“Buy Some Spurs” (Part One)

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

One of the most effective and respected pastors that I know once stated, “Everybody on the planet is starving for three things.

Everybody is starving for understanding, everybody is starving for encouragement, and everybody is starving for affection.  When you give those three things to a little child or a senior citizen or anybody in between, you are fulfilling the mission of God.  You are blessing other people.  You are blessing them the way Jesus would bless people.  You give them a look, a word and a touch.”

Let’s concentrate briefly on encouragement.  The scriptures state, “Encourage one another” OR “Spur one another on.”  Encouragement means to inspire courage, spirit, and confidence.  The consistent practice of encouraging others is desperately needed in your church family.  I trust that encouragement is a strong fiber in the DNA of the church where you serve.

We know that God is the “lifter of our head.”  He will use you to see that discouraged, lonely and fearful cell leader experience a “lifted head.”  Take the opportunity to encourage.  You will be putting healthy deposits into your leaders’ hearts that they will not soon forget.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do Google. Assim que o blog normal for recebido, ele será postado no site da JCG:

“Compre algumas esporas” (primeira parte)

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Um dos pastores mais eficazes e respeitados que conheço disse certa vez: “Todos os habitantes do planeta estão famintos por três coisas.
Todo mundo está faminto por entender, todo mundo está faminto por encorajamento, e todo mundo está morrendo de fome. Quando você dá essas três coisas para uma criança pequena ou uma pessoa mais velha ou qualquer outra pessoa, você está cumprindo a missão de Deus. Você está abençoando outras pessoas. Você está abençoando-os da maneira como Jesus abençoaria as pessoas. Você lhes dá uma olhada, uma palavra e um toque “.

Vamos nos concentrar brevemente no estímulo. As Escrituras dizem: “Incentive um ao outro” ou “Encoraje um ao outro”. Foster significa inspirar coragem, espírito e confiança. A prática consistente de encorajar os outros é desesperadamente necessária na família de sua igreja. Eu confio que a respiração é uma fibra forte no DNA da igreja onde ela serve.

Sabemos que Deus é o “levantador da nossa cabeça”. Ele vai usá-lo para ver que o líder desanimado, solitário e medroso experimenta um “head-up”. Aproveite a oportunidade para incentivar. Você colocará depósitos saudáveis ​​nos corações de seus líderes que logo não esquecerão.

Spanish blog:

“Compra algunos incentivos” (primera parte)

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Uno de los pastores más efectivos y respetados que conozco una vez dijo: “Todos los habitantes del planeta están hambrientos de tres cosas.

Todos tienen hambre de comprensión, hambre de estímulo, y todos tienen hambre de aprecio. Cuando le das esas tres cosas a un niño pequeño o una persona mayor o cualquier otra persona, estás cumpliendo la misión de Dios. Estás bendiciendo a otras personas. Los estás bendiciendo de la manera en que Jesús bendeciría a la gente. Les das una mirada, una palabra y un toque “.

Concentrémonos brevemente en el estímulo. Las Escrituras dicen: “Anímense unos a otros” O “Motivense unos a otros”. Fomentar significa inspirar valor, espíritu y confianza. La práctica consistente de alentar a otros es desesperadamente necesaria en la familia de su iglesia. Confío en que el aliento es una fibra fuerte en el ADN de la iglesia donde sirves.

Sabemos que Dios es el “que levanta nuestra cabeza”. Él te usará para ver que el líder celular desanimado, solitario y temeroso pueda “levantar su cabeza”. Aprovecha la oportunidad para alentar. Pondrás depósitos saludables en los corazones de tus líderes que no olvidarán pronto.

Why Plant Churches?

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesus says to go and make disciples of all the nations. One way to fulfill Jesus’ command is through establishing local churches, as shown in the New Testament.

Peter Wagner, missiologist, former church planter, and author of books on the subject says, “The simple, most effective evangelistic method under heaven is planting churches.” Founder and International Director of Gospel for Asia, K. P. Yohanan, says, “In the New Testament, while the saving of individuals is significant, it is so because such evangelism is a necessary part of planting churches. You cannot plant churches without evangelizing, but you can evangelize without bringing new congregations into being. I am not implying that para-church organizations are necessarily misguided. But I am saying that they should not see their ministries as an end in themselves, but as valuable only to the extent to which they help strengthen existing churches and to plant new ones.”

