The Church, Cells and the Pandemic

coach_freddynoble

By Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

The Acts of the Apostles, tells the vibrant story of the birth and expansion of the Christian Church in Jerusalem. During those years the believers developed a powerful testimony that led many people to know Jesus as Savior. The summary of this experience is found in the words of Acts 5:42 “and every day in the temple and at home, they did not stop teaching and preaching Jesus Christ.”

But soon opposition was aroused. Steven, one of the seven who served the tables, was assassinated for his faith and then a terrible persecution broke out. Many believers “were scattered throughout the lands of Judea and Samaria.” And Scripture says, “that those who were scattered went everywhere proclaiming the Gospel” (Acts 8: 4).

This statement grabs me because, although the Church was scattered, it was not destroyed. Rather, rather it was fulfilling its mission.

The pandemic that has engulfed the world has forced churches to close their buildings, but many churches remain open, that is, they are still alive and active.

Some years ago our church transitioned from a program church to a cell-based church. This gave us the opportunity to direct the ministry of our congregation outside the temple and at the same time, it allowed us to develop leaders, who in turn would be serving believers who would also be involved in the work of the ministry.

This change has been one of the fundamental factors that have allowed our Church to continue to actively develop its ministry even outside the building. Because our ministry structures are designed to function outside the building, our brothers have been actively involved in caring for one another and in the task of service and evangelism through cells.

Using technology, our cells have remained active. In fact, several of them have increased in number and new groups have emerged. The cells have allowed believers to be involved in the Lord’s work in a more participatory way. We’ve seen the commitment level among the brothers deepen. This is seen not only in their participation in prayer, caring and helping one another, and evangelism, but also in their financial commitment to the work. Our church, by the grace of God, has not suffered any financial disaster during this time, and our income from offerings and tithes remains almost normal in relation to pre-pandemic times.

It is as if the cell structure that we moved towards years ago was intended for an hour like this. And in our experience, although the Church is “dispersed,” it is not destroyed. Quite the contrary, our church is alive and active in reaching others with the proclamation of good news and encouraging all believers to remain strong in the midst of difficult, painful, and dangerous situations. To God be the glory!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Igreja, As Células e A Pandemia

Por Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Os Atos dos Apóstolos nos diz a vibrante história do nascimento e expansão da Igreja Cristã em Jerusalém. Durante aqueles anos os crentes desenvolveram um testemunho poderoso que levou muitas pessoas a conhecer Jesus com Salvador. O resumo dessa experiência é encontrado nas palavras de Atos 5:42 “Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo.”

Mas logo a oposição se levantou. Estevão, um dos sete que serviram as mesas, foi assassinado por causa de sua fé e depois uma terrível perseguição se desencadeou. Muitos crentes “foram dispersos pela terra da Judéia e Samaria.” Porém deles é dito “Os que haviam sido dispersos pregavam a palavra por onde quer que fossem.” (Atos 8:4).

Essa sentença me pega porque, embora a Igreja estivesse dispersa, ela não foi destruída. Pelo contrário, ela estava cumprindo sua missão.

A pandemia que tem abarcado o mundo tem forçado igrejas a fechar seus prédios, mas muitas igrejas continuam abertas, isto é, elas continuam vivas e ativas.

Alguns anos atrás nossa igreja transicionou de uma igreja de programa para uma igreja embasada em célula. Isso nos deu uma oportunidade para direcionar o ministério de nossa congregação para fora do templo e ao mesmo tempo, isso nos permitiu desenvolver líderes, que então estariam servindo os crentes que estariam também envolvidos no trabalho do ministério.

Essa mudança tem sido um dos fatores fundamentais que têm permitido nossa igreja continuar ativamente a desenvolver seu ministério mesmo do lado de fora do prédio. Porque nossas estruturas ministeriais foram designadas para funcionar do lado de fora do prédio, nossos irmãos têm sido ativamente envolvidos no cuidado uns dos outros e na tarefa do serviço e evangelismo através das células.

Usando a tecnologia, nossas células tem se mantido ativas. Na verdade, muitas delas têm aumentado o número e novos grupos têm emergido. As células têm permitido que os crentes estejam envolvidos na obra do Senhor de um modo mais participativo. Nós temos visto o nível de comprometimento aumentando profundamente entre os irmãos. Isso é visto não somente na suas participações em orações, cuidado, evangelismo e ajuda uns aos outros, mas também nos seus comprometimentos financeiros para com a obra. Nossa igreja, pela graça de Deus, não tem sofrido nenhum desastre financeiro durante esse tempo e nossas entradas de ofertas e dízimos permaneceram quase normal em relação ao tempo pré-pandemia.

