Your Small Group, Family, and Partnership

By Rob Campbell, Founding Pastor, www.cypresscreekchurch.com

It’s great when a small group is a family.  Further, a healthy family experiences the power of partnership (which removes aloneness and isolation).

Jesus demonstrated to his disciples the power of partnership.  He dissolved personal agendas and prepared the disciples to act as a unit.  This is the essence of a small group: a group of people who have laid down their agendas to work together as a team, a family. 

Decades ago, I listened to Pastor Larry Stockstill teach on the five principles of partnership through small groups. 

FIVE PRINCIPLES OF PARTNERSHIP THROUGH SMALL GROUPS (Based on John 13-17)

1. Serving (John 13)

A willingness to surrender personal promotion and rights and to look seriously at the needs of others.  “Unless I wash you, you have no part [`meros’, a division or share] with me” (John 13:8).

2. Encouragement (John 14)

How many Christians do you know with heart trouble?  “Do not let your hearts be troubled…” (John 14:1).

Christ shifts our focus toward “heaven” (v. 2), “answered prayer” (Vv. 13-14), and the Holy Spirit’s heart (v. 26).

3. Productivity (John 15)

Partnerships do not add the work of one with the work of another.  Instead, the work increases at an exponential rate.  “You do not choose me, but I chose you and appointed you to go bear fruit– fruit that will last” (John 15:16).

4. Protecting (John 16)

Spiritual partnerships afford protection.  “All this I have told you so that you will not go astray [or be `offended,’ scandalon– a trap stick] John 16:1.

Small groups form a protective wall for all believers which is grounded in preventive maintenance, not damage control.

5. Praying (John 17)

We cannot effectively pray for everyone in all the world.  We can, however, pray for a small band of people with whom we are vitally concerned.  “May they be brought to complete unity to let the world know that you sent me and have loved them even as you have loved me” (John 17:23)

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Seu Pequeno Grupo, Família e Parceria
Por Pastor Rob Campbell, Pastor Fundador, www.cypresscreekchurch.com

É ótimo quando um pequeno grupo é uma família. Além disso, uma família saudável experimenta o poder da parceria (que remove a solidão e o isolamento).

Jesus demonstrou aos seus discípulos o poder da parceria. Ele dissolveu as agendas pessoais e preparou os discípulos para agirem como uma unidade. Esta é a essência de um pequeno grupo: um grupo de pessoas que estabeleceram suas agendas para trabalharem juntas como uma equipe, uma família.

Décadas atrás, ouvi o pastor Larry Stockstill ensinar os cinco princípios da parceria por meio de pequenos grupos.

CINCO PRINCÍPIOS DE PARCERIA ATRAVÉS DE PEQUENOS GRUPOS (Baseado em João 13-17)


1. Servir (João 13)
Uma vontade de renunciar à promoção e direitos pessoais e de olhar seriamente para as necessidades dos outros. Se eu não os lavar, você não terá parte  [‘meros’, uma divisão ou parte] comigo” (João 13:8).
2. Incentivo (João 14)
Quantos cristãos você conhece com problemas cardíacos? “Não se turbe o coração …” (João 14:1).
Cristo muda nosso foco para o “céu” (v. 2), “oração respondida” (vv. 13-14) e o coração do Espírito Santo (v. 26).
3. Produtividade (João 15)
As parcerias não acrescentam o trabalho de um ao trabalho de outro. Em vez disso, o trabalho aumenta a uma taxa exponencial. “Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça” (João 15:16).
4. Protegendo (João 16)
Parcerias espirituais oferecem proteção. “Tenho-lhes dito tudo isso para que vocês não venham a tropeçar. [ou se sinta ‘ofendido’, um escândalo – uma armadilha] João 16:1.
Pequenos grupos formam uma parede protetora para todos os crentes, que é baseada na manutenção preventiva, não no controle de danos.
5. Orando (João 17)
Não podemos orar com eficácia por todos em todo o mundo. Podemos, entretanto, orar por um pequeno grupo de pessoas com quem temos uma preocupação vital. “Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.” (João 17:23)

Spanish blog:

Su grupo pequeño, familia y compañerismos 

Por el pastor Rob Campbell, pastor fundador, www.cypresscreekchurch.com

Es genial cuando un grupo pequeño es una familia. Además, una familia sana experimenta el poder del compañerismo (que elimina la soledad y el aislamiento).

