Submit to One Another

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

As Christ followers, we are taught to submit to one another (see Ephesians 5:21).  It’s a command, not a suggestion.

Submission is one of the most misunderstood and mishandled concepts in the church today. Let’s first discuss what submission is not. Submission does not mean that an individual loses his/her identity and becomes a non-person. Submission does not mean blind obedience. Submission does not mean that a violation of the law or abuse is tolerated.

So, what is submission? Literally, submission means “to yield oneself to some power or authority; give up, surrender.”  In a spiritual community, it means diverting one’s independent will insistent on flying solo and choosing to live interdependently.  Have you noticed that when the scriptures speak of submission, the command is articulated in the context of relationships? You will also note that the command is reciprocal (mutual submission). Future, please understand that submission is not simply a course of action, but an attitude one possesses when filled with the Holy Spirit.

Submission is also different than obedience. Obedience is doing what you are told. A friend once said to me, “Any old bird dog can be obedient.”  I believe he’s right with proper training and the desire to obey his master. Submission, however, is anticipating what is wanted or needed and doing it before being told.

Authors Harold and Bette Gillogly write, “Submission simply means to defer or yield to the wishes of another. There’s no thought in it of one person being better or smarter than another. It is, rather, a non-rebellious attitude of life. Day-by-day living with nothing to prove. We don’t have to make sure we get what’s coming to us. We don’t have to make sure other people treat us the way we deserve to be treated.  It’s learning to walk in the steps of Jesus. It’s letting God the Father make us like His Son as we submit to Him and to one another with the heart of a servant.”

May I underscore one thing from the ideas presented to you above? One who is submissive is also a servant. They go hand in hand.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Submeter-se um ao outro

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Como seguidores de Cristo, somos ensinados a nos submeter uns aos outros (veja Efésios 5:21). É um comando, não uma sugestão.

A submissão é um dos conceitos mais mal-compreendidos e mal interpretados na igreja hoje. Primeiro, vamos discutir o que a submissão não é. Submissão não significa que um indivíduo perde sua identidade e deixa de ser uma pessoa. Submissão não significa obediência cega. Submissão não significa que uma violação da lei ou abuso sejam tolerados.

Então, o que é submissão? Literalmente, submissão significa “entregar-se a algum poder ou autoridade; desistir, render-se”. Em uma comunidade espiritual, isso significa desviar a vontade independente de alguém insistente em voar sozinho e escolher viver de maneira interdependente. Você já reparou que quando as escrituras falam de submissão, o comando é articulado no contexto dos relacionamentos? Você também notará que o comando é recíproco (submissão mútua). Além disso, por favor entenda que a submissão não é simplesmente uma linha de ação, mas uma atitude que alguém possui quando está cheio do Espírito Santo.

A submissão também é diferente da obediência. Obediência é fazer o que lhe é pedido. Um amigo me disse uma vez: “Qualquer cão de caça velho pode ser obediente”. Acredito que ele está certo, com o treinamento adequado e com o desejo de obedecer ao seu dono. Submissão, no entanto, é antecipar o que é desejado ou necessário e fazê-lo antes que peçam.

Os autores Harold e Bette Gillogly escrevem: “Submissão significa simplesmente adiar ou ceder aos desejos de outro. Não há o pensamento de uma pessoa ser melhor ou mais inteligente do que a outra. É, antes, uma atitude não-rebelde de vida. Dia a dia vivendo sem nada para provar. Não precisamos nos certificar de que recebemos o que está vindo para nós. Não precisamos garantir que outras pessoas nos tratem da maneira como merecemos ser tratados. É aprender a andar nos passos de Jesus. É deixar que Deus, o Pai, nos torne como o Seu Filho quando nos submetemos a Ele e uns aos outros com o coração de um servo”.

Posso ressaltar uma coisa das ideias apresentadas a você acima? Aquele que é submisso é também um servo. Eles andam de mãos dadas.

Spanish blog:

Someterse unos a otros

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Como seguidores de Cristo, se nos enseña a someternos unos a otros (véase Efesios 5:21). Es un mandamiento, no una sugerencia.

