A Pastor Needs to Make Cell Ministry the Central Priority

By Jeff Tunnell

As I was preparing to write today’s blog, I thought about how necessary it is for the lead pastor (and pastoral team members) to priority small group ministry. In other words, cell ministry can’t just be another program or ministry—it must be central. As the lead pastor of one church for over 30 years, I experienced this truth first-hand and applied this truth after we transitioned to the cell church.  

Comiskey said something very similar in his excellent book Myths and Truths of the Cell Church, so with Joel’s permission I will simply paste what he said on pages 69-70:

Myth: It’s Okay to Simply Add Cell Ministry to What You Are Already Doing

Most churches have a lot of things going on. Over time, the church has developed a myriad of programs and ministries.

Suddenly the pastor hears about cell church, gets excited about it, and adds it on as another one of many programs.

Or perhaps the church is doing well, but the pastor has heard of the amazing growth of cell churches around the world and wants to see if cell church strategy will help his church grow even more. So the church includes the cell church agenda on top of what the church is already doing.

When the cell church strategy fails to produce the desired growth, the pastor deletes it from the schedule as he would any other program that didn’t seem to work.

The pastor might even become a critic of the cell model, saying it doesn’t work or it’s not right for their particular church culture. Yet upon further analysis, the normal reason for abandoning cell church ministry is a faulty understanding of what it takes to make cell ministry work.

Truth: A Pastor Needs to Make Cell Ministry the Central Priority

We can’t emphasize everything equally. Some pastors try so hard to help everyone that they wind up helping no one. The phrase “concentrated focus” is critical to make cell ministry work.

People will only do a few things well. If the pastor wants them to be involved in cell ministry, he can’t also expect the people to be involved in many other church activities.

Are programs bad? No. It’s simply a matter of choosing the focus. We all know how cluttered and busy our lives are. If the pastor expects his people to choose cell ministry, this means they will need time to visit neighbors, attend a cell group, prepare the cell lesson, go to the coaching meeting, and other related activities.

The word no is a blessed word in the cell church. Only the lead pastor can stand up and say no to all the well-intentioned programs that arrive at the church door.

In December 2010, I held a seminar in Pastor Samuel Mejia’s church in Santa Ana, California. The church has one hundred forty cell leaders and planted five churches. Pastor Samuel realized he had to focus on cell ministry and make it his priority.

Most of the churches in Samuel’s denomination are program driven. Samuel stands out from the crowd because of his “concentrated focus” on cell ministry. Because pastor Samuel has persisted for twenty-five years, many churches in his denomination are now following his example. Why? Because they’ve seen it worked out in his church. Pastor Samuel is a great example of concentrated focus.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do google. Assim que a tradução normal for recebida, ela será postada no site da JCG:

Um pastor precisa fazer do ministério celular a prioridade central

Jeff Tunnell

Enquanto me preparava para escrever o blog de hoje, pensei em como é necessário que o pastor principal (e os membros da equipe pastoral) façam o ministério prioritário em pequenos grupos. Em outras palavras, o ministério celular não pode ser apenas outro programa ou ministério – deve ser central.

Como pastor líder de uma igreja por 28 anos, experimentei essa verdade em primeira mão e apliquei essa verdade depois que fizemos a transição para a igreja celular. Comiskey disse algo muito semelhante em seu excelente livro Mitos e Verdades da Igreja Celular, então, com a permissão de Joel, simplesmente colarei o que ele disse nas páginas 69-70:

Mito: está tudo bem em simplesmente adicionar o ministério celular ao que você já está fazendo
A maioria das igrejas tem muitas coisas acontecendo. Com o passar do tempo, a igreja desenvolveu uma miríade de programas e ministérios. De repente, o pastor ouve sobre a igreja celular, fica entusiasmado com isso e a adiciona como outro de muitos programas.

Ou talvez a igreja esteja indo bem, mas o pastor ouviu falar do incrível crescimento das igrejas em células ao redor do mundo e quer ver se a estratégia da igreja celular ajudará sua igreja a crescer ainda mais. Assim, a igreja inclui a agenda da igreja celular além do que a igreja já está fazendo.

