Building An Ark (Coronavirus and Global Economies)

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

In the light of the current coronavirus outbreak, I thought I would switch gear and suggest ideas for how we might respond.

A passage close to my heart is 1 Chronicles 12:32, “the men of Issachar knew the signs of the times and knew what to do.” There is much talk about the times but not about what we should do.

We live in a world that is changing at ever-increasing speeds. Statistics about the coronavirus changes daily. It can be hard to know what to believe, as there are so many variables during this relatively early stage.

We can lead people’s focus to our unchanging God, seeking Him for His wisdom and plans. Repeatedly, we are encouraged to ’not be alarmed’ (Matthew 24:6). He is still The Ruler of the Nations!

Matthew 24 also tells us these things will increase so this is a good time to practice and prepare for years ahead.

Jesus also talks about the days of Noah (Matthew 24:37). What can we learn from Noah? He was told to prepare an ark, a very practical step, not only for his family, but an opportunity for those around him.

While not following the widespread panic, we should take relevant precautions. We can prepare “arks” by doing practical things to care for those around us. The cells are to be a sanctuary where we  care for the lost, the sick, scared, and vulnerable.

Big gatherings have already started to be prohibited and most likely this will affect celebration gatherings. This is a great example of the importance of cells  when large gatherings are stopped. Cells can continue to meet and build up Christ’s body. It could be that all the training and coaching has been for this moment.

People may need support through this bumpy road. This is a perfect time for cells to step up and be an answer. While cooperating with local and national responses.

This is a time of uncertainty, a time we can sit up and take note, a time we can seek God’s help and ask for wisdom. We need to hold together  while looking to the One who is our firm foundation.

Acts 2 gives us a clear vision of a people who needed each other. This could be the time when we will need to live out sharing resources. While the coronavirus is a problem, I believe a potentially bigger issue could be the the global economy.

As public gatherings, schools and colleges are being closed, imports and exports are already being negatively affected. Stores are  being depleted and this will affect people’s ability to make an income.

How are we preparing to help people in these situations? I encourage all of you to think about what it means for you to build an “ark”, bringing hope while our communities and nations are being shaken.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do Google. Quando a tradução normal é recebida, ela será publicada no site do JCG.

Construindo uma arca (coronavírus e economias globais)
Por Andrew Kirk, diretor de geração 2, site – www.G2gMandate.org, mídia social – @ G2gMandate

À luz do atual surto de coronavírus, pensei em trocar de equipamento e sugerir idéias sobre como poderíamos responder.

Uma passagem perto do meu coração é 1 Crônicas 12:32, “os homens de Issacar sabiam os sinais dos tempos e sabiam o que fazer”. Fala-se muito sobre os tempos, mas não sobre o que devemos fazer.

Vivemos em um mundo que está mudando a velocidades cada vez maiores. Estatísticas sobre o coronavírus mudam diariamente. Pode ser difícil saber em que acreditar, pois há muitas variáveis ​​nesse estágio relativamente inicial.

Podemos levar o foco das pessoas ao nosso Deus imutável, buscando a Ele por Sua sabedoria e planos. Repetidamente, somos encorajados a ‘não se alarmar’ (Mateus 24: 6). Ele ainda é o Governante das Nações!

Mateus 24 também nos diz que essas coisas aumentarão, portanto é um bom momento para praticar e se preparar para os próximos anos.

Jesus também fala sobre os dias de Noé (Mateus 24:37). O que podemos aprender com Noé? Foi-lhe dito que preparasse uma arca, um passo muito prático, não apenas para sua família, mas uma oportunidade para as pessoas ao seu redor.

Embora não sigamos o pânico generalizado, devemos tomar as precauções relevantes. Podemos preparar “arcas” fazendo coisas práticas para cuidar das pessoas ao nosso redor. As células devem ser um santuário onde cuidamos dos perdidos, doentes, assustados e vulneráveis.

