One, Two, Three – GO!

ralph

(Part Two)

by Ralph Neighbour

The first time I prepared this primitive image for a Powerpoint presentation was in 1978.

I had seen in I John 2:12-14 that the basic level of mentoring was not between a Cell Leader and the cell members, but within the cell itself. Who better than to experience mentoring for the first time than the “Young Man” who could say to the “Little Child,” “I know all about the enemy that is attacking you, and how I overcame him.” Also, who better to assist the “Young Man” to know how to win a lost person than a “Father” who had experienced producing a “Little Child?”

This natural mentoring system led me to realize the value of the Triad, particularly when there could be this exact combination of maturity. We learned how to “fit” other combinations into groups of three. These were the reasons we found this group so successful:

  1. It is a means of mentoring others.
  2. It is based on 1 Cor 11:1-2: “Follow my example, as I follow the example of Christ. I praise you for remembering me in everything and for holding to the teachings, just as I passed them on to you.” (NIV)

Using this simple structure, in 1985 we went to help plant a cell church in Singapore. We began with 600 and grew to 7,000. While other factors, including the amazing openness of Singaporeans to the gospel were present, the major growth factor was the personal care new believers received. It was obvious from the start that the training of “Young Men” to be caretakers of the “Little Child” and the mentoring of “Fathers” who carried the “Young Men” two by two into households a la Luke 10, was the Biblical pattern for natural growth.

The “Triad,” as we referred to it, was basic. It incorporated the “Two” as well, for the inner relationships involved all but the new convert caring and mentoring another person.

It is absurd to assign a Cell Leader the task of mentoring the entire cell. It makes much more sense for the Leader to coach the “Fathers” and prepare them to lead a daughter cell.

Eddie Leo came up with the term “Basic Christian Community” for the Triad. In 2010 I was invited to help an amazing cell community in Dnepropretskov, Ukraine, led by Vladimir Muntean. He was wide open to being mentored, more than any pastor I have coached.

I restructured the cell structure for him to include “Triad Time” in the cell itself. After the Ice Breaker and Worship we created this 20-25 minute segment. Each Triad then reported a suggestion to the full cell about a need or problem for them as they “Prophesied” (see 1 Cor. 14:24-25 as explained in 14:3). The response has been amazing. Believers have learned how to care for one another and conversions have been at an amazing rate.

“One, Two, Three – GO!”

Ralph

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um, Dois, Três… JÁ! (Parte Dois)

por Ralph Neighbour

A primeira vez que eu preparei este imagem primitive para uma apresentação de Powerpoint foi em 1978.

Eu vi em I João 2:12-14 que o nvel básico de mentoreamento não foi entre o Lder da Célula e os membros da célila, mas dentro da própria célula. Quem melhor para experimentar o mentoreamento pela primeira vez do que um “Jovem” que podia dizer à “Pequena Criança”, “Eu sei tudo sobre o inimigo que o está atacando, e como vencê-lo”. Também, quem poderia auxiliar melhor o “Jovem” em como ganhar o perdido do que um “Pai” que produziu uma “Nova Criança”?

Este Sistema natural de mentoreamento me levou a perceber o valor da Trade, particularmente quando poderia haver esta exata combinação de maturidade. Aprendemos como “encaixar” outras combinações dentro de grupos de três. Estas foram as razões pelas quais achamos este grupo bem sucedido:

É um meio de mentorear outros.

É baseado em 1 Co 11:1-2: “Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo. Eu os elogio por se lembrarem de mim em tudo e por se apegarem às tradições exatamente como eu as transmiti a vocês (NVI).

Usando essa simples estrutura, em 1985 fomos ajudar a plantar uma igreja em células em Singapura. Começamos com 600 e chegamos a 7000. Enquanto outros fatores, incluindo a maravilhosa abertura dos singapurenses ao Evangelho que estavam presentes, o maior fator de crescimento foi o cuidado pessoal que cada novo convertido recebeu. Foi óbvio desde o incio que o treinamento dos “Jovens” para serem cuidadores das “Pequenas Crianças” e o mentoreamento dos “Pais” que transmitiu aos “Jovens” dois a dois para as famlias como em Lucas 10 foi o padrão Bblico para o crescimento natural.

