Give It Away

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Cell-based ministry can be brutal on a pastor’s ego — and that is a good thing!

As pastors, our highest priority is the development and health of the church, not self-promotion. However, if we are honest, there might be times we enjoy being needed by people. It is gratifying to pray for a troubled person and see the Lord bring peace and direction. It is thrilling to lead an unbeliever to faith in Jesus. However, Ephesians 4:11 tells us that our job is to equip the saints to do those things.

As Dave Ferguson writes, we are not to be the hero, we are to be the hero-maker. (We can still personally win the lost and comfort the members, but we do that as Christians, not as pastors.)

Cell pastors are hero-makers. We equip leaders to disciple others and then put the ministry in their hands. Whatever we do as pastors, we equip others to do. They are capable of doing it if we train them. God has designed his church to work this way. We might miss being at the center of every ministry moment, but we are empowering the body to do more than we could ever do on our own. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Dê tudo

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Ministério baseado em célula pode ser bruto no ego do pastor – e isso é uma coisa boa!

Como pastores, nossa maior prioridade é desenvolvimento e saúde da igreja, não a auto promoção. Entretanto, se nós formos honestos, poderá haver vezes que nós gostamos de ser necessário às outras pessoas. É gratificante orar por uma pessoa em tribulação e ver o Senhor trazer paz e direção. É empolgante liderar um não crente para a fé em Jesus. Todavia, Efésios 4:11 nos diz que nosso trabalho é treinar os santos para fazer essas coisas.

Conforme Dave Ferguson escreve, nós não somos o herói, nós temos que ser o formador de heróis. (Nós vamos continuar pessoalmente ganhando o perdido e confortando membros, porém nós fazemos isso como cristãos, não como pastores.)

Pastores de células são formadores de heróis. Nós treinamos líderes para discipular outros e então colocamos o ministério em suas mãos. Qualquer coisa que nós façamos como pastores, nós treinamos outros para fazer. Eles são capazes de fazer se nós os treinamos. Deus projetou sua igreja para fazer desse jeito. Nós podemos ter saudades de estar no centro de cada movimento do ministério, porém nós estamos empoderando o corpo para fazer mais do que nós poderíamos fazer por nossa própria conta.

Spanish blog:

Regálalo

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

El ministerio celular puede ser brutal para el ego de un pastor, ¡y eso es algo bueno!

Como pastores, nuestra máxima prioridad es el desarrollo y la salud de la iglesia, no la autopromoción. Sin embargo, si somos honestos, puede haber ocasiones en las que nos guste que la gente nos necesite. Es gratificante orar por una persona atribulada y ver al Señor traer paz y dirección. Es emocionante llevar a un incrédulo a la fe en Jesús. Sin embargo, Efesios 4:11 nos dice que nuestro trabajo es equipar a los santos para hacer esas cosas.

Como escribe Dave Ferguson, no debemos ser el héroe, debemos ser el creador de héroes. (Todavía podemos, de manera personal, alcanzar a los perdidos y consolar a los miembros, pero lo hacemos como cristianos, no como pastores).

Los pastores celulares son hacedores de héroes. Equipamos a los líderes para que discipulen a otros y luego pongan el ministerio en sus manos. Todo lo que hacemos como pastores, luego tenemos que entregarlo a otros para que lo hagan. Los demás son capaces de hacerlo si los entrenamos. Dios ha diseñado su iglesia para que funcione de esta manera. Es posible que extrañemos estar en el centro de cada momento del ministerio, pero estamos capacitando al cuerpo para que haga más de lo que podríamos hacer por nuestra cuenta.

Don’t just preach, develop others

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Jesus is not only our model for living, he is our model for ministry. And we pastors would do well to note that Jesus was not just a preacher.

Jesus called twelve men to follow him for a reason. In Matthew 4:19 Jesus said, “Follow me and I will make you fishers of people.” Jesus called those men to be with him so that they could become fishers of people; in other words, that they would be disciples who make disciples. That is our goal, too.

Many of us pastors believe that our main role in making disciples is to preach the Gospel. And yes, preaching is important; but it is not the only – or even the primary — method Jesus used turned those twelve men into disciple-makers.

Besides preaching, Jesus’ method for making disciples also included:

  • Doing life together on the road: eating together, traveling together, ministering,
  • practicing ministry together, with successes and failures,
  • experiencing God’s miraculous power and presence together,
  • facing opposition and acceptance together,
  • going through frightening situations together (storm on the sea).

Jesus spent less time preaching to the crowds than he did developing his twelve.