Grandes reuniões já começaram a ser proibidas e provavelmente isso afetará as reuniões de celebração. Este é um ótimo exemplo da importância das células quando grandes reuniões são interrompidas. As células podem continuar se encontrando e edificando o corpo de Cristo. Pode ser que todo o treinamento e treinamento tenha sido para esse momento.

As pessoas podem precisar de apoio por essa estrada esburacada. Este é um momento perfeito para as células se intensificarem e serem uma resposta. Enquanto coopera com as respostas locais e nacionais.

Este é um momento de incerteza, um momento em que podemos sentar e tomar nota, um momento em que podemos buscar a ajuda de Deus e pedir sabedoria. Precisamos nos manter unidos enquanto olhamos para Aquele que é o nosso firme fundamento.

Atos 2 nos dá uma visão clara de um povo que precisava um do outro. Pode ser o momento em que precisaremos viver compartilhando recursos. Embora o coronavírus seja um problema, acredito que uma questão potencialmente maior possa ser a economia global.

À medida que reuniões públicas, escolas e faculdades estão sendo fechadas, as importações e exportações já estão sendo afetadas negativamente. As lojas estão sendo esgotadas e isso afetará a capacidade das pessoas de gerar receita.

Como estamos nos preparando para ajudar as pessoas nessas situações? Encorajo todos vocês a pensar no que significa construir uma “arca”, trazendo esperança enquanto nossas comunidades e nações estão sendo abaladas.

Spanish blog:

Construyendo un Arca (Coronavirus y Economías Globales)

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

A la luz del brote actual de coronavirus, pensé en cambiar de marcha y sugerir ideas sobre cómo podríamos responder.

Un pasaje cercano a mi corazón es 1 Crónicas 12:32, “los hombres de Isacar conocían las señales de los tiempos y sabían qué hacer”. Se habla mucho de los tiempos, pero no de lo que debemos hacer.

Vivimos en un mundo que está cambiando a velocidades cada vez mayores. Las estadísticas sobre el coronavirus cambian a diario. Puede ser difícil saber qué creer, ya que hay tantas variables durante esta etapa relativamente temprana.

Podemos dirigir el enfoque de las personas hacia nuestro Dios inmutable, buscándolo por su sabiduría y planes. En repetidas ocasiones, se nos anima a “no estar alarmados” (Mateo 24: 6). Él sigue siendo el gobernante de las naciones!

Mateo 24 también nos dice que estas cosas aumentarán, así que este es un buen momento para practicar y prepararse para los próximos años.

Jesús también habla de los días de Noé (Mateo 24:37). ¿Qué podemos aprender de Noé? Le dijeron que preparara un arca, un paso muy práctico, no solo para su familia, sino también una oportunidad para quienes lo rodean.

Sin seguir el pánico generalizado, debemos tomar las precauciones pertinentes. Podemos preparar “arcas” haciendo cosas prácticas para cuidar a quienes nos rodean. Las células deben ser un santuario donde cuidamos a los perdidos, enfermos, asustados y vulnerables.

Las grandes reuniones ya han comenzado a prohibirse y lo más probable es que esto afecte las reuniones de celebración. Este es un gran ejemplo de la importancia de las células cuando se detienen las grandes reuniones. Las células pueden continuar reuniéndose y edificando el cuerpo de Cristo. Podría ser que todo el entrenamiento y supervision han sido para este momento.

Las personas pueden necesitar apoyo a través de este camino lleno de baches. Este es un momento perfecto para que las células den un paso adelante y sean una respuesta. Mientras coopera con las respuestas locales y nacionales.

Este es un momento de incertidumbre, un momento en que podemos sentarnos y tomar nota, un momento en que podemos buscar la ayuda de Dios y pedir sabiduría. Necesitamos mantenernos unidos mientras miramos a Aquel que es nuestra base firme.

Hechos 2 nos da una visión clara de las personas que se necesitan mutuamente. Este podría ser el momento en que tendremos que vivir compartiendo recursos. Si bien el coronavirus es un problema, creo que un problema potencialmente mayor podría ser la economía global.

