Everybody can learn, live and share!

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available@amazon.com in English, Portuguese, Spanish and German)]

Many churches have been experiencing traditional small groups, focused on teaching and basically formed by mature Christians. As cell groups are focused on sharing life and formed by people in different stages of faith, people ask me how can a cell be attractive and useful for old-time Christians. Non believers can’t participate in deep biblical debates,  new believers always have basic questions and not all cell leaders are well-prepared Bible teachers. How could it possibly work? 

Well, in first place the question is inappropriate, since it is based on a small group mindset. The cell world is completely different. Mature Christians have left being consumers and have become providers. Disciple-making is all about giving and to give is better than to receive, as Jesus told us. So the cell environment is all about sharing. Community is all about sharing. Participants share their life, their homes, their time, their families. When we read Acts 2, the church was so much more than basically being devoted to the apostles’ teachings. Relationships were key! Everybody can share! And those who are born-again, have received spiritual gifts that can be used to edify the body. Old and new can be edified. 

With my cell in Malaga, Spain, we have lived amazing experiences that have changed my life and faith, more than any teaching-learning environment could have. Let me share one that exemplifies how old-time Christians can be (and effectively are) edified, challenged and changes in the cell paradigm. 

At a certain meeting, I was responsible for the Bible lesson. Since I have the spiritual gift of leadership, I had my goals clearly set out. Involving people in the sharing, keeping an eye on the timing, I was progressing through the lesson as planned. At a certain point one of the ladies started sobbing as the Holy Spirit touched her deeply. I was annoyed, because that “incident” would slow down our speed and we might not have enough time to “finish the task”. Before I could react, another lady who definitely has the spiritual gift of mercy, crossed the room, kneeled by the lady who was crying and put her arm around her shoulders. And then, to my embarrassment, she looked at me with loving eyes and gestured, telling me to go on. Wow! That really hit me. She was not only comforting the lady, but she had also seen my frustration and now she was using her mercy on me. I lost my ground. “ What’s the matter with me? To finish the lesson is more important than loving people?” So, that evening my leadership was shaped by my sister to become a more Jesus-like leadership full of mercy and love. Hardly a teaching environment could bless me more and impact me deeper. 

Definitely, we can all be used by the Holy Spirit to build each other up. All can (and will) grow in a group like this!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Todos podem aprender, viver e compartilhar!

Por Roberto Bottrel [servindo igrejas europeias, desafiando-as a serem fazedoras de discípulos através de células que multiplicam (centraldna.org). Autor do livro Multiplicação, o desafio do cristão, do líder e da Igreja (disponível na loja central.online em Português e @amazon.com em Inglês, Espanhol e Alemão]

Muitas igrejas têm vivenciado pequenos grupos tradicionais, focados no ensino e basicamente formados por cristãos maduros. Como as células estão focadas em compartilhar a vida e são formadas por pessoas em diferentes estágios de fé, as pessoas me perguntam como uma célula pode ser atraente e útil para os cristãos “mais antigos”. Os não-convertidos não conseguem participar de debates bíblicos profundos, os novos crentes sempre têm perguntas básicas e nem todos os líderes de células são professores da Bíblia bem preparados. Como isso poderia funcionar?

Bem, em primeiro lugar, essa pergunta é inadequada, uma vez que ela é baseada em uma mentalidade de pequenos grupos. O mundo das células é completamente diferente. Cristãos maduros deixaram de ser consumidores e se tornaram provedores. Fazer discípulos trata-se de dar e dar é melhor do que receber, como Jesus nos ensinou. Então, o ambiente da célula é compartilhar. Comunidade é compartilhar. Os participantes compartilham sua vida, suas casas, seu tempo, suas famílias. Quando lemos Atos 2, a Igreja era muito mais do que apenas dedicada aos ensinamentos dos apóstolos. Os relacionamentos eram fundamentais! Todo mundo pode compartilhar! E aqueles que nascem de novo recebem dons espirituais que podem ser usados para edificar o Corpo. Os mais velhos e os mais novos podem ser edificados.

Com minha célula em Málaga, na Espanha, vivemos experiências incríveis que mudaram minha vida e minha fé, mais do que qualquer ambiente de ensino-aprendizagem. Deixe-me compartilhar algo que exemplifica como os cristãos dos velhos tempos podem ser (e efetivamente são) edificados, desafiados e transformados no paradigma da célula.

