Evidence Of Hope

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Now faith is the substance of things hoped for, the evidence of realities not seen.  For by it the elders received a commendation (Hebrew 11:2).

This passage says that Faith is the substance or confidence gained from our hope. When we have hope, we have faith, and when we have faith, we have the assurance or confidence for those things that we do not see.

We often hear phrases like, “it is hopeless.”, “I have no hope of…”, or when a bad medical diagnosis is received for instance, “There is no hope!”? These words echo into a person’s soul and the almost automatic result is that faith disappears too, leaving people powerless and without vision (or faith) for a positive outcome.

Hebrews 11 goes on to give examples of those whose faith pleased God. They had promises that were given in times of great difficulty and impossible for them to see at the time, but they were “things hoped for.”

These people were in “hopeless” situations, yet they kept the vision, and their faith rose. What was their hope? Where was it directed?

“But as it is, they yearn for a better land – that is, a Heavenly one. Therefore, God is not ashamed to be called their God, for He has prepared a city for them”(Hebrews 11:16).

They looked beyond the things of this earth and into the future, setting their desires/hope on the coming Kingdom of God.

These people of faith yearned for something not of this earth, for things they couldn’t see and what seemed impossible. Through their trials and testing, they developed a hope that did not disappoint them (Romans 5:5). Their sights were set on a Kingdom, not of this earth and one they could see, but a Kingdom to come… God’s Kingdom! That which is unshakable, never failing, certain and sure.

Because of their faith, they were honored. They had faith for those things that surpassed this age and God saw fit to keep a record of all they accomplished.

What a great example to us as leaders!

Let us return to focus on the Kingdom to come, on the coming King, the One that is the Giver of life, the One who is faithful.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Evidências de Esperança

Por By Andrew Kirk, Diretor do Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Mídia Social – @G2gMandate

Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos. Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho. (Hebreus 11:1,2).

Essa passagem diz que Fé é a substância ou confiança obtida pela nossa esperança. Quando nós temos esperança, nós temos fé, e quando temos fé, nós temos a segurança ou confiança pelas coisas que nós não vemos.

Nós ouvimos frequentemente frases como “já era”, “eu não tenho esperança de …”, ou quando um diagnóstico médico ruim é recebido, por exemplo, “Não há esperança!”? Essas palavras fazem eco dentro da alma de uma pessoa e também quase que automaticamente resulta no desaparecer da fé, deixando as pessoas sem poder e sem visão (ou fé) para um resultado positivo.

Hebreus 11 vai adiante em dar exemplos daqueles cuja fé agradou a Deus. Eles tinham promessas que foram dadas em tempos de grande dificuldade e impossível para que eles vissem à época, mas elas eram “coisas que se esperavam”.

Essas pessoas estavam em situações de “desesperança”, ainda assim eles mantiveram a visão, e a fé deles aumentou. O que era a esperança deles? Para onde ela estava apontada?

Em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, pois preparou-lhes uma cidade.” (Hebreus 11:16).

Eles olhavam para além das coisas dessa terra e para dentro do futuro, ajustando seus desejos/esperança no Reino de Deus que virá.

Essas pessoas de fé ansiavam por algo que não era dessa terra, por coisas que eles não podiam ver e que parecia impossível. Através de suas tribulações e provações eles desenvolveram uma esperança que não os desapontou (Romanos 5:5). Seus olhares estavam firmados no Reino, não em um dessa terra e que eles pudessem ver, mas em um Reino que virá… o Reino de Deus! Aquele que é firme, nunca falha, certo e seguro.

Por causa de sua fé, eles foram honrados. Eles tinham fé para aquelas coisas que surpassaram essa era e Deus viu justo manter um registro de tudo o que eles conquistaram.

Que grande exemplo para nós como líderes!

Vamos retornar o foco no Reino que virá, no Rei que vem, Naquele que é o Doador da vida, Aquele que é fiel.

Spanish blog:

Evidencia de esperanza

Por By Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Social Media – @ G2gMandate

Es, pues, la fe la certeza de lo que se espera, la convicción de lo que no se ve. Porque por ella alcanzaron buen testimonio los antiguos. (Hebreos 11: 2).

Este pasaje dice que la fe es la sustancia o la confianza obtenida de nuestra esperanza. Cuando tenemos esperanza, tenemos fe, y cuando tenemos fe, tenemos la seguridad o la confianza de aquellas cosas que no vemos.

