Responsibilities of a Coach

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Being a coach isn’t to be taken lightly. Coaches are the first line of communication for the cell leader and now needed more than ever, in the midst of the coronavirus crisis. Pastors are stretched like never stretched before. Having cell coaches prepared to coach cells leaves them well cared for, while other ministry leaders problem solve, create online worship services and ministry opportunities. Here are some of the responsibilities that we require for cell coaches:

  • Visit their cells once a quarter (once every 3 months) – This is the minimum requirement for cell visits from the cell coach. Most of our coaches visit their cells more often than this, but we put this in place as a standard.
  • Meet quarterly with each cell leader they oversee – Cell coaches are responsible for meeting with their cell leaders for a follow up after visiting their cell. This is an opportunity to give feedback, encourage and challenge the cell leader.
  • Pray for their cells regularly – 1 Samuel 12:23 reminds us that it is a sin not to pray for those that God has called us to lead. Cell coaches need to pray for their cell leaders and the members of those cells regularly.
  • Communicate important ministry updates – Our pastors communicate important information to the cell coach and they communicate with the cell leaders they are coaching. This structure has allowed us to communicate effectively during challenging times we are facing today.

These are just several of the responsibilities that we have put in place for our cell coaches. We’ve found these 4 to be some of the most important requirements. Having a strategic list of requirements for the cell coach helps eliminate confusion, while simultaneously communicating what is most important and expected.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Responsabilidades de um treinador

Por Stephen Daigle, Colégio e Pastor de Jovens Adultos na Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Ser treinador não deve ser considerado uma função tão simples. Os treinadores são a primeira linha de comunicação para o líder celular e agora são necessários mais do que nunca, no meio da crise do corona vírus. Pastores são exigidos como nunca antes. Ter treinadores de células preparados para treinar células os deixa bem cuidados, enquanto outros líderes de ministério resolvem problemas, criam serviços de adoração on-line e oportunidades de ministério. Aqui estão algumas das responsabilidades que exigimos para os treinadores de células:

• Visitar as células uma vez por trimestre (uma vez a cada 3 meses) – Esse é o requisito mínimo para visitas às células do treinador de células. A maioria dos nossos treinadores visita suas células com mais frequência do que isso, mas colocamos isso no lugar como padrão.

• Reunir-se trimestralmente com cada líder de célula que eles supervisionam – os treinadores de célula são responsáveis por se reunir com seus líderes de célula para um acompanhamento depois de visitar sua célula. Esta é uma oportunidade para dar feedback, incentivar e desafiar o líder da célula.

• Orar regularmente por suas células – 1 Samuel 12:23 nos lembra que é pecado não orar por aqueles que Deus nos chamou para liderar. Os treinadores de células precisam orar regularmente pelos líderes de suas células e pelos membros dessas células.

• Comunicar atualizações importantes do ministério – Nossos pastores comunicam informações importantes ao treinador da célula e eles se comunicam com os líderes da célula que estão treinando. Essa estrutura nos permitiu comunicar efetivamente durante tempos difíceis que enfrentamos hoje.

Essas são apenas algumas das responsabilidades que colocamos em prática para nossos treinadores de células. Nós descobrimos que esses 4 são alguns dos requisitos mais importantes. Ter uma lista estratégica de requisitos para o treinador de célula ajuda a eliminar a confusão, enquanto comunica simultaneamente o que é mais importante e esperado.

Spanish blog:

Responsabilidades de un supervisor

Por Stephen Daigle, pastor universitario y de jóvenes adultos en Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Ser supervisor no se debe tomar a la ligera. Los supervisores son la primera línea de comunicación para el líder celular y ahora, en medio de la crisis del coronavirus, se necesitan más que nunca. Los pastores están sobrecargados como nunca antes. Tener supervisores celulares preparados para trabajar las células, hace que estas sean bien atendidas, mientras que los otros líderes del ministerio resuelven problemas, crean servicios de adoración en línea y oportunidades de ministerio. Estas son algunas de las responsabilidades que se requieren para los supervisores celulares:

  • Visitar las células una vez por trimestre (una vez cada 3 meses): este es el requisito mínimo para las visitas a la células por parte del supervisor celular. La mayoría de nuestros supervisores visitan sus células con más frecuencia que esto, pero implementamos este número como estándar.
  • Reunirse trimestralmente con cada líder celular que supervisan: los supervisores celulares son responsables de reunirse con sus líderes para un seguimiento después de visitar su célula. Esta es una oportunidad para dar retroalimentación, animar y desafiar al líder.
  • Orar por las células regularmente – 1 Samuel 12:23 nos recuerda que es un pecado no orar por aquellos a quienes Dios nos ha llamado a liderar. Los supervisores celulares necesitan orar regularmente por sus líderes y los miembros de esas células.
  • Comunicar actualizaciones importantes del ministerio: nuestros pastores comunican información importante al supervisor celular y se comunican con los líderes celulares que están supervisando. Esta estructura nos ha permitido comunicarnos de manera efectiva durante los tiempos difíciles que enfrentamos hoy.

