Clarify Expectations through a Covenant

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org 

Accountability and submission are essential to healthy discipleship and leadership, so we build it into our group leader development process.

One of the ways we do this is through our Group Leader Training portion of our Equipping Track. After sharing the “how” and “why” of group leadership, we ask new leaders to sign a Group Leader Covenant before they begin to lead.

Three of the nine clauses in the covenant deal with the issue of submission. They are as follows:

  • Lead according to the vision of Crossroads Church and be loyal to its leadership.
  • Be accountable to those placed in leadership over me.
  • Attend the monthly leadership and coaching meetings.

Sharing the rationale behind each of these points helps create a culture of healthy submission in our cell ministry. It also clarifies expectations for leaders. People generally rise to the level of expectation they are given. In our twenty years of using the covenant, I can think of only one time a prospective leader chose not to sign the covenant.

Asking people to sign such a covenant will not come across as heavy-handed if your culture is one of love and support. People interpret the covenant through their experience with their leaders. If those leaders are grace-filled and encouraging, the prospective group leaders will trust that this is how we create and live out the culture that they appreciate. If, on the other hand, the ministry’s prevailing leadership culture is punitive and legalistic, then they may feel coerced and hesitant to sign. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esclareça as expectativas através de um contrato

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Prestação de contas e submissão são essenciais para um discipulado e uma liderança saudáveis, por isso construímos isso em nosso processo de desenvolvimento de líderes de grupo.

Uma das maneiras de fazer isso é através da parte de Treinamento do Líder de Grupo do nosso Trilho de Treinamento. Depois de compartilhar o “como” e o “porquê” da liderança do grupo, pedimos aos novos líderes que assinem um Contrato de Líder de Grupo antes de começarem a liderar.

Três das nove cláusulas do acordo lidam com a questão da submissão. Elas são as seguintes:

-Liderar de acordo com a visão da Igreja Crossroads e ser fiel à sua liderança.
-Ser responsável com aqueles que são colocados em liderança sobre mim.
-Participar das reuniões mensais de liderança e treinamento.

Compartilhar a justificativa por trás de cada um desses pontos ajuda a criar uma cultura de submissão saudável em nosso ministério de células. Também esclarece as expectativas para os líderes. As pessoas geralmente atingem o nível de expectativa que recebem. Em nossos vinte anos de uso do contrato, posso pensar em apenas uma vez em que um líder em potencial escolheu não assinar contrato.

Pedir que as pessoas assinem tal contrato não parecerá tão severo se sua cultura for de amor e apoio. As pessoas interpretam o contrato através de sua experiência com seus líderes. Se esses líderes são cheios de graça e encorajadores, os líderes de grupo em potencial confiarão que é assim que criamos e vivenciamos a cultura que eles apreciam. Se, por outro lado, a cultura de liderança prevalecente do ministério é punitiva e legalista, então eles podem se sentir coagidos e hesitantes em assinar.

Spanish blog:

Clarificar las expectativas a través de un pacto.

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

La responsabilidad y la sumisión son esenciales para un discipulado y liderazgo saludables, por lo que lo incorporamos a nuestro proceso de desarrollo de líderes celulares.

Una de las maneras en que lo hacemos es a través de nuestra sección de Capacitación para Líderes Celulares de nuestra ruta de equipamiento. Después de compartir el “cómo” y el “por qué” del liderazgo de la célula, pedimos a los nuevos líderes que firmen un Pacto de líder celular antes de que comiencen a liderar.

Tres de las nueve cláusulas en el pacto tratan el tema de la sumisión. Y estos son los siguientes:

Dirige de acuerdo con la visión de Crossroads Church y sé leal a su liderazgo.

Sé responsable ante los que están en el liderazgo sobre ti.

Asiste a las reuniones mensuales de liderazgo y capacitación.

Compartir la razón detrás de cada uno de estos puntos ayuda a crear una cultura de sumisión saludable en nuestro ministerio celular. También aclara las expectativas de los líderes. Las personas generalmente se elevan al nivel de expectativa que se les da. En nuestros veinte años de uso del pacto, solo se me ocurre una vez que un posible líder optó por no firmar el pacto.

Pedirle a la gente que firme tal pacto no será tan duro si su cultura es de amor y apoyo. La gente interpreta el pacto a través de su experiencia con sus líderes. Si esos líderes están llenos de gracia y son alentadores, los futuros líderes de grupo confiarán en que así es como creamos y vivimos la cultura que aprecian. Si, por otro lado, la cultura de liderazgo predominante en el ministerio es punitiva y legalista, entonces pueden sentirse obligados y vacilantes al firmar.

