas vá e faça discípulos!

Por Roberto Bottrel (servindo igrejas europeias, desafiando-as a fazerem discípulos e discipuladores através de células que multiplicam [centraldna.org]. Autor do livro Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church [disponível em @amazon.com])

Nossa igreja no Brasil, Batista Central de Belo Horizonte, tem sido uma igreja em células nos últimos 18 anos. Hoje temos mais de 1800 células e temos sido relativamente bem-sucedidos em abrir novos locais em nossa cidade natal (hoje temos 8 instalações). Mas nós temos muito pouca experiência em plantação de igrejas através das células. De fato, plantamos apenas duas igrejas nos últimos 5 anos e começamos a plantar uma nova. Então estamos apenas aprendendo. Mas olhe o que aconteceu até agora.

A primeira começou por “acidente” quando um casal de líderes de célula em nossa igreja se mudou para uma cidade a 150km de distância devido à uma oportunidade de negócio. Eles começaram uma célula em sua casa sem a intenção de iniciar uma igreja, mas ao alcançar pessoas, batizando-as e criando novos líderes, eles começaram a crescer. Seis anos depois, eles têm 14 células, 134 pessoas, 50 das quais já foram batizadas e em breve muitas outras serão. E agora o marido se tornou pastor em tempo integral da igreja que eles plantaram.

A segunda planta da igreja foi feita intencionalmente. Havíamos apoiado missionários em uma área pobre chamada “sertão baiano” no nordeste brasileiro a 1.000km da igreja principal por muitos anos, tentando desenvolver uma igreja no modelo convencional, mas nunca cresceu para mais do que 12 membros. Cinco anos atrás, decidimos fazer isso de uma nova maneira. Começamos com uma viagem missionária de curta duração com mais de 40 pessoas invadindo a cidade e fazendo todos os tipos de atividades de evangelismo com crianças, jovens e adultos. Todas as noites eles visitavam pessoas, oravam por elas, compartilhavam uma pequena história da Bíblia e se ofereciam para visitá-las semanalmente – no final da primeira semana eles haviam começado seis novas células! As células cresceram muito rapidamente quando se concentraram em fazer discípulos. Hoje a igreja tem 50 células, 160 pessoas foram batizadas e 325 pessoas estão envolvidas atualmente nas células. E agora, em dezembro de 2018, eles abrirão uma segunda igreja na região.

A terceira história é ainda mais surpreendente. Em maio de 2018, um dos principais pastores de nossa igreja visitou a cidade onde a nova igreja seria plantada. Ele ficaria lá 3 semanas a cada mês para estruturar a nova frente. Em junho, ele definiu a equipe, formada por 5 treinadores de célula experientes que também eram líderes de célula de muito sucesso. Ao se mudarem para Picos, a 2.000km da igreja principal, desenvolveram novas relações com todos que encontraram. No final do primeiro mês, eles já tinham três células com 21 pessoas envolvidas. Em setembro, uma viagem missionária de curta duração com 20 voluntários de nossa igreja ajudou a ampliar os contatos e levantou novas oportunidades para visitar as casas mais tarde. No final de outubro, já havia 9 células com 108 pessoas participando. Aulas de preparação para o batismo começaram e novos convertidos já estão sendo desafiados a se prepararem para liderar. Eles esperam terminar 2018 com 15 células – 5 meses após a abertura da primeiro. Milagres estão a caminho!

Como podemos explicar tudo isso? Obviamente, é tudo sobre a incrível obra do Espírito Santo, através de discípulos focados em fazer apenas a coisa mais importante. E isso não é plantar igrejas. Estamos principalmente focados em fazer discípulos que fazem discípulos! Ao fazer isso, vamos crescer e multiplicar continuamente. E muitas igrejas serão plantadas ao longo do caminho!

Spanish blog:

No vayas a plantar iglesias. ¡Sólo ve y haz discípulos!

