Everyone is Different!

By Gerardo Campos, district pastor at Elim Church, www.elim.org.sv

Paul says, “ Even so the body is not made up of one part but of many. 15 Now if the foot should say, “Because I am not a hand, I do not belong to the body,” it would not for that reason stop being part of the body. 16 And if the ear should say, “Because I am not an eye, I do not belong to the body,” it would not for that reason stop being part of the body. 17 If the whole body were an eye, where would the sense of hearing be? If the whole body were an ear, where would the sense of smell be? 18 But in fact God has placed the parts in the body, every one of them, just as he wanted them to be. 19 If they were all one part, where would the body be? 20 As it is, there are many parts, but one body.21 The eye cannot say to the hand, “I don’t need you!” And the head cannot say to the feet, “I don’t need you!” 22 On the contrary, those parts of the body that seem to be weaker are indispensable.” 1 Corinthians 12: 14-22

In this analogy of the body I am fascinated to know that God has uniquely placed each believer in his body, the church. I highlight two things:

1- We should not marginalize ourselves for not being like others: «Since I am not an eye, I am not part of the body».

2 – We must not marginalize anyone else for being different from us: “The eye cannot say to the hand:” «I do not need you». Nor can the head say to the feet: «I don’t need you. »”

Integrating people is a challenge that can only be carried out when we value each person as they are.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Todos São Diferentes!

Por Gerardo Campos, pastor de distrito da Igreja Elim, www.elim.org.sv

Paulo diz: “O corpo não é feito de um só membro, mas de muitos. Se o pé disser: ‘Porque não sou mão, não pertenço ao corpo’, nem por isso deixa de fazer parte do corpo. E se o ouvido disser: ‘Porque não sou olho, não pertenço ao corpo’, nem por isso deixa de fazer parte do corpo. Se todo o corpo fosse olho, onde estaria a audição? Se todo o corpo fosse ouvido, onde estaria o olfato? De fato, Deus dispôs cada um dos membros no corpo, segundo a sua vontade. Se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Assim, há muitos membros, mas um só corpo. O olho não pode dizer à mão: ‘Não preciso de você!’ Nem a cabeça pode dizer aos pés: ‘Não preciso de vocês!’ Ao contrário, os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis”  1 Coríntios 12:14-22.

Nesta analogia do corpo, sou fascinado por saber que Deus colocou cada convertido de forma única em Seu corpo, a Igreja. Destaco duas coisas:

1- Não devemos nos marginalizar por não sermos como os outros: «Porque não sou olho, não pertenço ao corpo».

2 – Não devemos marginalizar ninguém por ser diferente de nós: «O olho não pode dizer à mão: ‘Não preciso de você!’ Nem a cabeça pode dizer aos pés: ‘Não preciso de vocês!»

Integrar pessoas é um desafio que só pode ser realizado quando valorizamos cada pessoa como ela é.

Spanish blog:

Valorar para integrar

por Gerardo Campos, pastor del distrito de Igresia Elim, www.elim.org.sv

1 de Corintios 12:14-22

14 “Ahora bien, el cuerpo no consta de un solo miembro, sino de muchos. 15 Si el pie dijera: «Como no soy mano, no soy del cuerpo», no por eso dejaría de ser parte del cuerpo. 16 Y, si la oreja dijera: «Como no soy ojo, no soy del cuerpo», no por eso dejaría de ser parte del cuerpo. 17 Si todo el cuerpo fuera ojo, ¿qué sería del oído? Si todo el cuerpo fuera oído, ¿qué sería del olfato? 18 En realidad, Dios colocó cada miembro del cuerpo como mejor le pareció. 19 Si todos ellos fueran un solo miembro, ¿qué sería del cuerpo? 20 Lo cierto es que hay muchos miembros, pero el cuerpo es uno solo…21 El ojo no puede decirle a la mano: «No te necesito». Ni puede la cabeza decirles a los pies: «No los necesito». 22 Al contrario, los miembros del cuerpo que parecen más débiles son indispensables”

En esta analogía del cuerpo me fascina saber la importancia que Dios da a cada persona en su iglesia. Destaco dos cosas:

  • No debemos marginarnos por no ser como otros:

«Como no soy ojo, no soy del cuerpo».