A medida que se cierran las reuniones públicas, las escuelas y las universidades, las importaciones y exportaciones ya se ven afectadas negativamente. Las tiendas se están agotando y esto afectará la capacidad de las personas para generar ingresos.

¿Cómo nos estamos preparando para ayudar a las personas en estas situaciones? Les animo a todos a pensar en lo que significa para ustedes construir un “arca”, trayendo esperanza mientras nuestras comunidades y naciones están siendo sacudidas.

Who Is Your Shadow?

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

When looking at the subject of coaching, I love the example of Moses and Joshua, as a great example of raising the next generation of leaders. Every model of discipleship in the Bible is generational, but the principles work in terms of raising leaders generally.

In Numbers 27:18, God was choosing the leader of the Jewish people to follow Moses. Joshua was a young man with a teachable and servant heart. Moses spent individual time with him taking him where others did not go. Joshua was his helper, companion, and confidante. Joshua was Moses’ shadow.

We see in Exodus 17:14 how God was active in leading Moses in his raising up of Joshua. You could say Moses was just a chosen and willing participant. Moses followed God’s guidance in coaching Joshua to lead the next generation.

Moses was not doing what he wanted and raising the leader he wanted. Rather, it was about his following God’s plans, doing what God wanted, and developing God’s chosen leader.

Are we acting on our preconceived ideas of what we want in a leader, or are we seeking after what God wants in the leaders we are raising?

While raising Joshua, Moses took him places no one else went. In Exodus 24:12-14, the elders could only go so far up the mountain. Only one person got to experience God in the same way as Moses. That person was Joshua, who started his leadership training as a servant.

God’s way is always successful, and Moses did such a good job that after he had died, God could confidently say to Joshua in Joshua 3:7 “Today I will begin to exalt you in the eyes of all Israel, so they may know that I am with you as I was with Moses.”

Joshua had been a faithful disciple, and could, therefore, emerge as a successful leader. Joshua 8:35 says “There was not a word of all that Moses had commanded that Joshua did not read to the whole assembly of Israel, including the women and children, and the foreigners who lived among them.”

Moses had done so well that even after he had died, Joshua continued to be guided by his coaching. I can imagine Joshua saying, “Thank God for Moses, he is still leading me.” That’s what those coming after us should be able to say. They should sense that we were guided by the Spirit and will remember our actions when we’re no longer around.

Moses set an amazing example of raising Joshua to be the leader God wanted, to lead a people, to use strategies, to enter a land, and fight battles that Moses had not experienced himself.

Let Moses be a role model for coaching our leaders to guide the generations into their God-given dreams and visions.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quem é sua sombra?

Por Andrew Kirk, diretor do ministério Generation 2 Generation, site – www.G2gMandate.org, Redes Socias – @ G2gMandate

Ao olhar para o assunto de treinamento, eu amo o exemplo de Moisés e Josué, como um ótimo exemplo de como levantar a próxima geração de líderes. Todo modelo de discipulado na Bíblia é geracional, mas os princípios funcionam em termos de criar líderes em geral.

Em Números 27:18, Deus estava escolhendo o líder do povo judeu para dar sequencia a Moisés. Josué era um jovem de coração ensinável e servo. Moisés passou um tempo individual com ele, levando-o para onde outras não foram. Joshua era seu ajudante, companheiro e confidente. Josué era a sombra de Moisés.

Vemos em Êxodo 17:14 como Deus foi ativo em liderar Moisés ao levantar Josué. Você poderia dizer que Moisés era apenas um participante escolhido e disposto. Moisés seguiu a orientação de Deus ao treinar Josué para liderar a próxima geração.

Moisés não estava fazendo o que queria e elevando o líder que desejava. Antes, era sobre ele seguir os planos de Deus, fazer o que Deus queria e desenvolver o líder escolhido por Deus.

Estamos agindo com base em nossas idéias preconcebidas sobre o que queremos em um líder, ou estamos buscando o que Deus quer nos líderes que estamos criando?

