Such is Encouragement

By Daphne Kirk, www.Gnation2gnation.com; Twitter: daphnekirk

Encouragement overcomes. It takes 5 encouragements to overcome 1 negative comment or action. It cannot be over-used!

Encouragement steps out of our comfort zone. The disciples were afraid of Saul, (Acts 9:26). He had persecuted them.  It took faith, stepping out of his comfort zone and disregard of his own safety for Barnabas to reach out to Paul.. Encouragement can even be an act of bravery.

Encouragement can have long term results. What would have happened had Barnabas not reached out to Paul? Maybe his encouragement overcome shame and guilt Paul might have felt?  We may never know the impact of encouragement – maybe for the moment, maybe for a lifetime!

Encouragement might go unnoticed. Barnabas went alone to Paul, probably a lonely uncertain journey but … pivotal in changing history. Encouragement does not look for acclaim – and will often mean going out of the way to deliver it.

Encouragement is personal and focused. Generalities are great – but powerful encouragement comes from focused, insightful and personal reflection. It says, “I know you, I believe it you!” Encouragement is genuine!

Encouragement exalts others. Barnabas left a ministry to search for Paul, caring more about Paul than himself. When in Antioch he didn’t promote “his own ministry” but saw what God was doing, rejoiced with and .. encouraged them. Encouragement cheers others on, wanting the best for them, without consideration of themselves.

Encouragement brings hope and confidence. Barnabas must have been fun to be with. Acceptance is relaxing and motivating. When someone sees beyond inevitable weaknesses, loves unconditionally when others walk away,  – hope is restored and confidence is built.

Encouragement provokes risk taking. When Barnabas bought Paul to Jerusalem he risked losing the friendship of the other apostles. Encouragement also enables others to take risks, it says, “Come, and if you sink – my hand will be there to catch you!”

Encouragement is humble. Barnabas’ decision to take Mark, resulted in Paul and Barnabas separating and Luke “replacing” Barnabas.  Humility was his hallmark for he would not desert Mark even risking “losing his ministry” Encouragement is marked by humility

Encouragement crosses culture and language. It is a hug, a “wink” across the room, a tap on the shoulder, a “high five” Encouragement is a universal language that can be given, received and is needed by everyone.

Encouragement is fun and friendship. Barnabas was a “people person,” he noticed and gave them focus, seeing beyond the surface. Encouragement will open the door to deeper relationships and is fun to give and receive

Such is ENCOURAGEMENT!

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Tal é o Encorajamento

Por Daphne Kirk,

http://www.gnation2gnation.com/; Twitter: daphnekirk

O Encorajamento supera. São necessários 5 encorajamentos para superar 1 comentário ou ação negativa. Ele não pode ser usado demais!

O encorajamento nos faz sair de nossa zona de conforto. Os discípulos tinham medo de Saulo, (Atos 9:26). Ele havia os perseguido. Foi preciso ter fé e sair de sua zona de conforto e deixar de lado sua própria segurança para que Barnabé contatasse a Paulo. O encorajamento pode ser até mesmo um ato de bravura.

O encorajamento pode ter resultados a longo prazo. O que teria acontecido se Barnabé não tivesse contatado Paulo? Será que seu encorajamento fez superar a vergonha e a culpa que Paulo pode ter sentido? Talvez nunca conheceremos o impacto do encorajamento – talvez nesse momento ou talvez por uma vida toda!

O encorajamento pode passar despercebido. Barnabé foi até Paulo sozinho, e essa jornada foi provavelmente solitária e incerta mas… crucial em mudar a história. O encorajamento não procura por aplausos – e muitas vezes significa sair do  seu caminho para entregá-lo.

O encorajamento é pessoal e focado. Generalidades são ótimas- mas o encorajamento poderoso vem da reflexão focada, perspicaz e pessoal. Ele diz, “Eu te conheço, eu acredito em você!” O encorajamento é genuíno!

O encorajamento exalta os outros. Barnabé deixou um ministério para procurar por Paulo, se importando mais com Paulo do que consigo mesmo. Quando estava em Antioquia ele não promoveu “seu próprio ministério”, mas viu o que Deus estava fazendo, se alegrou e .. os encorajou. O encorajamento incentiva os outros, querendo o melhor para eles, sem considerar a si mesmo.

O encorajamento traz esperança e confiança. Devia ser muito divertido estar junto de Barnabé. A aceitação é tranquilizante e motivadora. Quando alguém vê além da fraqueza inevitável e ama incondicionalmente mesmo quando os outros vão embora, então a esperança é restaurada e a confiança é construída.