Por Roberto Bottrel [sirviendo a iglesias europeas, desafiándolos a hacer discípulos a través de células que se multiplican ( centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada líder y la Iglesia (disponible en amazon.com)]

Nuestra iglesia en Brasil, Bautista Central de Belo Horizonte, ha sido una iglesia celular durante los últimos 18 años. Hoy tenemos más de 1800 células y hemos sido relativamente exitosos en abrir nuevos sitios en nuestra ciudad natal (hoy tenemos 8 instalaciones). Pero tenemos muy poca experiencia en la plantación de iglesias a través de células. De hecho, solo hemos plantado dos iglesias en los últimos 5 años y acabamos de comenzar a plantar una nueva. Así que solo estamos aprendiendo. Pero mira lo que ha sucedido hasta ahora.

La primera comenzó por “accidente” cuando una pareja que era líder de una célula en nuestra iglesia se mudó a una ciudad a 150 km de distancia, debido a una oportunidad comercial. Comenzaron una célula en su hogar sin intención de comenzar una iglesia, pero al llegar a las personas, bautizarlos y formar nuevos líderes, comenzaron a crecer. Seis años después, tienen 14 células , 134 personas, 50 de las cuales ya han sido bautizadas y pronto otras muchas lo serán. Y ahora el esposo se ha convertido en un pastor a tiempo completo de la iglesia que ellos plantaron.

La segunda plantación de la iglesia fue hecha intencionalmente. Habíamos apoyado a misioneros en una zona pobre a 1.000 km de la iglesia principal en el noreste de Brasil, llamada “sertão baiano” durante muchos años, tratando de desarrollar una iglesia en el modelo convencional, pero nunca creció más de 12 miembros. Hace cinco años, decidimos hacerlo de una manera nueva. Comenzamos con un viaje misionero a corto plazo con más de 40 personas invadiendo la ciudad y realizando todo tipo de actividades de divulgación con niños, jóvenes y adultos. Cada noche visitaban personas, oraban por ellos, compartían una breve historia bíblica y se ofrecían a visitarlos semanalmente: ¡al final de la primera semana habían comenzado seis nuevas células! Las células crecieron muy rápido al enfocarse en hacer discípulos. Hoy la iglesia tiene 50 células, 160 fueron bautizadas y 325 personas están involucradas actualmente en las células. Y ahora, en diciembre / 2018, abrirán una segunda iglesia en la región.

La tercera historia es aún más sorprendente. En mayo / 2018, uno de los pastores principales de nuestra iglesia visitó la ciudad donde se plantaría la nueva iglesia. Se quedaría allí 3 semanas al mes para estructurar el nuevo frente. En junio, definió el equipo, formado por 5 entrenadores celulares experimentados que también fueron líderes celulares muy exitosos. Cuando se mudaron a Picos (a 2.000 km de la iglesia principal), desarrollaron nuevas relaciones con todos los que conocieron. Al final del primer mes ya tenían 3 células con 21 personas involucradas. En septiembre, un viaje misionero a corto plazo con 20 voluntarios de nuestra iglesia ayudó a ampliar los contactos y generó nuevas oportunidades para visitar hogares más adelante. A fines de octubre, ya existían 9 células con 108 personas participantes. Las clases de preparación para los bautismos han comenzado y los nuevos creyentes ya están siendo retados a prepararse para liderar. Esperan terminar el 2018 con 15 células, 5 meses después de abrir la primera. ¡Los milagros están en camino!

¿Cómo podemos explicar todo esto? Obviamente, todo se trata de la increíble obra del Espíritu Santo, a través de los discípulos enfocados en hacer solo lo más importante. Y no se está plantando iglesias. ¡Estamos principalmente enfocados en hacer discípulos que hacen discípulos! Al hacer esto, creceremos y multiplicaremos continuamente. ¡Y muchas iglesias serán plantadas en el camino!

Why shouldn’t we focus on planting churches?

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available @amazon.com)]

I have been traveling through Europe and have seen many church-planting initiatives, but still, the results are not so exciting: only very small churches that struggle to move on. I started asking myself why we are working so much and not being so effective. After learning about how many started new churches and also talking to several church planters, I see that we might be making a huge mistake: We are not focusing on the most important.