Ao levantar Josué, Moisés o levou a lugares onde ninguém mais foi. Em Êxodo 24: 12-14, os anciãos só podiam ir tão longe na montanha. Somente uma pessoa experimentou Deus da mesma maneira que Moisés. Essa pessoa foi Josué, que iniciou seu treinamento de liderança como servo.

O caminho de Deus é sempre bem-sucedido, e Moisés fez um trabalho tão bom que, depois que ele morresse, Deus poderia dizer com confiança a Josué em Josué 3: 7 “Hoje começarei a exaltá-lo à vista de todo o Israel, para que saibam que estarei com você como estive com Moisés.

Josué tinha sido um discípulo fiel e, portanto, poderia emergir como um líder de sucesso. Josué 8:35 diz “Não houve uma só palavra de tudo o que Moisés tinha ordenado que Josué não lesse para toda a assembléia de Israel, inclusive mulheres, crianças, e os estrangeiros que viviam no meio deles.

Moisés se saiu tão bem que, mesmo depois de sua morte, Josué continuou sendo guiado por seu treinamento. Posso imaginar Josué dizendo: “Graças a Deus por Moisés, ele ainda está me guiando”. É o que aqueles que vêm depois de nós devem ser capazes de dizer. Eles devem sentir que fomos guiados pelo Espírito e lembrarão de nossas ações quando não estivermos mais por perto.

Moisés deu um exemplo incrível de levantar Josué a ser o líder que Deus queria, liderar um povo, usar estratégias, entrar em uma terra e travar batalhas que Moisés nunca havia experimentado.

Que Moisés seja um modelo para treinar nossos líderes a guiar as gerações em seus sonhos e visões dados por Deus.

Spanish blog:

¿Quién es tu sombra?

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Al mirar el tema del entrenamiento, me encanta el ejemplo de Moisés y Josué, como un gran ejemplo de criar a la próxima generación de líderes. Cada modelo de discipulado en la Biblia es generacional, pero los principios funcionan en términos de criar líderes en general.

En Números 27:18, Dios estaba eligiendo al líder del pueblo judío para seguir a Moisés. Josué era un hombre joven con un corazón servicial y enseñable. Moisés pasó un tiempo individual con él llevándolo a donde otros no fueron. Josué fue su ayudante, compañero y confidente. Josué era la sombra de Moisés.

Vemos en Éxodo 17:14 cómo Dios fue activo al guiar a Moisés en su levantamiento de Josué. Se podría decir que Moisés fue un participante elegido y dispuesto. Moisés siguió la guía de Dios al entrenar a Josué para liderar la próxima generación.

Moisés no estaba haciendo lo que quería y criando al líder que quería. Más bien, se trataba de seguir los planes de Dios, hacer lo que Dios quería y desarrollar el líder elegido por Dios.

¿Estamos actuando sobre nuestras ideas preconcebidas de lo que queremos en un líder, o estamos buscando lo que Dios quiere en los líderes que estamos levantando?

Mientras equipaba a Josué, Moisés lo llevó a lugares a los que nadie más fue. En Éxodo 24: 12-14, los ancianos solo podían ir tan lejos por la montaña. Solo una persona pudo experimentar a Dios de la misma manera que Moisés. Esa persona era Josué, quien comenzó su entrenamiento de liderazgo como sirviente.

El camino de Dios siempre es exitoso, y Moisés hizo un trabajo tan bueno que después de su muerte, Dios pudo decirle a Josué con confianza en Josué 3: 7 “Hoy comenzaré a exaltarte a los ojos de todo Israel, para que sepan que Estoy contigo como estuve con Moisés “.

Josué había sido un discípulo fiel y, por lo tanto, podría emerger como un líder exitoso. Josué 8:35 dice “No había una palabra de todo lo que Moisés había mandado que Josué no leyó a toda la asamblea de Israel, incluidas las mujeres y los niños, y los extranjeros que vivían entre ellos”.

A Moisés le había ido tan bien que incluso después de su muerte, Josué continuó guiándose por su entrenamiento. Me imagino a Josué diciendo: “Gracias a Dios por Moisés, él todavía me está guiando”. Eso es lo que los que vienen después de nosotros deberían poder decir. Deben sentir que fuimos guiados por el Espíritu y recordarán nuestras acciones cuando ya no estemos cerca.

