Integration: From Cell to Celebration

jim

by Jim Wall

Both cell and celebration gatherings are critical parts of dispensing hope to a hopeless world. I’ve noticed that our celebration services typically sees two types of first time attenders.

The Type A visitor is the one who walks about three steps into our lobby and stops dead in his tracks. He stands there looking at everything going on around him. He isn’t just taking it all in; he is debating whether or not to run away! You can almost read his thoughts as he stands there. “What have I gotten myself into? Will I find anyone in this crowd that I know? If not, will I meet anyone that I like? Is there anyone here like me?” Assuming he makes it into the sanctuary, any differences in the worship style from his past leave him feeling unsure of what’s going on. Nobody likes that feeling.

The Type B visitor is the one who got invited to a cell gathering first. After several weeks of making friends in that small group setting, he decides to accept the group’s no-pressure invitation to attend a celebration gathering with them. As he enters the lobby, he is surrounded by people he knows and trusts. They have prepared him for what he is going to see. He has been assured that he won’t be put on the spot by anyone nor pressured to speak publically, give money or do anything he doesn’t want to do. He walks in like he owns the place. He thoroughly enjoys the experience and can’t stop talking about what he heard and saw while they have lunch together afterward.

The next time the Type A visitor is invited by a neighbor or co-worker to attend church he replies, “ Thanks, but I’ve been to church. It isn’t for me.” The next time the Type B visitor is invited he says, “Sure! I can’t wait to see what’s going to happen this Sunday!”

Is your cell group inviting unchurched people to your cell gatherings? Once trust is formed are you bringing those folks to your celebration gatherings? Cells and celebrations, working in concert, are a powerful partnership for the transformation of lives in Christ.

Jim

Korean blog (click here)

Portugues blog:

Integração: Da Célula para o Culto

Por Jim Wall

Ambos célula e culto de celebração são partes crticas em fornecer esperança para um mundo sem esperança. Eu percebi que nossos cultos de celebração, tipicamente, tem dois tipos de visitantes que estão indo pela primeira vez.

O Visitante tipo A é aquele que dá três passos dentro da recepção da igreja e de repente pára como se estivesse morto em seu próprio caminho. Ele permanece parado olhando tudo o que está acontecendo ao seu redor. Ele não está apenas percebendo o ambiente ao redor, está pensando, debatendo em seus pensamentos se deve ou não dar as costas e ir embora! Você pode quase ler seus pensamentos enquanto ele permanece lá parado: ” No que eu fui me meter? Vou encontrar alguém nesta multidão que eu conheça? Se não, vou encontrar alguém que vou gostar? Tem alguém aqui que vai gostar de mim?” Assumindo que ele finalmente consegue chegar até o salão de reuniões, qualquer diferença no estilo de adoração do esteja acostumado, vai deixá-lo com a sensação de que não tem certeza do que está acontecendo. Ninguém gosta desta sensação.

O Visitante tipo B é aquele que foi convidado para ir à célula primeiro. Depois de diversas células frequentadas, e de ter desenvolvido amizades no convvio das pessoas da célula, ele decide aceitar o convite sem pressão do grupo para ele ir no culto de celebração com eles. Quando ele entra na recepção da igreja, está cercado de pessoas que conhece e confia. Eles já o prepararam para aquilo que ele verá. Já o asseguraram que não será constrangido para falar em público, dar seu dinheiro ou qualquer outra coisa que não queira fazer. Ele entra no salão como se fosse de casa.Aproveita completamente a experiência e não consegue parar de falar sobre aquilo que ouviu e viu enquanto almoça com o pessoal da célula depois do culto de celebração.

A próxima vez que o visitante tipo A for convidado pelo seu vizinho ou colega de trabalho para ir a igreja ele irá responder: ” Obrigado, já fui à igreja e não é para mim isso”. Enquanto a próxima vez que o visitante tipo B for convidado dirá: ” Com certeza! Não posso esperar para ver o que vai acontecer neste domingo!”

A sua célula tem convidado pessoas que não vão à igreja para ir a célula? Uma vez que há confiança formada, você tem trazido essas pessoas para o culto de celebração? Células e Cultos de celebração, trabalhando em conjunto, são uma poderosa parceria para a transformação das vidas em Cristo.

Jim

Spanish blog:

Integración: De la célula a la celebración

Por Jim Wall

Tanto las reuniones de células y la celebración son zonas crticas de la dispensación de esperanza a un mundo sin esperanza. Me he dado cuenta de que nuestros servicios de celebración tpicamente ven dos tipos de asistentes por primera vez.

El visitante tipo A, es el que camina cerca de tres pasos en el pasillo y se detiene en seco. Se pone de pie all, mirando todo lo que sucede a su alrededor. Él no está simplemente tomando todo, él está debatiendo ¡si debe de correr o no! Casi puedes leer sus pensamientos mientras él está all. “¿En qué me he metido? ¿Encontrare alguien conocido en esta multitud? Si no, ¿Conoceré a alguien que me guste? ¿Hay alguien aqu como yo? “Suponiendo que llegue al santuario, las diferencias en el estilo de adoración de su pasado lo dejan sintiéndose inseguro de lo que está pasando. A nadie le gusta esa sensación.

El visitante tipo B, es el que fue invitado a una reunión celular primero. Después de varias semanas de hacer amigos en ese ambiente de grupo pequeño, decide aceptar la invitación sin presiones del grupo para asistir a una reunión con ellos. Al entrar en el pasillo, él está rodeado de personas que conoce y confa. Ellos lo han preparado para lo que va a ver. A él le han asegurado que no va a ser puesto en un lugar por nadie ni presionado a hablar en público, dar dinero o hacer algo que no quiera hacer. Él camina adentro como fuera si el dueño del lugar. Él disfruta muchsimo la experiencia y no puede dejar de hablar de lo que oyó y vio mientras almorzaban juntos después.

La próxima vez que el visitante tipo A es invitado por un vecino o un compañero de trabajo para asistir a esa iglesia él responde: “Gracias, pero he estado en esa iglesia. No es para m. “La próxima vez que se invita al visitante tipo B, dice, “¡Claro! ¡No puedo esperar a ver lo que va a pasar este domingo!”

¿Está tu grupo celular invitando gente sin iglesia a sus reuniones celulares? Una vez que se forma la confianza ¿Traes esa gente a la celebración? Células y celebraciones, trabajando en conjunto, son una poderosa asociación para la transformación de la vida en Cristo.

Jim

Leave a Reply

Your email address will not be published.