A Season of Planting (Español Abajo)

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Our church was excited about our plans for multiplying cells in 2022 – and then came Omicron. The momentum we had been building seemed to melt away. The groups we hoped to see grow scaled back on their meetings – sometimes on line, sometimes less frequently.

It is easy to get discouraged when the present reality isn’t what we had hoped.

But pulling back, we see the big picture of God at work. Right now we realize that we are in a season of planting rather than reaping.

However, if we are faithful in planting, we will see the harvest.  So what are we planting?

  • we plant a vision of disciple-making int the hearts of the leaders. We are using this time to teach them about reaching their neighborhoods, and seeing the group not as a meeting but as a family.

  • we plant prayer. People can pray for their friends, co-workers and neighbors so that when they are able to invite more freely there will be a better response.

  • we plant strong relationships: we take this time for coaches to connect with their leaders, for leaders to reach out to their members and members to one another so that they know they are not forgotten.

What is God calling you to plant now?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Momento do Plantio

Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

A nossa igreja estava muito animada, fazendo planos para a multiplicação das células em 2022, e aí veio a Omicron. Parecia que toda a animação estava derretendo diante de nós. As células onde esperávamos ver crescimento acabaram por voltar a um nível do passado, algumas voltando a estar apenas online, outras se reunindo com menos frequência.

É fácil nos sentirmos desencorajados quando a realidade diante de nossos olhos não é o que esperávamos.

Mas ao darmos um passo atrás, foi possível ver a foto que mostrava Deus em ação. Atualmente percebemos que estamos em um momento de plantio ao invés de colheita.

Sabemos que se formos fiéis no plantio, certamente veremos a colheita. Bem, então o que é que estamos plantando?

  • Estamos plantando a visão de fazer discípulos nos corações dos líderes. Estamos utilizando este tempo para ensiná-los sobre como alcançar a vizinhança e a enxergar as células como uma família e não simplesmente um encontro.

  • Estamos plantando oração. As pessoas podem orar pelos seus amigos, pelos colegas de trabalho, pelos seus vizinhos, para que quando pudermos novamente convidar as pessoas, tenhamos uma resposta ainda melhor.

  • Estamos plantando relacionamentos. Estamos utilizando este tempo para que os supervisores façam contato com seus líderes e para que os líderes façam contato com os membros das células, que por sua vez devem fazer contato uns com os outros. Todos devem saber que não foram esquecidos.

O que é que Deus tem te chamado para plantar?

Spanish blog:

Una temporada de siembra

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Nuestra iglesia estaba entusiasmada con nuestros planes para multiplicar células en 2022, y luego llegó la cepa Omicron. El impulso que habíamos estado construyendo pareció desvanecerse. Los grupos que esperábamos ver crecer redujeron sus reuniones, a veces en línea, a veces con menos frecuencia.

Es fácil desanimarse cuando la realidad presente no es la que esperábamos.

Pero retrocediendo, vemos el panorama general de Dios obrando. En este momento nos damos cuenta de que estamos en una temporada de siembra en lugar de cosecha.

Sin embargo, si somos fieles en la siembra, veremos la cosecha. Entonces, ¿qué estamos sembrando?

  • plantamos una visión de hacer discípulos en los corazones de los líderes. Estamos usando este tiempo para enseñarles cómo llegar a sus vecindarios y ver al grupo no como una reunión sino como una familia.

  • plantamos oración. Las personas pueden orar por sus amigos, compañeros de trabajo y vecinos para que cuando puedan invitar más libremente haya una mejor respuesta.

  • plantamos relaciones sólidas: aprovechamos este tiempo para que los supervisores se conecten con sus líderes, para que los líderes se acerquen a sus miembros y los miembros entre sí para que sepan que nadie ha sido olvidado.

¿Qué te está llamando Dios a plantar ahora?

Ready to fly

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Before an airplane takes off, crews go through a series of safety checks to make sure the plane is ready to fly.

As we begin ministry in 2022, we can check some key systems of our cell ministry to make sure we are ready for all God wants to do.

 Here are a few questions that can help us review our readiness:

 1. Is my passion for Jesus high? Is my vision clear?

 Ministry is an overflow of our relationship with Jesus. As we start the year let us pursue relationship with him above all. Let’s deal ruthlessly with sin and ask for a fresh infilling of divine love.

 Is our vision sharp enough that others know where we are going and why? Is it building God’s Kingdom and not our own?

 2. Are the relationships with other leaders strong and healthy?

 A cell church is a network of relationships. How healthy are the relationships between coaches and leaders? leaders and apprentices?