Em certa reunião, fui responsável por conduzir a lição bíblica. Como eu tenho o dom espiritual de liderança, eu tinha meus objetivos claramente estabelecidos. Envolvendo as pessoas no compartilhamento, sem deixar de estar atento ao cronograma pre-estabelecido, eu estava avançando na lição como planejado. A certa altura, uma das senhoras começou a soluçar quando o Espírito Santo a tocou profundamente. Eu fiquei aborrecido, porque esse “incidente” diminuiria a velocidade e talvez não tivéssemos tempo suficiente para “terminar a tarefa”. Antes que eu pudesse reagir, outra senhora que definitivamente tinha o dom espiritual da misericórdia, atravessou a sala, ajoelhou-se junto à senhora que estava chorando e pôs o braço ao redor de seus ombros. E então, para meu constrangimento, ela olhou para mim com olhos cheios de amor e gesticulou, me dizendo para continuar. Uau! Isso realmente me atingiu. Ela não estava apenas consolando a nossa irmã, mas ela também tinha visto a minha frustração e agora ela estava usando sua misericórdia para comigo. Eu perdi meu chão. “Qual é o problema comigo? Terminar a lição é mais importante do que amar as pessoas?”. Então, naquela noite, minha liderança foi moldada por minha irmã para se tornar uma liderança mais semelhante a Jesus, cheia de misericórdia e amor. Dificilmente um ambiente focado no ensino poderia ter me abençoado mais e me impactado mais profundamente.

Definitivamente, todos nós podemos ser usados pelo Espírito Santo para edificar uns aos outros. Todos podem (e irão) crescer em um grupo como este!

Spanish blog:

¡Todos pueden aprender, vivir y compartir!

Por Roberto Bottrel [sirviendo a las iglesias europeas, desafiándolas a hacer discípulos a través de células que se multiplican (centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada Líder y la Iglesia (disponible en @amazon.com en inglés, portugués, español y alemán)]

Muchas iglesias han estado experimentando grupos pequeños tradicionales, enfocados en la enseñanza y básicamente formados por cristianos maduros. Dado que los grupos celulares se centran en compartir la vida y están formados por personas en diferentes etapas de la fe, la gente me pregunta cómo puede una célula ser atractiva y útil para los cristianos de antaño. Los no creyentes no pueden participar en debates bíblicos profundos, los nuevos creyentes siempre tienen preguntas básicas y no todos los líderes celulares son maestros bíblicos bien preparados. ¿Cómo podría funcionar?

Bueno, en primer lugar, la pregunta es inapropiada, ya que se basa en una mentalidad de grupo pequeño. El mundo celular es completamente diferente. Los cristianos maduros han dejado de ser consumidores y se han convertido en proveedores. Hacer discípulos tiene que ver con dar y dar es mejor que recibir, como nos dijo Jesús. Así que el entorno celular se trata de compartir. La comunidad se trata de compartir. Los participantes comparten su vida, sus hogares, su tiempo, sus familias. Cuando leemos Hechos 2, la iglesia era mucho más que básicamente estar dedicada a las enseñanzas de los apóstoles. ¡Las relaciones eran clave! ¡Todos pueden compartir! Y aquellos que han nacido de nuevo, han recibido dones espirituales que pueden usarse para edificar el cuerpo. Antiguos y nuevos pueden ser edificados.

 Con mi célula en Málaga, España, hemos vivido experiencias increíbles que han cambiado mi vida y mi fe, más de lo que cualquier entorno de enseñanza-aprendizaje podría haber tenido. Permítanme compartir una historia que ejemplifica cómo los cristianos antiguos pueden ser (y efectivamente son) edificados, desafiados y cambios en el paradigma celular.

 En cierta reunión, fui responsable de la lección bíblica. Dado que tengo el don espiritual del liderazgo, tenía mis objetivos claramente establecidos. Involucrando a la gente en el intercambio, vigilando el tiempo, estaba progresando a través de la lección según lo planeado. En cierto punto, una de las damas comenzó a sollozar cuando el Espíritu Santo la tocó profundamente. Estaba molesto porque ese “incidente” ralentizaría nuestra velocidad y es posible que no tengamos el tiempo suficiente para “terminar la tarea”. Antes de que pudiera reaccionar, otra dama que definitivamente tiene el don espiritual de la misericordia, cruzó la habitación, se arrodilló junto a la dama que estaba llorando y se pasó un brazo por los hombros. Y luego, para mi vergüenza, me miró con ojos amorosos e hizo un gesto, diciéndome que continuara. ¡Guauu! Eso realmente me golpeó. No solo estaba consolando a la dama, sino que también había visto mi frustración y ahora estaba usando su misericordia conmigo. Perdí mi terreno. ” ¿Que pasa conmigo? ¿Terminar la lección es más importante que amar a la gente? ”. Entonces, esa noche mi liderazgo fue moldeado por mi hermana para que se convirtiera en un liderazgo más parecido a Jesús, lleno de misericordia y amor. Fue un ambiente de enseñanza el que me bendijo más e impactó profundamente.

