Four Types of Integration

coaches_jeffPeggy2013

More than a decade ago, Joel Comiskey wrote a magazine article that gave me clarity about integration during the transition from Program-based to Cell-based ministry. I have selected some portions from the article for you. My hope is that these definitions will stay with you as they did me, as a guide toward establishing and preserving life-giving cell structures.

I (Joel) see four types of integration: the first two are used in a church with cells. The second two are used in the cell church.

NON
INTEGRATION
FAULTY
INTEGRATION
MINIMUM
INTEGRATION
MAXIMUM
INTEGRATION
• Church with small groups
• Cells are one ministry
• Some in cells; some in other ministries
• No attempt to integrate cells and ministries
• Church with small groups
• Faulty definition of a real cell group
• All groups are cell groups (Sunday school, choir, cells, etc.).
• Integration is the acknowledgement that the church already has small groups
• Cell Church
• Clear definition of a cell group
• Cell attendance is just as important as celebration attendance
• Only those already attending a cell group can be involved in official church ministries.
• Cell Church
• Clear definition of a cell group
• Cell attendance is just as important as celebration attendance
• Those leading a cell group or in training to lead a cell group are involved in the official church ministries.

Non-integration is used in the programmed based church. If there are cells, they are simply one option among a variety of programs. There is no attempt to integrate ministries and small groups.

Faulty integration is practiced in churches that try to equate all small groups as cell groups (e.g., Meta Model). The motivation is noble (desire to integrate), but the problem stems from a faulty definition of a cell. In this approach, A Sunday School class, a board meeting, a choir group, a parking lot attendant meeting, a life-giving cell group, etc. are all classified as “cells.” This might bring instant integration (all ministries are small group), but many people will think they’ve experienced cell life, when in reality they’ve experienced a programmatic small group.

Minimum Integration is practiced in many cell churches. Cell churches who use Minimum integration say, “Everyone must actively participate in a cell, but not necessarily lead a cell group.” With Minimum integration, cell attendance is the key requirement before involvement in another ministry in the church.

Maximum Integration is practiced by a growing number of cell churches. According to this option, a person must be leading a cell group or in the process of preparing to lead a cell group to be involved in additional church ministries.

Three Points to Remember
First, remember that whether a cell church chooses the Minimum Integration option or the Maximum Integration option the decision must come from the top leadership. The senior pastor, staff, and/or lay leadership team need to pray and set the integration option for the church.

Second, if you’re transitioning your church from the traditional, programmed based design church to the cell church, you can’t require complete integration immediately. Start with the Prototype cell, multiply it, and eventually build the cell church components (one of these components being the integration issue).

Third, don’t add ministries just to be like the church down the street. Cell churches only add essential ministries that connect with cell or celebration.

I (Jeff) was encouraged to have these definitions guiding me constantly as reminders that life in the cell is most important.  From life in the cell (smaller expression) a person is able to offer themselves to other ministries serving body life in the congregation (larger expression).

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quatro Tipos de Integração

Por Jeff Tunnell

Mais de uma década atrás, Joel Comiskey escreveu um artigo de revista que me deu clareza a respeito da integração durante a transição de um ministério baseado em programas para o ministério baseado em células. Eu selecionei algumas partes do artigo para vocês. Minha esperança é que essas definições permaneçam em vocês, como permaneceram em mim, como um guia para estabelecer e preservar as estruturas celulares que dão vida.

Eu (Joel) vejo quatro tipos de integração: as duas primeiras são usadas em igrejas com células. As outras duas são usadas na igreja em células.

SEM INTEGRAÇÃO

  • Igreja com pequenos grupos
    • As células são um ministério
    • Algumas pessoas estão nas células; outras pessoas, em outros ministérios
    • Nenhum esforço para integrar células e ministérios

INTEGRAÇÃO DEFEITUOSA

  • Igreja com pequenos grupos
    • Definição defeituosa do que é uma célula de verdade
    • Todos os grupos são considerados células (escola dominical, coral, células, etc.).
    • Integração é o reconhecimento de que a igreja já tem pequenos grupos

INTEGRAÇÃO MÍNIMA

  • Igreja em células
    • Definição clara do que é célula
    •O comparecimento/presença na célula é tão importante quanto no culto de celebração
    • Apenas aqueles que já estão participando de uma célula podem estar envolvidos nos ministérios oficiais da igreja.

INTEGRAÇÃO MÁXIMA

  • Igreja em células
    • Definição clara do que é célula
    • O comparecimento/presença na célula é tão importante quanto no culto de celebração
    • Aqueles que lideram ou estão em treinamento para liderar uma célula estão envolvidos nos ministérios oficiais da igreja.

Sem integração Ã© usada em igrejas baseadas em programas. Se existem células, elas são simplesmente uma opção entre uma variedade de programas. Não há esforço para integrar ministérios e pequenos grupos.

Integração defeituosa Ã© praticada nas igrejas que tentam equacionar todos os pequenos grupos como células (por exemplo, Modelo de Meta). A motivação é nobre (desejo de integrar), mas o problema decorre de uma definição defeituosa de uma célula. Nessa abordagem, uma classe da Escola Dominical, uma reunião do conselho, um grupo de canto, uma reunião de assistentes de estacionamento, uma célula que dá vida etc., são todos grupos classificados como “células”. Isso pode gerar uma integração instantânea (todos os ministérios são pequenos grupos), porém muitas pessoas irão pensar que já experimentaram a vida da célula, quando na realidade elas experimentaram um pequeno grupo programático.

Integração Mnima Ã© praticada em muitas igrejas em células. Igrejas em células que fazem Integração Mnima dizem: “Todos devem participar ativamente de uma célula, mas não necessariamente liderar uma célula”. Com a Integração Mnima, a presença na célula é o requerimento chave antes do envolvimento em outro ministério da igreja.