A menudo escuchamos frases como “no hay esperanza”, “no tengo esperanza de …”, o cuando se recibe un mal diagnóstico médico, por ejemplo, “¡no hay esperanza!” Estas palabras hacen eco en el alma de una persona y el resultado casi automático es que la fe también desaparece, dejando a las personas impotentes y sin visión (o fe) para un resultado positivo.

Hebreos 11 continúa dando ejemplos de aquellos cuya fe agradó a Dios. Tenían promesas que se hicieron en tiempos de gran dificultad e imposibles de ver en ese momento, pero eran “cosas que se esperaban”.

Estas personas estaban en situaciones “desesperadas”, pero mantuvieron la visión y su fe aumentó. ¿Cuál era su esperanza? ¿A dónde estaba dirigida?

“Pero anhelaban una mejor, esto es, celestial; por lo cual Dios no se avergüenza de llamarse Dios de ellos; porque les ha preparado una ciudad” (Hebreos 11:16).

Miraron más allá de las cosas de esta tierra y hacia el futuro, estableciendo sus deseos / esperanza en el próximo Reino de Dios.

Estas personas de fe anhelaban algo que no fuera de esta tierra, cosas que no podían ver y que parecían imposibles. A través de sus pruebas y juicios desarrollaron una esperanza que no los decepcionó (Romanos 5: 5). Sus miradas estaban puestas en un Reino, no de esta tierra y uno que podían ver, sino un Reino por venir … ¡El Reino de Dios! Lo que es inquebrantable, nunca falla, cierto y seguro.

Debido a su fe, fueron honrados. Tenían fe en aquellas cosas que superaron esta época y Dios consideró oportuno llevar un registro de todo lo que lograron.

¡Qué gran ejemplo para nosotros como líderes!

Volvamos a enfocarnos en el Reino por venir, en el Rey que viene, el que es el Dador de la vida, el que es fiel.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

The Wilderness Romance

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Some countries are starting to come out of lockdown and explore how the Church is to operate in this next phase. While this has not been a pleasant experience for many, I hope it will have been a time of reflection, growth, and preparation. Covid-19 has been a kind of wilderness experience for us all.

I love this passage in Hosea 2:14 “Therefore I am now going to allure her; I will lead her into the wilderness and speak tenderly to her.” This is God talking about Israel, but so often this is the case for all of us. Where do we really grow? In the wilderness. And this is why I hope that the Covid-19 time is a wilderness experience for all of us.

I find it amusing in a way, that God says He is going to allure her, to speak tenderly to her. This sounds like a lovely date, at a nice restaurant, maybe around a campfire. But where does God say He will do this? Where is His choice location to grow in relationship, to allure, to speak tenderly? It’s the wilderness! This would not exactly be my first choice of location to woo someone!

Why the wilderness? God says,” She will respond there,” v17. I truly believe that during this worldwide experience God is saying, “My Body, My Church, will you respond there? Will you respond in this wilderness?”

We all, as His Body, need to respond, to grow, to adapt, and to ask for forgiveness for our past mistakes. We also need to move into a new season of greater boldness because there are exciting, challenging times ahead.

The wilderness is where everything is stripped away. It’s a very intense environment where you have plenty of time to yourself, to think, to seek God, and even to ask Him for help to make it through the experience. In the wilderness, we have the opportunity to seek God’s face.

As we come through this I pray, that the Church will emerge refined, purified, emboldened, and ready to stand firm on Jesus our foundation. God is preparing us to welcome back the King  “confident and unashamed before him at his coming.” 1 John 2:28

Church this is your time! Church this is your moment! Church, God is alluring you, will you respond in the wilderness?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Romance no Deserto

Por Andrew Kirk, Diretor do Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Mídia Social – @G2gMandate

Alguns países estão começando a sair do lockdown e a explorar como a Igreja operará nessa próxima fase. Enquanto para muitos essa não tem sido uma experiência prazerosa, eu espero que tenha sido um tempo de reflexão, crescimento e preparação. Covid-19 tem sido uma experiência desértica para todos nós.

Eu amo essa passagem de Oséias 2:14 “Portanto, agora vou atraí-la; vou levá-la para o deserto e vou falar-lhe com carinho.” Esse é Deus falando sobre Israel, porém frequentemente esse é o caso de todos nós. Onde realmente nós crescemos? No deserto. E é por isso que eu espero que o tempo da Covid-19 seja uma experiência desértica para todos nós

Eu acho divertido, de certa forma, que Deus diga que Ele vai atraí-la, falar-lhe com carinho. Isso soa como um encontro romântico, em um restaurante legal, talvez ao redor de uma fogueira. Mas aonde Deus diz que ele fará isso? Onde é o Seu lugar de escolha para fazer crescer em relacionamento, atrair e falar com carinho? É no deserto! Esse não seria exatamente minha primeira opção de lugar para cortejar alguém!