To be effective, we pastors need to see ourselves as more than preachers; we are disciple-makers. That means pouring our experience and love into a few others who will do the same thing. It means spending time building systems of equipping others. It means becoming more excited by seeing disciple-makers minister than preaching ourselves. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Não apenas pregue, desenvolva outros

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Jesus não é somente nosso modelo de vida, ele é nosso modelo de ministério. E nós pastores nos daríamos bem ao notar que Jesus não era somente um pregador.

Jesus chamou doze homens para segui-lo por uma razão. Em Mateus 4.19 Jesus disse, “Vinde após mim e eu os farei pescadores de homens.” Jesus chamou aqueles homens para estar com ele para que eles pudessem se tornar pescadores de homens; em outras palavras, que eles se tornassem discípulos que fazem discípulos. Esse também é nosso objetivo.

Muitos de nós pastores acreditam que nosso papel principal é fazer discípulos para pregar o Evangelho. E sim, a pregação é importante; mas esse não é o único – ou mesmo o primário – método que Jesus usou para tornar aqueles doze homens em fazedores de discípulos.

Além da pregação, o método de Jesus para fazer discípulos também incluiu:

  • Viver a vida juntos no caminho: comento juntos, viajando juntos, ministrando,
  • praticando o ministério juntos, com sucessos e fracassos,
  • experimentado juntos o poder e presença miraculosos de Deus,
  • encarando oposição e aceitação juntos,
  • passando por situações amedrontadoras juntos (tempestade no mar).

Jesus gastou menos tempo pregando às multidões do que ele gastou desenvolvendo os seus doze.

Para ser efetivo, nós pastores precisamos ver nós mesmos muito mais do que pregadores; nós somos fazedores de discípulos. Isso quer dizer derramar nossa experiência e amor em alguns poucos que farão a mesma coisa. Isso quer dizer gastar tempo construindo sistemas de treinamento dos outros. Isso quer dizer tornar-se mais empolgado em ver os fazedores de discípulos ministrando do que nós mesmos pregando.

Spanish blog:

No solo prediques, desarrolla a otros

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Jesús no es solo nuestro modelo de vida, es nuestro modelo de ministerio. Y nosotros, pastores, haríamos bien en notar que Jesús no fue solo un predicador.

Jesús llamó a doce hombres para que lo siguieran por una razón. En Mateo 4:19 Jesús dijo: “Síganme y los haré pescadores de personas”. Jesús llamó a esos hombres para que estuvieran con él para que pudieran convertirse en pescadores de personas; en otras palabras, que serían discípulos que hacen discípulos. Ese es también nuestro objetivo.

Muchos de nosotros pastores creemos que nuestro papel principal al hacer discípulos es predicar el Evangelio. Y sí, la predicación es importante; pero no es el único, ni siquiera el principal, método que Jesús usó para convertir a esos doce hombres en hacedores de discípulos.

Además de la predicación, el método de Jesús para hacer discípulos también incluía:

  • Vivir juntos en el camino: comer juntos, viajar juntos, ministrar,
  • practicando el ministerio juntos, con éxitos y fracasos,
  • experimentando juntos el poder y la presencia milagrosa de Dios,
  • enfrentando oposición y aceptación juntos,
  • pasando por situaciones aterradoras juntos (tormenta en el mar).

Jesús pasó menos tiempo predicando a las multitudes que desarrollando a sus doce. 

Para ser eficaces, los pastores debemos vernos a nosotros mismos como algo más que predicadores; somos hacedores de discípulos. Eso significa verter nuestra experiencia y amor en algunos otros que harán lo mismo. Significa dedicar tiempo a construir sistemas para equipar a otros. Significa emocionarnos más al ver ministrar a los hacedores de discípulos que al predicar nosotros. 

Spurred On

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Jay was telling me about a powerful men’s service he’d attended years ago. During the message the preacher said, “If you are involved in a relationship with a woman other than your wife, go make a call right now and break it off.” It was a stirring message, straight from the Bible and delivered with conviction. 

Jay was involved with another woman, but he stayed in his seat. He understood the message. He agreed it was from God. He felt the motivation. But he never made that call, and it resulted in much grief and pain in the years that followed. (Praise God, he is walking closely with the Lord today)

Jay felt more emotion in that service than ever in his life, but he didn’t realize that he walked away from it with a heart more hardened against the Lord than when he walked in because he had fended off the conviction of the Spirit.

