Cell Phones Are Everywhere

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

I love to walk up to an older person that is texting and comment about “these kids and their phones.” We need to work on our etiquette with cell phones. How many times have you been in a meeting or a conversation and someone “rudely” answers their cell just because it rang? Or how often does someone get caught in a text message when they are talking with you. Who says that we have to answer the phone just because it rings? What gives the phone so much power and importance that we actually interrupt a conversation or a meeting to talk to a small electronic box?

My cell phone just beeped. I wonder if I should see what that sound was for?

While the phone interruptions bother me, I have one call that I always take. If my wife calls me, I answer the phone if I can. Since I work as a volunteer chaplain with the local Fire Department and pastor of a church, there are a very few moments when I am in the middle of such a serious crisis that I cannot answer. Even with the terrible situations I can be in, I usually can respond to my wife.

Years ago, I made a commitment to her. I told her that my first commitment is to Christ; my second commitment to her and our family; and my third commitment is to the church. To prove that commitment, I told her that I would always answer her calls if I could. I have instructed secretaries to interrupt me if my wife calls. Even in counseling sessions, if Debbie calls, I will say, “There is one call I always take. Please give me a moment to talk to my Bride.” I will usually show them the phone that has her picture identifying the caller.

How does this relate to sustaining an effective long-term ministry? How can I serve the church well if I don’t take care of my most important relationships? Staying close to the Lord and close to my wife has protected me in the midst of temptations and the spiritual battles of ministry. We share a common love for the Lord and a love for God’s people. By putting her above the church, I am saying that our relationship matters more than the people we serve. With her confidence that she is the Number One person in my life, she trusts me and is able to support me. In fact, my prayers are strengthened and thus my ministry is richer because of our commitment to one another.

Cell phones are great tools for communication and for ministry. I use my phone to tell my wife that she is important and that I love her. I also use it to connect with people who are hurting and to pray with them. However, I don’t allow my cell to interrupt a personal conversation or meeting unless the call is one I have promised to always take. Oh, and God does not need a cell phone to contact me.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Celulares estão por todo o lado

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Eu adoro andar até uma pessoa mais velha que está digitando e comentar, “essas crianças e seus telefones”. Precisamos trabalhar com nossa etiqueta com telefones celulares. Quantas vezes você esteve em uma reunião ou uma conversa e alguém “grosseiramente” responde seu celular apenas porque tocou? Ou com que frequência alguém é pego em uma mensagem de texto quando está conversando com você? Quem disse que devemos atender o telefone apenas porque tocou? O que dá ao telefone tanto poder e importância que realmente interrompemos uma conversa ou uma reunião para conversar com uma pequena caixa eletrônica?

Meu celular simplesmente tocou um sinal sonoro. Eu me pergunto se eu deveria ver para o que era esse som?

Enquanto as interrupções do telefone me incomodam, eu tenho uma ligação que eu sempre atendo. Se a minha mulher me ligar, eu respondo o telefone se puder. Como trabalho como capelão voluntário com o Departamento de Bombeiros local e como pastor de uma igreja, há poucos momentos em que estou no meio de uma crise tão grave que não posso responder. Mesmo com as terrveis situações em que posso estar, geralmente posso responder a minha esposa.

Anos atrás, fiz um compromisso com ela. Eu disse a ela que meu primeiro compromisso é para com Cristo; meu segundo compromisso é para com ela e nossa famlia; e meu terceiro compromisso é com a igreja. Para provar esse compromisso, eu disse a ela que sempre responderia a suas chamadas se pudesse. Eu ordenei aos secretários que me interrompessem se minha esposa chamasse. Mesmo em sessões de aconselhamento, se Debbie ligar, eu digo: “Há uma chamada que eu sempre atendo. Por favor, dê-me um momento para conversar com a minha noiva”. Geralmente, mostrarei-lhes o celular, que tem sua foto identificando quem está chamando.