Quando a estratégia da igreja celular falha em produzir o crescimento desejado, o pastor a exclui do cronograma como faria com qualquer outro programa que não parecia funcionar. O pastor pode até se tornar um crítico do modelo celular, dizendo que isso não acontece. trabalho ou não é certo para a sua cultura particular da igreja. No entanto, após uma análise mais aprofundada, a razão normal para abandonar o ministério de igrejas em células é uma compreensão deficiente do que é necessário para fazer o ministério celular funcionar.

Verdade: Um pastor precisa fazer do ministério celular a prioridade central

Não podemos enfatizar tudo igualmente. Alguns pastores se esforçam tanto para ajudar a todos que acabam não ajudando ninguém. A frase “foco concentrado” é fundamental para fazer o trabalho do ministério celular.

As pessoas só farão algumas coisas bem. Se o pastor quiser que eles se envolvam no ministério de células, ele não pode esperar que as pessoas se envolvam em muitas outras atividades da igreja. Os programas são ruins? Não. É simplesmente uma questão de escolher o foco.

Todos nós sabemos como são desordenadas e ocupadas as nossas vidas. Se o pastor espera que seu povo escolha o ministério celular, isso significa que eles precisarão de tempo para visitar os vizinhos, participar de um grupo de células, preparar a lição em células, ir à reunião de treinamento e outras atividades relacionadas.

A palavra não é uma palavra abençoada na igreja celular. Somente o pastor principal pode se levantar e dizer não a todos os programas bem-intencionados que chegam à porta da igreja.

Em dezembro de 2010, realizei um seminário na igreja do Pastor Samuel Mejia, em Santa Ana, Califórnia. A igreja tem cento e quarenta líderes de células e plantou cinco igrejas. Pastor Samuel percebeu que tinha que se concentrar no ministério celular e torná-lo sua prioridade. A maioria das igrejas na denominação de Samuel são dirigidas por programas. Samuel se destaca da multidão por causa de seu “foco concentrado” no ministério celular.

Como o pastor Samuel persistiu por vinte e cinco anos, muitas igrejas em sua denominação agora seguem seu exemplo. Por quê? Porque eles viram que funcionou em sua igreja. Pastor Samuel é um ótimo exemplo de foco concentrado.

Spanish blog:

Un pastor necesita hacer del ministerio celular la prioridad central

Por Jeff Tunnell

Mientras me preparaba para escribir el blog de hoy, pensé en lo necesario que es para que el pastor principal (y los miembros del equipo pastoral) tenga prioridad en el ministerio celular. En otras palabras, el ministerio celular no puede ser simplemente otro programa o ministerio, debe ser central. Como pastor principal de una iglesia durante 28 años, experimenté esta verdad de primera mano y apliqué esta verdad después de la transición a la iglesia celular.

Comiskey dijo algo muy similar en su excelente libro Mitos y Verdades de la Iglesia Celular, (Myths and Truths of the Cell Church) , así que con el permiso de Joel simplemente pegaré lo que dijo en las páginas 69-70:

Mito: Está Bien Simplemente Añadir el Ministerio Celular a lo que Ya Estás Haciendo

La mayoría de iglesias están trabajando en muchas cosas a la vez. A través del tiempo, la iglesia ha desarrollado una miríada de programas y ministerios. De repente el pastor escucha acerca de la iglesia celular, se emociona, y la adiciona como otro más de muchos programas.

O tal vez a la iglesia le está yendo bien, pero el pastor ha escuchado sobre el increíble crecimiento de iglesias celulares alrededor del mundo y quiere ver si la estrategia de la iglesia celular le puede ayudar a que su iglesia crezca aún más. Por lo que la iglesia incluye el tema de la iglesia celular por encima de lo que la iglesia ya está haciendo.