 Definitivamente, todos podemos ser usados ​​por el Espíritu Santo para edificarnos unos a otros. Todos pueden (y lo harán) crecer en un grupo como este!

Belonging Before Believing

By Stephen Daigle, College and Young Adult Pastor at Celebration Church, www.celebrationchurch.org

Growing up, I had always been under the impression that ‘bringing your friends’ to church was not only my Christian duty, but it was the most effective way of positioning someone to hear the Gospel and have an opportunity to encounter Jesus. Or so I believed at the time.

When I was in my early 20’s, I had a sobering ‘Aha!’ moment. I realized that I had become really good at speaking, but not so good at discipling. What I mean is, all of my focus was on delivering a message, but not so much walking with someone as they learn to follow Christ. I prayed that the Lord would help me ‘flip the script’ of my focus and put someone in my life who I could disciple. The next day, He did just that. My path crossed with a friend I hadn’t seen in 7 years and who expressed an interest in the hope that I had in Jesus. This was the opportunity that I had prayed for. How would I steward it?

I decided to not to invite him to church, but instead, invited him to a home bible study I was having at my house. It was actually very hard for me to do this since I was accustomed to inviting people to church. I wanted to see if he would naturally grow into the fellowship of believers without me forcing him. This friend consistently attended Bible study for months before surrendering his life to the Lord, going on a mission trip and getting baptized. After several months of consistently attending the weekly bible study, my friend asked if he could come to church with me on Sunday. I was thrilled to see his desire to know God and be a part of the body of Christ.

I’ve found that one of the major problems we face in our churches is what we call ‘closing the back door’.  They come through the front door of our church, sit in a service, leave and never come back. Why? We can discuss this all day, but I believe it’s because they have attended a service and didn’t form any meaningful relationships. However, if someone is invited to a cell meeting before attending a service, the odds of them developing meaningful relationships, becoming a part of the fellowship of believers and taking the next steps in their walk with the Lord is increased.

A Celebration Church, we encourage our cell leaders to prioritize inviting individuals to their cell meetings before inviting them to church. Of course we also encourage inviting to church service, but we know that relationships are most effectively formed in the context of the cell. For many, this is a shift in the way we think about an individual’s journey to know the Lord and grow. I would encourage you to test it out yourself.

Pray that God would put someone in your path that you could invite to your cell. Give them an opportunity to naturally grown within the cell and utilize their gifts and talents. Watch and be encouraged as God grows HIS church before your eyes!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Pertencer Antes de Acreditar

Por Stephen Daigle, www.celebrationchurch.org

Ao crescer, eu sempre tive a impressão de que “trazer seus amigos” para a igreja não era apenas meu dever cristão, mas era a maneira mais eficaz de posicionar alguém para ouvir o Evangelho e ter a oportunidade de encontrar Jesus. Pelo menos era no que eu acreditava na época.

Quando eu estava com meus 20 anos, tive um momento sóbrio de “Aha!”. Percebi que tinha me tornado muito bom em falar, mas não tão bom em discipular. O que eu quero dizer é que todo o meu foco estava em entregar uma mensagem, mas não tanto em andar com alguém à medida que essa pessoa aprende a seguir a Cristo. Eu orei para que o Senhor me ajudasse a “inverter o roteiro” do meu foco e colocar alguém em minha vida que eu pudesse discipular. No dia seguinte, Ele fez exatamente isso. Meu caminho cruzou com um amigo que eu não via há 7 anos e que manifestou interesse na esperança que eu tinha em Jesus. Esta foi a oportunidade pela qual eu havia orado. Como eu lidaria com isso?

