The Place of Vision in God’s Plans

By Mario Vega, www.elim.org.sv

God’s purposes have always been fulfilled through visions that he has given to the people he chose. Adam was shown the vision of a whole planet of abundance and harmony to populate.  God showed Noah the vision of a huge ship where he and all wildlife could be saved. He showed Abraham a starry sky as an illustration of his offspring. Jacob was given a dream in which he saw how his few sheep would become a strong flock. He gave Joseph dreams about how he would be exalted among his brothers.

We could continue to extend the list until we reach the great vision of the Apocalypse where God shows his people the final destiny of all mankind, including God’s eternal destiny for his children. Every time God gives a vision, key elements can be identified:

  • God is the author of the vision
  • God shows what he plans to do in the vision
  • God gives the vision to the person he will use to fulfill it

Things have not changed. If the church of the Lord is to move forward we need a vision from God. It does not necessarily have to come on the basis of an ecstatic vision. Rather, it can be through Scripture, a dream, a conviction, and so forth. etc. If God has given you a vision, there is no doubt; you are the person he will use to carry it out.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Lugar da Visão nos Planos de Deus

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Os propósitos de Deus sempre foram cumpridos através de visões que Ele deu às pessoas que Ele escolheu. Adão recebeu a visão de um planeta inteiro de abundância e harmonia para povoar. Deus mostrou a Noé a visão de um enorme navio onde ele e toda a vida selvagem poderiam ser salvos. Ele mostrou a Abraão um céu estrelado como uma ilustração de sua descendência. Foi dado a Jacó um sonho no qual ele viu como suas poucas ovelhas se tornariam um forte rebanho. Ele deu a José sonhos sobre como ele seria exaltado entre seus irmãos.

Poderíamos continuar a estender a lista até alcançarmos a grande visão do Apocalipse, onde Deus mostra ao seu povo o destino final de toda a humanidade, incluindo o destino eterno de Deus para seus filhos. Toda vez que Deus dá uma visão, elementos-chave podem ser identificados:

  • Deus é o autor da visão;
  • Deus mostra o que Ele planeja fazer na visão;
  • Deus dá a visão para a pessoa que Ele usará para cumpri-la.

As coisas não mudaram. Se a Igreja do Senhor deve avançar, nós precisamos de uma visão de Deus. Ela não tem que vir necessariamente com base em uma visão extravagante. Pelo contrário, pode ser através das Escrituras, um sonho, uma convicção e assim por diante. Se Deus lhe deu uma visão, não há dúvida: você é a pessoa que Ele usará para realizá-la.

Spanish blog:

El lugar de la visión en los planes de Dios

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Los propósitos de Dios siempre se han cumplido a través de visiones que ha entregado a las personas que él eligió. A Adán le mostró la visión de todo un planeta de abundancia y armonía para poblar. A Noé le mostró la visión de un barco enorme donde él y la fauna pudiesen salvarse. A Abran le mostró un cielo estrellado como ilustración de su descendencia. A Jacob le dio un sueño en el que vio la manera en que sus pocas ovejas se convertirían en un rebaño fuerte. A José le dio sueños sobre la manera en que sería exaltado entre sus hermanos.

Podríamos continuar extendiendo la lista hasta llegar a la gran visión del Apocalipsis donde Dios muestra a su pueblo el destino final al que los salvados se dirigen. Pero, en todos los casos, se pueden identificar las siguientes constantes:

  • Dios es el autor de la visión
  • En la visión Dios muestra lo que planea hacer
  • La visión Dios se la entrega a la persona a quien usará en su cumplimiento

Las cosas no han cambiado, si la iglesia del Señor ha de seguir adelante deberá recibir una visión de parte de Dios. Ella no necesariamente debe venir en base a una visión extática, puede ser a través de su palabra, un sueño, una convicción, etc. Si Dios te ha entregado una visión, no hay duda, eres la persona que él usará para llevarla a cabo.

Finishing Well

By Mario Vega, www.elim.org.sv

The end of each year is a good opportunity to review what has been happening in the cells during the year. It is a transitional time of rejoicing in the successes and learning from the mistakes in cell ministry—what should be strengthened and what should be abandoned.

It is also a great time to recognize voluntary service. The end of the year is the opportunity to express gratitude to the many people who put their passion, time and dedication to edify the body of Christ. This recognition might consist of public words of praise, the practical giving of gifts, or a community meal where everyone strengthens their bonds of friendship and common purpose.