Cuando la estrategia de la iglesia celular falla en producir el deseado crecimiento, el pastor la borra del horario, como lo haría con cualquier otro programa que pareciera que no funcionar.

El pastor podría convertirse aún en un crítico del modelo celular, diciendo que este no funciona o que no es adecuado para la particular cultura de su iglesia. Sin embargo, al ahondar en el análisis, normalmente la razón para abandonar el ministerio de la iglesia celular es una interpretación errónea de lo que se requiere para que el ministerio celular funcione.

Verdad: El Pastor Debe Hacer del Ministerio Celular su Prioridad Central

No podemos poner el mismo énfasis en todo. Algunos pastores se esfuerzan tanto por ayudarles a todos que terminan ayudando a nadie. La frase “Enfoque concentrado” es crucial para hacer que el ministerio celular funcione.

Las personas solamente harán bien algunas cosas. Si el pastor quiere que se involucren en el ministerio celular, no puede esperar que las personas se involucren además, en muchas otras actividades de la iglesia.

¿Son malos los programas? No. Simplemente se trata de escoger en qué te enfocarás. Todos sabemos cuan desorganizadas y ocupadas se encuentran nuestras vidas. Si el pastor espera que su gente escoja el ministerio celular, esto significa que ellos necesitarán tiempo para visitar a los vecinos, asistir a un grupo celular, preparar la lección de la célula, ir a la reunión de supervisión, y a otras actividades relacionadas.

La palabra no es una palabra bendita en la iglesia celular. Sólo el pastor principal puede pararse y decir no a todos los bien-intencionados programas que llegan a la puerta de la iglesia.

En diciembre de 2010, sostuve un seminario en la iglesia del pastor Samuel Mejía en Santa Ana, California. La iglesia tiene ciento cuarenta líderes de células y ha plantado cinco iglesias. El pastor Samuel se dio cuenta que debía enfocarse en el ministerio celular y hacerlo su prioridad.

La mayoría de iglesias en la denominación de Samuel se conducen a través de programas. Samuel sobresale entre la multitud debido a su “enfoque concentrado” en el ministerio celular. Dado que el pastor Samuel ha persistido por veinticinco años, muchas iglesias en su denominación ahora están siguiendo su ejemplo. ¿Por qué? Porque han visto que en su congregación funciona. El pastor Samuel es un gran ejemplo de lo que significa tener un enfoque concentrado.

The Listening Ear

By Jeff Tunnell

Proverbs 20:12:  “Ears that hear and eyes that see — the Lord has made them both.”

Proverbs 15:31:  “He who listens to a life-giving rebuke will be at home among the wise.”

Hearing and listening are different. Hearing is about converting sound waves into intelligible information. Listening goes farther by giving attention to the information and developing an appropriate response. 

Often in Scripture we read of God’s displeasure with mankind, especially Israel, due to the fact that while they could hear, they would not listen.

In Isaiah 42:20, we read, “You have seen many things, but have paid no attention; your ears are open, but you hear nothing.”

What are the words of God for? Proverbs 1:1–5 tells us:

for attaining wisdom and discipline;
for understanding words of insight;
for acquiring a disciplined and prudent life,
doing what is right and just and fair;
for giving prudence to the simple,
knowledge and discretion to the young—
let the wise listen and add to their learning,
and let the discerning get guidance— 

Revelation 2:7 He who has an ear, let him hear what the Spirit says to the churches. To him who overcomes, I will give the right to eat from the tree of life, which is in the paradise of God. 

Be found among the wise: hear, listen, pay attention and develop an appropriate response to the voice of God.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

 O Ouvido que Escuta

Por Jeff Tunnell

Provérbios 20:12: “Os ouvidos que ouvem e os olhos que vêem foram feitos pelo Senhor.”

Provérbios 15:31: “Quem ouve a repreensão construtiva terá lugar permanente entre os sábios.”

Ouvir e escutar são diferentes. Ouvir é converter ondas sonoras em informações inteligíveis. Escutar vai mais além, dando atenção às informações e desenvolvendo uma resposta apropriada.
 