Estas son solo algunas de las responsabilidades que hemos establecido para nuestros supervisores celulares. Hemos encontrado que estos 4 son algunos de los requisitos más importantes. Tener una lista estratégica de requisitos para el supervisor celular ayuda a eliminar la confusión, y al mismo tiempo comunica lo que es más importante y esperado.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Good and Bad Motivations of the Coach

By Mario Vega, www.elim.org.sv

In cell churches, the role of the coach (supervisor) is not always defined very clearly, like the role of a cell leader. Because of this, coaches receive different “signals” depending on the lead pastor, denomination, or particular church. Often, the lead pastor or staff is constantly thinking about how to keep God’s work going and moving ahead. In other words, results are expected of the leaders and thus the coach needs to make those results happen. Yet, when too much pressure is put on “results,” the coach is pushed to become a business leader rather than a pastor. Then the leaders feel pressured or even mistreated, which produces resistance.

Because of this, the main attribute of a coach must be to love his leaders. Loving them implies taking care of them, listening to them, guiding them, comforting them, and encouraging them. It is a task that requires a calling to serve. Each leader is full of imperfections (like all of us), and the role of the coach is to bring out the best in them, so that they can achieve all that God has for them. This requires dedication and patience. The results will not be immediate, but there will results, and much greater results than when the coach tries to produce fruit through pressure tactics.

The coach must also be able to get the best out of each person, challenging them to reach new heights, breaking out of their comfort zone, and encouraging them to do new things for Jesus. In this way, pastoral care is balanced with the role of motivation.  In this way the work can continue to be sustained for long periods of time.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

As boas e as más motivações do treinador

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Nas igrejas em células, o papel do treinador (supervisor) nem sempre é definido com muita clareza, como o papel de um líder de célula. Por causa disso, os treinadores receberam “sinais” diferentes, dependendo do pastor principal, denominação ou igreja em particular. Freqüentemente, o pastor ou a equipe principal está constantemente pensando em como manter o trabalho de Deus e seguir em frente. Em outras palavras, os resultados são esperados dos líderes e, portanto, o treinador precisa fazer com que esses resultados aconteçam. No entanto, quando é colocada muita pressão sobre os “resultados”, o treinador é pressionado a se tornar um capataz. Então os líderes se sentem pressionados ou até maltratados, o que produz resistência.

Por isso, o principal atributo de um treinador deve ser amar seus líderes. Amá-los implica cuidar deles, ouvi-los, guiá-los, confortá-los e incentivá-los. É uma tarefa que requer um chamado para servir. Cada líder está cheio de imperfeições (como todos nós), e o papel do treinador é trazer o melhor deles, para que eles possam alcançar tudo o que Deus tem para eles. Isso requer dedicação e paciência. Os resultados não serão imediatos, mas haverá resultados e que serão muito maiores do que quando o treinador tenta produzir frutos por meio de táticas de pressão.

O treinador também deve ser capaz de tirar o melhor proveito de cada pessoa, desafiando-a a alcançar novas alturas, rompendo sua zona de conforto e incentivando-a a fazer coisas novas para Jesus. Dessa maneira, o cuidado pastoral é equilibrado com o papel da motivação. Dessa forma, o trabalho pode continuar sendo mantido por longos períodos de tempo.

Spanish blog:

Características de los supervisores

por Mario Vega, www.celulas.org.sv

En las iglesias celulares ocurre con frecuencia que el papel del supervisor no está tan definido como el del líder. Esa condición produce que cada persona entienda de manera diferente la tarea que les corresponde. Eso sucede, probablemente, porque quien delega en los supervisores solamente tiene en mente la continuidad del trabajo. Es decir, se espera de ellos resultados. Cuando se ejerce mucha presión en el tema de los resultados, el supervisor es empujado a convertirse en un capataz. Entonces los líderes se sienten presionados o hasta maltratados, obteniendo el efecto inverso.