Decidi não convidá-lo para a igreja, mas, em vez disso, o convidei para um estudo bíblico em casa que eu estava fazendo. Na verdade, foi muito difícil fazer isso, já que eu estava acostumado a apenas convidar pessoas para ir à igreja. Eu queria ver se ele cresceria naturalmente na comunhão dos crentes sem que eu o forçasse. Este amigo frequentou o estudo bíblico por meses antes de entregar sua vida ao Senhor, ir em uma viagem missionária e ser batizado. Depois de vários meses frequentando consistentemente o estudo bíblico semanal, meu amigo perguntou se ele poderia ir à igreja comigo no domingo. Fiquei emocionado ao ver seu desejo de conhecer a Deus e fazer parte do corpo de Cristo.

Descobri que um dos principais problemas que enfrentamos em nossas igrejas é o que chamamos de “fechar a porta dos fundos”. Eles entram pela porta da frente da nossa igreja, sentam-se em um culto, saem e nunca mais voltam. Por quê? Podemos discutir isso o dia todo, mas acredito que seja porque eles participaram de um culto e não formaram nenhum relacionamento significativo. No entanto, se alguém for convidado para uma reunião de célula antes de participar de um culto, isso aumentará a chance deles desenvolverem relacionamentos significativos, tornarem-se parte da comunhão dos crentes e dar os próximos passos em sua caminhada com o Senhor.

Na Celebration Church, nós encorajamos nossos líderes de célula a priorizar o convite de indivíduos para suas reuniões em células antes de convidá-los para a igreja. É claro que também encorajamos o convite para o culto na igreja, mas sabemos que os relacionamentos são formados de maneira mais eficaz no contexto da célula. Para muitos, essa é uma mudança na forma como pensamos sobre a jornada de um indivíduo para conhecer o Senhor e crescer. Eu encorajaria você a testar isso.

Ore para que Deus coloque alguém em seu caminho que você possa convidar para a sua célula. Dê-lhe uma oportunidade de crescer naturalmente dentro da célula e utilizar seus dons e talentos. Observe e seja encorajado ao ver Deus cultivar Sua igreja diante de seus olhos!

Spanish blog:

Pertenecer antes de creer

Por Stephen Daigle, www.celebrationchurch.org

Al crecer, siempre tuve la impresión de que “llevar a tus amigos” a la iglesia no solo era mi deber cristiano, sino que era la forma más efectiva de ubicar a alguien para escuchar el Evangelio y tener la oportunidad de encontrarse con Jesús. O eso creía yo en ese momento.

Cuando tenía unos 20 años, tuve un momento de descubrimiento! Me di cuenta de que me había vuelto muy bueno hablando, pero no tan bueno discipulando. Lo que quiero decir es que todo mi enfoque estaba en entregar un mensaje, pero no tanto caminar con alguien mientras aprenden a seguir a Cristo. Oré para que el Señor me ayudara a “voltear el guión” de mi enfoque y poner a alguien en mi vida a quien pudiera discipular. Al día siguiente, Él hizo eso. Mi camino se cruzó con un amigo que no había visto en 7 años y que expresó interés en la esperanza que tenía en Jesús. Esta fue la oportunidad por la que había orado. ¿Cómo lo administraría?

Decidí no invitarlo a la iglesia, pero en cambio, lo invité a un estudio bíblico que tenía en mi casa. En realidad fue muy difícil para mí hacer esto ya que estaba acostumbrado a invitar a la gente a la iglesia. Quería ver si él crecería naturalmente en la comunión de creyentes sin que yo lo forzara. Este amigo asistió constantemente al estudio de la Biblia durante meses antes de entregar su vida al Señor, ir a un viaje misionero y bautizarse. Después de varios meses de asistir constantemente al estudio bíblico semanal, mi amigo me preguntó si podía venir a la iglesia conmigo el domingo. Me emocionó ver su deseo de conocer a Dios y ser parte del cuerpo de Cristo.

Descubrí que uno de los principales problemas que enfrentamos en nuestras iglesias es lo que llamamos “cerrar la puerta trasera”. Vienen por la puerta principal de nuestra iglesia, se sientan en un servicio, se van y nunca regresan. ¿Por qué? Podemos discutir esto todo el día, pero creo que es porque han asistido a un servicio y no han establecido relaciones significativas. Sin embargo, si alguien es invitado a una reunión celular antes de asistir a un servicio, aumentan las probabilidades de que desarrollen relaciones significativas, se conviertan en parte de la comunión de los creyentes y den los siguientes pasos en su caminar con el Señor.