Frequentemente nas Escrituras lemos sobre o desprazer de Deus com a humanidade, especialmente Israel, devido ao fato de que, embora pudessem ouvir, não escutavam.
 
Em Isaías 42:20, nós lemos, “Você viu muitas coisas, mas não deu qualquer atenção; seus ouvidos estão abertos, mas você não ouve nada.”
 
Para que são as palavras de Deus? Provérbios 1:1-5 nos diz,

  • Para experimentar sabedoria e disciplina;
  • Para compreender as palavras que dão entendimento
  • Para viver com disciplina e sensatez, fazendo o que é justo, direito e correto
  • Para dar prudência aos inexperientes e conhecimento e bom senso aos jovens— Se o sábio der ouvidos, aumentará seu conhecimento, e quem tem discernimento obterá orientação.

Apocalipse 2:7. Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei o direito de comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus.

Seja encontrado entre os sábios: ouça, escute, preste atenção e desenvolva uma resposta apropriada à voz de Deus.

Spanish blog:

El oído que escucha

Por Jeff Tunnell

Proverbios 20:12: “El oído que oye, y el ojo que ve, Ambas cosas igualmente ha hecho Jehová”.

 Proverbios 15:31: “El oído que escucha las amonestaciones de la vida, Entre los sabios morará”.

Oír y escuchar son diferentes. La audición se trata de convertir las ondas de sonido en información inteligible. La escucha va más allá al prestar atención a la información y al desarrollar una respuesta adecuada.

 A menudo, en las Escrituras leemos sobre el disgusto de Dios con la humanidad, especialmente con Israel, debido al hecho de que si bien podían oír, no escuchaban.

En Isaías 42:20, leemos: “Has visto muchas cosas, pero no has prestado atención; tus oídos están abiertos, pero no oyes nada”.

¿Para qué son las palabras de Dios? Proverbios 1: 1–5 nos dice:

  • Para entender sabiduría y doctrina,
  • Para conocer razones prudentes,
  • Para recibir el consejo de prudencia, Justicia, juicio y equidad;
  • Para dar sagacidad a los simples, Y a los jóvenes inteligencia y cordura. Oirá el sabio, y aumentará el saber, Y el entendido adquirirá consejo.

 Apocalipsis 2: 7 El que tiene oído, oiga lo que el Espíritu dice a las iglesias. Al que venciere, le daré a comer del árbol de la vida, el cual está en medio del paraíso de Dios.

Sé encontrado entre los sabios: oye, escucha, presta atención y desarrolla una respuesta apropiada a la voz de Dios.

The Bucket Brigade

By Jeff Tunnell

The stream was increasing its flow as a result of the recent rains.  The little boy had gathered up all of his play buckets and gone down to the banks to bail the water that was threatening his neighborhood play area.  All alone, he was no match for the task, but he bailed as fast as he could, furiously trying to save the work he and his neighborhood friends had done to make this their safe place to gather each afternoon.

Just as the waters were to breach his bailing efforts, his friends arrived and asked what they could do to help.  He led them quickly to the small bank separating the flood waters and this pending personal disaster.  There he demonstrated his method of bailing and handed out the remaining toy buckets.

In short order, his newly developed bucket brigade was working as a team, laughing and facing the danger together as they thwarted the rising flood, saving their play area. Victory!

As your ministry grows and the waters of a needy mankind rise, will you be trying to handle it alone, or will you equip your own team to meet the need?  Can you hand out your task, demonstrating how it’s done and enlist the aid of your fellow ministers?  They want to help, so prepare them, show them the task, and start laughing together as you capture the flood of those needing Jesus!

Never work alone! (you will be overcome, or hinder what God wants to accomplish)

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A brigada do balde

Jeff Tunnell

A corrente estava aumentando seu fluxo como resultado das chuvas recentes. O garotinho juntara todos os baldes e descera para os bancos para escoar a água que ameaçava a área de recreação do bairro. Sozinho, ele não era páreo para a tarefa, mas tentou escoar o mais rápido que podia, tentando salvar furiosamente o trabalho que ele e seus amigos da vizinhança tinham feito para tornar este local seguro para se reunirem todas as tardes.

