The Joy of Celebration

By Mario Vega, www.elim.org.sv

Some churches and leaders resist cell multiplication because they don’t want to break the close bonds of fellowship they developed in the cell group. It is a blessing when people develop bonds of love that make them want to always continue together. But the multiplication of a cell does not mean a break between its members. To reach others for Jesus, they will have to locate themselves in different houses. But they will meet again as one in the celebration where all the cells come together.

People will rejoin praise, prayer, and preaching together. What changes is the place. Before it was in the house. Now, it is in the church building. It is going from one wing of the church to the other. In addition, they can always visit each other, have outings together, and chat as usual. The work of the Great Commission demands that each occupy his rightful place in the trench, but it does not imply the breakdown of relationships.

The celebration is the festive, joyful gathering to give God glory. It’s a time to rejoice in the new people God has reached and to fellowship with God’s people.

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

A alegria da Celebração
Mario Vega, www.elim.org.sv

Algumas igrejas e líderes resistem à multiplicação porque não querem quebrar os laços de amizade que foram desenvolvidos na célula. Sim, é uma bênção quando as pessoas desenvolvem laços de amor que as fazem querer continuar juntos. Mas a multiplicação da célula não significa um rompimento entre seus membros. Realmente é verdade que para alcançar outras pessoas para Jesus eles terão que se adaptar em outros lares. Mas eles se encontrarão novamente com um só grupo na celebração, onde todas as células estarão juntas.

As pessoas estarão juntas novamente no louvor, oração e durante a pregação. O que muda é o local. Antes, era em um dos lares e agora é no prédio da Igreja. É passar de uma asa da igreja para a outra. Além disso, eles podem continuar visitando uns aos outros, programando encontros e conversando como sempre fizeram. O trabalho da Grande Comissão exige que cada um ocupe seu lugar nas trincheiras, mas não exige que os relacionamentos sejam desfeitos.

A Celebração é o ajuntamento festivo, alegre, que traz glória a Deus. É um tempo para se alegrar com as novas pessoas que Deus alcançou e para estar em comunhão com o povo de Deus.

Spanish blog:

El gozo de la celebración
Por Mario Vega, www.celulas.org.sv
Una de las dificultades que manifiestan algunas iglesias para la multiplicación celular es que las personas no desean que ocurra para poder continuar unidos en la misma reunión. Es una bendición cuando las personas desarrollan lazos de amor que les hace desear continuar siempre juntos. Pero, la multiplicación de una célula no significa un rompimiento entre sus miembros. Es verdad que a fin de alcanzar a otros para Jesús tendrán que ubicarse en casas diferentes. Pero volverán a reunirse en uno en la celebración donde todas las células se juntan.
Las personas volverán a participar juntos de las alabanzas, la oración y la predicación. Lo que cambiar es el lugar. Antes era en la casa ahora es en el edificio de la iglesia. Es pasar de un ala a la otra de la iglesia. Además, siempre podrán visitarse los unos a los otros, tener salidas juntos y conversar como siempre. El trabajo de la Gran Comisión demanda que cada cual ocupe el lugar que le corresponde en la trinchera, pero no implica el rompimiento de las relaciones. La celebración es el encuentro festivo en que se comparte el gozo por las personas alcanzadas y se recibe ánimo para los días por venir.

Making Disciples in the Celebration Gatherings

By Mario Vega, www.elim.org.sv

God has raised up gospel ministers to “perfect the saints for the work of the ministry” (Ephesians 4:12). But where does this improvement take place? Those who are called to equip the saints cannot consistently do this from house to house. They need a gathering place to teach and preach. But when the cells come together for the celebration, the minister can perfect the saints in a systematic way.

That is the reason why Paul’s visits were highly valued by the churches. In Troas, the disciples met in one place. Paul prolonged his teaching until dawn the next day (Acts 20). All of this was to make the most of the apostle’s visit. The believers in Troas could also edify one another. But what they could learn from Paul was unmatched by the grace he had received. That same grace is what dwells in ministers today to disciple and edify in celebrations.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Fazendo Discípulos nas grandes Celebrações

Mario Vega, www.elim.org.sv

Deus tem levantado ministros do Evangelho “com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço” (Efésios 4:12). Mas onde este aperfeiçoamento acontece? Estas pessoas que são chamadas a aperfeiçoar e equipar os santos não podem fazer isso de forma contínua, de casa em casa. Elas precisam de um local de reunião para ensinar e pregar. Portanto, quando as células se unem para a Celebração, o ministro pode aperfeiçoar os santos de maneira sistemática.