  • No debemos marginar a nadie por ser distinto a nosotros:

“El ojo no puede decirle a la mano: «No te necesito». Ni puede la cabeza decirles a los pies: «No los necesito».

Integrar a las personas es un desafío que solo se puede llevar a cabo cuando valoramos a cada persona tal cual es.

Make Followers of Jesus

By Pastor Ryan Faust

In my last blog, I mentioned that Jesus used words in the Great Commission to point His disciples to the ways He had worked to disciple them.  In particular the word used for “make disciples” (manthano), points us back to a few other words used in the Gospels and Acts, which convey the idea of “…attachment to someone in discipleship.” (New International Dictionary of New Testament Theology, Vol. 1, p. 486). This is the historical backdrop of the Gospels, the culture within which Jesus and His disciples were raised and this gives us a better understanding of what Jesus meant in His command to make disciples.

A synonym of manthano is akoloutheo, which was used by a rabbi to call a disciple “to follow” in a master-pupil relationship. The word was not used metaphorically and had a “semi-literal sense of ‘going behind’” (NIDNTT, Vol. 1, p. 482).  It is also synonymous with “come after me” (opiso mou) and is the simplest call to discipleship in Matthew 4:19 and Mark 1:17.21 and describes people who who wandered “…about with him.” (NIDNTT, p. 488).  Disciples were expected to give up their old life and take up their new calling, which was not worth it to some (e.g., the rich young man, cf. Mark 10:21-22). But Jesus didn’t run after those who rejected His call only to compromise.  He took His disciples and went on to new listeners receptive to His ministry and message.  

Jesus was not the head of a synagogue, and we have no record of His training, hence Jesus’ authority was questioned (Matthew 21:23).  But His method and message roused the attention of thousands, and because the earliest disciples followed suit (Acts 2:42-47), millions and millions have come to know Christ including you and me.  And we can do the same with His help as a small band (or small group) seeking to emulate what He began.

GODSPEED

Ryan

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Faça Seguidores de Jesus

Pastor Ryan Faust

No meu último blog, mencionei que Jesus usou palavras na Grande Comissão para apontar Seus discípulos para as maneiras com as quais Ele havia trabalhado para discipulá-los. Em particular, a palavra usada para “fazer discípulos” (manthano), nos remete a algumas outras palavras usadas nos Evangelhos e Atos, que transmitem a ideia de “… apego a alguém em discipulado”. (New International Dictionary of New Testament Theology, Vol. 1, p. 486). Este é o pano de fundo histórico dos Evangelhos, a cultura na qual Jesus e Seus discípulos foram criados e isso nos dá uma melhor compreensão do que Jesus quis dizer em Seu mandamento de fazer discípulos.


Um sinônimo de manthano é akoloutheo, que foi usado por um rabino para chamar um discípulo a “seguir” em um relacionamento entre mestre e aluno. A palavra não foi usada metaforicamente e tinha um “senso semi-literal de ir atrás” (NIDNTT, vol. 1, p. 482). Também é sinônimo de “venha atrás de mim” (opiso mou) e é o chamado mais simples ao discipulado em Mateus 4:19 e Marcos 1: 17:21 e descreve as pessoas que caminhavam “… com ele” (NIDNTT, p. 488). Era esperado que os discípulos abandonassem sua antiga vida e assumissem seu novo chamado, o que não valia a pena para alguns (por exemplo, o jovem rico de Marcos 10:21-22). Mas Jesus não correu atrás daqueles que rejeitaram Seu chamado apenas para se comprometer. Ele levou Seus discípulos e foi a novos ouvintes receptivos ao Seu ministério e mensagem.

Jesus não era o chefe de uma sinagoga e não temos o registro de Seu treinamento; portanto, a autoridade de Jesus foi questionada (Mateus 21:23). Mas Seu método e mensagem foram o foco da atenção de milhares e, como os primeiros discípulos seguiram o exemplo (Atos 2:42-47), milhões e milhões de pessoas passaram a conhecer a Cristo, incluindo você e eu. E podemos fazer o mesmo com Sua ajuda em um pequeno grupo (ou célula) procurando reproduzir o que Ele começou.