Jesús demostró a sus discípulos el poder de la comunidad. Disolvió las agendas personales y preparó a los discípulos para actuar como una unidad. Esta es la esencia de un grupo pequeño: un grupo de personas que han establecido sus agendas para trabajar juntas como un equipo, una familia.

Hace décadas, escuché al pastor Larry Stockstill enseñar sobre los cinco principios del compañerismo a través de grupos pequeños.

CINCO PRINCIPIOS DE COMPAÑERISMO A TRAVÉS DE GRUPOS PEQUEÑOS (Basado en Juan 13-17)

1. Servir (Juan 13)

La voluntad de renunciar a la promoción y los derechos personales y a considerar seriamente las necesidades de los demás. “A menos que yo te lave, no tienes parte [‘meros’, una división o parte] conmigo” (Juan 13: 8).

2. Aliento (Juan 14)

¿Cuántos cristianos conoces con problemas en sus corazones? “No se turbe vuestro corazón …” (Juan 14: 1).

Cristo cambia nuestro enfoque hacia el “cielo” (v. 2), la “oración contestada” (vv. 13-14) y el corazón del Espíritu Santo (v. 26).

3. Productividad (Juan 15)

Las sociedades no suman el trabajo de uno con el trabajo de otro. En cambio, el trabajo aumenta a un ritmo exponencial. “Tú no me escoges a mí, pero yo te escogí a ti y te puse para que dieras fruto, fruto que perdurará” (Juan 15:16).

4. Proteger (Juan 16)

Las asociaciones espirituales brindan protección. “Todo esto te lo he dicho para que no te extravíes [o te ‘ofendas’, escándalo – una trampa] Juan 16: 1.

Los grupos pequeños forman un muro protector para todos los creyentes que se basa en el mantenimiento preventivo, no en el control de daños.

5. Orar (Juan 17)

No podemos orar eficazmente por todos en todo el mundo. Sin embargo, podemos orar por un pequeño grupo de personas que nos preocupan de manera vital. “Que sean llevados a la unidad completa para que el mundo sepa que tú me enviaste y que los has amado así como me has amado a mí” (Juan 17:23) 

A God Who Makes House Calls

By Rob Campbell, Founding Pastor, www.cypresscreekchurch.com

Acts 5:42 and Acts 20:20 are two key scriptures regarding places of worship.  The early church gathered at the Temple and in homes.  Jesus modeled this during his earthly ministry.  The church where you attend or serve may follow this New Testament model or not. 

Today, God does not dwell in a building, He dwells in our hearts. It is not necessary to be in a church building to worship or meet with God.  Further, a church building need not be the hub of church life. 

At Cypress Creek Church, we do have a church building.  As a matter of fact, we have a really cool church building.  I am grateful to God for the countless individuals who sacrificed financially and made this a reality.  We know, however, that the ministry of CCC is not dependent upon a building.  The building could go away and the ministry will continue.  We see the building as a place to celebrate, equip, and send out the church family into the harvest.

Now, let me discuss the power of gathering in homes.  I would guess that a large percentage of churches assemble their youth at the church building.  I’m not judging this methodology.  I’m simply making an educated guess.  At CCC, students meet in homes throughout the city.  Yes, these students are in Community Groups experiencing a God who makes house calls.  The students LOVE the home environment.  By the way, 75% of these students have parents who are “unchurched.”  Over the years, we have learned that having a weekly youth meeting at the church building would be a detriment to discipling students.  Further, 85% of Celebration attendees (all ages) are consistent in a weekly Community Group.  A very high percentage of these Community Groups meet in homes, businesses, and via Zoom.