En Iglesia de Celebración, alentamos a nuestros líderes celulares a priorizar invitar a personas a sus reuniones celulares antes de invitarlos a la iglesia. Por supuesto, también alentamos la invitación al servicio de la iglesia, pero sabemos que las relaciones se forman de manera más efectiva en el contexto de la célula. Para muchos, esto es un cambio en la forma en que pensamos acerca del viaje de un individuo para conocer al Señor y crecer. Te animo a que lo pruebes tú mismo.

Ora para que Dios ponga a alguien en tu camino que puedas invitar a tu célula. Dales la oportunidad de crecer naturalmente dentro de la célula y utilizar sus dones y talentos. ¡Observa y anímate a medida que Dios hacer crecer SU iglesia ante tus ojos!

A Two Week Church Can Fly, part 2

by Dr. Bill Beckham

The story of the two-winged church is clearly articulated in the New Testament:

  • Acts 2:46: “Every day they continued to meet together in the temple courts. They broke bread in their homes and ate together with glad and sincere hearts.”
  • Acts 5:42:  “Day after day, in the temple courts and from house to house, they never stopped teaching and proclaiming the good news that Jesus is the Messiah.”

The large wing of the church needs to reimagine the small wing expression of the church. Even with impressive programs, ministries and small groups, large wing churches grow but do not multiply. This is true of mega churches of thousands and smaller churches trying to replicate the mega Sunday worship model. This model is a come structure that is isolated in buildings on one day of the week. Large churches need a way to mobilize special forces that can operate organically in every situation in the world 24/7.

The small group expression needs a way to expand, to multiply organically and to supervise expansion. It also needs a large group form that continues to mobilize expansion. We see some church planting movements today that are reproducing with New Testament multiplying numbers. These movements have simple and small ways of mobilizing the maximum number of converts in witness. They are God’s special forces out in the world. The cell church and house church movements must use their secret of mobilization and multiplication.

God wants to mobilize BOTH the large group and small group wings/expressions of the church today. Instead of debating the validity of either the large group or small group, we need to expend our energies in mobilizing both for God’s purpose! “Mobilize” means to operate as a network of organic units that require no money, buildings, programs or professional leaders.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Uma igreja de duas asas pode voar, parte 2

Por Dr. Bill Beckham

A história da igreja de duas asas é claramente articulada no Novo Testamento:

  • Atos 2:46: “Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em casa e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração”.
  • Atos 5:42: “Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo”.

A asa grande da igreja precisa reimaginar a expressão da pequena asa da igreja.  Mesmo com programas impressionantes, ministérios e pequenos grupos, igrejas de asas grandes crescem, mas não se multiplicam. Isto é verdade para grandes igrejas com milhares de membros e pequenas igrejas que tentam replicar o modelo de culto dominical das mega igrejas. Este modelo é uma estrutura isolada em edifícios e durante um dia da semana. Grandes igrejas precisam de uma maneira de mobilizar forças especiais que possam operar organicamente em todas as situações do mundo, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

A expressão de pequenos grupos precisa de uma maneira de se expandir, de se multiplicar organicamente e supervisionar a expansão. Também precisa de um grupo grande que continue a mobilizar a expansão. Atualmente nós vemos alguns movimentos de plantação de igrejas que estão se reproduzindo com números de multiplicação do Novo Testamento. Esses movimentos têm maneiras simples e pequenas de mobilizar o número máximo de convertidos em testemunho. Eles são as forças especiais de Deus no mundo. A igreja em células e os movimentos da igreja doméstica devem usar seu segredo de mobilização e multiplicação.

Deus quer mobilizar tanto a expressão/asa do grupo grande quanto a do pequeno grupo. Em vez de debater a validade do grupo grande ou do grupo pequeno, precisamos investir nossas energias na mobilização de ambas para o propósito de Deus! “Mobilizar” significa operar como uma rede de unidades orgânicas que não exigem dinheiro, edifícios, programas ou líderes profissionais.

Spanish blog:

Una iglesia de dos semanas puede volar, parte 2

Por el Dr. Bill Beckham,

La historia de la iglesia de dos alas está claramente articulada en el Nuevo Testamento:

  • Hechos 2:46: “Y perseverando unánimes cada día en el templo, y partiendo el pan en las casas, comían juntos con alegría y sencillez de corazón ”.
  • Hechos 5:42: “Y todos los días, en el templo y por las casas, no cesaban de enseñar y predicar a Jesucristo”.