Esta é a razão pela qual as visitas de Paulo eram tão valorizadas pelas igrejas. Em Trôade, os discípulos estavam reunidos em um determinado local. Paulo estendeu seu ensino até o amanhecer do dia seguinte (Atos 20:11). Tudo isso era para aproveitar ao máximo a visita do Apóstolo. Os crentes em Trôade também puderam edificar uns aos outros. Mas o que eles receberam de Paulo foi incomparável, exatamente pela Graça que estava sobre sua vida. Esta mesma Graça está sobre os ministros hoje para que discipulem e edifiquem a igreja nas Celebrações.

Spanish blog:

Haciendo discípulos en la celebración

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Los ministros del evangelio tienen como propósito: «perfeccionar a los santos para la obra del ministerio» (Efesios 4:12). Pero ¿adónde ocurre ese perfeccionamiento? Para una tarea consistente no es posible que el ministro la realice de casa en casa, eso sería poco efectivo e inacabable. Pero cuando las células se reúnen para la celebración, el ministro puede perfeccionar a los santos de manera sistemática.

Esa es la razón por la que las visitas de Pablo eran muy valoradas por las iglesias. En Troas los discípulos se reunieron en un mismo lugar. Pablo alargó su enseñanza hasta el amanecer del siguiente día (Hechos 20). Todo ello fue para aprovechar al máximo la visita del apóstol. Los creyentes de Troas también podían edificarse los unos a los otros. Pero lo que podían aprender de Pablo era incomparable por la gracia que había recibido. Esa misma gracia es la que habita hoy en los ministros para discipular y edificar en las celebraciones

Fulfilling the Great Commission

By Mario Vega, www.elim.org.sv

The Great Commission is the task that Jesus gave to his church. The Great Commission is all about making disciples (Matthew 28:18-20). When believers focus on fulfilling the great commission, they are practicing obedience. The leader’s task is to make disciples who in turn generate other disciples. This commission entails  more than multiplying cell groups. More importantly, it is the dedication to fulfill the mission that God has entrusted to his people.

When leaders fulfill this commission, they are exercising their pastoral gifts and abilities. As leaders persevere in making disciples, Jesus develops them as ministers of the gospel. With these capabilities, the Lord can call them to serve in a specific place, whether as a coach, as a missionary, or pastor of a local church. Maybe that’s not the leader’s initial motivation. But it is the path that many who are now pastors of cell churches have traveled. The goal goes far beyond the limits of one particular location and extends to all nations.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Cumprindo a Grande Comissão

Mario Vega, www.elim.org.sv

A Grande Comissão é a tarefa que Jesus entregou para sua Igreja. A Grande Comissão é sobre fazer discípulos (Mateus 28:18-20). Quando os crentes mantêm o foco no cumprimento da Grande Comissão, ele estão praticando obediência. A tarefa do líder é fazer discípulos que por sua vez vão gerar outros discípulos. Esta comissão é mais profunda do que a multiplicação das células. O mais importante é a dedicação à missão que Deus entregou ao seu povo.

Quando os líderes cumprem esta comissão, eles estão exercendo seus dons de pastoreio e suas habilidades. À medida que os líderes perseveram na tarefa de fazer discípulos, Jesus os transforma em ministros do evangelho. Com estas habilidades, o Senhor pode chamá-los a servir em um determinado local, seja como supervisor, missionário ou pastor de uma igreja local. Talvez essa nem seja sua motivação inicial, mas este é o caminho que trilharam muitos dos que atualmente são pastores de igrejas celulares. O objetivo está muito além dos limites da casa e se estende a todas as  nações.

Spanish blog:

Cumpliendo la Gran Comisión

por Mario Vega, www.elim.org.sv

La Gran Comisión que Jesús entregó a su iglesia es la tarea de hacer discípulos. Cuando un creyente se enfoca en hacerlo realiza un acto de obediencia. La tarea del líder al hacer discípulos, que generen a su vez a otros discípulos, no solo tiene como meta la multiplicación de una célula. Más que eso, es la dedicación a la misión que Dios encomendó a su pueblo.