Fiquem com Deus!

Ryan

Spanish blog:

Hacer seguidores de Jesús

Por el pastor Ryan Faust

En mi último blog, mencioné que Jesús usó palabras en la Gran Comisión para señalar a sus discípulos las formas en que había trabajado para discipularlos. En particular, la palabra usada para “hacer discípulos” (manthano), nos remite a algunas otras palabras usadas en los Evangelios y en Hechos, que transmiten la idea de “… apego a alguien en el discipulado”. (Nuevo Diccionario Internacional de New Testament Theology, Vol. 1, p. 486). Este es el trasfondo histórico de los Evangelios, la cultura dentro de la cual Jesús y sus discípulos fueron criados y esto nos da una mejor comprensión de lo que Jesús quiso decir en su mandato de hacer discípulos.

Un sinónimo de manthano es akoloutheo, que fue utilizado por un rabino para llamar a un discípulo “a seguirle” en una relación maestro-alumno. La palabra no se usó metafóricamente y tenía un “sentido semi-literal de” ir detrás “” (NIDNTT, Vol. 1, p. 482). También es sinónimo de “ven tras de mí” (opiso mou) y es el llamado más simple al discipulado en Mateo 4:19 y Marcos 1: 17.21 y describe a las personas que deambulaban “… con él” (NIDNTT, p 488). Se esperaba que los discípulos abandonaran su antigua vida y retomaran su nuevo llamado, lo que no valía la pena para algunos (por ejemplo, el joven rico, cf. Marcos 10: 21-22). Pero Jesús no corrió tras aquellos que rechazaron Su llamado. Tomó a sus discípulos y llegó a nuevos oyentes receptivos a su ministerio y mensaje.

Jesús no era el líder de una sinagoga, y no tenemos constancia de su entrenamiento, por lo tanto, la autoridad de Jesús fue cuestionada (Mateo 21:23). Pero su método y mensaje despertaron la atención de miles, y debido a que los primeros discípulos hicieron lo mismo (Hechos 2: 42-47), millones y millones han llegado a conocer a Cristo, incluidos tu y yo. Y podemos hacer lo mismo con su ayuda, como una pequeña banda (o grupo pequeño) que busca emular lo que Él inició.

BUENA SUERTE

Ryan

As You Go

By Pastor Ryan Faust

Wayne Grudem said the Great Commission is, “The final commands of Jesus to the disciples…” (Systematic Theology, p. 1243).  After the events of the Passion Week, Jesus appeared to many of His disciples as evidence He was raised from the dead.  He also appeared to give His final instructions concerning evangelism and discipleship.  An example of this is Matthew 28:18-20 (I encourage you to look it up).  

This is the climax and conclusion of Matthew, Jesus is passing the torch to his disciples and He uses certain words to indicate He intended for them to use the same method He has used to disciple them.  Specifically, the word “go” should actually be translated “going” or “as you go” make disciples.  The command is not “go” but rather “make disciples.”  And so the emphasis is similar to Deuteronomy 6:6-7, as you walk along the road or sit at home or rise up, go, or as your are doing these things (as you are going), as you go about your daily lives make disciples.  

In my next blog I will explain how Jesus did this, but for now think of it this way: you don’t need to go overseas to make disciples.  Potential disciples are at your work place, in your schools, at the laundromat, on your sports teams, at the clubs you belong to, on committees or councils your serve, they are your neighbors, they are at your church, and they are in your home.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Enquanto Você Vai

Pastor Ryan Faust

Wayne Grudem disse que a Grande Comissão é: “Os mandamentos finais de Jesus aos discípulos…” ( Systematic Theology/ “Teologia Sistemática”, p. 1243). Após os eventos da Semana da Paixão, Jesus apareceu a muitos de seus discípulos como evidência de que ele havia ressuscitado dos mortos. Ele também apareceu para dar Suas instruções finais sobre evangelismo e discipulado. Um exemplo disso é Mateus 28:18-20 (encorajo você a dar uma olhada).