El ala grande de la iglesia necesita volver a imaginar la expresión del ala pequeña de la iglesia. Incluso con programas impresionantes, ministerios y grupos celulares, las iglesias grandes crecen pero no se multiplican. Esto es real para las mega iglesias de miles y las iglesias más pequeñas que intentan replicar el modelo de adoración del mega domingo. Este modelo es una estructura que se aísla en edificios en un día de la semana. Las iglesias grandes necesitan una forma de movilizar fuerzas especiales que puedan operar orgánicamente en cualquier situación del mundo 24/7.

La expresión de grupos celulares necesita una forma de expandirse, multiplicarse orgánicamente y supervisar la expansión. También necesita una forma de grupo grande que continúe movilizando la expansión. Hoy vemos algunos movimientos de plantación de iglesias que se reproducen con los números multiplicadores del Nuevo Testamento. Estos movimientos tienen formas simples y pequeñas de movilizar al máximo número de conversos en testimonio. Son las fuerzas especiales de Dios en el mundo. Los movimientos de la iglesia celular y de la iglesia en casa deben usar su secreto de movilización y multiplicación.

Dios quiere movilizar AMBAS el grupo grande y las pequeñas alas / expresiones de la iglesia hoy. ¡En lugar de debatir la validez del grupo grande o pequeño, debemos usar nuestras energías en movilizar a los dos para el propósito de Dios! “Movilizarse” significa operar como una red de unidades orgánicas que no requieren dinero, edificios, programas o líderes profesionales.

A Two Winged Church Can Fly, part 1

by Dr. Bill Beckham

I was frustrated after talking with a group of graduate students from Texas A&M University in 1990 about the church in small groups. After they left, I went into my study and typed out this little parable verbatim about the large group and small group wings. Almost immediately the story seemed to express something in the Cell Church movement that God wanted to say. I have applied the basic idea to the different movements of the church over the past decades.

The parable God gave me in 1990 that still has relevance for the church today:

Once upon a time God created a church with two wings. One wing was a large group wing and one wing was a small group wing. With these two wings the Church could soar high into the heavens, come into the presence of Creator and do His bidding over all the earth. One day the wicked serpent that had no wings came to the Two-Winged Church and said, “Do you know you can fly with just one wing?” “Yes! You can fly with just a large group wing.” And so the church that had been created with two wings began to try to fly with just the large group wing. And sure enough, if it beat that large group wing long enough and hard enough it could get air borne. But it never flew very high, never went very far from its original take off point, and as one winged things are prone to do, many times it went in circles. But it could fly.

This happened sometime in the 4th Century. And so from that time forward the church that had been created as a two-winged church used only the large group wing. Finally the small group wing atrophied at the side of the two-winged church.

From time to time the church remembered those days in the past when it had been able to soar high into the heavens, come into the presence of the Creator and do His bidding over all the earth. But now it was too late. The Two-Winged Church had become a one-winged, earth bound institution.

So, one day the Creator returned and recreated another two-winged church: with a large group wing and a small group wing. Once again, the church could soar high into the heavens, come into the presence of the Creator and do His bidding over all the earth.

The simple idea within the parable of the two-winged church seems to be valid after almost three decades. The church has two basic expressions: In the home and at the temple, public and private, large and small, gathered and scattered, building and body and organized and organic.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog: 

Uma igreja de duas asas pode voar, parte 1

Por Dr. Bill Beckham

Fiquei frustrado depois de conversar com um grupo de estudantes de pós-graduação da  A&M University do Texas em 1990 sobre a igreja em pequenos grupos. Depois que eles saíram, eu fui para o meu escritório e digitei esta pequena parábola sobre as asas do grupo grande e dos pequenos grupos. Quase imediatamente a história pareceu expressar algo no movimento da Igreja Celular que Deus queria dizer. Eu apliquei a ideia básica aos diferentes movimentos da Igreja nas últimas décadas.

A parábola que Deus me deu em 1990 ainda tem relevância para a igreja hoje:

Era uma vez, Deus criou uma igreja com duas asas. Uma asa era a asa do grupo grande e a outra, a asa do pequeno grupo. Com estas duas asas, a Igreja pode subir ao céu, entrar na presença do Criador e cumprir Sua vontade sobre toda a terra. Um dia, a serpente perversa que não tinha asas veio à Igreja de Duas Asas e disse: “Você sabe que pode voar com apenas uma asa? Sim! Você pode voar apenas com a asa do grupo grande”. E então a igreja que havia sido criada com duas asas começou a tentar voar apenas com asa do grupo grande. E é claro que, se ela batesse sua asa do grupo grande por muito tempo e com bastante força, ela conseguia sair do chão. Mas nunca voou muito alto, nunca foi muito longe de seu ponto de partida original e, como as coisas aladas são propensas a fazer, muitas vezes vezes ficou em círculos. Mas conseguia voar.