Sadly, that type of scene is repeated for millions of church attenders every week (at least pre-Covid) They hear the word of Lord preached but they do not respond. They might like the worship and get a chill from a wonderful song. But by listening and not acting on what they hear, they deceive themselves into thinking they are growing spiritually when they are not. (James 1:22)

Instead of walking out of that stirring worship service, what if Jay had sat down with a few other men who knew and loved him enough to ask, “Jay, do you need to make a call? If so, I’ll stand right next to you as you do.”

That is what can happen in a healthy cell group.

Hebrews 10:24 – And let us consider how we may spur one another on toward love and good deeds

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Incentivado

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Jay estava me falando sobre um culto poderoso de homens que ele participara anos atrás. Durante a mensagem o pregador disse “se você está envolvido em relacionamento que não seja com sua esposa, vá fazer a ligação de fim de relacionamento agora.” Era uma mensagem comovente, direto da Bíblia e entregue com convicção.

Jay estava envolvido com outra mulher, mas ele permaneceu em seu assento. Ele entendeu a mensagem. Ele concordou que era mensagem de Deus. Ele sentiu a motivação. Mas ele nunca fez aquela ligação, e isso resultou em muito mais tristeza e dor nos anos seguintes. (Louvado seja Deus, hoje ele está andando com o Senhor)

Jay sentiu mais emoção naquele culto do em toda sua vida, mas ele não percebeu que ele saiu do culto com o coração mais endurecido do que quando entrou na igreja, porque ele havia se desviado da convicção do Espírito.

Infelizmente, esse tipo de cena é repetido em milhares de frequentadores de igreja toda semana (ao menos pré-Covid). Eles ouvem a mensagem pregada, mas eles não respondem. Eles podem até gostar do louvor e sentir um arrepio de uma música maravilhosa. Porém, ao ouvir e não agir ao que eles ouviram, eles enganam a si mesmos em acharem que estão crescendo espiritualmente quando eles não estão. (Tiago 1:22)

Ao invés de sair daquele comovente culto de louvor, e se o Jay tivesse sentado com alguns outros homens que o conhecesse e o amasse o suficiente para perguntar “Jay, você precisa fazer a ligação? Se sim, eu ficarei ao seu lado enquanto você liga.”

É isso que pode acontecer em um grupo de célula saudável.

Hebreus 10:24 – E consideremo-nos uns aos outros para incentivar-nos ao amor e às boas obras.

Spanish blog:

Animarse 

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Jay me estaba contando sobre un culto de hombres poderosos al que había asistido hace años. Durante el mensaje, el predicador dijo: “Si estás involucrado en una relación con una mujer que no sea tu esposa, haz una llamada ahora mismo y termina esa relación”. Fue un mensaje conmovedor, directamente de la Biblia y entregado con convicción.

Jay estaba involucrado con otra mujer, pero se quedó en su asiento. Entendió el mensaje. Estuvo de acuerdo en que era de Dios, sintió la motivación. Pero nunca hizo esa llamada, y resultó en mucha pena y dolor en los años siguientes. (Alabado sea Dios, hoy camina de cerca con el Señor)

Jay sintió más emoción en ese servicio que nunca en su vida, pero no se dio cuenta de que se alejó de él con un corazón más endurecido contra el Señor que cuando entró porque había rechazado la convicción del Espíritu.

Lamentablemente, ese tipo de escena se repite en millones de asistentes a la iglesia cada semana (al menos antes del Covid). Escuchan la palabra del Señor predicada pero no responden. Puede que les guste la adoración y se relajen con una canción maravillosa. Pero al escuchar y no actuar de acuerdo con lo que escuchan, se engañan a sí mismos pensando que están creciendo espiritualmente cuando no es así. (Santiago 1:22)

En lugar de salir de ese conmovedor servicio de adoración, ¿qué pasaría si Jay se hubiera sentado con algunos otros hombres que lo conocían y lo amaban lo suficiente como para preguntarle: “Jay, necesitas hacer una llamada? Si es así, estaré a tu lado mientras lo haces “.

Eso es lo que puede suceder en un grupo celular sano.

Hebreos 10:24 – Y considerémonos unos a otros para animarnos al amor y a las buenas obras

Family matters

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

In his book, When Church was a Family, Joseph Hellerman points out that Jesus called his followers, “family.” “Who are my mother and my brothers?” Jesus asked. Then he looked at those seated in a circle around him and said, “Here are my mother and my brothers! Whoever does God’s will is my brother and sister and mother” (Mark 3:33-35).

The church is a family of those God has made alive in Christ.