Este é o clímax e a conclusão do evangelho de Mateus, Jesus está passando a tocha para seus discípulos e Ele usa certas palavras para indicar que pretendia que eles usassem o mesmo método que ele usou para discipulá-los. Especificamente, a palavra “ir” deve ser traduzida como “indo” ou “enquanto você vai” fazer discípulos. O comando não é “ir”, mas sim “fazer discípulos”. E, portanto, a ênfase é semelhante a Deuteronômio 6:6-7: enquanto você caminha pela estrada, ou se senta em casa ou se levanta, vá! Ou enquanto faz essas coisas (enquanto você está indo), ao longo de sua vida diária, faça discípulos.

No meu próximo blog, explicarei como Jesus fez isso, mas, por enquanto, pense assim: você não precisa atravessar o oceano para fazer discípulos. Os discípulos em potencial estão no seu local de trabalho, nas suas escolas, nos seus colegas de esporte, nos clubes aos quais você pertence, nos comitês ou conselhos em que você serve. Eles são seus vizinhos, estão na sua igreja e estão na sua casa.

Spanish blog:

A medida que avanzas

Por el pastor Ryan Faust

Wayne Grudem dijo que la Gran Comisión es: “Los mandamientos finales de Jesús a los discípulos …” (Teología sistemática, p. 1243). Después de los eventos de la Semana de la Pasión, Jesús se apareció a muchos de sus discípulos como evidencia de que resucitó de entre los muertos. También pareció dar sus instrucciones finales sobre evangelismo y discipulado. Un ejemplo de esto es Mateo 28: 18-20 (te animo a que lo busques).

Este es el punto culminante y la conclusión de Mateo, Jesús está pasando la antorcha a sus discípulos y usa ciertas palabras para indicar que pretendía que usaran el mismo método que usó para discipularlos. Específicamente, la palabra “ir” en realidad debería traducirse “yendo” o “a medida que avanzas” haz discípulos. La orden no es “ir”, sino “hacer discípulos”. Por lo tanto, el énfasis es similar a Deuteronomio 6: 6-7, mientras transitas por el camino te sientas en casa o te levantas, te vas o mientras haces esto. cosas (a medida que avanzas), a medida que avanza en tu vida diaria, haz discípulos.

En mi próximo blog explicaré cómo Jesús hizo esto, pero por ahora piensa de esta manera: no necesitas ir al extranjero para hacer discípulos. Los posibles discípulos están en tu lugar de trabajo, en tus escuelas, en la lavandería, en tus equipos deportivos, en los clubes a los que perteneces, en los comités o consejos a los que sirves, son tus vecinos, están en tu iglesia y están en tu hogar.

Go Small To Thrive, Not Just Survive

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

“Then the eleven disciples went to Galilee… When they saw him, they worshiped him; but some doubted. Then Jesus came to them and said, “All authority in heaven and on earth has been given to me. Therefore go and make disciples of all nations, baptizing them in the name of the Father and of the Son and of the Holy Spirit, and teaching them to obey everything I have commanded you. And surely I am with you always, to the very end of the age” (Matthew 28:16-20). 

This is “The Great Commission”… not “The Great Option”! To see this fulfilled will mean going to some of the most dangerous places where it is not always easy to have larger church gatherings. Rather, the norm is meeting “underground” in small groups – cells, home to home and one on one.

We may consider persecution a bad thing, but throughout history God has used persecution to grow a thriving church through adversity.

As we know, cells are not just for those countries where persecution abounds. Rather they are for everyone.

Today, the pressure is increasing to be molded by society, not wanting to upset members or offend those outside the walls. Yet a compromising church becomes like the world instead of setting itself apart as a place where the lost can find Truth. It becomes a place of irrelevance, where no one can go for help or transformation, as the church simply fits in, accepts and condones lifestyles outside of the Biblical path that it sets out for us.

We must surround ourselves with those who will help hold us accountable, and who stand with us, like Daniel who stood firm with his friends. The best cell groups are places where we can meet for growth, accountability, and discipleship. In this safe place we can seek truth and challenge each other’s perspectives, keep our focus sharp, and not become blurred by the society around us.