La sumisión es uno de los conceptos más incomprendidos y mal manejados en la iglesia actual. Primero discutamos lo que la sumisión no es. La sumisión no significa que un individuo pierde su identidad y se convierte en una no-persona. Sumisión no significa obediencia ciega; la sumisión no significa que se tolere una violación de la ley o el abuso.

Entonces, ¿qué es la sumisión? Literalmente, la sumisión significa “rendirse a algún poder o autoridad; ceder, rendirte ”. En una comunidad espiritual, significa desviar la voluntad independiente insistiendo en volar solo y elegir vivir interdependientemente. ¿Has notado que cuando las Escrituras hablan de sumisión, el mandato se articula en el contexto de las relaciones? También notarás que el mandamiento es recíproco (envío mutuo). En el futuro, por favor, comprende que la sumisión no es simplemente un curso de acción, sino una actitud que uno posee cuando está lleno del Espíritu Santo.

La sumisión también es diferente a la obediencia. La obediencia es hacer lo que se te dice. Un amigo me dijo una vez: “Cualquier perro viejo puede ser obediente”. Creo que tiene razón con el entrenamiento adecuado y el deseo de obedecer a su amo. La sumisión, sin embargo, es anticipar lo que se quiere o se necesita y hacerlo antes de que te lo digan.

Los autores Harold y Bette Gillogly escriben, “Sumisión simplemente significa diferir o ceder a los deseos de otro. No se piensa en que una persona sea mejor o más inteligente que otra. Es, más bien, una actitud de vida no rebelde; día a día viviendo sin nada que demostrar. No tenemos que asegurarnos de que recibimos lo que nos espera. No tenemos que asegurarnos de que otras personas nos traten como merecemos ser tratados. Estás aprendiendo a caminar en los pasos de Jesús. Es permitir que Dios el Padre nos haga como su Hijo cuando nos sometemos a Él y unos a otros con el corazón de un siervo “.

¿Puedo subrayar una cosa de las ideas presentadas anteriormente? El que es sumiso es también un sirviente. Van de la mano.

Submission to Spiritual Authority

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

An individual who understands submission to spiritual authority is humble, full of love, unselfish, accountable, and personally responsible.  On the flip side, a person who rejects submission to spiritual authority is prideful, full of criticism, selfish, self-ruled, and spiritually irresponsible.

Biblical Submission Is Not Slavery.  Understand the principle of submission and you’ll understand the practice of submission.

Let’s go to the scriptures about submission to spiritual authority:

Ephesians 4:11 And he gave some, apostles; and some, prophets; and some, evangelists; and some, pastors and teachers; 12 For the perfecting of the saints, for the work of the ministry, for the edifying of the body of Christ:

Jesus is head of the church and He has established these offices/gifts giving them the responsibility to serve, oversee, and establish HIS word and commands for HIS church in the earth.  Spiritual authority is more than a title; it is a relationship with people. They stand as servants, ministers, and even spiritual parents in the lives of God’s people.

Hebrews 13:17 Obey them that have the rule over you, and submit yourselves: for they watch for your souls, as they that must give account, that they may do it with joy, and not with grief: for that is unprofitable for you.

1 Thess. 5:12-13 Dear brothers and sisters, honor those who are your leaders in the Lord’s work.  They work hard among you and warn you against all that is wrong.  Think highly of them and give them your wholehearted love because of their work.  And remember to live peaceably with each other.

Submission to spiritual authority is about a functional relationship of love and honor, to God first, then to man.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Submissão à Autoridade Espiritual

Por Pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Um indivíduo que entende sobre submissão à autoridade espiritual é humilde, cheio de amor, altruísta e pessoalmente responsável. Por outro lado, uma pessoa que rejeita a submissão à autoridade espiritual é orgulhosa, cheia de críticas, egoísta, autogovernada e espiritualmente irresponsável.

