Coaching Makes a Difference

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

When I teach about cell ministry, sometimes pastors ask me whether it is a good idea to turn the ministry over to cell groups. “What if they start to teach heresy? What if the leaders lead the people to their own vision instead of the church’s?”

These are responsible questions. One of the main answers to their concern is solid coaching.

A coach provides both discipleship and “quality control” to the cell ministry. A pastor may not be able to know what is happening in every cell, but the coach will know the health of the leader and the health of the group over which they are responsible. By staying in close contact with the leader and visiting the group regularly, the coach can know if a leader starts to diverge from the church’s ministry pattern or teaching. As the pastor (either senior or network) stays in constant contact with the coaches, the health of the ministry is protected and advanced. It is wise not to have more groups than you can coach effectively. 

I can count on one hand the times over the last 20 years that a cell leader has “gone rogue” in our church. About 10 years ago one of our coaches alerted me that a leader was being divisive and was resistant to correction. I stepped in as senior pastor and found the leader unwilling to cease the divisiveness, so I asked him to step down from leadership. He did, but tried to take his group with him. No one followed.

Last year during Covid, I learned too late that the coach had not been connecting with their leader, and that the cell leader was diverging far from the cell lesson and focusing on politics in unhelpful ways. By the time I could step in, several members of the group had left the church and the group later dissolved.

Solid coaching makes all the difference. 

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

A supervisão faz toda a diferença

Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Quando estou ensinando sobre o ministério em células, é comum receber os seguintes questionamentos de alguns pastores: “Será mesmo uma boa ideia entregar o ministério às células? E se começarem a ensinar algum tipo de heresia? E se os líderes começarem a liderar as pessoas para sua própria visão, ao invés da visão da Igreja?”

Estas perguntas tratam de responsabilidade. Uma das principais respostas a estas perguntas é uma supervisão sólida.

O supervisor faz tanto o discipulado quanto o “controle de qualidade” do ministério em células. É provável que o pastor não saiba o que está acontecendo em cada célula, mas o supervisor vai conhecer a saúde dos líderes e das células que estiverem sob sua responsabilidade. Ao permanecer em contato com o líder e ao visitar a célula com regularidade, o supervisor saberá se o líder está começando a divergir do padrão ministerial da igreja ou do seu ensino. Como o pastor principal ou a equipe pastoral está em contato com os supervisores, a saúde do ministério estará protegida e bem cuidada. Não é sábio ter mais grupos do que você consegue supervisionar adequadamente.

Eu consigo contar nos dedos de apenas uma mão o número de vezes em que um líder de célula “divergiu do ensino” nos últimos 20 anos em nossa igreja. Cerca de 10 anos atrás, um dos supervisores me alertou que um líder estava dividindo a igreja e resistia à correção. Como pastor principal, entrei no assunto e cheguei à conclusão que o líder não queria ceder e pedi que deixasse a liderança. Ele deixou a liderança, mas tentou levar seu grupo consigo mesmo. Ninguém o seguiu.

No ano passado, durante a epidemia de Covid, eu percebi tarde demais que um dos supervisores não estava em contato com um dos líderes e este líder estava divergindo da lição da célula e tratando de questões políticas. Até eu entrar no assunto, diversos membros daquela célula já tinham deixado a igreja e aquela célula acabou por se dissolver.

Uma supervisão sólida realmente faz toda a diferença.

Spanish blog:

El coaching marca la diferencia

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Cuando enseño sobre el ministerio celular, a veces los pastores me preguntan si es una buena idea entregar el ministerio a los grupos celulares. “¿Y si las células empiezan a enseñar herejía? ¿Qué pasa si los líderes guían a la gente hacia su propia visión en lugar de la de la iglesia? “

Estas son preguntas responsables. Una de las principales respuestas a su preocupación es un entrenamiento sólido.

Un entrenador proporciona tanto discipulado como “control de calidad” al ministerio celular. Es posible que un pastor no sepa lo que está sucediendo en cada célula, pero el entrenador conocerá la salud del líder y la salud del grupo del que es responsable. Al mantenerse en contacto cercano con el líder y visitar la célula con regularidad, el entrenador puede saber si un líder comienza a diferir del patrón de ministerio o enseñanza de la iglesia. A medida que el pastor (ya sea mayor o de la red) se mantiene en contacto constante con los entrenadores, la salud del ministerio está protegida y avanzada. Es aconsejable no tener más grupos de los que se pueda entrenar eficazmente.

Puedo contar con los dedos de una mano las veces en los últimos 20 años que un líder de célula se ha “rebelado” en nuestra iglesia. Hace unos 10 años, uno de nuestros entrenadores me alertó de que un líder estaba siendo divisivo y se resistía a la corrección. Entré como pastor principal y encontré que el líder no estaba dispuesto a cesar la división, así que le pedí que dejara el liderazgo. Lo hizo, pero trató de llevarse a su grupo con él. Nadie lo siguió.

El año pasado, durante Covid, me enteré demasiado tarde de que el entrenador no se había conectado con su líder y que el líder de la célula se estaba alejando mucho de la lección de la célula y se estaba centrando en la política de formas poco útiles. Para cuando pude intervenir, varios miembros del grupo habían dejado la iglesia y el grupo se disolvió más tarde.

El entrenamiento sólido marca la diferencia.

Leave a Reply

Your email address will not be published.