É como se a estrutura de célula que nós transicionamos anos atrás fosse planejada para uma hora como essa. E em nossa experiência, embora a Igreja esteja “dispersa”, ela não está destruída. Muito pelo contrário, nossa igreja está viva e ativa em alcançar outros com a proclamação das boas novas e encorajando todos os crentes a permanecerem fortes no meio dessa difícil, dolorosa e perigosa situação. A Deus seja a glória!

Spanish blog:

La iglesia, las células y la pandemia

Por el Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org

Los Hechos de los Apóstoles, cuenta la vibrante historia del nacimiento y expansión de la Iglesia cristiana en Jerusalén. Durante esos años los creyentes desarrollaron un poderoso testimonio que llevó a muchas personas a conocer a Jesús como Salvador. El resumen de esta experiencia se encuentra en las palabras de Hechos 5, 42 “y todos los días en el templo y en casa no dejaban de enseñar y predicar a Jesucristo”.

Pero pronto se despertó la oposición. Estaban, uno de los siete que servían las mesas, fue asesinado por su fe y luego estalló una terrible persecución. Muchos creyentes “estaban esparcidos por las tierras de Judea y Samaria”. Pero de ellos se dice que “los que estaban esparcidos iban por todas partes proclamando el Evangelio” (Hch 8: 4).

Esta declaración me atrapa porque, aunque la Iglesia estaba dispersa, no fue destruida. Más bien, estaba cumpliendo su misión.

La pandemia que se ha apoderado del mundo ha obligado a las iglesias a cerrar sus edificios, pero muchas iglesias permanecen abiertas, es decir, siguen vivas y activas.

Hace algunos años, nuestra iglesia pasó de ser una iglesia de programas a una iglesia celular. Esto nos dio la oportunidad de dirigir el ministerio de nuestra congregación fuera del templo y, al mismo tiempo, nos permitió desarrollar líderes, quienes a su vez estarían sirviendo a los creyentes que también estarían involucrados en la obra del ministerio.

Este cambio ha sido uno de los factores fundamentales que ha permitido a nuestra Iglesia seguir desarrollando activamente su ministerio incluso fuera del edificio. Debido a que nuestras estructuras ministeriales están diseñadas para funcionar fuera del edificio, nuestros hermanos se han involucrado activamente en el cuidado mutuo y en la tarea de servicio y evangelización a través de las células.

Usando tecnología, nuestras células se han mantenido activas. De hecho, varios de ellos han aumentado en número y han surgido nuevos grupos. Las células han permitido que los creyentes se involucren en la obra del Señor de una manera más participativa. Hemos visto profundizar el nivel de compromiso entre los hermanos. Esto se ve no solo en su participación en la oración, el cuidado y la ayuda mutua y la evangelización, sino también en su compromiso financiero con el trabajo. Nuestra iglesia, por la gracia de Dios, no ha sufrido ningún desastre financiero durante este tiempo, y nuestros ingresos por ofrendas y diezmos siguen siendo casi normales en relación con los tiempos prepandémicos.

Es como si la estructura celular hacia la que nos movimos hace años estuviera pensada para una hora como esta. Y en nuestra experiencia, aunque la Iglesia está “dispersa”, no está destruida. Por el contrario, nuestra iglesia está viva y activa para alcanzar a otros con la proclamación de las buenas nuevas y animando a todos los creyentes a permanecer fuertes en medio de situaciones difíciles, dolorosas y peligrosas. ¡A Dios sea la gloria!

El Covid-19 and the Church’s Ministry

coach_freddynoble

By Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Our church meets in Manhattan, New York, the epicenter of the Covid-19 virus in the U.S. What do we do when even small group meetings like cells have been banned in New York City and New Jersey? That was the question we had to face very early in our church.

The answer was not long in coming. We had to make intensive use of social media to develop our ministry and share the gospel with others. And by God’s grace,  we have done this. Amid the growing number of infections, hospitalizations, and deaths, many people have feared the worst. This prompted me to send a voice message of about four to five minutes each day with a biblical reflection that seeks to encourage people. That message is being played hundreds of times each time it is sent.  Many non-believers are listening to those messages and expect them each day.