Healthy Submission

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

In the very early days of our cell ministry, the leader of our third-ever cell group quit in anger. He said, “This is communist!” He did not like the fact that we had a format for our cell meetings; he wanted to do his own thing. And he did not like the fact that we asked him for a monthly report of his group; he didn’t see why it was anyone else’s business what he did in his group.

Americans place a very high value on independence. We don’t want anyone to tell us what to do. We don’t trust leaders. We want the freedom to do our own thing.

However, accountability and submission are part of the economy of the kingdom of God.

Hebrews 13:17 Have confidence in your leaders and submit to their authority, because they keep watch over you as those who must give an account. Do this so that their work will be a joy, not a burden, for that would be of no benefit to you.

This verse tells us that everyone is under authority and is called to submit to someone. Each leader is accountable to another leader. When we submit to one another it benefits all.

It is certainly true that some leaders have demanded submission in unhealthy ways. They should not be followed. But the answer is not for everyone to do their own thing. That leads to chaos. Submitting to godly (yet human) leaders will be “of benefit” to all.

To refuse to submit is often an evidence of pride, which is no basis for a God-honoring ministry.

1 Peter 5:5 tells us, In the same way, you who are younger, submit yourselves to your elders. All of you, clothe yourselves with humility toward one another, because, “God opposes the proud but shows favor to the humble.”

Korean blog (click here)

Submissão Saudável

Por Steve Cordle, www.crossroadsums.org

No início do nosso ministério de células, o líder do nosso terceiro grupo desistiu de raiva. Ele disse: “Isso é comunista!” Ele não gostou do fato de termos um formato para nossas reuniões em células; ele queria fazer do seu próprio jeito. E ele não gostou do fato de que pedimos a ele um relatório mensal de seu grupo; ele não viu porque era da conta dos outros o que ele fazia em seu grupo.

Os americanos dão um valor muito alto à independência. Não queremos que ninguém nos diga o que fazer. Nós não confiamos nos líderes. Nós queremos a liberdade para fazermos do nosso próprio jeito.

No entanto, prestação de contas e submissão fazem parte da economia do reino de Deus.

Hebreus 13:17 Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja uma alegria e não um peso, pois isso não seria proveitoso para vocês.

Este versículo nos diz que todos estão sob autoridade e são chamados a se submeter a alguém. Cada líder é responsável por outro líder. Quando nos submetemos um ao outro, isso beneficia a todos.

Certamente é verdade que alguns líderes exigiram a submissão de maneiras não-saudáveis. Eles não devem ser seguidos. Mas a resposta não é para todos fazerem as coisas do seu próprio jeito. Isso leva ao caos. Submeter-se a líderes piedosos (mas humanos) será “proveitoso” para todos.

Recusar-se a se submeter muitas vezes é uma evidência de orgulho, que não é base para um ministério que honra a Deus.

1 Pedro 5:5 nos diz, Da mesma forma jovens, sujeitem-se aos mais velhos. Sejam todos humildes uns para com os outros, porque “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.

Spanish blog:

Sumisión saludable

Por Steve Cordle, www.crossroadsums.org

En los primeros días de nuestro ministerio celular, el líder de nuestro tercer grupo celular se fue enojado. Dijo: “¡Esto es comunismo!”. No le gustó el hecho de que tuviéramos un formato para nuestras reuniones celulares; Quería hacer lo suyo. Y no le gustó el hecho de que le pedimos un informe mensual de su grupo; no comprendía por qué era asunto de otra persona lo que hacía en su grupo.

Los estadounidenses le dan un valor muy grande a la independencia. No queremos que nadie nos diga qué hacer. No confiamos en los líderes. Queremos la libertad de hacer lo nuestro.

Sin embargo, la rendición de cuentas y la sumisión son parte de la economía del reino de Dios.

Hebreos 13:17 “Obedeced a vuestros pastores, y sujetaos a ellos; porque ellos velan por vuestras almas, como quienes han de dar cuenta; para que lo hagan con alegría, y no quejándose, porque esto no os es provechoso.”

Este versículo nos dice que todos están bajo autoridad y están llamados a someterse a alguien. Cada líder es responsable ante otro líder. Cuando nos sometemos unos a otros, todos se benefician.