Por ese motivo, la principal cualidad de un supervisor debe ser la de amar a sus líderes. Amarles implica cuidar de ellos, escucharles, orientarles, consolarles, animarles. Es una tarea que requiere auténtica vocación de servicio. Las personas no siempre son como uno quisiera, pero se les puede ayudar para lograr lo mejor de ellas. Eso requiere dedicación y paciencia. Los resultados no serán inmediatos, pero los habrá, y de una manera más permanente que aquellos que se producen por la presión.

El supervisor también debe ser capaz de obtener lo mejor de cada persona, desafiándoles a alcanzar nuevas alturas, a salir de su zona de confort y al animarles a hacer cosas nuevas. De esta manera, se equilibra el cuidado pastoral con la función de motivador. De esa manera el trabajo puede seguir siendo sostenido por largos períodos.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

The Church in Times of Trouble

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Throughout history, since Jesus founded his church, there have been  hardships such as persecutions, diseases, pestilences, and so forth. Christ’s church has never given up or been conquered.

The disciples, on one occasion, went through a storm on the sea, and Jesus was at the stern in the boat, sleeping on a cushion (Mark 4:38-41. The disciples were terrified and woke Jesus up asking Him, “Teacher, don’t you care if we drown?” After He rebuked the wind and stilled the waves, he said to his disciples, “Why are you so afraid? Do you still have no faith?” They were terrified and asked each other, “Who is this? Even the wind and the waves obey him!”

In these days of fear of Coronavirus we should not be disturbed and afraid. Jesus is in our boat! Sometimes it feels like He is asleep and doesn’t care. We might intellectually believe that Jesus is in control of every situation, but sometimes fear takes over. The Master wanted his disciples to exercise their faith, so he allowed a storm to come up to see how they would respond. As it turned out they were slow learners, like many of us today.

The Master’s teaching methods are similar today. Only as we exercise our spiritual muscles does our faith grow strong. Let us not be afraid of difficult times. They are good for us and help us increase our faith.

Hardships also bring us back to consider and analyze our priorities. Jesus gave the movement called Church only one order or command, “Make disciples of all nations”. He did not tell us make attractive and fancy programs to lure people into a building to “Worship” God, etc. In this times of coronavirus the Church is underground. No fancy meetings, just indoor family gatherings.

Social media is helping Christ’s church to maintain contact with fellow believers. Also in this time of distress, many new doors are opening to the gospel. People are much more willing to listen when the church offers a clear alternative to fear and panic. Jesus is the one who continues to rebuke the wind and calms the waves. This is the time to win people and make them disciples of Jesus Christ.

Let’s get back to simplicity. Jesus was simple. We have the gift of complication. Let’s use the different channels of social media to offer peace and hope to our unsaved friends. Let’s get back to what really matters. Make Disciples!

Help us God!

Robert

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Igreja em tempos difíceis

Por Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

Ao longo da história, desde que Jesus fundou sua Igreja, houve dificuldades como perseguições, doenças, epidemias e assim por diante. A igreja de Cristo nunca desistiu ou foi derrotada.

Os discípulos, em uma ocasião, passaram por uma tempestade no mar, e Jesus estava na popa do barco, dormindo sobre um travesseiro (Marcos 4: 38-41). Os discípulos ficaram aterrorizados e acordaram Jesus perguntando a Ele: “’Mestre, não te importas que morramos?’ Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: ‘Aquiete-se! Acalme-se!’ O vento se aquietou, e fez-se completa bonança. Então perguntou aos seus discípulos: ‘Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?’ Eles estavam apavorados e perguntavam uns aos outros: ‘Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?'”.

Nestes dias de medo do coronavírus, não devemos ficar perturbados nem com medo. Jesus está no nosso barco! Às vezes parece que ele está dormindo e não se importa. Podemos acreditar com nossa mente que Jesus está no controle de todas as situações, mas às vezes o medo toma conta. O Mestre queria que seus discípulos exercessem sua fé, então ele permitiu que uma tempestade se levantasse para ver como eles reagiriam. Como você pôde ver, eles aprendiam devagar, como muitos de nós hoje.

Os métodos de ensino do Mestre são semelhantes hoje. Somente quando exercitamos nossos músculos espirituais nossa fé se fortalece. Não tenhamos medo de tempos difíceis. Eles são bons para nós e nos ajudam a aumentar nossa fé.