Como isso se relaciona com a manutenção de um ministério eficaz a longo prazo? Como posso servir bem a igreja se eu não cuidar dos meus relacionamentos mais importantes? Permanecer perto do Senhor e perto da minha esposa me protegeu no meio das tentações e das batalhas espirituais do ministério. Compartilhamos um amor comum pelo Senhor e um amor pelo povo de Deus. Ao colocá-la acima da igreja, estou dizendo que nosso relacionamento importa mais do que as pessoas que servimos. Com sua confiança de que ela é a pessoa número um na minha vida, ela confia em mim e é capaz de me apoiar. Na verdade, minhas orações são fortalecidas e, portanto, meu ministério é mais rico devido ao nosso compromisso um com o outro.

Os telefones celulares são excelentes ferramentas para comunicação e para o ministério. Eu uso meu telefone para dizer a minha esposa que ela é importante e que eu a amo. Eu também uso isso para conectar-me com pessoas que estão sofrendo e orar com eles. No entanto, não permito que meu celular interrompa uma conversa ou reunião pessoal, a menos que a chamada seja uma promessa de sempre atender. Ah, e Deus não precisa de um telefone celular para entrar em contato comigo.

Spanish blog:

Los celulares están en todas partes

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Me encanta encontrarme con una persona mayor que está enviando mensajes de texto y comentando sobre “estos niños y sus teléfonos”. Necesitamos trabajar en nuestra educación con los celulares. ¿Cuántas veces has estado en una reunión o una conversación y alguien “groseramente” responde a su celular sólo porque sonó? O con qué frecuencia alguien es sorprendido enviando un mensaje de texto mientras habla con contigo. ¿Quién dice que tenemos que contestar el teléfono sólo porque suena? ¿Qué le da al teléfono tanto poder e importancia que realmente interrumpimos una conversación o una reunión para hablar con una pequeña caja electrónica?

Mi celular acaba de sonar. Me pregunto si debera ver por qué sonó?

Mientras que las interrupciones del teléfono me molestan, tengo una llamada que tomo siempre. Si mi esposa me llama, le contesto si es que puedo. Desde que trabajo como voluntario capellán con el Departamento de Bomberos local y pastor de una iglesia, hay muy pocos momentos en que estoy en medio de una crisis tan grave que no puedo contestar. Incluso con las situaciones terribles en las que puedo estar, normalmente puedo responder a mi esposa.

Hace años, hice un compromiso con ella. Le dije que mi primer compromiso es con Cristo; Mi segundo compromiso con ella y con nuestra familia; Y mi tercer compromiso es con la iglesia. Para demostrar ese compromiso, le dije que siempre respondera a sus llamadas si pudiera. He ordenado a las secretarias que me interrumpan si mi esposa me llama. Incluso en las sesiones de consejera, si Debbie llama, voy a decir, “Hay una llamada que siempre tomo. Por favor dame un momento para hablar con mi novia. “Normalmente les muestro el teléfono que tiene su foto identificando que ella llama.

¿Cómo se relaciona esto con mantener un ministerio eficaz a largo plazo? ¿Cómo puedo servir bien a la iglesia si no cuido mis relaciones más importantes? Permanecer cerca del Señor y cerca de mi esposa me ha protegido en medio de las tentaciones y las batallas espirituales del ministerio. Compartimos un amor común por el Señor y un amor por el pueblo de Dios. Al ponerla por encima de la iglesia, estoy diciendo que nuestra relación importa más que la gente a la que servimos. Con la seguridad de que ella es la persona número uno en mi vida, ella confa en m y es capaz de apoyarme, mis oraciones son fortalecidas y, por lo tanto, mi ministerio es más abundante gracias a nuestro compromiso mutuo.

Los celulares son excelentes herramientas para la comunicación y para el ministerio. Yo uso mi celular para decirle a mi esposa que ella es importante y que la amo. También lo uso para conectarme con personas que están sufriendo y para orar con ellos. Sin embargo, no permito que mi celular interrumpa una conversación o reunión personal a menos que la llamada sea una que he prometido tomar siempre. Oh, y Dios no necesita un celular para ponerse en contacto conmigo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.