Our cell leaders are holding their virtual meetings every week. Prayer has intensified. In addition to our weekly (now virtual) prayer meeting, many cells are gathering to pray each day using social media. By God’s grace, evangelistic opportunities are also increasing. Most cells report a higher number of participants. Several of them are creating subgroups in which the members meet with two or three unconverted people.

One leader, for example, created a group made up entirely of non-believers who don’t attend any church. Another leader reports that she has a group with almost 20 people from her family with whom she shares the Word of God.

We are grateful that the cell leaders are on the lookout to help members who need more support—both spiritually and emotionally. Because of the “stay at home” orders due to Covid-19, many need financial help. Several free-will offerings have been sent to help unemployed brothers with food aid and in other cases expenses for funerals.

We are so grateful for our supervisors (coaches) who care for our cell leaders each week. As lead pastor, I meet weekly via Zoom with these supervisors, as well as the pastoral team.

The growth of our ministry is now extending to places like Europe and South America. God is guiding us along these unknown paths to new forms of ministry. We are asking God to help us implement our equipping and discipleship through digital platforms.

We have a strong conviction that Jesus rules overall and has called us to make disciples of all nations. Nothing can stop the advance of his true church, not even Covid-19.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Covid-19 e o ministério da Igreja

Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org

Nossa igreja se localiza em Manhattan, Nova Iorque, o atual epicentro da epidemia de Covid-19 nos Estados Unidos. O que fazer então, quando mesmo as reuniões de pequenos grupos como as células estão proibidas, tanto no estado de Nova Iorque como Nova Jersey? Essa foi a pergunta que tivemos que encarar como igreja, ainda bem no início da epidemia.

A resposta não tardou a chegar. Tivemos que fazer uso intensivo das mídias sociais para continuar desenvolvendo nosso ministério e compartilhar o evangelho com outras pessoas. E pela graça de Deus, penso que conseguimos. Muitas pessoas temeram pelo pior em meio ao aumento do número de infecções, hospitalizações e mortes. Esta situação me levou a preparar pequenas mensagens diárias de áudio, com quatro a cinco minutos de duração, com reflexões bíblicas para o encorajamento das pessoas. Estas mensagens têm sido ouvidas centenas de vezes a cada envio. Muitas pessoas que ainda não se converteram têm ouvido estas mensagens e esperam por elas diariamente.

Nossos líderes de células estão promovendo reuniões virtuais a cada semana. A oração se intensificou. Além da nossa reunião de oração semanal (agora virtual), muitas células têm se reunido para orar diariamente utilizando alternativas disponíveis através de mídias sociais. Graças a Deus, as oportunidades para evangelismo também estão aumentando. A maioria das células informam que observaram um número maior de participantes. Diversas destas células estão formando subgrupos nos quais os membros se reúnem virtualmente com duas ou três pessoas que ainda não se converteram.

Um dos líderes de célula, por exemplo, criou um grupo formado unicamente por pessoas ainda não convertidas que não se congregavam em nenhuma igreja. Outro líder informou que ela tem um outro grupo com quase 20 pessoas de sua família, com as quais ela compartilha a Palavra de Deus.

Nós estamos felizes e agradecidos pelo fato de que os líderes de células estão atentos para ajudar membros que precisam de mais apoio, tanto espiritualmente quando emocionalmente. Devido às restrições que obrigam o isolamento por conta da Covid-19, muitas destas pessoas têm necessitado de ajuda financeira. Diversas ofertas voluntárias têm sido levantadas para ajudar irmãos que estão desempregados e em alguns casos precisando de recursos para pagar despesas de funerais.

Também somos gratos aos nossos supervisores que cuidam dos líderes de células semanalmente. Em minhas atribuições de Pastor Titular, eu me reúno semanalmente tanto com estes supervisores quanto com a equipe pastoral.

O crescimento do nosso ministério tem nos permitido alcançar lugares como a Europa e a América do Sul. Deus tem nos guiado por estes caminhos desconhecidos em direção a novas formas de ministério. Temos pedido a Deus que nos ajude a implementar, equipar e discipular através das plataformas digitais.

Temos uma forte convicção de que Jesus é soberano, e nos chama a fazer discípulos de todas as nações. Nada pode deter o avanço da Sua verdadeira igreja, nem mesmo a Covid-19.

Spanish blog:

El Covid-19 Y El Mimisterio De La Iglesia

Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org

¿Qué hacemos ahora que aun las reuniones de grupos pequeños como las células han sido prohibidas en la ciudad de New york y en New Jersey? Esa fue la pregunta a la que tuvimos que enfrentarnos muy pronto en nuestra iglesia, situada en el epicentro mismo de la pandemia.