Por que o deserto? Deus diz, “ali ela me responderá,” v.15. Eu verdadeiramente acredito que durante essa experiência mundial Deus está dizendo, “Meu Corpo, Minha Igreja, Você me responderá ali? Você me responderá no deserto?”

Todos nós, como Seu Corpo precisamos responder, crescer, adaptar e pedir por perdão por nossos erros passado. Nós também precisamos nos mover para uma nova estação de grande ousadia porque existem tempos desafiadores e empolgantes adiante.

O deserto é onde tudo é retirado. É um ambiente muito intenso onde você tem muito tempo para você mesmo, para pensar, buscar a Deus e até mesmo pedir a Ele para ajudar a passar pela experiência. No deserto, nós temos a oportunidade de buscar a face de Deus.

Enquanto nós passamos por isso eu oro, que a Igreja emergirá refinada, purificada, encorajada e pronta para ficar firme em Jesus nossa fundação. Deus está nos preparando pra receber de volta o Rei “com confiança e não sejamos envergonhados diante dele na sua vinda.” 1 João 2:28

Igreja essa é a sua hora! Igreja esse é o seu momento! Igreja, Deus está atraindo você, você vai responder no deserto? 

Spanish blog:

El romance del desierto

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Algunos países están comenzando a salir del encierro y explorar cómo debe funcionar la Iglesia en esta próxima fase. Si bien esto no ha sido una experiencia agradable para muchos, espero que haya sido un momento de reflexión, crecimiento y preparación. El Covid-19 ha sido una especie de experiencia salvaje para todos nosotros.

Me encanta este pasaje en Oseas 2:14 “Pero he aquí que yo la atraeré y la llevaré al desierto, y hablaré a su corazón.” Este es Dios hablando de Israel, pero a menudo este es el caso para todos nosotros. ¿Dónde realmente crecemos? En el desierto. Y es por eso que espero que el tiempo el covid-19 sea una experiencia en el desierto para todos nosotros.

De alguna manera me parece divertido, que Dios dice que la va a atraer, a hablarle al corazón. Esto suena como una cita encantadora, en un buen restaurante, tal vez alrededor de una fogata. Pero, ¿dónde dice Dios que hará esto? ¿Dónde está su lugar de elección para crecer en relación, para atraer, para hablar con ternura? ¡Es el desierto! ¡Esta no sería exactamente mi primera opción de ubicación para atraer a alguien!

¿Por qué el desierto? Dios dice: “Ella responderá allí”, v17. Verdaderamente creo que durante esta experiencia mundial Dios está diciendo: “Mi cuerpo, mi iglesia, ¿responderás allí? ¿Responderás en este desierto?

Todos, como Su Cuerpo, necesitamos responder, crecer, adaptarnos y pedir perdón por nuestros errores pasados. También tenemos que pasar a una nueva temporada de mayor audacia porque hay tiempos emocionantes y desafiantes por delante.

El desierto es donde nos despojamos de todo. Es un ambiente muy intenso donde tienes mucho tiempo para ti mismo, para pensar, para buscar a Dios e incluso para pedirle ayuda para superar esta experiencia. En el desierto, tenemos la oportunidad de buscar el rostro de Dios.

Al pasar por esto, oro para que la Iglesia emerja refinada, purificada, envalentonada y lista para mantenerse firme sobre Jesús, nuestro fundamento. Dios nos está preparando para dar la bienvenida al Rey “confiados y sin vergüenza ante él en su venida”. 1 juan 2:28

Iglesia este es tu momento! Iglesia este es tu momento! Iglesia, Dios te está atrayendo, ¿responderás en el desierto?

For this matter is of Me

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Over the last few years, I have been involved in conversations about discerning whether we are working with or against God. When we are praying about issues such as the current COVID-19, what should our stance be? How do we recognize times when things are “of God” and when they are not and how do we navigate them? As leaders, we must closely follow our Leader to bring our cells in alignment with Him.

In 2 Chronicles 11:4, Rehoboam assembled 180,000 warriors from the houses of Judah and Benjamin ready to fight against Israel. But then the word of God was spoken through a man called Shemaiah to Rehoboam saying “You shall not go up nor fight against your kinsmen. Let everyone return to his house for this matter is of Me.”

The phrase “for this matter is of Me” stood out to me. What catastrophe would have occurred if Rehoboam had gone ahead with what he thought was right?  The reality is that he would have been in direct opposition to God’s plans and direction.