Cells are biblical and help us prepare for the end time. As the years roll on we will see an increase in “nations shaking.” For the church to function as the Bride preparing for the Bridegroom, cells will be key, no matter where you are, or what your circumstances, they will only increase in their relevance and important.

We started with, “Therefore go and make disciples of all nations, baptizing them in the name of the Father and of the Son and of the Holy Spirit, and teaching them to obey everything I have commanded you.” Multiplying, life giving, disciple making cells, whether underground, in prison or the local coffee shop can enable us to complete this command until every country and people under any circumstances cry, “Come Lord Jesus”!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Viva um pequeno grupo para prosperar, não apenas para sobreviver

Por Andrew Kirk, diretor do movimento Generation 2 Generation , site – www.G2gMandate.org, mídias sociais – @G2gMandate

“Os onze discípulos foram para a Galileia, para o monte que Jesus lhes indicara. Quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu ordenei a vocês. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28:16-20).

Esta é a “Grande Comissão”… e não a “Grande Opção”! Ver isso cumprido significa ir a alguns dos lugares mais perigosos onde nem sempre é fácil ter reuniões maiores na igreja. Em vez disso, a norma é se encontrar “clandestinamente” em pequenos grupos – nas células, de casa em casa e um a um.

Podemos considerar a perseguição uma coisa ruim, mas ao longo da história Deus usou a perseguição para fazer crescer uma igreja próspera através da adversidade.

Como sabemos, as células não são apenas para os países onde a perseguição é abundante. Pelo contrário, são para todos.

Hoje, a pressão está aumentando para que a célula seja moldada pela sociedade, a fim de não incomodar os membros ou ofender os que estão fora dos muros. No entanto, uma igreja que se compromete se torna como o mundo, em vez de se destacar como um lugar onde os perdidos podem encontrar a Verdade. A igreja torna-se um lugar de irrelevância, onde ninguém pode buscar ajuda ou transformação, pois ela simplesmente se encaixa, aceita e tolera estilos de vida fora do caminho bíblico proposto a nós.

Devemos nos cercar daqueles que ajudarão a nos responsabilizar e que permanecerão conosco, como Daniel, que se manteve firme com seus amigos. As melhores células são locais onde podemos encontrar crescimento, responsabilidade e discipulado. Nesse lugar seguro, podemos buscar a verdade e desafiar a perspectiva uns dos outros, manter nosso foco nítido e não deixá-lo ficar turvo pela sociedade ao nosso redor.

As células são bíblicas e nos ajudam a preparar os tempos do fim. Com o passar dos anos, veremos um aumento de “nações tremendo”. Para que a igreja funcione como a Noiva se preparando para o Noivo, as células serão essenciais, não importa onde você esteja ou quais sejam as suas circunstâncias, elas crescerão em sua relevância e importância.

Começamos com: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu ordenei a vocês”. Células que multiplicam, dão vida e geram discípulos, seja no subterrâneo, na prisão ou na cafeteria local, podem nos permitir concluir esse comando até que todos os países e pessoas, em qualquer circunstância, gritem: “Ora vem, Senhor Jesus”!

Spanish blog: 

Vaya a lo pequeño para prosperar, no solo para sobrevivir

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

“Pero los once discípulos se fueron a Galilea, al monte donde Jesús les había ordenado. Y cuando le vieron, le adoraron; pero algunos dudaban. Y Jesús se acercó y les habló diciendo: Toda potestad me es dada en el cielo y en la tierra. Por tanto, id, y haced discípulos a todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre, y del Hijo, y del Espíritu Santo; enseñándoles que guarden todas las cosas que os he mandado; y he aquí yo estoy con vosotros todos los días, hasta el fin del mundo. Amén ”(Mateo 28: 16-20).

Esta es “La Gran Comisión” … ¡no “La Gran Opción”! Ver esto cumplido significará ir a algunos de los lugares más peligrosos donde no siempre es fácil tener reuniones de iglesias más grandes. Más bien, la norma es reunirse “bajo tierra” en pequeños grupos: células, hogar a hogar y uno a uno.