Isso aconteceu em algum momento do século IV. E assim, a partir daquele momento, a igreja que havia sido criada como uma igreja de duas asas usava apenas a asa do grupo grande. Finalmente, a asa do pequeno grupo atrofiou-se no lado da igreja de duas asas.

De tempos em tempos a igreja lembrava aqueles dias no passado em que tinha sido capaz de voar alto para os céus, entrar na presença do Criador e fazer Sua vontade sobre toda a terra. Mas agora era tarde demais. A Igreja de Duas Asas tornou-se uma instituição unilateral presa à terra.

Então, um dia o Criador retornou e recriou outra igreja de duas asas: com uma asa do grupo grande e outra asa do grupo pequeno. Mais uma vez, a igreja pôde voar alto para o céu, entrar na presença do Criador e cumprir Sua vontade sobre toda a terra.

A ideia simples dentro da parábola da igreja de duas asas parece ser válida depois de quase três décadas. A igreja tem duas expressões básicas: Em casa e no templo, pública e privada, grande e pequena, reunida e dispersa, organizada para o Corpo dentro do prédio e orgânica.

Spanish blog:

Una iglesia de dos alas puede volar, parte 1

Por el Dr. Bill Beckham

Me sentí frustrado después de hablar con un grupo de estudiantes graduados de la Universidad de Texas A&M en 1990 sobre la iglesia celular. Después de que se fueron, entré en mi estudio y escribí esta pequeña parábola literal sobre las dos alas que son representadas en los servicios de celebración y las células. Casi inmediatamente, la historia pareció expresar algo en el movimiento de la Iglesia Celular que Dios quería decir. He aplicado la idea básica a los diferentes movimientos de la iglesia en las últimas décadas.

La parábola que Dios me dio en 1990 que todavía tiene relevancia para la iglesia hoy:

Una vez Dios creó una iglesia con dos alas. Unq de ellas era un ala de grupo grande y la otra era un ala de grupo pequeño. Con estas dos alas, la Iglesia podría elevarse hacia lo alto de los cielos, venir a la presencia del Creador y cumplir sus órdenes sobre toda la tierra. Un día, la serpiente malvada que no tenía alas vino a la Iglesia de dos alas y dijo: “¿Sabes que puedes volar con una sola ala?” “¡Sí! Puedes volar solo con un ala de grupo grande ”. Y así, la iglesia que había sido creada con dos alas comenzó a tratar de volar solo con el ala de grupo grande. Y, por supuesto, si golpea a ese gran grupo de alas el tiempo suficiente y con la fuerza suficiente, podría ser transportado por el aire. Pero nunca voló muy alto, nunca fue muy lejos de su punto de despegue original, y como una cosa alada es propensa a hacer, muchas veces voló en círculos. Pero podía volar.

Esto sucedió en algún momento del siglo IV. Y así, desde ese momento en adelante, la iglesia que había sido creada como una iglesia de dos alas usó solo el ala del gran grupo. Finalmente el pequeño grupo se atrofió al lado de la iglesia de dos alas.

De vez en cuando, la iglesia recordaba aquellos días en el pasado en los que había sido capaz de elevarse hacia los cielos, venir a la presencia del Creador y cumplir sus órdenes sobre toda la tierra. Pero ahora era demasiado tarde. La Iglesia de dos alas se había convertido en una institución de una sola ala, unida a la tierra.

Entonces, un día el Creador regresó y recreó otra iglesia de dos alas: con un grupo grande y un grupo pequeño. Una vez más, la iglesia podría elevarse a lo alto de los cielos, venir a la presencia del Creador y cumplir sus órdenes sobre toda la tierra.

La idea simple dentro de la parábola de la iglesia de dos alas parece ser válida después de casi tres décadas. La iglesia tiene dos expresiones básicas: en el hogar y en el templo, público y privado, grande y pequeño, reunidos y dispersos, edificio y cuerpo y organizado y orgánico.