La respuesta no tardó en llegar. Debemos hacer uso intensivo de las redes sociales para desarrollar nuestro ministerio y compartir el evangelio con los demás. Y eso hemos hecho. En medio del creciente número de contagios, internamientos y muertes mucha gente ha temido lo peor. Eso me impulso a enviar cada día un mensaje de voz de unos cuatro a cinco minutos con una reflexión bíblica que busca dar aliento a la gente. Ese mensaje está siendo reproducido cientos de veces cada vez. Muchos, no creyentes está escuchándolos y lo esperan cada día

Además, nuestros líderes de células están celebrando sus reuniones virtuales cada semana. Se ha intensificado la oración, puesto que además de nuestra reunión semanal de oración (ahora virtual), muchas células están reuniéndose a orar cada día usando las redes sociales. Por otro lado, las oportunidades evangelísticas están aumentado. La mayoría de las células reportan un mayor número de participantes. Varias de ellas, están creando sub grupos en los que los miembros se reúnen con dos o tres personas inconversas

Hay una de nuestras lideres que ha creado un grupo compuesto totalmente con personas no creyentes que no asistían a ninguna iglesia y otra nos reporta que tiene un grupo con casi 20 personas de su familia con las cuales comparte la Palabra de Dios.

Además de esto, los líderes de las células están pendientes de los miembros que necesitan más apoyo, espiritual y emocional y están brindándoles ayuda. También, se está pendiente de los que necesitan ayuda financiera. Ya se han hecho varias colectas para asistir a hermanos desempleados con ayuda para alimentación y en otros casos gastos para funerales.

Por otro lado, las tareas de supervisión de nuestros lideres a cargo de otros líderes continúa haciéndose con una frecuencia semanal y yo como pastor me reúno cada semana via Zoom con todos los supervisores y el equipo pastoral.

El ministerio de la iglesia está alcanzando más personas ahora en esta área y fuera de aquí, extendiéndose a otros países de Sur America y Europa. Dios nos está guiando por estas sendas desconocidas a nuevas formas de ministerio.

En este momento estamos planificando como continuar implementando nuestra ruta de entrenamiento y discipulado por medio de las plataformas digitales mientras dure esta situación inédita para nuestra generación. Seguimos adelante con la convicción de que la Obra de Dios no la detendrá nada.

Leading the Church in Times of Pandemic

coach_freddynoble

By Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

When the first news came from China about this virus now plaguing the world, I thought it was less contagious and less lethal. Furthermore, I believed that the danger zone would remain in China and that it would not spread to other countries—just like past viruses who didn’t have much impact on the U.S.

But reality hit us head-on. The first case in New York City occurred in the Westchester County area, and the virus quickly spread throughout New York City, making it the center of the pandemic in the United States and one of the largest number of infections, hospitalizations, and deaths.

This reality affected us and suddenly we had to take measures to cancel our Sunday celebration. Personally, I felt very sad when I had to take this action on March 15. The strict measures taken by the governor of the state of New York, which have helped control the pandemic in this city, forced us to even ban face-to-face meetings–even our cell groups.

What could we do in a situation like this? Despite the fact that our Church has been affected by this pandemic with more than twenty sick brothers, two deceased, and around a dozen brothers who have suffered the death of one or more than their relatives, the Church has not stopped ministering to others.

We started using the Zoom platform for our celebrations, and according to the number of devices that connect with us the same Sunday, we are reaching a greater number of people than before. We have testimonies from sisters in our church who inform us that their husbands and children, previously reluctant to attend our Sunday celebration, are now listening to God’s Word with new appreciation. And unlike before, these people are listening to God’s Word in their own homes. We are even reaching people in Spain and Italy. One of our Church members has connected with her friends in Europe, and they are following our services. Another brother in the church is connecting through Facebook with more than 300 people who are receiving the Word of God.

When I receive these testimonies I remember the words of the prophet Isaiah when he says, “As the heavens are higher than the earth, so are my ways higher than your ways, and my thoughts than your thoughts” (Isaiah 55:10). I would never have imagined reaching so many people with the message of the Word of God—even with an empty temple and no face-to-face cells. God is not limited by space. But surely God has ways of working that we do not understand. He is more desirous than we are in spreading the Gospel message. And making disciples is the mission of the Church.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Liderando a Igreja em Tempos de Pandemia

Por Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Quando as primeiras notícias chegaram da China sobre esse vírus que ataca o mundo agora, eu pensei que era menos contagioso e menos letal. Além do mais, eu acreditava que a zona de perigo permaneceria na China e que o vírus não espalharia por outros países – assim como vírus passados não tiveram tanto impacto nos EUA.