Considering our desire to plant churches in unreached areas of the world, K. P. Yohanan says, “What is missionary work all about? …To do good, to preach the Gospel, to save souls, to heal the sick, to baptize bodies are all good and true answers but fall short of what stands out a mile in the NT account in Acts. What did the first apostolic missionaries like Paul, Barnabas, Silas, and Timothy do? Certainly, they did preach and teach, heal and serve — but why? For what purpose? Not just to save individual souls. Acts is absolutely clear. They planted churches.”

If God is leading you to plant a church, then be deliberate.  One church health consultant writes, “In church planting, passion is overrated, and preparedness underrated.”  Find a healthy mentor.  Research church planting trends in your geographical area.  Study the demographics.  Don’t go it alone.  Develop a healthy team.  Pray.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Por que Plantar Igrejas?

 Por Rob Campbellm www.cypresscreekchurch.com

Jesus nos diz para irmos e fazermos discípulos de todas as nações. Uma maneira de cumprir o mandamento de Jesus é através do estabelecimento de igrejas locais, conforme mostrado no Novo Testamento.

Peter Wagner, missiologista, ex-plantador de igrejas e autor de livros sobre o assunto, diz: “O método evangelístico mais simples e eficaz sob o céu é plantar igrejas”. O fundador e diretor internacional do Gospel for Asia, KP Yohanan, diz: “No Novo Testamento, enquanto a salvação dos indivíduos é significativa, isso só é assim porque esse evangelismo é uma parte necessária do plantio de igrejas. Você não pode plantar igrejas sem evangelizar, mas você pode evangelizar sem trazer novas congregações à existência. Não estou insinuando que as organizações para-eclesiásticas sejam necessariamente mal orientadas. Mas estou dizendo que eles não devem ver seus ministérios como um fim em si mesmos, mas tão valiosos apenas na medida em que ajudam a fortalecer as igrejas existentes e a plantar novas igrejas”.

Considerando nosso desejo de plantar igrejas em áreas não-alcançadas do mundo, K. P. Yohanan diz: “O que é o trabalho missionário? … Fazer o bem, pregar o Evangelho, salvar almas, curar doentes, batizar corpos são respostas boas e verdadeiras, mas ficam aquém do que se destaca no relato do NT em Atos. O que os primeiros missionários apostólicos como Paulo, Barnabé, Silas e Timóteo fizeram? Certamente, eles pregaram e ensinaram, curaram e serviram – mas por quê? Para qual propósito? Não apenas para salvar almas individuais. Atos é absolutamente claro. Eles plantaram igrejas”.

Se Deus está te levando a plantar uma igreja, então seja deliberado. Um consultor de saúde da igreja escreve: “Na plantação de igrejas, a paixão é superestimada e a preparação subestimada.” Encontre um mentor saudável. Pesquise tendências de plantação de igrejas em sua área geográfica. Estude a demografia. Não vá sozinho. Desenvolva uma equipe saudável. Ore.

Spanish blog:

¿Por qué plantar iglesias?

Por Rob Campbellm www.cypresscreekchurch.com

Jesús dice que vayan y hagan discípulos de todas las naciones. Una forma de cumplir el mandato de Jesús es estableciendo iglesias locales, como se muestra en el Nuevo Testamento.

Peter Wagner, misiólogo, antiguo sembrador de iglesias y autor de libros sobre el tema dice: “El método de evangelización más simple y eficaz bajo el cielo es plantar iglesias”. Fundador y Director Internacional del Evangelio para Asia, KP Yohanan, dice: “En el El Nuevo Testamento, si bien la salvación de individuos es importante, lo es porque tal evangelismo es una parte necesaria para plantar iglesias. No puedes plantar iglesias sin evangelizar, pero puedes evangelizar sin crear nuevas congregaciones. No estoy insinuando que las organizaciones parroquiales estén necesariamente equivocadas. Pero estoy diciendo que no deberían ver sus ministerios como un fin en sí mismos, sino como valiosos solo en la medida en que ayudan a fortalecer las iglesias existentes y a plantar nuevas “.