 3. Is our path to leadership obvious and simple?

 Does everyone know what to do to become a group leader? Is our Equipping Track effective and readily accessible?

 4. Is my calendar reflecting cell ministry as the highest priority?

 Progress happens daily, which means our daily routines determine our destination. Does your daily to-do list reflect one who is committed to making disciples relationally?

 Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Pronto para voar

Por Steve Cordle,  www.crossroadsumc.org

Antes de um avião decolar, as tripulações passam por uma série de verificações de segurança para ter certeza de que o avião está pronto para voar.

Ao começarmos o ministério em 2022, podemos verificar alguns sistemas-chave de nosso ministério de células para ter certeza de que estamos prontos para tudo o que Deus deseja fazer.

Aqui estão algumas perguntas que podem nos ajudar a revisar nossa prontidão:

1. Minha paixão por Jesus é alta? Minha visão está clara?

O ministério é um transbordamento de nosso relacionamento com Jesus. Ao iniciarmos o ano, procuremos nos relacionar com ele acima de tudo. Vamos lidar impiedosamente com o pecado e pedir um novo enchimento do amor divino.

Nossa visão é nítida o suficiente para que os outros saibam para onde estamos indo e por quê? Está construindo o Reino de Deus e não o nosso?

2. Os relacionamentos com outros líderes são fortes e saudáveis?

Uma igreja em células é uma rede de relacionamentos. Quão saudáveis são os relacionamentos entre supervisores e líderes? líderes e aprendizes?

3. Nosso caminho para a liderança é óbvio e simples?

Todos sabem o que fazer para se tornar um líder de grupo? Nosso Trilho de Equipamento é eficaz e facilmente acessível?

4. Meu calendário reflete o ministério de células como a maior prioridade?

O progresso acontece diariamente, o que significa que nossas rotinas diárias determinam nosso destino. Sua lista de tarefas diárias reflete alguém que está comprometido em fazer discípulos de maneira relacional?

Spanish blog:

Listos para volar

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Antes de que un avión despegue, las tripulaciones pasan por una serie de controles de seguridad para asegurarse de que el avión esté listo para volar.

A medida que comencemos el ministerio en 2022, podemos verificar algunos sistemas clave de nuestro ministerio celular para asegurarnos de que estamos listos para todo lo que Dios quiere hacer.

Aquí hay algunas preguntas que pueden ayudarnos a revisar nuestra preparación:

  1. ¿Es alta mi pasión por Jesús? ¿Es mi visión clara?

El ministerio es un desbordamiento de nuestra relación con Jesús. Al comenzar el año, persigamos la relación con él por encima de todo. Tratemos sin piedad con el pecado y pidamos una nueva llenura de amor divino.

¿Es nuestra visión lo suficientemente aguda como para que los demás sepan adónde vamos y por qué? ¿Se trata de construir el Reino de Dios y no el nuestro?

  1. ¿Las relaciones con otros líderes son sólidas y saludables?

Una iglesia celular es una red de relaciones. ¿Qué tan sanas son las relaciones entre supervisores y líderes? líderes y colaboradores?

  1. ¿Nuestro camino hacia el liderazgo es obvio y simple?

¿Todos saben qué hacer para convertirse en un líder de grupo? ¿Nuestra pista de equipamiento es efectiva y de fácil acceso?

  1. ¿Refleja mi calendario el ministerio celular como la máxima prioridad?

El progreso ocurre a diario, lo que significa que nuestras rutinas diarias determinan nuestro destino. ¿Refleja su lista de tareas diarias a alguien que está comprometido a hacer discípulos relacionalmente?

Why we support JCG

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Our church has financially supported Joel Comiskey Group for many years now. The reason is simple, without Joel’s ministry our church would not be a cell-based church today.

Around 1999 I read Joel’s first book, “Home Cell Group Explosion,” and I was captured by the cell-group vision. At that time, Joel was living and ministering in Ecuador. I emailed him with questions and was delighted when he wrote back. He was generous with his time and counsel, corresponding with me over a period of months.

His input helped me transition our young church into a cell-based philosophy, and we grew steadily for the next 20 years. We are grateful for Joel’s influence and guidance.

We contribute financially to JCG because we want to allow other churches to experience the help and life we have. He is uniquely positioned and equipped to resource the worldwide cell church.

As a member of the Board of JCG for the last 20 years, I can attest to Joel and Celyce’s integrity and their passion for Jesus’ global mission.