No momento em que as águas iam arruinar seus esforços de resgate, seus amigos chegaram e perguntaram o que poderiam fazer para ajudar. Ele os conduziu rapidamente para o pequeno banco que separava as águas da enchente e esse desastre pessoal. Lá, ele demonstrou seu método de resgate e entregou os baldes de brinquedo restantes.

Em pouco tempo, sua recém-desenvolvida brigada do balde trabalhava em equipe, rindo e enfrentando o perigo juntos, ao impedir a inundação crescente, salvando sua área de recreação. Vitória!

À medida que seu ministério cresce e as águas de uma humanidade necessitada se elevam, você vai ficar tentando lidar com isso sozinho, ou você equipará sua própria equipe para atender a necessidade? Você é capaz de distribuir sua tarefa, demonstrando como ela é feita e recorrer à ajuda de seus colegas ministros? Eles querem ajudar, então prepare-os, mostre-lhes a tarefa e riam juntos enquanto você segura a enchente daqueles que precisam de Jesus!

Nunca trabalhe sozinho (você será vencido ou impedirá o que Deus quer realizar)!

Jeff

Spanish blog:

La brigada de cubos

Por Jeff Tunnell

La corriente aumentaba su flujo como resultado de las recientes lluvias. El niño había recogido todos sus cubos de juego y había bajado a la orilla para sacar el agua que amenazaba el área de juego de su vecindario. Completamente solo, no era rival para la tarea, pero aun así trato de rescatar los cubos tan rápido como pudo, tratando furiosamente de salvar el trabajo que él y sus amigos del vecindario habían hecho para hacer de este su lugar seguro para reunirse todas las tardes.

Justo cuando las aguas iban a romper sus esfuerzos de rescate, sus amigos llegaron y les preguntaron qué podían hacer para ayudar. Él los condujo rápidamente al pequeño banco que separa las aguas de la inundación y este desastre personal pendiente. Allí demostró su método de rescate y entregó los cubos de juguete restantes.

En poco tiempo, su recién desarrollada brigada de cubos estaba trabajando en equipo, riendo y enfrentando los peligros juntos mientras frustraban la creciente inundación, salvando su área de juego. ¡Victoria!

A medida que tu ministerio crezca y suban las aguas de una humanidad necesitada, ¿tratarás de manejarlo solo, o equiparás a tu propio equipo para satisfacer esa necesidad? ¿Puedes repartir tu tarea, demostrar cómo se hace y obtener la ayuda de tus compañeros? Ellos quieren ayudar, así que prepárenlos, muéstrenles la tarea y empiecen a reír juntos mientras capturan el torrente de aquellos que necesitan a Jesús.

¡Nunca trabajes solo! (Serás vencido u obstaculizarás lo que Dios quiere lograr)

Jeff

Evangelism is a Lifestyle, Not a Project

By Jeff Tunnell

Leading someone to Jesus is simply the by-product of your love for Christ and a sincere concern for the person with whom you are speaking.

Bill Fay, Evangelist and author of Share Jesus without Fear, states that 15% of people come to Christ through events or projects, while 85% of people come to Christ through a relationship with a Christian.

You can expect that at some point in your relationship with those who are not yet believers, the Holy Spirit will open an opportunity for you to approach the subject of spirituality.  When He does, be ready with these 5 questions developed by Bill Fay:

  1. Do you have any spiritual beliefs?
  2. Who is Jesus to you?
  3. Do you believe in heaven or hell?
  4. If you were to die tonight, where would you go?
  5. If what you believe is wrong, do you want to know?

The key to using these questions is allowing the other person to answer without correcting them. In fact the questions work best when you simply ask the next question following each of their responses.