Considerando nuestro deseo de plantar iglesias en áreas no alcanzadas del mundo, K. P. Yohanan dice: “¿De qué se trata el trabajo misionero? … Hacer el bien, predicar el Evangelio, salvar almas, sanar a los enfermos, bautizar cuerpos son todas respuestas buenas y verdaderas, pero no alcanzan lo que se destaca mucho en el relato del NT en Hechos. ¿Qué hicieron los primeros misioneros apostólicos como Pablo, Bernabé, Silas y Timoteo? Ciertamente, ellos predicaron y enseñaron, sanaron y sirvieron, pero ¿por qué? ¿Con qué propósito? No solo para salvar almas individuales. Hechos es absolutamente claros. Ellos plantaron iglesias.

Si Dios te está guiando a plantar una iglesia, entonces sé deliberado. Un consultor de salud de la iglesia escribe: “En la plantación de iglesias, la pasión está sobrevalorada y la preparación subestimada”. Encuentra un mentor saludable. Investiga las tendencias de plantación de iglesias en tu área geográfica, estudia la demografía, no lo hagas solo, desarrollar un equipo sano. Ora.

Dumping or Delegating

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

There’s a great difference between dumping and delegating. Dr. Roger Fritz wrote, “Dumping is indiscriminate. It’s done for expedience, taking no account of the strengths and weaknesses of the person who is supposed to do the work. In its worst form, it’s a matter of the manager dumping whatever he or she doesn’t personally want to do. It’s demeaning and perpetuates unhealthy workplace hierarchies.”

An excellent cell leader/pastor knows how to delegate. It’s an important attribute to develop and employ. However, many individuals struggle with delegation. Here’s why you may choose not to delegate.

You may enjoy the task too much and can’t imagine “allowing” anyone else to do it. Or, you may have had a bad experience in your past with delegation. Maybe you believe that you are hard pressed to find quality people. Some who have difficulty delegating want to maintain total control. There is a myriad of other explanations, aren’t there?

You won’t be surprised to hear me say that delegation is a healthy practice when done appropriately. Here are some questions to ponder.

WHAT needs to be done? WHY does it need to be done? WHEN does it need to be done? WHO is the best person to do it? WHAT equipping needs to take place?

If you want to be a great delegator, then know yourself and your cell/team members. Clearly define priorities and tasks. Provide equipping and resources. Hold people accountable for their actions. Recognize their efforts and extend your gratitude to them consistently.

Andrew Carnegie (1835-1919) is known for having built one of the most powerful and influential corporations in United States history. Later in his life, he gave away most of his riches to fund many libraries, schools and universities in America, Scotland and other countries throughout the world. “Carnegie” is a well-known name worldwide.

What follows is the epitaph on Carnegie’s tombstone: “Here lies a man who knew how to enlist in his service better men than himself.”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Despejar ou Delegar

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Há uma grande diferença entre despejar e delegar. Dr. Roger Fritz escreveu: “Despejar é indiscriminado. É feito por conveniência, sem levar em conta os pontos fortes e fracos da pessoa que deve fazer o trabalho. Em sua pior forma, é uma questão de o gerente despejar o que ele ou ela não quer fazer pessoalmente. É degradante e perpetua hierarquias insalubres no local de trabalho”.

Um excelente líder de célula/pastor sabe delegar. É um atributo importante para desenvolver e empregar. No entanto, muitos indivíduos lutam contra a delegação. Por isso, você pode optar por não delegar.

Você pode gostar muito da tarefa e pode não imaginar “permitir” que outra pessoa faça isso. Ou você pode ter tido uma experiência ruim no passado com a delegação. Talvez você acredite que é difícil encontrar pessoas de qualidade. Algumas pessoas que têm dificuldade em delegar querem manter o controle total. Existe uma infinidade de outras explicações, não existe?

Você não ficará surpreso em me ouvir dizer que a delegação é uma prática saudável quando feita de maneira apropriada. Aqui estão algumas perguntas para refletir.