As dificuldades também nos trazem de volta a considerar e analisar nossas prioridades.  Jesus deu ao movimento chamado Igreja apenas uma ordem/comando: “Façam discípulos de todas as nações”. Ele não nos disse para criar programas atraentes e sofisticados para atrair as pessoas a um prédio para “adorar” a Deus, etc. Nesse período de coronavírus, a Igreja está no “subsolo”. Não há reuniões sofisticadas, apenas reuniões familiares internas.

As mídias sociais estão ajudando a igreja de Cristo a manter contato com os irmãos. Também neste momento de angústia, muitas portas novas estão se abrindo para o evangelho. As pessoas estão muito mais dispostas a ouvir quando a Igreja oferece uma alternativa clara ao medo e ao pânico. Jesus é quem continua a repreender o vento e acalmar as ondas. Este é o momento de conquistar as pessoas e torná-las discípulas de Jesus Cristo.

Vamos voltar à simplicidade. Jesus era simples. Temos o dom da complicação. Vamos usar os diferentes canais das mídias sociais para oferecer paz e esperança aos nossos amigos não salvos. Vamos voltar ao que realmente importa. Faça discípulos!

Ajude-nos, Deus!

Robert

Spanish blog:

La iglesia en tiempos de problemas

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil, www.celulas.com.br

A lo largo de la historia, desde que Jesús fundó su iglesia, han habido dificultades como persecuciones, enfermedades, pestilencias, etc. La iglesia de Cristo nunca se ha rendido o ha sido conquistada.

Los discípulos, en una ocasión, atravesaron una tormenta en el mar, y Jesús estaba en la popa en el bote, durmiendo en un cojín (Marcos 4: 38-41. Los discípulos estaban aterrorizados y despertaron a Jesús preguntándole: “Maestro , ¿no te importa si nos ahogamos? “Después de que reprendió al viento y calmó las olas, les dijo a sus discípulos:” ¿Por qué tienen tanto miedo? ¿Todavía no tienen fe? “Ellos se aterrorizaron y se preguntaron unos a otros: “¿Quién es este? ¡Incluso el viento y las olas lo obedecen!”

En estos días de miedo al coronavirus no debemos ser molestados y asustados. ¡Jesús está en nuestro bote! A veces parece que está dormido y no le importa. Podríamos creer intelectualmente que Jesús tiene el control de cada situación, pero a veces el miedo se toma el control. El Maestro quería que sus discípulos ejercitaran su fe, por lo que permitió que se desatara una tormenta para ver cómo responderían. Al final resultó que eran estudiantes lentos, como muchos de nosotros hoy.

Los métodos de enseñanza del Maestro son similares hoy. Solo cuando ejercitamos nuestros músculos espirituales nuestra fe se fortalece. No tengamos miedo a los tiempos difíciles. Son buenos para nosotros y nos ayudan a aumentar nuestra fe.

Las dificultades también nos hacen volver a considerar y analizar nuestras prioridades. Jesús le dio al movimiento llamado Iglesia una sola orden o mandamiento: “Hacer discípulos a todas las naciones”. No nos dijo que hiciéramos programas atractivos y elegantes para atraer a la gente a un edificio para “adorar” a Dios, etc. En estos tiempos de coronavirus, la Iglesia está bajo tierra. No hay reuniones elegantes, solo reuniones familiares en interiores.

Las redes sociales están ayudando a la iglesia de Cristo a mantener contacto con otros creyentes. También en este momento de angustia, se están abriendo muchas puertas nuevas al evangelio. La gente está mucho más dispuesta a escuchar cuando la iglesia ofrece una alternativa clara al miedo y al pánico. Jesús es el que continúa reprendiendo al viento y calma las olas. Este es el momento de ganar personas y hacerles discípulos de Jesucristo.

Volvamos a la simplicidad. Jesús fue simple. Nosotros tenemos el don de la complicación. Usemos los diferentes canales de las redes sociales para ofrecer paz y esperanza a nuestros amigos no salvos. Volvamos a lo que realmente importa. ¡Hacer discípulos!

Ayúdanos Dios!

Robert

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

The Importance of a Coaching Structure

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available@amazon.com in English, Portuguese, Spanish and German)]

One of the pillars of a healthy cell church is the coaching structure. Many invest so much energy in the training track, in opening cells, in raising leaders, but don’t realize how important the overseeing of the cells and cell leaders is. I would even say that if you, for any reason, cannot have proper coaching, better not even start the cells. It will bring more harm than good. Eventually it will all collapse, leaving the sensation that “cells just don’t work”. 