The end of the year is also a great time to envision new goals, new guidelines for the next period. It’s a great time and atmosphere to encourage people to continue on the path of service. Sharing testimonies of what God has done as well as the dreams of what is expected to be achieved consolidates the will of the leaders to be part of a work team that conquers more and more people for Jesus each day. What a privilege to dream and plan for the next year, to fulfill the great commission of making disciples who make disciples.

Korean blog (click here)

Spanish blog:

Valoraciones de fin de año

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

El fin de cada año es una buena oportunidad para revisar el trabajo celular realizado. Es una transición que se debe aprovechar para evaluar los aciertos y los errores, lo que hay que potenciar y lo que hay que abandonar. También es el momento en que se debe reconocer el esfuerzo voluntario que muchas personas han realizado. Durante el año hay una rutina de trabajo acelerada que mantiene a las personas en un permanente esfuerzo contra el tiempo. A pesar de que todas las tareas se van realizando y las metas se van alcanzando, pocas veces queda la oportunidad de realizar una evaluación a profundidad.

El fin del año es la oportunidad para expresar la gratitud que se debe a tanta persona que puso de su pasión, tiempo y dedicación para edificar el cuerpo de Cristo. El reconocimiento puede consistir en palabras públicas de elogio, en la entrega de pequeños reconocimientos o en una comida comunitaria donde todos fortalecen sus lazos de amistad y de propósito común.

Es también el momento de trazar nuevas metas, nuevas directrices para el siguiente período. No hay mejor ambiente que el del estímulo para animar a las personas a continuar el camino del servicio. El compartir testimonios de lo hecho como también los sueños de lo que se espera alcanzar consolida la voluntad de los líderes para ser parte de un equipo de trabajo que conquista cada día a más personas para Jesús y que han de ser hechas discípulos de una causa que ha de transformar la civilización humana.

Portuguese blog:

Terminando Bem

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

O final de cada ano é uma boa oportunidade para rever o que vem acontecendo nas células durante o ano. É um período transitório de se regozijar pelos sucessos e aprender com os erros no ministério celular – o que deve ser fortalecido e o que deve ser abandonado.

Também é um ótimo momento para reconhecer o serviço voluntário. O final do ano é a oportunidade de expressar gratidão às muitas pessoas que investem sua paixão, tempo e dedicação para edificar o Corpo de Cristo. Esse reconhecimento pode consistir em palavras públicas de honra, na oferta prática de presentes ou numa refeição comunitária em que todos fortalecem seus laços de amizade e propósito comum.

O final do ano também é um ótimo momento para vislumbrar novos objetivos e novas diretrizes para o próximo período. É um ótimo momento e atmosfera para incentivar as pessoas a continuarem no caminho de servir. Compartilhar testemunhos do que Deus fez, assim como os sonhos do que se espera que sejam alcançados, consolida a vontade dos líderes de fazer parte de uma equipe de trabalho que conquista cada vez mais pessoas para Jesus todos os dias. Que privilégio sonhar e planejar para o próximo ano, a fim de cumprir a Grande Comissão de fazer discípulos que fazem discípulos.

Planting Churches in Spain

By Mario Vega, www.elim.org.sv

I’m in Madrid, Spain, writing this blog, where I have been invited for the tenth anniversary of our branch church in this city. I was received at the airport early in the morning by our pastor in charge. During the day he told me about a family from our church in El Salvador who had to flee the country because of street violence. When they arrived in Spain they requested asylum, which was granted to them. They were located in a town called Ciudad Real. The family were cell leaders in  our cells in El Salvador and when they arrived in Ciudad Real they started a cell group in their house. Later the cell multiplied and the brother’s wife assumed the leadership of the second cell. The task of evangelizing, fraternizing and edifying has been carried out with perseverance for several weeks.

They are also making disciples who, in turn, make other disciples. The work has matured. Then they got in touch with our pastor in Madrid, who now tells me that we should expect to have a new branch church in Ciudad Real, Spain, very soon. All that has happened, which is not the product of a missionary plan but of the spontaneity of the cell church, is the same way that our churches have developed in Madrid, Jaén, Seville and Barcelona, ​​Spanish cities. But the same has happened in Italy, Switzerland, Belgium, the United States, Canada, Mexico, Guatemala, Honduras, Nicaragua, Costa Rica, Peru, Ecuador and Australia. In very few cases the Elim churches were born by an initiative of the mother church. Almost always, they emerged from common lay people naturally starting cell groups wherever they went. It is the natural way in which the church grows and multiplies reaching new cities in different countries.