In the New Testament times, families did not look like the nuclear family of 21st century United States. In the group culture of the Middle East, mothers, fathers, siblings, grandparents, cousins, and more all lived close to one another. They were there for support and guidance for all the events of life.

For example, when a woman gave birth, she was not on her own. Her mother and aunts were probably nearby to relieve her when she was tired, to counsel her when the baby wouldn’t stop crying, and so on. That meant she had a lot less stress than the isolated Western mothers of today.

Cell groups are a way to structure around the family of God. It is too easy to remain isolated if the only time we gather is for a large-group worship service or program. When we are part of a group, we can share our lives, not just a row. That makes a huge difference.

Recently our church did a survey of our members to see how they were doing. We saw that members of groups had less anxiety than those who were not. Group members were actively caring for one another, so few felt that they were on their own.

Cell groups are not just a church growth strategy, they are the best structure for living out our calling as the family of God. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Família importa

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Em seu livro, Quando a Igreja era uma Família, (tradução livre), Joseph Hellerman aponta que Jesus chamou seus seguidores, “família.” “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?”, perguntou ele. Então olhou para os que estavam assentados ao seu redor e disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos! Quem faz a vontade de Deus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. (Marcos 3:33-35)

A igreja é uma família daqueles que Deus tem feito vivos em Cristo.

Nos tempo do Novo Testamento, famílias não se pareciam com a família nuclear do século 21 dos Estados Unidos. No grupo cultural do Oriente Médio, mães, pais, irmãos, avós, primos e até mais, todos viviam próximos uns dos outros. Eles estavam lá para dar apoio e direção em todos os eventos da vida.

Por exemplo, quando uma mulher dava a luz, ela não estava por conta própria. A mãe dela e suas tias estavam provavelmente por perto para aliviá-la quando ela estava cansada, para aconselhá-la quando o bebê não parasse de chorar, e por aí vai. Isso quer dizer que ela tinha muito menos estresse que as mães isoladas do Ocidente de hoje.

Grupos de células são um meio de estruturar acerca da família de Deus. É muito fácil se manter isolado se o único tempo que nos juntamos é no culto de adoração do grupo grande ou programas. Quando nós somos parte de um grupo, nós podemos compartilhar nossas vidas, não apenas sentados nas fileiras. Isso faz uma enorme diferença.

Recentemente nossa igreja fez uma pesquisa entre nossos membros para ver como eles estavam indo. Nós percebemos que os membros de grupos tinham menos ansiedade do que aqueles que não estavam em grupos. Membros dos grupos eram ativos no cuidado uns dos outros, então poucos se sentiam como se eles estivessem por conta própria.

Grupos de células não é apenas uma estratégia de crescimento de igreja, eles são a melhor estrutura para viver nosso chamado como a família de Deus.

Spanish blog:

La familia importa 

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

En su libro, Cuando la Iglesia era una familia (When Church was a Family), Joseph Hellerman señala que Jesús llamó a sus seguidores, “familia”. “¿Quiénes son mi madre y mis hermanos?” Jesús preguntó. Luego miró a los que estaban sentados en círculo a su alrededor y dijo: “¡Aquí están mi madre y mis hermanos! Quien hace la voluntad de Dios es mi hermano, mi hermana y mi madre ”(Marcos 3: 33-35).

La iglesia es la familia de aquellos que Dios ha vivificado en Cristo.

En los tiempos del Nuevo Testamento, las familias no se parecían a la familia nuclear de los Estados Unidos del siglo XXI. En la cultura grupal de Medio Oriente, madres, padres, hermanos, abuelos, primos y más vivían cerca el uno del otro. Estaban allí para recibir apoyo y orientación para todos los eventos de la vida.

Por ejemplo, cuando una mujer dio a luz, no estaba sola. Su madre y sus tías probablemente estaban cerca para aliviarla cuando estaba cansada, para aconsejarla cuando el bebé no dejara de llorar, y así sucesivamente. Eso significaba que tenía mucho menos estrés que las madres occidentales aisladas de hoy.

Los grupos celulares son una forma de estructurarse alrededor de la familia de Dios. Es demasiado fácil permanecer aislado si la única vez que nos reunimos es para un servicio o programa de adoración de grupos grandes. Cuando somos parte de un grupo, podemos compartir nuestras vidas, no solo una fila. Eso hace una gran diferencia.

Recientemente nuestra iglesia hizo una encuesta a nuestros miembros para ver cómo les iba. Vimos que los miembros de los grupos celulares tenían menos ansiedad que los que no asistían a uno. Los miembros del grupo se cuidaban activamente unos a otros, por lo que pocos sentían que estaban solos.