As a believer in Jesus Christ, you are the temple of the Holy Spirit.  You are a moving tabernacle for the Most High God.  Allow Him to minister through you in the city, neighborhoods, and homes.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A God Who Makes House Calls

Por Rob Campbell, pastor fundador  www.cypresscreekchurch.com

Atos 5:42 e Atos 20:20 são duas escrituras importantes sobre locais de adoração. A igreja primitiva se reunia no Templo e nas casas. Jesus modelou isso durante seu ministério terreno. A igreja onde você frequenta ou serve pode seguir este modelo do Novo Testamento ou não.

Hoje, Deus não mora em um edifício, Ele mora em nossos corações. Não é necessário estar no prédio de uma igreja para adorar ou se encontrar com Deus. Além disso, a construção de uma igreja não precisa ser o centro da vida da igreja.

Na Igreja Cypress Creek, temos um prédio de igreja. Na verdade, temos um prédio de igreja muito legal. Sou grato a Deus pelas inúmeras pessoas que se sacrificaram financeiramente e tornaram isso uma realidade. Sabemos, no entanto, que o ministério da ICC não depende de um edifício. O prédio pode ser destruído e o ministério continuará. Vemos o prédio como um lugar para celebrar, equipar e enviar a família da igreja para a colheita.

Agora, deixe-me discutir o poder de reunir nos lares. Eu imagino que uma grande porcentagem das igrejas reúne seus jovens no prédio da igreja. Eu não estou julgando essa metodologia. Eu estou simplesmente dando um palpite. Na ICC, os estudantes se reúnem em casas por toda a cidade. Sim, esses estudantes estão em Grupos Comunitários experimentando um Deus que faz visitas nos lares. Os estudantes ADORAM o ambiente doméstico. A propósito, 75% desses estudantes têm pais que “não têm igreja”. Ao longo dos anos, aprendemos que ter uma reunião semanal de jovens no prédio da igreja seria um prejuízo para o discipulado dos estudantes. Além disso, 85% dos participantes da celebração (todas as idades) são consistentes em um Grupo Comunitário semanal. Uma porcentagem muito alta desses Grupos Comunitários se reúne em residências, empresas e via Zoom.

Como um crente em Jesus Cristo, você é o templo do Espírito Santo. Você é um tabernáculo móvel para o Deus Altíssimo. Permita que Ele ministre através de você na cidade, vizinhança e lares.

Spanish blog:

Un Dios que hace visitas a domicilio

Por Rob Campbell, pastor fundador www.cypresscreekchurch.com

Hechos 5:42 y Hechos 20:20 son dos escrituras clave con respecto a los lugares de adoración. La iglesia primitiva se reunió en el templo y en los hogares. Jesús modeló esto durante su ministerio terrenal. La iglesia a la que asistes o en la  sirves puede seguir este modelo del Nuevo Testamento o no.

Hoy, Dios no habita en un edificio, habita en nuestros corazones. No es necesario estar en el edificio de una iglesia para adorar o reunirse con Dios. Además, el edificio de una iglesia no tiene por qué ser el centro de la vida de la iglesia.

En Cypress Creek Church, tenemos un edificio para la iglesia. De hecho, tenemos una iglesia realmente genial. Estoy agradecido con Dios por las innumerables personas que se sacrificaron financieramente e hicieron de esto una realidad. Sin embargo, sabemos que el ministerio de CCC no depende de un edificio. El edificio podría desaparecer y el ministerio continuará. Vemos el edificio como un lugar para celebrar, equipar y enviar a la familia de la iglesia a la cosecha.

Ahora, permítanme discutir el poder de reunirse en los hogares. Supongo que un gran porcentaje de iglesias reúne a sus jóvenes en el edificio de la iglesia. No estoy juzgando esta metodología. Simplemente estoy haciendo una conjetura. En CCC, los estudiantes se reúnen en hogares de toda la ciudad. Sí, estos estudiantes están en grupos comunitarios experimentando a un Dios que hace visitas a domicilio. A los estudiantes les ENCANTA el ambiente del hogar. Por cierto, el 75% de estos estudiantes tienen padres que “no asisten a la iglesia”. A lo largo de los años, hemos aprendido que tener una reunión semanal de jóvenes en el edificio de la iglesia perjudicaría el discipulado de los estudiantes. Además, el 85% de los asistentes a la celebración (todas las edades) son consistentes en un grupo comunitario semanal. Un porcentaje muy alto de estos grupos comunitarios se reúnen en hogares, negocios y a través de Zoom.