Podemos considerar la persecución como algo malo, pero a lo largo de la historia Dios ha usado la persecución para hacer crecer una iglesia próspera a través de la adversidad.

Como sabemos, las células no son solo para aquellos países donde abunda la persecución. Más bien son para todos.

Hoy en día, la presión aumenta para ser moldeados por la sociedad, no queriendo molestar a los miembros u ofender a los que están fuera de los muros. Sin embargo, una iglesia se compromete, y se vuelve como el mundo en lugar de separarse como un lugar donde los perdidos pueden encontrar la Verdad. Se convierte en un lugar de irrelevancia, donde nadie puede buscar ayuda o transformación, ya que la iglesia simplemente encaja, acepta y condona los estilos de vida fuera del camino bíblico que nos propone.

Debemos rodearnos de aquellos que nos ayudarán a responsabilizarnos y que estarán con nosotros, como Daniel, que se mantuvo firme con sus amigos. Los mejores grupos celulares son lugares donde podemos encontrarnos para crecer, rendir cuentas y discipular. En este lugar seguro podemos buscar la verdad y desafiar las perspectivas de los demás, mantener nuestro enfoque preciso y no ser engañados por la sociedad que nos rodea.

Las células son bíblicas y nos ayudan a prepararnos para el tiempo del fin. A medida que pasen los años, veremos un aumento en las “naciones temblando”. Para que la iglesia funcione como la Novia que se prepara para el Novio, las células serán clave, sin importar dónde se encuentre o cuáles sean sus circunstancias, solo aumentarán en Su relevancia e importancia.

Comenzamos con: “Por lo tanto, ve y haz discípulos de todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre y del Hijo y del Espíritu Santo, y enseñándoles a obedecer todo lo que te he mandado”. Multiplicar, dar vida, células que hacen discípulos, ya sea bajo tierra, en prisión o en la cafetería local, puede permitirnos completar este mandamiento hasta que cada país y persona, bajo cualquier circunstancia, grite: “¡Ven, Señor Jesús”!

The “with Him” Principle

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

The biblical ministry principle that has guided me more than any other is this: “There is no discipleship without relationship.”

Jesus’ command was to go make disciples. He did not say to go build a church (he said he would take care of that himself.) He didn’t instruct us to go rally a crowd, or take an offering, or even make converts. He commissioned us to make disciples.

Jesus also gave us the example of how to make world-changing disciples. Mark 3:14  “He appointed twelve that they might be with him and that he might send them out to preach.”

Jesus’ disciples spent time with him, traveled with him, and did life together with him. Jesus spent time with a few people so that they could get to know him. They got a close-up view as he preached and healed so that they could learn to do the same things.

When Jesus made disciples, he didn’t say, “Read my books.” (He didn’t write any.) He didn’t say, “Attend my meetings.” Jesus said, “Follow me.” Being with him was the curriculum.

As a pastor, I preach and teach. But I also know that I cannot fully disciple people from the front of the room. I can’t disciple hundreds of people at the same time. I need to invite a few people into my life and let them see how I (imperfectly) follow Jesus. Then they can do the same thing.

To put this “with him” ministry principle into practice as a church, it invariably leads to a cell-based ministry. A church with holistic small groups creates the perfect environment to disciple-making to flourish.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do Google. Assim que a tradução normal for recebida, ela será publicada no site do JCG

O princípio “com ele”

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

O princípio do ministério bíblico que me guiou mais do que qualquer outro é o seguinte: “Não há discipulado sem relacionamento”.

A ordem de Jesus era ir fazer discípulos. Ele não disse para ir construir uma igreja (ele disse que cuidaria disso.) Ele não nos instruiu a reunir uma multidão, fazer uma oferta ou até fazer conversos. Ele nos encomendou a fazer discípulos.
 
Jesus também nos deu o exemplo de como fazer discípulos que mudam o mundo. Marcos 3:14 “Ele designou doze para que eles estivessem com ele e que ele os enviasse para pregar.”
 
