Stay the Course

Michelle Geoffrey, cell pastor at www.celebrationchurch.org

What type of community did you grow up in?  Not just geographically, but who was your circle, tribe or family?  Did you grow up learning how to be the best person you could be or did you learn more about what NOT to do?  When you think of your childhood, were you surrounded by grace and love or fear and judgement? Are you someone who learned the value of listening at a young age or is your life more about being the loudest voice in the room?

We are all influenced by our upbringing.  Some good and some we wish we could forget.  As we become adults, we have the option to not only be the product of our circumstances, but instead we can rise above our circumstances and become who we were created to be.

Cell groups are a place for us to learn how to truly live in community and grow with each other.  We may start going to a group not really knowing who Christ is and through discussion, prayer and the power of the Holy Spirit, come to see that Jesus died for us.  This is real community.

My dear friend, Jaymie, whom I met at a church luncheon, came to my group for the first time with her Bible never having been taken out of its box.  She sat in my living room and asked questions, discovered God, and saw the power of prayer. Her journey had challenges with many ups and downs, but she leaned on the group to help her see where God was leading.

Jaymie came to group every week, she listened intently to each person and even in conflict, she stayed the course.  After a few years, God called her and her family to move almost 1,000 miles away, but she carried group life to her next church home. She worked to build that same connection found in a cell group.

When we join a group, we become part of its DNA and its life.  We must fight for it, we must build it up, we must own the burden of responsibility.  Your group is part of you, just like your family: the good, the bad and the ugly. It is where we learn to have healthy conflict and not just to be discipled, but also make disciples.  We will mess up and things won’t always be perfect, but at the end of the day, our group is not just something we attend. It becomes our lifeline, our tribe, and our community that God gave us to become the person He created us to be.  When we really see our group the way God intended, we no longer can speak ill of the members, because they belong to us and we belong to them. We are part of the same body of Christ.

How committed are you to your group?  Are you a visitor or a member? Do you jump ship when you disagree with someone or do you stick it out?  Are you creating a feeling of safety or judgement in your group? When people come that need extra grace do you offer mercy or chastisement?  Whether the leader or the member, the group is your community. Stay the course!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Permaneça no Percurso

Por Michelle Geoffrey, pastora de células na www.celebrationchurch.org

Em qual tipo de comunidade você cresceu? Não só geograficamente, mas quem era seu círculo, sua tribo ou família? Você cresceu aprendendo a ser a melhor pessoa possível, ou aprendeu mais sobre o que NÃO fazer? Quando você pensa sobre sua infância, você foi cercado de graça e amor, ou medo e julgamento? Você é alguém que aprendeu bem novo o valor de ouvir ou sua vida é mais sobre ser a voz mais alta no recinto?

Nós todos somos influenciados por nossa criação. Algumas partes boas e outras que gostaríamos de esquecer. À medida que nos tornamos adultos, nós temos a opção de não sermos apenas o produto de nossas circunstâncias; em vez disso, podemos crescer sobre elas e nos tornarmos quem fomos feitos para ser.

As células são um lugar para nós aprendermos como viver verdadeiramente em comunidade e crescer uns com os outros. Podemos começar indo a um grupo sem saber realmente quem é Jesus e, através da conversa, oração e do poder do Espírito Santo, perceber que Jesus morreu por nós. Essa é a comunidade verdadeira.

Minha querida amiga Jaymie, que eu conheci em um almoço da igreja, veio ao meu grupo pela primeira vez sem nunca ter nem tirado sua Bíblia da caixa. Ela sentou na minha sala e fez perguntas, descobriu quem Deus é e viu o poder da oração. Sua jornada teve desafios com muitos altos e baixos, mas ela se apoiou no grupo para ser ajudada a ver aonde Deus a estava levando.

Jaymie veio à célula semana após semana, ouviu atentamente todas as pessoas e, mesmo em conflito, permaneceu no percurso. Após alguns anos, Deus a levou com sua família para quase 1000 milhas distante, mas ela levou a vida do grupo para sua próxima igreja local. Ela trabalhou para construir aquela mesma conexão da célula.