Korean blog

Portuguese blog:

Plantando Igrejas na Espanha

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Estou escrevendo este blog em Madrid, Espanha, onde fui convidado para o décimo aniversário da nossa igreja que foi plantada nesta cidade. Fui recebido no aeroporto no início da manhã pelo nosso pastor responsável. Durante o dia ele me contou sobre uma família da nossa igreja em El Salvador que teve que fugir do país devido à violência das ruas. Quando chegaram na Espanha, eles pediram asilo, que foi concedido a eles. Eles estavam localizados em uma cidade chamada Ciudad Real. A família era formada por líderes de células de nossas células em El Salvador e, quando chegaram em Ciudad Real, abriram uma célula em sua casa. Mais tarde, a célula multiplicou e a esposa do irmão assumiu a liderança da segunda célula. As tarefas de evangelização, confraternização e edificação foram realizadas com perseverança por várias semanas.

Eles também estão fazendo discípulos que, por sua vez, fazem outros discípulos. O trabalho amadureceu. Então eles entraram em contato com o nosso pastor em Madrid, que agora me disse que devemos esperar ter uma nova igreja plantada em Ciudad Real, Espanha, muito em breve. Tudo o que aconteceu (que não é o produto de um plano missionário, mas da espontaneidade da igreja em células) ocorreu da mesma forma pela qual nossas igrejas se desenvolveram em Madrid, Jaén, Sevilha e Barcelona, cidades espanholas. Mas o mesmo aconteceu na Itália, na Suíça, Bélgica, Estados Unidos, Canadá, México, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Peru, Equador e Austrália. Em pouquíssimos casos as igrejas Elim nasceram por uma iniciativa da Igreja Mãe. Quase sempre, elas emergiram através de pessoas leigas comuns que naturalmente começaram células onde quer que fossem. É a maneira natural em que a igreja cresce e se multiplica, alcançando novas cidades em diferentes países.

Spanish blog:

Plantando iglesias en España

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Escribo este blog en Madrid, España, donde he sido invitado para la actividad de décimo aniversario de nuestra iglesia filial en esta ciudad. Fui recibido en el aeropuerto, temprano por la mañana, por nuestro pastor encargado. Durante el día él me relató acerca de una familia de nuestra iglesia en El Salvador que tuvo que huir del país por causa de la violencia callejera. Al llegar a España solicitaron asilo, el cual, les fue concedido. Fueron ubicados en una población que se llama Ciudad Real. Los padres de familia fueron líderes activos de nuestras células en El Salvador y al llegar a Ciudad Real iniciaron una célula en su casa de asilados. Posteriormente la célula se multiplicó y la esposa del hermano asumió el liderazgo de la segunda célula. La tarea de evangelizar, confraternizar y edificar la han realizado con perseverancia durante varias semanas.

También están haciendo discípulos que, a su vez, hagan otros discípulos. El trabajo ha cobrado madurez. Luego se pusieron en contacto con nuestro pastor en Madrid, quien, ahora me dice que debemos esperar tener muy pronto una nueva filial en Ciudad Real, España. Este procedimiento, que no es producto de un plan misionero sino de la espontaneidad de la iglesia celular, es el mismo que dio origen a nuestras iglesias en Madrid, Jaén, Sevilla y Barcelona, ciudades españolas. Pero, lo mismo ha ocurrido en Italia, Suiza, Bélgica, Estados Unidos, Canadá, México, Guatemala, Honduras, Nicaragua, Costa Rica, Perú, Ecuador y Australia. En muy contados casos las iglesias de Elim nacieron por una iniciativa de la iglesia madre. Casi siempre, surgieron de la capacidad que laicos comunes desarrollaron al participar activamente en el trabajo celular. Es la manera natural en que la iglesia crece y se multiplica alcanzando nuevas ciudades en distintos países.

The Importance of Vision in Church Planting

By Mario Vega, www.elim.org.sv

An essential element in the establishment of new churches is the cell pastor’s vision. I’m referring to the vision to understand the needs of the city and then God’s plan and response for the planting of new churches. I’m referring to the ability to anticipate and contemplate in advance what God will do in the following years. The vision becomes the guiding light and helps stir God’s people to respond. Vision ignites and unites the congregation to move towards a common goal.