Of course you need to be prepared after their response to number five to show them the scriptures about God’s love for them, His offer of forgiveness, and His gift of eternal life.

If you are an English speaker, you can download Bill’s presentation for free at this link, courtesy of LifeWay.com

http://lifeway.tcc.s3.amazonaws.com/Share_Jesus_Without_Fear.mp3

Sharing is caring,

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Evangelismo é um estilo de vida, não um projeto

por Jeff Tunnell

Levar alguém a Jesus é simplesmente o subproduto de seu amor por Cristo e uma preocupação sincera com a pessoa com quem você está falando.

Bill Fay, evangelista e autor de Share Jesus without Fear (“Compartilhe Jesus Sem Medo”, em tradução livre), afirma que 15% das pessoas vêm a Cristo através de eventos ou projetos, enquanto 85% das pessoas vêm a Cristo através de um relacionamento com um cristão.

Você pode esperar que em algum momento de seu relacionamento com aqueles que ainda não são convertidos, o Espírito Santo abrirá uma oportunidade para você abordar o assunto da espiritualidade. Quando Ele fizer isso, esteja pronto com estas 5 perguntas desenvolvidas por Bill Fay:

1. Você tem alguma crença espiritual?
2. Quem é Jesus para você?
3. Você acredita no céu ou no inferno?
4. Se você fosse morrer esta noite, aonde você iria?
5. Se o que você acredita está errado, você gostaria de saber?

A chave para usar essas perguntas é permitir que a outra pessoa responda sem corrigi-las. Na verdade, as perguntas funcionam melhor quando você simplesmente faz a próxima pergunta após cada uma das respostas que a pessoa te dá.

É claro que você precisa estar preparado depois da resposta da pessoa à pergunta número cinco para mostrar-lhe as Escrituras sobre o amor de Deus por ela, Sua oferta de perdão e Seu dom de vida eterna.

Se você fala inglês você pode baixar gratuitamente a apresentação do Bill neste link, cortesia da LifeWay.com:

http://lifeway.tcc.s3.amazonaws.com/Share_Jesus_Without_Fear.mp3

Compartilhar é cuidar,

Jeff

Spanish blog:

El evangelismo es un estilo de vida, no un proyecto.

por Jeff Tunnell

Llevar a Jesús a las personas es simplemente el subproducto de tu amor por Cristo y una preocupación sincera por la persona con la que estás hablando.

Bill Fay, evangelista y autor de Share Jesus without Fear (Comparte a Jesús sin temores), afirma que el 15% de las personas acuden a Cristo a través de eventos o proyectos, mientras que el 85% de las personas acude a Cristo a través de una relación con un cristiano.

Puedes esperar que en algún momento de tu relación con aquellos que aún no son creyentes, el Espíritu Santo te abra la oportunidad de acercarte al tema de la espiritualidad. Cuando lo haga, prepárese con estas 5 preguntas desarrolladas por Bill Fay:

  1. ¿Tienes alguna creencia espiritual?
  2. ¿Quién es Jesús para ti?
  3. ¿Crees en el cielo o en el infierno?
  4. Si fueras a morir esta noche, ¿a dónde irías?
  5. Si en lo que crees que está mal, ¿quieres saberlo?

La clave para usar estas preguntas es permitir que la otra persona responda sin corregirlas. De hecho, las preguntas funcionan mejor cuando simplemente haces la siguiente pregunta después de cada una de sus respuestas.

Por supuesto, debes estar preparado después de su respuesta número cinco, para mostrarles las Escrituras y hablarles sobre el amor de Dios por ellos, su oferta de perdón y su regalo de vida eterna.

Si sabes hablar inglés, puedes descargar la presentación de Bill gratuitamente en este enlace, cortesía de LifeWay.com

http://lifeway.tcc.s3.amazonaws.com/Share_Jesus_Without_Fear.mp3

Compartir es demostrar interés,

Jeff

The Jesus in me Greets the Jesus in You

By Jeff Tunnell

My Presbyterian minister friend & next door neighbor shared this phrase with me. He explained that his congregation used it as they entered their weekly worship services. It reverberates in my spirit whenever the topic of worship arises. The reality of Jesus living in each believer resounds when this expression is used.  Worship is everything we do from the time we arrive until the time we leave.