This is what I have seen in Brazil and in many countries in Europe, when we want to plant a new church: we gather a team, go to the new place, start a meeting in a home and slowly gather some new people (most of the times, stranded Christians in the area). After a few months, the original home doesn’t fit anymore, so the new group rents a facility and starts the desired Sunday services. “Victory! We have planted a new church.” Then, the church will grow to 40 people or sometimes up to 60, but very few new believers, very few baptisms, hardly any new leaders. Very little disciple-making. And it goes on like that for several years. But since the focus was on planting a church, we are ok. “Mission accomplished”. No, sorry. The mission has not been accomplished.

When we read through the New Testament do we find any commandments about planting churches? “Go and plant churches in all nations!” No, nothing like that. When Paul went on his journeys he never said that he was out there to plant churches – “…my only aim is to finish the race and complete the task the Lord Jesus has given me—the task of testifying to the good news of God’s grace.” (Acts 20:24 NIV). What we read about Paul is that “… in Damascus he had preached fearlessly in the name of Jesus. (…) in Jerusalem, speaking boldly in the name of the Lord. (Acts 9:27-28). He was not focused in planting churches. He was focused in sharing the Good News, in preaching the Gospel. He was focused on fulfilling the great Commission. Paul was all about making disciples!

The result of this very clear focus was that the many new disciples would get together and start living out their faith, building this new community of believers. Then they would get organized and raise the leadership of that group. The new church was always a consequence of making disciples.

God is on the move. Why? God loves people. He wants to reach the lost. And He told us to love people and bring them to him. He told us to preach the Gospel. He told us to make disciples. That is what it is all about. But, you may ask, what about the church? Don’t worry! It is HIS church and he left it very clear: “… I will build my church…” (Matthew 16:18 NIV)

In a next blog I will share about what happens when we go to a new place and the focus is not on planting a new church.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Por que não devemos nos concentrar em plantar igrejas?

Por Roberto Bottrel (servindo igrejas europeias, desafiando-as a fazerem discípulos e discipuladores através de células que multiplicam [centraldna.org]. Autor do livro Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church [disponível em @amazon.com])

Eu tenho viajado pela Europa e tenho visto muitas iniciativas de plantação de igrejas, mas ainda assim, os resultados não são tão empolgantes: apenas igrejas muito pequenas que lutam para seguir em frente. Comecei a me perguntar por que estamos trabalhando tanto e não estamos sendo tão eficazes. Depois de aprender sobre quantas pessoas abriram novas igrejas e também conversando com vários plantadores de igrejas, vejo que podemos estar cometendo um grande erro: não estamos nos concentrando no mais importante.

Isso é o que tenho visto no Brasil e em muitos países da Europa quando queremos plantar uma nova igreja: reunimos uma equipe, vamos ao novo local, começamos uma reunião em uma casa e lentamente juntamos algumas pessoas novas (na maioria das vezes, cristãos da região que estão sem igreja). Depois de alguns meses, a casa original não serve mais, então o novo grupo aluga uma instalação e inicia os desejados cultos de domingo. “Vitória! Nós plantamos uma nova igreja”. Então, a igreja crescerá para 40 pessoas ou às vezes até 60, mas com poucas conversões, pouquíssimos batismos e dificilmente novos líderes. Muito pouco discipulado. E isso continua por vários anos. Mas como o foco estava em plantar uma igreja, estamos bem. “Missão cumprida”. Não, desculpe. A missão não foi cumprida.

Quando lemos o Novo Testamento, encontramos algum mandamento sobre plantar igrejas? “Vá e plante igrejas em todas as nações!” Não, nada disso. Quando Paulo foi em suas jornadas, ele nunca disse que ele estava lá fora para plantar igrejas – “… se tão somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus” (Atos 20:24 NVI). O que lemos sobre Paulo é que “… em Damasco ele havia pregado destemidamente em nome de Jesus. (…) em Jerusalém, falado corajosamente em nome do Senhor” (Atos 9:27-28). Ele não estava focado em plantar igrejas. Ele estava focado em compartilhar as Boas Novas ao pregar o Evangelho. Ele estava focado em cumprir a Grande Comissão. Paulo se dedicava totalmente a fazer discípulos!

O resultado desse foco muito claro foi que muitos novos discípulos se juntaram e começaram a viver sua fé, construindo uma nova comunidade de convertidos. Então eles se organizaram e levantaram a liderança desse grupo. A nova igreja sempre foi uma consequência de fazer discípulos.