I would encourage you to consider supporting this influential ministry, too.

Steve Cordle

Crossroads Church

Korean blog: (click here)  

Portuguese blog:

Por que apoiamos o JCG

Por Steve Cordle,  www.crossroadsumc.org

Nossa igreja tem apoiado financeiramente o Joel Comiskey Group por muitos anos. A razão é simples, sem o ministério de Joel nossa igreja não seria uma igreja baseada em células hoje.

Por volta de 1999, li o primeiro livro de Joel, “Crescimento Explosivo da Igreja em Células”, e fui capturado pela visão do grupo de células. Naquela época, Joel morava e ministrava no Equador. Mandei um e-mail para ele com perguntas e fiquei encantado quando ele respondeu. Ele foi generoso com seu tempo e conselhos, correspondendo-se comigo por um período de meses.

Suas contribuições me ajudaram a fazer a transição de nossa jovem igreja para uma filosofia baseada em células, e crescemos constantemente nos próximos 20 anos. Agradecemos a influência e orientação de Joel.

Contribuímos financeiramente para o JCG porque queremos permitir que outras igrejas experimentem a ajuda e a vida que temos. Ele está exclusivamente posicionado e equipado para fornecer recursos à igreja em células em todo o mundo.

Como membro do Conselho do JCG nos últimos 20 anos, posso atestar a integridade de Joel e Celyce e sua paixão pela missão global de Jesus.

Eu encorajo você a considerar apoiar este ministério influente também.

Steve Cordle
Crossroads Church

Spanish blog:

Por qué apoyamos a JCG

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Nuestra iglesia ha apoyado financieramente a Joel Comiskey Group durante muchos años. La razón es simple, sin el ministerio de Joel, nuestra iglesia no sería una iglesia celular en la actualidad.

Alrededor de 1999 leí el primer libro de Joel, “Explosión del grupo celular en el hogar”, y la visión del grupo celular me capturó. En ese momento, Joel vivía y ministraba en Ecuador. Le envié un correo electrónico con preguntas y estaba encantado cuando me respondió. Fue generoso con su tiempo y sus consejos, y mantuvo correspondencia conmigo durante varios meses.

Su aporte me ayudó a hacer la transición de nuestra iglesia joven a una filosofía basada en células, y crecimos de manera constante durante los siguientes 20 años. Estamos agradecidos por la influencia y orientación de Joel.

Contribuimos económicamente a JCG porque queremos permitir que otras iglesias experimenten la ayuda y la vida que tenemos. Él está en una posición única y está equipado para proporcionar recursos a la iglesia celular mundial.

Como miembro de la Junta de JCG durante los últimos 20 años, puedo dar fe de la integridad de Joel y Celyce y su pasión por la misión global de Jesús.

Le animo a que considere también apoyar este influyente ministerio.

Will it work?

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Our church transitioned to a cell-based ministry over 20 years ago. After some years of growth, we hit a period of stagnation. Our leaders seemed to be drifting and the groups complacent. Groups were not multiplying and there was little vision. Privately, I considered whether we should give up on cell ministry and return to a more conventional approach. Maybe cell ministry wouldn’t work in North America.

However, then I asked myself what would work. A weekend-focused, pastor-centered ministry was more familiar to people, but the track record showed that it did not make disciples who made disciples. What other option was there but life-on-life disciple-making in a group context? After all, that was what Jesus did. Jesus himself had moments he wondered whether his 12 would ever “get it.”

In the end, momentum returned and I never seriously considered abandoning the cell philosophy. Ultimately, ministry philosophies are not what works, it is the Holy Spirit who breathes the life of God into his receptive people. Over the years, we’ve had both seasons of momentum and seasons of stagnation. We’ve rejoiced in the momentum and sought to learn during the doldrums. And God has refined us in the process.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Será que vai dar certo?

Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

A nossa igreja fez a transição para o ministério baseado em células há mais de 20 anos. Depois de alguns anos crescendo, atingimos um período de estagnação. Nossos líderes pareciam apáticos e os grupos estavam desanimados. Não havia mais multiplicação e praticamente não havia visão. Reservadamente, eu cogitava sobre desistir do ministério em células e retornar a uma abordagem mais convencional. Talvez o ministério em células não funcionasse mesmo na América do Norte.

