Invite Them; Be Patient

jeff

by Jeff Tunnell

At our first high point of cell multiplication we found there were 25% more people in cells than in weekend celebrations.  Having more people in cells than celebrations was a goal of penetrating our area with the good news of Jesus and providing a place for individuals and families to discover His body without attending a traditional weekend church service.  It was working and we saw this as a signal and opportunity to invite these cell attendees to rejoice together with other like-minded cell groups in a celebration of Jesus.

Many cell members did not accept our invitations to the larger gathering for 6 months or more.  We needed to be patient because many of them were previously hurt by a church, viewed organized religion as a threat, or did not want to walk into a building where they did not already have a relationship.  When they did try the celebration services, it was easy to walk in with their cell family and find immediate acceptance as a part of the whole system of cells.

During this period I would meet Christians in our city and I would ask, “Do you attend a church?”  Then they would name the church I pastored, although they had never met me, or even knew who I was!  Shocking?  Yes!  Delightful? Indeed (after I thought about it and quieted my ego).  They were growing in their faith, part of our training track, and being shepherded by a committed cell leader.  The senior Pastor was not the center of attention for these people; Jesus and His people were.

Note: During this time, if all the cell groups came at one time, our building would not accommodate them, a wonderful problem to encounter.  I want to encourage you to fill the cells with life-giving community, equipping, and evangelism. As fruit as produced, the entire cell can bring its life to the celebration with a clear purpose.

Growth takes time, be patient.

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Convide-os e Seja Paciente

por Jeff Tunnell

No nosso primeiro ponto alto de multiplicação de célula descobrimos que havia 25% mais pessoas nas células do que nas celebrações de fim de semana. Ter mais pessoas nas células do que nas celebrações foi uma meta de penetrar nossa área com as boas novas de Jesus e proporcionar um lugar para indivduos e famlias descobrirem o corpo dEle sem frequentarem um culto tradicional de fim de semana. Estava funcionando e nós vimos isso como um sinal e uma oportunidade de convidar esses frequentadores de célula a se alegrarem com outros grupos celulares que pensam do mesmo jeito em uma celebração de Jesus.

Muitos membros de célula não aceitaram nossos convites à reunião maior por 6 meses ou mais. Nós precisávamos ser pacientes pois muitos deles foram machucados anteriormente por uma igreja, viam a religião organizada como uma ameça, ou não quiseram entrar em um prédio onde ainda não tinham um relacionamento. Quando eles experimentaram os cultos de celebração, foi fácil entrar com sua famlia da célula e encontrar aceitação imediata como uma parte do sistema todo de células.

Durante esse perodo eu encontrava cristãos na nossa cidade e perguntava, “Vocês frequentam uma igreja?” Eles citavam a igreja que eu pastoreava, no entanto, eles nunca me encontraram, ou nem sequer sabiam quem eu era! Chocante? Sim! Prazeroso? De fato (depois eu pensei sobre isso e aquietei o meu ego). Eles estavam crescendo em sua fé, em parte do nosso trilho de treinamento e sendo pastoreados por um lder de célula comprometido. O pastor principal não era o centro das atenções para essas pessoas; Jesus e Seu povo eram.

Nota: Durante esse tempo, se todos os grupos de célula viessem de uma só vez, nosso prédio não iria acomodá-los, um problema maravilhoso a enfrentar. Eu quero encorajá-lo a preencher as células com uma comunidade vivificante, com treinamento e evangelismo e elas irão produzir frutos por si mesmas. Então a célula inteira pode trazer sua vida para a celebração com um propósito.

Crescimento leva tempo, seja paciente.

Jeff

Spanish blog:

Invtelos y sea paciente

Por Jeff Tunnell

En nuestro primer punto de multiplicación celular nos dimos cuenta que haba 25 % más gente en las células que en las celebraciones dominicales. Tener más gente en las células que en las celebraciones fue un objetivo para penetrar nuestra área con las buenas nuevas de Jesús y proporcionar un lugar para que las personas y las familias puedan descubrir su cuerpo sin asistir a un servicio tradicional de la iglesia el fin de semana. Estaba trabajando y vimos esto como una señal, la oportunidad de invitar a los asistentes a estas células para compartir juntos con otros grupos celulares.

Muchos miembros de la célula no aceptaron nuestra invitación a la reunión más grande por más de 6 meses. Tenamos que ser pacientes porque muchos de ellos fueron heridos previamente por una iglesia, vimos la religión organizada como una amenaza, o no queran entrar en un edificio en el que todava no tenan una relación. Cuando intentaron probar los servicios de celebración, era fácil caminar con su familia celular y encontrar la aceptación inmediata como parte de todo el sistema celular.

Durante este perodo conocimos cristianos en nuestra ciudad y le pregunte: “¿Asiste a una iglesia?” Ellos nombraron la iglesia que yo pastoreaba, sin embargo, nunca me haban conocido, ni siquiera saban quién era yo. ¿Impactante? ¡S! ¿Una delicia? De hecho (después lo pensé y calmé mi ego). Ellos estaban creciendo en su fe, formando parte de nuestra pista de entrenamiento y siendo pastoreados por un lder celular comprometido. El pastor no era el centro de atención para estas personas, Jesús y su pueblo eran.

Nota: Durante este tiempo, si todos los grupos celulares llegaran a la vez, nuestro edificio no podra acomodarles a todos, un problema maravilloso a encontrar. Quiero animarte a llenar las células con la comunidad que da vida, equipamiento, evangelismo y producirán fruto por s mismos. Después la célula puede llevar su vida a la celebración con un propósito.

El crecimiento toma tiempo, sea paciente.

Jeff

Leave a Reply

Your email address will not be published.