How to Keep the Dones

joel

by Joel Comiskey

A pastor who I’m coaching recently shared a story of a member who announced he was done with the church. Jim, a godly member and faithful tither, announced that he was leaving the church during a prayer meeting.  Before Jim announced he was done, he read portions from Josh Packard’s recent study about those who were fed up and tired of traditional Christianity. Packard’s  article summed up how Jim felt about his church experience, and so he read it to the small gathered group. Jim was not involved with one of the church’s Life Groups, and I’m sure this affected his level of frustration in the church.

Josh Packard describes several factors for Dones leaving the church in his upcoming book Church Refugees. Among the reasons, “After sitting through countless sermons and Bible studies, they feel they’ve heard it all.” One of Packard’s interviewees said, “I’m tired of being lectured to. I’m just done with having some guy tell me what to do.” The Dones are fatigued with the Sunday routine of plop, pray and pay. They want to play. They want to participate. But they feel spurned at every turn. Packard says that most likely the  Dones will not return. Here are some excerpts from Josh Packard’s study:

John is every pastor’s dream member. He’s a life-long believer, well-studied in the Bible, gives generously and leads others passionately. But last year he dropped out of church. He didn’t switch to the other church down the road. He dropped out completely. His departure wasn’t the result of an ugly encounter with a staff person or another member. It wasn’t triggered by any single event.

John had come to a long-considered, thoughtful decision. He said, “I’m just done. I’m done with church.” John is one in a growing multitude of ex-members. They’re sometimes called the de-churched. They have not abandoned their faith. They have not joined the also-growing legion of those with no religious affiliation-often called the Nones. Rather, John has joined the Dones.

So what are we to think about Josh Packard’s research? First, Packard’s research took place in the North America context, a land where post-Christianity is the norm and many are leaving the church. Second, cell churches are only a tiny part of church life in North America. Unlike the growing cell churches in other parts of the world, cell church ministry has not really taken root in the Western world and North American in particular. Third, the research doesn’t take into account that one of the key goals of cell ministry is to avoid the plop, pray, and pay mentality that is so common in the traditional church.

Here’s a question: Would Jim have made the announcement at my friend’s church that he was “done,” if he was actively involved in a life-giving cell group? I don’t think so. Why? Because cell ministry is about total involvement. Disciples are formed in the small group environment and each member can actively practice the priesthood of all believers. The lead pastor, in fact, is the main cell coach who mobilizes the members to do the work of the ministry through multiplying cell groups (Ephesians 4).

Through cell ministry, all members grow in determining their spiritual gifting. All members participate in the life of the group. All members prepare to become part of a discipleship team that is preparing to give birth and start a new group. Some members will become leaders, supervisors, pastors, and church planters. In other words, the plop, pray, and pay mentality is totally contrary to the philosophy of cell church ministry.

During the month of June, we’ll be exploring the topic of how cell ministry transforms the sitter into a doer.  Key leaders will blog on this topic, sharing their convictions and experiences.

  • Week 1 (June 07-13); The reality of traditional church life. We will explore why the conventional church has produced a group called the Dones. Cell church pastors will comment on why this has taken place.
  • Week 2 (June 14-June 20); How the cell church corrects the done mentality. Cell church is designed for involvement and deals with this basic problem of sitting, listening, and leaving.
  • Week 3 (June 21-27); Dangers in cell church ministry. Some cell churches become too controlling and top heavy. They just grow larger and larger and have no room for church planting. We need to go back to the simplicity of New Testament ministry, where church planting was the norm, rather than the exception.
  • Week 4: (June 28-June 04); Personal testimony. Bloggers will share their own testimonies of how they have avoided the done mentality in their own churches.

What is your reaction to Packard’s research on those who are done with the church?

Joel Comiskey

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Como Manter os Fartos

Um pastor que eu estou treinando compartilhou recentemente uma história de um membro que anunciou que estava “farto” da igreja. Jim, um membro devoto e dizimista fiel, anunciou que estava deixando a igreja durante uma reunião de oração. Antes de Jim anunciar que estava farto, ele leu porções do estudo recente de Josh Packard sobre aqueles que estavam fartos e cansados do cristianismo tradicional. O artigo de Packard resumiu como Jim se sentia sobre a sua experiência de igreja, e assim ele o leu para o pequeno grupo reunido. Jim não estava envolvido com um dos Grupos de Vida da igreja, e eu tenho certeza que isso afetou seu nvel de frustração na igreja.