How do we know when God is allowing something to happen or when He is proactively doing something? How do we know when to rise and pray against something or to rejoice in what God is doing? Or maybe God wants us to stand with him in persevering prayer, knowing that he is perfectly working all things together for good?

Throughout history, God has been and will continue to move, in ways we don’t expect or understand. We need community and to wrestle with this issue, even more as His return draws near.

I can’t remember a time when it was of such importance to dive headfirst into His plans and purposes. We must ask for wisdom to navigate His Body through times of growth, perseverance, and rewards for those who endure until the end.

In 2 Chronicles 11, Rehoboam listened to God and brought his warriors home, working with God, and waiting for His plan to be worked out.

It is increasingly important for us as leaders–even more so in the years ahead—to understand what is going on around us, when to oppose something, and when to recognize it is from the hand of God and to run with it. We are trusted to lead His Bride through stormy seas, helping to keep the church fixed on the Bridegroom, that she may be “confident and unashamed on the day of His return” (1 John 2:28).

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do Google. Quando a tradução normal for recebida, ela será publicada no site do JCG:

Pois este assunto é de Mim
 
Por Andrew Kirk, diretor de geração 2, site – www.G2gMandate.org, mídia social – @ G2gMandate
 
Nos últimos anos, estive envolvido em conversas sobre discernir se estamos trabalhando com ou contra Deus. Quando estamos orando sobre questões como o atual COVID-19, qual deve ser nossa posição? Como reconhecemos momentos em que as coisas são “de Deus” e quando não são e como as navegamos? Como líderes, devemos seguir de perto o nosso líder para alinhar nossas células com ele.
 
Em 2 Crônicas 11: 4, Roboão reuniu 180.000 guerreiros das casas de Judá e Benjamim, prontos para lutar contra Israel. Mas então a palavra de Deus foi dita através de um homem chamado Semaías a Roboão, dizendo: “Você não deve subir nem lutar contra seus parentes. Que todos voltem para sua casa, pois este assunto é de Mim.
 
A frase “este assunto é de Mim” se destacou para mim. Que catástrofe teria ocorrido se Roboão seguisse em frente com o que achava certo? A realidade é que ele estaria em oposição direta aos planos e direção de Deus.
 
Como sabemos quando Deus está permitindo que algo aconteça ou quando Ele está fazendo algo de maneira proativa? Como sabemos quando nos levantar e orar contra algo ou nos regozijar com o que Deus está fazendo? Ou talvez Deus queira que fiquemos com ele em oração perseverante, sabendo que ele está perfeitamente trabalhando todas as coisas juntas para o bem?
 
Ao longo da história, Deus tem sido e continuará a se mover, de maneiras que não esperamos ou entendemos. Precisamos de comunidade e de lutar com esse assunto, ainda mais à medida que Seu retorno se aproxima.
 
Não me lembro de uma época em que era tão importante mergulhar de cabeça em Seus planos e propósitos. Devemos pedir sabedoria para navegar em Seu Corpo através de tempos de crescimento, perseverança e recompensas para aqueles que perseverarem até o fim.
 
Em 2 Crônicas 11, Roboão ouviu Deus e trouxe seus guerreiros para casa, trabalhando com Deus, e esperando que Seu plano fosse elaborado.
 
É cada vez mais importante para nós, como líderes – ainda mais nos próximos anos – entender o que está acontecendo ao nosso redor, quando nos opor a algo e quando reconhecê-lo é da mão de Deus e correr com ela. Temos a confiança de liderar Sua Noiva através dos mares tempestuosos, ajudando a manter a igreja fixa no Noivo, para que ela fique “confiante e sem vergonha no dia de Seu retorno” (1 João 2:28).

Spanish blog:

Porque yo he hecho esto

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

En los últimos años, he estado involucrado en conversaciones sobre discernir si estamos trabajando con Dios o en contra de él. Cuando oramos sobre temas como el actual COVID-19, ¿cuál debería ser nuestra postura? ¿Cómo reconocemos los momentos en que las cosas son “de Dios” y cuando no lo son y cómo las navegamos? Como líderes, debemos seguir de cerca a nuestro Líder para alinear nuestras células con Él.

En 2 Crónicas 11: 4, Roboam reunió a 180,000 guerreros de las casas de Judá y Benjamín listos para luchar contra Israel. Pero luego, la palabra de Dios fue dicha a través de un hombre llamado Semaías a Roboam y ese le dijo: “Así ha dicho Jehová: No subáis ni peleéis contra vuestros hermanos; vuélvase cada uno a su casa, porque yo he hecho esto.”