Mas a realidade bateu forte. O primeiro caso na cidade de Nova Iorque ocorreu na área do Condado de Westchester, e o vírus rapidamente se espalhou pela cidade de Nova Iorque, fazendo-a o centro da pandemia nos Estados Unidos e um dos maiores números de infecções, hospitalizações e mortes.

Essa realidade afetou-nos e repentinamente nós tivemos que tomar medidas para cancelar nosso Domingo de celebração. Pessoalmente, eu me senti muito triste quando eu tive que tomar essa decisão em 15 de março.as medidas restritivas tomadas pelo governador de Nova Iorque, cujas quais em ajudado a controlar a pandemia na cidade, nos forçou a até mesmo banir os encontros face a face – até nossos grupos de células.

O que poderíamos fazer em tal situação? A despeito do fato de que nossa igreja tem sido afetada por essa pandemia com mais de vinte irmãos doentes, dois falecidos, e mais ou menos uma dúzia de irmãos que tem sofrido com a morte de um ou mais de seus parentes, a Igreja não parou de ministrar aos outros.

Nós começa,os a usar a plataforma Zoom para nossas celebrações, e de acordo com o número de aparelhos que conectaram conosco no mesmo domingo, nós estamos alcançando um número maior de pessoas do que antes. Nós temos testemunhos de irmãs em nossa igreja que nos informaram que seus maridos e filhos, anteriormente relutantes em ir ao Domingo de celebração, estão agora ouvindo a Palavra de Deus em suas próprias casas. Nós estamos até alcançando pessoas na Espanha e Itália. Uma de nossos membros da Igreja tem se conectado com seus amigos na Europa e eles estão acompanhado nossos cultos. Outro irmão na igreja está conectando através do Facebook com mais de 300 pessoas que estão recebendo a Palavra de Deus.

Quando eu recebo esses testemunhos, eu me lembro das palavras do profeta Isaías quando ele diz: “Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos e os meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos.” (Isaías 55.9). Eu nunca teria imaginado  alcançar tantas pessoas com a mensagem da Palavra de Deus – mesmo com um templo vazio e sem encontro face a face das células. Deus não está limitado pelo espaço. Porém certamente Deus tem meios de trabalhar que nós não entendemos. Ele está mais desejoso do que nós em espalhar a mensagem do Evangelho.

E fazer discípulos é a missão da Igreja.

Spanish blog:

Lidereando La Iglesia En Tiempos De Pandemia

Por Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Cuando las primeras noticias llegaron desde China acerca de este virus en la actualidad azota el mundo, pensé que se trataba de algo menos contagioso y letal. Además, creí que la zona de peligro se mantendría en China y que no trascendería a otros países, como ha ocurrido con otros de los virus de la misma familia en el pasado.

Pero la realidad nos golpeó de frente. El primer caso en la ciudad de Nueva York se produjo en la zona de Westchester County y rápidamente el virus se extendió por la ciudad de New York convirtiendo a esta en el centro de la pandemia en los Estados Unidos y en uno de los lugares de mayor número de contagios, internamientos, y muertes.

Esta realidad nos afectó y de pronto tuvimos que tomar medidas de cancelar nuestra celebración dominical. Personalmente me sentí muy triste cuando tuve que tomar esta medida a partir del 15 de marzo. Las estrictas medidas tomadas por el gobernador del estado de Nueva York, que han contribuido a controlar la pandemia en esta ciudad, nos obligaron incluso a prohibir las reuniones presenciales aún de nuestras células.

¿Qué podíamos hacer en una situación como esta? A pesar de que nuestra Iglesia ha sido afectada por esta pandemia, con el saldo de, a la fecha, más de una veintena de hermanos enfermos, dos fallecidos, y alrededor de una decena de hermanos que han padecido la muerte de uno o más de sus familiares, la Iglesia no se ha detenido ni ha dejado de ministrar.