Quando nos unimos a um grupo, nos tornamos parte de seu DNA e de sua vida. Devemos lutar por ela, devemos construí-la  e carregar o peso da responsabilidade. Seu grupo é parte de você, como sua família: o bom, o ruim e o feio. É onde aprendemos a ter conflitos saudáveis e não só a ser discipulado, mas a fazer discípulos. Nós vamos fazer uma bagunça e as coisas não serão sempre perfeitas, mas no final do dia a célula não é só algo que frequentamos. Ela se torna parte de nossas vidas, nossa tribo e a comunidade que Deus nos deu para nos tornarmos a pessoa que fomos feitos para ser. Quando realmente vemos nosso grupo da forma que Deus quer, não falamos mal dos membros, porque eles fazem parte de nós e nós deles. Somos parte do mesmo Corpo de Cristo.

Quão compromissado você é com seu grupo? Você é um visitante ou um membro?  Você abandona o barco quando discorda de alguém, o você aguenta firme? Você está criando um sentimento de segurança ou de julgamento em seu grupo? Quando chegam pessoas que precisam de uma graça extra, você oferece graça ou castigo? Seja um líder ou membro, a célula é sua comunidade. Permaneça no percurso!

Spanish blog:

Manteniendo el rumbo

Por Michelle Geoffrey, pastor celular en www.celebrationchurch.org

¿En qué tipo de comunidad creciste? No solo geográficamente, ¿pero quién era tu círculo, tribu o familia? ¿Creciste aprendiendo cómo ser la mejor persona? ¿Podrías aprender más sobre lo que NO debes hacer? Cuando piensas en tu infancia, ¿estabas rodeado de gracia y amor o miedo y prejuicio? ¿Eres alguien que aprendió el valor de escuchar a una edad temprana o que tu vida se trata más bien de ser la voz más alta de la sala?

Todos estamos influenciados por nuestra educación. Algunos hemos tenido buena educación y otros desearíamos poder olvidar. A medida que nos volvemos adultos, tenemos la opción no solo de ser el producto de nuestras circunstancias, sino que podemos superar nuestras circunstancias y convertirnos en lo que fuimos creados para ser.

Los grupos celulares son un lugar para que tu aprendas cómo vivir realmente en comunidad y crecer entre ellos. Podemos comenzar a ir a una célula que no sabe realmente quién es Cristo y, a través de la discusión, la oración y el poder del Espíritu Santo, llegaremos a conocer que Jesús murió por nosotros. Esta es una comunidad real.

Mi querida amiga, Jaymie, a quien conocí en el almuerzo de la iglesia, vino a mi célula por primera vez con su Biblia, nunca sacada de su caja. Se sentó en mi sala de estar y me hizo preguntas, descubrió a Dios y vio el poder de la oración. Su viaje tuvo desafíos con muchos altibajos, pero se apoyó en el grupo celular para ayudarse a ver a dónde la conducía Dios.

Jaymie iba a la célula todas las semanas, escuchaba atentamente a cada persona e incluso en las discusiones, ella se mantenía en el curso. Después de unos años, Dios la llamó a ella y a su familia a mudarse a casi 1,000 millas de distancia, pero ella llevó una vida celular a su próxima iglesia. Ella trabajó para construir la misma conexión que se encuentra en un grupo celular.

Cuando nos unimos a una célula nos convertimos en parte de su ADN y su vida. Debemos luchar por ello, debemos construirlo, debemos asumir la carga de la responsabilidad. Tu célula es parte de ti, al igual que de tu familia: lo bueno, lo malo y lo feo. Es donde aprendemos a tener conflictos saludables y no solo para ser discipulados, sino también para hacer discípulos. Nos equivocaremos y las cosas no serán perfectas, pero al final del día, nuestra célula no es solo algo a lo que asistimos; se convierte en nuestra línea de vida, nuestra tribu y la comunidad que Dios nos dio para convertirnos en la persona que Él nos creó para ser. Cuando realmente vemos a nuestra célula de la manera que Dios lo quiso, ya no podemos hablar de los miembros, porque nos pertenecen y nosotros les pertenecemos. Somos parte del mismo cuerpo de Cristo.

¿Qué tan comprometido estás con tu célula? ¿Eres un visitante o un miembro? ¿Saltas del barco cuando no estás de acuerdo con alguien o lo enfrentas? ¿Estás creando una sensación de seguridad o de juicio en tu grupo? Cuando las personas vienen a ti en busca de gracia, ¿ofreces misericordia o castigo? Sin importar si eres un líder o un miembro, la célula es tu comunidad. ¡Manten el rumbo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.