A “Trade”, como nos referimos, foi básico. Ela incorporou os “Dois” também, para os relacionamentos internos envolvendo nada mais do que o cuidado do novo convertido e o mentoreamento de outra pessoa.

É um absurdo atribuir ao Lder de Célula a tarefa de mentorear toda a célula. Faz muito mais sentido que o Lder treine os “Pais” e os prepare para liderar a célula filha.

Eddie Leo criou o termo “Comunidade Cristã Básica” para a Trade. Em 2010, fui convidado para ajudar uma maravilhosa comunidade em células em Dnepropretskov, Ukraine, liderada por Vladimir Muntean. Ele estava totalmente aberto para ser mentoreado, mais do que qualquer outro pastor que eu já treinei.

Reestruturei a estrutura da célula para que ele inclusse “Tempo Trade” na própria célula. Depois do Quebra Gelo e Louvor criamos esse seguimento de 20-25 minutos. Cada Trade então reportou uma sugestão para toda a célula sobre a necessidade ou problema para eles enquanto eles “Profetizavam” (veja 1 Co 14:24-25 como explicado em 14:3). A resposta tem sido fantástica. Crentes aprenderam como cuidar um do outro e conversões têm acontecido em uma velocidade muito rápida.

“Um, Dois, Três – JÁ!”

Ralph

Spanish blog:

Uno, dos, tres – ¡Vamos! (Segunda Parte)

Por Ralph Neighbour

La primera vez que preparé esta imagen primitiva para una presentación de PowerPoint fue en 1978.

Yo haba visto en 1 Juan 2:12-14, que el nivel básico de tutora no era entre un lder celular y los miembros de la célula, pero dentro de la misma célula. ¿Quién mejor a experimentar la tutora por primera vez que el “joven” que poda decir al “niño”, “sé todo sobre el enemigo que te está atacando, y cómo yo lo superé.” Además, ¿Quién mejor para ayudar al “joven” a saber cómo ganarse una persona perdida que un “Padre” que ha experimentado la reproducción de un “hijo”?

Este sistema de tutora natural me llevó a darme cuenta del valor de la Trada, en particular cuando puede haber esta combinación exacta de madurez. Aprendimos a “encajar” otras combinaciones en grupos de tres. Estas fueron las razones que encontramos este grupo tan exitoso:

Es un medio para instruir a otras personas.

Se basa en 1 Corintios 11:1-2: “Sed imitadores de m, as como yo de Cristo. Os alabo, hermanos, porque en todo os acordáis de m, y retenéis las instrucciones tal como os las entregué.”(RV)

Usando esta simple estructura, fuimos a ayudar a plantar una iglesia celular en Singapur en 1985. Comenzamos con 600 y crecimos a 7.000. Incluyendo otros factores, como la apertura impresionante de los Singapurense al evangelio, el principal factor de crecimiento fue la atención personal que recibieron los nuevos creyentes. Era obvio desde el principio que la formación de los “jóvenes” a ser guardianes de los “Niños”, y la tutora de los “Padres” que llevaron a los “jóvenes” de dos en dos en los hogares como en Lucas 10, fue el patrón bblico del crecimiento natural.

La “trada”, como nos referimos a ella, era básico. Incorporó a los “Dos” bien, por las relaciones internas en las que participan todos, el nuevo converso y la  tutora de otra persona.

Es absurdo asignar un lder celular a la tarea de tutora de toda la célula. Tiene mucho más sentido que el Lder entrene a los “Padres” y los prepare para dirigir una célula hija.

Eddie Leo creo el término “comunidades cristianas básicas” de la Trada. En 2010 fui invitado a ayudar a una increble comunidad de células en Dnepropretskov, Ucrania, dirigido por Vladimir Muntean. Él estaba abierto a ser tutoreado, más que cualquier pastor que he entrenado.

Reestructuré la estructura celular para incluir el “Tiempo de Triada” en la célula. Después del Rompehielos y el Culto creamos este segmento de 20 a 25 minutos. Cada Triada informó una sugerencia a la célula sobre una necesidad o un problema para ellos, as como fue “profetizado” (ver 1 Cor 14:24-25 como se explica en 14:3). La respuesta ha sido increble. Los creyentes han aprendido a cómo cuidar de s mismos y las conversiones han sido en un ritmo sorprendente.

“Uno, dos, tres – ¡Vamos!”

Ralph

Leave a Reply

Your email address will not be published.