Empezamos a utilizar la plataforma de  Zoom para nuestras celebraciones, y de acuerdo con el número de dispositivos que se conectan con nosotros el mismo domingo, estamos alcanzando un mayor número de personas que antes de nuestras reuniones presenciales. Tenemos testimonios de hermanas de nuestra iglesia que nos informan de que sus esposos e hijos, antes renuentes a asistir a nuestra celebración dominical, se sientan todos en familia para escuchar la Palabra de Dios. Y eso ocurre en muchos de los hogares de nuestros miembros. Estamos alcanzando incluso a personas fuera de la ciudad, del país y el continente, pues ahora nos sintonizan desde España o Italia. Una de nuestras miembros de la Iglesia se ha conectado con sus amigos en Europa y estos están siguiendo nuestros servicios y otro de nuestros hermanos se conecta a través de Facebook con más de 300 personas que están recibiendo la Palabra de Dios

Cuando recibo estos testimonios me acuerdo de las palabras del profeta Isaías cuando dice, “como son más altos los cielos que la tierra así son mis caminos más altos que vuestros caminos, y mis pensamientos más que vuestros pensamientos “. (Isaías 55:10). Nunca me hubiera imaginado alcanzar a tanta gente con el mensaje de la Palabra de Dios, con un templo vacío y sin células presenciales. El no está limitado al espacio. Pero sin duda Dios tiene maneras de obrar que nosotros no entendemos, pero que a la postre resultan en la extensión y propagación del mensaje del Evangelio. Y esa es la misión de la Iglesia.

The Cell-Based Church, part 2

coach_freddynoble

By Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

There are other basic elements when it comes to thinking about a cell-based church. One is that all members are expected to participate in a cell. This is one of the membership requirements of our church. In fact, every time someone makes a profession of public faith in the Sunday service, we try to connect that person with a cell. We do the same thing when someone comes from another church asking to become a member of our own church.

Our membership course, as part of the training path, includes a clear concept about cells and an affirmation and call for each future member to be part of one. Each week in the Sunday service we remind people present that there is a cell near their house so that everyone has the possibility to attend.

To facilitate this possibility we have chosen to hold the cell meetings on different days of the week and at different times. In a city like New York, where our church operates, I soon realized that it was not practical to designate a common day for cell meetings, since there are people who work at different times and have different days off.  We have some that meet in the morning, others in the afternoon. Most do it at night.

It’s also important to ask everyone who participates in a ministry to also actively participate in a cell group. In our church this is the norm. Any person who serves in another ministry, such as worship, teaching, sound system, etc. must be part of a cell. That sends the message to the whole church that cell ministry is not something optional, but mandatory for every member and official of the church. In this, as in all aspects of the cell church, firmness and oversight is required to ensure that this important standard is met. Again, I’m speaking from experience.

One last thing, in a cell-based church, the pastor must maintain leadership of the vision and direction of the ministry. This is essential. Delegating it to another person will lead to failure.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Igreja Baseada em Células, parte 2

Pelo Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org

Existem outros elementos básicos quando pensamos em uma igreja baseada em células. Um deles é que todos os membros devem participar de uma célula. Este é um dos requisitos de adesão da nossa igreja. Na verdade, toda vez que alguém faz uma profissão de fé pública no culto dominical, tentamos conectar essa pessoa a uma célula. Fazemos o mesmo quando alguém vem de outra igreja pedindo para se tornar membro de nossa própria igreja.

Nosso curso de filiação, como parte do trilho de treinamento, inclui um conceito claro sobre as células e uma afirmação e pede que cada futuro membro faça parte de uma. Todas as semanas, no culto de domingo, lembramos às pessoas que há uma célula perto de sua casa para que todos tenham a possibilidade de comparecer.

Para facilitar essa possibilidade, escolhemos realizar as reuniões em diferentes dias da semana e em momentos diferentes. Em uma cidade como Nova York, onde a nossa igreja opera, logo percebi que não era prático designar um dia comum para todas as reuniões, já que há pessoas que trabalham em horários diferentes e têm dias de folga diferentes. Temos algumas células que se encontram pela manhã, outras pela tarde. A maior parte durante a noite.

Também é importante pedir a todos que participam de um ministério que também participem ativamente de uma célula. Na nossa igreja esta é a norma. Qualquer pessoa que serve em outro ministério como adoração, ensino, sistema de som, etc., deve fazer parte de uma célula. Isso envia a mensagem para toda a igreja de que o ministério celular não é algo opcional, mas obrigatório para todos os membros e oficiais da igreja. Nessa parte, como em todos os aspectos da igreja celular, a firmeza e a supervisão são necessárias para garantir que esse importante padrão seja cumprido. Mais uma vez, estou falando por experiência própria.