O QUE precisa ser feito? POR QUE isso precisa ser feito? QUANDO precisa ser feito? QUEM é a melhor pessoa para fazer isso? QUAL equipamento é necessário?

Se você quer ser um grande delegador, conheça a si mesmo e aos membros da sua célula/equipe. Defina claramente prioridades e tarefas. Forneça equipamentos e recursos. Responsabilize as pessoas por suas ações. Reconheça seus esforços e amplie sua gratidão a eles de maneira consistente.

Andrew Carnegie (1835-1919) é conhecido por ter construído uma das corporações mais poderosas e influentes da história dos Estados Unidos. Mais tarde em sua vida, ele doou a maior parte de suas riquezas para financiar muitas bibliotecas, escolas e universidades na América, Escócia e outros países em todo o mundo. “Carnegie” é um nome bem conhecido em todo o mundo.

O que temos a seguir é o epitáfio na lápide de Carnegie: “Aqui jaz um homem que soube alistar em seu serviço homens melhores que ele mesmo”.

Spanish blog:

Dejar de hacer o Delegar

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Hay una gran diferencia entre el dejar de hacer algo y delegar. El Dr. Roger Fritz escribió: “El dejar de hacer algo es indiscriminado. Se hace por conveniencia, sin tener en cuenta las fortalezas y debilidades de la persona que debe hacer el trabajo. En su peor forma, se trata de que el gerente descargue lo que él o ella no quiera hacer personalmente. Es degradante y perpetúa jerarquías de trabajo poco saludables “.

Un excelente líder / pastor de células sabe cómo delegar. Es un atributo importante para desarrollar y emplear. Sin embargo, muchos individuos luchan con la delegación. He aquí por qué puedes elegir no delegar.

Puedes disfrutar demasiado la tarea y no puedes imaginar “permitir” que otra persona lo haga. O bien, puede que haya tenido una mala experiencia en su pasado con la delegación. Tal vez creas que te cuesta mucho encontrar personas de calidad. Algunos de los que tienen dificultades para delegar quieren mantener el control total. Hay una gran cantidad de otras explicaciones, ¿no?

No te sorprenderá al escucharme decir que la delegación es una práctica saludable cuando se hace de manera apropiada. Aquí hay algunas preguntas para reflexionar.

¿Que se necesita hacer? ¿POR QUÉ hay que hacerlo? ¿CUÁNDO tiene que hacerse? ¿Quién es la mejor persona para hacerlo? ¿Qué equipamientos hay que llevar a cabo?

Si deseas ser un gran delegador, conózcete a ti mismo y a los miembros de tu célula / equipo. Define claramente prioridades y tareas; proporciona equipamiento y recursos; responsabiliza a las personas por sus acciones; reconoce sus esfuerzos y extiende tu gratitud a ellos constantemente.

Andrew Carnegie (1835-1919) es conocido por haber construido una de las corporaciones más poderosas e influyentes en la historia de los Estados Unidos. Más adelante en su vida, donó la mayor parte de sus riquezas para financiar muchas bibliotecas, escuelas y universidades en Estados Unidos, Escocia y otros países de todo el mundo. “Carnegie” es un nombre muy conocido en todo el mundo.

Lo que sigue es el epitafio en la lápida de Carnegie: “Aquí yace un hombre que supo enlistar en su servicio a hombres mejores que él”.

Soul Care and Sabbath Rest

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey wrote: “Statistics say that the leader’s spiritual life is the most important in both pastoring a cell group and making disciples who make disciples that result in multiplication.”

One way to maintain spiritual health and avoid burnout is by honoring the Sabbath (“cease to exist, to stop, to bring things to a halt, a DAY OF REST”).  The command to observe the Sabbath is one of the Big Ten, isn’t it?

Here are some things to consider regarding the Sabbath:

Sabbath is a matter of rest, not ritual.