Moisés dio un ejemplo increíble de criar a Josué para que fuera el líder que Dios quería, para dirigir a un pueblo, usar estrategias, ingresar a una tierra y pelear batallas que Moisés no había experimentado.

Dejemos que Moisés sea un modelo a seguir para entrenar a nuestros líderes para guiar a las generaciones hacia sus sueños y visiones dados por Dios.

But Some Doubted

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

I want to look at an aspect of Matthew 28:16-20, The Great Commission, that I don’t often hear talked about.

Then the eleven disciples went to Galilee… When they saw him, they worshiped him; but some doubted. Then Jesus came to them and said, “All authority in heaven and on earth has been given to me. Therefore, go and make disciples of all nations, baptizing them in the name of the Father and of the Son and of the Holy Spirit, and teaching them to obey everything I have commanded you. And surely, I am with you always, to the very end of the age.”

People often feel inadequate when they are told to fulfill The Great Commission and to reach out to others. Matthew 28:16 says that some of the disciples doubted and yet they still worshiped Him and Jesus still believed in them. He did not change the command because of their doubts. People need to know they are believed in even in the midst of doubt (or especially in the midst of doubt), and that it’s  ok to still stand in worship even in the midst of struggles and doubt. In these very moments, Jesus still says, “Go!”. The command is unchanging even in times of doubt.

Jesus said, “All Authority in Heaven and earth has been given to Me. Therefore go and make disciples of all nations”. He didn’t say, “Because you have the authority.” We must always remember that it’s His authority! He promised to be with all who go and to be with them with all His  authority in Heaven and earth. The effectiveness of going isn’t dependent on our ability or even an unwavering belief, it is completely dependent on Him.

It is important to remember that while we are reinforcing disciple-making, we also need to acknowledge the doubts and insecurities that come to the surface and remind people that The Great Commission command was given though some doubted and that it is still possible because of Jesus’ authority, His presence, and power being with us, and acting on our behalf.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Mas alguns duvidaram

Por Andrew Kirk, diretor do Generation 2 generation, site – www.G2gMandate.org, mídias sociais – @G2gMandate

Quero examinar um aspecto de Mateus 28:16-20, A Grande Comissão, sobre o qual nem sempre ouço falar.

Os onze discípulos foram para a Galiléia. Quando O viram, O adoraram; mas alguns duvidaram. Então Jesus veio a eles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo,
ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”.

As pessoas geralmente se sentem inadequadas quando são instruídas a cumprir a Grande Comissão e a alcançar outras pessoas. Mateus 28:16 diz que alguns dos discípulos duvidaram e ainda assim o adoravam e Jesus ainda acreditava neles. Ele não mudou o comando por causa de suas dúvidas. As pessoas precisam saber que confiamos nelas, mesmo em meio à dúvida (ou especialmente no meio da dúvida), e que não há problema em permanecer de pé em adoração mesmo no meio de lutas e dúvidas. Nesses mesmos momentos, Jesus ainda diz: “Vá!”. O comando é imutável, mesmo em tempos de dúvida.

Jesus disse: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações”. Ele não disse: “Porque vocês tem autoridade”. Devemos sempre lembrar que a autoridade é dEle! Ele prometeu estar com todos os que forem e estar com eles com toda a Sua autoridade no céu e na terra. A eficácia de ir não depende de nossa capacidade ou mesmo de uma crença inabalável, é completamente dependente dEle.

É importante lembrar que, enquanto reforçamos a formação de discípulos, também precisamos reconhecer as dúvidas e inseguranças que vêm à tona e lembrar as pessoas que o comando da Grande Comissão foi dado mesmo com alguns duvidando e que ele ainda é possível por causa da autoridade de Jesus, Sua presença e poder estando conosco e agindo em nosso nome.

Spanish blog:

Pero algunos dudaron

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Quiero resaltar un aspecto de Mateo 28: 16-20, La Gran Comisión, del que no escuchó hablar a menudo.

