What works?

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org 

“It won’t work here.”

That’s what I have heard when I talked about cell-based ministry philosophy with people in the United States, Canada and Europe.

There are many fast-growing, very large cell-based churches in Latin America, South America, Africa and Asia. There are not many similar examples in North America or Europe. So, many Americans conclude, “It won’t work here.”

It is true that cell-based ministry is more difficult in a highly individualistic and materialistic culture like North America. Cell ministry runs on relationship (and the Holy Spirit!), and the Global North does not value those as highly as other parts of the world.

What does it meant to “work”? If we mean that in America we can’t attract a large crowd very easily using cell ministry, that may be true. But is a crowd really our goal? Our mission is not to attract a large crowd, our commission is to make disciples, teaching them to obey all that Jesus taught. We cannot do that without relationship, and without relationship there is no discipleship. We cannot be in significant relationship with a large crowd. It takes a few people gathering, practicing the “one-anothers” of the New Testament.

When Jesus wanted to change the world, he started a small group. It worked. The principles have never changed.

Today, many leaders in the U.S. are realizing that focusing on the large weekend crowd has not “worked.” We have not penetrated society. They are now prioritizing discipleship. They are also recognizing that healthy small groups are essential to the process.

I like a large crowd as much as anyone, but that should not be confused with making disciples. And for that, nothing “works” better than small groups.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O que funciona?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“Não vai funcionar aqui”.

Foi o que ouvi quando falei sobre a filosofia do ministério baseado em células com pessoas nos Estados Unidos, no Canadá e na Europa.

Existem muitas igrejas baseadas em células muito grandes e de crescimento rápido na América Latina, América do Sul, África e Ásia. Não há muitos exemplos semelhantes na América do Norte ou na Europa. Então, muitos americanos concluem: “Não vai funcionar aqui”.

É verdade que o ministério celular é mais difícil em uma cultura altamente individualista e materialista como a da América do Norte. Ele é baseado no relacionamento (e no Espírito Santo!), e o Norte Global não valoriza esses componentes tanto quanto outras partes do mundo.

O que significa “funcionar”? Se queremos dizer que na América não podemos atrair uma grande multidão com muita facilidade usando o ministério celular, isso pode ser verdade. Mas a multidão é realmente o nosso objetivo? Nossa missão não é atrair uma grande multidão; nossa comissão é fazer discípulos, ensinando-os a obedecer tudo o que Jesus ensinou. Não podemos fazer isso sem relacionamento e sem relacionamento não há discipulado. Nós não podemos estar em relacionamento significativo com uma grande multidão. O relacionamento acontece quando poucas pessoas se reúnem, praticando os “uns aos outros” do Novo Testamento.

Quando Jesus quis mudar o mundo, ele iniciou um pequeno grupo. E funcionou. Esses princípios nunca mudaram.

Hoje, muitos líderes nos EUA estão percebendo que o foco na grande multidão de fim de semana não “funcionou”. Não penetramos na sociedade. Eles agora estão priorizando o discipulado. Eles também estão reconhecendo que pequenos grupos saudáveis ​​são essenciais para o processo.

Eu gosto de uma grande multidão tanto quanto qualquer pessoa, mas isso não deve ser confundido com fazer discípulos. E para isso, nada “funciona” melhor que pequenos grupos.

Spanish blog:

¿Que funciona?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“No funcionará aquí”.

Eso es lo que escuché cuando hablé sobre la filosofía del ministerio celular con personas de los Estados Unidos, Canadá y Europa.

Hay muchas iglesias basadas en células muy grandes y de rápido crecimiento en América Latina, América del Sur, África y Asia. No hay muchos ejemplos similares en América del Norte o Europa. Entonces, muchos estadounidenses concluyen: “No funcionará aquí”.

Es cierto que el ministerio celular es más difícil en una cultura altamente individualista y materialista como la de América del Norte. El ministerio celular se basa en las relaciones (¡y en el Espíritu Santo!), Y el Norte Global no valora a esos como en otras partes del mundo.

¿Qué significa “funcionar”? Si queremos decir que en los Estados Unidos no podemos atraer a una gran cantidad de personas fácilmente usando el ministerio celular, eso puede ser cierto. ¿Pero es una multitud realmente nuestra meta? Nuestra misión no es atraer a una gran multitud, nuestra comisión es hacer discípulos, enseñándoles a obedecer todo lo que Jesús enseñó. No podemos hacer eso sin relaciones, y sin relaciones no hay discipulado. No podemos estar en una relación significativa con una gran multitud. Se necesitan algunas personas que se reúnen, practicando el mensaje del “uno al otro” del Nuevo Testamento.

Cuando Jesús quiso cambiar el mundo, comenzó un pequeño grupo celular. Y funcionó. Los principios nunca han cambiado.

Hoy en día, muchos líderes en los Estados Unidos se están dando cuenta de que centrarse en la gran multitud de los fines de semana no ha “funcionado”; no hemos penetrado en la sociedad. Ahora están priorizando el discipulado y también están reconociendo que los grupos celulares saludables son esenciales para el proceso.

Me gusta tener una gran multitud tanto como a cualquiera, pero eso no debe confundirse con hacer discípulos. Y para eso, nada “funciona” mejor que los grupos celulares.

Leave a Reply

Your email address will not be published.