“Work six days only, but the seventh day must be a day of total rest.”  Exodus 31:15a

“He leads me beside quiet waters, he restores my soul.”  Psalm 23:2

“Come with me by yourselves to a quiet place and get some rest.”  Mark 6:31

“It’s useless to rise up early and go to bed late and work your worried fingers to the bone.  Don’t you know He enjoys giving rest to those he loves?”Psalm 127:2

One’s principle behind the Sabbath will determine the priority of the Sabbath (Mark 2:23-28).

The Sabbath is a matter of good, not greed (Matthew 12:9-12).

The Sabbath is a matter of Lordship over legalism.

“For the Son of Man is Lord of the Sabbath.”  Matthew 12:8

Now, consider the following three questions.  First, what day each week is your Sabbath?  How do you refresh your spirit?  What do you need to change in your schedule?

Before you move on to something else right now, please read Isaiah 58:12-14.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Cuidando da Alma e Descanso Sabático

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey escreveu: “As estatísticas dizem que a vida espiritual do líder é o mais importante, tanto em pastorear um célula quanto em fazer discípulos que fazem discípulos que resultam em multiplicação”.

Uma forma de manter a saúde espiritual e evitar o esgotamento é honrando o sábado (“deixar de existir, parar, parar as coisas, um dia de descanso”). A ordem para observar o Sábado é uma das Dez Grandes, não é?

Aqui estão algumas coisas a considerar sobre o sábado:

O sábado é uma questão de descanso, não de um ritual.

“Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso” (Êxodo 31:15a)

“Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranquilas” (Salmos 23:2)

“Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco” (Marcos 6:31)

“Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ama” (Salmos 127:2)

O princípio por trás do sábado determinará a prioridade do sábado (Marcos 2:23-28).

O sábado é uma questão de bem, não de ganância (Mateus 12:9-12).

O sábado é uma questão de Senhorio sobre legalismo.

“Pois o Filho do homem é Senhor do sábado” (Mateus 12:8)

Agora, considere as três perguntas a seguir. Primeiro, que dia da semana é o seu sábado? Como você renova seu espírito? O que você precisa mudar na sua agenda?

Antes de fazer outra coisa agora, por favor, leia Isaías 58:12-14.

Spanish blog:

Cuidado del alma y descanso sabático

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey escribió: “Las estadísticas dicen que la vida espiritual del líder es lo más importante tanto para pastorear un grupo celular como para hacer discípulos que hacen discípulos que resultan en la multiplicación”.

Una forma de mantener la salud espiritual y evitar el agotamiento es honrar el sábado (“dejar de existir, detener, detener las cosas, un DÍA DE DESCANSO”). El mandato de guardar el sábado es uno de los Diez Mandamientos, ¿no es así?

Aquí hay algunas cosas a considerar con respecto al sábado:

El sábado es una cuestión de descanso, no de ritual.

“Seis días se trabajará, mas el día séptimo es día de reposo[a] consagrado a Jehová; cualquiera que trabaje en el día de reposo, ciertamente morirá.” Éxodo 31: 15a

“Junto a aguas de reposo me pastoreará” Salmo 23: 2

“El les dijo: Venid vosotros aparte a un lugar desierto, y descansad un poco”. Marcos 6:31

“Por demás es que os levantéis de madrugada, y vayáis tarde a reposar, Y que comáis pan de dolores; Pues que a su amado dará Dios el sueño.” Salmo 127: 2

El principio de uno detrás del sábado determinará la prioridad del sábado. (Marcos 2: 23-28)

“Porque el Hijo del Hombre es Señor del día de reposo.

El sábado es una cuestión de bien, no de codicia” Mateo 12: 9-12

El sábado es una cuestión de señorío sobre el legalismo.

“Porque el Hijo del Hombre es Señor del sábado”. Mateo 12: 8

Ahora, considera las siguientes tres preguntas. Primero, ¿qué día de cada semana es tu sábado? ¿Cómo refrescas tu espíritu? ¿Qué necesitas cambiar en tu agenda?

Antes de pasar a otra cosa en este momento, lea Isaías 58: 12-14.

The Four Stages of Team Development

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Author Rick Love formulated these ideas on team development.  I thought they might be helpful to this blog community.  I believe the four stages can apply to a team and a cell.