O encorajamento faz com que você se arrisque. Quando Barnabé trouxe Paulo a Jerusalém, ele arriscou perder a amizade dos outros apóstolos. O encorajamento também permite que outros se arrisquem, ele diz, “Venha, e se você afundar, minha mão estará lá para te puxar!”

O encorajamento é humilde. A decisão de Barnabé de levar Marcos resultou na separação entre Paulo e Barnabé e Lucas “substituindo” Barnabé. A humildade foi sua marca, pois ele não iria abandonar Marcos mesmo arriscando “perder seu ministério”. O encorajamento é marcado por humildade.

O encorajamento atravessa a língua e a cultura. Ele é um abraço, uma piscadela do outro lado do cômodo, um toque no ombro, um “bate aqui”. O encorajamento é uma linguagem universal que pode ser dada, recebida e é necessária a todos.

O encorajamento é diversão e amizade. Barnabé era uma “pessoa de pessoas”, ele notava-as e lhes dava foco, enxergando além da superfície. O encorajamento vai abrir a porta pra relacionamentos mais profundos e é divertido dá-lo e recebê-lo.

Tal é o ENCORAJAMENTO!

Spanish blog: 

Esto es el ánimo

Por Daphne Kirk, www.Gnation2gnation.com; Twitter: daphnekirk

El estímulo vence. Se necesitan 5 estímulos para superar 1 comentario negativo o acción. ¡No puede ser usado en exceso!

El estímulo sale de nuestra zona de confort. Los discípulos le tenían miedo a Saulo, (Hechos 9:26). Los había perseguido. Fue necesario tener fe, salir de su zona de confort y dejar de lado su propia seguridad para que Bernabé se acercara a Pablo. El aliento puede incluso ser un acto de valentía.

El estímulo puede tener resultados a largo plazo. ¿Qué hubiera pasado si Bernabé no se hubiera acercado a Pablo? ¿Tal vez su ánimo superó la vergüenza y la culpa que Pablo pudo haber sentido? Puede que nunca sepamos el impacto del estímulo, tal vez sea por un momento, ¡quizás por toda la vida!

El estímulo puede pasar desapercibido. Bernabé fue solo a Pablo, probablemente un viaje solitario e incierto pero … fundamental para cambiar la historia. El estímulo no busca la aclamación, y a menudo significará salirse del camino para entregarla.

El estímulo es personal y enfocado. Las generalidades son geniales, pero el estímulo poderoso proviene de una reflexión enfocada, perspicaz y personal. Dice: “Te conozco, te lo creo!” ¡El estímulo es genuino!

El ánimo exalta a los demás. Bernabé dejó un ministerio para buscar a Pablo, preocupándose más por él que por él mismo. Cuando en Antioquía no promovió “su propio ministerio”, sino que vio lo que Dios estaba haciendo, se regocijó y los alentó. El estímulo anima a los demás, deseando lo mejor para ellos, sin tener en cuenta a sí mismos.

El estímulo trae esperanza y confianza. Debe haber sido divertido estar con con Bernabé. La aceptación es relajante y motivadora. Cuando alguien ve más allá de las debilidades inevitables, ama incondicionalmente cuando los demás se van, la esperanza se restaura y la confianza se construye.

El estímulo provoca la toma de riesgos. Cuando Bernabé compró a Pablo a Jerusalén, se arriesgó a perder la amistad de los otros apóstoles. El estímulo también permite a otros tomar riesgos, dice: “Ven, y si te hundes, ¡mi mano estará allí para atraparte!”

El estímulo es humilde. La decisión de Bernabé de tomar a Marcos, hizo que Pablo y Bernabé se separaran y Lucas “reemplazó” a Bernabé. La humildad a su sello distintivo, ya que no abandonaría a Marcos ni siquiera arriesgándose a “perder su ministerio”. El ánimo está marcado por la humildad

El estímulo va más alla de la cultura y el lenguaje. Es un abrazo, un “guiño” a través de la habitación, un toque en el hombro, una “choque de puños”. El estímulo es un lenguaje universal que todos pueden dar, recibir y es necesario.

El estímulo es diversión y amistad. Bernabé era una “persona de la gente”, se dio cuenta y los enfocó, viendo más allá de la superficie. El estímulo abrirá la puerta a relaciones más profundas y es divertido dar y recibir.

¡Esto es el ánimo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.