Los grupos celulares no son solo una estrategia de crecimiento de la iglesia, son la mejor estructura para vivir nuestro llamado como la familia de Dios.

Getting Practical

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

In our effort to be a “house of prayer,” our church has invited people to pray in a number of different ways, such as:

– 24/7 prayer

            Days after the Covid-19 shutdown began we organized a round-the-clock prayer effort. We created a website that would allow people to sign up for times day or night. We were able to have at least one person praying every hour of every day for several weeks.

            We did the same thing the week before Christmas, interceding for our neighborhood.

– Call in for prayer

On our online worship services we listed a phone number people could call in order to request prayer. Volunteers fielded the calls and prayed for anyone who asked.

– Post-worship prayer

At the end of each worship service we invite anyone with a need to come forward to receive prayer for healing, direction, or any other request they have. Trained teams pray for the people.

– Prayer Room

We designed a special room set a\side for prayer. It is open to the parking lot 24 hours per day 7 days per week, even when the rest of the building is locked.

– Prayer training

            We have offered regular training seminars in praying for healing and prophetic prayer.

– Weeks of prayer and fasting

            Twice per year we have set aside several days for congregational prayer and fasting. We end those seasons with a corporate prayer meeting that celebrates God’s goodness. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Ficando Prático

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Em nossos esforços para sermos uma “casa de oração,” nossa igreja tem convidado as pessoas para orar em grande quantidade de diferentes formas, por exemplo:

– Oração 24/7

            Dias depois que o fechamento por causa da Covid-19 começou nós organizamos um empenho de relógio de oração. Nós criamos um website que permitiria que as pessoas se inscrevessem por horários de dia ou de noite. Nós fomos capazes de ter pelo menos uma pessoa orando em cada hora e todos os dias por várias semanas.

Nós fizemos a mesma coisa na semana anterior ao natal. Intercedendo pela nossa vizinhança.

– Ligação de oração

E nosso culto de adoração online nós listamos um número de telefone que as Pessoas podiam ligar e fazer pedidos de oração. Voluntários atendiam as chamadas e oravam por qualquer um que pedisse.

– Oração pós-adoração

Ao término de cada culto de adoração nós convidamos qualquer um com uma necessidade para vir a frente e receber oração para cura, direção ou qualquer outro pedido que eles tenham. Equipes treinadas oram pelas pessoas.

– Sala de Oração

Nós designamos uma sala especial separada para oração. Ela abre para o estacionamento 24 horas por dia, 7 dias por semana, mesmo quando o resto do prédio está fechado.

– Treinamento de Oração

            Nós temos oferecido seminários de treinamento em oração de cura e oração profética.

– Semana de oração e jejum

            Duas vezes por ano nós temos separados vários dias para oração e jejum congregacional. Nós terminamos essas temporadas com um encontro de oração em grupo que celebra a bondade de Deus

Spanish blog:

Siendo prácticos

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

En nuestro esfuerzo por ser una “casa de oración”, nuestra iglesia ha invitado a las personas a orar de diferentes maneras, tales como:

– Oración 24/7

Días después de que comenzara el confinamiento por el Covid-19, organizamos un esfuerzo de oración las 24 horas. Creamos un sitio web que permitiría a las personas inscribirse en horarios de día o de noche. Pudimos tener al menos una persona orando cada hora de cada día durante varias semanas.

Hicimos lo mismo la semana antes de Navidad, intercediendo por nuestra comunidad. 

– Llame para orar

En nuestros servicios de adoración en línea, colocamos un número de teléfono al que la gente podría llamar para solicitar oración. Los voluntarios respondieron las llamadas y oraron por cualquiera que lo pidiera.

– Oración posterior a la adoración

Al final de cada servicio de adoración, invitamos a cualquiera que necesitará recibir oración por sanidad, dirección o cualquier otra solicitud que tuvieran. Equipos entrenados oraron por las personas. 

– Sala de oración

Diseñamos una sala especial específicamente para oración. Está abierto al estacionamiento las 24 horas del día, los 7 días de la semana, incluso cuando el resto del edificio está cerrado.

– Capacitación de oración

Hemos ofrecido seminarios de capacitación regulares en oración por sanidad y oración profética.

– Semanas de oración y ayuno.

Dos veces al año hemos reservado varios días para la oración y el ayuno congregacionales. Terminamos esas temporadas con una reunión de oración corporativa que celebra la bondad de Dios.