Josh Packard descreve vários fatores para os “Fartos” deixarem a igreja em seu próximo livro Refugiados da Igreja. Entre as razões: “Depois de se sentarem por inúmeros sermões e estudos bblicos, eles sentem que já ouviram tudo”. Um dos entrevistados de Packard disse: “Eu estou cansado de ouvir uma palestra. Eu estou simplesmente farto de ter um cara me dizendo o que fazer”. Os Fartos estão cansados com a rotina de domingo de sentar, orar e pagar. Eles querem desempenhar. Eles querem participar. Mas eles se sentem rejeitados toda vez. Packard diz que provavelmente os Fartos não vão voltar. Aqui estão alguns trechos do estudo de Josh Packard:

John é o membro que todo pastor sonha em ter. Ele é crente durante toda a vida, bem estudado na Bblia, dá generosamente e lidera os outros de forma apaixonada. Mas no ano passado ele saiu da igreja. Ele não mudou para outra da igreja da estrada. Ele abandonou completamente. Sua partida não foi o resultado de um encontro ruim com uma pessoa da equipe ou outro membro. Não foi desencadeada por um único evento.

John tinha chegado a uma decisão bastante considerada e ponderada. Ele disse: “Eu estou simplesmente farto. Eu estou farto da igreja”. John é um em uma multidão crescente de ex-membros. Eles são chamados às vezes de sem-igreja. Eles não abandonaram sua fé. Eles não aderiram à também crescente legião de pessoas sem filiação religiosa, muitas vezes chamados de “Nenhum”. Em vez disso, John se juntou aos Fartos.

Então o que devemos pensar sobre a pesquisa de Josh Packard? Em primeiro lugar, a pesquisa de Packard foi realizada no contexto da América do Norte, uma terra onde o pós-cristianismo é a norma e muitos estão deixando a Igreja. Em segundo lugar, as igrejas em células são apenas uma pequena parte da vida da Igreja na América do Norte. Ao contrário das igrejas em células que crescem em outras partes do mundo, o ministério de igreja em células não tem razes no mundo ocidental e norte-americano em particular. Em terceiro lugar, a pesquisa não leva em conta que um dos objetivos-chave do ministério celular é evitar a mentalidade de sentar, orar e pagar que é tão comum na igreja tradicional.

O ministério celular tem a ver com 100% de envolvimento. Aqui está uma pergunta: Será que Jim faria o anúncio de que ele estava “farto” da igreja e pronto para deixar a igreja de meu amigo se ele estivesse envolvido ativamente em um grupo celular que dá vida? Eu acho que não.

Nós precisamos lembrar que os discpulos são formados no ambiente de pequeno grupo e cada membro pode praticar ativamente o sacerdócio de todos os crentes. O pastor principal, de fato, é o principal treinador celular que mobiliza os membros para fazerem o trabalho do ministério através de grupos de células multiplicadores (Efésios 4).

Através do ministério de células, todos os membros crescem em determinar seus dons espirituais. Todos os membros participam na vida do grupo. Todos os membros se preparam para se tornarem parte de uma equipe de discipulado que está se preparando para dar à luz e começar um novo grupo. Alguns membros se tornarão lderes, supervisores, pastores e plantadores de igrejas. Em outras palavras, a mentalidade de sentar, orar e pagar é totalmente contrária à filosofia do ministério de igreja em células.

Durante o mês de junho, estaremos explorando o tema de como o ministério de células transforma a “pessoa que se senta” em uma “pessoa que faz”. Lderes-chave vão escrever sobre este tema, partilhando as suas convicções e experiências.

  • Semana 1 (07 a 13 de Junho); A realidade da vida da igreja tradicional. Vamos explorar por que a igreja convencional produziu um grupo chamado Fartos. Pastores de igrejas em células vão comentar sobre por que isso ocorreu.
  • Semana 2 (14 a 20 de Junho); Como a igreja em células corrige a mentalidade farta. A igreja celular é projetada para o envolvimento e lida com este problema básico de sentar, ouvir e sair.
  • Semana 3 (21 a 27 de Junho); Perigos no ministério da igreja em células. Algumas igrejas em células tornam-se muito controladoras e demasiadamente pesadas. Elas só crescem mais e mais e não têm espaço para a plantação de igrejas. Nós precisamos voltar para a simplicidade do ministério do Novo Testamento, onde a plantação de igrejas era a norma, e não a exceção.
  • Semana 4 (28 de Junho a 04 de Julho); Testemunho pessoal. Os blogueiros vão compartilhar os seus próprios testemunhos de como eles têm evitado a mentalidade farta em suas próprias igrejas.

Qual é a sua reação à pesquisa de Packard sobre aqueles que estão fartos da igreja?

Joel Comiskey

Spanish blog:

Cómo Conservar a los Hastiados

por Joel Comiskey

Un pastor a quien estoy supervisando, recientemente compartió una historia de un miembro que anunció estar “hastiado” de la iglesia. Jim, un miembro piadoso y fiel diezmador, durante una reunión de oración anunció que se iba de la iglesia. Antes de que Jim anunciara que estaba hastiado, leyó porciones del estudio reciente de Josh Packard acerca de los que estaban hartos y cansados del cristianismo tradicional. El artculo de Packard resuma cómo se senta Jim acerca de su experiencia en la iglesia, por lo que se los leyó al pequeño grupo reunido. Jim no estaba involucrado en uno de los Grupos de Vida de la iglesia, y estoy seguro que esto fue algo que afectó su nivel de frustración hacia la ella.