Why is it so important? 

Authority should not be delegated without accountability. If you are the pastor of a church, as you develop the cells, your are putting the congregation under the responsibility of several leaders. So the church members will not be in your sight as often anymore. Conflicts will be solved, counselling will be given, discipleship will be done, all without your physical presence. Without your coaching over the cell leaders, you will not know what is happening. We consider it as just another level of discipleship – it is the discipleship of leaders. Although these leaders will already be discipling others, that does not mean that they do not need to be discipled themselves. This should be the pastor’s main responsibility. It is essential to have a strong relationship with the cell leaders and to meet them regularly. By doing this, the church will stick together as one.

Somebody might say: so, if a pastor oversees the cell leaders, the problem is solved. Yes, but only for a certain time. As the cells multiply and the church grows – and all churches are supposed to grow – new cell leaders are raised. How will the pastor be able to oversee more and more leaders? If everything stays concentrated on him, the growth will be limited to his capacity. They are some that have great leadership skills which will allow him to grow more than others, but even so, the growth will still be limited. When the number of leaders reach this limit, there are only two options: stop the growth or create a coaching system. If we develop a solid, healthy and growing coaching structure in the church, there will be no limit to growth. The pastor will only have to take good care of few coaches and disciple them well – which can be done without an overwhelming effort! Likewise, each coach will only have to disciple a few leaders. And you can multiply this over and over again. There is literally no limit. Thus, exponential multiplication of cells will never be chaotic.

How do you get new coaches? Disciple the first cell leaders well and you will have all the coaches you need in the future. To raise new cell coaches is just another step in the pastor’s challenge to develop fully committed followers of Jesus. And that is what the cell church is all about. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Portuguese blog:

A importância de uma estrutura de supervisão

Por Roberto Bottrel [servindo igrejas europeias, desafiando-as a serem fazedoras de discípulos através de células que multiplicam (centraldna.org). Autor do livro Multiplicação, o desafio do cristão, do líder e da Igreja (disponível na loja central.online em Português e @amazon.com em Inglês, Espanhol e Alemão]

Um dos pilares de uma igreja celular saudável é a estrutura de supervisão. Muitos investem tanta energia no trilho de treinamento, na abertura de células, em levantar líderes, mas não percebem quão importante é a supervisão de células e de líderes de célula. Eu até diria que se você, por qualquer razão, não pode ter uma supervisão apropriada, melhor nem começar com células. Irá fazer mais mal do que bem. Eventualmente tudo colidirá, deixando uma sensação de “células simplesmente não funcionam”.

Por que isso é tão importante?

Autoridade não deve ser delegada sem responsabilidade. Se você é o pastor da igreja, enquanto você desenvolve as células, você está colocando a congregação sob a responsabilidade de vários líderes. Então os membros da igreja não estarão mais debaixo dos seus olhos com tanta frequência. Conflitos serão resolvidos, conselhos serão dados, discipulado será feito. Tudo sem sua presença física. Sem sua supervisão sobre os líderes de célula, você não saberá o que está acontecendo. Consideramos isso apenas como outro nível de discipulado – é o discipulado de líderes. Embora esses líderes já estão discipulando outros, isto não quer dizer que eles mesmos não precisam de ser discipulados. Essa deve ser a responsabilidade principal do pastor. É essencial ter um forte relacionamento com seus líderes de célula e encontrar com eles regularmente. Fazendo isso, a igreja será fortemente unida.

Alguém poderia dizer: então, se um pastor supervisionar os líderes de célula, o problema está resolvido. Sim, mas somente por um certo tempo. Como as células multiplicam e a igreja cresce – e se espera que todas as igrejas cresçam – novos líderes de célula são levantados. Como o pastor será capaz de supervisionar mais e mais líderes? Se tudo ficar concentrado nele, o crescimento será limitado a capacidade do pastor. Existem aqueles que tem uma grande habilidade de liderança, e tal habilidade o permitirá crescer mais do que outros, porém mesmo assim, o crescimento continuará a ser limitado. Quando o número de líderes alcançam seu limite, existem apenas duas opções: parar o crescimento ou criar um sistema de supervisão. Se nós desenvolvemos uma estrutura de supervisão sólida, saudável e crescente na igreja, não existirá limite para o nosso crescimento. O pastor apenas terá que cuidar bem dos novos supervisores e discipulá-los bem – que pode ser feito sem um esforço demasiado! Da mesma forma, cada supervisor terá apenas que discipular poucos líderes. E você pode multiplicar isso vez após vez. Literalmente não há limites. Assim, multiplicação exponencial de células nunca será caótico.

