Eating Well, part 1

By Joel Comiskey, Living in Victory

In 2018, I spoke at twenty-four conferences in many different countries and contexts. I practiced the missionary creed of eating everything on my plate. But I also suffered for it. I was overweight, my cholesterol was elevated, and I had to go to the emergency room three times because of a tear duct problem, which eventually required surgery. I frequently felt tired. While trying to give to others, I often felt like someone needed to be pouring into my own life.

By the end of the year, I was sick, bloated, and out of shape. I turned to my wife on a plane ride from Washington to Los Angeles in December 2018, saying, “Help me.” I showed her a picture I had taken at a Methodist conference in Brazil a few months earlier, which showed my waistline bulging from the conference t-shirt. “I need help,” I pleaded. 

In January 2019, I made some key changes. I decided to follow a strict, plant-based diet. I lost twenty pounds and have kept those pounds off. I now only eat three meals per day, avoid snacks, and focus on eating particular foods (e.g., vegetables, salads, fruits, beans, etc.).

Since 2006, I had generally followed Joel Fuhrman’s “Life Plan” from his book Eat to Live

But I had also taken many more eating liberties than necessary. I lacked the discipline to get back on his general plan after a conference. Losing weight, according to Fuhrman, was the byproduct of healthy eating. Fuhrman points to many scientific studies to support an emphasis on plant-based foods. Fuhrman is against diets and views healthy eating as the best way to avoid disease, while losing weight as a result.

Fuhrman’s life plan includes some meat and dairy, but he emphasizes fruits, salads, vegetables, and legumes.  He also has a six-week plan for those getting started, which I followed for six-weeks back in 2006. Since then I had generally tried to stay on his life plan with some success. In January 2019, I decided to follow the six-week plan and stay on it indefinitely.

Staying faithful to Fuhrman’s six-week plan was hard because of my travel schedule, but I decided to give it a try. I had to explain to host churches that I was only going to eat certain foods, such as fruits, vegetables, salads, legumes, nuts, and other plant-based foods. In explaining my new diet to these churches, I normally just mentioned my high cholesterol without going into a lot more detail.

As a result of this plan, I lost twenty-five pounds and have kept those pounds off for 3.5 years. I have felt a lot more energy in everything I do. For example, at my wife’s yearly family camp in August 2019, I played several rounds of basketball without becoming exhausted, something I could not do in 2018 on the same court and with many of the same people.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Alimentando-se corretamente, parte 1

Joel Comiskey, do livro “Vivendo Vitoriosamente” (Living in Victory é o Título Original em Inglês)

Em 2018 eu fui o palestrante em vinte e quatro conferências, em diversos países e diferentes contextos. Eu literalmente pratiquei a máxima conhecida das missões, de comer tudo o que estiver no seu prato. Mas também sofri com isso. Eu estava acima do meu peso ideal, meu colesterol estava elevado e eu tive que ir à emergência de hospitais por três vezes, por conta de um problema no meu canal lacrimal, que por fim necessitou de um procedimento cirúrgico. Eu estava constantemente cansado. Ao mesmo tempo em que estava tentando trazer algo às pessoas, eu frequentemente sentia a necessidade de que alguém trouxesse algo para minha própria vida.

Ao final do ano eu estava adoentado, inchado e fora de forma. Em uma das viagens aéreas, de Washington a Los Angeles, em dezembro de 2018 eu me virei para minha esposa e disse: “Me ajude, por favor.” Eu mostrei uma foto tirada em uma conferência na Igreja Metodista no Brasil, alguns meses antes, em que minha barriga parecia saltar por trás da minha camiseta da conferência. “Eu preciso de ajuda”, declarei.

Em janeiro de 2019 eu fiz algumas mudanças chave em minha vida. Decidi seguir uma dieta severa, com base em vegetais. Perdi cerca de 10 kilos e tenho me mantido assim. Hoje eu como apenas três refeições ao dia, evito lanches e mantenho o foco na alimentação de certos tipos de alimentos (por exemplo vegetais, saladas, frutas, feijões, etc.)

Desde 2006 e costumava seguir o “Life Plan” (Plano de Vida, em tradução livre) do livro Superimunidade de Joel Fuhrman.

Mas eu também concedia mais liberdade do que o necessário aos meus hábitos alimentares. Eu não tinha a disciplina de voltar ao plano após cada conferência. De acordo com Fuhrman, perder peso era uma consequência e uma alimentação saudável. Ele aponta para diversos estudos científicos que suportam uma ênfase em alimentos de origem vegetal. Fuhrman é contra dietas e em seu entendimento uma alimentação saudável é a melhor maneira de evitar doenças, e perder peso é um resultado de tudo isso.