Cuando el líder desarrolla esa labor pone en práctica dones y habilidades de naturaleza pastoral. Con su perseverancia, va desarrollando características de un ministro del evangelio. Con esas capacidades el Señor puede llamarle a servir en un lugar específico, ya sea como supervisor de líderes, como misionero o como pastor de una iglesia local. A lo mejor, no sea esa la motivación inicial del líder. Pero es el camino que han transitado muchos que hoy son pastores de iglesias celulares. La meta va mucho más allá de los límites de la casa y se extiende hasta todas las naciones.

The Myth of Cold Calculations

By Mario Vega, www.elim.org.sv

One of the myths about cell multiplication is to think that things will happen mathematically. If a church has 10 cells, they will multiply to 20. Then 40, then 80 and so on. This idea prompts pastors to set growth goals that are unrealistic and cause discouragement.

Although every cell has the potential to multiply, there are other factors that need to be considered. Cell ministry involves people and people are not an absolute mathematical value. Individual subjectivity, particular abilities, gifts of the Spirit, external conditions, and other elements must be considered.  Not all people who are trained will become new leaders. Nor will all cells multiply, even if you already have a new leader.

The emphasis should not be on mathematical growth based on multiplication tables. The main goal is to develop new disciples of Jesus who, in turn, generate other disciples. The church is a living organism that grows according to its relationship with Jesus Christ, the head of the Church. The Lord in his sovereignty will determine whether the fruits will be thirty, sixty or one hundred percent. Either way, we must be satisfied that we are fulfilling the mission of making disciples regardless of whether it is mathematically exact.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Mito dos Cálculos Frios

Por Mario Vega,  www.elim.org.sv

Um dos mitos sobre a multiplicação celular é pensar que as coisas acontecerão matematicamente. Se uma igreja tem 10 células, elas se multiplicam para 20. Depois, 40, depois 80 e assim por diante. Essa ideia faz com que os pastores estabeleçam metas de crescimento que não são realistas e causam desânimo.

Embora cada célula tenha potencial para se multiplicar, há outros fatores que precisam ser considerados. O ministério de células envolve pessoas e as pessoas não são um valor matemático absoluto. Subjetividade individual, habilidades particulares, dons do Espírito, condições externas e outros elementos devem ser considerados. Nem todas as pessoas treinadas se tornarão novos líderes. Nem todas as células se multiplicarão, mesmo se você já tiver um novo líder.

A ênfase não deve ser no crescimento matemático com base em tabelas de multiplicação. O objetivo principal é desenvolver novos discípulos de Jesus que, por sua vez, geram outros discípulos. A igreja é um organismo vivo que cresce de acordo com seu relacionamento com Jesus Cristo, o cabeça da Igreja. O Senhor em sua soberania determinará se os frutos serão trinta, sessenta ou cem por cento. De qualquer forma, devemos estar satisfeitos por estarmos cumprindo a missão de fazer discípulos, independentemente de ser matematicamente exata.

Spanish blog:

El mito de las metas frías

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Uno de los mitos sobre la multiplicación celular es el de pensar que las cosas ocurrirán de manera matemática. Si una iglesia tiene 10 células y se espera que todas se multipliquen en un tiempo se llegará a 20. Después a 40, luego 80 y así sucesivamente. Esta idea mueve a los pastores a establecer metas de crecimiento que no son realistas y que provocan desánimo entre las personas.

Si bien toda célula posee el potencial de multiplicarse, existen otros factores que pueden cambiar los resultados. El trabajo celular implica personas y las personas no son un valor matemático absoluto. La subjetividad individual, las habilidades particulares, los dones del Espíritu, las condiciones externas y otros elementos participan en los resultados. No todas las personas a quienes se les entrena llegarán a convertirse en nuevos líderes. Tampoco todas las células alcanzarán las condiciones apropiadas para multiplicarse, incluso si ya se tiene a un nuevo líder.

El énfasis no debe ser un crecimiento aritmético basado en las tablas de multiplicar. La meta principal es desarrollar nuevos discípulos de Jesús que, a su vez, generen a otros discípulos. La iglesia es un organismo viviente que crece de acuerdo con su relación con el Espíritu de vida y con la cabeza que es Cristo. El Señor en su soberanía determinará si los frutos serán a treinta, a sesenta o a ciento por uno. De cualquier manera, debemos estar satisfechos de estar cumpliendo con la misión de hacer discípulos sin importar si eso ocurre de manera matemáticamente exacta.