Como creyente en Jesucristo, eres el templo del Espíritu Santo. Eres un tabernáculo en movimiento para el Dios Altísimo. Permítale que ministre a través de usted en la ciudad, los vecindarios y los hogares. 

Investor? Inviter? Convincer? Converser?

By Rob Campbell, Founding Pastor, www.cypresscreekchurch.com

In 2012, Alan Hirsch and Tim Catchim wrote The Permanent Revolution:  Apostolic Imagination and Practice of the 21st Century Church.  In this book, the authors develop the “Evangelism Ministry Matrix” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 39). 

Of course, this book was written long before CoVid became a reality in our world.  However, churches are reaching people during this pandemic via Zoom, email, text, social media, and more.  The authors present four types of evangelists called the investors, inviters, convincers, and conversers. 

The investor’s motto is “let’s walk together” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 39). 

The inviters have a “come and see quality to their evangelistic ministry that [brings] others into closer proximity to Jesus” (Hirsch & Catchim, p. 40). 

The convincers have the “capacity to deliver the gospel in concise presentations…and package it in ways that hone its accessibility and practicality” (Hirsch & Catchim, p. 41). 

Finally, the conversers are “more comfortable with dialogue than monologue, with offering soundbites about Jesus rather than an entire album or Jesus CD” (Hirsch & Catchim, p. 42). 

The authors believe that all four evangelistic styles are needed in the body of Christ.  I would concur.

Without a shred of doubt, I am a converser.  I am “more comfortable with helping someone discover the meaning of the gospel in an incremental fashion” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 41).  Conversers “are often good at asking questions and listening, and they prefer to let the needs and interests of the other person decide what particular feature of the gospel they will emphasize or introduce into the conversation” (Hirsch & Catchim, p. 42).  A biblical example would be Jesus’ encounter with the women at the well.

In this template offered by Hirsch and Catchim, what type of evangelist are you?

Comments?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Investidor? Convidador? Convencedor? Conversador?

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Em 2012, Alan Hirsch e Tim Catchim escreveram A Revolução Permanente: Imaginação Apostólica e Prática da Igreja do Século XXI [tradução livre]. Neste livro, os autores desenvolvem a “Matriz de Ministério de Evangelismo” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 39).

Claro, este livro foi escrito muito antes de CoVid se tornar uma realidade em nosso mundo. No entanto, as igrejas estão alcançando as pessoas durante esta pandemia via Zoom, e-mail, texto, mídia social e muito mais. Os autores apresentam quatro tipos de evangelistas chamados investidores, convidadores, convencedores e conversadores.

O lema do investidor é “vamos caminhar juntos” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 39).

Os convidadores têm uma “qualidade do venha e veja em seu ministério evangelístico que [traz] outros para mais perto de Jesus” (Hirsch & Catchim, p. 40).

Os convencedores têm a “capacidade de pregar o evangelho em apresentações concisas … e empacotá-lo de maneiras que aprimoram sua acessibilidade e praticidade” (Hirsch & Catchim, p. 41).

Finalmente, os conversadores ficam “mais à vontade com o diálogo do que com o monólogo, oferecendo frases de efeito sobre Jesus em vez de um álbum inteiro ou CD de Jesus” (Hirsch & Catchim, p. 42).

Os autores acreditam que todos os quatro estilos evangelísticos são necessários no corpo de Cristo. Eu concordaria.