Uma última coisa, em uma igreja baseada em células, o pastor deve manter a liderança da visão e direção do ministério. Isso é essencial. Delegar essa tarefa a outra pessoa levará ao fracasso.

Spanish blog:

por Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Hay otros elementos básicos a la hora de pensar en una iglesia basada en células. Uno de ellos es que se espera que todos los miembros participen en una célula. Este es uno de los requisitos de membrecía de nuestra iglesia. En realidad, cada vez que alguien hace una profesión de fe pública en el culto dominical, procuramos conectarlo con una célula, lo mismo que cuando alguien viene de otra iglesia solicitando hacerse miembro de la nuestra.

Nuestro curso de membrecía, como parte de la senda de entrenamiento, incluye un concepto claro sobre las células y una afirmación y llamado para que cada futuro miembro forme parte de una. Cada semana en el culto dominical le recordamos a las personas presentes que hay una célula cerca de su casa de manera que cada uno tenga la posibilidad se asistir.

 Para facilitar esta posibilidad hemos optado por realizar las reuniones de las células en diferentes días de la semana y en distintos horarios. En una ciudad como New York, donde opera nuestra iglesia, pronto me di cuenta de que no era practico designar un día común para las reuniones de las células, puesto que hay gente que trabaja en distintos horarios y tiene diferentes días libres.

 Aunque habíamos empezado señalando el jueves en la noche para nuestra reunión pronto tuvimos que hacer el ajuste. Ahora nuestras células se reúnen en diferentes días de la semana excepto, (hasta ahora) el domingo y en distintos horarios. Tenemos unas que se reúnen en la mañana, otras en la tarde. La mayoría lo hace en la noche.

Por otro lado, una iglesia orientada por las células debe demandar de cada persona que participa en algún otro ministerio de la iglesia, que forme parte de una célula, de su equipo y si es posible, se constituya en líder de la misma. En nuestra iglesia esta es la norma. Toda persona que sirve en otro ministerio, como adoración, enseñanza, sonido, etc. debe formar parte de una célula. Eso envía el mensaje a toda la iglesia de que no se trata de algo opcional, sino mandatorio para todo miembro y oficial de la iglesia. En esto, como en todos los aspectos de la iglesia celular, se requiere firmeza y supervisión para asegurar que esta importante norma se cumpla. Esa es nuestra experiencia.

Una última cosa, en una iglesia orientada por las células, el pastor debe mantener el liderazgo de la visión y la dirección del ministerio. Eso es esencial. Delegarlo en otra persona, conducirá al fracaso.

The Cell-based Church, part 1

coach_freddynoble

By Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Whenever I speak to a group of leaders and pastors interested in the cell vision, I always emphasize that the cell vision isn’t a passing fad or a momentary experience. Rather, it’s a way of being of the church, and even more, the biblical way of being of the church.

Leaders must see the cells, not as an alternative ministry, but as the backbone of the church. That means, that the pastor and the leaders must make all the necessary effort to reduce or eliminate everything that competes with cell ministry. I’m referring to programs, time, budget, and staff.

When a traditional church is making the transition to cell-based ministry, it will require a strong dose of reeducation from the leaders of the congregation and a great discipline to refuse to do the things that have always been done. It will also mean reducing programs that keep people busy.

I’m speaking from experience. When we started to make the transition to the cell model, we found that people wanted to keep the same programs as always and carry out the same activities they had always done. So we had to give them a new vision and reaffirm the concept that the ministry and the life of the church is carried out through the cells.

Through cell ministry, we’ve seen our members build up one another, teach and care for each other, and come together to share the gospel with others. Cells, not programs or internal organizations, constitute the life of the church. For us, this has made a big difference.

I’ve heard testimonials from brothers who say “this is the family I’ve been looking for” or “I always look forward to meeting with my brothers on Thursday.” Sometimes members can’t make it to the Sunday celebration but the cells supply their needs.

Yes, it’s a great challenge to keep the church aligned in the right direction. There is always the risk that the church will return “to the old path.” So it is necessary that we are continuously vigilant to maintain the course and keep promoting the cell vision.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A igreja baseada em células, parte 1

Pelo Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org

Sempre que falo com um grupo de líderes e pastores interessados na visão celular, enfatizo que a visão celular não é uma moda passageira ou uma experiência momentânea. Pelo contrário, é um modo de ser da igreja e, ainda mais, o modo bíblico de ser da igreja.