Es muy cierto que algunos líderes han exigido sumisión en formas poco saludables, y estas no deben seguirse. Pero la respuesta no es que cada uno haga lo suyo; eso lleva al caos. Someternos a líderes piadosos (aún así, humanos) será “beneficioso” para todos.

Negarse a someterse es a menudo una prueba de orgullo, que no es la base para un ministerio que honra a Dios.

1 Pedro 5: 5 nos dice: “Igualmente, jóvenes, estad sujetos a los ancianos; y todos, sumisos unos a otros, revestíos de humildad; porque:Dios resiste a los soberbios, Y da gracia a los humildes.”

What works?

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org 

“It won’t work here.”

That’s what I have heard when I talked about cell-based ministry philosophy with people in the United States, Canada and Europe.

There are many fast-growing, very large cell-based churches in Latin America, South America, Africa and Asia. There are not many similar examples in North America or Europe. So, many Americans conclude, “It won’t work here.”

It is true that cell-based ministry is more difficult in a highly individualistic and materialistic culture like North America. Cell ministry runs on relationship (and the Holy Spirit!), and the Global North does not value those as highly as other parts of the world.

What does it meant to “work”? If we mean that in America we can’t attract a large crowd very easily using cell ministry, that may be true. But is a crowd really our goal? Our mission is not to attract a large crowd, our commission is to make disciples, teaching them to obey all that Jesus taught. We cannot do that without relationship, and without relationship there is no discipleship. We cannot be in significant relationship with a large crowd. It takes a few people gathering, practicing the “one-anothers” of the New Testament.

When Jesus wanted to change the world, he started a small group. It worked. The principles have never changed.

Today, many leaders in the U.S. are realizing that focusing on the large weekend crowd has not “worked.” We have not penetrated society. They are now prioritizing discipleship. They are also recognizing that healthy small groups are essential to the process.

I like a large crowd as much as anyone, but that should not be confused with making disciples. And for that, nothing “works” better than small groups.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O que funciona?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“Não vai funcionar aqui”.

Foi o que ouvi quando falei sobre a filosofia do ministério baseado em células com pessoas nos Estados Unidos, no Canadá e na Europa.

Existem muitas igrejas baseadas em células muito grandes e de crescimento rápido na América Latina, América do Sul, África e Ásia. Não há muitos exemplos semelhantes na América do Norte ou na Europa. Então, muitos americanos concluem: “Não vai funcionar aqui”.

É verdade que o ministério celular é mais difícil em uma cultura altamente individualista e materialista como a da América do Norte. Ele é baseado no relacionamento (e no Espírito Santo!), e o Norte Global não valoriza esses componentes tanto quanto outras partes do mundo.

O que significa “funcionar”? Se queremos dizer que na América não podemos atrair uma grande multidão com muita facilidade usando o ministério celular, isso pode ser verdade. Mas a multidão é realmente o nosso objetivo? Nossa missão não é atrair uma grande multidão; nossa comissão é fazer discípulos, ensinando-os a obedecer tudo o que Jesus ensinou. Não podemos fazer isso sem relacionamento e sem relacionamento não há discipulado. Nós não podemos estar em relacionamento significativo com uma grande multidão. O relacionamento acontece quando poucas pessoas se reúnem, praticando os “uns aos outros” do Novo Testamento.

Quando Jesus quis mudar o mundo, ele iniciou um pequeno grupo. E funcionou. Esses princípios nunca mudaram.

Hoje, muitos líderes nos EUA estão percebendo que o foco na grande multidão de fim de semana não “funcionou”. Não penetramos na sociedade. Eles agora estão priorizando o discipulado. Eles também estão reconhecendo que pequenos grupos saudáveis ​​são essenciais para o processo.

Eu gosto de uma grande multidão tanto quanto qualquer pessoa, mas isso não deve ser confundido com fazer discípulos. E para isso, nada “funciona” melhor que pequenos grupos.

Spanish blog:

¿Que funciona?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“No funcionará aquí”.

Eso es lo que escuché cuando hablé sobre la filosofía del ministerio celular con personas de los Estados Unidos, Canadá y Europa.

Hay muchas iglesias basadas en células muy grandes y de rápido crecimiento en América Latina, América del Sur, África y Asia. No hay muchos ejemplos similares en América del Norte o Europa. Entonces, muchos estadounidenses concluyen: “No funcionará aquí”.