Integração Máxima Ã© praticada por um número crescente de igrejas em células. De acordo com essa opção, para estar envolvido em ministérios adicionais da igreja uma pessoa deve estar liderando uma célula, ou em processo de preparação para liderar uma célula.

Três Pontos para Lembrar
Em primeiro lugar, lembre-se que se uma igreja em células escolhe a opção Integração Mnima ou Integração Máxima, a decisão deve vir da liderança mais alta. O pastor sênior, a equipe de apoio, e/ou equipe de liderança ainda inexperiente precisam orar e definir a opção de integração para a igreja.

Segundo, se você está transicionando sua igreja do modelo tradicional baseado em programas para a igreja em células, você não pode exigir a integração completa imediatamente. Comece com um protótipo de célula, multiplique-a e, em seguida, construa os componentes da igreja em células (sendo a questão da integração um desses componentes).

Em terceiro, não adicione ministérios apenas para ser como a igreja do final da rua. Igrejas em células só adicionam ministérios essenciais que estão conectados com as células ou o culto de celebração.

Eu (Jeff) fui encorajado a ser guiado constantemente por essas definições como lembretes de que a vivência na célula é o mais importante. A partir da vivência na célula (expressão menor) uma pessoa é capaz de dedicar-se a outros ministérios, servindo a vida do Corpo na congregação (expressão maior).

Spanish blog:

Cuatro tipos de Integración

Por Jeff Tunnell

Hace más de una década, Joel Comiskey escribió un artculo a una revista, el cual me dio claridad sobre la integración durante la transición del programa basado en el ministerio celular. He seleccionado algunas partes del artculo para usted. Mi esperanza es que estas definiciones se queden con usted, as como conmigo, como gua hacia el establecimiento y la preservación de las estructuras celulares que dan vida.

I (Joel) veo cuatro tipos de integración: los dos primeros son usados en las iglesias con células. Los dos segundos son usados en la iglesia celular.

NO INTEGRACIÓN INTEGRACIÓN DEFECTUOSA INTEGRACIÓN

MÍNIMA

INTEGRACIÓN

MÁXIMA

• Iglesias con grupos pequeños.
• Las células son un ministerio.
• Algunas de las células; algunos en otros ministerios.
• No hay intención de integrar las células y los ministerios.
• Iglesia con grupos pequeños.
• Definición defectuosa de un grupo de células.
• Todos los grupos son grupos de células (escuela dominical, coro, células, etc.).
• La integración es el reconocimiento de que la iglesia ya tiene grupos pequeños.
• Iglesia celular.
• Definición clara de un grupo celular.
• La asistencia de la célula es tan importante como la asistencia a la celebración.
• Sólo los que ya están asistiendo a un grupo de células que pueden estar involucrados en los ministerios oficiales de la iglesia.
• Iglesia celular.
• Definición clara de un grupo celular.
• La asistencia de la célula es tan importante como la asistencia a la celebración

• Aquellos que dirigen un grupo de células o están entrenando para dirigir un grupo celular están involucrados en los ministerios oficiales de la iglesia.

.

La no integración se utiliza en el programa de la iglesia base. Si hay células, son simplemente una opción entre una variedad de programas. No hay ningún intento de integrar los ministerios y los grupos pequeños.

Integración defectuosa se practica en las iglesias que tratan de equiparar todos los pequeños grupos como grupos de células (por ejemplo, Modelo Meta). La motivación es noble (el deseo de integrar), pero el problema se deriva de una definición defectuosa de una célula. En este enfoque, la escuela dominical, una reunión de la junta, un grupo de coro, una reunión en el estacionamiento, un grupo de células que da vida, etc., todos ellos son clasificados como “células”. Esto podra traer integración instantánea (todos los ministerios son pequeños grupos), pero mucha gente pensara que han experimentado la vida celular, cuando en realidad ellos han experimentado un programa de pequeño grupo.

Integración mnima se practica en muchas iglesias celulares. Las iglesias celulares que utilizan la integración mnima dicen, “Todos deben participar activamente en una célula, pero no necesariamente dirigir un grupo celular”. Con integración mnima, la asistencia celular es el requisito clave antes de la participación en otro ministerio en la iglesia.

Integración máxima es practicada por un número creciente de iglesias celulares. De acuerdo con esta opción, una persona debe ser lder de un grupo celular o estar en el proceso de preparación para dirigir un grupo celular para estar involucrado en los ministerios adicionales de la iglesia.

Tres cosas que debes recordar

En primer lugar, hay que recordar que, si una iglesia celular elige la opción mnima de integración o la opción de máxima integración, la decisión debe venir de los lideres principales. El pastor principal, el equipo, y / o lderes laicos necesitan orar y establecer la opción de integración para la iglesia.

En segundo lugar, si está en la transición de la iglesia tradicional, al diseño programado a la iglesia celular, no puedes requerir integración completa inmediatamente. Comience con una célula prototipo, multiplcala, y, finalmente, construye componentes para las iglesias celulares (uno de estos componentes son el tema de integración).

En tercer lugar, no añadas ministerios solo para ser como la otra iglesia. Las iglesias celulares sólo agregan ministerios esenciales que conectan la célula o la celebración.

Yo (Jeff) fui animado a tener estas definiciones guiándome constantemente como recordatorio de que la vida en la célula es más importante. De la vida en la célula (la expresión más pequeña) una persona es capaz de ofrecer a s mismos otros ministerios sirviendo el cuerpo de vida en la congregación (expresión mayor).

Leave a Reply

Your email address will not be published.