Entretanto, ao mesmo tempo eu me perguntava o que daria certo. Um ministério focado no final de semana e no pastor era algo mais comum, mas os registros mostravam que isso não produzia discípulos que por sua vez produzissem discípulos. Então, que outra opção existia, que não fosse o discipulado do tipo vida-na-vida, fazendo discípulos no contexto dos pequenos grupos? Afinal de contas, era isso que Jesus fazia. Ele mesmo teve momentos em que se perguntou se os seus 12 discípulos algum dia “entenderiam” o que estava acontecendo.

No final, o ímpeto retornou e eu nunca realmente considerei abandonar a filosofia das células. No final das contas, não é a filosofia dos ministérios que faz a diferença, é o Espírito Santo que sopra a vida de Deus nas pessoas que estão abertas para o receber. Ao longo dos anos tivemos épocas de crescimento e épocas de estagnação. Nós celebramos nos momentos de crescimento e buscamos aprender nos momentos de aridez. Deus tem nos refinado ao longo do processo.

Spanish blog:

¿Funcionará? 

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org   

Nuestra iglesia hizo la transición al ministerio celular hace más de 20 años. Después de algunos años de crecimiento, llegamos a un período de estancamiento. Nuestros líderes parecían estar a la deriva y los grupos estáticos. Las células no se multiplicaban y había poca visión. En privado, consideré si deberíamos renunciar al ministerio celular y volver a un enfoque más convencional. Quizás el ministerio celular no funcionaría en Norteamérica. 

Sin embargo, luego me pregunté qué funcionaría. Un ministerio centrado en el pastor y centrado en el fin de semana era más familiar para la gente, pero el historial mostraba que no hacía discípulos que hicieran discípulos. ¿Qué otra opción había sino hacer discípulos que compartieran la vida en un contexto grupal? Después de todo, eso fue lo que hizo Jesús. El mismo Jesús tuvo momentos en los que se preguntó si sus 12 alguna vez “lo lograría”. 

Al final, el impulso volvió y nunca consideré seriamente abandonar la filosofía celular. En última instancia, las filosofías ministeriales no son lo que funciona, es el Espíritu Santo quien llena de la vida de Dios en su pueblo receptivo. A lo largo de los años, hemos tenido temporadas de impulso y temporadas de estancamiento. Nos hemos regocijado con el impulso y hemos tratado de aprender durante la depresión. Y Dios nos ha refinado en el proceso. 

Twenty years on

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

It has been more than twenty years ago that our church decided to take the plunge and pursue a cell-based ministry strategy. I wish I could say that we immediately began a steady growth in numbers and enthusiasm. It didn’t work out exactly that way.

At first we experienced a mixture of success and frustration.  We saw many lives changed while others resisted and objected. We adopted some parts of the cell strategy, but were unaware or not ready to adopt other pieces. At one point we pulled back, reorganized, and then started again.

At times I had serious doubts as to whether cell church ministry would work for us. In some ways it would have been easier to do ministry in a form which is more in line with people’s expectations.

But something inside of me wouldn’t let me let go of the dream. I can’t say I caught the vision of the cell church; rather, the cell church vision caught me. I couldn’t shake it. I was driven to pursue the cell-based ministry, not because of the size of church it can grow, but because of the quality of disciple it can develop. In my visits to thriving cell churches, I met numerous church members and cell leaders who demonstrated the character of Christ in ways I had rarely seen. When asked, they could readily articulate their church’s vision. More than that, reaching and discipling unreached people was regarded as a normal activity, and most members knew how to do it (or at least how to learn to do so).

I asked myself: “What kind of church do I want to invest my life in building?” I knew I didn’t want to settle for simply persuading people to attend services, give and behave. I yearned for a church that could become a Kingdom movement as I read about in the book of Acts. I longed to see unreached people deeply transformed into the image of Jesus.  I saw so much potential for authentic New Testament life in the cell approach that I was determined to figure out how it could work in our setting.

Since then, our church has indeed grown many times bigger than it was. Even more, we have seen leaders and pastors developed and deployed for the Kingdom. After twenty years, I am more committed than ever to a cell-based ministry.

Korean blog: (click here)  

Portuguese blog:

Há mais de 20 anos

Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Faz mais de 20 anos que nossa igreja decidiu dar este passo e abraçar a estratégia do ministério baseado em células. Eu gostaria de poder dizer que nós imediatamente começamos a apresentar um crescimento constante em números e em entusiasmo, mas não foi exatamente assim que aconteceu.

No início experimentamos uma mistura de sucesso e frustração. Vimos muitas vidas sendo mudadas, enquanto outros resistiam e rejeitavam. Adotamos algumas partes da estratégia de células, mas não conhecíamos ou não estávamos prontos para outras partes. Houve um momento em que paramos tudo, reorganizamos e então recomeçamos.