How Paul Multiplied Disciples

By Mario Vega, www.elim.org.sv

Paul planted churches quickly. He founded the initial communities in Galatia during the summer of AD 49. In the fall of the same year, Paul founded the church at Philippi. In three Sabbaths, he laid the foundation for the church in Thessalonica. He planted the churches of Berea and Athens in the spring of AD 50. In a year and a half, he founded the church in Corinth. The place where he stayed the longest was Ephesus, for about three years, which is still a short time from the point of view of our modern models of church planting.

How could Paul do so much in such a short time? The key was his ability to multiply disciples who could assume ministerial responsibilities. For multiplication to occur, several elements are required. One of them is confidence. Paul helped the disciples have confidence in the Holy Spirit’s work in them.

When will they be ready to take on responsibilities? According to Paul’s work, as soon as they are assigned. The apostle did not wait until his disciples matured; he gave them responsibilities so that they would mature! If we want a great multiplication of disciples, we must allow them to exercise meaningful functions as soon as possible. The Holy Spirit will take care of supplying their weaknesses and bringing them to full maturity.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Como Paulo fazia a multiplicação de discípulos

Mario Vega, www.elim.org.sv

Paulo plantava igrejas rapidamente. Ele fundou as comunidades na Galácia durante o verão do ano 49 DC. No outono daquele mesmo ano, Paulo fundou a igreja em Filipos. Em três sábados, ele estabeleceu os fundamentos da igreja em Tessalônica. Ele plantou as igrejas de Beréia e Atenas na primavera do ano 50 DC. Em um ano e meio, ele fundou a igreja de Corinto. O lugar onde ele permaneceu por mais tempo foi a cidade de Éfeso, por cerca de 3 anos, o que ainda é um tempo bem curto do ponto de vista dos modelos atuais de plantação de igrejas.  

Como Paulo conseguia fazer tanto em tão pouco tempo? A chave era sua habilidade em multiplicar discípulos que poderiam então assumir responsabilidades ministeriais. Para que a multiplicação possa ocorrer, são necessários diversos elementos. Um deles é a confiança. Paulo ajudava os discípulos a confiar no agir do Espírito Santo através de suas vidas.

Quando eles estarão prontos para assumir responsabilidades? De acordo com o trabalho de Paulo, tão logo sejam designados para tal. O apóstolo não esperava até que seus discípulos estivessem maduros; ele entregava responsabilidades para que eles amadurecessem! Se você quer uma grande multiplicação de discípulos, você deve permitir que eles exercitem e pratiquem papeis significativos o mais breve possível. O Espírito Santo cuidará de suprir suas fraquezas e trazê-los à plena maturidade.

Spanish blog:

La clave de Pablo para multiplicar discípulos

Mario Vega, www.elim.org.sv

Pablo plantaba iglesias con bastante rapidez. Las comunidades iniciales en Galacia las fundó durante el verano del año 49. En el otoño del mismo año fundó la iglesia en Filipos. En tres días de reposo estableció las bases para la iglesia en Tesalónica. Las iglesias de Berea y Atenas fueron plantadas en la primavera del año 50. En año y medio fundó la iglesia en Corinto. El lugar donde más tiempo permaneció fue Éfeso, alrededor de tres años, lo cual, sigue siendo un tiempo muy corto desde el punto de vista de nuestros modelos modernos de plantación de iglesias.

¿Cómo podía Pablo hacer tanto en tan poco tiempo? La clave era su capacidad para multiplicar discípulos que pudieran asumir responsabilidades ministeriales. Para que la multiplicación pueda producirse se necesita la conjugación de varios elementos. Uno de ellos es la confianza que se debe desarrollar en los discípulos. ¿Cuándo estarán listos para asumir responsabilidades? Según el trabajo de Pablo, tan pronto como se les asignen. El apóstol no esperaba hasta que sus discípulos maduraran, se las entregaba para que maduraran. Si deseamos una multiplicación más abundante de discípulos debemos permitirles ejercer funciones significativas tan pronto sea posible. El Espíritu Santo se encargará de suplir sus debilidades y llevarles a la madurez plena.