Como você consegue novos supervisores? Discipule bem os primeiros líderes de células e você terá todos os supervisores que você precisa no futuro. Levantar novos supervisores de célula é apenas outro passo no desafio do pastor de desenvolver verdadeiros seguidores de Jesus. E isso é o que uma igreja em célula faz.

A importância de uma estrutura de treinamento

Spanish blog:

La importancia de una estructura de supervisores. 

Por Roberto Bottrel [sirviendo a las iglesias europeas, desafiándolas a hacer discípulos a través de células que se multiplican (centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada Líder y la Iglesia (disponible en @amazon.com en inglés, portugués, español y alemán)]

Uno de los pilares de una iglesia celular saludable es la estructura de los supervisores. Muchos invierten tanta energía en la ruta de capacitación, en la apertura de células, en la formación de líderes, pero no se dan cuenta de lo importante que es la supervisión de las células y los líderes de las células. Incluso diría que si, por alguna razón, no puede tener una supervision adecuada, mejor ni siquiera comience las células. Traerá más daño que bien. Eventualmente, todo colapsará, dejando la sensación de que “las células simplemente no funcionan”.

Por que es tan importante?

La autoridad no debe delegarse sin responsabilidad. Si usted es el pastor de una iglesia, a medida que desarrolla las células, está poniendo a la congregación bajo la responsabilidad de varios líderes. Entonces los miembros de la iglesia ya no estarán a la vista tan a menudo. Se resolverán los conflictos, se brindará asesoramiento, se hará el discipulado, todo sin su presencia física. Sin su supervision sobre los líderes celulares, no sabrá lo que está sucediendo. Lo consideramos simplemente como otro nivel de discipulado: es el discipulado de los líderes. Aunque estos líderes ya estarán discipulando a otros, eso no significa que ellos mismos no necesitan ser discipulados. Esta debería ser la principal responsabilidad del pastor. Es esencial tener una relación fuerte con los líderes celulares y conocerlos regularmente. Al hacer esto, la iglesia se mantendrá unida.

Alguien podría decir: entonces, si un pastor supervisa a los líderes celulares, el problema está resuelto. Sí, pero solo por un tiempo determinado. A medida que las células se multiplican y la iglesia crece, y se supone que todas las iglesias deben crecer, se levantan nuevos líderes celulares. ¿Cómo podrá el pastor supervisar a más y más líderes? Si todo se concentra en él, el crecimiento se limitará a su capacidad. Son algunos que tienen grandes habilidades de liderazgo que le permitirán crecer más que otros, pero aun así, el crecimiento seguirá siendo limitado. Cuando el número de líderes alcanza este límite, solo hay dos opciones: detener el crecimiento o crear un sistema de supervision. Si desarrollamos una estructura de entrenamiento sólida, saludable y creciente en la iglesia, no habrá límite para el crecimiento. El pastor solo tendrá que cuidar bien a algunos supervisores y discipularlos bien, ¡lo cual se puede hacer sin un esfuerzo abrumador! Del mismo modo, cada supervisor solo tendrá que discipular a algunos líderes. Y puedes multiplicar esto una y otra vez, literalmente no hay límite. Por lo tanto, la multiplicación exponencial de las células nunca será un proceso caótico.

¿Cómo se obtienen nuevos supervisores? Discipula bien a los líderes de la primera célula y tendrás todos a los supervisores que necesites en el futuro. Levantar nuevos supervisores celulares es solo otro paso en el desafío del pastor para desarrollar seguidores totalmente comprometidos con Jesús. Y de eso se trata la iglesia celular.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

What is good coaching?

By Roberto Bottrel  [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available@amazon.com in English, Portuguese, Spanish and German)]

As a cell network pastor, I was always worried about how the cell leaders were growing in the Lord and how their cells were developing. At first, I would meet directly with the cell leaders. As we grew in number of cells, we had to raise coaches to oversee the growing numbers of cell leaders. When we passed 100 cells, we had to create a new level in the coaching structure. Then, I would oversee coordinators, who would oversee coaches, who would oversee cell leaders. By doing that we grew up to more than 500 cells in a very easy and peaceful way. Jethro, Moses’ father-in-law, really had a great idea!