Sem sombra de dúvida, sou um conversador. Estou “mais confortável em ajudar alguém a descobrir o significado do evangelho de uma forma incremental” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 41). Os conversadores “costumam ser bons em fazer perguntas e ouvir, e preferem deixar que as necessidades e interesses da outra pessoa decidam que característica particular do evangelho eles enfatizarão ou introduzirão na conversa” (Hirsch & Catchim, p. 42). Um exemplo bíblico seria o encontro de Jesus com as mulheres no poço.

Neste modelo oferecido por Hirsch e Catchim, que tipo de evangelista você é?

Comentários?

Spanish blog:

¿Inversor? ¿Invitador? ¿Convencedor? Conversador?

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

En 2012, Alan Hirsch y Tim Catchim escribieron La revolución permanente: imaginación y práctica apostólicas de la Iglesia del siglo XXI. En este libro, los autores desarrollan la “Matriz del Ministerio de Evangelismo” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 39).

Por supuesto, este libro fue escrito mucho antes de que el CoVid se convirtiera en una realidad en nuestro mundo. Sin embargo, las iglesias están llegando a las personas durante esta pandemia a través de Zoom, correo electrónico, mensajes de texto, redes sociales y más. Los autores presentan cuatro tipos de evangelistas llamados inversionistas, invitantes, convencedores y conversadores.

El lema del inversor es “caminemos juntos” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 39).

Los que invitan tienen una “cualidad de venir y mira, en su ministerio evangelístico que [acerca] a otros a estar más cerca de Jesús” (Hirsch & Catchim, p. 40).

Los que convencen tienen la “capacidad de mostrar el evangelio en presentaciones concisas… y empaquetarlo de maneras que perfeccionen su accesibilidad y practicidad” (Hirsch & Catchim, p. 41).

Finalmente, los conversadores se sienten “más cómodos con el diálogo que con el monólogo, ofreciendo fragmentos de sonido sobre Jesús en lugar de un álbum completo o un CD de Jesús” (Hirsch & Catchim, p. 42).

Los autores creen que los cuatro estilos evangelísticos son necesarios en el cuerpo de Cristo. Yo estaría de acuerdo.

Sin una pizca de duda, soy un conversador. Me siento “más cómodo ayudando a alguien a descubrir el significado del evangelio de manera incremental” (Hirsch & Catchim, 2012, p. 41). Los conversadores “a menudo son buenos para hacer preguntas y escuchar, y prefieren dejar que las necesidades e intereses de la otra persona decidan qué característica particular del evangelio enfatizarán o introducirán en la conversación” (Hirsch y Catchim, p. 42). Un ejemplo bíblico sería el encuentro de Jesús con las mujeres junto al pozo.

En esta plantilla ofrecida por Hirsch y Catchim, ¿qué tipo de evangelista eres?

Comentarios?

Three Keys to Multiplying Cells During CoVid: Prayer, Love, & Passion

By Rob Campbell, Founding Pastor, www.cypresscreekchurch.com

The multiplication of a cell can be quite a challenge.  I would like to offer three quick thoughts that can easily be overlooked as we seek to make disciples that result in multiplication. 

Here are three necessary ingredients for a healthy cell multiplication to occur.  While not ideal given CoVid, these characteristics can all be accomplished via Zoom, email, text, a phone call, social media, and more. 

First, pray for your cell members to grow in Christ and for the Holy Spirit to place in their hearts a desire to lead a cell.  To be specific, wouldn’t it be great to know that God was the catalyst behind your cell multiplying?  You, therefore, can relieve yourself of arm-twisting, spiritualizing, and/or manipulating others.  Let God be God and allow Him to birth your future cell multiplication.  Pray consistently with great anticipation of what God is going to do.

Next, love your cell members.  Think of how Jesus loved his disciples.  Have you ever considered that Jesus loved his disciples into the ministry?  In other words, it was through the love of Christ that his disciples were invited to carry the gospel message to the world.  Love was the motivation of Christ.  It can be our motivation as well.  Love your cell members in such a way that they trust God’s leading meshed with your desire for them to one day lead a cell. 