Es cierto que el ministerio celular es más difícil en una cultura altamente individualista y materialista como la de América del Norte. El ministerio celular se basa en las relaciones (¡y en el Espíritu Santo!), Y el Norte Global no valora a esos como en otras partes del mundo.

¿Qué significa “funcionar”? Si queremos decir que en los Estados Unidos no podemos atraer a una gran cantidad de personas fácilmente usando el ministerio celular, eso puede ser cierto. ¿Pero es una multitud realmente nuestra meta? Nuestra misión no es atraer a una gran multitud, nuestra comisión es hacer discípulos, enseñándoles a obedecer todo lo que Jesús enseñó. No podemos hacer eso sin relaciones, y sin relaciones no hay discipulado. No podemos estar en una relación significativa con una gran multitud. Se necesitan algunas personas que se reúnen, practicando el mensaje del “uno al otro” del Nuevo Testamento.

Cuando Jesús quiso cambiar el mundo, comenzó un pequeño grupo celular. Y funcionó. Los principios nunca han cambiado.

Hoy en día, muchos líderes en los Estados Unidos se están dando cuenta de que centrarse en la gran multitud de los fines de semana no ha “funcionado”; no hemos penetrado en la sociedad. Ahora están priorizando el discipulado y también están reconociendo que los grupos celulares saludables son esenciales para el proceso.

Me gusta tener una gran multitud tanto como a cualquiera, pero eso no debe confundirse con hacer discípulos. Y para eso, nada “funciona” mejor que los grupos celulares.

More than a meeting

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org 

When I say the phrase “cell church” to church leaders, I am never sure what comes to their minds. People hold a variety of ideas about cell ministry, some of which are realistic and others of which are not.

Some pastors think that they can reap the disciple-making benefits of cell ministry by re-organizing the church into small groups. That doesn’t work. Cell ministry is not a structure, it is an expression of New Testament values and practices.

While it is true that cell churches are made up of small groups, people are not spiritually transformed just by sitting in a living room with a few other people, even if they are talking about the Bible.

Cell ministry rests on the foundation of true community, obedience-based discipleship, experiencing the presence of Jesus together and reaching out to the lost.

The power of a cell group is the power of the Holy Spirit working through people who choose to share their lives together (even when it is messy), not just to have a regular meeting. People change and heal when they commit to obeying the Word of God, and support one another as they do. When people worship and spend time praying together for God move, lives change. When groups team up to share the love and message of Jesus with the unreached people of their area, the power of God changes lives.

Cell ministry is not about organizational structure, it is about living out the values which drive the structure.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Mais que Uma Reunião

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Quando eu digo a frase “igreja em células” para os líderes da igreja, eu nunca tenho certeza do que vem à mente deles. As pessoas possuem uma variedade de idéias sobre o ministério de células, algumas das quais são realistas e outras não.

Alguns pastores pensam que podem colher os benefícios de fazer discípulos do ministério celular ao reorganizar a igreja em pequenos grupos. Isso não funciona. O ministério celular não é uma estrutura, é uma expressão dos valores e práticas do Novo Testamento.

Embora seja verdade que as igrejas em células são feitas de pequenos grupos, as pessoas não são espiritualmente transformadas apenas por sentar em uma sala de estar com algumas outras pessoas, mesmo que estejam falando sobre a Bíblia.

O ministério celular repousa sobre o fundamento da verdadeira comunidade, discipulado baseado na obediência, experimentando a presença de Jesus juntos e alcançando os perdidos.

O poder de uma célula é o poder do Espírito Santo trabalhando através de pessoas que escolhem compartilhar suas vidas juntas (mesmo quando tudo está confuso), não apenas para ter uma reunião regular. As pessoas mudam e são curadas quando se comprometem a obedecer à Palavra de Deus e apóiam umas às outras. Quando as pessoas adoram e passam tempo orando juntas para Deus agir, as vidas são mudadas. Quando os grupos se unem para compartilhar o amor e a mensagem de Jesus com as pessoas não alcançadas de sua região, o poder de Deus muda vidas.

O ministério celular não se trata de estrutura organizacional, mas sobre viver os valores que guiam a estrutura.

Spanish blog:

Más que una reunión

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Cuando digo la frase “iglesia celular” a los líderes de la iglesia, nunca estoy seguro de lo que viene a su mente. Las personas tienen una variedad de ideas sobre el ministerio celular, algunas de las cuales son realistas y otras no.