But the main concern remained – how are the cell leaders doing? After all, they are the ones who pastor the church. So, our coaching structure became an essential element of our discipleship effort. Build great leaders and you will have great cells. I believe it is one of the pillars of a healthy and growing cell church. We need good coaching!

The two main goals of a good coach is to develop the leader – intimacy with God, spiritual maturity, relationships with friends and family, character and leadership abilities – and to develop the cell – vision, setting goals, guaranteeing health, growth in numbers and in quality, solving conflicts. Both objectives, when well worked on, will lead to multiplication.

If the focus is only on the development of the leader, you might get great Christians, well fed, with all the aspects in their lives in the right place. But you won’t get multiplication. No growth in the cells. We go back to the maintenance mode. Only developing the Christians, once again. We are always running away from that, but it seems like those movies where the bad guy never dies, no matter how hard you try. I have been there.

On the other hand, if the focus is only on the development of the cells, the leaders will feel as they are being used by a lifeless system. It is always about people, but other only people. He is not important. Just a piece in the machine. Nobody really cares what is happening in his life as long as his cells growing. You may get some cells multiplying, but it won’t last long. People will eventually dry out and the whole thing will collapse. I have also been there.

Thank God he has given us the wisdom to learn from our own mistakes (as well as from other peoples’ mistakes) which has allowed us to live the big dream so many times, over and over again: to see good coaches discipling their cell leaders in a loving atmosphere, giving the right inputs needed for them to grow spiritually and fulfill the Lord’s calling for their lives as disciple-makers, while developing the cells in quality and quantity. The result is multiplication. Healthy multiplication, by the way.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O que é mesmo uma boa Supervisão?

Roberto Bottrell

Por Roberto Bottrel [servindo igrejas europeias, desafiando-as a serem fazedoras de discípulos através de células que multiplicam (centraldna.org). Autor do livro Multiplicação, o desafio do cristão, do líder e da Igreja (disponível na loja central.online em Português e @amazon.com em Inglês, Espanhol e Alemão]

Em meu ministério, servindo como Pastor de Rede em uma Igreja em Células, eu sempre me preocupei com o crescimento dos líderes de células em sua vida pessoal com o Senhor e também com o desenvolvimento de suas células. No início eu me encontrava pessoalmente com os líderes de células. À medida que crescemos em número de células, nós tivemos que preparar Supervisores para cuidar deste número crescente de líderes de células. Quando passamos de 100 células, foi preciso criar um novo nível na estrutura de supervisão. A partir daquele ponto, eu ministrava e assumia a responsabilidade pelos Coordenadores, que por sua vez se responsabilizavam pelo cuidado dos Supervisores, que por fim tomavam para si a responsabilidade de cuidar dos líderes das células. Através desta estratégia, crescemos para mais de 500 células de uma forma simples e em paz. O conselho de Jetro, sogro de Moisés, realmente foi excelente!

Mas a principal preocupação continuava lá. Como estão os líderes de células? Afinal de contas, são eles que estão efetivamente pastoreando a Igreja. Desta forma, nossa estrutura de supervisão veio a se tornar um elemento essencial em nosso esforço de discipulado. Forme grandes líderes e você terá células maravilhosas. Eu creio que este é um dos pilares de uma igreja em células saudável e em crescimento. Nós precisamos de bons supervisores!

Os dois objetivos principais de um bom supervisor são: desenvolver o líder – intimidade com Deus, maturidade espiritual, relacionamentos com amigos e família, caráter e habilidades de liderança; e desenvolver a célula – visão, objetivos, crescimento saudável, crescimento em número e em qualidade, resolução de conflitos. Ambos objetivos, quando trabalhados adequadamente, resultarão em multiplicação.

Se o foco estiver somente no desenvolvimento do líder, você pode até formar excelente Cristãos, bem alimentados, com todos os aspectos de suas vidas bem resolvidos. Mas você não terá multiplicação. Não terá crescimento nas células. Nós estaremos voltando à igreja de manutenção, mais uma vez apenas desenvolvendo os cristãos. Apesar de estar sempre tentando fugir desta condição, parece que estamos naqueles filmes onde o bandido nunca morre, não importa o que se faça. Eu já estive lá.