Entonces los once discípulos fueron a Galilea … Cuando lo vieron, lo adoraron; Pero algunos dudaban. Entonces Jesús vino a ellos y les dijo: “Toda autoridad en el cielo y en la tierra me ha sido dada. Por lo tanto, ve y haz discípulos de todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre y del Hijo y del Espíritu Santo, y enseñándoles a obedecer todo lo que te he mandado. Y ciertamente, estaré contigo siempre, hasta el final de la era.

Las personas a menudo se sienten inadecuadas cuando se les dice que cumplan La Gran Comisión y que se comuniquen con otros. Mateo 28:16 dice que algunos de los discípulos dudaban y aun así lo adoraban y Jesús todavía creía en ellos. No cambió el orden debido a sus dudas. Las personas necesitan saber que se les cree incluso en medio de la duda (o especialmente en medio de la duda), y que está bien seguir adorando incluso en medio de las luchas y las dudas. En estos mismos momentos, Jesús todavía dice: “¡Ve!”. La orden no cambia incluso en tiempos de duda.

Jesús dijo: “Toda autoridad en el cielo y en la tierra me ha sido dada. Por tanto, id y haced discípulos a todas las naciones ”. Él no dijo: “Porque tienes la autoridad”. ¡Siempre debemos recordar que es Su autoridad! Prometió estar con todos los que van y estar con ellos con toda su autoridad en el cielo y la tierra. La efectividad de ir no depende de nuestra habilidad o incluso de una creencia inquebrantable, depende completamente de Él.

Es importante recordar que si bien estamos reforzando la formación de discípulos, también debemos reconocer las dudas e inseguridades que salen a la superficie y recordarle a la gente que el mandato de la Gran Comisión se dio a pesar de que algunos dudaron y que todavía es posible gracias a la autoridad, presencia y poder de Jesús, estando con nosotros y actuando en nuestro nombre.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Live In The Mess

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Proverbs 14:4: “Where there are no oxen, the stalls are clean, but from the strength of the ox comes an abundant harvest.”

Over the years I have been part of and observed cells that are  content with their clean stalls. They become happy with their group being a place for them to gather with their friends or family, and so become, almost without realizing it, closed to those outside the walls of the church, outside the walls of their close circle of friends.

Sure having a clean stall can be pleasant for a moment, not having any mess to clean up, having time to relax and not worrying about too many issues arising. However, God’s adventure is action, getting our hands dirty, seeing a harvest of souls and enjoying the fruits of that labor. If there is little action, life can get boring really quickly!

Cells were never meant to be kept clean. Rather, they are intended to be messy. The reality is that reaching the lost is “messy.” We will have to get our hands dirty to enjoy the abundant harvest. Engaging in the “messy” lives of the lost and allowing them to engage in ours, brings joy, not only to our hearts but also to the Father’s.

Learn to live in the mess! In the mess is where growth comes, where the abundant harvest is, where relationships are strengthened, and where we learn to continuously seek after the Father and cling to Jesus.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Viva na Bagunça

 

Por Andrew Kirk, diretor do ministério Generation 2 Generation, site – www.G2gMandate.org, mídias sociais – @G2gMandate

 

Provérbios 14: 4: “Onde não há bois, as baias são limpas, mas da força do boi vem uma colheita abundante.”

 

Ao longo dos anos, observei e participei de células que se contentam em ter suas tendas limpas. Elas ficam felizes com o grupo sendo um lugar para se reunir com seus amigos ou familiares e, assim, quase sem perceber, ficam fechados para aqueles que estão fora dos muros da igreja, fora dos muros de seu círculo íntimo de amigos.

 

Certamente, ter uma tenda limpa pode ser agradável por um momento: não ter bagunça para limpar, ter tempo para relaxar e não se preocupar com muitos problemas que podem surgir. A aventura de Deus é ação, sujar as mãos, ver uma colheita surgir e desfrutar dos frutos desse trabalho. Se houver pouca ação, a vida pode ficar entediante muito rapidamente!