La frase “porqué yo he hecho esto” se destaca para mí. ¿Qué catástrofe habría ocurrido si Roboam hubiera seguido adelante con lo que él pensaba que era correcto? La realidad es que él habría estado en oposición directa a los planes y la dirección de Dios.

¿Cómo sabemos cuándo Dios permite que algo suceda o cuándo hace algo de manera proactiva? ¿Cómo sabemos cuándo levantarnos y orar contra algo o regocijarnos en lo que Dios está haciendo? ¿O tal vez Dios quiere que estemos con él en oración perseverante, sabiendo que él está trabajando perfectamente todas las cosas para bien?

A lo largo de la historia, Dios se ha movido y seguirá moviéndose, de maneras que no esperamos ni entendemos. Necesitamos comunidad y luchar con este problema, aún más a medida que se acerca Su regreso.

No recuerdo un momento en que fuera tan importante sumergirse por completo en sus planes y propósitos. Debemos pedir sabiduría para navegar Su Cuerpo a través de tiempos de crecimiento, perseverancia y recompensas para aquellos que aguantan hasta el final.

En 2 Crónicas 11, Roboam escuchó a Dios y trajo a sus guerreros a casa, trabajando con Dios y esperando que su plan se desarrollara.

Es cada vez más importante para nosotros como líderes, aún más en los años venideros, comprendamos lo que está sucediendo a nuestro alrededor, cuándo oponerse a algo y cuándo reconocer que es de la mano de Dios y correr con él. Se nos confía para guiar a Su Novia a través de mares tormentosos, ayudando a mantener la iglesia fija en el Novio, para que pueda estar “segura y sin vergüenza el día de Su regreso” (1 Juan 2:28).

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Building An Ark (Coronavirus and Global Economies)

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

In the light of the current coronavirus outbreak, I thought I would switch gear and suggest ideas for how we might respond.

A passage close to my heart is 1 Chronicles 12:32, “the men of Issachar knew the signs of the times and knew what to do.” There is much talk about the times but not about what we should do.

We live in a world that is changing at ever-increasing speeds. Statistics about the coronavirus changes daily. It can be hard to know what to believe, as there are so many variables during this relatively early stage.

We can lead people’s focus to our unchanging God, seeking Him for His wisdom and plans. Repeatedly, we are encouraged to ’not be alarmed’ (Matthew 24:6). He is still The Ruler of the Nations!

Matthew 24 also tells us these things will increase so this is a good time to practice and prepare for years ahead.

Jesus also talks about the days of Noah (Matthew 24:37). What can we learn from Noah? He was told to prepare an ark, a very practical step, not only for his family, but an opportunity for those around him.

While not following the widespread panic, we should take relevant precautions. We can prepare “arks” by doing practical things to care for those around us. The cells are to be a sanctuary where we  care for the lost, the sick, scared, and vulnerable.

Big gatherings have already started to be prohibited and most likely this will affect celebration gatherings. This is a great example of the importance of cells  when large gatherings are stopped. Cells can continue to meet and build up Christ’s body. It could be that all the training and coaching has been for this moment.

People may need support through this bumpy road. This is a perfect time for cells to step up and be an answer. While cooperating with local and national responses.

This is a time of uncertainty, a time we can sit up and take note, a time we can seek God’s help and ask for wisdom. We need to hold together  while looking to the One who is our firm foundation.

Acts 2 gives us a clear vision of a people who needed each other. This could be the time when we will need to live out sharing resources. While the coronavirus is a problem, I believe a potentially bigger issue could be the the global economy.

As public gatherings, schools and colleges are being closed, imports and exports are already being negatively affected. Stores are  being depleted and this will affect people’s ability to make an income.

How are we preparing to help people in these situations? I encourage all of you to think about what it means for you to build an “ark”, bringing hope while our communities and nations are being shaken.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do Google. Quando a tradução normal é recebida, ela será publicada no site do JCG.

Construindo uma arca (coronavírus e economias globais)
Por Andrew Kirk, diretor de geração 2, site – www.G2gMandate.org, mídia social – @ G2gMandate

À luz do atual surto de coronavírus, pensei em trocar de equipamento e sugerir idéias sobre como poderíamos responder.

Uma passagem perto do meu coração é 1 Crônicas 12:32, “os homens de Issacar sabiam os sinais dos tempos e sabiam o que fazer”. Fala-se muito sobre os tempos, mas não sobre o que devemos fazer.

Vivemos em um mundo que está mudando a velocidades cada vez maiores. Estatísticas sobre o coronavírus mudam diariamente. Pode ser difícil saber em que acreditar, pois há muitas variáveis ​​nesse estágio relativamente inicial.

