Prayers With Feet

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Churches are sometimes described as: missional, worship focused, evangelistic, Bible believing, giving, and so forth. However, shouldn’t a church be all these things? Similarly, another might be known as a “praying church,” as if other churches are not known for praying.

While these statements are generalizations and may be no indication of the reality, it’s true that prayer might be less of a focus in some.

When prayer is at the heart of the cell, it is in the heartbeat of the church. To be effective and intimate with the heart of the Father a cell needs to pray, or better still, desire to pray.

We have seen great moves of God through the Body of Christ when it has sought after Him with great passion.

In a world that desperately needs the presence of Jesus  and for His touch to bring transformation, the Church must pray. However,  the church also needs to be available to answer those prayers in practical ways—to be the hands and feet of those prayers. Prayer is not an excuse for inaction but apositioning for action!

When praying together in the cell, incorporating an action in the meeting, can focus people on at least being a contributor to the answer. For example, when:

  • Praying for the persecuted. Consider how to support the persecuted church.
  • Praying for a missionary. Ask everyone to write and post letters, or children draw a picture, with an encouragement, scripture or even just letting them know they were prayed for. These can be done in the actual meeting.
  • Praying for the government. Write to the local representative letting them know you prayed.
  • Praying for people who are lonely. Go pray in their homes.

This is the “Here am I” response: praying but also offering ourselves as a possible answer to prayer.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Orações que têm pés

Andrew Kirk, Diretor do “Generation 2 Generation” Website – www.G2gMandate.org, Mídias Sociais – @G2gMandate

Algumas vezes descrevemos as igrejas por suas características: missionária, louvor e adoração, bíblica, doadora, e assim por diante. Mas será que as igrejas não deveriam ter todas estas características? Da mesma forma, algumas igrejas são conhecidas por serem “igrejas de oração”, como se as outras igrejas não fossem conhecidas pela intercessão.

Ainda que essas descrições sejam apenas generalizações e não uma indicação da realidade, é verdade que talvez a oração não seja o foco de algumas das igrejas.

Quando a oração está bem no coração da célula, a oração também será a batida do coração da igreja. Para ser eficaz e ter intimidade com o coração do Pai, a célula precisa orar, ou melhor ainda, desejar orar.

Já vimos Deus mover-se de forma grandiosa pelo Corpo de Cristo, quando este o buscou com grande paixão.Em um mundo que precisa desesperadoramente da presença de Jesus e de seu toque transformador, a Igreja precisa orar. Entretanto, a igreja também precisa estar disponível para responder estas orações de forma prática, precisa ser as mãos e os pés destas orações que estão sendo feitas. A oração não é uma desculpa para não agir, é posicionar-se para a ação!

Quando oramos juntos na célula, ao incorporarmos a ação à reunião, as pessoas podem ter o foco voltado para ser pelo menos uma parte da resposta. Por exemplo:

  • Quando oramos pelos perseguidos, podemos pensar sobre como apoiar a igreja perseguida
  • Quando oramos por um missionário, podemos pedir para que todos escrevam e enviem mensagens, crianças podem fazer desenhos, encorajando, citando a Bíblia ou simplesmente mencionando que oraram por ele. Estas coisas podem acontecer durante a própria reunião.
  • Quando oramos pelo governo, podemos escrever e enviar mensagens aos representantes locais informando que estamos orando por suas vidas
  • Quando oramos pelas pessoas que estão se sentindo solitárias, podemos ir e orar com eles em suas casas

Esta é a resposta “Eis-me aqui”. Orar, mas também oferecer-se como uma possível resposta àquela oração.

Spanish blog:

Oraciones con pies

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Las iglesias a veces se describen como: misionales, centradas en la adoración, evangelísticas, creyentes en la Biblia, generosas, etc. Sin embargo, ¿no debería ser una iglesia todas estas cosas? De manera similar, otra podría ser conocida como una “iglesia de oración”, como si otras iglesias no fueran conocidas por orar.

Si bien estas declaraciones son generalizaciones y pueden no ser una indicación de la realidad, es cierto que la oración puede ser menos importante en algunos.
Cuando la oración está en el corazón de la celda, está en el corazón de la iglesia. Para ser eficaz e íntima con el corazón del Padre, una célula necesita orar, o mejor aún, desear orar.

Hemos visto grandes movimientos de Dios a través del Cuerpo de Cristo cuando lo ha buscado con gran pasión.

En un mundo que necesita desesperadamente la presencia de Jesús y que Su toque traiga transformación, la Iglesia debe orar. Sin embargo, la iglesia también necesita estar disponible para responder esas oraciones de manera práctica, para ser las manos y los pies de esas oraciones. La oración no es una excusa para la inacción, ¡sino un posicionamiento para la acción!

Al orar juntos en la celda, incorporar una acción en la reunión, puede enfocar a las personas en al menos contribuir a la respuesta. Por ejemplo, cuando:
• Orar por los perseguidos. Considere cómo apoyar a la iglesia perseguida.
• Orando por un misionero. Pida a todos que escriban y publiquen cartas, o que los niños hagan un dibujo, con un estímulo, un pasaje de las Escrituras o simplemente haciéndoles saber que se oró por ellos. Estos se pueden hacer en la reunión real.
• Orando por el gobierno. Escriba al representante local haciéndole saber que oró.
• Orar por las personas que se sienten solas. Ve a rezar en sus casas.

Esta es la respuesta “Aquí estoy”: rezar pero también ofrecernos como posible respuesta a la oración.

.

Leave a Reply

Your email address will not be published.