Os líderes devem ver as células não como um ministério alternativo, mas como a espinha dorsal da igreja. Isso significa que o pastor e os líderes devem fazer todo o esforço necessário para reduzir ou eliminar tudo o que compete com o ministério celular. Estou me referindo a programas, tempo, orçamento e equipe.

Quando uma igreja tradicional está fazendo a transição para o ministério baseado em células, será necessária uma forte dose de reeducação dos líderes da congregação e uma grande disciplina para se recusar a fazer as coisas que sempre foram feitas. Isso também significa reduzir programas que mantêm as pessoas ocupadas.

Eu falo por experiência. Quando começamos a fazer a transição para o modelo celular, descobrimos que as pessoas queriam manter os mesmos programas de sempre e realizar as mesmas atividades que sempre haviam feito. Então tivemos que lhes dar uma nova visão e reafirmar o conceito de que o ministério e a vida da igreja são realizados através das células.

Através do ministério em células, vimos nossos membros se edificarem uns aos outros, ensinar e cuidar uns dos outros e se unirem para compartilhar o Evangelho com outras pessoas. As células, e não programas ou organizações internas, constituem a vida da igreja. Para nós, isso fez uma grande diferença.

Eu ouvi depoimentos de irmãos que dizem “esta é a família que eu tenho procurado” ou “eu sempre fico ansioso para me encontrar com meus irmãos na quinta-feira”. Às vezes, os membros não conseguem comparecer ao culto de celebração de domingo, mas as células suprem suas necessidades.

Sim, é um grande desafio manter a igreja alinhada na direção certa. Há sempre o risco de a igreja retornar “ao caminho antigo”. Por isso, é necessário que permaneçamos sempre vigilantes para manter o curso e continuar promovendo a visão celular.

Spanish blog:

La Iglesia Orientada Por Las Celulas (I)

Por Dr. Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Una de las cosas que enfatizo, cuando hablo ante un grupo de lideres y pastores interesados en la visión de las células, es que esta no es una moda pasajera, ni un experimento momentáneo, como para ver si a la postre resulta, sino la manera de ser de la iglesia, y aun más, la manera bíblica de ser de la iglesia.

Por lo tanto, eso implicara que confluyan varios elementos importantes que son básicos para que el ministerio funcione.

Primero, es necesario que los lideres y la iglesia conciban las células, no como un ministerio alternativo, sino como el ministerio de la iglesia. Eso quiere decir, que el pastor y los lideres deben hacer todo el esfuerzo necesario para reducir o eliminar todo aquello que pueda competir en personal, tiempo y presupuesto, con el trabajo de las células.

Cuando una iglesia tradicional está haciendo la transición hacia la iglesia orientada por las células, esto resultara vital y a la vez trabajoso.  Va a requerir una fuerte dosis de reeducación de parte de los lideres a la congregación, una gran disciplina para negarse a hacer las cosas que siempre se han hecho y los programas que mantiene ocupada a la gente.

Esa ha sido nuestra experiencia. Cuando empezamos a hacer la transición hacia el modelo celular, nos encontramos con que la gente quería mantener los mismos programas de siempre y llevar a cabo las mismas actividades que siempre habían realizado. Así que tuvimos que reprogramar el trabajo y reafirmarnos en el concepto de que el ministerio y la vida de la iglesia se realiza a través de las células.

Es mediante la experiencia de los grupos que se reúnen fuera del templo cada semana como los hermanos se edifican unos a otros, se enseñan y cuidan mutuamente y se unen para compartir con otros el evangelio. Las células, no los programas o las organizaciones internas, constituyen la vida de la iglesia. Para nosotros esto ha significado una gran diferencia.

He escuchado vez tras vez testimonios de hermanos que dicen “esta es la familia que he estado buscando” o “siempre espero el jueves con ansias para reunirme en las células con mis hermanos” o aun personas que trabajan el día domingo y no pueden asistir a la celebración dominical que dicen, sin embargo, “las células han suplido mi necesidad”.

Por supuesto para nosotros sigue siendo un gran desafío mantenernos alineados en la dirección correcta. Siempre existe el riesgo de que las iglesias regresen “a la senda antigua” y no precisamente para bien. Así que es preciso que continuamente estemos vigilantes para mantener el rumbo y continuar por el camino, que estamos convencidos, nos ha trazado el Señor. Porque después de todo este “vino nuevo”, hay que echarlo en “odres nuevos”.