The vision stirs inspiration and motivates people to offer their best efforts for God’s work.  Vision was what Paul had when, at night, he saw a Macedonian man inviting him to bring them the gospel. It was that same vision that stirred Paul to take the gospel first to Jerusalem, then to Rome, and then to Spain. Paul’s vision guided him into the future. Without a vision the churches turn inward and only exist for themselves. They do not see themselves as part of God’s greater plan to fulfill the great commission.

Vision guides the goal, the meaning, the purpose, the inspiration, the challenge and the hope that guides God’s work. Can you say that you have a vision?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do google. No momento em que a tradução normal é recebida, nós a postaremos no site da JCG

A importância da visão no plantio de igrejas

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Um elemento essencial no estabelecimento de novas igrejas é a visão do pastor de células. Estou me referindo à visão para entender as necessidades da cidade e depois o plano e a resposta de Deus para o plantio de novas igrejas. Estou me referindo à capacidade de antecipar e contemplar com antecedência o que Deus fará nos anos seguintes. A visão se torna a luz guia e ajuda a estimular o povo de Deus a responder. A visão inflama e une a congregação para avançar em direção a um objetivo comum.

A visão provoca inspiração e motiva as pessoas a oferecer seus melhores esforços para o trabalho de Deus. Visão era o que Paulo tinha quando, à noite, ele via um macedônio convidando-o a levar o evangelho. Foi essa mesma visão que levou Paulo a levar o evangelho primeiro a Jerusalém, depois a Roma e depois à Espanha. A visão de Paul o guiou para o futuro. Sem uma visão, as igrejas se voltam para dentro e só existem por si mesmas. Eles não se vêem como parte do plano maior de Deus para cumprir a grande comissão.

A visão orienta o objetivo, o significado, o propósito, a inspiração, o desafio e a esperança que orientam o trabalho de Deus. Você pode dizer que você tem uma visão?

Spanish blog:

La visión al establecer nuevas iglesias

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Un elemento esencial en el establecimiento de nuevas iglesias es la visión del pastor celular. La visión se entiende como la capacidad de ver el conjunto de las situaciones de una ciudad y la respuesta que Dios tiene para ellas. Es la capacidad de anticiparse en el tiempo y contemplar de antemano lo que Dios hará en los siguientes años. La visión se convierte en el elemento rector del trabajo y las iniciativas del pueblo de Dios. Es el elemento que une los esfuerzos de la congregación para encaminarse hacia un objetivo común.

La visión provoca inspiración y motiva a las personas a ofrecer sus mejores esfuerzos a favor de la obra de Dios. Visión fue la que Pablo tuvo cuando, por la noche, vio a un hombre macedonio que le invita a llevarles el evangelio. Pero, también fue visión cuando hablaba a los Romanos de sus planes para llevar el evangelio primero a Jerusalén, luego a Roma y después a España. La visión marcaba el plan a seguir en el futuro. Sin una visión las iglesias solamente existen para sí mismas. No se ven como parte de un plan en el que tienen un propósito de servicio que cumplir.

La visión es entonces la meta, el sentido, el propósito, la inspiración, el desafío y la esperanza que mueve a la obra de Dios. ¿Puedes decir que tienes una visión?

Cell Evangelization and Church Planting

By Mario Vega, www.elim.org.sv

The first Christian communities were born from those initial families who believed in Jesus Christ.  The natural way for  Christians to meet was in their own homes. Fellowship, the teachings of Jesus, the worship, and celebration of the Lord’s Supper was done in the houses. To the extent that people believed the gospel, new houses began to host Christian meetings. The sum of those meetings in the houses in a city resulted in a community of Christians. What Paul called a church. That scene shows us that the formation of churches was something that went hand in hand with the expansion of the Gospel.

The proclamation of the gospel was equivalent to the formation of new Christian communities and new Christian communities implied a greater proclamation of the Gospel. One followed the other. That relationship has not been broken for centuries. In the case of El Salvador, the first proclamation of the Gospel was recorded around the year 1858. That was followed by years in which it was not possible to have formal churches because of the strong social control of the Catholic Church in close relationship with the conservative governments of the time. Those conditions changed around 1896 when social openings made possible the establishment of the first local church. Since then, the relationship between evangelization and church planting has continued unabated.