Finally, “Passion will find a way.”  JCG team member Steve Cordle said that to me many years ago as we were discussing cell multiplication.  Here’s what that phrase means to me.  When an individual is passionate about God and the vision of the church, then cell multiplication will happen.  Steve has learned over the years that a passionate cell leader will find a way for cell multiplication to take place.  He/she can prioritize his/her life call, being ever mindful of potential distractions and detours.

Needless to say, when people ask me: “How do you multiply the cells in your church?”  I respond, “Through prayer, love, and passion.”  By the way, I’ve tried to multiply cells in many other ways and made some silly mistakes and serious miscalculations.

One final thought:  Don’t minimize the importance of multiplication—even during this current worldwide pandemic.  It’s vital. 

Comments?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

3 chaves para a multiplicação de células durante a CoVid: Oração, amor e paixão

Rob Campbell, Pastor Fundador, www.cypresscreekchurch.com

A multiplicação de uma célula pode ser realmente um desafio. Eu gostaria de oferecer 3 chaves ou dicas que podem passar desapercebidas no processo de fazer discípulos e da consequente multiplicação.

Estas são as 3 chaves indispensáveis para que a multiplicação aconteça. Mesmo sabendo que o momento não é o ideal, por conta das limitações impostas pela CoVid, tudo isso pode ser feito através de reuniões via Zoom, email, mensagens de texto, ligações telefônicas, mídia social e outras estratégias.

Em primeiro lugar, ore pelos membros da célula e peça crescimento em Cristo. Peça que o Espírito Santo coloque em seus corações o desejo de liderar uma célula. Sendo bem específico, não seria maravilhoso saber que Deus é o grande catalisador por trás da multiplicação da sua célula? Dessa forma, você se liberta do processo de “forçar a barra”, espiritualizar todas as situações e de manipular pessoas. Deixe que Deus seja Deus e permita que Ele mesmo traga à luz a futura multiplicação da célula que você lidera. Ore constantemente ansiando por ver o agir de Deus.

Em segundo lugar, ame os membros da célula. Pense em como Jesus amava seus discípulos. Você já parou para pensar que com seu amor, Jesus os impulsionava ao ministério? Em outras palavras, era através do amor de Cristo que seus discípulos eram convidados a levar a mensagem do evangelho ao mundo. O amor era a motivação de Cristo. O amor também pode ser a sua motivação. Ame os membros da sua célula de tal forma que eles sintam que Deus os está levando a liderar e seu desejo nesse sentido também vem de Deus.

Finalmente, “a paixão vai achar seu próprio caminho”. Steve Cordle, membro do time JCG, me disse isso muitos anos atrás, enquanto conversávamos sobre a multiplicação de células. Vou explicar o que esta frase significa para mim. Quando uma pessoa está apaixonada por Deus e pela visão da igreja, a multiplicação certamente acontecerá. Steve aprendeu com o tempo que um líder de célula apaixonado vai encontrar uma maneira de multiplicar sua célula. Ele ou ela vai priorizar o chamado em sua própria vida, tomando cuidado para não cair em distrações e atalhos perigosos.  

É óbvio que quando alguém me pergunta: “Como você faz para multiplicar as células na sua Igreja?”, minha resposta é: com oração, amor e paixão. À propósito, também já tentei multiplicar células de diversas outras maneiras, e errei de algumas maneiras bobas e outras mais graves.

Quero deixar uma última dica: Não minimize a importância da multiplicação – mesmo em meio a esta pandemia. É vital.

Dúvidas?

Spanish blog:

Tres claves para multiplicar células durante el CoVid: oración, amor y pasión

Por Rob Campbell, pastor fundador, www.cypresscreekchurch.com

La multiplicación de una célula puede ser todo un desafío. Me gustaría ofrecer tres pensamientos rápidos que pueden pasarse por alto fácilmente mientras buscamos hacer discípulos que resulten en la multiplicación.

Aquí hay tres ingredientes necesarios para que ocurra una multiplicación celular saludable. Si bien no es ideal dado el CoVid, estas características se pueden lograr a través de Zoom, correo electrónico, mensaje de texto, una llamada telefónica, redes sociales y más.

