As the church grows, structures always need to be changed

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available@amazon.com in English, Portuguese, Spanish and German)]

MYTH: We just have to build the right structures and then never worry about them again.

TRUTH: As the church grows, structures always need to be changed. 

The idea that “there is a perfect structure for your church” will bring you a lot of frustration. In the beginning of our transition process to become a cell church, we thought we would define the basic structures once and for all. If not the perfect ones, at least the best possible. The structures for the cells (maximum number of people, gender and age groups, roles, model for cell lessons…); the training track; the coaching (number of cell under each supervision, hierarchy levels, frequency of meetings); adequate emphasis on services and ministries; and so many other things. But, for our despair, we found out that the “perfect structures” had limited lifespans. Let me give you two examples:

Training: when we first started, all the training was focused on explaining to the church members why the cell church was better than the conventional one with all the biblical basis and a strong emphasis on paradigm shifts. Sometime later we saw that these things were not so important for the new believers who were then being trained, since they had never lived in the old paradigm. So we rethought all the training to address this new target group. A few years later we saw that the material was not expressing our specific vision in details. So we had to rethink it again. The present format of our training material was launched only five years ago and is already under a heavy revision process. It never stops…

Coaching: we started with all cells leaders directly under the senior pastor’s supervision, under the same vision and practices. When we reached some dozens of cells that didn’t work anymore. We then organized groups of around 15 cell leaders under a few new coaches. As the cells multiplied, we saw that if we had smaller groups we wouldn’t need such high-class coaches. We organized each supervision groups with five leaders. The result was that we grew a lot.  Because of growth, we had to create more hierarchy levels (which is rarely a good thing ). Information, vision and anointing gets diluted as it goes down the ranks. So, we adopted Jethro´s model (Exodus 18) with the idea of groups of ten. This gave us a huge impulse in our growth. But on the long run that became too heavy for the coaches to oversee so many cells. Once more we changed to three to five cell leaders in each supervision groups. But instead of creating new levels, we started multiplying pastors and church campuses which allowed us to maintain only three hierarchy levels. 

As you can see, after 18 years of cell life, we “still” haven’t come to the definitive solution. Now we know that only one thing never changes in a cell church: constant change! So, just get used to it and enjoy the ride!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

MITO: Nós só precisamos construir as estruturas certas e depois nunca mais nos preocupamos com elas.

VERDADE: Conforme a igreja cresce, as estruturas sempre precisam ser mudadas.

Por Roberto Bottrel [servindo igrejas europeias, desafiando-as a serem fazedoras de discípulos através de células que multiplicam (centraldna.org). Autor do livro Multiplicação, o desafio do cristão, do líder e da Igreja (disponível na loja central.online em Português e @amazon.com em Inglês, Espanhol e Alemão]

A ideia de que existe uma estrutura perfeita para a sua igreja trará muita frustração. No início do nosso processo de transição para nos tornarmos uma igreja em células, pensamos em definir as estruturas básicas de uma vez por todas. Se não as estruturas perfeitas, pelo menos as melhores possíveis. As estruturas para as células (número máximo de pessoas, gênero e faixas etárias, papéis, modelo para lições de células…); o trilho de treinamento; a supervisão(número de células sob cada supervisão, níveis de hierarquia, frequência de reuniões); ênfase adequada nos cultos e ministérios; e tantas outras coisas. Mas, para nosso desespero, descobrimos que as “estruturas perfeitas” tinham vida útil limitada. Deixe-me dar dois exemplos:

Treinamento: quando começamos, todo o treinamento estava focado em explicar aos membros da igreja por que a igreja celular era melhor do que a convencional, com toda a base bíblica e uma forte ênfase nas mudanças de paradigma. Algum tempo depois, vimos que essas coisas não eram tão importantes para os novos crentes que estavam sendo treinados, pois eles nunca haviam vivido no velho paradigma. Então, nós repensamos todo o treinamento para abordar esse novo grupo alvo. Alguns anos depois, vimos que o material não estava expressando nossa visão específica em detalhes. Então tivemos que repensar novamente. O formato atual de nosso material de treinamento foi lançado há apenas cinco anos e já está em processo de revisão. Isso nunca termina…