Em diversos momentos eu tive sérias dúvidas se o ministério em células funcionaria conosco. Em certos aspectos, teria sido mais simples exercer o ministério de uma maneira que estivesse mais alinhada com as expectativas das pessoas.

Mas alguma coisa dentro de mim não permitia que eu abandonasse este sonho. Eu não posso declarar que tivesse abraçado a visão da igreja em células, penso que foi a visão que me abraçou. Eu não conseguia sair deste abraço. Eu estava decidido a viver o ministério em células, não por causa do tamanho que a igreja pode alcançar, mas pela qualidade do discípulo que esta estratégia pode produzir. Em minhas visitas a igrejas em células bem-sucedidas, eu conheci muitos membros e líderes que demonstravam o caráter de Cristo de maneiras que eu raramente tinha observado. Ao serem perguntados pela visão da igreja, eles imediatamente a descreviam muito bem. Mais ainda, alcançar as pessoas e discipular era reconhecido como uma atividade normal e a maioria dos membros sabiam como fazê-lo, ou pelo menos como poderiam aprender sobre isso.

Então eu me perguntei: “Que tipo de igreja eu quero investir minha vida para construir?” Eu sabia que não ia me contentar em simplesmente convencer as pessoas a frequentarem os cultos, doar e comportar-se adequadamente. Eu ansiava por uma igreja que pudesse vir a ser um movimento do Reino de Deus como eu lia no livro de Atos. Eu queria muito assistir pessoas que ainda não conheciam a Deus serem profundamente transformadas de acordo com a imagem de Jesus. Eu percebi que no ministério em células havia muito potencial para uma vida como descrita no Novo Testamento e eu estava determinado a descobrir como isso poderia acontecer conosco.

Desde então, nossa igreja cresceu muitas vezes em seu tamanho original. Mais ainda, temos visto líderes e pastores sido desenvolvidos e enviados à serviço do Reino. Depois de vinte anos, estou mais comprometido com o ministério em células do que jamais estive.

Spanish blog:

Veinte años después

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Hace más de veinte años que nuestra iglesia decidió dar el paso y seguir una estrategia de ministerio basado en células. Ojalá pudiera decir que comenzamos de inmediato con un crecimiento constante en número y entusiasmo. No funcionó exactamente de esa manera.

Al principio experimentamos una mezcla de éxito y frustración. Vimos muchas vidas cambiadas mientras que otras se resistieron y se quejaron. Adoptamos algunas partes de la estrategia celular, pero no sabíamos o no estábamos listos para adoptar otras. En un momento dado, nos retiramos, nos reorganizamos y luego comenzamos de nuevo.

A veces tenía serias dudas sobre si el ministerio de la iglesia celular funcionaría para nosotros. De alguna manera, hubiera sido más fácil hacer el ministerio en una forma más acorde con las expectativas de la gente.

Pero algo dentro de mí no me dejaba soltar el sueño. No puedo decir que capté la visión de la iglesia celular; más bien, la visión de la iglesia celular me atrapó. No pude sacudirlo. Fui impulsado a seguir el ministerio basado en células, no por el tamaño de la iglesia que puede crecer, sino por la calidad de discípulo que puede desarrollar. En mis visitas a iglesias celulares prósperas, conocí a numerosos miembros de la iglesia y líderes celulares que demostraron el carácter de Cristo en formas que rara vez había visto. Cuando se les preguntó, pudieron articular fácilmente la visión de su iglesia. Más que eso, alcanzar y discipular a personas no alcanzadas se consideraba una actividad normal, y la mayoría de los miembros sabían cómo hacerlo (o al menos cómo aprender a hacerlo).

Me pregunté: “¿En qué tipo de iglesia quiero invertir mi vida en construir?” Sabía que no quería conformarme con simplemente persuadir a las personas para que asistieran a los servicios, dieran y se comportaran. Anhelaba una iglesia que pudiera convertirse en un movimiento del Reino, como leí en el libro de los Hechos. Anhelaba ver a las personas no alcanzadas profundamente transformadas a la imagen de Jesús. Vi tanto potencial para la vida auténtica del Nuevo Testamento en el enfoque celular que estaba decidido a descubrir cómo podría funcionar en nuestro entorno.

Desde entonces, nuestra iglesia ha crecido mucho más de lo que era. Aún más, hemos visto líderes y pastores desarrollados y desplegados para el Reino. Después de veinte años, estoy más comprometido que nunca con un ministerio celular.