Then came the capacity to use mass media to preach the gospel but radio and TV did not necessarily imply a new church. TV and radio are great tools if combined with the planting of new churches. At present, there is a revival of evangelization in the houses and, with it, a return to the dynamics of church planting. We have returned to the roots of the New Testament, that is, to God´s model for his church.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Evangelização Celular e Plantação de Igrejas

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

As primeiras comunidades cristãs nasceram das famílias iniciais que acreditavam em Jesus Cristo. O caminho natural para os cristãos se encontrarem foi em suas próprias casas. Comunhão, o ensinamento do que Jesus tinha feito e dito, o culto e celebração da Ceia do Senhor eram feitos nas casas. Na medida em que as pessoas acreditavam no evangelho, as novas casas começavam a sediar as reuniões cristãs. A soma dessas reuniões nas casas de uma cidade resultava em uma comunidade de cristãos. E Paulo chamou isso de igreja. Essa cena nos mostra que a formação de igrejas era algo que andava de mãos dadas com a expansão do Evangelho.

A proclamação do evangelho era equivalente à formação de novas comunidades cristãs e novas comunidades cristãs implicavam uma maior proclamação do Evangelho. Uma coisa dependia da outra. Essa relação não foi quebrada por séculos. No caso de El Salvador, a primeira proclamação do Evangelho foi registrada por volta do ano de 1858. Isso foi seguido por anos nos quais não foi possível ter igrejas formais por causa do forte controle social da Igreja Católica que tinha uma estreita relação com os governos conservadores da época. Essas condições mudaram por volta de 1896, quando a abertura social tornou possível o estabelecimento da primeira igreja local. Desde então, a relação entre evangelização e plantação de igrejas continua inabalável.

Depois veio a capacidade de usar os meios de comunicação de massa para pregar o evangelho, mas o rádio e a TV não resultavam necessariamente numa nova igreja. TV e rádio são ótimas ferramentas se combinadas com o plantio de novas igrejas. Atualmente, há um renascimento da evangelização nas casas e, com isso, um retorno à dinâmica da plantação de igrejas. Voltamos às raízes do Novo Testamento, isto é, ao modelo de Deus para a sua Igreja.

Spanish blog:

Evangelización celular y plantación de iglesias

por Mario Vega, www.celulas.org.sv

Las primeras comunidades cristianas nacieron a partir de las familias que recibieron la fe en Jesucristo. La manera natural en que los cristianos se reunían fue en sus propios hogares. La comunión, la enseñanza de lo que Jesús había hecho y dicho, la adoración y la celebración de la cena del Señor se realizaba en las casas. En la medida en que las personas creían al evangelio, nuevas casas comenzaban a alojar reuniones cristianas. La suma de esas reuniones en las casas en una ciudad daba como resultado una comunidad de cristianos. Lo que Pablo llamaba una iglesia. Ese panorama nos deja ver que la formación de iglesias era algo que iba al lado de la expansión del evangelio.

El anuncio del evangelio equivalía a la formación de nuevas comunidades cristianas y nuevas comunidades cristianas implicaban mayor anuncio del evangelio. Lo uno implicaba lo otro. Esa relación no ha sido rota durante siglos. En el caso de El Salvador, el primer anuncio del evangelio se ha registrado alrededor del año 1858. A eso siguieron años en los cuales no fue posible lograr una iglesia constituida. Sobre todo por el fuerte control social de la iglesia católica en estrecha relación con los gobiernos conservadores de la época. Esas condiciones cambiaron a la altura de 1896 cuando la apertura social hizo posible el establecimiento de la primera iglesia local. Desde entonces, la relación entre evangelización y plantación de iglesias siguió a buen paso.

No obstante, con el advenimiento de los medios electrónicos de comunicación, evangelización no necesariamente implicaba una nueva iglesia. Se crearon conceptos como el de iglesia en la radio y el de iglesia televisada. No obstante, el fruto de tales esfuerzos no se lograba consolidar a menos que hubiese una estrecha relación entre el medio masivo y las iglesias locales. En la actualidad, existe un renacimiento de la evangelización en las casas y, con él, un regreso a la dinámica de plantación de iglesias. Hemos retornado a las raíces del Nuevo Testamento, es decir, al modelo de Dios para su iglesia.