Podemos levar o foco das pessoas ao nosso Deus imutável, buscando a Ele por Sua sabedoria e planos. Repetidamente, somos encorajados a ‘não se alarmar’ (Mateus 24: 6). Ele ainda é o Governante das Nações!

Mateus 24 também nos diz que essas coisas aumentarão, portanto é um bom momento para praticar e se preparar para os próximos anos.

Jesus também fala sobre os dias de Noé (Mateus 24:37). O que podemos aprender com Noé? Foi-lhe dito que preparasse uma arca, um passo muito prático, não apenas para sua família, mas uma oportunidade para as pessoas ao seu redor.

Embora não sigamos o pânico generalizado, devemos tomar as precauções relevantes. Podemos preparar “arcas” fazendo coisas práticas para cuidar das pessoas ao nosso redor. As células devem ser um santuário onde cuidamos dos perdidos, doentes, assustados e vulneráveis.

Grandes reuniões já começaram a ser proibidas e provavelmente isso afetará as reuniões de celebração. Este é um ótimo exemplo da importância das células quando grandes reuniões são interrompidas. As células podem continuar se encontrando e edificando o corpo de Cristo. Pode ser que todo o treinamento e treinamento tenha sido para esse momento.

As pessoas podem precisar de apoio por essa estrada esburacada. Este é um momento perfeito para as células se intensificarem e serem uma resposta. Enquanto coopera com as respostas locais e nacionais.

Este é um momento de incerteza, um momento em que podemos sentar e tomar nota, um momento em que podemos buscar a ajuda de Deus e pedir sabedoria. Precisamos nos manter unidos enquanto olhamos para Aquele que é o nosso firme fundamento.

Atos 2 nos dá uma visão clara de um povo que precisava um do outro. Pode ser o momento em que precisaremos viver compartilhando recursos. Embora o coronavírus seja um problema, acredito que uma questão potencialmente maior possa ser a economia global.

À medida que reuniões públicas, escolas e faculdades estão sendo fechadas, as importações e exportações já estão sendo afetadas negativamente. As lojas estão sendo esgotadas e isso afetará a capacidade das pessoas de gerar receita.

Como estamos nos preparando para ajudar as pessoas nessas situações? Encorajo todos vocês a pensar no que significa construir uma “arca”, trazendo esperança enquanto nossas comunidades e nações estão sendo abaladas.

Spanish blog:

Construyendo un Arca (Coronavirus y Economías Globales)

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

A la luz del brote actual de coronavirus, pensé en cambiar de marcha y sugerir ideas sobre cómo podríamos responder.

Un pasaje cercano a mi corazón es 1 Crónicas 12:32, “los hombres de Isacar conocían las señales de los tiempos y sabían qué hacer”. Se habla mucho de los tiempos, pero no de lo que debemos hacer.

Vivimos en un mundo que está cambiando a velocidades cada vez mayores. Las estadísticas sobre el coronavirus cambian a diario. Puede ser difícil saber qué creer, ya que hay tantas variables durante esta etapa relativamente temprana.

Podemos dirigir el enfoque de las personas hacia nuestro Dios inmutable, buscándolo por su sabiduría y planes. En repetidas ocasiones, se nos anima a “no estar alarmados” (Mateo 24: 6). Él sigue siendo el gobernante de las naciones!

Mateo 24 también nos dice que estas cosas aumentarán, así que este es un buen momento para practicar y prepararse para los próximos años.

Jesús también habla de los días de Noé (Mateo 24:37). ¿Qué podemos aprender de Noé? Le dijeron que preparara un arca, un paso muy práctico, no solo para su familia, sino también una oportunidad para quienes lo rodean.

Sin seguir el pánico generalizado, debemos tomar las precauciones pertinentes. Podemos preparar “arcas” haciendo cosas prácticas para cuidar a quienes nos rodean. Las células deben ser un santuario donde cuidamos a los perdidos, enfermos, asustados y vulnerables.

Las grandes reuniones ya han comenzado a prohibirse y lo más probable es que esto afecte las reuniones de celebración. Este es un gran ejemplo de la importancia de las células cuando se detienen las grandes reuniones. Las células pueden continuar reuniéndose y edificando el cuerpo de Cristo. Podría ser que todo el entrenamiento y supervision han sido para este momento.

Las personas pueden necesitar apoyo a través de este camino lleno de baches. Este es un momento perfecto para que las células den un paso adelante y sean una respuesta. Mientras coopera con las respuestas locales y nacionales.