Supervisão: começamos com todos os líderes de células diretamente sob a supervisão do pastor sênior, sob a mesma visão e prática. Até que chegamos a algumas dezenas de células e este formato já não funcionava mais. Então, organizamos grupos de cerca de 15 líderes de célula sob alguns novos supervisores. À medida que as células se multiplicavam, percebemos que, se tivéssemos grupos menores, não precisaríamos de supervisores de tão alto nível. Organizamos cada grupo de supervisão com cinco líderes. O resultado foi muito crescimento. Por causa disso, tivemos que criar mais níveis hierárquicos (o que raramente é bom). Informação, visão e unção se diluem dos níveis mais altos aos mais baixos. Então, adotamos o modelo de Jetro (Êxodo 18) com a ideia de grupos de dez. Isso nos deu um enorme impulso em nosso crescimento. Mas, a longo prazo, isso se tornou pesado demais para que os supervisores serem responsáveis por tantas células. Mais uma vez, mudamos para três a cinco líderes de células em cada grupo de supervisão. Mas, em vez de criar novos níveis, começamos a multiplicar os pastores e campus da igreja, o que nos permitiu manter apenas três níveis de hierarquia.

Como você pode ver, após 18 anos de vida celular, “ainda” não chegamos à solução definitiva. Agora sabemos que apenas uma coisa nunca muda em uma igreja em células: a mudança constante! Então, acostume-se e aproveite o passeio!

Spanish blog:

MITO: Solo tenemos que construir las estructuras correctas y luego nunca más preocuparnos por ellas.

VERDAD: A medida que la iglesia crece, las estructuras siempre necesitan ser cambiadas.

Por Roberto Bottrel [sirviendo a las iglesias europeas, desafiándolas a hacer discípulos a través de células que se multiplican (centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada Líder y la Iglesia (disponible en @amazon.com en inglés, portugués, español y alemán)]

La idea de que “hay una estructura perfecta para tu iglesia” te traerá mucha frustración. Al inicio de nuestro proceso de transición para convertirnos en una iglesia celular, pensamos que definiríamos las estructuras básicas de una vez por todas. Si no perfectas, al menos lo mejor posible. Las estructuras para las células (número máximo de personas, género y grupos de edad, roles, modelo para lecciones celulares …); la pista de entrenamiento, el coaching (número de células bajo cada supervisión, niveles de jerarquía, frecuencia de reuniones); énfasis adecuado en los servicios y ministerios; y tantas otras cosas. Pero, para nuestra desesperación, descubrimos que las “estructuras perfectas” tenían vidas limitadas. Déjame darte dos ejemplos:

Capacitación: cuando empezamos, toda la capacitación se enfocó en explicar a los miembros de la iglesia por qué la iglesia celular era mejor que la convencional con toda la base bíblica y un fuerte énfasis en los cambios de paradigma. Algún tiempo después, vimos que estas cosas no eran tan importantes para los nuevos creyentes que estaban siendo entrenados, ya que nunca habían vivido en el viejo paradigma. Así que hicimos de nuevo toda la capacitación para abordar este nuevo grupo objetivo. Unos años más tarde, vimos que el material no expresaba nuestra visión específica en detalles. Así que tuvimos que hacerlo de nuevo. El formato actual de nuestro material de capacitación se lanzó hace solo cinco años y ya se encuentra en un proceso de revisión exhaustivo. Nunca se detiene …

Entrenamiento: comenzamos con todos los líderes de células directamente bajo la supervisión del pastor principal, bajo la misma visión y prácticas. Cuando llegamos a algunas docenas de células que ya no funcionaban. Luego organizamos grupos de alrededor de 15 líderes celulares bajo unos pocos entrenadores nuevos. A medida que las células se multiplicaban, vimos que si teníamos grupos más pequeños no necesitaríamos entrenadores de clase alta. Organizamos cada grupo de supervisión con cinco líderes. El resultado fue que crecimos mucho. Debido al crecimiento, tuvimos que crear más niveles de jerarquía (lo que rara vez es algo bueno).

La información, la visión y la unción se diluyen a medida que baja de rango. Entonces, adoptamos el modelo de Jetro (Éxodo 18) con la idea de grupos de diez. Esto nos dio un gran impulso en nuestro crecimiento. Pero a la larga, se volvió demasiado pesado para que los entrenadores supervisaran tantas células. Una vez más cambiamos de tres a cinco líderes celulares en cada grupo de supervisión. Pero en lugar de crear nuevos niveles, comenzamos a multiplicar los pastores y los campus de las iglesias, lo que nos permitió mantener solo tres niveles jerárquicos.

Como pueden ver, después de 18 años de vida celular, “todavía” no hemos llegado a la solución definitiva. Ahora sabemos que solo una cosa nunca cambia en una iglesia celular: ¡ el cambio constante! Entonces, solo acostúmbrate y disfruta el viaje!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Free Facilitator PDF download

This book on how to facilitate a small group will help your ministry

You have Successfully Subscribed!