Primero, ore para que los miembros de su célula crezcan en Cristo y para que el Espíritu Santo ponga en sus corazones el deseo de dirigir una célula. Para ser específico, ¿no sería genial saber que Dios fue el catalizador detrás de la multiplicación de tu célula? Usted, por lo tanto, puede liberarse de torcer el brazo, espiritualizar y / o manipular a los demás. Deje que Dios sea Dios y permítale dar a luz su futura multiplicación celular. Ore constantemente con gran anticipación de lo que Dios va a hacer.

A continuación, ame a los miembros de su célula. Piense en cómo Jesús amaba a sus discípulos. ¿Alguna vez ha considerado que Jesús amó a sus discípulos en el ministerio? En otras palabras, fue a través del amor de Cristo que sus discípulos fueron invitados a llevar el mensaje del evangelio al mundo. El amor fue la motivación de Cristo. También puede ser nuestra motivación. Ame a los miembros de su célula de tal manera que confíen en la dirección de Dios combinada con su deseo de que algún día dirijan una célula.

Finalmente, “La pasión encontrará un camino”. Steve Cordle, miembro del equipo de JCG, me dijo eso hace muchos años cuando discutíamos sobre la multiplicación celular. Esto es lo que significa esa frase para mí. Cuando un individuo se apasiona por Dios y la visión de la iglesia, entonces sucederá la multiplicación celular. Steve ha aprendido a lo largo de los años que un líder celular apasionado encontrará la manera de que se produzca la multiplicación celular. Él / ella puede priorizar su llamada de vida, siendo siempre consciente de las posibles distracciones y desvíos.

No hace falta decir que cuando la gente me pregunta: “¿Cómo multiplicas las células en tu iglesia?” Respondo: “A través de la oración, el amor y la pasión”. Por cierto, he intentado multiplicar las células de muchas otras formas y cometí algunos errores tontos y errores de cálculo graves.

Un pensamiento final: no minimice la importancia de la multiplicación, incluso durante la actual pandemia mundial. Es vital.

Comentarios

Begin Here (Español Abajo)

By Rob Campbell, Founding Pastor, www.cypresscreekchurch.com

John Wesley once said, “God will do nothing on earth except in answer to believing prayer.”  Think of Christ’s powerful modeling of prayer while here on earth.  Let me paint a picture for you. 

You see Christ hugging the blood-stained rock nestled among the gnarly roots of the olive trees in the Garden of Gethsemane.  His prayer shawl is covering his head and his dark hair splashes onto his shoulders.  He is praying.  You are listening to his prayers.  As you inch toward Christ, you hear your name!  The Lord of Lords, the King of Kings, the Creator, the Lamb of God is praying for you.  You are humbled, shocked, and filled with awe and gratitude.  Christ is praying for you! 

Now, that would be an incredible experience, would it not?  You bet.  Suffice to say, He is praying for you!  He is your chief intercessor and great advocate even now. 

One poignant message of Christ’s prayer for you in the garden is this:  It is impossible to lose your footing while on your knees.  Jesus is our example.  His ministry can be described as moving from one house of prayer to the next and in between he worked miracles. 

When Cypress Creek Church was formed in 1993, I desired to find someone who was passionate about prayer.  Cecilia Belvin came to my mind.  I asked her to be our Pastor of Prayer.  She was our “first hire!”  I watched God use her in an incredible way over the years.  She developed a discreet, confidential, and powerful team of prayer warriors.  A few years ago, she passed the leadership of the Prayer Ministry Team to another woman who served with Cecilia for 13 years. 

Prayer covers the church family.  Prayer flows freely through the cells.  Prayer is the beginning point in launching cells and every endeavor. 

If you want to experience life transformation in Celebration and cells, then begin with prayer and intercession.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Comece aqui

Por Rob Campbell, Pastor Fundador, www.cypresscreekchurch.com

John Wesley disse uma vez: “Deus não fará nada na terra, exceto em resposta à oração de fé”. Pense no poderoso modelo de oração de Cristo enquanto está aqui na terra. Deixe-me pintar um quadro para você.