Por outro lado, se o foco estiver somente no desenvolvimento das células, os líderes se sentirão usados por um sistema sem vida. Tudo é sobre pessoas, mas somente para outras pessoas. Eles não se sentirão valorizados, terão a sensação clara de serem peças de uma engrenagem. Ninguém realmente se importa com o que está acontecendo em sua vida, contanto que sua célula esteja crescendo. Nesta estratégia, você pode até ter a multiplicação de algumas células, mas isso não se prolongará por muito tempo. Mais cedo ou mais tarde as pessoas se secarão e tudo vai desmoronar. Eu também já estive lá.

Graças a Deus, Ele tem nos dado a sabedoria de aprender com nossos erros (assim com os erros de outras pessoas) e isso permitiu vivermos o grande sonho várias vezes: poder ver bons supervisores discipularem líderes de células em uma atmosfera de amor, ministrando o que de fato é necessário para que eles cresçam espiritualmente e atendam ao chamado de Deus de servirem como fazedores de discípulos, ao mesmo tempo em que desenvolvem suas células em qualidade e quantidade. O resultado disso é a multiplicação. À propósito, uma multiplicação saudável.

Spanish blog:

¿Qué es una buena supervisión?

Por Roberto Bottrel [sirviendo a las iglesias europeas, desafiándolas a hacer discípulos a través de células que se multiplican (centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada Líder y la Iglesia (disponible en @amazon.com en inglés, portugués, español y alemán)]

Como pastor de la red celular, siempre me preocupaba cómo crecían los líderes celulares en el Señor y cómo se desarrollaban sus células. Al principio me reuniría directamente con los líderes celulares. A medida que crecíamos en el número de células, tuvimos que levantar hermanos para supervisar el creciente número de líderes celulares. Cuando pasamos las 100 células, tuvimos que crear un nuevo nivel en la estructura de supervision. Luego, supervisaría a los coordinadores, quienes supervisarian a los supervisores, quienes supervisarían a los líderes celulares. Al hacerlo, crecimos hasta más de 500 células de una manera muy fácil y pacífica. Jetro, el suegro de Moisés, ¡realmente tuvo una gran idea!

Pero la principal preocupación permaneció: ¿cómo están los líderes celulares? Después de todo, ellos son los que pastorean la iglesia. Entonces nuestra estructura de entrenamiento se convirtió en un elemento esencial de nuestro esfuerzo de discipulado. Construye grandes líderes y tendrás grandes células. Creo que es uno de los pilares de una iglesia celular saludable y en crecimiento. ¡Necesitamos una buena supervision!

Los dos objetivos principales de un buen supervisor es desarrollar al líder: intimidad con Dios – – madurez espiritual, relaciones con amigos y familiares, habilidades de carácter y liderazgo. Y desarrollar la visión celular – – establecer metas, garantizar la salud, el crecimiento en números y en calidad, resolviendo conflictos. Ambos objetivos, cuando están bien trabajados, conducirán a la multiplicación.

Si la atención se centra únicamente en el desarrollo del líder, puedes obtener grandes cristianos, bien alimentados, con todos los aspectos de sus vidas en el lugar correcto. Pero no obtendrás multiplicación, no hay crecimiento en las células. Volvemos al modo de mantenimiento. Solo desarrollando a los cristianos, una vez más. Siempre estamos huyendo de eso, pero parece ser que estamos en esas películas en las que el malo nunca muere, no importa cuánto lo intentes. He estado ahí.

Por otro lado, si la atención se centra únicamente en el desarrollo de las células, los líderes sentirán que están siendo utilizados por un sistema sin vida. Siempre se trata de personas, pero de otras personas. El líder no es importante, solo una pieza en la máquina. A nadie le importa realmente lo que está sucediendo en su vida mientras sus células crezcan. Es posible que algunas células se multipliquen, pero no durará mucho. La gente eventualmente se secará y todo colapsará. Yo también he estado allí.

Gracias a Dios, nos ha dado la sabiduría para aprender de nuestros propios errores (así como de los errores de otras personas), lo que nos ha permitido vivir el gran sueño muchas veces, una y otra vez: ver buenos supervisores discipulando a sus líderes celulares. en una atmósfera amorosa, brindando los insumos necesarios para que crezcan espiritualmente y cumplan con el llamado del Señor para sus vidas como discípulos. Mientras desarrollan las células en calidad y cantidad. El resultado es la multiplicación. Multiplicación saludable, por cierto.