A submissão bíblica não é escravidão. Entenda o princípio da submissão e você entenderá a prática da submissão

Vamos ver as escrituras sobre submissão à autoridade espiritual:

Efésios 4:11: E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, 12 com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado:

Jesus é o cabeça da igreja e Ele estabeleceu esses ofícios/dons, dando-lhes a responsabilidade de servir, supervisionar e estabelecer SUA palavra e mandamentos para SUA igreja na terra. A autoridade espiritual é mais que um título; é um relacionamento com as pessoas. Eles são servos, ministros e até pais espirituais nas vidas do povo de Deus

Hebreus 13:17: Obedeçam aos seus líderes e submetam-se à autoridade deles. Eles cuidam de vocês como quem deve prestar contas. Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja uma alegria e não um peso, pois isso não seria proveitoso para vocês.

1 Tessalonicenses 5:12-13: Agora lhes pedimos, irmãos, que tenham consideração para com os que se esforçam no trabalho entre vocês, que os lideram no Senhor e os aconselham.Tenham-nos na mais alta estima, com amor, por causa do trabalho deles. Vivam em paz uns com os outros.

Submissão à autoridade espiritual é sobre um relacionamento funcional de amor e honra, primeiro para Deus, depois para o homem.

Spanish blog:

Sumisión a la autoridad espiritual

Por el pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Un individuo que entiende la sumisión a la autoridad espiritual es humilde, lleno de amor, desinteresado, sensato y personalmente responsable. Por otro lado, una persona que rechaza la sumisión a la autoridad espiritual es orgullosa, llena de críticas, egoísta, autodidacta y espiritualmente irresponsable.

La sumisión bíblica no es esclavitud. Comprende el principio de la sumisión y entenderás la práctica de la sumisión.

Vayamos a las Escrituras sobre la sumisión a la autoridad espiritual:

Efesios 4:11 “Y él mismo constituyó a unos, apóstoles; a otros, profetas; a otros, evangelistas; a otros, pastores y maestros, a fin de perfeccionar a los santos para la obra del ministerio, para la edificación del cuerpo de Cristo”

Jesús es la cabeza de la iglesia y Él ha establecido estos oficios / dones que les dan la responsabilidad de servir, supervisar y establecer SU palabra y mandatos para SU iglesia en la tierra. La autoridad espiritual es más que un título; Es una relación con las personas. Se destacan como siervos, ministros e incluso padres espirituales en las vidas de las personas de Dios.

Hebreos 13:17 “Obedeced a vuestros pastores, y sujetaos a ellos; porque ellos velan por vuestras almas, como quienes han de dar cuenta; para que lo hagan con alegría, y no quejándose, porque esto no os es provechoso.”

1 Tes. 5: 12-13 “Os rogamos, hermanos, que reconozcáis a los que trabajan entre vosotros, y os presiden en el Señor, y os amonestan; y que los tengáis en mucha estima y amor por causa de su obra. Tened paz entre vosotros.”

La sumisión a la autoridad espiritual se trata de una relación funcional de amor y honor, primero a Dios y luego al hombre.

Myth: Anyone can lead a healthy, multiplying cell group

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

I believed and even taught this myth for many years.  I tried to convince others that they could lead a healthy, multiplying cell group.  But, it’s not the case.  Sometimes I could “follow the bread crumbs” and figure out why the cell failed.  Other times, it was a head-scratcher.  I was clueless.  It seemed like all the pieces were aligned and BOOM—the cell ceased to exist.

From cell church researchers like Joel and Jim Egli, we do know that a different personality types can lead a healthy, multiplying cell.  So, it’s not necessarily hinged to personality.  We know from the same studies that God uses a variety of spiritual gifts to lead a healthy, multiplying cell.  Therefore, it’s not about having this gift or that one.  By the way, do you know the number one reason why cells multiply?  Yes, it’s prayer.  However, I know faithful servants of God who lead cells.  These saints pray consistently for their cell members AND the cell remains stagnant or even dies.  Have you experienced the same or a similar scenario?

Even a person who is “called by God,” equipped by her local church, determined to “storm the gates of hell,” and passionate about the adventure ahead can fail.  I mention this myth not to discourage anyone reading this post.  I simply want to expose this myth and caution cell church pastors not to sell a “package of goods” that leads willing people to failure and deep disappointment.