Você vê Cristo abraçando a rocha manchada de sangue aninhada entre as raízes nodosas das oliveiras no Jardim do Getsêmani. Seu xale de oração cobre sua cabeça e seu cabelo escuro respinga em seus ombros. Ele está orando. Você está ouvindo suas orações. Conforme você se aproxima de Cristo, você ouve seu nome! O Senhor dos Senhores, o Rei dos Reis, o Criador, o Cordeiro de Deus está orando por você. Você está humilde, chocado e cheio de admiração e gratidão. Cristo está orando por você!

Agora, isso seria uma experiência incrível, não seria? Pode apostar. Basta dizer que Ele está orando por você! Ele é o seu principal intercessor e grande advogado agora mesmo.

Uma mensagem pungente da oração de Cristo por você no jardim é esta: É impossível perder o equilíbrio enquanto está de joelhos. Jesus é nosso exemplo. Seu ministério pode ser descrito como uma mudança de uma casa de oração para a outra e, entre um e outro, ele operava milagres.

Quando a Igreja Cypress Creek foi formada em 1993, eu desejava encontrar alguém que fosse apaixonado por oração. Cecilia Belvin veio à minha mente. Pedi a ela para ser nossa Pastora de Oração. Ela foi nossa “primeira contratação!” Eu vi Deus usá-la de uma forma incrível ao longo dos anos. Ela desenvolveu uma equipe discreta, confidencial e poderosa de guerreiros de oração. Há alguns anos, ela passou a liderança da Equipe do Ministério de Oração para outra mulher que serviu com Cecília por 13 anos.

A oração cobre a família da igreja. A oração flui livremente pelas células. A oração é o ponto de partida para lançar células e todos os esforços.

Se você deseja experimentar a transformação da vida na Celebração e nas células, comece com oração e intercessão.

Spanish blog:

Comienza aqui

Por Rob Campbell, pastor fundador, www.cypresscreekchurch.com

John Wesley dijo una vez: “Dios no hará nada en la tierra excepto en respuesta a una oración de fe”. Piense en el poderoso modelo de oración de Cristo mientras estuvo aquí en la tierra. Déjame pintar un retrato para ti.

Ves a Cristo abrazando la roca manchada de sangre que se encuentra entre las raíces retorcidas de los olivos en el Huerto de Getsemaní. Su manto de oración le cubre la cabeza y su cabello oscuro le cae sobre los hombros. El esta orando, está escuchando sus oraciones. A medida que avanza hacia Cristo, escuchas tu nombre. El Señor de Señores, el Rey de Reyes, el Creador, el Cordero de Dios está orando por ti. Te sientes humilde, conmocionado y lleno de asombro y gratitud. ¡Cristo está orando por ti!

Ahora, esa sería una experiencia increíble, ¿no? Claro que si. Basta decir que él está orando por ti. Él es tu principal intercesor y gran defensor incluso ahora.

Un mensaje conmovedor de la oración de Cristo por ti en el jardín es este: Es imposible perder el equilibrio estando de rodillas. Jesús es nuestro ejemplo. Su ministerio se puede describir como pasar de una casa de oración a la siguiente y en el medio obraba milagros.

Cuando se formó la Iglesia Cypress Creek en 1993, deseaba encontrar a alguien a quien le apasionara la oración. Cecilia Belvin vino a mi mente. Le pedí que fuera nuestra pastora de oración. ¡Ella fue nuestra “primera contratación!” Vi a Dios usarla de una manera increíble a lo largo de los años. Desarrolló un equipo de guerreros de oración discreto, confidencial y poderoso. Hace unos años, pasó el liderazgo del Equipo del Ministerio de Oración a otra mujer que sirvió con Cecilia durante 13 años.

La oración cubre a la familia de la iglesia. La oración fluye libremente por las células. La oración es el punto de partida para lanzar células y todo esfuerzo.

Si deseas experimentar la transformación de la vida en Celebración y células, comienza con oración e intercesión.