Deus está agindo. Por quê? Deus ama as pessoas. Ele quer alcançar os perdidos. E Ele nos disse para amar as pessoas e trazê-las para Ele. Ele nos disse para pregar o Evangelho. Ele nos disse para fazer discípulos. É disso que se trata. Mas você pode perguntar, e a igreja? Não se preocupe! A igreja é DELE e ele deixou muito claro: “… edificarei a minha igreja…” (Mateus 16:18 NVI).

Em um próximo blog, vou compartilhar sobre o que acontece quando vamos a um novo local e o foco não está em plantar uma nova igreja.

Spanish blog:

¿Por qué no deberíamos enfocarnos en plantar iglesias?

Por Roberto Bottrel [sirviendo a iglesias europeas, desafiándolos a hacer discípulos a través de células que se multiplican ( centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada líder y la Iglesia (disponible en amazon.com)]

He estado viajando por Europa y he visto muchas iniciativas de plantación de iglesias, pero aún así, los resultados no son tan emocionantes: solo iglesias muy pequeñas que luchan por seguir adelante. Comencé a preguntarme por qué trabajamos tanto y no somos efectivos. Después de enterarme de cuántas nuevas iglesias comenzaron y también de hablar con varios plantadores de iglesias, veo que podríamos estar cometiendo un gran error: no nos estamos enfocando en lo más importante.

Esto es lo que he visto en Brasil y en muchos países de Europa, cuando queremos plantar una nueva iglesia: reunimos un equipo, vamos al nuevo lugar, comenzamos una reunión en un hogar y lentamente reunimos algunas personas nuevas (la mayoría de veces, cristianos varados en la zona). Después de unos meses, la casa original ya no encaja, por lo que el nuevo grupo alquila una instalación y comienza los servicios dominicales deseados. “¡Victoria! Hemos plantado una nueva iglesia ”. Luego, la iglesia crecerá a 40 personas o, a veces, hasta 60, pero muy pocos nuevos creyentes, muy pocos bautismos, casi ningún nuevo líder, muy pocos discípulados. Y así continúa durante varios años. Pero como el enfoque estaba en plantar una iglesia, estamos bien, “Misión cumplida”, NO, lo siento, La misión no se ha cumplido.

Cuando leemos el Nuevo Testamento, ¿encontramos algún mandamiento sobre la plantación de iglesias? “¡Id y plantad iglesias en todas las naciones!” No, nada de eso. Cuando Pablo emprendió sus viajes, nunca dijo que estaba allí para plantar iglesias. “… mi único objetivo es terminar la carrera y completar la tarea que el Señor Jesús me ha encomendado: la tarea de dar testimonio de las buenas nuevas de La gracia de Dios. ”(Hechos 20:24 NVI). Lo que leemos acerca de Pablo es que “… en Damasco había predicado sin temor en el nombre de Jesús. (…) en Jerusalén, hablando audazmente en el nombre del Señor. (Hechos 9: 27-28). Él no estaba enfocado en plantar iglesias. Estaba enfocado en compartir la Buena Nueva, en predicar el Evangelio. Estaba enfocado en cumplir la gran comisión. ¡Para Pablo todo era hacer discípulos!

El resultado de este enfoque muy claro fue que los muchos nuevos discípulos se reunirían y comenzarían a vivir su fe, construyendo esta nueva comunidad de creyentes. Luego se organizarían y elevarían el liderazgo de ese grupo. La nueva iglesia fue siempre una consecuencia de hacer discípulos.

Dios está en movimiento. ¿Por qué? Porque Dios ama a la gente, Él quiere alcanzar a los perdidos; y nos dijo que amáramos a las personas y se las trajéramos. Nos dijo que predicáramos el evangelio, nos dijo que hiciéramos discípulos. De eso es lo que se trata. Pero, tu puedes preguntar, ¿qué pasa con la iglesia? No te preocupes Es SU iglesia y lo dejó muy claro: “… edificaré mi iglesia …” (Mateo 16:18 NIV)

En un próximo blog compartiré sobre lo que sucede cuando vamos a un nuevo lugar y el enfoque no está en plantar una nueva iglesia.