Here’s a synopsis of Rick’s ideas.  There are four stages most teams go through before they are productive: forming, storming, norming and performing. These four stages describe what happens in team relationships. While we call these stages, there is another sense in which these dynamics are cyclical. That is, teams go through ever-deepening levels of storming, norming, and performing. It is also true that individuals on the team may be storming with one teammate and performing with another. Thus, these stages merely give a rough outline of the growth dynamics of any team.

Forming

The beginning stage of team life. Expectations are unclear. Members test the water. Interactions are superficial. This is the honeymoon stage.

Storming

This stage is characterized by conflict and resistance to the group’s task and structure. The team is struggling through its differences.  There are healthy and unhealthy types of storming. The goal is to work through the healthy types of storming and minimize the unhealthy types (since we live in a fallen world unhealthy storming will take place). In my experience as a team leader and coach, I have found that there is usually conflict in five major areas: character problems, gifting fit, authority issues, vision and values dissonance, and personality differences.

Norming

In this stage, a sense of group cohesion develops. Members accept the team and develop norms for resolving conflicts, making decisions and completing assignments.  Norming takes place in three ways.

First, as storming is overcome, the team becomes more relaxed and steady. Because of growth in the five stumbling blocks of storming, the team is stabilizing. Conflicts are no longer as frequent and no longer throw the team off course.  Second, norming takes place when the team develops a routine. Scheduled team meetings of various kinds give a sense of predictability and orientation to the team.  Third, norming is cultivated through team building events and activities. Celebrations, public and private affirmation, retreats and fun get-togethers are practical ways to help the team norm.  These team-building events are also necessary to move the team to the performing stage.  The team’s goal is performing, not just norming. Yet, norming is a necessary transition stage. A team can’t get on to performing if there is no norming.

Performing

This is the payoff stage. The group has developed its relationships, structure, and purpose. It’s beginning to tackle the task. The group has overcome the stumbling blocks of storming and are now performing.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Os Quatro Estágios do Desenvolvimento de Equipe

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

O autor Rick Love formulou essas ideias sobre o desenvolvimento de equipe. Eu pensei que elas poderiam ser úteis para esta comunidade de blogs. Eu acredito que as quatro etapas podem se aplicar a uma equipe e a uma célula.

Aqui está uma sinopse das ideias de Rick. Existem quatro etapas pelas quais a maioria das equipes passam antes de serem produtivas: formação, enfrentamento, normatização e desempenho. Esses quatro estágios descrevem o que acontece nos relacionamentos da equipe. Enquanto os chamamos de estágios, há outro sentido em que essas dinâmicas são cíclicas. Ou seja, as equipes passam por níveis cada vez mais intensos de ataque, classificação e desempenho. Também é verdade que os indivíduos da equipe podem estar atacando com um colega de equipe e se apresentando com outro. Assim, esses estágios fornecem apenas um esboço da dinâmica de crescimento de qualquer equipe.

Formação
O estágio inicial da vida em equipe. As expectativas não são claras. Os membros testam a água. As interações são superficiais. Este é o estágio da lua de mel.

Enfrentamento
Este estágio é caracterizado por conflito e resistência à tarefa e estrutura do grupo. A equipe está lutando por suas diferenças. Existem tipos saudáveis ​​e não saudáveis ​​de enfrentamento. O objetivo é trabalhar com os tipos saudáveis e minimizar os tipos não saudáveis ​​(já que vivemos em um mundo decaído, o enfrentamento ruim vai acontecer). Em minha experiência como líder de equipe e treinador, descobri que geralmente há conflitos em cinco áreas principais: problemas de caráter, adequação dos dons, questões de autoridade, dissonância de visão e valores e diferenças de personalidade.

Normatização
Nesse estágio, um senso de coesão de grupo se desenvolve. Os membros aceitam a equipe e desenvolvem normas para resolver conflitos, tomar decisões e concluir tarefas. A criação de normas ocorre de três maneiras.