Cell Pastors

By Mario Vega, www.elim.org.sv

At Elim church in San Salvador we are a team of 87 pastors. This number was reached because the number of people we needed to take care of who attend our cells. All pastors were once cell leaders who excelled, for that reason they were later promoted to supervisors and, those who stood out the most were eventually promoted to pastors. They are really not chosen because of their competence for preaching but because of their God-given grace to implement cell work. In fact, very few of them are the ones who preach at the celebration service. Those who do it more frequently, do it approximately once a month. The others do it every six months or once a year.

Of course they have many more opportunities to preach/teach at meetings of supervisors and leaders. They do this every week outside the church building, in the zones where they minister.  They are well aware that the focus of their ministry is not on the celebration service but on their work in the city. It is in the cell zones where they develop their ministry by forming, mentoring, visiting, encouraging, performing weddings, performing baptisms, and so forth. Their task focuses on both multiplication and caring for people.

In some cases, some of them are called to plant a church and become lead pastors. Others might be called to an existing church. But even in their new ministry position, they focus on team ministry with other leaders and pastors who will focus on cell ministry as the driving force. Yes, they also have quality preaching and celebration times, but their main focus is on multiplying cells, leaders and then supervising those who are ministering to others.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Pastores De Células

Por Mario Vega, www.celulas.org.sv

Na Elim Church, em San Salvador, somos uma equipe de 87 pastores. Este número foi alcançado devido ao número de pessoas que precisávamos para cuidar de quem frequenta nossas células. Todos os pastores já foram líderes de célula que se destacaram, por essa razão foram posteriormente promovidos a supervisores e, aqueles que mais se destacaram foram eventualmente promovidos a pastores. Eles não são realmente escolhidos por causa de sua competência para pregar, mas por causa de sua graça dada por Deus para implementar o trabalho em células. De fato, poucos são os que pregam no culto de celebração. Aqueles que fazem isso com mais frequência, fazem isso aproximadamente uma vez por mês. Os outros fazem isso a cada seis meses ou uma vez por ano.

É claro que eles têm muito mais oportunidades de pregar/ensinar em reuniões de supervisores e líderes. Eles fazem isso toda semana fora do prédio da igreja, nas zonas onde ministram. Eles estão bem conscientes de que o foco de seu ministério não está no culto de celebração, mas em seu trabalho na cidade. É nas regiões de células onde eles desenvolvem seu ministério formando, orientando, visitando, encorajando, realizando casamentos, batismos e assim por diante. Sua tarefa se concentra na multiplicação e no cuidado das pessoas.

Em alguns casos, alguns deles são chamados para plantar uma igreja e se tornar pastores principais. Outros podem ser chamados para uma igreja existente. Mas mesmo em sua nova posição de ministério, eles se concentram no ministério de equipe com outros líderes e pastores que se concentrarão no ministério celular como força motriz. Sim, eles também têm pregações e cultos de celebração de qualidade, mas seu foco principal é multiplicar células, líderes e, depois, supervisionar aqueles que estão ministrando aos outros.

Spanish blog:

Los Pastores Celulares

por Mario Vega, www.elim.org.sv

En la iglesia Elim de San Salvador somos un equipo de 87 pastores. Esa cantidad se alcanzó a partir de la necesidad de atención a las personas que asisten a nuestras células. Todos los pastores fueron en su momento líderes de células que destacaron, por esa razón luego fueron promovidos a supervisores y, los que más destacaron, son los que fueron ascendidos a pastores. En realidad, ellos no son elegidos por su competencia para la predicación sino por su gracia para implementar el trabajo celular. De hecho, muy pocos de ellos son los que predican en la celebración. Quienes lo hacen con mayor frecuencia es aproximadamente una vez al mes. Los otros, lo hacen cada seis meses o una vez al año.

Por supuesto que tienen muchas más oportunidades de predicar, pero en las reuniones de supervisores y líderes. Eso lo hacen todas las semanas fuera del edificio de la iglesia, en las zonas de trabajo. Ellos están muy conscientes que el enfoque de su ministerio no es en la celebración sino en el campo. En las zonas de células es donde desarrollan su ministerio formando, mentoreando, visitando, animando, realizando bodas, realizando bautismos, etc. Su tarea se enfoca tanto en la multiplicación como en el cuidado de las personas.

En algunos casos, algunos de ellos son llamados a un ministerio primario. Cuando eso ocurre, normalmente salen para estar al frente de una iglesia como pastores principales. Pero, allí, forman su equipo de trabajo con otros pastores que se enfocarán en el trabajo celular como una especialidad. En tanto que ellos se dedicarán a las celebraciones y a dar dirección, supervisión y motivación al trabajo en las casas.