Os discípulos de Jesus passaram um tempo com ele, viajaram com ele e viveram juntos com ele. Jesus passou um tempo com algumas pessoas para que pudessem conhecê-lo. Eles tiveram uma visão de perto enquanto ele pregava e curava para que pudessem aprender a fazer as mesmas coisas.

Quando Jesus fez discípulos, ele não disse: “Leia meus livros.” (Ele não escreveu nenhum.) Ele não disse: “Participe de minhas reuniões.” Jesus disse: “Siga-me.” Estar com ele era o currículo.

Como pastor, eu prego e ensino. Mas também sei que não posso discipular completamente as pessoas da frente da sala. Não consigo discipular centenas de pessoas ao mesmo tempo. Preciso convidar algumas pessoas para minha vida e deixá-las ver como eu (imperfeitamente) sigo a Jesus. Então eles podem fazer a mesma coisa.

Colocar esse princípio de ministério “com ele” em prática como igreja, invariavelmente leva a um ministério baseado em células. Uma igreja com pequenos grupos holísticos cria o ambiente perfeito para fazer discípulos florescer.

 Spanish blog:

Vaya a lo pequeño para prosperar, no solo para sobrevivir

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

“Pero los once discípulos se fueron a Galilea, al monte donde Jesús les había ordenado. Y cuando le vieron, le adoraron; pero algunos dudaban. Y Jesús se acercó y les habló diciendo: Toda potestad me es dada en el cielo y en la tierra. Por tanto, id, y haced discípulos a todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre, y del Hijo, y del Espíritu Santo; enseñándoles que guarden todas las cosas que os he mandado; y he aquí yo estoy con vosotros todos los días, hasta el fin del mundo. Amén ”(Mateo 28: 16-20).

Esta es “La Gran Comisión” … ¡no “La Gran Opción”! Ver esto cumplido significará ir a algunos de los lugares más peligrosos donde no siempre es fácil tener reuniones de iglesias más grandes. Más bien, la norma es reunirse “bajo tierra” en pequeños grupos: células, hogar a hogar y uno a uno.

Podemos considerar la persecución como algo malo, pero a lo largo de la historia Dios ha usado la persecución para hacer crecer una iglesia próspera a través de la adversidad.

Como sabemos, las células no son solo para aquellos países donde abunda la persecución. Más bien son para todos.

Hoy en día, la presión aumenta para ser moldeados por la sociedad, no queriendo molestar a los miembros u ofender a los que están fuera de los muros. Sin embargo, una iglesia se compromete, y se vuelve como el mundo en lugar de separarse como un lugar donde los perdidos pueden encontrar la Verdad. Se convierte en un lugar de irrelevancia, donde nadie puede buscar ayuda o transformación, ya que la iglesia simplemente encaja, acepta y condona los estilos de vida fuera del camino bíblico que nos propone.

Debemos rodearnos de aquellos que nos ayudarán a responsabilizarnos y que estarán con nosotros, como Daniel, que se mantuvo firme con sus amigos. Los mejores grupos celulares son lugares donde podemos encontrarnos para crecer, rendir cuentas y discipular. En este lugar seguro podemos buscar la verdad y desafiar las perspectivas de los demás, mantener nuestro enfoque preciso y no ser engañados por la sociedad que nos rodea.

Las células son bíblicas y nos ayudan a prepararnos para el tiempo del fin. A medida que pasen los años, veremos un aumento en las “naciones temblando”. Para que la iglesia funcione como la Novia que se prepara para el Novio, las células serán clave, sin importar dónde se encuentre o cuáles sean sus circunstancias, solo aumentarán en Su relevancia e importancia.

Comenzamos con: “Por lo tanto, ve y haz discípulos de todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre y del Hijo y del Espíritu Santo, y enseñándoles a obedecer todo lo que te he mandado”. Multiplicar, dar vida, células que hacen discípulos, ya sea bajo tierra, en prisión o en la cafetería local, puede permitirnos completar este mandamiento hasta que cada país y persona, bajo cualquier circunstancia, grite: “¡Ven, Señor Jesús”!