God is sovereign.  Trust Him with you and the cell.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Mito: Qualquer um pode liderar uma célula saudável e que multiplica

Por Pastor Rob Campbell www.cypresscreekchurch.com

Eu acreditei e até ensinei esse mito por muitos anos. Tentei convencer os outros de que eles poderiam liderar uma célula saudável e multiplicadora. Mas não é verdade. Às vezes eu conseguia “seguir as migalhas de pão” e descobrir por que a célula falhou. Outras vezes, foi um tapa na cabeça. Eu não fazia ideia. Parecia que todas as peças estavam alinhadas e BOOM – a célula deixou de existir.

Através de pesquisadores da igreja em células como Joel e Jim Egli, sabemos que tipos diferentes de personalidade podem liderar uma célula saudável e multiplicadora. Então, isso não está necessariamente vinculado à personalidade. Sabemos pelos mesmos estudos que Deus usa uma variedade de dons espirituais para liderar uma célula saudável. Portanto, não se trata de ter este ou aquele dom. A propósito, você conhece o motivo número um pelo qual as células se multiplicam? Sim, é a oração. No entanto, conheço servos fiéis de Deus que conduzem as células; esses santos oram consistentemente por seus membros da célula e ela permanece estagnada ou até mesmo morre. Você já experimentou a mesma coisa ou passou por um cenário semelhante?

Mesmo uma pessoa que é “chamada por Deus”, equipada por sua igreja local, determinada a “destruir as portas do inferno”, e apaixonada pela aventura que está por vir pode falhar. Eu menciono esse mito para não desencorajar ninguém lendo este post. Eu simplesmente quero expor este mito e alertar os pastores das igrejas em células a não venderem um “pacote de delícias” que leve as pessoas voluntárias ao fracasso e ao profundo desapontamento.

Deus é soberano. Confie você e a célula à Ele.

Spanish blog:

Mito: cualquiera puede liderar un grupo celular saludable y multiplicador

Por el pastor Rob Campbell www.cypresscreekchurch.com

Creí e incluso enseñé este mito durante muchos años. Traté de convencer a otros de que podrían liderar un grupo celular saludable y multiplicador. Pero, no es el caso. A veces podía “seguir las migas de pan” y averiguar por qué fallaba la célula. Otras veces, era un dolor de cabeza. Yo no tenía ni idea, parecía que todas las piezas estaban alineadas y BOOM, la célula dejó de existir.

Por investigadores de la iglesia celular como Joel y Jim Egli, sabemos que un tipo diferente de personalidad puede llevar a una célula saludable y multiplicadora. Por lo tanto, no necesariamente está ligado a la personalidad. Sabemos por los mismos estudios que Dios usa una variedad de dones espirituales para dirigir una célula saludable y multiplicadora. Por lo tanto, no se trata de tener este don o aquel. Por cierto, ¿sabes la razón número uno por la cual las células se multiplican? Sí, es la oración. Sin embargo, conozco a siervos fieles de Dios que dirigen las células. Estos santos oran consistentemente por sus miembros celulares y la célula permanece estancada o incluso muere. ¿Has experimentado el mismo o un escenario similar?

Incluso una persona que es “llamada por Dios”, equipada por su iglesia local, decidida a “asaltar las puertas del infierno” y apasionada por la aventura que se avecina puede fracasar. Menciono este mito para no desanimar a nadie que lea este blog. Simplemente quiero exponer este mito y advertir a los pastores de las iglesias celulares que no vendan un “paquete de bienes” que lleve a las personas dispuestas al fracaso y una profunda decepción.

Dios es soberano. Junto con tu célula confía en Él.

Myth: Conflict in a Cell Group is of the Devil

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

In the first year of our existence as a church family, we experienced zero conflict.  Yes, that is a big statement and one that is hard to believe.  It is, however, true.  Eventually, I began to understand the phrase “motion causes friction.”  Conflict seeped into our church family.

Conflict will exist in your cell group as well.  Here’s why.  Conflict is unavoidable and is common to all relationships.  Remember, a cell is a “set of relationships.”  Ponder for a moment conflict and Jesus’ disciples.