Transplanting A Church

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In earlier times missionaries or church planters were sent out by a church, or more commonly by a missionary agency as lone rangers with the mission to start a new church plant.

Most of these  men and women came out of  a theological seminary and had additional training in missiology and trans-cultural studies. They were sent out to start something new and unknown. Their training assured them that they could start new churches in other lands, even though they had not necessarily been fruitful in starting churches in the homeland.

This has proven very inefficient. In Brazil, more than half of the missionaries sent out never returned to the mission field after the first term. They were disillusioned by the lack of success.

In Cell Churches, simple church planting is totally different. A church planting team is formed from those who have first multiplied cells in the mother church, Those same leaders are perfectly able to reproduce this model in any part of the world.

The New Testament churches always were Basic Christian Communities–small in size and easily reproducible. In Brazil and abroad cell churches have transplanted many churches this way in the last twenty years.

HELP US GOD!

Robert Lay

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Transplantando Uma Igreja

Por Robert Lay, Ministério Igreja em Células Brasil, www.celulas.com.br

Nos tempos antigos, missionários ou plantadores de igrejas eram enviados por uma igreja, ou mais comumente por uma agência missionária, como soldados solitários com a missão de iniciar uma nova igreja.

A maioria desses homens e mulheres saiu de um seminário teológico e teve treinamento adicional em missiologia e estudos transculturais. Eles foram enviados para começar algo novo e desconhecido. O treinamento deles garantiu que eles poderiam começar novas igrejas em outras terras, embora não tivessem necessariamente sido frutíferos em iniciar igrejas em sua terra natal.

Isso se mostrou muito ineficiente. No Brasil, mais da metade dos missionários enviados nunca retornaram ao campo missionário após o primeiro mandato. Eles ficaram desiludidos com a falta de sucesso.

Nas Igrejas Celulares, o plantio de igrejas simples é totalmente diferente. Uma equipe de liderança de células após multiplicar algumas células na igreja mãe é perfeitamente capaz de reproduzir esse modelo em qualquer parte do mundo.

Você pode transplantar uma ou mais células para qualquer lugar e continuar a ser uma igreja estruturada. Você não precisa começar uma igreja formal. As igrejas do Novo Testamento sempre foram Comunidades Cristãs Básicas – pequenas em tamanho e facilmente reproduzíveis. No Brasil e no exterior, as igrejas em células transplantaram muitas igrejas dessa maneira nos últimos vinte anos.

AJUDE-NOS, DEUS!

Robert Lay

Spanish blog:

Trasplantando una iglesia

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular de Brasil, www.celulas.com.br

En épocas anteriores, los misioneros o plantadores de iglesias eran enviados por una iglesia, o más comúnmente por una agencia misionera como llaneros solitarios con la misión de comenzar una nueva plantación de iglesias.

La mayoría de estos hombres y mujeres salieron de un seminario teológico y recibieron capacitación adicional en misionología y estudios transculturales. Fueron enviados para comenzar algo nuevo y desconocido. Su entrenamiento les aseguró que podían iniciar nuevas iglesias en otras tierras, aunque no necesariamente habían sido fructíferos para iniciar iglesias en la patria.

Esto ha demostrado ser muy ineficiente. En Brasil, más de la mitad de los misioneros enviados nunca regresaron a las misiones después del primer mandato. Estaban desilusionados por la falta de éxito.

En las iglesias celulares, la simple plantación de iglesias es totalmente diferente. Un equipo de liderazgo celular después de algunas células multiplicadoras en la iglesia madre es perfectamente capaz de reproducir este modelo en cualquier parte del mundo.

Puede trasplantar una o más células a cualquier lugar y continuar siendo una iglesia estructurada. No tienes que empezar una iglesia; las iglesias del Nuevo Testamento siempre fueron comunidades cristianas básicas, pequeñas en tamaño y fácilmente reproducibles. En Brasil y en el extranjero, las iglesias celulares han trasplantado muchas iglesias de esta manera en los últimos veinte años.

¡AYUDENOS DIOS!

Robert Lay