O “Life Plan” de Fuhrman também inclui o consumo de um pouco de carne e laticínios, mas ele enfatiza as frutas, saladas, vegetais e legumes. Ele também tem um plano de seis semanas para quem está iniciando neste processo, que eu efetivamente segui por seis semanas lá em 2006. A partir de então, eu tinha tentado permanecer em seu planejamento, até com algum sucesso.

Em janeiro de 2019 eu decidi voltar ao plano de seis semanas e permanecer nele de maneira definitiva. Foi difícil permanecer fiel ao plano, especialmente por conta de minhas viagens, mas decidi que tentaria assim mesmo. Eu precisei explicar a algumas igrejas que me recebiam que eu só comeria alguns tipos de alimentos como frutas, vegetais, saladas, legumes, castanhas e outros alimentos de origem vegetal. Ao explicar minha dieta às igrejas que me recebiam, normalmente eu somente mencionava meus altos níveis de colesterol, sem entrar em detalhes.

Como resultado deste planejamento, eu perdi 25 libras e me mantive assim por 3,5 anos. Eu tenho me sentido com muito mais energia em tudo o que faço. Um exemplo disso aconteceu no encontro anual da família da minha esposa, em agosto de 2019, quando joguei basquete por diversos momentos sem me sentir exausto, o que eu não consegui fazer em 2018, na mesma quadra e basicamente com as mesmas pessoas.

Spanish blog:

Por Joel Comiskey, Viviendo en Victoria

En 2018, hablé en veinticuatro conferencias en diferentes países y contextos. Practiqué el credo misionero de comer todo en mi plato. Pero también sufrí por ello. Tenía sobrepeso, mi colesterol estaba elevado y tuve que ir a la sala de emergencias tres veces debido a un problema en el conducto lagrimal, que eventualmente requirió cirugía. Con frecuencia me sentía cansado. Mientras trataba de dar a los demás, a menudo sentía que necesitaba que alguien también me diera a mí.

A finales de año, estaba enfermo, hinchado y fuera de forma. Me dirigí a mi esposa durante un viaje en avión desde Washington a Los Ángeles en diciembre de 2018 y le dije: “Ayúdame”. Le mostré una foto que había tomado en una conferencia metodista en Brasil unos meses antes, que mostraba mi cintura abultándose bajo la camiseta de la conferencia. “Necesito ayuda”, supliqué.

En enero de 2019, hice algunos cambios clave. Decidí seguir una dieta vegetal estricta. Perdí veinte libras y he mantenido esas libras fuera. Ahora solo como tres comidas al día, evito los bocadillos y me concentro en comer ciertos alimentos (por ejemplo, verduras, ensaladas, frutas, frijoles, etc.)

Desde el 2006, había seguido en gran parte el “Plan Vida” de Joel Fuhrman de su libro Comer para vivir .

Pero también me había tomado muchas más libertades alimenticias de las necesarias. Me faltaba la disciplina para volver a su plan general después de una conferencia. Perder peso, según Fuhrman, era el subproducto de una alimentación saludable. Fuhrman señala muchos estudios científicos para apoyar el énfasis en los alimentos de origen vegetal.

Fuhrman está en contra de las dietas y considera que una alimentación saludable es la mejor manera de evitar enfermedades, y como resultado perder peso. El plan de vida de Fuhrman incluye algo de carne y lácteos, pero hace hincapié en las frutas, ensaladas, verduras y legumbres. También tiene un plan de seis semanas para aquellos que comienzan, el cual seguí durante seis semanas en 2006. Desde entonces, en general, intenté mantener su “Plan vida” con cierto éxito.

En enero de 2019, decidí seguir el plan de seis semanas y continuar indefinidamente. Mantenerme fiel al plan de seis semanas de Fuhrman fue difícil debido a mi horario de viaje, pero decidí intentarlo. Tenía que explicar a las iglesias anfitrionas que solo iba a comer ciertos alimentos, como frutas, verduras, ensaladas, legumbres, nueces y otros alimentos de origen vegetal. Al explicar mi nueva dieta a estas iglesias, normalmente solo mencioné mi colesterol alto sin entrar en mucho más detalle.

Como resultado de este plan, perdí veinticinco libras y mantuve esas libras fuera por 3.5 años. He sentido mucha más energía en todo lo que hago. Por ejemplo, en el campamento familiar anual al que iba mi esposa, en agosto de 2019, jugué varias rondas de baloncesto sin agotarme, algo que no pude hacer en 2018 en la misma cancha y con muchas de las mismas personas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.