Josh Packard describe varios factores en su próximo libro Refugiados de la Iglesia, que hacen que los hastiados se vayan. Entre las razones se encuentran las siguientes: “después de estar en innumerables sermones y estudios bblicos, sienten que lo han escuchado todo”. Uno de los entrevistados de Packard dijo: “Estoy cansado de que me regañen. Estoy harto de que algún tipo me diga qué hacer”. Los Hastiados  están fatigados con la rutina dominical de orar y retribuir. Ellos quieren ser parte del juego. Quieren participar. Pero se sienten despreciados a cada paso. Packard dice que muy probablemente los Hastiados no volverán. Estos son algunos extractos del estudio de Josh Packard:

John es el miembro de sus sueños de cada pastor. Él es un creyente de toda la vida, bien estudiado en la Biblia, da generosamente y conduce a otros apasionadamente. Pero el año pasado abandonó la iglesia. No se cambió a la otra iglesia abajo del camino. Él lo abandonó todo por completo. Su partida no fue el resultado de un encuentro desagradable con un miembro del personal u otro miembro. No fue provocada por un evento en especial.

John haba llegado a una decisión reflexiva, la cual haba considerado durante mucho tiempo. Él dijo: “Estoy simplemente hastiado. Ya me harté de la iglesia”. John es uno entre una multitud creciente de ex-miembros. A veces a ellos se les llama los sin-iglesia. No han abandonado su fe. Ellos no se han unido a la también creciente legión de los que no tienen afiliación religiosa, a menudo llamados los que no pertenecen a Nada. Más bien, John se ha unido a los Hastiados.

Entonces, ¿qué debemos pensar acerca de la investigación de Josh Packard? En primer lugar, la investigación de Packard tuvo lugar en el contexto de Norteamérica, una tierra en la que el post-cristianismo es la norma y muchos están dejando la iglesia. En segundo lugar, las iglesias celulares son sólo una pequeña parte de la vida de la iglesia en Norteamérica. A diferencia de las iglesias celulares que crecen en otras partes del mundo, el ministerio de la iglesia celular no ha echado realmente raz en el mundo occidental y en particular en Norteamérica. En tercer lugar, la investigación no toma en cuenta que uno de los objetivos clave del ministerio celular es evitar la mentalidad pasiva de orar y retribuir que es tan común en la iglesia tradicional.

El ministerio celular trata acerca de un involucramiento al 100%. He aqu una pregunta: ¿Podra Jim haber hecho el anuncio de que él estaba “hastiado” de la iglesia y listo para salir de la iglesia de mi amigo, si él hubiera estado involucrado activamente en un grupo celular que da vida? No lo creo.

Tenemos que recordar que los discpulos se forman en el entorno de grupos pequeños y cada miembro puede practicar activamente el sacerdocio de todos los creyentes. El pastor principal, de hecho, es el entrenador celular principal que moviliza a los miembros para hacer la obra del ministerio a través de la multiplicación de los grupos celulares (Efesios 4).

A través del ministerio celular, todos los miembros crecen en la determinación de sus dones espirituales. Todos los miembros participan en la vida del grupo. Todos los miembros se preparan para formar parte de un equipo de discipulado que se está preparando para dar a luz y para empezar un nuevo grupo. Algunos miembros se convertirán en lderes, supervisores, pastores y plantadores de iglesias. En otras palabras, la mentalidad pasiva de orar y retribuir es totalmente contraria a la filosofa del ministerio de la iglesia celular.

Durante el mes de junio, vamos a explorar el tema de cómo el ministerio celular transforma en un hacedor al que sólo se llega a sentar. Lderes clave escribirán blogs sobre este tema, compartiendo sus convicciones y experiencias.

  • Semana 1 (07-13 junio); La realidad de la vida de la iglesia tradicional. Vamos a explorar por qué la iglesia tradicional ha producido un grupo llamado los Hastiados. Pastores de iglesias celulares comentarán por qué esto ha sucedido.
  • Semana 2 (14-20 junio); ¿Cómo corrige la iglesia celular la mentalidad hastiada? La iglesia celular está diseñada para la participación y se ocupa de este problema básico de sentarse, escuchar, e irse.
  • Semana 3 (21 – 27 junio); Peligros en el ministerio de la iglesia celular. Algunas iglesias celulares se vuelven demasiado controladoras y desbalanceadas. Estas sólo crecen más y más y no tienen espacio para la plantación de iglesias. Tenemos que volver a la simplicidad del ministerio del Nuevo Testamento, donde la plantación de iglesias era la norma, no la excepción.
  • Semana 4: (06- 28 junio); El testimonio personal. Los blogeros compartirán sus propios testimonios de cómo han evitado la mentalidad de Hasto en sus propias iglesias

¿Cuál es tu reacción a la investigación de Packard sobre aquellos que se hastiaron de la iglesia?

1 thought on “How to Keep the Dones

Leave a Reply

Your email address will not be published.