Este es un momento de incertidumbre, un momento en que podemos sentarnos y tomar nota, un momento en que podemos buscar la ayuda de Dios y pedir sabiduría. Necesitamos mantenernos unidos mientras miramos a Aquel que es nuestra base firme.

Hechos 2 nos da una visión clara de las personas que se necesitan mutuamente. Este podría ser el momento en que tendremos que vivir compartiendo recursos. Si bien el coronavirus es un problema, creo que un problema potencialmente mayor podría ser la economía global.

A medida que se cierran las reuniones públicas, las escuelas y las universidades, las importaciones y exportaciones ya se ven afectadas negativamente. Las tiendas se están agotando y esto afectará la capacidad de las personas para generar ingresos.

¿Cómo nos estamos preparando para ayudar a las personas en estas situaciones? Les animo a todos a pensar en lo que significa para ustedes construir un “arca”, trayendo esperanza mientras nuestras comunidades y naciones están siendo sacudidas.

Who Is Your Shadow?

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

When looking at the subject of coaching, I love the example of Moses and Joshua, as a great example of raising the next generation of leaders. Every model of discipleship in the Bible is generational, but the principles work in terms of raising leaders generally.

In Numbers 27:18, God was choosing the leader of the Jewish people to follow Moses. Joshua was a young man with a teachable and servant heart. Moses spent individual time with him taking him where others did not go. Joshua was his helper, companion, and confidante. Joshua was Moses’ shadow.

We see in Exodus 17:14 how God was active in leading Moses in his raising up of Joshua. You could say Moses was just a chosen and willing participant. Moses followed God’s guidance in coaching Joshua to lead the next generation.

Moses was not doing what he wanted and raising the leader he wanted. Rather, it was about his following God’s plans, doing what God wanted, and developing God’s chosen leader.

Are we acting on our preconceived ideas of what we want in a leader, or are we seeking after what God wants in the leaders we are raising?

While raising Joshua, Moses took him places no one else went. In Exodus 24:12-14, the elders could only go so far up the mountain. Only one person got to experience God in the same way as Moses. That person was Joshua, who started his leadership training as a servant.

God’s way is always successful, and Moses did such a good job that after he had died, God could confidently say to Joshua in Joshua 3:7 “Today I will begin to exalt you in the eyes of all Israel, so they may know that I am with you as I was with Moses.”

Joshua had been a faithful disciple, and could, therefore, emerge as a successful leader. Joshua 8:35 says “There was not a word of all that Moses had commanded that Joshua did not read to the whole assembly of Israel, including the women and children, and the foreigners who lived among them.”

Moses had done so well that even after he had died, Joshua continued to be guided by his coaching. I can imagine Joshua saying, “Thank God for Moses, he is still leading me.” That’s what those coming after us should be able to say. They should sense that we were guided by the Spirit and will remember our actions when we’re no longer around.

Moses set an amazing example of raising Joshua to be the leader God wanted, to lead a people, to use strategies, to enter a land, and fight battles that Moses had not experienced himself.

Let Moses be a role model for coaching our leaders to guide the generations into their God-given dreams and visions.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quem é sua sombra?

Por Andrew Kirk, diretor do ministério Generation 2 Generation, site – www.G2gMandate.org, Redes Socias – @ G2gMandate

Ao olhar para o assunto de treinamento, eu amo o exemplo de Moisés e Josué, como um ótimo exemplo de como levantar a próxima geração de líderes. Todo modelo de discipulado na Bíblia é geracional, mas os princípios funcionam em termos de criar líderes em geral.

Em Números 27:18, Deus estava escolhendo o líder do povo judeu para dar sequencia a Moisés. Josué era um jovem de coração ensinável e servo. Moisés passou um tempo individual com ele, levando-o para onde outras não foram. Joshua era seu ajudante, companheiro e confidente. Josué era a sombra de Moisés.

Vemos em Êxodo 17:14 como Deus foi ativo em liderar Moisés ao levantar Josué. Você poderia dizer que Moisés era apenas um participante escolhido e disposto. Moisés seguiu a orientação de Deus ao treinar Josué para liderar a próxima geração.

Moisés não estava fazendo o que queria e elevando o líder que desejava. Antes, era sobre ele seguir os planos de Deus, fazer o que Deus queria e desenvolver o líder escolhido por Deus.

Estamos agindo com base em nossas idéias preconcebidas sobre o que queremos em um líder, ou estamos buscando o que Deus quer nos líderes que estamos criando?