 

As células nunca foram feitas para serem mantidas limpas. Pelo contrário, é esperado que elas sejam confusas. A realidade é que alcançar os perdidos é “confuso”. Teremos que sujar as mãos para aproveitar a colheita abundante. Engajar-se na vida “confusa” dos perdidos e permitir que eles se envolvam com a nossa traz alegria, não apenas aos nossos corações, mas também ao coração do Pai.

 

Aprenda a viver na bagunça! Na bagunça é onde vem o crescimento, onde está a colheita abundante, onde os relacionamentos são fortalecidos e onde aprendemos a buscar continuamente o Pai e a nos apegar a Jesus.

Spanish blog:

Viviendo el desorden

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Proverbios 14: 4: “Donde no hay bueyes, los establos están limpios, pero de la fuerza del buey proviene una cosecha abundante”.

A lo largo de los años, he formado parte y observado células que están contentas con sus puestos limpios. Se alegran de que su grupo sea un lugar para reunirse con sus amigos o familiares, y así, casi sin darse cuenta, se cierran a los que están fuera de las paredes de la iglesia, fuera de las paredes de su círculo íntimo de amigos.

Claro que tener un puesto limpio puede ser agradable por un momento, no tener ningún desorden que limpiar, tener tiempo para relajarse y no preocuparse por la aparición de demasiados problemas. La aventura de Dios es acción, ensuciarse las manos, ver una cosecha y disfrutar de los frutos de esa labor. Si hay poca acción, ¡la vida puede volverse aburrida muy rápidamente!

Las células nunca fueron destinadas a mantenerse limpias. Más bien, están destinadas a ser desordenadas. La realidad es que llegar a los perdidos es “desordenado”. Tendremos que ensuciarnos las manos para disfrutar de la abundante cosecha. Involucrarse en las vidas “desordenadas” de los perdidos y permitirles participar en lo nuestros, trae alegría, no solo a nuestros corazones sino también al Padre.

¡Aprende a vivir en el desorden! En el desorden es donde viene el crecimiento, donde está la cosecha abundante, donde se fortalecen las relaciones y donde aprendemos a buscar continuamente al Padre y aferrarnos a Jesús.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

The Great ‘Completion’

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Previous generations have talked about ‘Doing’ the Great Commission, but today the talk is of this next generation ‘Completing’ The Great Commission.

Heads of major mission organizations are saying it is possible for this next generation to finish The Great Commission that Jesus left us in Matthew 28:18-20.

If we agree with this, it should raise massive questions about how we are training the next generation and how we are going to mobilize them.

Reaching the remaining unreached people groups could mean going to hostile locations and being willing to pay the ultimate price by putting laying down our lives. It could also mean reaching them in our very own neighborhoods, schools and colleges.

In the western world, it’s quite easy to meet in larger groups, but in many nations it’s nearly impossible. In fact, the only way to reach the unreached to be the church is to meet small “underground” cells or even just one on one. In the west, cells too, can infiltrate cultures and communities where immigration has bought nations across borders.

Cells have been and always will be a great way to train and equip people for completing the great commission. They are easy to mobilize, can go undetected, and can shine Christ’s light in the darkness. They are effective in discipling and developing leaders of any generation and in any nation and culture. Cells are effective in heavily persecuted nations, as well as in the major western cultures, which are shifting fast and becoming more and more hostile to Judeo-Christian values.

Wherever we are, whatever the current spiritual climate, whoever we are reaching and whatever the culture, cells have remained a vital part of church life.

If this next generation is the generation to fulfill the Great ‘Completion’ then Matthew 24:14 needs to spur us on, “And this gospel of the kingdom will be preached throughout the whole inhabited earth as a testimony to all the nations, and then the end will come.”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Grande “Conclusão”

Por Andrew Kirk, diretor de Generation 2 Generation, site – www.G2gMandate.org, mídias sociais – @ G2gMandate

Gerações anteriores falaram sobre fazera Grande Comissão, mas hoje a conversa é sobre a próxima geração concluira Grande Comissão.