Primeiro, quando o enfrentamento é superado, a equipe fica mais relaxada e estável. Por causa do crescimento nos cinco obstáculos do enfrentamento, a equipe está se estabilizando. Conflitos não são mais tão frequentes e não deixam mais a equipe fora do curso. Segundo, o desenvolvimento de normas ocorre quando a equipe desenvolve uma rotina. Diversas reuniões agendadas dão uma sensação de previsibilidade e orientação à equipe. Em terceiro lugar, a normatização é cultivada através de eventos e atividades de formação de equipes. Celebrações, afirmações públicas e privadas, retiros e confraternizações divertidas são formas práticas de ajudar a norma da equipe. Esses eventos para desenvolvimento da equipe também são necessários para levar a equipe ao estágio de desempenho. O objetivo da equipe é de ter um desempenho real, não apenas normas. No entanto, a norma é um estágio de transição necessário. Uma equipe não pode ter um bom desempenho se não houver normas.

Desempenho
Este é o estágio de pagamento. O grupo desenvolveu seus relacionamentos, estrutura e propósito. Está começando a enfrentar a tarefa. O grupo superou os obstáculos do enfrentamento e agora está se realizando.

Spanish blog:

Las cuatro etapas del desarrollo del equipo

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

El autor Rick Love formuló estas ideas sobre el desarrollo del equipo. Pensé que podrían ser útiles para esta comunidad de blogs. Creo que las cuatro etapas se pueden aplicar a un equipo y a una célula.

Aquí hay una sinopsis de las ideas de Rick. Hay cuatro etapas por las que la mayoría de los equipos pasan antes de ser productivos: formar, asaltar, normar y actuar. Estas cuatro etapas describen lo que ocurre en las relaciones de equipo. Si bien llamamos a estas etapas, hay otro sentido en el que estas dinámicas son cíclicas. Es decir, los equipos pasan por niveles cada vez más profundos de asalto, normalización y rendimiento. También es cierto que las personas en el equipo pueden irrumpir con un compañero y actuar con otro. Por lo tanto, estas etapas simplemente dan una idea general de la dinámica de crecimiento de cualquier equipo.

Formando

La etapa inicial de la vida en equipo, las expectativas no están claras, los miembros prueban el agua; las interacciones son superficiales. Esta es la etapa de luna de miel.

Asaltando

Esta etapa se caracteriza por el conflicto y la resistencia a la tarea y estructura del grupo, el equipo está luchando a través de sus diferencias; hay tipos de asalto saludables y no saludables. El objetivo es trabajar a través de los tipos sanos de asalto y minimizar los tipos no saludables (ya que vivimos en un mundo caído se producirá un asalto poco saludable). En mi experiencia como líder y entrenador de equipos, he descubierto que generalmente hay conflictos en cinco áreas principales: problemas de carácter, adaptación de dones, problemas de autoridad, disonancia de visión y valores, y diferencias de personalidad.

Normando

En esta etapa, se desarrolla un sentido de cohesión grupal. Los miembros aceptan al equipo y desarrollan normas para resolver conflictos, tomar decisiones y completar tareas. La etapa de normar se lleva a cabo de tres maneras.

Primero, cuando se supera el asalto, el equipo se vuelve más relajado y estable. Debido al crecimiento en los cinco obstáculos de la asalto, el equipo se está estabilizando; los conflictos ya no son tan frecuentes y ya no desorientan al equipo. En segundo lugar, el proceso de normar tiene lugar cuando el equipo desarrolla una rutina, las reuniones programadas del equipo de varios tipos dan una sensación de previsibilidad y orientación para el equipo. Tercero, el proceso de normar se cultiva mediante eventos y actividades de formación de equipos, las celebraciones, la afirmación pública y privada, los retiros y las reuniones divertidas son formas prácticas de ayudar a normar del equipo. Estos eventos de formación de equipos también son necesarios para llevar al equipo a la etapa de presentación. El objetivo del equipo es el rendimiento, no solo la norma. Sin embargo, el normar es una etapa de transición necesaria. Un equipo no puede llegar a actuar si no hay norma.

Actuando

Esta es la etapa de pago. El grupo ha desarrollado sus relaciones, estructura y propósito. Está comenzando a abordar la tarea. El grupo ha superado los obstáculos del asalto y ahora está actuando.