Ao levantar Josué, Moisés o levou a lugares onde ninguém mais foi. Em Êxodo 24: 12-14, os anciãos só podiam ir tão longe na montanha. Somente uma pessoa experimentou Deus da mesma maneira que Moisés. Essa pessoa foi Josué, que iniciou seu treinamento de liderança como servo.

O caminho de Deus é sempre bem-sucedido, e Moisés fez um trabalho tão bom que, depois que ele morresse, Deus poderia dizer com confiança a Josué em Josué 3: 7 “Hoje começarei a exaltá-lo à vista de todo o Israel, para que saibam que estarei com você como estive com Moisés.

Josué tinha sido um discípulo fiel e, portanto, poderia emergir como um líder de sucesso. Josué 8:35 diz “Não houve uma só palavra de tudo o que Moisés tinha ordenado que Josué não lesse para toda a assembléia de Israel, inclusive mulheres, crianças, e os estrangeiros que viviam no meio deles.

Moisés se saiu tão bem que, mesmo depois de sua morte, Josué continuou sendo guiado por seu treinamento. Posso imaginar Josué dizendo: “Graças a Deus por Moisés, ele ainda está me guiando”. É o que aqueles que vêm depois de nós devem ser capazes de dizer. Eles devem sentir que fomos guiados pelo Espírito e lembrarão de nossas ações quando não estivermos mais por perto.

Moisés deu um exemplo incrível de levantar Josué a ser o líder que Deus queria, liderar um povo, usar estratégias, entrar em uma terra e travar batalhas que Moisés nunca havia experimentado.

Que Moisés seja um modelo para treinar nossos líderes a guiar as gerações em seus sonhos e visões dados por Deus.

Spanish blog:

¿Quién es tu sombra?

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Al mirar el tema del entrenamiento, me encanta el ejemplo de Moisés y Josué, como un gran ejemplo de criar a la próxima generación de líderes. Cada modelo de discipulado en la Biblia es generacional, pero los principios funcionan en términos de criar líderes en general.

En Números 27:18, Dios estaba eligiendo al líder del pueblo judío para seguir a Moisés. Josué era un hombre joven con un corazón servicial y enseñable. Moisés pasó un tiempo individual con él llevándolo a donde otros no fueron. Josué fue su ayudante, compañero y confidente. Josué era la sombra de Moisés.

Vemos en Éxodo 17:14 cómo Dios fue activo al guiar a Moisés en su levantamiento de Josué. Se podría decir que Moisés fue un participante elegido y dispuesto. Moisés siguió la guía de Dios al entrenar a Josué para liderar la próxima generación.

Moisés no estaba haciendo lo que quería y criando al líder que quería. Más bien, se trataba de seguir los planes de Dios, hacer lo que Dios quería y desarrollar el líder elegido por Dios.

¿Estamos actuando sobre nuestras ideas preconcebidas de lo que queremos en un líder, o estamos buscando lo que Dios quiere en los líderes que estamos levantando?

Mientras equipaba a Josué, Moisés lo llevó a lugares a los que nadie más fue. En Éxodo 24: 12-14, los ancianos solo podían ir tan lejos por la montaña. Solo una persona pudo experimentar a Dios de la misma manera que Moisés. Esa persona era Josué, quien comenzó su entrenamiento de liderazgo como sirviente.

El camino de Dios siempre es exitoso, y Moisés hizo un trabajo tan bueno que después de su muerte, Dios pudo decirle a Josué con confianza en Josué 3: 7 “Hoy comenzaré a exaltarte a los ojos de todo Israel, para que sepan que Estoy contigo como estuve con Moisés “.

Josué había sido un discípulo fiel y, por lo tanto, podría emerger como un líder exitoso. Josué 8:35 dice “No había una palabra de todo lo que Moisés había mandado que Josué no leyó a toda la asamblea de Israel, incluidas las mujeres y los niños, y los extranjeros que vivían entre ellos”.

A Moisés le había ido tan bien que incluso después de su muerte, Josué continuó guiándose por su entrenamiento. Me imagino a Josué diciendo: “Gracias a Dios por Moisés, él todavía me está guiando”. Eso es lo que los que vienen después de nosotros deberían poder decir. Deben sentir que fuimos guiados por el Espíritu y recordarán nuestras acciones cuando ya no estemos cerca.

Moisés dio un ejemplo increíble de criar a Josué para que fuera el líder que Dios quería, para dirigir a un pueblo, usar estrategias, ingresar a una tierra y pelear batallas que Moisés no había experimentado.

Dejemos que Moisés sea un modelo a seguir para entrenar a nuestros líderes para guiar a las generaciones hacia sus sueños y visiones dados por Dios.