Algunos pastores piensan que pueden obtener los beneficios del ministerio celular al levantar discípulos, mediante la reorganización en la iglesia de pequeños grupos. Eso no funciona; el ministerio celular no es una estructura, es una expresión de los valores y prácticas del Nuevo Testamento.

Si bien es cierto que las iglesias celulares están formadas por pequeños grupos, las personas no se transforman espiritualmente simplemente sentándose en una sala de estar con otras pocas personas, incluso si están hablando de la Biblia.

El ministerio celular descansa sobre el fundamento de la verdadera comunidad, el discipulado basado en la obediencia, experimentando la presencia de Jesús juntos y alcanzando a los perdidos.

El poder de un grupo celular es el poder del Espíritu Santo que trabaja a través de personas que eligen compartir sus vidas en conjunto (incluso cuando es complicado), no solo para tener una reunión regular. Las personas cambian y sanan cuando se comprometen a obedecer la Palabra de Dios y se apoyan mutuamente. Cuando las personas adoran y pasan tiempo orando juntos para que Dios se mueva, las vidas cambian. Cuando las células se unen para compartir el amor y el mensaje de Jesús con las personas no alcanzadas de su área, el poder de Dios cambia vidas.

El ministerio celular no se trata de la estructura organizativa, se trata de vivir los valores que impulsan la estructura.

Don’t try to be the Holy Spirit

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org 

Most of us in ministry talk to others because we want to communicate something helpful. But what if the most important way to help people is to listen to them?

When people tell us about an issue or problem, rather than telling them what we think they should do, the more helpful approach is to ask them questions about what God is telling them and then simply to listen. We can ask, “Have you prayed about this? What do you believe God is telling you?”

The Holy Spirit is at work in every believer, and He will guide them in just the right way. We do not know the secrets of the other person’s heart and circumstance. When we are talking, the other person is listening to us. We need to be careful not to drown out the voice of the Holy Spirit.  

Philippians 1:6 says, “being confident of this, that he who began a good work in you will carry it on to completion until the day of Christ Jesus.”

Are we confident the Lord is doing a good work in others? If so, listen first, talk later. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Não Tente ser o Espírito Santo

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

A maioria de nós no ministério fala com os outros porque queremos comunicar algo útil. Mas e se a maneira mais importante de ajudar as pessoas é ouvi-las?

Quando as pessoas nos falam sobre uma questão ou problema, em vez de dizer-lhes o que achamos que deveriam fazer, a abordagem mais útil é fazer-lhes perguntas sobre o que Deus está lhes dizendo e depois simplesmente ouvi-las. Podemos perguntar: “Você orou sobre isso? O que você acredita que Deus está lhe dizendo?”

O Espírito Santo está trabalhando em todos os convertidos, e Ele os guiará da maneira certa. Nós não conhecemos os segredos do coração e das circunstâncias da outra pessoa. Quando estamos conversando, a outra pessoa está nos ouvindo. Precisamos ter cuidado para não abafar a voz do Espírito Santo.

Filipenses 1:6 diz, “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus”.

Estamos confiantes de que o Senhor está fazendo um bom trabalho nos outros? Se sim, ouça primeiro, fale depois.

Spanish blog:

No trates de ser el Espíritu Santo

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

La mayoría de nosotros en el ministerio hablamos con otros porque queremos comunicar algo útil. Pero, ¿qué pasa si la manera más importante de ayudar a las personas es escuchandolas?

Cuando las personas nos hablan sobre un tema o problema, en lugar de decirles lo que pensamos que deberían hacer, el enfoque más útil es hacerles preguntas sobre lo que Dios les está diciendo y luego simplemente escuchar. Podemos preguntar: “¿Has orado por esto? ¿Qué crees que Dios te está diciendo?

El Espíritu Santo está obrando en cada creyente, y los guiará de la manera correcta. No conocemos los secretos del corazón y las circunstancias de la otra persona. Cuando hablamos, la otra persona nos está escuchando. Debemos tener cuidado de no ahogar la voz del Espíritu Santo.

Filipenses 1: 6 dice, “estando persuadido de esto, que el que comenzó en vosotros la buena obra, la perfeccionará hasta el día de Jesucristo”.

¿Estamos seguros de que el Señor está haciendo una buena obra en los demás? Si es así, escucha primero, y habla después.