Os chefes das principais organizações missionárias estão dizendo que é possível que a próxima geração complete a Grande Comissão que Jesus nos deixou em Mateus 28:18-20.

Se concordarmos com isso, isso deve levantar questões maciças sobre como estamos treinando a próxima geração e como vamos mobilizá-la.

Atingir os demais grupos de pessoas não alcançadas pode significar ir a locais hostis e estar disposto a pagar o preço final, entregando nossas vidas. Também poderia significar alcançá-los em nossos próprios bairros, escolas e faculdades.

No mundo ocidental, é muito fácil se encontrar em grupos maiores, mas em muitos países é quase impossível. De fato, a única maneira de alcançar a igreja não alcançada é se reunir em pequenas células “subterrâneas” ou mesmo de um a um.  No ocidente, as células também podem se infiltrar em culturas e comunidades onde a imigração comprou nações através das fronteiras.

As células foram e sempre serão uma ótima maneira de treinar e equipar pessoas para concluir a grande comissão. Elas são fáceis de mobilizar, podem passar despercebidas e podem brilhar a luz de Cristo nas trevas. Elas são eficazes no discipulado e no desenvolvimento de líderes de qualquer geração, nação e cultura.  As células são eficazes em nações fortemente perseguidas, bem como nas principais culturas ocidentais, que estão mudando rapidamente e se tornando cada vez mais hostis aos valores judaico-cristãos.

Onde quer que estejamos, seja qual for o clima espiritual atual, quem quer que estejamos alcançando e qualquer que seja a cultura, as células permanecem como uma parte vital da vida da Igreja.

Se esta próxima geração for a geração para cumprir a Grande ‘Conclusão’, então Mateus 24:14 precisa nos estimular: “E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim”.

Spanish blog:

La gran “finalización”

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2 generación, Sitio web – www.G2gMandate.org, Redes sociales – @ G2gMandate

Las generaciones anteriores han hablado de “Hacer” la Gran Comisión, pero hoy se habla de esta próxima generación “Completando” La Gran Comisión.

Los jefes de las principales organizaciones misioneras dicen que es posible que esta próxima generación termine La Gran Comisión que Jesús nos dejó en Mateo 28: 18-20.

Si estamos de acuerdo con esto, debería plantear preguntas masivas sobre cómo estamos entrenando a la próxima generación y cómo los vamos a movilizar.

Llegar a los grupos de personas no alcanzadas restantes podría significar ir a lugares hostiles y estar dispuestos a pagar el precio final al sacrificar nuestras vidas. También podría significar llegar a ellos en nuestros propios vecindarios, escuelas y universidades.

En el mundo occidental, es bastante fácil reunirse en grupos más grandes, pero en muchas naciones es casi imposible. De hecho, la única forma de llegar a los no alcanzados para ser la iglesia es reunirse con pequeñas células “subterráneas” o incluso individuo con individuo. En el oeste, las células también pueden infiltrarse en culturas y comunidades donde la inmigración ha comprado naciones a través de las fronteras.

Las células han sido y siempre serán una excelente manera de entrenar y equipar a las personas para completar la gran comisión. Son fáciles de movilizar, pueden pasar desapercibidos y pueden hacer brillar la luz de Cristo en la oscuridad. Son eficaces para discipular y desarrollar líderes de cualquier generación y en cualquier nación y cultura. Las células son efectivas en naciones muy perseguidas, así como en las principales culturas occidentales, que están cambiando rápidamente y se vuelven cada vez más hostiles a los valores judeocristianos.

Dondequiera que estemos, sea cual sea el clima espiritual actual, a quien sea que lleguemos y sea cual sea la cultura, las células han seguido siendo una parte vital de la vida de la iglesia.

Si esta próxima generación es la generación para cumplir la Gran ‘Finalización’, entonces Mateo 24:14 necesita estimularnos, “Y será predicado este evangelio del reino en todo el mundo, para testimonio a todas las naciones; y entonces vendrá el fin “.