The devil wants to divide, tear down the believer, attack unity, derail vision, exalt self-indulgence, KILL, STEAL, and DESTROY.  These statements are 100% accurate.

This is also true: It’s easy to blame the devil for conflict in a cell group.  Maybe instead of blaming the devil, a glance in the mirror (or a heart checkup) is warranted.  It’s quite feasible that the devil had nothing to do with the conflict.

Regarding conflict resolution: Speak the truth with love and gentleness and know that there are three types of people:

                            Hiders    – They don’t share the truth.

                            Hurters   – They share the truth, but not in love.

                            Healers   – They share the truth in love.

Years ago, I heard this phrase:  It is more rewarding to resolve a conflict than it is to dissolve a relationship.   Give it some thought.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Mito: O conflito em uma célula vem do diabo”

Por Pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

No primeiro ano de nossa existência como uma família da igreja, nós experimentamos zero conflito. Sim, essa é uma afirmação séria e difícil de acreditar. No entanto, é verdade. Por fim, comecei a entender a frase “o movimento causa atrito”. O conflito se infiltrou em nossa família da igreja.

O conflito também existirá em sua célula. Aqui está o porquê: o conflito é inevitável e é comum a todos os relacionamentos. Lembre-se, uma célula é um “conjunto de relacionamentos”. Reflita um momento sobre conflito e os discípulos de Jesus.

O diabo quer dividir, derrubar o crente, atacar a união, desviar a visão, exaltar a auto-indulgência, MATAR, ROUBAR e DESTRUIR. Essas declarações são 100% precisas.

Isso também é verdade: é fácil culpar o diabo pelo conflito em uma célula. Talvez em vez de culpar o diabo, é necessário olhar no espelho (ou examinar o coração). É bem possível que o diabo não tenha tido nada a ver com o conflito.

Em relação à resolução de conflitos: Fale a verdade com amor e gentileza e saiba que existem três tipos de pessoas:

  • As que escondem – Elas não compartilham a verdade.
  • As que machucam – Elas compartilham a verdade, mas não em amor.
  • As que curam – Elas compartilham a verdade em amor.

Anos atrás, ouvi essa frase: é mais recompensador resolver um conflito do que dissolver um relacionamento. Pense um pouco sobre isso.

Spanish blog:

“Mito: el conflicto en un grupo celular es del diablo”

Por el pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

En el primer año de nuestra existencia como familia de la iglesia, experimentamos cero conflicto. Sí, esa es una gran declaración y una que es difícil de creer. Es, sin embargo, cierto. Con el tiempo, comencé a comprender la frase “el movimiento causa fricción”. El conflicto se filtró en la familia de nuestra iglesia.

El conflicto también existirá en su grupo celular. Este es el por qué, el conflicto es inevitable y es común a todas las relaciones. Recuerda, una célula es un “conjunto de relaciones”. Reflexiona por un momento sobre el conflicto y los discípulos de Jesús.

  El diablo quiere dividir, derribar al creyente, atacar la unidad, descarrilar la visión, exaltar la autocomplacencia, MATAR, ROBAR y DESTRUIR. Estas declaraciones son 100% precisas.

  Esto también es cierto: es fácil culpar al diablo por el conflicto en un grupo celular. Tal vez en lugar de culpar al diablo, debemos vernos en el espejo (o un chequeo del corazón). Es bastante factible que el diablo no tenga nada que ver con el conflicto.

  Con respecto a la resolución de conflictos: Habla la verdad con amor y amabilidad y debes saber que hay tres tipos de personas:

Los que se esconden – No comparten la verdad.

Los cazadores – Ellos comparten la verdad, pero no en el amor.

Sanadores – Comparten la verdad en el amor.

Hace años, escuché esta frase: es más gratificante resolver un conflicto que disolver una relación. Piénsalo un poco.

Focus

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Al Ries writes in his book, Focal Point, that there are four things you can do to improve the quality of your life and work.

  1. You can do more of certain things.
  2. You can do less of certain things.
  3. You can start to do things you are not doing at all today.
  4. You can stop doing certain things altogether.