Naturally, or should I say, supernaturally, when we meet and greet one another in our cell group, His body assembles, and we expect His life to become obvious among us.

During the musical section of our time together, we can sing three types of song:

  1. Believers sing about God, describing Him to unbelievers, enabling them to perceive Him,
  2. Believers sing in agreement and admiration of God’s attributes (the unbeliever is simply an observer rather than a participant, even if they sing the song),
  3. Believers sing in direct worship to God, acknowledging the love and relationship that exists between themselves and their Lord.

Evangelism occurs in all three. Songs can be selected to move through this progression to include everyone. The Jesus in you will find a collective expression that makes His life and love inescapable for the unbeliever who joined you.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Jesus em mim cumprimenta o Jesus em você

Por Jeff Tunnell

Meu amigo ministro presbiteriano e vizinho da porta ao lado compartilhou essa frase comigo. Ele explicou que sua congregação usou isso quando eles entraram em seus cultos semanais de adoração. Isso reverbera em meu espírito sempre que o tópico da adoração surge. A realidade de que Jesus vive em cada crente ressoa quando esta expressão é usada. Adoração é tudo o que fazemos desde o momento em que chegamos até a hora em que vamos embora.

Naturalmente, ou devo dizer, sobrenaturalmente, quando nos encontramos e cumprimentamos uns aos outros em nosso grupo de células, Seu corpo se reúne e esperamos que Sua vida se torne óbvia entre nós.

Durante a parte musical do nosso tempo juntos, podemos cantar três tipos de música:

  1. Os crentes cantam sobre Deus, descrevendo-O aos incrédulos, capacitando-os a percebê-Lo,
  2. Os crentes cantam em concordância e admiração aos atributos de Deus (o incrédulo é simplesmente um observador e não um participante, mesmo que eles cantem a canção),
  3. Os crentes cantam em adoração direta a Deus, reconhecendo o amor e o relacionamento que existe entre eles e seu Senhor.

O evangelismo ocorre em todos os três. As músicas podem ser selecionadas para percorrer essa progressão para incluir todos. O Jesus em você encontrará uma expressão coletiva que torna Sua vida e amor inescapáveis para o incrédulo que se juntou a você.

Spanish blog:

El Jesús que vive en mí saluda al Jesús que vive en ti

Por Jeff Tunnell

Mi amigo ministro presbiteriano y vecino de al lado compartió esta frase conmigo. Me explicó que su congregación la usó cuando ingresaron a sus servicios de adoración semanales; esta frase viene a mi espíritu cada vez que surge el tema de la adoración. La realidad de Jesús que vive en cada creyente resuena cuando se usa esta expresión. La adoración es todo lo que hacemos desde el momento en que llegamos hasta el momento en que nos vamos.

Naturalmente, o debería decir, sobrenaturalmente, cuando nos encontramos y nos saludamos en nuestro grupo celular, Su cuerpo se reúne, y esperamos que Su vida se vuelva obvia entre nosotros.

Durante la sección musical de nuestro tiempo juntos, podemos cantar tres tipos de canción:

  1. Los creyentes cantan acerca de Dios, describiéndolo a los incrédulos, permitiéndoles percibirlo,
  2. Los creyentes cantan juntos y admiran los atributos de Dios (el incrédulo es simplemente un observador en lugar de un participante, incluso si cantan la canción),
  3. Los creyentes cantan en adoración directa a Dios, reconociendo el amor y la relación que existe entre ellos y su Señor.

El Evangelismo ocurre en los tres. Las canciones pueden seleccionarse para moverse a través de esta progresión e incluir a todos. El Jesús en ti encontrará una expresión colectiva en la  que Él hace que su vida y su amor sean imposibles de escapar  para el incrédulo que se unió a ti.