Dave Browning in his book, Deliberate Simplicity (a great read, by the way!), comments on the four options above. He writes, “While the traditional church tends to choose doors 1 and 3, the Deliberately Simple church looks at what is behind doors 2 and 4. By doing less of certain things, and stopping other things altogether, energy and resources can be reinvested in the few things really worth doing.”

Pastor Wade Hodges once stated, “If becoming a part of a church places people in an environment that encourages them to live more frenetic lives than they were living before, then we are going about doing church the wrong way.”

Browning writes, “What is the simplest thing that could possibly work?” He suggests that we “jettison other elements even if they have traditionally been associated with progress.”

One more thought from Browning: “One of the questions that takes the church back to basics is, how would we do church if we didn’t have electricity? Your answer will undoubtedly push you back to the essence of the church and away from the artificiality of modernity.”

Comments?

Rob
Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Foco”

por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Al Ries escreve em seu livro Ponto Focal que existem quatro coisas que você pode fazer para melhorar a qualidade da sua vida e do seu trabalho.

  1. Você pode fazer mais de certas coisas.
  2. Você pode fazer menos de certas coisas.
  3. Você pode começar a fazer coisas que não está fazendo hoje.
  4. Você pode parar totalmente de fazer certas coisas.

Dave Browning em seu livro, Deliberate Simplicity (uma ótima leitura, por sinal!), comenta sobre as quatro opções acima. Ele escreve: “Enquanto a igreja tradicional tende a escolher as portas 1 e 3, a igreja deliberadamente simples olha o que está atrás das portas 2 e 4. Ao fazer menos certas coisas e parar totalmente outras, energia e recursos podem ser reinvestidos nas poucas coisas que realmente valem a pena serem feitas”.

O pastor Wade Hodges declarou uma vez: “Se se tornar parte de uma igreja coloca as pessoas em um ambiente que as encoraja a viverem vidas mais frenéticas do que viviam antes, então estamos vivendo a igreja do jeito errado”.

Browning escreve: “Qual é a coisa mais simples que poderia funcionar?” Ele sugere “descarte os outros elementos, mesmo que eles tradicionalmente tenham sido associados ao progresso”.

Mais um pensamento de Browning: “Uma das perguntas que leva a igreja de volta ao básico é: como faríamos a igreja se não tivéssemos eletricidade? Sua resposta, sem dúvida, o levará de volta à essência da igreja e longe da artificialidade da modernidade”.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

La Importancia de Enfocar

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Al Ries escribe en su libro, Focal Point, que hay cuatro cosas que se pueden hacer para mejorar la calidad de tu vida y trabajo.

  1. Puedes hacer más de ciertas cosas.
  2. Puedes hacer menos de ciertas cosas.
  3. Puedes comenzar a hacer cosas que no estás haciendo en absoluto ahora.
  4. Puedes dejar de hacer ciertas cosas por completo.

Dave Browning en su libro, Deliberate Simplicity (¡una gran lectura, por cierto!), Comenta las cuatro opciones anteriores. Él escribe: “Mientras que la iglesia tradicional tiende a elegir las puertas 1 y 3, la iglesia Deliberadamente simple mira lo que está detrás de las puertas 2 y 4. Al hacer menos cosas y detener otras cosas por completo, la energía y los recursos se pueden reinvertir en las pocas cosas que realmente vale la pena hacer “.

El pastor Wade Hodges dijo una vez: “Si convertirse en parte de una iglesia coloca a las personas en un entorno que las anime a llevar vidas más frenéticas que antes, entonces haremos iglesia de la manera equivocada”.

Browning escribe: “¿Cuál es la cosa más simple que podría funcionar?” Sugiere que “abandonemos otros elementos, incluso si tradicionalmente se han asociado con el progreso”.

Un pensamiento más de Browning: “Una de las preguntas que lleva a la iglesia a los fundamentos básicos es, ¿cómo haríamos iglesia si no tuviéramos electricidad? Tu respuesta, sin duda, te empujará de regreso a la esencia de la iglesia y lejos de la artificialidad de la modernidad “.

¿Comentarios?

Rob